×
Analista de Planejamento e Orçamento - Tecnologia da Informação Especialista em Políticas Públicas e Gestão Governamental
×
MPOG 2009 MPOG 2010 MPOG 2012 MPOG 2013 MPOG 2015

MPOG 2008

Analista de Planejamento e Orçamento

* As numerações que você vê abaixo não correspondem à numeração original da prova. Alguns ajustes foram necessário para colocar estas questões no sistema
Questão 1

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Conforme as idéias do texto, assinale a opção correta.

O industrial brasileiro entrou em 2008 otimista, prevendo um bom nível de atividade para o primeiro semestre, segundo a sondagem recém-divulgada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).A pesquisa foi realizada em 22 Estados, com executivos de 1.394 empresas, entre os dias 2 e 22 de janeiro. Este último detalhe é especialmente importante: a expectativa dos entrevistados, aparentemente, não foi afetada pelo noticiário sobre a crise internacional e sobre o risco de uma recessão nos Estados Unidos. A grande aposta, segundo o levantamento, é no dinamismo do mercado interno, porque há pessimismo quanto à evolução das exportações – mas essa avaliação já foi encontrada na edição anterior da sondagem, no trimestre anterior.
A boa disposição do empresariado foi confirmada pelos últimos números da Fiesp, distribuídos na quarta-feira, um dia depois de a CNI divulgar sua sondagem. No ano passado, o nível de atividade da indústria paulista foi 6,1% superior ao de 2006 e o dinamismo conservou-se até o último mês. Em dezembro, o nível de atividade ficou 7% acima do registrado um ano antes.
(O Estado de S. Paulo, 31/01/2008)

Questão 2

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
No que diz respeito a agregados macroeconômicos e identidades contábeis, pode-se afirmar que os principais agregados derivados das contas nacionais são as medidas de Produto, Renda e Despesa. Assinale a única opção falsa no que se refere a agregados macroeconômicos.

Questão 3

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
De acordo com as idéias do texto, assinale a opção correta.

O rápido crescimento da economia mundial nos últimos anos gerou milhões de empregos, mas nem assim foi possível evitar o aumento do número de desempregados, porque a quantidade de vagas abertas não foi suficiente para abrigar todos os que chegaram ao mercado de trabalho no período. O que acontecerá ao longo de 2008, quando o desempenho econômico em todo o mundo deve ser pior do que o dos anos anteriores, ainda que não aconteça a recessão nos Estados Unidos? O resultado, de acordo com pesquisa que a Organização Internacional do Trabalho (OIT) acaba de divulgar, pode ser o acréscimo de 5 milhões de pessoas ao contingente de desempregados em todo o mundo.
O informe anual da OIT Tendências Mundiais do Emprego faz uma avaliação prudente do quadro econômico atual. Mesmo o aumento do número de desempregados que projeta para este ano não chega a ser estatisticamente relevante. No ano passado, cerca de 3 bilhões de pessoas estavam empregadas em todo o mundo. Os desempregados, de acordo com a OIT, representavam 6% da força de trabalho total. Se em 2008 o número de desempregados aumentar em 5 milhões, o índice subirá para 6,1%, variação muito pequena.
Mas a questão não é meramente estatística. O desemprego já atinge quase 200 milhões de pessoas e suas famílias. Além disso, a falta de emprego não é o único problema que afeta os trabalhadores e suas famílias no mundo inteiro. Boa parte dos que integram o grupo dos empregados vive em situação muito difícil.
(O Estado de S. Paulo, 29/01/2008)

Questão 4

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Pode-se afirmar que o Balanço de Pagamentos de um país é um resumo contábil das transações econômicas que este país faz com o resto do mundo, durante certo período de tempo. No que tange a Balanço de Pagamentos, assinale a única opção falsa.

Questão 5

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Conforme as idéias do texto, assinale a opção correta.

O crescimento econômico, por si só, não tem sido sufi ciente para melhorar as condições no mundo do trabalho, nem mesmo para conter o aumento do número de desempregados (em 2006, o total de desempregados no mundo era de 187 milhões; no ano passado, apesar do crescimento de 5,2% da economia mundial, o total subiu para 189,9 milhões de pessoas). Daí, segundo a OIT, a necessidade de os governos agirem para assegurar que o progresso econômico se transforme num fator de inclusão social e não de aumento das desigualdades, como ocorre em muitos países. Na avaliação da OIT, a crise atual é diferente das anteriores. Esta surgiu no mundo industrializado e, ao contrário do que aconteceu com as crises da década passada, não afetou de maneira notável os demais países – pelo menos até agora.

Não há, porém, nenhuma segurança de que esse quadro se manterá. A questão, diz a OIT, é como o mercado de trabalho em todo o mundo reagirá à redução da atividade econômica. “Este será o ano das incertezas”, resumiu o Diretor-Geral da OIT.
(O Estado de S. Paulo, 29/01/2008)

Questão 6

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
A política fiscal pode ser dividida em duas grandes partes: a política tributária e a política de gastos públicos. No que se refere à política fiscal, assinale a única opção incorreta.

Questão 7

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Em relação ao texto abaixo, assinale a opção incorreta.

As grandes empresas estatais chinesas estão em plena temporada de compras no mercado internacional. O acúmulo de quase US$ 1,5 trilhão em reservas na China não apenas mudou o jogo do financeiro internacional, com mudanças de paradigma — dinheiro chinês financiando o déficit americano — como tem potencial para alterar o mapa das fusões e aquisições mundiais e também a configuração de forças em vastos setores da economia. O foco da mais recente investida dos chineses é emblemático: mineração.
A rápida, coordenada, cautelosa e surpreendente compra de 9% do capital da anglo-australiana
Rio Tinto, a terceira maior mineradora do mundo, mostra uma mudança de qualidade no planejamento da investida no exterior das estatais chinesas. Até a pouco tempo atrás, havia sérias dúvidas sobre a capacidade de arregimentação dessas empresas pelo governo chinês. A imagem predominante era a de que elas realizavam incursões esporádicas e oportunistas em vários mercados, sem objetivos comuns. A compra de parte do capital acionário da Rio Tinto, entretanto, passa a mostrar um alinhamento entre os interesses do Estado e os das estatais enquanto empresas, para assegurar o suprimento de commodities que sustente a rápida expansão econômica. Elas entraram em uma disputa de mercado para evitar que eventual monopolização de alguns setores, como o das commodities metálicas, traga uma indesejável elevação de preços.
(Valor Econômico, 8/02/2008)

Questão 8

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Com relação à política monetária, identifique a única opção incorreta.

Questão 9

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Em relação ao texto, assinale a opção incorreta.

O objetivo da Embratur é atrair mais turistas estrangeiros. Em média, segundo a empresa, eles permaneceram no Brasil 18 dias em cada viagem, em 2007, dois dias mais do que em 2006. A média geral de gastos diários, por turista, foi de US$ 91,74, mas os europeus gastaram bem mais que isso. Segundo a presidente da Embratur, aumentou em 22% o número de viagens dos turistas espanhóis ao País.
Para atrair mais turistas, é preciso oferecer não apenas mais vôos e mais hotéis, o que já vem ocorrendo, mas também serviços de qualidade, funcionários bilíngües, segurança reforçada nas proximidades de hotéis, aeroportos e infraestrutura. O empenho justifica-se pelo aumento do emprego propiciado pelo turismo e da renda gerada para os mais diversos segmentos – shopping centers, restaurantes, cinemas, táxis, transporte especializado, farmácias.
(O Estado de S. Paulo, 6/02/2008)

Questão 10

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
A atuação econômica do governo na área externa pode dar-se por meio da política cambial ou da política comercial. A política cambial refere-se a alterações na taxa de câmbio. No que diz respeito à política cambial, aponte a única opção falsa.

Questão 11

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Assinale a opção que corresponde a erro gramatical.

O Brasil encerrou o ano de 2007 com(1) resultados animadores. O País conseguiu gerar mais de(2) 1,6 milhão de postos de trabalho. Acerca de(3)42% foram empregados com carteira de trabalho assinada no setor privado. O desemprego nas regiões metropolitanas ficou em torno de(4) 9,5%, ante(5) 10% em 2006. Os rendimentos médios subiram cerca de 3% em termos reais. Em quatro anos o aumento foi de quase 8%.
(José Pastore, O Estado de S. Paulo, 5/02/2008)

Questão 12

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
A utilização de indicadores sociais como parte da avaliação da riqueza de um país insere-se na discussão entre crescimento e desenvolvimento econômico. Com relação a indicadores sociais, aponte a única opção falsa.

Questão 13

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Assinale a opção que preenche corretamente as lacunas do texto, adaptado de O Estado de S. Paulo, 5/02/2008.

Os resultados do trabalho de fiscalização da Receita Federal no ano passado impressionam. Por práticas de “evasão fiscal” – ___1___sonegação de impostos, apuração indevida de impostos e contribuições a serem recolhidas, erros e omissões nas declarações do Imposto de Renda, entre outras –, a Receita autuou no ano passado 522 mil contribuintes, ___2___ pessoas jurídicas e físicas, 42% ___3___ número de autuações emitidas em 2006. Mais notável ainda é o aumento do valor das autuações. Elas totalizaram R$ 108 bilhões, 80% mais do que o total do ano anterior. O combate rigoroso ___4___sonegação de qualquer tipo é dever da Receita e uma demonstração de respeito ___5___ contribuintes que cumprem rigorosamente suas obrigações com o Fisco. O uso de mecanismos mais eficazes nesse trabalho reduz substancialmente a margem para a sonegação e para outros atos considerados ilícitos pela Receita e pela Justiça, ___6___ resulta em aumentos de arrecadação que, pelo menos em tese, poderiam abrir o caminho para a redução do peso dos impostos, taxas e contribuições sobre as finanças dos contribuintes honestos.


1 2 3 4 5 6

Questão 14

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
O Plano Bresser, anunciado em 12 de junho de 1987, continha tantos elementos ortodoxos como heterodoxos. Entre as principais medidas do Plano Bresser não se encontrava:

Questão 15

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Assinale a opção em que o trecho do texto de O Globo, 31/01/2008, foi transcrito com erro gramatical.

Questão 16

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Ao longo da história e, principalmente, nos dois últimos séculos, a participação do Estado na economia vem crescendo por várias razões.
Identifique a única opção incorreta no que se refere às razões do crescimento da participação do setor público na atividade econômica.

Questão 17

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Assinale o trecho do texto, adaptado de O Estado de S. Paulo, 6/02/2008, que apresenta erro gramatical.

Questão 18

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Nos últimos anos tem crescido o debate em torno da atuação do governo na economia, particularmente no Brasil. Com relação aos conceitos de déficit e dívida pública, não se pode afirmar que:

Questão 19

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Os trechos a seguir constituem um texto adaptado de Zero Hora (RS), 11/02/2008. Assinale a opção que apresenta erro gramatical.

Questão 20

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Identifique qual das afirmações abaixo não corresponde a uma descrição da situação fiscal ou do contexto macroeconômico no período 1981/1994.

Questão 21

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Assinale o segmento do texto retirado de O Globo, 6/02/2008, transcrito corretamente, sem erro gramatical.

Questão 22

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
A Receita da Administração Pública pode ser classificada nos seguintes aspectos: quanto à natureza, quanto ao poder de tributar, quanto à coercitividade, quanto à afetação patrimonial e quanto à regularidade. Quanto à sua regularidade, as receitas são desdobradas em:

Questão 23

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Assinale a opção que constitui continuação coesa e coerente para o trecho do texto retirado do Jornal do Brasil, 28/01/2008.

O Brasil tem na China um de seus maiores e mais estratégicos parceiros comerciais no planeta. Não por acaso, ambas as nações se alinham entre os quatro países emergentes abrigados sob a sigla Bric (os outros são a Rússia e a Índia). As compras e vendas de ambos os lados saltaram de US$ 1,54 bilhão em 1999 para mais de US$ 23 bilhões no ano passado.

Questão 24

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Com relação às hipóteses teóricas do crescimento das despesas públicas, indique a única opção falsa.

Questão 25

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Assinale a opção que constitui continuação coesa e coerente para o trecho retirado do Correio Braziliense, 6/02/2008.

Com 2 milhões de quilômetros quadrados, o cerrado é insurgência fitogeográfica do tipo savana de incalculável biodiversidade vegetal e animal estendida sobre nove estados do Brasil: São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Distrito Federal, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Bahia, Maranhão e Piauí.
Há tempos se encontra ameaçado pelo avanço de monoculturas (soja a mais visível), pecuária extensiva, desmatamento, queimadas, carvoaria e outras formas de predação.
Agora, relatório do Projeto de Conservação e Utilização Sustentável da Diversidade Biológica Brasileira (Probio) revela dado alarmante sobre a depredação no espaço geográfico do Distrito Federal.

Questão 26

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
O financiamento para que o Estado cumpra suas funções com a sociedade é feito por meio de arrecadação tributária, ou receita fiscal. Identifique a única opção errada referente aos princípios de tributação.

Questão 27

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Assinale a justificativa para os sinais de pontuação que está incorreta.

Uma conjuntura contraditória cria hoje desafios para a política econômica: de um lado, a crise bancária americana, que está-se transformando em recessão e terá efeitos negativos sobre a economia brasileira; de outro, o aquecimento da economia brasileira, que levou a um pequeno aumento da inflação.
Diante dessas evidências, a ortodoxia e o mercado financeiro têm uma resposta única: aumentar a taxa de juros, acompanhando a curva dos juros no mercado futuro.
Mas estão paralisados porque sabem que a recessão americana implicará redução de investimentos e de atividade econômica no Brasil e porque o presidente Lula, uma vez que o risco de os empresários começarem a segurar seus investimentos é real, recomenda a seus auxiliares econômicos que monitorem com cuidado a economia brasileira para evitar surpresas.
(Luiz Carlos Bresser-Pereira, Folha de S. Paulo, 28/01/2008)

O emprego de vírgula após

Questão 28

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Os sistemas de tributação diferenciam-se entre si de acordo com o tratamento tributário dado às diversas camadas de renda da sociedade. Com relação aos sistemas de tributação, identifique a única opção correta.

Questão 29

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Assinale a opção em que o trecho adaptado de O Estado de S. Paulo, 26/01/2008, foi transcrito de forma gramaticalmente correta.

Questão 30

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Considerada a mais moderna das classificações orçamentárias da Despesa, a finalidade da classificação por programas é demonstrar as realizações do governo, o resultado final do seu trabalho em benefício da sociedade. Os programas também funcionam como unidade de integração entre o planejamento e o orçamento. Identifique a opção errada quanto à modalidade destes programas.

Questão 31

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
1
As if collapsing prices were not enough,
 
American mortgage firms now have to cope with home
 
rage. Borrowers vent their fury on the system that
 
is repossessing their properties by smashing holes
5
in walls and tipping paint over living-room carpets.
 
Something similar is going on in the house finance
 
built. Faith in open markets has been poisoned by
 
a crisis that has spread from one asset to the next.
 
First there was disbelief and denial. Then fear. Now
10
comes anger.
 
For three decades, public policy has been
 
dominated by the power of markets – flexible and
 
resilient, harnessing self-interest for the public good,
 
and better than any planner-in-chief. Nowhere are
15
markets deeper and more liquid than in modern
 
finance. But finance has stumbled and there are
 
growing calls from all sides for bold re-regulation.
 
New rules become inevitable the moment the
 
Federal Reserve rescued Bear Stearns and pledged
20
to lend to other Wall Street banks. If taxpayers are
 
required to bail out investment banks, the governments
 
need to impose tighter limits on the risks those banks
 
can take.
Source: The Economist (Adapted) Apr 3rd 2008
In paragraph 1, the text reports that faith in open markets

Questão 32

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
1
As if collapsing prices were not enough,
 
American mortgage firms now have to cope with home
 
rage. Borrowers vent their fury on the system that
 
is repossessing their properties by smashing holes
5
in walls and tipping paint over living-room carpets.
 
Something similar is going on in the house finance
 
built. Faith in open markets has been poisoned by
 
a crisis that has spread from one asset to the next.
 
First there was disbelief and denial. Then fear. Now
10
comes anger.
 
For three decades, public policy has been
 
dominated by the power of markets – flexible and
 
resilient, harnessing self-interest for the public good,
 
and better than any planner-in-chief. Nowhere are
15
markets deeper and more liquid than in modern
 
finance. But finance has stumbled and there are
 
growing calls from all sides for bold re-regulation.
 
New rules become inevitable the moment the
 
Federal Reserve rescued Bear Stearns and pledged
20
to lend to other Wall Street banks. If taxpayers are
 
required to bail out investment banks, the governments
 
need to impose tighter limits on the risks those banks
 
can take.
Source: The Economist (Adapted) Apr 3rd 2008
O Modelo de Gestão do Plano Plurianual (PPA) foi orientado segundo os critérios de eficiência, eficácia e efetividade, conforme o estabelecido no Decreto n. 5.233 de 6 de outubro de 2004. A avaliação é parte fundamental do modelo de gestão para geração de informações qualificadas para tomada de decisão nos diferentes níveis de administração.

Com relação à avaliação, identifique a única opção incorreta.

Questão 33

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
1
As if collapsing prices were not enough,
 
American mortgage firms now have to cope with home
 
rage. Borrowers vent their fury on the system that
 
is repossessing their properties by smashing holes
5
in walls and tipping paint over living-room carpets.
 
Something similar is going on in the house finance
 
built. Faith in open markets has been poisoned by
 
a crisis that has spread from one asset to the next.
 
First there was disbelief and denial. Then fear. Now
10
comes anger.
 
For three decades, public policy has been
 
dominated by the power of markets – flexible and
 
resilient, harnessing self-interest for the public good,
 
and better than any planner-in-chief. Nowhere are
15
markets deeper and more liquid than in modern
 
finance. But finance has stumbled and there are
 
growing calls from all sides for bold re-regulation.
 
New rules become inevitable the moment the
 
Federal Reserve rescued Bear Stearns and pledged
20
to lend to other Wall Street banks. If taxpayers are
 
required to bail out investment banks, the governments
 
need to impose tighter limits on the risks those banks
 
can take.
Source: The Economist (Adapted) Apr 3rd 2008
In paragraph 2, the author says that public policy and the power of markets have been

Questão 34

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
1
As if collapsing prices were not enough,
 
American mortgage firms now have to cope with home
 
rage. Borrowers vent their fury on the system that
 
is repossessing their properties by smashing holes
5
in walls and tipping paint over living-room carpets.
 
Something similar is going on in the house finance
 
built. Faith in open markets has been poisoned by
 
a crisis that has spread from one asset to the next.
 
First there was disbelief and denial. Then fear. Now
10
comes anger.
 
For three decades, public policy has been
 
dominated by the power of markets – flexible and
 
resilient, harnessing self-interest for the public good,
 
and better than any planner-in-chief. Nowhere are
15
markets deeper and more liquid than in modern
 
finance. But finance has stumbled and there are
 
growing calls from all sides for bold re-regulation.
 
New rules become inevitable the moment the
 
Federal Reserve rescued Bear Stearns and pledged
20
to lend to other Wall Street banks. If taxpayers are
 
required to bail out investment banks, the governments
 
need to impose tighter limits on the risks those banks
 
can take.
Source: The Economist (Adapted) Apr 3rd 2008
O Decreto n. 5.233, de 6 de outubro de 2004, estabeleceu as normas para a gestão do Plano Plurianual (PPA) e de seus programas. Aponte a opção falsa segundo o referido Decreto.

Questão 35

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
1
As if collapsing prices were not enough,
 
American mortgage firms now have to cope with home
 
rage. Borrowers vent their fury on the system that
 
is repossessing their properties by smashing holes
5
in walls and tipping paint over living-room carpets.
 
Something similar is going on in the house finance
 
built. Faith in open markets has been poisoned by
 
a crisis that has spread from one asset to the next.
 
First there was disbelief and denial. Then fear. Now
10
comes anger.
 
For three decades, public policy has been
 
dominated by the power of markets – flexible and
 
resilient, harnessing self-interest for the public good,
 
and better than any planner-in-chief. Nowhere are
15
markets deeper and more liquid than in modern
 
finance. But finance has stumbled and there are
 
growing calls from all sides for bold re-regulation.
 
New rules become inevitable the moment the
 
Federal Reserve rescued Bear Stearns and pledged
20
to lend to other Wall Street banks. If taxpayers are
 
required to bail out investment banks, the governments
 
need to impose tighter limits on the risks those banks
 
can take.
Source: The Economist (Adapted) Apr 3rd 2008
In paragraph 3, according to the author,

Questão 36

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
1
As if collapsing prices were not enough,
 
American mortgage firms now have to cope with home
 
rage. Borrowers vent their fury on the system that
 
is repossessing their properties by smashing holes
5
in walls and tipping paint over living-room carpets.
 
Something similar is going on in the house finance
 
built. Faith in open markets has been poisoned by
 
a crisis that has spread from one asset to the next.
 
First there was disbelief and denial. Then fear. Now
10
comes anger.
 
For three decades, public policy has been
 
dominated by the power of markets – flexible and
 
resilient, harnessing self-interest for the public good,
 
and better than any planner-in-chief. Nowhere are
15
markets deeper and more liquid than in modern
 
finance. But finance has stumbled and there are
 
growing calls from all sides for bold re-regulation.
 
New rules become inevitable the moment the
 
Federal Reserve rescued Bear Stearns and pledged
20
to lend to other Wall Street banks. If taxpayers are
 
required to bail out investment banks, the governments
 
need to impose tighter limits on the risks those banks
 
can take.
Source: The Economist (Adapted) Apr 3rd 2008
A reforma do Estado deve ter como referencial a urgente necessidade de fortalecê-lo e não promover seu aniquilamento. Assim sendo, não é correto afirmar que:

Questão 37

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
1
When Latin Americans get together with bankers
 
on American soil it has usually been to seek succour
 
for their sickly economies. Yet at the annual meeting
 
of the Inter-American Development Bank (IDB) in
5
Miami this week, the relative health of the participants
 
has been reversed. Thousands of empty flats in
 
gleaming new skyscrapers clustering around Miami’s
 
downtown hotels bear witness to the severity of the
 
housing-market bust in South Florida. Distracted by
10
their own losses, the investment bankers were in
 
subdued mood or stayed away. The Latin Americans,
 
for their part, were preening themselves over the
 
vigour of their own economies. They hope they have
 
“decoupled” from their giant neighbour to the north.
15
Are such hopes justifi ed? Latin America is doing
 
better than any other time since the 1960s. Economic
 
growth has averaged over 5% a year since 2004,
 
inflation has been generally low, direct investment is
 
arriving in record quantities, and the region’s current
20
account and fiscal accounts are both in surplus.
Source: www.economist.co.uk (Adapted) Apr 10th 2008
In paragraph 1, the author reports that Latin Americans

Questão 38

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
1
When Latin Americans get together with bankers
 
on American soil it has usually been to seek succour
 
for their sickly economies. Yet at the annual meeting
 
of the Inter-American Development Bank (IDB) in
5
Miami this week, the relative health of the participants
 
has been reversed. Thousands of empty flats in
 
gleaming new skyscrapers clustering around Miami’s
 
downtown hotels bear witness to the severity of the
 
housing-market bust in South Florida. Distracted by
10
their own losses, the investment bankers were in
 
subdued mood or stayed away. The Latin Americans,
 
for their part, were preening themselves over the
 
vigour of their own economies. They hope they have
 
“decoupled” from their giant neighbour to the north.
15
Are such hopes justifi ed? Latin America is doing
 
better than any other time since the 1960s. Economic
 
growth has averaged over 5% a year since 2004,
 
inflation has been generally low, direct investment is
 
arriving in record quantities, and the region’s current
20
account and fiscal accounts are both in surplus.
Source: www.economist.co.uk (Adapted) Apr 10th 2008
Identifique a única opção incorreta com relação às características básicas de um modelo de reforma tributária coerente com os princípios da responsabilidade (recuperação da ética tributária), visibilidade, equilíbrio e solidariedade (sem espaço para antagonismo).

Questão 39

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
1
When Latin Americans get together with bankers
 
on American soil it has usually been to seek succour
 
for their sickly economies. Yet at the annual meeting
 
of the Inter-American Development Bank (IDB) in
5
Miami this week, the relative health of the participants
 
has been reversed. Thousands of empty flats in
 
gleaming new skyscrapers clustering around Miami’s
 
downtown hotels bear witness to the severity of the
 
housing-market bust in South Florida. Distracted by
10
their own losses, the investment bankers were in
 
subdued mood or stayed away. The Latin Americans,
 
for their part, were preening themselves over the
 
vigour of their own economies. They hope they have
 
“decoupled” from their giant neighbour to the north.
15
Are such hopes justifi ed? Latin America is doing
 
better than any other time since the 1960s. Economic
 
growth has averaged over 5% a year since 2004,
 
inflation has been generally low, direct investment is
 
arriving in record quantities, and the region’s current
20
account and fiscal accounts are both in surplus.
Source: www.economist.co.uk (Adapted) Apr 10th 2008
The author says that the Latin Americans “were preening themselves over the vigour of their own economies.” In other words, they were

Questão 40

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
1
When Latin Americans get together with bankers
 
on American soil it has usually been to seek succour
 
for their sickly economies. Yet at the annual meeting
 
of the Inter-American Development Bank (IDB) in
5
Miami this week, the relative health of the participants
 
has been reversed. Thousands of empty flats in
 
gleaming new skyscrapers clustering around Miami’s
 
downtown hotels bear witness to the severity of the
 
housing-market bust in South Florida. Distracted by
10
their own losses, the investment bankers were in
 
subdued mood or stayed away. The Latin Americans,
 
for their part, were preening themselves over the
 
vigour of their own economies. They hope they have
 
“decoupled” from their giant neighbour to the north.
15
Are such hopes justifi ed? Latin America is doing
 
better than any other time since the 1960s. Economic
 
growth has averaged over 5% a year since 2004,
 
inflation has been generally low, direct investment is
 
arriving in record quantities, and the region’s current
20
account and fiscal accounts are both in surplus.
Source: www.economist.co.uk (Adapted) Apr 10th 2008
Em organizações federativas, o sistema tributário é o elemento central na estruturação das relações financeiras entre níveis de governo. Com relação ao Federalismo Fiscal no Brasil, não se pode afirmar que:

Questão 41

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
1
When Latin Americans get together with bankers
 
on American soil it has usually been to seek succour
 
for their sickly economies. Yet at the annual meeting
 
of the Inter-American Development Bank (IDB) in
5
Miami this week, the relative health of the participants
 
has been reversed. Thousands of empty flats in
 
gleaming new skyscrapers clustering around Miami’s
 
downtown hotels bear witness to the severity of the
 
housing-market bust in South Florida. Distracted by
10
their own losses, the investment bankers were in
 
subdued mood or stayed away. The Latin Americans,
 
for their part, were preening themselves over the
 
vigour of their own economies. They hope they have
 
“decoupled” from their giant neighbour to the north.
15
Are such hopes justifi ed? Latin America is doing
 
better than any other time since the 1960s. Economic
 
growth has averaged over 5% a year since 2004,
 
inflation has been generally low, direct investment is
 
arriving in record quantities, and the region’s current
20
account and fiscal accounts are both in surplus.
Source: www.economist.co.uk (Adapted) Apr 10th 2008
In paragraph 2, the text refers to

Questão 42

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
1
When Latin Americans get together with bankers
 
on American soil it has usually been to seek succour
 
for their sickly economies. Yet at the annual meeting
 
of the Inter-American Development Bank (IDB) in
5
Miami this week, the relative health of the participants
 
has been reversed. Thousands of empty flats in
 
gleaming new skyscrapers clustering around Miami’s
 
downtown hotels bear witness to the severity of the
 
housing-market bust in South Florida. Distracted by
10
their own losses, the investment bankers were in
 
subdued mood or stayed away. The Latin Americans,
 
for their part, were preening themselves over the
 
vigour of their own economies. They hope they have
 
“decoupled” from their giant neighbour to the north.
15
Are such hopes justifi ed? Latin America is doing
 
better than any other time since the 1960s. Economic
 
growth has averaged over 5% a year since 2004,
 
inflation has been generally low, direct investment is
 
arriving in record quantities, and the region’s current
20
account and fiscal accounts are both in surplus.
Source: www.economist.co.uk (Adapted) Apr 10th 2008
Acerca das finanças públicas na Constituição de 1988, assinale a opção correta.

Questão 43

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
1
Lawrence Summers, the former treasury
 
secretary, is as well credentialed as anyone to
 
assess the global credit crisis. He won the John
 
Bates Clark award for best economist under 40, was
5
chief economist at the World Bank and ran Harvard
 
University.
 
Question 1: Will developing economies do better
 
than First World economies?
 
There are very strong internal factors that would
10
explain why China and India will continue to grow
 
more rapidly than the global economy. But even they
 
are not independent of the global economy, and if it
 
slows, their growth is likely to slow as well.
 
Question 2: Is this the 1970s all over again?
15
Anyone who studies the economic history of the 1970s
 
has to be struck by…the very high wage infl ation –
 
particularly in relation to slowing productivity growth. I
 
don’t see any evidence today of growing labor power
 
or unsustainable wage demands. We’re a long way
20
from the 1970s.
Source: Newsweek Magazine (Adapted) April 7th, 2008
In this interview, Mr Summers was invited to assess the global credit crisis. In other words, to

Questão 44

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
1
Lawrence Summers, the former treasury
 
secretary, is as well credentialed as anyone to
 
assess the global credit crisis. He won the John
 
Bates Clark award for best economist under 40, was
5
chief economist at the World Bank and ran Harvard
 
University.
 
Question 1: Will developing economies do better
 
than First World economies?
 
There are very strong internal factors that would
10
explain why China and India will continue to grow
 
more rapidly than the global economy. But even they
 
are not independent of the global economy, and if it
 
slows, their growth is likely to slow as well.
 
Question 2: Is this the 1970s all over again?
15
Anyone who studies the economic history of the 1970s
 
has to be struck by…the very high wage infl ation –
 
particularly in relation to slowing productivity growth. I
 
don’t see any evidence today of growing labor power
 
or unsustainable wage demands. We’re a long way
20
from the 1970s.
Source: Newsweek Magazine (Adapted) April 7th, 2008
Acerca do orçamento público, assinale a opção incorreta.

Questão 45

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
1
Lawrence Summers, the former treasury
 
secretary, is as well credentialed as anyone to
 
assess the global credit crisis. He won the John
 
Bates Clark award for best economist under 40, was
5
chief economist at the World Bank and ran Harvard
 
University.
 
Question 1: Will developing economies do better
 
than First World economies?
 
There are very strong internal factors that would
10
explain why China and India will continue to grow
 
more rapidly than the global economy. But even they
 
are not independent of the global economy, and if it
 
slows, their growth is likely to slow as well.
 
Question 2: Is this the 1970s all over again?
15
Anyone who studies the economic history of the 1970s
 
has to be struck by…the very high wage infl ation –
 
particularly in relation to slowing productivity growth. I
 
don’t see any evidence today of growing labor power
 
or unsustainable wage demands. We’re a long way
20
from the 1970s.
Source: Newsweek Magazine (Adapted) April 7th, 2008
In his answer to question 1, Mr Summers

Questão 46

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
1
Lawrence Summers, the former treasury
 
secretary, is as well credentialed as anyone to
 
assess the global credit crisis. He won the John
 
Bates Clark award for best economist under 40, was
5
chief economist at the World Bank and ran Harvard
 
University.
 
Question 1: Will developing economies do better
 
than First World economies?
 
There are very strong internal factors that would
10
explain why China and India will continue to grow
 
more rapidly than the global economy. But even they
 
are not independent of the global economy, and if it
 
slows, their growth is likely to slow as well.
 
Question 2: Is this the 1970s all over again?
15
Anyone who studies the economic history of the 1970s
 
has to be struck by…the very high wage infl ation –
 
particularly in relation to slowing productivity growth. I
 
don’t see any evidence today of growing labor power
 
or unsustainable wage demands. We’re a long way
20
from the 1970s.
Source: Newsweek Magazine (Adapted) April 7th, 2008
Assinale a única opção correta.
A Lei n. 4.320, de 17 de março de 1964,

Questão 47

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
1
Lawrence Summers, the former treasury
 
secretary, is as well credentialed as anyone to
 
assess the global credit crisis. He won the John
 
Bates Clark award for best economist under 40, was
5
chief economist at the World Bank and ran Harvard
 
University.
 
Question 1: Will developing economies do better
 
than First World economies?
 
There are very strong internal factors that would
10
explain why China and India will continue to grow
 
more rapidly than the global economy. But even they
 
are not independent of the global economy, and if it
 
slows, their growth is likely to slow as well.
 
Question 2: Is this the 1970s all over again?
15
Anyone who studies the economic history of the 1970s
 
has to be struck by…the very high wage infl ation –
 
particularly in relation to slowing productivity growth. I
 
don’t see any evidence today of growing labor power
 
or unsustainable wage demands. We’re a long way
20
from the 1970s.
Source: Newsweek Magazine (Adapted) April 7th, 2008
In his answer to question 2, Mr Summers

Questão 48

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
1
Lawrence Summers, the former treasury
 
secretary, is as well credentialed as anyone to
 
assess the global credit crisis. He won the John
 
Bates Clark award for best economist under 40, was
5
chief economist at the World Bank and ran Harvard
 
University.
 
Question 1: Will developing economies do better
 
than First World economies?
 
There are very strong internal factors that would
10
explain why China and India will continue to grow
 
more rapidly than the global economy. But even they
 
are not independent of the global economy, and if it
 
slows, their growth is likely to slow as well.
 
Question 2: Is this the 1970s all over again?
15
Anyone who studies the economic history of the 1970s
 
has to be struck by…the very high wage infl ation –
 
particularly in relation to slowing productivity growth. I
 
don’t see any evidence today of growing labor power
 
or unsustainable wage demands. We’re a long way
20
from the 1970s.
Source: Newsweek Magazine (Adapted) April 7th, 2008
De acordo com a jurisprudência do Supremo Tribunal Federal acerca da Lei Complementar n. 101, de 4 de maio de 2000 (Lei de Responsabilidade Fiscal):

Questão 49

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
1
Lawrence Summers, the former treasury
 
secretary, is as well credentialed as anyone to
 
assess the global credit crisis. He won the John
 
Bates Clark award for best economist under 40, was
5
chief economist at the World Bank and ran Harvard
 
University.
 
Question 1: Will developing economies do better
 
than First World economies?
 
There are very strong internal factors that would
10
explain why China and India will continue to grow
 
more rapidly than the global economy. But even they
 
are not independent of the global economy, and if it
 
slows, their growth is likely to slow as well.
 
Question 2: Is this the 1970s all over again?
15
Anyone who studies the economic history of the 1970s
 
has to be struck by…the very high wage infl ation –
 
particularly in relation to slowing productivity growth. I
 
don’t see any evidence today of growing labor power
 
or unsustainable wage demands. We’re a long way
20
from the 1970s.
Source: Newsweek Magazine (Adapted) April 7th, 2008
According to Lawrence Summers’ answers,

Questão 50

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
1
Lawrence Summers, the former treasury
 
secretary, is as well credentialed as anyone to
 
assess the global credit crisis. He won the John
 
Bates Clark award for best economist under 40, was
5
chief economist at the World Bank and ran Harvard
 
University.
 
Question 1: Will developing economies do better
 
than First World economies?
 
There are very strong internal factors that would
10
explain why China and India will continue to grow
 
more rapidly than the global economy. But even they
 
are not independent of the global economy, and if it
 
slows, their growth is likely to slow as well.
 
Question 2: Is this the 1970s all over again?
15
Anyone who studies the economic history of the 1970s
 
has to be struck by…the very high wage infl ation –
 
particularly in relation to slowing productivity growth. I
 
don’t see any evidence today of growing labor power
 
or unsustainable wage demands. We’re a long way
20
from the 1970s.
Source: Newsweek Magazine (Adapted) April 7th, 2008
Acerca de receitas públicas, assinale a opção incorreta.

Questão 51

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Marcos está se arrumando para ir ao teatro com sua nova namorada, quando todas as luzes de seu apartamento apagam. Apressado, ele corre até uma de suas gavetas onde guarda 24 meias de cores diferentes, a saber: 5 pretas, 9 brancas, 7 azuis e 3 amarelas. Para que Marcos não saia com sua namorada vestindo meias de cores diferentes, o número mínimo de meias que Marcos deverá tirar da gaveta para ter a certeza de obter um par de mesma cor é igual a:

Questão 52

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Assinale a opção correta acerca de crédito e dívida públicos.

Questão 53

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Dois colegas estão tentando resolver um problema de matemática. Pedro afirma para Paulo que X = B e Y = D. Como Paulo sabe que Pedro sempre mente, então, do ponto de vista lógico, Paulo pode afirmar corretamente que:

Questão 54

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
A competência tributária, assim entendida como o poder que os entes políticos – União, Estados-Membros, Distrito Federal e Municípios – têm para instituir tributos, não é ilimitada. Ao contrário, encontra limites na Constituição Federal, entre os quais destacamos o princípio da legalidade tributária, segundo o qual nenhum tributo poderá ser instituído ou majorado a não ser por lei. Porém, a própria Constituição Federal excetua da obrigatoriedade de ser majorados por lei (podendo sê-lo por ato do Poder Executivo) alguns tributos. São exemplos desses tributos:

Questão 55

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
No último mês, cinco vendedores de uma grande loja realizaram as seguintes vendas de pares de calçados: Paulo vendeu 71, Ricardo 76, Jorge 80, Eduardo 82 e Sérgio 91. Ana é diretora de vendas e precisa calcular a venda média de pares de calçados realizada por estes cinco vendedores. Para este cálculo, a empresa disponibiliza um software que calcula automaticamente a média de uma série de valores à medida que os valores vão sendo digitados. Ana observou que, após digitar o valor de cada uma das vendas realizadas pelos vendedores, a média calculada pelo software era um número inteiro. Desse modo, o valor da última venda digitada por Ana foi a realizada por:

Questão 56

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Em relação ao imposto sobre a renda e proventos de qualquer natureza, de competência da União, é correto afirmar-se que:

Questão 57

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Se X > Y, então Z > Y; se X < Y, então Z > Y ou W > Y; se W < Y, então Z < Y; se W > Y, então X > Y. Com essas informações pode-se, com certeza, afi rmar que:

Questão 58

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Sobre o imposto sobre serviços de qualquer natureza, de competência dos Municípios e do Distrito Federal, é incorreto afirmar que:

Questão 59

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Uma matriz X de quinta ordem possui determinante igual a 10. A matriz B é obtida multiplicando-se todos os elementos da matriz X por 10. Desse modo, o determinante da matriz B é igual a:

Questão 60

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
O Código Tributário Nacional prevê, em seu art. 166, que a restituição de tributos que comportem, por sua natureza, a transferência do respectivo encargo financeiro somente será feita a quem prove haver assumido referido encargo. É exemplo desta espécie de tributo:

Questão 61

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Sabe-se que os números x, y e z são números racionais. Sabe-se, também, que z=

Com essas informações, conclui-se que:

Questão 62

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
A empresa comercial Armazém Popular S.A. utiliza o controle permanente de estoques para contabilizar suas mercadorias. Em junho de 2007, a empresa adquiriu uma partida de raquetes de tênis para revender, tendo praticado a seguinte composição de custos: preço de compra: R$ 200.000,00; IPI incidente sobre a compra: R$ 10.000,00; ICMS incidente sobre a compra: R$ 18.000,00. Ao contabilizar essa operação de compra, a empresa deverá fazer o seguinte lançamento:

Questão 63

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Uma urna contém 5 bolas pretas, 3 brancas e 2 vermelhas. Retirando-se, aleatoriamente, três bolas sem reposição, a probabilidade de se obter todas da mesma cor é igual a:

Questão 64

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
A empresa Eliezer Freitas S.A. teve, no exercício, um resultado final no valor de R$ 15.000,00. É assim que está expresso na Demonstração do Resultado do Exercício: Lucro Líquido do Exercício R$ 15.000,00. Sabemos que nos procedimentos de apuração e distribuição do lucro houve a destinação de R$ 7.500,00 para provisão de Imposto de Renda; de R$ 2.500,00 para participações estatutárias no lucro; de R$ 1.000,00 para reserva estatutária; de R$ 500,00 para reserva legal; e de R$ 2.100,00 para dividendos obrigatórios.Após a contabilização da destinação desse resultado, pode-se dizer que o Patrimônio Líquido da empresa Eliezer Freitas S.A. aumentou em:

Questão 65

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Beatriz aposentou-se e resolveu participar de um curso de artesanato. Em sua primeira aula, ela precisou construir uma caixa retangular aberta na parte de cima. Para tanto, Beatriz colou duas peças retangulares de papelão, medindo 200 cm2 cada uma, duas peças retangulares, também de papelão, medindo 300 cm2 cada uma e uma outra peça retangular de papelão medindo 600 cm2. Assim, o volume da caixa, em litros, é igual a:

Questão 66

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
As contas listadas a seguir, em ordem alfabética, representam o livro Razão da empresa Empório Comercial Ltda., em 31.12.x1, e serão utilizadas na elaboração do balancete geral do exercício.

Contas .............................................................. Saldos

Aluguéis Ativos a Vencer ................................ .R$ 140,00

Amortização Acumulada .................................. R$ 40,00

Bancos c/Movimento........................................ R$ 300,00

Caixa............................................................... R$ 180,00

Capital a Realizar.............................................. R$ 500,00

Capital Social................................................... R$ 3.000,00

Clientes........................................................... R$ 800,00

Custo das Mercadorias Vendidas....................... R$ 2.100,00

Depreciação Acumulada.................................... R$ 650,00

Depreciação e Amortização................................ R$ 230,00

Despesas de Aluguel......................................... R$ 140,00

Despesas Gerais............................................... R$ 310,00

Despesas Pré-operacionais................................. R$ 160,00

Duplicatas a Pagar............................................. R$ 1.300,00

Duplicatas a Receber ........................................ R$ 1.200,00

FGTS................................................................ R$ 20,00

FGTS a Recolher .............................................. R$ 90,00

Fornecedores.................................................... R$ 900,00

ICMS s/Vendas................................................. R$ 800,00

Imóveis............................................................. R$ 1.000,00

Impostos a Recolher ......................................... R$ 250,00

INSS a Recolher ............................................... R$ 300,00

Juros Ativos ...................................................... R$ 220,00

Juros a Pagar ................................................... R$ 170,00

Juros a Receber................................................. R$ 200,00

Juros Passivos ................................................... R$ 180,00

Juros Passivos a Vencer...................................... R$ 30,00

Lucros Acumulados.............................................. R$ 150,00

Mercadorias ....................................................... R$ 1.800,00

Móveis e Utensílios.............................................. R$ 700,00

Previdência Social............................................... R$ 30,00

Reserva Legal.................................................... R$ 110,00

Reserva Estatutária............................................ R$ 70,00

Salários e Ordenados......................................... R$ 250,00

Veículos............................................................ R$ 800,00

Vendas.............................................................. R$ 4.000,00

O balancete não deverá fechar por razões didáticas, mas a soma dos saldos devedores será de:

Questão 67

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Em relação aos Sistemas de Contas utilizados na Contabilidade Pública e sua relação com o Plano de Contas da Administração Pública Federal, não se pode afirmar:

Questão 68

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Dois polígonos regulares, X e Y, possuem, respectivamente, (n+1) lados e n lados. Sabe-se que o ângulo interno do polígono A excede o ângulo interno do polígono B em 50 (cinco graus). Desse modo, o número de lados dos polígonos X e Y são, respectivamente, iguais a:

Questão 69

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Sabendo-se que as alturas de um triângulo medem 12, 15 e 20 e que x é seu maior ângulo interno, então o valor de (1 – sen2x) é igual a:

Questão 70

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
A respeito dos sistemas de contas que compõem o Plano de Contas Único da Administração Federal, é correto afirmar:

Questão 71

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
A Constituição acolhe uma sociedade conflitiva, de interesses contraditórios e antagônicos, na qual as opiniões não ortodoxas podem ser publicamente sustentadas, o que conduz à poliarquia, um regime onde a dispersão do Poder numa multiplicidade de grupos é tal que o sistema político não pode funcionar senão por uma negociação constante entre os líderes desses grupos
(SILVA, José Afonso da. Curso de Direito Constitucional Positivo,25. ed. São Paulo: Malheiros, 2005, pp. 143-145, com adaptações).

Assinale a opção que indica com exatidão o fundamento do Estado brasileiro expressamente previsto na Constituição, a que faz menção o texto transcrito.

Questão 72

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Em relação aos registros contábeis da execução da despesa orçamentária e com base na estrutura do Plano de Contas da Administração Pública Federal, marque com F o item falso e com V o item verdadeiro e indique a opção que corresponde à seqüência correta.

I. Na descentralização de créditos, há registro em contas do sistema orçamentário.

II. Considerando que o empenho cria para o estado obrigação de pagamento pendente ou não de implemento de condição, o seu registro na contabilidade movimenta conta do passivo, pertencente ao sistema patrimonial.

III. Quando da transferência de recursos (cota, repasse e sub-repasse) entre unidades integrantes do orçamento fiscal e da seguridade social, para pagamento de despesas orçamentárias, não há registro de receita orçamentária na unidade beneficiária.

IV. No registro da apropriação de despesas orçamentárias de aquisição de material de consumo vinculada a contrato há lançamentos contábeis em quatro sistemas de contas: Financeiro, Patrimonial, Orçamentário e Compensação.

V. Considerando que pertence ao exercício as despesas nele legalmente empenhadas, na inscrição de restos a pagar não processados, debita-se despesa orçamentária (classe 3) e credita-se conta de passivo (classe 2) no sistema financeiro.

Questão 73

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei. Assinale a opção que indica com exatidão a objeção que legitimamente pode ser oposta ao Estado para eximir-se de obrigação legal a todos imposta.

Questão 74

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Cabe à Contabilidade registrar os atos e fatos relacionados com receita orçamentária. No que diz respeito ao assunto e com base na estrutura do Plano de Contas da Administração Pública Federal, julgue os itens a seguir e marque a opção que corresponde à seqüência correta.

I. As restituições de receitas são registradas em contas retificadoras de receita pertencentes ao sistema financeiro, sem necessidade de prévio empenho.

II. As receitas orçamentárias correntes são registradas a crédito de contas do sistema financeiro, pertencentes à Classe 4 e Grupo 1 (4.1).

III. Quando da realização de receitas de operações de crédito, registra-se uma mutação passiva (débito de conta da classe 5) em contrapartida de um passivo (crédito de conta da classe 2), no sistema patrimonial.

IV. Sob a ótica contábil, a previsão da receita orçamentária é um ato potencial registrado apenas em contas do sistema de compensação, enquanto que a arrecadação é um fato que deverá ser registrado no mínimo em contas dos sistemas orçamentário e financeiro.

V. Quando do registro contábil do recebimento de receita inscrita na dívida ativa, registra-se uma mutação ativa em contrapartida da baixa de um ativo, no sistema patrimonial.

Questão 75

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Assinale a opção que contempla todos os entes da organização político-administrativa da República Federativa do Brasil, nos termos da Constituição.

Questão 76

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Assinale a afirmação correta referente à contabilização da fixação da despesa orçamentária no âmbito federal.

Questão 77

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Assinale a opção correta relativa aos princípios e normas constitucionais aos quais deve obediência a administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes de todos os entes integrantes da Federação.

Questão 78

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
O Balancete Contábil, embora não seja uma demonstração obrigatória no setor público, é instrumento de grande importância para a gestão contábil. Assinale a opção falsa em relação ao Balancete adotado na contabilidade federal.

Questão 79

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Assinale a opção correta relativa ao Poder Legislativo.

Questão 80

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Ao final do exercício, uma determinada entidade integrante do orçamento fiscal e da seguridade social apresentou balancete com os seguintes dados referentes à execução orçamentária (valores em mil):


Analisando as informações, indique a opção correta em relação ao Balanço Orçamentário da entidade.

Questão 81

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Assinale a opção correta relativa ao Poder Judiciário.

Questão 82

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Assinale a opção correta relativa às Finanças Públicas e aos princípios gerais da atividade econômica.

Questão 83

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Modernamente, a Organização Administrativa do Estado Brasileiro adquiriu novos contornos com a edição da Lei n. 11.107/2005. Nesse diapasão, analise os itens abaixo e marque a opção correta.

I. O consórcio público com personalidade jurídica de direito público integra a administração indireta de todos os entes da Federação consorciados.

II. No caso de se revestir de personalidade jurídica de direito privado, o consórcio público observará as normas de direito público quanto à celebração de contratos.

III. Os consórcios públicos ou privados, na área de saúde, deverão obedecer aos princípios, diretrizes e normas que regulam o Sistema Único de Saúde – SUS.

IV. Os entes da Federação consorciados, ou com eles conveniados, não poderão ceder-lhe servidores, na forma e condições da legislação de cada um ante a observância constitucional de exigência de concurso público.

Questão 84

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
A Agência executiva é a qualificação dada à autarquia ou fundação que celebre contrato de gestão com o órgão da Administração Direta a que se acha vinculada, introduzida no direito brasileiro em decorrência do movimento da globalização.
Destarte, assinale qual princípio da administração pública, especificamente, que as autarquias ou fundações governamentais qualificadas como agências executivas visam observar nos termos do Decreto n. 2.487/98:

Questão 85

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Assinale a opção incorreta, nos termos da Constituição Federal de 1988, o que ocorre caso seja invalidada, por sentença judicial, a demissão de servidor estável.

Questão 86

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Em se tratando do Regime Jurídico dos Servidores Públicos, analise os itens a seguir e marque com V a assertiva verdadeira e com F a falsa, assinalando ao final a opção correspondente:

( ) readaptação é o retorno à atividade de servidor aposentado;

( ) ao servidor é proibido recusar fé a documentos públicos;

( ) a obrigação do servidor público de reparar o dano causado a terceiros estende-se aos sucessores;

( ) é modalidade de penalidade disciplinar a cassação de aposentadoria.

Questão 87

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Nos contratos de parceria público-privada, a contraprestação da Administração Pública poderá ser feita de acordo com as opções mencionadas na Lei n. 11.079/2004. Assinale a opção que não consta no texto legal.

Questão 88

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
O serviço público, modernamente, busca melhorar e aperfeiçoar o atendimento ao público. Analise os itens a seguir:

I. considera-se concessão de serviço público a delegação de sua prestação, feita pelo poder concedente, mediante licitação, na modalidade concorrência, à pessoa jurídica ou consórcio de empresas;

II. considera-se permissão de serviço público a delegação, a título precário, mediante licitação, da prestação de serviços públicos, feita pelo poder concedente à pessoa física ou jurídica ou consórcio de empresas;

III. toda concessão ou permissão pressupõe a prestação de serviço adequado que satisfaça as condições de atualidade compreendendo a modernidade das instalações e a sua conservação;

IV. as concessionárias de serviços públicos de direito privado, nos Estados, são obrigadas a oferecer ao usuário, dentro do mês de vencimento, o mínimo de seis datas opcionais para escolherem os dias de vencimento de seus débitos.

Assinale a opção correta.

Questão 89

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Em se tratando da inexecução e da rescisão dos contratos dispostos na Lei n. 8.666/93, analise os itens a seguir e marque com V a assertiva verdadeira e com F a falsa, assinalando ao final a opção correspondente:

( ) somente a inexecução total do contrato enseja a sua rescisão, com as conseqüências contratuais;

( ) constitui motivo para rescisão do contrato o atraso superior a 90 (noventa) dias dos pagamentos devidos pela Administração decorrentes de obras, serviços ou fornecimento, ou parcelas destes, já recebidos ou executados;

( ) a rescisão amigável dispensa a motivação formal nos autos do processo;

( ) ocorrendo paralisação ou sustação do contrato, o cronograma de execução será prorrogado automaticamente pelo dobro do prazo.

Questão 90

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Em se tratando dos atos administrativos, analise os itens a seguir e marque com V a assertiva verdadeira e com F a falsa, assinalando ao final a opção correspondente:

( ) Entre os atributos do ato administrativo, encontra-se a presunção de veracidade a qual diz respeito à conformidade do ato com a lei; em decorrência desse atributo, presume-se, até prova em contrário, que os atos administrativos foram emitidos com observância da lei;

( ) A auto-executoriedade consiste em atributo pelo qual os atos administrativos se impõem a terceiros, independentemente de sua concordância;

( ) Entre os elementos do ato administrativo, encontra-se a finalidade a qual é o pressuposto de fato e de direito que serve de fundamento ao ato administrativo;

( ) O objeto ou conteúdo do ato administrativo consiste no efeito jurídico imediato que o ato produz.

Questão 91

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
O Plano Plurianual, a Lei de Diretrizes Orçamentárias e a Lei do Orçamento Anual são componentes básicos do planejamento governamental. Identifique a única opção incorreta no que diz respeito ao planejamento governamental.

Questão 92

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Com base nas características e aspectos do orçamento tradicional e do orçamento-programa, assinale a única opção incorreta.

Questão 93

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
De acordo com os fundamentos teóricos das finanças públicas, assinale a única opção correta com relação aos objetivos da política orçamentária.

Questão 94

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Identifique o conceito de receita orçamentária que não é pertinente à sua definição.

Questão 95

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Com base no Manual Técnico do Orçamento -2008, a despesa é classificada em duas categorias econômicas: despesas correntes e despesas de capital. Aponte a única opção incorreta no que diz respeito à Despesa.

Questão 96

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Segundo o Manual Técnico do Orçamento - 2008, a classificação da receita por natureza busca a melhor identificação da origem do recurso, segundo seu fato gerador. Indique a opção incorreta quanto aos desdobramentos dessa receita.

Questão 97

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
De acordo com o Manual Técnico do Orçamento - 2008, assinale a única opção incorreta quanto a elemento de despesa.

Questão 98

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
De acordo com a Portaria n. 42, de 14 de abril de 1999, entende-se por Atividade:

Questão 99

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
O Decreto n. 2829, de 29 de outubro de 1998, estabelece normas para a elaboração e execução do Plano Plurianual e dos Orçamentos da União.

Entre as opções abaixo, assinale a que não está coerente com o decreto.

Questão 100

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Segundo o Decreto n. 5.233, de 06 de outubro de 2004, que estabeleceu normas para a gestão do Plano Plurianual 2004-2007, a gestão do programa é de responsabilidade do gerente de programa.

Entre as opções abaixo, não compete ao gerente de programa:

Questão 101

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Aponte a única opção falsa com relação à avaliação anual do Plano Plurianual Anual – PPA.

Questão 102

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
A Lei de Responsabilidade Fiscal, na seção que trata dos limites da Dívida Pública e das Operações de Crédito determina que, para fins de verificação do atendimento do limite, a apuração do montante da dívida consolidada será efetuada ao final de cada:

Questão 103

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
A Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) atribuiu novas e importantes funções ao orçamento e à Lei de Diretrizes Orçamentárias. Nos termos da LRF, a Lei de Diretrizes Orçamentárias recebeu novas e importantes funções entre as quais não se inclui:

Questão 104

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
No que tange ao Plano Plurianual (PPA), aponte a opção não pertinente.

Questão 105

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
A construção de indicadores sobre finanças públicas pode conter uma variedade de itens, definidos em função de um objetivo ou de uma avaliação específica predeterminada que se pretenda realizar. Identifique, nas opções abaixo, o único indicador que reflete as relações entre o estoque total da dívida pública e de seu fluxo de pagamento com as variáveis de receitas da unidade de governo.

Questão 106

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Na civilização ocidental, os diversos aspectos do

Estado moderno só apareceram gradualmente, quando a legitimidade passou a ser atribuída ao conjunto de normas que governava o exercício da autoridade. São características essenciais do Estado moderno todas as que se seguem, exceto:

Questão 107

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
A revisão das experiências reformistas da administração pública brasileira — com ênfase na sua natureza, quando implementadas — e de seus resultados, mostra que são verdadeiros todos os enunciados abaixo, exceto:

Questão 108

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
A história recente mostra que a reforma administrativa sempre esteve presente na agenda de políticas governamentais, desde 1930. Com base na literatura que analisa as várias reformas administrativas, é possível estabelecer algumas conclusões sobre os resultados das iniciativas governamentais nessa área. Examine os enunciados abaixo e assinale a resposta correta.

1. A despeito das diversas tentativas, nunca se logrou implantar uma burocracia do tipo weberiano no Brasil, porque os textos legais que mais se aproximaram desse ideal abriam brechas que se contrapunham ao espírito da burocracia racional-legal ou propunham a superação desta.

2. Independentemente de regime político e de governo, o Brasil sempre conviveu com segmentos dispersos de uma burocracia weberiana em vários níveis da administração, interpenetrada e convivendo com um alto teor de patrimonialismo administrativo.

3. Contrapondo-se a essa administração, essencialmente amorfa, destacavam-se as “ilhas de excelência”, razoavelmente imunes ao processo político e caracterizadas pela elevada competência de seus membros.

4. A efetiva profissionalização do servidor, tentada várias vezes, só veio a se realizar no Brasil após a Constituição Federal de 1988, já que até então a administração pública sempre conviveu com a multiplicidade de cargos, de planos salariais especiais e de “trens da alegria”, típicos de final de administração.

Questão 109

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
A partir da década de 1980 teve início, em países da Organização para Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), a reforma administrativa gerencial, apoiada nos princípios da nova gestão pública, que depois se estendeu a vários outros países, inclusive o Brasil. Desde então, constituiu-se um quadro teórico e um conjunto de instrumentos de gestão que, dentro do contexto democrático, visam modernizar o Estado e implantar o modelo gerencial de administração pública, tendo como característica central a orientação para o cidadão. Assinale, entre os enunciados abaixo, o único que não é um pressuposto da administração pública gerencial, voltada para o cidadão.

Questão 110

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
O modelo de gestão pública burocrático, com base nos postulados weberianos, é constituído de funcionários individuais, cujas características não incluem:

Questão 111

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
A avaliação de desempenho governamental – em suas várias dimensões e modalidades – representa um poderoso instrumento gerencial, capaz de subsidiar o processo decisório e de lançar luz sobre a lógica das intervenções públicas em geral: políticas, programas e projetos. Abaixo encontramse alguns enunciados sobre os conceitos de eficácia e efetividade, centrais à avaliação do desempenho governamental. Identifique os que são Falsos e Verdadeiros e depois assinale a resposta correta.

( ) Objetivo é a situação que se deseja obter ao final da implementação de uma política, programa ou projeto, mediante a aplicação dos recursos e da realização das ações previstas.

( ) O conceito de eficácia se refere ao grau em que se alcançam os objetivos e metas do projeto na população beneficiária, em um determinado período de tempo, em relação aos custos implicados.

( ) Efeito é todo comportamento ou acontecimento que se pode razoavelmente dizer que sofreu influência de algum aspecto da política, programa ou projeto.

( ) Os efeitos procurados correspondem aos objetivos que a intervenção pretendia atingir, sendo, por definição, previstos e positivos.

( ) Os efeitos não procurados são diretos, podendo ser positivos ou negativos, e resultam de falhas na elaboração do programa ou projeto e/ou a limitações do conhecimento disponível sobre uma determinada área ou assunto.

( ) Efetividade constitui a relação entre os resultados obtidos e o objetivo.

Questão 112

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Um dos aspectos que vêm caracterizando a gestão pública nas sociedades democráticas a partir da década de 1980 é a adoção de mecanismos e processos destinados a vencer a distância entre o Estado e os cidadãos e construir modalidades participativas de gestão pública. Abaixo encontramse alguns enunciados sobre processos participativos de gestão pública. Examine cada um dos enunciados e depois assinale a resposta correta.

1. O Orçamento Participativo é um processo educativo que, por meio de um formato institucional que favorece o aprendizado da política como arena de alianças, negociações, conflitos e barganhas, faz com que se chegue, a partir de demandas particularistas e locais, a uma visão mais abrangente dos problemas urbanos e das limitações governamentais.

2. Considera-se que o maior mérito do Orçamento Participativo consiste em combinar as características democráticas e progressistas da participação direta, com a capacidade de competir vantajosamente com as práticas clientelistas.

3. Embora não chegue a impedir a realização do trabalho das ouvidorias municipais, estaduais e federais, a falta de uma legislação federal específica que regulamente a função das ouvidorias no país é considerada uma das principais falhas do sistema brasileiro de ouvidorias.

4. O debate sobre a governança interna e externa refere-se a uma terceira geração de reformas do Estado, na qual o foco recai sobre a melhoria dos resultados sociais por meio da melhoria na prestação de serviços, mediante arranjos envolvendo organizações governamentais e não-governamentais.

Questão 113

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
São competências constitucionais do Tribunal de Contas da União, no exercício do controle externo, exceto:

Questão 114

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
A abordagem da gestão por competências, muito propagada nos estudos sobre a gestão dos recursos humanos, originou-se no setor privado, o qual tinha por objetivo principal assegurar melhor competitividade no meio concorrencial. Sobre a gestão de competências, todas as assertivas abaixo estão corretas, exceto:

Questão 115

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Embora não seja uma abordagem nova, a “gestão do conhecimento” ainda provoca, ao mesmo tempo, um intenso debate sobre o seu significado, e pouco eco no âmbito das organizações públicas brasileiras. Os conceitos abaixo apresentados são centrais à compreensão desse novo modelo de gestão. Examine os enunciados e indique a resposta correta.

1. Dados são um conjunto de fatos distintos e objetivos, relativos a eventos e que, em um contexto organizacional, são utilitariamente descritos como registros estruturados de transações, mas nada dizem sobre a própria importância ou relevância.

2. Informações são dados interpretados, dotados de relevância e propósito, portanto, significado, ou seja: a informação visa a modelar a pessoa que a recebe no sentido de fazer alguma diferença em sua perspectiva ou insight.

3. O conhecimento, ao contrário da informação, diz respeito a crenças, compromissos e ação. O conhecimento é função de uma atitude, perspectiva ou intenção, é específico ao contexto e é relacional.

4. A gestão do conhecimento está intrinsecamente associada à gestão da informação, que, por sua vez, refere-se às ferramentas, metodologias e técnicas utilizadas para a coleta, o armazenamento, o processamento, a classificação e a utilização de dados.

Questão 116

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Durante a última década, diversos autores têm demonstrado a importância do entendimento e da implementação dos conceitos, princípios, modelos e ferramentas de gestão do conhecimento como um novo paradigma para a boa gestão e o sucesso das organizações. De acordo com a literatura na área, a criação do conhecimento organizacional é uma interação contínua e dinâmica entre o conhecimento tácito e o conhecimento explícito, em um processo que conforma a “espiral do conhecimento”. Este processo compreende todos os modos de conversão do conhecimento listados abaixo, exceto:

Questão 117

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
Acompanhando as mudanças do papel do Estado e dos modelos de gestão, a função controle vem se desenvolvendo nas últimas décadas, levando ao fortalecimento das instituições encarregadas do controle interno e externo. No Brasil, o sistema de controle não inclui:

Questão 118

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
A teoria cultural aplicada à administração pública oferece uma base para desenvolver argumentos sobre desempenho e responsabilização na esfera governamental, notadamente quanto aos principais tipos de reformas administrativas que apregoam que “contratos” de desempenho podem oferecer uma solução viável para problemas decorrentes da tensão entre a formulação e a implementação de políticas públicas. Examine os enunciados abaixo e marque a resposta correta.

1. Em organizações de cultura igualitária, a auditoria de desempenho com ênfase contratual pode ter pouca efetividade, pois o ethos dessas organizações orienta-se para procedimentos que demonstrem como desempenhar uma tarefa e como atingir um objetivo. Nesse contexto, accountability de conformidade/legalidade e auditoria de boas práticas de gestão parecem ser mais efetivas que uma abordagem de auditoria de desempenho do tipo 3 E’s.

2. Em culturas administrativas hierárquicas, a baixa propensão para a competição faz com que formas de controle diferentes do controle interno por pessoas do mesmo grupo sejam ineficazes. Isso exige do auditor de desempenho um maior trabalho de “diplomacia” para quebrar as resistências do auditado ao trabalho de um outsider.

3. Organizações de cultura fatalista têm um baixo comprometimento com o gerenciamento e a aspirações coletivas. Seus membros procuram observar as normas externas para evitar punições, mas são pouco propensos a se comprometerem com a estratégia organizacional. A auditoria de desempenho nesse contexto deve focar, por exemplo, a confiabilidade dos sistemas de controles interno, a capacidade de gerenciamento de desempenho da organização, além de supervisionar randomicamente os contratos individuais de desempenho.

4. Uma organização de cultura individualista é a que oferece o melhor cenário para uma relação contratual nos termos sustentados pela teoria do agente-principal. Segundo a perspectiva individualista, a efetiva responsabilização no serviço público exigiria tornar fornecedores responsáveis perante consumidores como em uma relação de mercado. O contrato de desempenho seria o instrumento para estabelecer uma relação clara entre fornecedor e consumidor.

Questão 119

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
O servidor público não poderá jamais desprezar o elemento ético de sua conduta. Assim, não terá que decidir somente entre o legal e o ilegal, o justo e o injusto, o conveniente e o inconveniente, o oportuno e o inoportuno, mas principalmente entre o honesto e o desonesto, consoante as regras contidas no art. 37, caput, e § 40, da Constituição Federal.

De acordo com o Código de Ética Profissional do Servidor Público Civil do Poder Executivo Federal, estão corretos todos os enunciados abaixo, exceto:

Questão 120

MPOG 2008 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento
O Quadro Lógico é um dos instrumentos de planejamento mais difundidos tanto entre as agências internacionais de desenvolvimento quanto em instituições nacionais que lidam com projetos de desenvolvimento. O Quadro Lógico (QL) e suas variantes apóiam três das principais funções gerenciais, o planejamento (elaboração de projetos), o monitoramento e avaliação e o controle. Sobre o Quadro Lógico são corretos todos os enunciados abaixo, exceto:



Provas de Concursos » Esaf 2008