×
Analista Programador Júnior
×
FUNDUNESP 2014 FUNDUNESP 2016

FUNDUNESP 2013

Historiógrafo

Questão 1

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
1
Ruy Castro
 
 
Conheço gente que trocou de profissão, de ideologia políti-
 
ca, de nacionalidade, mas continuou firme na preferência quanto
5
ao clube de futebol. E houve outro quesito que, em certa época,
 
disputou com o futebol essa fidelidade carnívora – quando tive-
 
mos de trocar a máquina de escrever pelo computador.
 
Foi em meados dos anos 80. Éramos felizes com nossas
 
Remingtons e Olivettis, até que uma pressão vinda de todos os
10
lados começou a nos empurrar para o computador doméstico.
 
Muitos resistimos à novidade, como quem defende a bandeira do
 
seu clube. No meu caso, fiquei firme até 1988, quando dois ami-
 
gos me confessaram sua conversão àquele aparelho silencioso,
 
que permitia reescrever e mover frases e parágrafos sem o cansa-
15
tivo recurso de bater xis, cobrir de tinta e fazer a emenda à mão
 
ou à máquina.
 
Por causa deles, aderi. Afinal, pensei, estava apenas trocan-
 
do uma máquina de escrever por outra. E quer saber? Nunca me
 
arrependi. Acho até que a geringonça me salvou a vida, permitin-
20
do-me produzir com metade do esforço e o dobro da velocidade.
 
Minha Remington foi para um armário, onde está até hoje, há
 
anos sem a esmola de um olhar.
 
Um livro enviado por uma amiga, no entanto, me fez repen-
 
sar o caso: o delicioso “Retratos Parisienses”, com entrevistas e
25
perfis de escritores e pintores franceses por Rubem Braga. Logo
 
nas primeiras páginas, reproduz-se um original de Rubem – uma
 
página datilografada, sobre seu encontro com Jean-Paul Sartre,
 
estupidamente bem escrita e quase sem emendas.
 
Era possível escrever à máquina, de primeira, sem erros e
30
já com as palavras mágicas e exatas. Bastava ser Rubem Braga.
(Folha de S.Paulo. 18.03.2013. Adaptado)
Com base nas ideias do autor, pode-se concluir que

Questão 2

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
1
Hélio Schwartsman
 
 
SÃO PAULO – Saiu mais um estudo mostrando que o en-
 
sino de matemática no Brasil não anda bem. A pergunta é: pode-
5
mos viver sem dominar o básico da matemática? Durante muito
 
tempo, a resposta foi sim. Aqueles que não simpatizavam muito
 
com Pitágoras podiam simplesmente escolher carreiras nas quais
 
os números não encontravam muito espaço, como direito, jorna-
 
lismo, as humanidades e até a medicina de antigamente.
10
Como observa Steven Pinker, ainda hoje, nos meios univer-
 
sitários, é considerado aceitável que um intelectual se vanglorie
 
de ter passado raspando em física e de ignorar o beabá da esta-
 
tística. Mas ai de quem admitir nunca ter lido Joyce ou dizer que
 
não gosta de Mozart. Sobre ele recairão olhares tão recriminado-
15
res quanto sobre o sujeito que assoa o nariz na manga da camisa.
 
Joyce e Mozart são ótimos, mas eles, como quase toda a cul-
 
tura humanística, têm pouca relevância para nossa vida prática.
 
Já a cultura científica, que muitos ainda tratam com uma ponta
 
de desprezo, torna-se cada vez mais fundamental, mesmo para
20
quem não pretende ser engenheiro ou seguir carreiras técnicas.
 
Como sobreviver à era do crédito farto sem saber calcular as
 
armadilhas que uma taxa de juros pode esconder? Hoje, é difícil
 
até posicionar-se de forma racional sobre políticas públicas sem
 
assimilar toda a numeralha que idealmente as informa. Conhe-
25
cimentos rudimentares de estatística são pré-requisito para com-
 
preender as novas pesquisas que trazem informações relevantes
 
para nossa saúde e bem-estar.
 
A matemática está no centro de algumas das mais intrigan-
 
tes especulações cosmológicas da atualidade. Se as equações
30
da mecânica quântica indicam que existem universos paralelos,
 
isso basta para que acreditemos neles? Ou, no rastro de Eugene
 
Wigner, podemos nos perguntar por que a matemática é tão efi-
 
caz para exprimir as leis da física.
(Folha de S.Paulo. 06.04.2013. Adaptado)
Releia os trechos apresentados a seguir.
•   Aqueles que não simpatizavam muito com Pitágoras podiam simplesmente escolher carreiras nas quais os números não encontravam muito espaço... (1.º parágrafo)
•   Já a cultura científica, que muitos ainda tratam com uma ponta de desprezo, torna-se cada vez mais fundamental... (3.º parágrafo)

Os advérbios em destaque nos trechos expressam, correta e respectivamente, circunstâncias de

Questão 3

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
1
Ruy Castro
 
 
Conheço gente que trocou de profissão, de ideologia políti-
 
ca, de nacionalidade, mas continuou firme na preferência quanto
5
ao clube de futebol. E houve outro quesito que, em certa época,
 
disputou com o futebol essa fidelidade carnívora – quando tive-
 
mos de trocar a máquina de escrever pelo computador.
 
Foi em meados dos anos 80. Éramos felizes com nossas
 
Remingtons e Olivettis, até que uma pressão vinda de todos os
10
lados começou a nos empurrar para o computador doméstico.
 
Muitos resistimos à novidade, como quem defende a bandeira do
 
seu clube. No meu caso, fiquei firme até 1988, quando dois ami-
 
gos me confessaram sua conversão àquele aparelho silencioso,
 
que permitia reescrever e mover frases e parágrafos sem o cansa-
15
tivo recurso de bater xis, cobrir de tinta e fazer a emenda à mão
 
ou à máquina.
 
Por causa deles, aderi. Afinal, pensei, estava apenas trocan-
 
do uma máquina de escrever por outra. E quer saber? Nunca me
 
arrependi. Acho até que a geringonça me salvou a vida, permitin-
20
do-me produzir com metade do esforço e o dobro da velocidade.
 
Minha Remington foi para um armário, onde está até hoje, há
 
anos sem a esmola de um olhar.
 
Um livro enviado por uma amiga, no entanto, me fez repen-
 
sar o caso: o delicioso “Retratos Parisienses”, com entrevistas e
25
perfis de escritores e pintores franceses por Rubem Braga. Logo
 
nas primeiras páginas, reproduz-se um original de Rubem – uma
 
página datilografada, sobre seu encontro com Jean-Paul Sartre,
 
estupidamente bem escrita e quase sem emendas.
 
Era possível escrever à máquina, de primeira, sem erros e
30
já com as palavras mágicas e exatas. Bastava ser Rubem Braga.
(Folha de S.Paulo. 18.03.2013. Adaptado)
Considere o seguinte trecho do penúltimo parágrafo:

Logo nas primeiras páginas, reproduz-se um original de Rubem – uma página datilografada, sobre seu encontro com Jean-Paul Sartre, estupidamente bem escrita e quase sem emendas.

No trecho, a expressão em destaque foi utilizada pelo autor do texto para enfatizar a ideia de que a página em questão havia sido escrita de maneira

Questão 4

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
1
Aquilo que a tradição jurídica europeia continental
 
chama de Estado de direito é, com apenas pequenas
 
distinções, basicamente o que a tradição jurídica
 
anglo-saxônica chama de rule of law (domínio da lei), ou
5
seja, a garantia de proibição do exercício arbitrário do poder,
 
a exigência de normas públicas claras e consistentes e a
 
existência de tribunais acessíveis e estruturados para ouvir e
 
determinar as diversas reivindicações legais. Contudo, ao
 
contrário do que ocorre com a expressão Estado de direito, o
10
termo rule of law não apresenta qualquer indício de
 
contradição ou de redundância, pois o que ele evoca é
 
claramente uma limitação ao exercício do poder político, ou
 
seja, a eliminação do arbítrio no exercício dos poderes
 
públicos com a consequente garantia de direitos dos
15
indivíduos perante esses poderes.
 
A tradição anglo-saxônica do rule of law não atribui
 
uma dimensão meramente formal à ideia de Estado de
 
direito, incluindo também uma dimensão substancial. Com
 
efeito, a rule of law não apenas submete o exercício do
20
poder ao direito, concebendo diversos mecanismos de
 
controle dos atos governamentais, mas também concede aos
 
indivíduos direitos inalienáveis anteriores à própria ordem
 
estatal. Nesse sentido, é importante ressaltar que o princípio
 
do devido processo legal relaciona-se à ideia de que os
25
indivíduos, além de serem tratados segundo aquilo que a lei
 
lhes reserva ou atribui (igualdade perante a lei), devem
 
fundamentalmente ser tratados segundo procedimentos
 
justos e equitativos.
 
Nos países que pertencem à tradição do civil law, ao
30
contrário, a noção de Estado de direito foi concebida
 
inicialmente em uma dimensão meramente formal,
 
confundindo-se com o próprio princípio da legalidade, que
 
estabelece que todos os atos emanados dos órgãos do
 
Estado devem estar habilitados juridicamente, isto é, devem
35
estar fundados e motivados em uma hierarquia de normas
 
públicas, claras, abstratas e gerais.
 
Essa submissão do poder estatal à hierarquia das
 
normas sofreu uma inflexão com o advento do chamado
 
Estado de bem-estar social. Esse novo modelo, oriundo das
40
revoluções sociais do século XX, passou a atribuir novas
 
responsabilidades à ordem estatal, principalmente a de
 
assumir o desenvolvimento econômico e social, criando
 
mecanismos de proteção contra os efeitos colaterais da
 
economia de mercado.
45
Nos últimos anos, a tradição continental passou a
 
incorporar a dimensão substancial da rule of law, incluindo
 
dispositivos de garantia dos direitos fundamentais. Essa
 
nova modalidade de Estado de direito vem recebendo o
 
nome de Estado constitucional. A principal distinção entre o
50
Estado constitucional e as antigas noções de Estado de
 
direito encontra-se no fato de que o primeiro não se limita
 
aos aspectos formais da legalidade do exercício do poder,
 
mas inclui normas substanciais expressas nos chamados
 
princípios constitucionais e nas normas relativas aos direitos
55
fundamentais.
 
Eduardo R. Rabenhorst. Democracia e direitos fundamentais. Em torno da noção de estado de direito. Internet: www.dhnet.org.br (com adaptações).
Em relação a aspectos morfossintáticos e semânticos do texto, assinale a alternativa correta.

Questão 5

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
1
Ruy Castro
 
 
Conheço gente que trocou de profissão, de ideologia políti-
 
ca, de nacionalidade, mas continuou firme na preferência quanto
5
ao clube de futebol. E houve outro quesito que, em certa época,
 
disputou com o futebol essa fidelidade carnívora – quando tive-
 
mos de trocar a máquina de escrever pelo computador.
 
Foi em meados dos anos 80. Éramos felizes com nossas
 
Remingtons e Olivettis, até que uma pressão vinda de todos os
10
lados começou a nos empurrar para o computador doméstico.
 
Muitos resistimos à novidade, como quem defende a bandeira do
 
seu clube. No meu caso, fiquei firme até 1988, quando dois ami-
 
gos me confessaram sua conversão àquele aparelho silencioso,
 
que permitia reescrever e mover frases e parágrafos sem o cansa-
15
tivo recurso de bater xis, cobrir de tinta e fazer a emenda à mão
 
ou à máquina.
 
Por causa deles, aderi. Afinal, pensei, estava apenas trocan-
 
do uma máquina de escrever por outra. E quer saber? Nunca me
 
arrependi. Acho até que a geringonça me salvou a vida, permitin-
20
do-me produzir com metade do esforço e o dobro da velocidade.
 
Minha Remington foi para um armário, onde está até hoje, há
 
anos sem a esmola de um olhar.
 
Um livro enviado por uma amiga, no entanto, me fez repen-
 
sar o caso: o delicioso “Retratos Parisienses”, com entrevistas e
25
perfis de escritores e pintores franceses por Rubem Braga. Logo
 
nas primeiras páginas, reproduz-se um original de Rubem – uma
 
página datilografada, sobre seu encontro com Jean-Paul Sartre,
 
estupidamente bem escrita e quase sem emendas.
 
Era possível escrever à máquina, de primeira, sem erros e
30
já com as palavras mágicas e exatas. Bastava ser Rubem Braga.
(Folha de S.Paulo. 18.03.2013. Adaptado)
Considere os trechos a seguir:
• ... fiquei firme até 1988, quando dois amigos me confessaram sua conversão àquele aparelho silencioso...
• E quer saber? Nunca me arrependi. Acho até que a geringonça me salvou a vida...

No contexto em que são empregados, os termos em destaque nos trechos expressam, respectivamente, circunstância de

Questão 6

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
1
Ruy Castro
 
 
Conheço gente que trocou de profissão, de ideologia políti-
 
ca, de nacionalidade, mas continuou firme na preferência quanto
5
ao clube de futebol. E houve outro quesito que, em certa época,
 
disputou com o futebol essa fidelidade carnívora – quando tive-
 
mos de trocar a máquina de escrever pelo computador.
 
Foi em meados dos anos 80. Éramos felizes com nossas
 
Remingtons e Olivettis, até que uma pressão vinda de todos os
10
lados começou a nos empurrar para o computador doméstico.
 
Muitos resistimos à novidade, como quem defende a bandeira do
 
seu clube. No meu caso, fiquei firme até 1988, quando dois ami-
 
gos me confessaram sua conversão àquele aparelho silencioso,
 
que permitia reescrever e mover frases e parágrafos sem o cansa-
15
tivo recurso de bater xis, cobrir de tinta e fazer a emenda à mão
 
ou à máquina.
 
Por causa deles, aderi. Afinal, pensei, estava apenas trocan-
 
do uma máquina de escrever por outra. E quer saber? Nunca me
 
arrependi. Acho até que a geringonça me salvou a vida, permitin-
20
do-me produzir com metade do esforço e o dobro da velocidade.
 
Minha Remington foi para um armário, onde está até hoje, há
 
anos sem a esmola de um olhar.
 
Um livro enviado por uma amiga, no entanto, me fez repen-
 
sar o caso: o delicioso “Retratos Parisienses”, com entrevistas e
25
perfis de escritores e pintores franceses por Rubem Braga. Logo
 
nas primeiras páginas, reproduz-se um original de Rubem – uma
 
página datilografada, sobre seu encontro com Jean-Paul Sartre,
 
estupidamente bem escrita e quase sem emendas.
 
Era possível escrever à máquina, de primeira, sem erros e
30
já com as palavras mágicas e exatas. Bastava ser Rubem Braga.
(Folha de S.Paulo. 18.03.2013. Adaptado)
Assinale a alternativa em cuja frase há emprego de linguagem figurada.

Questão 7

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
Assinale a alternativa em cuja frase, que conclui o trecho apresentado a seguir, o acento indicativo de crase foi corretamente empregado.

Com a pressão vinda de todos os lados, foram poucos os que resistiram

Questão 8

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
Considere o seguinte trecho:

Mesmo com o surgimento do computador doméstico, muitos escritores se recusaram a aposentar suas antigas máquinas de escrever.

Assinale a alternativa em que a oração em destaque no trecho está corretamente reescrita, conservando seu sentido inalterado.

Questão 9

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
Considere o trecho a seguir.

Quando o computador doméstico começou a se popularizar, ainda ______ muitos usuários de máquinas de escrever que se recusavam a substituí-las pelos novos aparelhos, pois já ______ muitos anos que as máquinas vinham sendo utilizadas, e sempre _______ aqueles que veem com desconfiança as novidades tecnológicas.

Considerando-se a norma-padrão da língua portuguesa, assinale a alternativa que preenche, correta e respectivamente, as lacunas do texto.

Questão 10

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
Assinale a alternativa correta quanto à concordância, de acordo com a norma-padrão da língua portuguesa.

Questão 11

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
Um bibliotecário trabalha 6 horas por dia, 5 vezes por semana, e organiza 15 prateleiras de livros de mesmo tamanho. Se esse funcionário mantiver igual desempenho trabalhando 3 horas por dia, durante 6 dias da semana, o número das mesmas prateleiras que ele organizará do mesmo modo será

Questão 12

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
O gráfico mostra o número de notebooks que deram entrada para conserto em uma loja de informática no primeiro semestre de 2012.


Pode-se afirmar que, nesse período, a média de notebooks que essa loja recebeu para conserto foi de:

Questão 13

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
Em um restaurante, o chefe de cozinha propôs um novo prato a ser oferecido aos clientes. O gerente calculou o preço de custo e, no cardápio, ele ofereceu esse prato com o valor de custo acrescentado de 90% para que pudesse pagar as despesas e ter lucro. No entanto, para divulgar o prato, o gerente ofereceu um desconto de 10% sobre o preço ofertado no cardápio. O índice pelo qual o preço de custo deverá ser multiplicado para se determinar o preço já com desconto será

Questão 14

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
Um grupo de amigos foi a uma pizzaria. Eles se sentaram em duas mesas separadas e pediram apenas a pizza e o refrigerante da promoção. Na mesa “A”, eles comeram três pizzas e beberam 14 latas de refrigerante e, na mesa “B”, duas pizzas e oito refrigerantes. No total eles pagaram R$ 224,00, sendo R$ 138,00 da mesa “A” e o restante da mesa “B”. Pode-se afirmar que o preço unitário da pizza e o do refrigerante foi, respectivamente,

Questão 15

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
Em um terreno retangular, como o indicado na figura, será construído um prédio comercial também retangular. O prédio ficará centralizado e na sua volta será feito estacionamento. Se a parte destinada ao estacionamento ocupa uma área de 1 150 m2, a medida, em metros, do perímetro do prédio será igual a

Questão 16

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
Pedro aplicou R$ 2.100,00 em regime de juros simples e, após seis meses, obteve um montante de R$ 2.604,00. A taxa mensal de tal aplicação foi de

Questão 17

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
Um supermercado abre às 7 horas e fecha às 22 horas. Na seção de pães, a fornada de pão francês sai a cada duas horas; de pães doces, a cada três horas e de pães recheados, a cada quatro horas, a partir do horário de abertura do estabelecimento. Quantas vezes ao dia há coincidência de esses três alimentos saírem ao mesmo tempo do forno?

Questão 18

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
Liliane mandou fazer uma linda foto de seu filho medindo 72 cm de comprimento e 54 cm de largura. A sua mãe também pediu que fizesse a mesma foto do neto, mas um pouco maior, para colocar em sua casa. Considerando que a ampliação solicitada pela mãe teve medidas diretamente proporcionais às da foto de Liliane, essa foto ficou, em cm, com

Questão 19

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
Para um trabalho escolar, Renato precisou confeccionar a bandeira da Jamaica com medidas de 40 cm por 30 cm. Para não desperdiçar muito material, ele calculou o comprimento da diagonal do retângulo e comprou a metragem necessária de fita amarela para fazer o “X” da bandeira. A metragem de fita amarela que ele comprou foi, em cm, igual a

Questão 20

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
Existem matemáticos que são pensadores. Todo filósofo é pensador. Renato é filósofo e Carlos é pensador. Com essas afirmações pode-concluir que

Questão 21

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
O regime sírio afirmou na segunda-feira, 6 de maio de 2013, que escolherá o momento certo para responder aos ataques israelenses contra seu território, que deixaram 42 mortos e provocaram temores de um conflito regional. A ONU e a Rússia, um dos poucos aliados do presidente sírio Bashar al-Assad, advertiram para o perigo de uma escalada regional após os ataques aéreos israelenses contra posições militares sírias, na sexta-feira e no domingo, perto de Damasco.
(Exame.com, 06.05.13. Adaptado)

De acordo com Israel, o que motivou os ataques à Síria foi

Questão 22

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
A Comissão Nacional da Verdade decidiu exumar, com autorização da família, o corpo de importante personagem da política nacional – morto em 1976 durante a época da ditadura.
(Folha.com, 03.05.13. Adaptado)

O texto faz referência a

Questão 23

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
A crise que tem assolado a economia da Europa ganhou um ingrediente explosivo nesta semana. Todos os países do bloco estão de olho em uma ilha. A mais nova preocupação na Europa é Chipre. A pequena ilha no Mediterrâneo anunciou a mais radical das medidas até agora para enfrentar a crise econômica. Para receber um socorro de 10 bilhões de euros, cerca de R$ 26 bilhões, o governo anunciou a cobrança de um imposto sobre todos os depósitos bancários.
A proposta inicial é de uma taxa 9,9% para quem tiver mais de 100 mil euros, cerca de R$ 260 mil; e de 6,75%, para as contas menores.
(G1, 18.03.13)

A principal explicação para o aprofundamento da crise econômica no Chipre é

Questão 24

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
O Exército de Bangladesh informou na sexta-feira, 3 de maio de 2013, que subiu para 501 o número de mortos no desabamento do prédio Rana Plaza, em Savar, na periferia da capital Dacca, no último dia 24 de abril.
(Folha.com, 03.05.13)

O desabamento do prédio em Bangladesh contribuiu para trazer à discussão, nos países europeus e nos EUA, a questão

Questão 25

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
Dezenas de indígenas de várias etnias tomaram o plenário e provocaram a interrupção por mais de duas horas da sessão da terça-feira, 16 de abril de 2013, da Câmara dos Deputados.
(G1, 16.04.13. Adaptado)

A manifestação dos povos indígenas no Congresso tinha o objetivo de

Questão 26

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
Em uma planilha do MS-Excel 2010, a partir da sua configuração padrão, utilizada para controlar os livros de um estudante, a coluna A contém o nome do livro, a coluna B contém o tipo do livro e a coluna C contém o nome do autor, conforme está mostrado na figura.


A fórmula a ser aplicada na célula B7, que calcula o total de livros do tipo “Exatas” é

Questão 27

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
Em um documento que está sendo editado no MS-Word 2010, a partir da sua configuração padrão, no guia Layout da Página o ícone que permite mudar o tipo de orientação da página, retrato ou paisagem é

Questão 28

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
A sequência, a partir do menu principal do MS-PowerPoint 2010, considerando-se a sua configuração original, que permite configurar o intervalo de Slides que serão apresentados, conforme monstra a figura, é

Questão 29

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
No MS-Windows 7, a partir da sua configuração padrão, no Windows Explorer quando uma pasta ou biblioteca é aberta, é possível alterar a aparência dos arquivos na janela, por exemplo, ícones maiores, menores, conforme mostra a figura.


O botão que permite o acesso a essas opções chama-se

Questão 30

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
No Internet Explorer versão 9, a partir da sua configuração padrão, na janela de Diálogo “Opções da Internet”, conforme mostra a figura, o guia que permite ativar o Bloqueador de Pop-ups é

Questão 31

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
A chamada Guerra de Canudos foi o confronto entre um movimento popular de fundo sociorreligioso e o exército da República, ocorrido entre os anos de 1896 e 1897, no arraial de Canudos, interior da Bahia. Vários foram os fatores que desencadearam essa guerra como, por exemplo,

Questão 32

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
Sobre a destruição de Canudos, é correto afirmar que

Questão 33

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
No início do século XX, a capital federal contava com uma população de mais de 800 mil habitantes e, constantemente, era assolada por surtos de febre amarela, varíola, peste bubônica, malária, tifo e tuberculose. Preocupado com o grave quadro epidemiológico do Rio de Janeiro, o então presidente Rodrigues Alves decidiu colocar em prática o plano de saneamento e higienização da cidade, idealizado e coordenado pelo médico sanitarista

Questão 34

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
A Revolta da Chibata ocorreu durante o governo do presidente ____________ . Levante de ___________ , atingiu subdivisões da Marinha.

Seu objetivo era pôr fim às ____________________ a que eram submetidos os marinheiros.

Assinale a alternativa que completa, correta e respectivamente, as lacunas do texto.

Questão 35

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
O fim da Monarquia não representou a ascensão de profundas transformações no cenário social brasileiro. O crescimento dos centros urbanos, a crise da economia de agroexportação e, de maneira geral, a exclusão socioeconômica atingiram as populações do campo e da cidade, provocando rebeliões no decorrer da República Velha.

Sobre essas rebeliões, é correto afirmar que

Questão 36

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
Sobre a Greve Geral de 1917, é correto afirmar que

Questão 37

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
O movimento estudantil brasileiro constituiu-se em um dos grandes segmentos da sociedade civil que travou luta aberta em favor de uma democracia ampla e ilimitada, posicionando-se contrário às medidas adotadas pelo regime militar.

Para deter a manifestação dos estudantes em todo o território nacional, o Ministério da Educação foi responsável pela criação da Lei n.º 4.464, de 09 de novembro de 1964, conhecida como Lei Suplicy, nome do então Ministro da Educação, Flávio Suplicy de Lacerda. É correto afirmar que com a Lei Suplicy

Questão 38

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
Sobre as organizações de esquerda que fizeram resistência armada à ditadura militar, é correto afirmar que

Questão 39

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
“Todos reconhecem ou dizem reconhecer que a maioria das forças armadas não compactua com a cúpula militarista que perpetra violências e mantém este país sob regime de opressão. Creio ter chegado, após os acontecimentos de Brasília, o grande momento da união pela democracia.

Este é também o momento do boicote. As mães brasileiras já se manifestaram. Todas as classes sociais clamam por este repúdio à polícia. No entanto, isto não basta. É preciso que se estabeleça, sobretudo por parte das mulheres, como já começou a se estabelecer nesta Casa, por parte das mulheres parlamentares da Arena, o boicote ao militarismo. Vem aí o 7 de setembro.

As cúpulas militaristas procuram explorar o sentimento profundo de patriotismo do povo e pedirão aos colégios que desfilem junto com os algozes dos estudantes. Seria necessário que cada pai, cada mãe se compenetrasse de que a presença dos seus filhos nesse desfile é o auxílio aos carrascos que os espancam e os metralham nas ruas.

Portanto, que cada um boicote esse desfile.
(...)”
(Trecho de discurso do Deputado Márcio Moreira Alves feito na Câmara dos Deputados, no Rio de Janeiro, no dia 02 de setembro de 1968)

Esse discurso foi proferido quando ainda existia liberdade de imprensa e de expressão no Brasil. O Ato Institucional responsável pelo fim dessa liberdade é o

Questão 40

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
Sobre o movimento conhecido por Diretas Já, é correto afirmar que

Questão 41

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
Após mais de duas décadas de ditadura militar no Brasil, o primeiro presidente civil eleito de forma direta pela população brasileira foi

Questão 42

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
Desde sua fundação em 1980, o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) se organiza em torno de três objetivos principais: lutar pela terra, por uma reforma agrária e por

Questão 43

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
Caras Pintadas foi o nome dado aos jovens e estudantes que pintaram o rosto com as cores da bandeira nacional e saíram às ruas em passeatas por eles organizadas em favor

Questão 44

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
Primavera Árabe é o nome dado à onda de protestos, revoltas e revoluções populares contra governos do mundo árabe que eclodiu em 2011, em virtude do agravamento da situação dos países envolvidos, provocado pela crise econômica e pela falta de democracia. Entre esses países estão

Questão 45

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
Dentre as consequências da Primavera Árabe, é correto afirmar que

Questão 46

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
O chamado “Ocupa Wall Street”, movimento popular cujo objetivo principal era mudar o curso da política norte-americana, por meio de protestos pacíficos e acampamentos em praças públicas, contando com o apoio de grande parte da população, inclusive de celebridades e políticos, teve início em

Questão 47

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
De acordo com o Art. 3.º da Lei n.º 12.527, de 18 de novembro de 2011, os procedimentos nela previstos destinam-se a assegurar o direito fundamental de acesso à informação e devem ser executados em conformidade com os princípios básicos da administração pública e com cinco diretrizes citadas na lei. Uma dessas diretrizes é

Questão 48

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
Segundo a Lei de Acesso à Informação, o órgão ou entidade pública deverá autorizar ou conceder o acesso imediato à informação solicitada. Caso não seja possível, o prazo máximo para o atendimento à solicitação, já incluída uma possível prorrogação, não poderá ser superior a

Questão 49

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
Da classificação da informação quanto ao grau e prazos de sigilo, é correto afirmar que

Questão 50

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
A Lei n.º 6.683, de 28 de agosto de 1979, concedeu anistia a todos aqueles que, no período entre 02 de setembro de 1961 e 15 de agosto de 1979, cometeram crimes políticos ou conexos com estes, crimes eleitorais e aos que tiveram seus direitos políticos suspensos (...).

Para efeito dessa lei, foram considerados conexos os crimes de qualquer natureza relacionados com

Questão 51

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
A Lei de Anistia, como ficou conhecida a Lei n.º 6.683, de 28 de agosto de 1979, sofreu muitas críticas após ser sancionada pelo presidente João Batista Figueiredo porque

Questão 52

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
A Lei n.º 12.528, de 18 de novembro de 2011, cria a Comissão Nacional da Verdade – CNV – no âmbito da Casa Civil da Presidência da República. É finalidade da CNV examinar e

Questão 53

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
Sobre a Comissão Nacional da Verdade, é correto afirmar que

Questão 54

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
Ao longo dos séculos, os conceitos de tempo, história e memória sofreram inúmeras mudanças e novas interpretações. Leia com atenção as afirmações a seguir e assinale a alternativa correta.

Questão 55

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
Segundo uma corrente de historiadores, é possível esquematizar as atitudes coletivas perante o passado, o presente e o futuro. Nas colunas apresentadas a seguir, encontram-se, respectivamente, o período histórico a ser analisado (número) e a atitude coletiva perante a ideia de tempo letra).

Após analisar as duas colunas com bastante atenção, faça a conexão entre elas.


Assinale a alternativa que apresenta a conexão correta entre as colunas.

Questão 56

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
Percebe-se em boa parte da obra de Gramsci que ele acreditava ser possível aos movimentos sociais ligados às camadas populares promover transformações em favor da qualificação da vida. Para alcançar esse objetivo, o caminho a ser percorrido é a

Questão 57

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
A NOBRADE, Norma Brasileira de Descrição Arquivística, prevê a existência de oito áreas compreendendo 28 elementos de descrição. Segundo a NOBRADE, a área onde são registradas informações sobre a proveniência e custódia da unidade de descrição denomina-se área de

Questão 58

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
Dentre os 28 elementos de descrição da NOBRADE, sete são obrigatórios. Assinale a alternativa que apresenta, corretamente, dois desses elementos obrigatórios.

Questão 59

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
Os dados a seguir foram retirados da descrição do Arquivo João Goulart, pertencente ao acervo do Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil (CPDOC/FGV), transcrita integralmente na NOBRADE.

Parcela doada por Raul Riff, por meio de contrato em 1989; parcela doada por Luiz Alberto Moniz Bandeira em março de 2003.

Assinale a alternativa que apresenta, corretamente, o elemento de descrição ao qual se referem os dados transcritos.

Questão 60

FUNDUNESP 2013 - VUNESP - Historiógrafo
Segundo a NOBRADE, o elemento de identificação cronológica que leva em consideração variantes da história de formação do acervo como herança de fundos, sucessão arquivística e aquisições por compra ou doação, é denominado



Provas de Concursos » Vunesp 2013