×
×

Senado Federal 2002

Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania

* As numerações que você vê abaixo não correspondem à numeração original da prova. Alguns ajustes foram necessário para colocar estas questões no sistema
Questão 1

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O nome é um pouco esquisito, mas se trata de algo bastante conhecido: hoax é sinônimo de boato no mundo digital. Quem
 
nunca recebeu mensagens difamando empresas ou noticiando o caso do garoto com câncer? Ou então a história de ter os rins
 
retirados e acordar em uma banheira de gelo, que, no final, ainda pede para enviar o e-mail para os amigos? Nunca se sabe como
 
os boatos surgem. Dizem os especialistas que o prazer de quem envia boatos por e-mail é receber as histórias escritas por eles
5
mesmos depois de algum tempo. Se isso serve de consolo aos usuários que um dia já acreditaram em boatos internéticos, um
 
grande jornal impresso paulista — não a Folha — chegou a noticiar um, como se fosse uma notícia verdadeira. Tratava-se de
 
um e-mail dizendo que as escolas norte-americanas ensinavam a suas crianças que a Amazônia não era de fato brasileira.
 
Segundo a mensagem, essa área era de controle internacional. É claro que, depois de sua publicação, a falsa notícia ganhou
 
contorno de realidade. Mas um boato internético é tão controlável quanto o boato convencional. A melhor proteção contra ele
10
é nunca passar adiante mensagens com conteúdo duvidoso. Na dúvida, delete a mensagem.
Mensagem circulada pela Internet, em dezembro de 2001 (com adaptações).
A partir das idéias explícitas e implícitas no texto LP-I, julgue os itens abaixo.
A grande maioria das pessoas que vivem nos centros urbanos costuma receber mensagens eletrônicas apelativas, com propagandas de instituições comerciais ou com solicitações de auxílio, principalmente envolvendo crianças e(ou) velhos doentes.
Questão 2

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O nome é um pouco esquisito, mas se trata de algo bastante conhecido: hoax é sinônimo de boato no mundo digital. Quem
 
nunca recebeu mensagens difamando empresas ou noticiando o caso do garoto com câncer? Ou então a história de ter os rins
 
retirados e acordar em uma banheira de gelo, que, no final, ainda pede para enviar o e-mail para os amigos? Nunca se sabe como
 
os boatos surgem. Dizem os especialistas que o prazer de quem envia boatos por e-mail é receber as histórias escritas por eles
5
mesmos depois de algum tempo. Se isso serve de consolo aos usuários que um dia já acreditaram em boatos internéticos, um
 
grande jornal impresso paulista — não a Folha — chegou a noticiar um, como se fosse uma notícia verdadeira. Tratava-se de
 
um e-mail dizendo que as escolas norte-americanas ensinavam a suas crianças que a Amazônia não era de fato brasileira.
 
Segundo a mensagem, essa área era de controle internacional. É claro que, depois de sua publicação, a falsa notícia ganhou
 
contorno de realidade. Mas um boato internético é tão controlável quanto o boato convencional. A melhor proteção contra ele
10
é nunca passar adiante mensagens com conteúdo duvidoso. Na dúvida, delete a mensagem.
Mensagem circulada pela Internet, em dezembro de 2001 (com adaptações).
A partir das idéias explícitas e implícitas no texto LP-I, julgue os itens abaixo.
A circulação de algumas mensagens, como a de se ter os “rins retirados e acordar em uma banheira de gelo” (L.2-3), de caráter jocoso e assustador, pode partir do princípio de que alguns usuários desse tipo de comunicação são ingênuos — acatam e divulgam, sem julgamento prévio, tudo o que lêem.
Questão 3

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O nome é um pouco esquisito, mas se trata de algo bastante conhecido: hoax é sinônimo de boato no mundo digital. Quem
 
nunca recebeu mensagens difamando empresas ou noticiando o caso do garoto com câncer? Ou então a história de ter os rins
 
retirados e acordar em uma banheira de gelo, que, no final, ainda pede para enviar o e-mail para os amigos? Nunca se sabe como
 
os boatos surgem. Dizem os especialistas que o prazer de quem envia boatos por e-mail é receber as histórias escritas por eles
5
mesmos depois de algum tempo. Se isso serve de consolo aos usuários que um dia já acreditaram em boatos internéticos, um
 
grande jornal impresso paulista — não a Folha — chegou a noticiar um, como se fosse uma notícia verdadeira. Tratava-se de
 
um e-mail dizendo que as escolas norte-americanas ensinavam a suas crianças que a Amazônia não era de fato brasileira.
 
Segundo a mensagem, essa área era de controle internacional. É claro que, depois de sua publicação, a falsa notícia ganhou
 
contorno de realidade. Mas um boato internético é tão controlável quanto o boato convencional. A melhor proteção contra ele
10
é nunca passar adiante mensagens com conteúdo duvidoso. Na dúvida, delete a mensagem.
Mensagem circulada pela Internet, em dezembro de 2001 (com adaptações).
A partir das idéias explícitas e implícitas no texto LP-I, julgue os itens abaixo.
Embora os destinatários possam ignorar a real procedência e a veracidade das informações da correspondência, geralmente os remetentes últimos podem ser reconhecidos pelos recebedores que, a partir dos dados do endereçamento, acompanham as informações de quem a enviou.
Questão 4

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O nome é um pouco esquisito, mas se trata de algo bastante conhecido: hoax é sinônimo de boato no mundo digital. Quem
 
nunca recebeu mensagens difamando empresas ou noticiando o caso do garoto com câncer? Ou então a história de ter os rins
 
retirados e acordar em uma banheira de gelo, que, no final, ainda pede para enviar o e-mail para os amigos? Nunca se sabe como
 
os boatos surgem. Dizem os especialistas que o prazer de quem envia boatos por e-mail é receber as histórias escritas por eles
5
mesmos depois de algum tempo. Se isso serve de consolo aos usuários que um dia já acreditaram em boatos internéticos, um
 
grande jornal impresso paulista — não a Folha — chegou a noticiar um, como se fosse uma notícia verdadeira. Tratava-se de
 
um e-mail dizendo que as escolas norte-americanas ensinavam a suas crianças que a Amazônia não era de fato brasileira.
 
Segundo a mensagem, essa área era de controle internacional. É claro que, depois de sua publicação, a falsa notícia ganhou
 
contorno de realidade. Mas um boato internético é tão controlável quanto o boato convencional. A melhor proteção contra ele
10
é nunca passar adiante mensagens com conteúdo duvidoso. Na dúvida, delete a mensagem.
Mensagem circulada pela Internet, em dezembro de 2001 (com adaptações).
A partir das idéias explícitas e implícitas no texto LP-I, julgue os itens abaixo.
Segundo os especialistas, o prazer daqueles que inventam e fazem circular histórias de fundo apelativo ou informativo é transformarem-se em destinatários das mensagens por eles próprios criadas.
Questão 5

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O nome é um pouco esquisito, mas se trata de algo bastante conhecido: hoax é sinônimo de boato no mundo digital. Quem
 
nunca recebeu mensagens difamando empresas ou noticiando o caso do garoto com câncer? Ou então a história de ter os rins
 
retirados e acordar em uma banheira de gelo, que, no final, ainda pede para enviar o e-mail para os amigos? Nunca se sabe como
 
os boatos surgem. Dizem os especialistas que o prazer de quem envia boatos por e-mail é receber as histórias escritas por eles
5
mesmos depois de algum tempo. Se isso serve de consolo aos usuários que um dia já acreditaram em boatos internéticos, um
 
grande jornal impresso paulista — não a Folha — chegou a noticiar um, como se fosse uma notícia verdadeira. Tratava-se de
 
um e-mail dizendo que as escolas norte-americanas ensinavam a suas crianças que a Amazônia não era de fato brasileira.
 
Segundo a mensagem, essa área era de controle internacional. É claro que, depois de sua publicação, a falsa notícia ganhou
 
contorno de realidade. Mas um boato internético é tão controlável quanto o boato convencional. A melhor proteção contra ele
10
é nunca passar adiante mensagens com conteúdo duvidoso. Na dúvida, delete a mensagem.
Mensagem circulada pela Internet, em dezembro de 2001 (com adaptações).
A partir das idéias explícitas e implícitas no texto LP-I, julgue os itens abaixo.
As melhores maneiras de se prejudicar ou impedir a expansão de um boato internético, de conteúdo tão incerto quanto o de um boato convencional, são impedir-lhe a circulação, interrompendo o circuito comunicacional, e apagar a mensagem.
Questão 6

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O nome é um pouco esquisito, mas se trata de algo bastante conhecido: hoax é sinônimo de boato no mundo digital. Quem
 
nunca recebeu mensagens difamando empresas ou noticiando o caso do garoto com câncer? Ou então a história de ter os rins
 
retirados e acordar em uma banheira de gelo, que, no final, ainda pede para enviar o e-mail para os amigos? Nunca se sabe como
 
os boatos surgem. Dizem os especialistas que o prazer de quem envia boatos por e-mail é receber as histórias escritas por eles
5
mesmos depois de algum tempo. Se isso serve de consolo aos usuários que um dia já acreditaram em boatos internéticos, um
 
grande jornal impresso paulista — não a Folha — chegou a noticiar um, como se fosse uma notícia verdadeira. Tratava-se de
 
um e-mail dizendo que as escolas norte-americanas ensinavam a suas crianças que a Amazônia não era de fato brasileira.
 
Segundo a mensagem, essa área era de controle internacional. É claro que, depois de sua publicação, a falsa notícia ganhou
 
contorno de realidade. Mas um boato internético é tão controlável quanto o boato convencional. A melhor proteção contra ele
10
é nunca passar adiante mensagens com conteúdo duvidoso. Na dúvida, delete a mensagem.
Mensagem circulada pela Internet, em dezembro de 2001 (com adaptações).
Com referência ao emprego das classes gramaticais no texto LP-I, julgue os itens a seguir.
Infere-se do texto que “hoax” (L.1) é um substantivo usado pelos internautas para designar notícia de fonte desconhecida, muitas vezes infundada.
Questão 7

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O nome é um pouco esquisito, mas se trata de algo bastante conhecido: hoax é sinônimo de boato no mundo digital. Quem
 
nunca recebeu mensagens difamando empresas ou noticiando o caso do garoto com câncer? Ou então a história de ter os rins
 
retirados e acordar em uma banheira de gelo, que, no final, ainda pede para enviar o e-mail para os amigos? Nunca se sabe como
 
os boatos surgem. Dizem os especialistas que o prazer de quem envia boatos por e-mail é receber as histórias escritas por eles
5
mesmos depois de algum tempo. Se isso serve de consolo aos usuários que um dia já acreditaram em boatos internéticos, um
 
grande jornal impresso paulista — não a Folha — chegou a noticiar um, como se fosse uma notícia verdadeira. Tratava-se de
 
um e-mail dizendo que as escolas norte-americanas ensinavam a suas crianças que a Amazônia não era de fato brasileira.
 
Segundo a mensagem, essa área era de controle internacional. É claro que, depois de sua publicação, a falsa notícia ganhou
 
contorno de realidade. Mas um boato internético é tão controlável quanto o boato convencional. A melhor proteção contra ele
10
é nunca passar adiante mensagens com conteúdo duvidoso. Na dúvida, delete a mensagem.
Mensagem circulada pela Internet, em dezembro de 2001 (com adaptações).
Com referência ao emprego das classes gramaticais no texto LP-I, julgue os itens a seguir.
São formas verbais flexionadas as seguintes palavras: “difamando” (L.2), “receber” (L.4), “consolo” (L.5), “impresso” (L.6), “contorno” (L.8) e “delete” (L.10).
Questão 8

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O nome é um pouco esquisito, mas se trata de algo bastante conhecido: hoax é sinônimo de boato no mundo digital. Quem
 
nunca recebeu mensagens difamando empresas ou noticiando o caso do garoto com câncer? Ou então a história de ter os rins
 
retirados e acordar em uma banheira de gelo, que, no final, ainda pede para enviar o e-mail para os amigos? Nunca se sabe como
 
os boatos surgem. Dizem os especialistas que o prazer de quem envia boatos por e-mail é receber as histórias escritas por eles
5
mesmos depois de algum tempo. Se isso serve de consolo aos usuários que um dia já acreditaram em boatos internéticos, um
 
grande jornal impresso paulista — não a Folha — chegou a noticiar um, como se fosse uma notícia verdadeira. Tratava-se de
 
um e-mail dizendo que as escolas norte-americanas ensinavam a suas crianças que a Amazônia não era de fato brasileira.
 
Segundo a mensagem, essa área era de controle internacional. É claro que, depois de sua publicação, a falsa notícia ganhou
 
contorno de realidade. Mas um boato internético é tão controlável quanto o boato convencional. A melhor proteção contra ele
10
é nunca passar adiante mensagens com conteúdo duvidoso. Na dúvida, delete a mensagem.
Mensagem circulada pela Internet, em dezembro de 2001 (com adaptações).
Com referência ao emprego das classes gramaticais no texto LP-I, julgue os itens a seguir.
Considerando que certos pronomes demonstrativos relacionam-se com passagens discursivas, o emprego de “isso” (L.5) está inadequado: deveria ter sido usado o isto, uma vez que se está antecipando algo que vai ser referido.
Questão 9

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O nome é um pouco esquisito, mas se trata de algo bastante conhecido: hoax é sinônimo de boato no mundo digital. Quem
 
nunca recebeu mensagens difamando empresas ou noticiando o caso do garoto com câncer? Ou então a história de ter os rins
 
retirados e acordar em uma banheira de gelo, que, no final, ainda pede para enviar o e-mail para os amigos? Nunca se sabe como
 
os boatos surgem. Dizem os especialistas que o prazer de quem envia boatos por e-mail é receber as histórias escritas por eles
5
mesmos depois de algum tempo. Se isso serve de consolo aos usuários que um dia já acreditaram em boatos internéticos, um
 
grande jornal impresso paulista — não a Folha — chegou a noticiar um, como se fosse uma notícia verdadeira. Tratava-se de
 
um e-mail dizendo que as escolas norte-americanas ensinavam a suas crianças que a Amazônia não era de fato brasileira.
 
Segundo a mensagem, essa área era de controle internacional. É claro que, depois de sua publicação, a falsa notícia ganhou
 
contorno de realidade. Mas um boato internético é tão controlável quanto o boato convencional. A melhor proteção contra ele
10
é nunca passar adiante mensagens com conteúdo duvidoso. Na dúvida, delete a mensagem.
Mensagem circulada pela Internet, em dezembro de 2001 (com adaptações).
Com referência ao emprego das classes gramaticais no texto LP-I, julgue os itens a seguir.
O adjetivo “internéticos” (L.5) é um neologismo, composto por hibridismo do vocábulo internet com o sufixo latino éticos.
Questão 10

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O nome é um pouco esquisito, mas se trata de algo bastante conhecido: hoax é sinônimo de boato no mundo digital. Quem
 
nunca recebeu mensagens difamando empresas ou noticiando o caso do garoto com câncer? Ou então a história de ter os rins
 
retirados e acordar em uma banheira de gelo, que, no final, ainda pede para enviar o e-mail para os amigos? Nunca se sabe como
 
os boatos surgem. Dizem os especialistas que o prazer de quem envia boatos por e-mail é receber as histórias escritas por eles
5
mesmos depois de algum tempo. Se isso serve de consolo aos usuários que um dia já acreditaram em boatos internéticos, um
 
grande jornal impresso paulista — não a Folha — chegou a noticiar um, como se fosse uma notícia verdadeira. Tratava-se de
 
um e-mail dizendo que as escolas norte-americanas ensinavam a suas crianças que a Amazônia não era de fato brasileira.
 
Segundo a mensagem, essa área era de controle internacional. É claro que, depois de sua publicação, a falsa notícia ganhou
 
contorno de realidade. Mas um boato internético é tão controlável quanto o boato convencional. A melhor proteção contra ele
10
é nunca passar adiante mensagens com conteúdo duvidoso. Na dúvida, delete a mensagem.
Mensagem circulada pela Internet, em dezembro de 2001 (com adaptações).
Com referência ao emprego das classes gramaticais no texto LP-I, julgue os itens a seguir.
Em cada uma das seguintes expressões, os constituintes nominais mantêm, entre si, quanto à classificação gramatical, a mesma seqüência: “histórias escritas” (L.4), “boatos internéticos” (L.5), “notícia verdadeira” (L.6), “escolas norte-americanas” (L.7), “controle internacional” (L.8), “boato convencional” (L.9) e “conteúdo duvidoso” (L.10).
Questão 11

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O nome é um pouco esquisito, mas se trata de algo bastante conhecido: hoax é sinônimo de boato no mundo digital. Quem
 
nunca recebeu mensagens difamando empresas ou noticiando o caso do garoto com câncer? Ou então a história de ter os rins
 
retirados e acordar em uma banheira de gelo, que, no final, ainda pede para enviar o e-mail para os amigos? Nunca se sabe como
 
os boatos surgem. Dizem os especialistas que o prazer de quem envia boatos por e-mail é receber as histórias escritas por eles
5
mesmos depois de algum tempo. Se isso serve de consolo aos usuários que um dia já acreditaram em boatos internéticos, um
 
grande jornal impresso paulista — não a Folha — chegou a noticiar um, como se fosse uma notícia verdadeira. Tratava-se de
 
um e-mail dizendo que as escolas norte-americanas ensinavam a suas crianças que a Amazônia não era de fato brasileira.
 
Segundo a mensagem, essa área era de controle internacional. É claro que, depois de sua publicação, a falsa notícia ganhou
 
contorno de realidade. Mas um boato internético é tão controlável quanto o boato convencional. A melhor proteção contra ele
10
é nunca passar adiante mensagens com conteúdo duvidoso. Na dúvida, delete a mensagem.
Mensagem circulada pela Internet, em dezembro de 2001 (com adaptações).
1
Estive fazendo um levantamento de todas as mensagens
 
que me enviaram pela Internet e observei como elas mudaram
 
a minha vida.
 
Primeiro, deixei de ir a bares e boates por medo de me
5
envolver com alguém ligado a alguma quadrilha de ladrões de
 
órgãos, com terror de que me roubem as córneas, arranquem-
 
me os dois rins, ou até mesmo esperma, deixando-me estirado
 
dentro de uma banheira cheia de gelo com uma mensagem:
 
“Chame a emergência ou morrerá”. Em seguida, deixei também
10
de ir ao cinema, com medo de sentar-me em uma poltrona com
 
seringa infectada com o vírus da AIDS.
 
Depois, parei de atender o telefone para evitar que me
 
pedissem para digitar *9 e minha linha ser clonada e eu ter de
 
pagar uma conta astronômica. Acabei dando o meu celular
15
porque iriam me presentear com um modelo mais novo, de
 
outra marca, o que nunca aconteceu. Então, tive de comprar
 
outro, mas o abandonei em um canto com medo de que as
 
microondas me dessem câncer no cérebro.
 
Deixei de comer vários alimentos com medo dos
20
estrógenos. Parei de comer galinha e hambúrgueres porque eles
 
não são mais que carne de monstros horríveis sem olhos,
 
cabeludos e cultivados em um laboratório.
 
Deixei de ter relações sexuais por medo de comprar
 
preservativos furados que me contagiem com alguma doença
25
venérea. Aproveitei e abandonei o hábito de tomar qualquer
 
coisa em lata para não morrer devido aos resíduos infectados
 
pela urina de rato.
 
Deixei de ir aos shoppings com medo de que seqüestrem
 
a minha mulher e a obriguem a gastar todos os limites do cartão
30
de crédito ou coloquem alguém morto no porta-malas do
 
automóvel dela.
 
Eu participei arduamente em uma campanha contra a
 
tortura de alguns ursos asiáticos que tinham a bílis extraída, e
 
contra o desmatamento da floresta amazônica.
35
Fiquei praticamente arruinado financeiramente por
 
comprar todos os antivírus existentes para evitar que a maldita
 
rã da Budweiser invadisse o meu micro ou que os Teletubies se
 
apoderassem do meu protetor de tela.
 
Quis fazer o meu testamento e entregá-lo ao meu
40
advogado para doar os meus bens para a instituição beneficente
 
que recebe um centavo de dólar por pessoa que anota seu nome
 
na corrente pela luta da independência das mulheres no
 
Paquistão, mas não pude entregar porque tive medo de passar
 
a língua sobre a cola na borda do envelope e contaminar-me
45
com as baratas ali incubadas, segundo me haviam me
 
informado por e-mail.
 
E acabei acreditando, como se não bastasse, que tudo de
 
ruim e de injusto que me aconteceu é porque quebrei todas as
 
correntes ridículas que me enviaram e acabei sendo
50
amaldiçoado. Resultado: estou em tratamento psiquiátrico.
Mensagem circulada pela Internet, em dezembro de 2001 (com adaptações).
Comparando os textos LP-I e LP-II quanto às idéias, à tipologia textual e às relações discursivas, julgue os seguintes itens.
No texto LP-I, predomina a construção expositiva do tema, com o intuito de advertir o leitor acerca dos boatos circulantes em correspondências eletrônicas; no texto LP-II, no entanto, tem-se uma estrutura eminentemente narrativa, em que a personagem recebedora desse tipo de mensagem expõe as limitações e os vexames passados, em decorrência de dar crédito ao conteúdo dos e-mails.
Questão 12

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O nome é um pouco esquisito, mas se trata de algo bastante conhecido: hoax é sinônimo de boato no mundo digital. Quem
 
nunca recebeu mensagens difamando empresas ou noticiando o caso do garoto com câncer? Ou então a história de ter os rins
 
retirados e acordar em uma banheira de gelo, que, no final, ainda pede para enviar o e-mail para os amigos? Nunca se sabe como
 
os boatos surgem. Dizem os especialistas que o prazer de quem envia boatos por e-mail é receber as histórias escritas por eles
5
mesmos depois de algum tempo. Se isso serve de consolo aos usuários que um dia já acreditaram em boatos internéticos, um
 
grande jornal impresso paulista — não a Folha — chegou a noticiar um, como se fosse uma notícia verdadeira. Tratava-se de
 
um e-mail dizendo que as escolas norte-americanas ensinavam a suas crianças que a Amazônia não era de fato brasileira.
 
Segundo a mensagem, essa área era de controle internacional. É claro que, depois de sua publicação, a falsa notícia ganhou
 
contorno de realidade. Mas um boato internético é tão controlável quanto o boato convencional. A melhor proteção contra ele
10
é nunca passar adiante mensagens com conteúdo duvidoso. Na dúvida, delete a mensagem.
Mensagem circulada pela Internet, em dezembro de 2001 (com adaptações).
1
Estive fazendo um levantamento de todas as mensagens
 
que me enviaram pela Internet e observei como elas mudaram
 
a minha vida.
 
Primeiro, deixei de ir a bares e boates por medo de me
5
envolver com alguém ligado a alguma quadrilha de ladrões de
 
órgãos, com terror de que me roubem as córneas, arranquem-
 
me os dois rins, ou até mesmo esperma, deixando-me estirado
 
dentro de uma banheira cheia de gelo com uma mensagem:
 
“Chame a emergência ou morrerá”. Em seguida, deixei também
10
de ir ao cinema, com medo de sentar-me em uma poltrona com
 
seringa infectada com o vírus da AIDS.
 
Depois, parei de atender o telefone para evitar que me
 
pedissem para digitar *9 e minha linha ser clonada e eu ter de
 
pagar uma conta astronômica. Acabei dando o meu celular
15
porque iriam me presentear com um modelo mais novo, de
 
outra marca, o que nunca aconteceu. Então, tive de comprar
 
outro, mas o abandonei em um canto com medo de que as
 
microondas me dessem câncer no cérebro.
 
Deixei de comer vários alimentos com medo dos
20
estrógenos. Parei de comer galinha e hambúrgueres porque eles
 
não são mais que carne de monstros horríveis sem olhos,
 
cabeludos e cultivados em um laboratório.
 
Deixei de ter relações sexuais por medo de comprar
 
preservativos furados que me contagiem com alguma doença
25
venérea. Aproveitei e abandonei o hábito de tomar qualquer
 
coisa em lata para não morrer devido aos resíduos infectados
 
pela urina de rato.
 
Deixei de ir aos shoppings com medo de que seqüestrem
 
a minha mulher e a obriguem a gastar todos os limites do cartão
30
de crédito ou coloquem alguém morto no porta-malas do
 
automóvel dela.
 
Eu participei arduamente em uma campanha contra a
 
tortura de alguns ursos asiáticos que tinham a bílis extraída, e
 
contra o desmatamento da floresta amazônica.
35
Fiquei praticamente arruinado financeiramente por
 
comprar todos os antivírus existentes para evitar que a maldita
 
rã da Budweiser invadisse o meu micro ou que os Teletubies se
 
apoderassem do meu protetor de tela.
 
Quis fazer o meu testamento e entregá-lo ao meu
40
advogado para doar os meus bens para a instituição beneficente
 
que recebe um centavo de dólar por pessoa que anota seu nome
 
na corrente pela luta da independência das mulheres no
 
Paquistão, mas não pude entregar porque tive medo de passar
 
a língua sobre a cola na borda do envelope e contaminar-me
45
com as baratas ali incubadas, segundo me haviam me
 
informado por e-mail.
 
E acabei acreditando, como se não bastasse, que tudo de
 
ruim e de injusto que me aconteceu é porque quebrei todas as
 
correntes ridículas que me enviaram e acabei sendo
50
amaldiçoado. Resultado: estou em tratamento psiquiátrico.
Mensagem circulada pela Internet, em dezembro de 2001 (com adaptações).
Comparando os textos LP-I e LP-II quanto às idéias, à tipologia textual e às relações discursivas, julgue os seguintes itens.
Com respeito ao assunto e ao enfoque dado ao tema, o texto LP-II constitui uma paráfrase, expandida, do texto LP-I.
Questão 13

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O nome é um pouco esquisito, mas se trata de algo bastante conhecido: hoax é sinônimo de boato no mundo digital. Quem
 
nunca recebeu mensagens difamando empresas ou noticiando o caso do garoto com câncer? Ou então a história de ter os rins
 
retirados e acordar em uma banheira de gelo, que, no final, ainda pede para enviar o e-mail para os amigos? Nunca se sabe como
 
os boatos surgem. Dizem os especialistas que o prazer de quem envia boatos por e-mail é receber as histórias escritas por eles
5
mesmos depois de algum tempo. Se isso serve de consolo aos usuários que um dia já acreditaram em boatos internéticos, um
 
grande jornal impresso paulista — não a Folha — chegou a noticiar um, como se fosse uma notícia verdadeira. Tratava-se de
 
um e-mail dizendo que as escolas norte-americanas ensinavam a suas crianças que a Amazônia não era de fato brasileira.
 
Segundo a mensagem, essa área era de controle internacional. É claro que, depois de sua publicação, a falsa notícia ganhou
 
contorno de realidade. Mas um boato internético é tão controlável quanto o boato convencional. A melhor proteção contra ele
10
é nunca passar adiante mensagens com conteúdo duvidoso. Na dúvida, delete a mensagem.
Mensagem circulada pela Internet, em dezembro de 2001 (com adaptações).
1
Estive fazendo um levantamento de todas as mensagens
 
que me enviaram pela Internet e observei como elas mudaram
 
a minha vida.
 
Primeiro, deixei de ir a bares e boates por medo de me
5
envolver com alguém ligado a alguma quadrilha de ladrões de
 
órgãos, com terror de que me roubem as córneas, arranquem-
 
me os dois rins, ou até mesmo esperma, deixando-me estirado
 
dentro de uma banheira cheia de gelo com uma mensagem:
 
“Chame a emergência ou morrerá”. Em seguida, deixei também
10
de ir ao cinema, com medo de sentar-me em uma poltrona com
 
seringa infectada com o vírus da AIDS.
 
Depois, parei de atender o telefone para evitar que me
 
pedissem para digitar *9 e minha linha ser clonada e eu ter de
 
pagar uma conta astronômica. Acabei dando o meu celular
15
porque iriam me presentear com um modelo mais novo, de
 
outra marca, o que nunca aconteceu. Então, tive de comprar
 
outro, mas o abandonei em um canto com medo de que as
 
microondas me dessem câncer no cérebro.
 
Deixei de comer vários alimentos com medo dos
20
estrógenos. Parei de comer galinha e hambúrgueres porque eles
 
não são mais que carne de monstros horríveis sem olhos,
 
cabeludos e cultivados em um laboratório.
 
Deixei de ter relações sexuais por medo de comprar
 
preservativos furados que me contagiem com alguma doença
25
venérea. Aproveitei e abandonei o hábito de tomar qualquer
 
coisa em lata para não morrer devido aos resíduos infectados
 
pela urina de rato.
 
Deixei de ir aos shoppings com medo de que seqüestrem
 
a minha mulher e a obriguem a gastar todos os limites do cartão
30
de crédito ou coloquem alguém morto no porta-malas do
 
automóvel dela.
 
Eu participei arduamente em uma campanha contra a
 
tortura de alguns ursos asiáticos que tinham a bílis extraída, e
 
contra o desmatamento da floresta amazônica.
35
Fiquei praticamente arruinado financeiramente por
 
comprar todos os antivírus existentes para evitar que a maldita
 
rã da Budweiser invadisse o meu micro ou que os Teletubies se
 
apoderassem do meu protetor de tela.
 
Quis fazer o meu testamento e entregá-lo ao meu
40
advogado para doar os meus bens para a instituição beneficente
 
que recebe um centavo de dólar por pessoa que anota seu nome
 
na corrente pela luta da independência das mulheres no
 
Paquistão, mas não pude entregar porque tive medo de passar
 
a língua sobre a cola na borda do envelope e contaminar-me
45
com as baratas ali incubadas, segundo me haviam me
 
informado por e-mail.
 
E acabei acreditando, como se não bastasse, que tudo de
 
ruim e de injusto que me aconteceu é porque quebrei todas as
 
correntes ridículas que me enviaram e acabei sendo
50
amaldiçoado. Resultado: estou em tratamento psiquiátrico.
Mensagem circulada pela Internet, em dezembro de 2001 (com adaptações).
Comparando os textos LP-I e LP-II quanto às idéias, à tipologia textual e às relações discursivas, julgue os seguintes itens.
Distinta da estruturação do texto LP-I, a constituição do texto LP-II está embasada em uma seqüência de relações de conseqüências com suas respectivas causas.
Questão 14

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O nome é um pouco esquisito, mas se trata de algo bastante conhecido: hoax é sinônimo de boato no mundo digital. Quem
 
nunca recebeu mensagens difamando empresas ou noticiando o caso do garoto com câncer? Ou então a história de ter os rins
 
retirados e acordar em uma banheira de gelo, que, no final, ainda pede para enviar o e-mail para os amigos? Nunca se sabe como
 
os boatos surgem. Dizem os especialistas que o prazer de quem envia boatos por e-mail é receber as histórias escritas por eles
5
mesmos depois de algum tempo. Se isso serve de consolo aos usuários que um dia já acreditaram em boatos internéticos, um
 
grande jornal impresso paulista — não a Folha — chegou a noticiar um, como se fosse uma notícia verdadeira. Tratava-se de
 
um e-mail dizendo que as escolas norte-americanas ensinavam a suas crianças que a Amazônia não era de fato brasileira.
 
Segundo a mensagem, essa área era de controle internacional. É claro que, depois de sua publicação, a falsa notícia ganhou
 
contorno de realidade. Mas um boato internético é tão controlável quanto o boato convencional. A melhor proteção contra ele
10
é nunca passar adiante mensagens com conteúdo duvidoso. Na dúvida, delete a mensagem.
Mensagem circulada pela Internet, em dezembro de 2001 (com adaptações).
1
Estive fazendo um levantamento de todas as mensagens
 
que me enviaram pela Internet e observei como elas mudaram
 
a minha vida.
 
Primeiro, deixei de ir a bares e boates por medo de me
5
envolver com alguém ligado a alguma quadrilha de ladrões de
 
órgãos, com terror de que me roubem as córneas, arranquem-
 
me os dois rins, ou até mesmo esperma, deixando-me estirado
 
dentro de uma banheira cheia de gelo com uma mensagem:
 
“Chame a emergência ou morrerá”. Em seguida, deixei também
10
de ir ao cinema, com medo de sentar-me em uma poltrona com
 
seringa infectada com o vírus da AIDS.
 
Depois, parei de atender o telefone para evitar que me
 
pedissem para digitar *9 e minha linha ser clonada e eu ter de
 
pagar uma conta astronômica. Acabei dando o meu celular
15
porque iriam me presentear com um modelo mais novo, de
 
outra marca, o que nunca aconteceu. Então, tive de comprar
 
outro, mas o abandonei em um canto com medo de que as
 
microondas me dessem câncer no cérebro.
 
Deixei de comer vários alimentos com medo dos
20
estrógenos. Parei de comer galinha e hambúrgueres porque eles
 
não são mais que carne de monstros horríveis sem olhos,
 
cabeludos e cultivados em um laboratório.
 
Deixei de ter relações sexuais por medo de comprar
 
preservativos furados que me contagiem com alguma doença
25
venérea. Aproveitei e abandonei o hábito de tomar qualquer
 
coisa em lata para não morrer devido aos resíduos infectados
 
pela urina de rato.
 
Deixei de ir aos shoppings com medo de que seqüestrem
 
a minha mulher e a obriguem a gastar todos os limites do cartão
30
de crédito ou coloquem alguém morto no porta-malas do
 
automóvel dela.
 
Eu participei arduamente em uma campanha contra a
 
tortura de alguns ursos asiáticos que tinham a bílis extraída, e
 
contra o desmatamento da floresta amazônica.
35
Fiquei praticamente arruinado financeiramente por
 
comprar todos os antivírus existentes para evitar que a maldita
 
rã da Budweiser invadisse o meu micro ou que os Teletubies se
 
apoderassem do meu protetor de tela.
 
Quis fazer o meu testamento e entregá-lo ao meu
40
advogado para doar os meus bens para a instituição beneficente
 
que recebe um centavo de dólar por pessoa que anota seu nome
 
na corrente pela luta da independência das mulheres no
 
Paquistão, mas não pude entregar porque tive medo de passar
 
a língua sobre a cola na borda do envelope e contaminar-me
45
com as baratas ali incubadas, segundo me haviam me
 
informado por e-mail.
 
E acabei acreditando, como se não bastasse, que tudo de
 
ruim e de injusto que me aconteceu é porque quebrei todas as
 
correntes ridículas que me enviaram e acabei sendo
50
amaldiçoado. Resultado: estou em tratamento psiquiátrico.
Mensagem circulada pela Internet, em dezembro de 2001 (com adaptações).
Comparando os textos LP-I e LP-II quanto às idéias, à tipologia textual e às relações discursivas, julgue os seguintes itens.
O segundo parágrafo do texto LP-II apresenta, por meio de uma construção perifrástica, uma referência direta a uma informação explícita no texto LP-I.
Questão 15

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O nome é um pouco esquisito, mas se trata de algo bastante conhecido: hoax é sinônimo de boato no mundo digital. Quem
 
nunca recebeu mensagens difamando empresas ou noticiando o caso do garoto com câncer? Ou então a história de ter os rins
 
retirados e acordar em uma banheira de gelo, que, no final, ainda pede para enviar o e-mail para os amigos? Nunca se sabe como
 
os boatos surgem. Dizem os especialistas que o prazer de quem envia boatos por e-mail é receber as histórias escritas por eles
5
mesmos depois de algum tempo. Se isso serve de consolo aos usuários que um dia já acreditaram em boatos internéticos, um
 
grande jornal impresso paulista — não a Folha — chegou a noticiar um, como se fosse uma notícia verdadeira. Tratava-se de
 
um e-mail dizendo que as escolas norte-americanas ensinavam a suas crianças que a Amazônia não era de fato brasileira.
 
Segundo a mensagem, essa área era de controle internacional. É claro que, depois de sua publicação, a falsa notícia ganhou
 
contorno de realidade. Mas um boato internético é tão controlável quanto o boato convencional. A melhor proteção contra ele
10
é nunca passar adiante mensagens com conteúdo duvidoso. Na dúvida, delete a mensagem.
Mensagem circulada pela Internet, em dezembro de 2001 (com adaptações).
1
Estive fazendo um levantamento de todas as mensagens
 
que me enviaram pela Internet e observei como elas mudaram
 
a minha vida.
 
Primeiro, deixei de ir a bares e boates por medo de me
5
envolver com alguém ligado a alguma quadrilha de ladrões de
 
órgãos, com terror de que me roubem as córneas, arranquem-
 
me os dois rins, ou até mesmo esperma, deixando-me estirado
 
dentro de uma banheira cheia de gelo com uma mensagem:
 
“Chame a emergência ou morrerá”. Em seguida, deixei também
10
de ir ao cinema, com medo de sentar-me em uma poltrona com
 
seringa infectada com o vírus da AIDS.
 
Depois, parei de atender o telefone para evitar que me
 
pedissem para digitar *9 e minha linha ser clonada e eu ter de
 
pagar uma conta astronômica. Acabei dando o meu celular
15
porque iriam me presentear com um modelo mais novo, de
 
outra marca, o que nunca aconteceu. Então, tive de comprar
 
outro, mas o abandonei em um canto com medo de que as
 
microondas me dessem câncer no cérebro.
 
Deixei de comer vários alimentos com medo dos
20
estrógenos. Parei de comer galinha e hambúrgueres porque eles
 
não são mais que carne de monstros horríveis sem olhos,
 
cabeludos e cultivados em um laboratório.
 
Deixei de ter relações sexuais por medo de comprar
 
preservativos furados que me contagiem com alguma doença
25
venérea. Aproveitei e abandonei o hábito de tomar qualquer
 
coisa em lata para não morrer devido aos resíduos infectados
 
pela urina de rato.
 
Deixei de ir aos shoppings com medo de que seqüestrem
 
a minha mulher e a obriguem a gastar todos os limites do cartão
30
de crédito ou coloquem alguém morto no porta-malas do
 
automóvel dela.
 
Eu participei arduamente em uma campanha contra a
 
tortura de alguns ursos asiáticos que tinham a bílis extraída, e
 
contra o desmatamento da floresta amazônica.
35
Fiquei praticamente arruinado financeiramente por
 
comprar todos os antivírus existentes para evitar que a maldita
 
rã da Budweiser invadisse o meu micro ou que os Teletubies se
 
apoderassem do meu protetor de tela.
 
Quis fazer o meu testamento e entregá-lo ao meu
40
advogado para doar os meus bens para a instituição beneficente
 
que recebe um centavo de dólar por pessoa que anota seu nome
 
na corrente pela luta da independência das mulheres no
 
Paquistão, mas não pude entregar porque tive medo de passar
 
a língua sobre a cola na borda do envelope e contaminar-me
45
com as baratas ali incubadas, segundo me haviam me
 
informado por e-mail.
 
E acabei acreditando, como se não bastasse, que tudo de
 
ruim e de injusto que me aconteceu é porque quebrei todas as
 
correntes ridículas que me enviaram e acabei sendo
50
amaldiçoado. Resultado: estou em tratamento psiquiátrico.
Mensagem circulada pela Internet, em dezembro de 2001 (com adaptações).
Comparando os textos LP-I e LP-II quanto às idéias, à tipologia textual e às relações discursivas, julgue os seguintes itens.
Há, em cada um dos dois textos, com referência ao conteúdo dos e-mails, alusões aos seguintes aspectos: finalidades publicitárias, solicitação de auxílios para casos de doenças graves, advertências quanto à saúde, troca de mensagens de amizades, preocupação política e ecológica e ampliação das fontes de consulta.
Questão 16

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Estive fazendo um levantamento de todas as mensagens
 
que me enviaram pela Internet e observei como elas mudaram
 
a minha vida.
 
Primeiro, deixei de ir a bares e boates por medo de me
5
envolver com alguém ligado a alguma quadrilha de ladrões de
 
órgãos, com terror de que me roubem as córneas, arranquem-
 
me os dois rins, ou até mesmo esperma, deixando-me estirado
 
dentro de uma banheira cheia de gelo com uma mensagem:
 
“Chame a emergência ou morrerá”. Em seguida, deixei também
10
de ir ao cinema, com medo de sentar-me em uma poltrona com
 
seringa infectada com o vírus da AIDS.
 
Depois, parei de atender o telefone para evitar que me
 
pedissem para digitar *9 e minha linha ser clonada e eu ter de
 
pagar uma conta astronômica. Acabei dando o meu celular
15
porque iriam me presentear com um modelo mais novo, de
 
outra marca, o que nunca aconteceu. Então, tive de comprar
 
outro, mas o abandonei em um canto com medo de que as
 
microondas me dessem câncer no cérebro.
 
Deixei de comer vários alimentos com medo dos
20
estrógenos. Parei de comer galinha e hambúrgueres porque eles
 
não são mais que carne de monstros horríveis sem olhos,
 
cabeludos e cultivados em um laboratório.
 
Deixei de ter relações sexuais por medo de comprar
 
preservativos furados que me contagiem com alguma doença
25
venérea. Aproveitei e abandonei o hábito de tomar qualquer
 
coisa em lata para não morrer devido aos resíduos infectados
 
pela urina de rato.
 
Deixei de ir aos shoppings com medo de que seqüestrem
 
a minha mulher e a obriguem a gastar todos os limites do cartão
30
de crédito ou coloquem alguém morto no porta-malas do
 
automóvel dela.
 
Eu participei arduamente em uma campanha contra a
 
tortura de alguns ursos asiáticos que tinham a bílis extraída, e
 
contra o desmatamento da floresta amazônica.
35
Fiquei praticamente arruinado financeiramente por
 
comprar todos os antivírus existentes para evitar que a maldita
 
rã da Budweiser invadisse o meu micro ou que os Teletubies se
 
apoderassem do meu protetor de tela.
 
Quis fazer o meu testamento e entregá-lo ao meu
40
advogado para doar os meus bens para a instituição beneficente
 
que recebe um centavo de dólar por pessoa que anota seu nome
 
na corrente pela luta da independência das mulheres no
 
Paquistão, mas não pude entregar porque tive medo de passar
 
a língua sobre a cola na borda do envelope e contaminar-me
45
com as baratas ali incubadas, segundo me haviam me
 
informado por e-mail.
 
E acabei acreditando, como se não bastasse, que tudo de
 
ruim e de injusto que me aconteceu é porque quebrei todas as
 
correntes ridículas que me enviaram e acabei sendo
50
amaldiçoado. Resultado: estou em tratamento psiquiátrico.
Mensagem circulada pela Internet, em dezembro de 2001 (com adaptações).
Julgue se os itens que se seguem respeitam as idéias básicas do texto LP-II e estão gramaticalmente corretos.
No que diz respeito às telecomunicações, o narrador tomou as seguintes providências: desligou o telefone, afim de evitar que pedissem para ele a digitação de asterisco 9; doou o celular, na expectativa de ser presenteado com um modelo mais recente; adquiriu outro aparelho por temer que as microondas o dessem câncer no cérebro.
Questão 17

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Estive fazendo um levantamento de todas as mensagens
 
que me enviaram pela Internet e observei como elas mudaram
 
a minha vida.
 
Primeiro, deixei de ir a bares e boates por medo de me
5
envolver com alguém ligado a alguma quadrilha de ladrões de
 
órgãos, com terror de que me roubem as córneas, arranquem-
 
me os dois rins, ou até mesmo esperma, deixando-me estirado
 
dentro de uma banheira cheia de gelo com uma mensagem:
 
“Chame a emergência ou morrerá”. Em seguida, deixei também
10
de ir ao cinema, com medo de sentar-me em uma poltrona com
 
seringa infectada com o vírus da AIDS.
 
Depois, parei de atender o telefone para evitar que me
 
pedissem para digitar *9 e minha linha ser clonada e eu ter de
 
pagar uma conta astronômica. Acabei dando o meu celular
15
porque iriam me presentear com um modelo mais novo, de
 
outra marca, o que nunca aconteceu. Então, tive de comprar
 
outro, mas o abandonei em um canto com medo de que as
 
microondas me dessem câncer no cérebro.
 
Deixei de comer vários alimentos com medo dos
20
estrógenos. Parei de comer galinha e hambúrgueres porque eles
 
não são mais que carne de monstros horríveis sem olhos,
 
cabeludos e cultivados em um laboratório.
 
Deixei de ter relações sexuais por medo de comprar
 
preservativos furados que me contagiem com alguma doença
25
venérea. Aproveitei e abandonei o hábito de tomar qualquer
 
coisa em lata para não morrer devido aos resíduos infectados
 
pela urina de rato.
 
Deixei de ir aos shoppings com medo de que seqüestrem
 
a minha mulher e a obriguem a gastar todos os limites do cartão
30
de crédito ou coloquem alguém morto no porta-malas do
 
automóvel dela.
 
Eu participei arduamente em uma campanha contra a
 
tortura de alguns ursos asiáticos que tinham a bílis extraída, e
 
contra o desmatamento da floresta amazônica.
35
Fiquei praticamente arruinado financeiramente por
 
comprar todos os antivírus existentes para evitar que a maldita
 
rã da Budweiser invadisse o meu micro ou que os Teletubies se
 
apoderassem do meu protetor de tela.
 
Quis fazer o meu testamento e entregá-lo ao meu
40
advogado para doar os meus bens para a instituição beneficente
 
que recebe um centavo de dólar por pessoa que anota seu nome
 
na corrente pela luta da independência das mulheres no
 
Paquistão, mas não pude entregar porque tive medo de passar
 
a língua sobre a cola na borda do envelope e contaminar-me
45
com as baratas ali incubadas, segundo me haviam me
 
informado por e-mail.
 
E acabei acreditando, como se não bastasse, que tudo de
 
ruim e de injusto que me aconteceu é porque quebrei todas as
 
correntes ridículas que me enviaram e acabei sendo
50
amaldiçoado. Resultado: estou em tratamento psiquiátrico.
Mensagem circulada pela Internet, em dezembro de 2001 (com adaptações).
Julgue se os itens que se seguem respeitam as idéias básicas do texto LP-II e estão gramaticalmente corretos.
No tocante à área alimentar, o narrador parou de ingerir alguns alimentos, por medo do desequilíbrio hormonal; outros, tais quais frango e sanduíche de carne moída, devido à aparência ou aos constituintes orgânicos, desenvolvidos em laboratório.
Questão 18

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Estive fazendo um levantamento de todas as mensagens
 
que me enviaram pela Internet e observei como elas mudaram
 
a minha vida.
 
Primeiro, deixei de ir a bares e boates por medo de me
5
envolver com alguém ligado a alguma quadrilha de ladrões de
 
órgãos, com terror de que me roubem as córneas, arranquem-
 
me os dois rins, ou até mesmo esperma, deixando-me estirado
 
dentro de uma banheira cheia de gelo com uma mensagem:
 
“Chame a emergência ou morrerá”. Em seguida, deixei também
10
de ir ao cinema, com medo de sentar-me em uma poltrona com
 
seringa infectada com o vírus da AIDS.
 
Depois, parei de atender o telefone para evitar que me
 
pedissem para digitar *9 e minha linha ser clonada e eu ter de
 
pagar uma conta astronômica. Acabei dando o meu celular
15
porque iriam me presentear com um modelo mais novo, de
 
outra marca, o que nunca aconteceu. Então, tive de comprar
 
outro, mas o abandonei em um canto com medo de que as
 
microondas me dessem câncer no cérebro.
 
Deixei de comer vários alimentos com medo dos
20
estrógenos. Parei de comer galinha e hambúrgueres porque eles
 
não são mais que carne de monstros horríveis sem olhos,
 
cabeludos e cultivados em um laboratório.
 
Deixei de ter relações sexuais por medo de comprar
 
preservativos furados que me contagiem com alguma doença
25
venérea. Aproveitei e abandonei o hábito de tomar qualquer
 
coisa em lata para não morrer devido aos resíduos infectados
 
pela urina de rato.
 
Deixei de ir aos shoppings com medo de que seqüestrem
 
a minha mulher e a obriguem a gastar todos os limites do cartão
30
de crédito ou coloquem alguém morto no porta-malas do
 
automóvel dela.
 
Eu participei arduamente em uma campanha contra a
 
tortura de alguns ursos asiáticos que tinham a bílis extraída, e
 
contra o desmatamento da floresta amazônica.
35
Fiquei praticamente arruinado financeiramente por
 
comprar todos os antivírus existentes para evitar que a maldita
 
rã da Budweiser invadisse o meu micro ou que os Teletubies se
 
apoderassem do meu protetor de tela.
 
Quis fazer o meu testamento e entregá-lo ao meu
40
advogado para doar os meus bens para a instituição beneficente
 
que recebe um centavo de dólar por pessoa que anota seu nome
 
na corrente pela luta da independência das mulheres no
 
Paquistão, mas não pude entregar porque tive medo de passar
 
a língua sobre a cola na borda do envelope e contaminar-me
45
com as baratas ali incubadas, segundo me haviam me
 
informado por e-mail.
 
E acabei acreditando, como se não bastasse, que tudo de
 
ruim e de injusto que me aconteceu é porque quebrei todas as
 
correntes ridículas que me enviaram e acabei sendo
50
amaldiçoado. Resultado: estou em tratamento psiquiátrico.
Mensagem circulada pela Internet, em dezembro de 2001 (com adaptações).
Julgue se os itens que se seguem respeitam as idéias básicas do texto LP-II e estão gramaticalmente corretos.
A violência urbana é denunciada nesse tipo de mensagem, por meio da referência aos shoppings, grandes lugares comerciais onde costumam acontecer extorsões financeiras e agressões à liberdade, a exemplo de seqüestros e gastos ilimitados em cartões de crédito, respectivamente.
Questão 19

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Estive fazendo um levantamento de todas as mensagens
 
que me enviaram pela Internet e observei como elas mudaram
 
a minha vida.
 
Primeiro, deixei de ir a bares e boates por medo de me
5
envolver com alguém ligado a alguma quadrilha de ladrões de
 
órgãos, com terror de que me roubem as córneas, arranquem-
 
me os dois rins, ou até mesmo esperma, deixando-me estirado
 
dentro de uma banheira cheia de gelo com uma mensagem:
 
“Chame a emergência ou morrerá”. Em seguida, deixei também
10
de ir ao cinema, com medo de sentar-me em uma poltrona com
 
seringa infectada com o vírus da AIDS.
 
Depois, parei de atender o telefone para evitar que me
 
pedissem para digitar *9 e minha linha ser clonada e eu ter de
 
pagar uma conta astronômica. Acabei dando o meu celular
15
porque iriam me presentear com um modelo mais novo, de
 
outra marca, o que nunca aconteceu. Então, tive de comprar
 
outro, mas o abandonei em um canto com medo de que as
 
microondas me dessem câncer no cérebro.
 
Deixei de comer vários alimentos com medo dos
20
estrógenos. Parei de comer galinha e hambúrgueres porque eles
 
não são mais que carne de monstros horríveis sem olhos,
 
cabeludos e cultivados em um laboratório.
 
Deixei de ter relações sexuais por medo de comprar
 
preservativos furados que me contagiem com alguma doença
25
venérea. Aproveitei e abandonei o hábito de tomar qualquer
 
coisa em lata para não morrer devido aos resíduos infectados
 
pela urina de rato.
 
Deixei de ir aos shoppings com medo de que seqüestrem
 
a minha mulher e a obriguem a gastar todos os limites do cartão
30
de crédito ou coloquem alguém morto no porta-malas do
 
automóvel dela.
 
Eu participei arduamente em uma campanha contra a
 
tortura de alguns ursos asiáticos que tinham a bílis extraída, e
 
contra o desmatamento da floresta amazônica.
35
Fiquei praticamente arruinado financeiramente por
 
comprar todos os antivírus existentes para evitar que a maldita
 
rã da Budweiser invadisse o meu micro ou que os Teletubies se
 
apoderassem do meu protetor de tela.
 
Quis fazer o meu testamento e entregá-lo ao meu
40
advogado para doar os meus bens para a instituição beneficente
 
que recebe um centavo de dólar por pessoa que anota seu nome
 
na corrente pela luta da independência das mulheres no
 
Paquistão, mas não pude entregar porque tive medo de passar
 
a língua sobre a cola na borda do envelope e contaminar-me
45
com as baratas ali incubadas, segundo me haviam me
 
informado por e-mail.
 
E acabei acreditando, como se não bastasse, que tudo de
 
ruim e de injusto que me aconteceu é porque quebrei todas as
 
correntes ridículas que me enviaram e acabei sendo
50
amaldiçoado. Resultado: estou em tratamento psiquiátrico.
Mensagem circulada pela Internet, em dezembro de 2001 (com adaptações).
Julgue se os itens que se seguem respeitam as idéias básicas do texto LP-II e estão gramaticalmente corretos.
A preocupação com a preservação da fauna e da flora está explícita na referência às campanhas contrárias à existência da rã da Budweiser, aos resíduos da urina de ratos nas latas de cerveja, à tortura da extirpação da bílis de alguns ursos asiáticos e ao desmatamento da floresta amazônica.
Questão 20

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Estive fazendo um levantamento de todas as mensagens
 
que me enviaram pela Internet e observei como elas mudaram
 
a minha vida.
 
Primeiro, deixei de ir a bares e boates por medo de me
5
envolver com alguém ligado a alguma quadrilha de ladrões de
 
órgãos, com terror de que me roubem as córneas, arranquem-
 
me os dois rins, ou até mesmo esperma, deixando-me estirado
 
dentro de uma banheira cheia de gelo com uma mensagem:
 
“Chame a emergência ou morrerá”. Em seguida, deixei também
10
de ir ao cinema, com medo de sentar-me em uma poltrona com
 
seringa infectada com o vírus da AIDS.
 
Depois, parei de atender o telefone para evitar que me
 
pedissem para digitar *9 e minha linha ser clonada e eu ter de
 
pagar uma conta astronômica. Acabei dando o meu celular
15
porque iriam me presentear com um modelo mais novo, de
 
outra marca, o que nunca aconteceu. Então, tive de comprar
 
outro, mas o abandonei em um canto com medo de que as
 
microondas me dessem câncer no cérebro.
 
Deixei de comer vários alimentos com medo dos
20
estrógenos. Parei de comer galinha e hambúrgueres porque eles
 
não são mais que carne de monstros horríveis sem olhos,
 
cabeludos e cultivados em um laboratório.
 
Deixei de ter relações sexuais por medo de comprar
 
preservativos furados que me contagiem com alguma doença
25
venérea. Aproveitei e abandonei o hábito de tomar qualquer
 
coisa em lata para não morrer devido aos resíduos infectados
 
pela urina de rato.
 
Deixei de ir aos shoppings com medo de que seqüestrem
 
a minha mulher e a obriguem a gastar todos os limites do cartão
30
de crédito ou coloquem alguém morto no porta-malas do
 
automóvel dela.
 
Eu participei arduamente em uma campanha contra a
 
tortura de alguns ursos asiáticos que tinham a bílis extraída, e
 
contra o desmatamento da floresta amazônica.
35
Fiquei praticamente arruinado financeiramente por
 
comprar todos os antivírus existentes para evitar que a maldita
 
rã da Budweiser invadisse o meu micro ou que os Teletubies se
 
apoderassem do meu protetor de tela.
 
Quis fazer o meu testamento e entregá-lo ao meu
40
advogado para doar os meus bens para a instituição beneficente
 
que recebe um centavo de dólar por pessoa que anota seu nome
 
na corrente pela luta da independência das mulheres no
 
Paquistão, mas não pude entregar porque tive medo de passar
 
a língua sobre a cola na borda do envelope e contaminar-me
45
com as baratas ali incubadas, segundo me haviam me
 
informado por e-mail.
 
E acabei acreditando, como se não bastasse, que tudo de
 
ruim e de injusto que me aconteceu é porque quebrei todas as
 
correntes ridículas que me enviaram e acabei sendo
50
amaldiçoado. Resultado: estou em tratamento psiquiátrico.
Mensagem circulada pela Internet, em dezembro de 2001 (com adaptações).
Julgue se os itens que se seguem respeitam as idéias básicas do texto LP-II e estão gramaticalmente corretos.
Incluindo as contribuições para a luta pela independência das mulheres Paquistanesas, os boatos foram tantos, que o narrador foi à procura de um advogado, para doar os bens materiais, e de um tratamento psiquiátrico, para preservar a sua saúde mental.
Questão 21

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Estive fazendo um levantamento de todas as mensagens
 
que me enviaram pela Internet e observei como elas mudaram
 
a minha vida.
 
Primeiro, deixei de ir a bares e boates por medo de me
5
envolver com alguém ligado a alguma quadrilha de ladrões de
 
órgãos, com terror de que me roubem as córneas, arranquem-
 
me os dois rins, ou até mesmo esperma, deixando-me estirado
 
dentro de uma banheira cheia de gelo com uma mensagem:
 
“Chame a emergência ou morrerá”. Em seguida, deixei também
10
de ir ao cinema, com medo de sentar-me em uma poltrona com
 
seringa infectada com o vírus da AIDS.
 
Depois, parei de atender o telefone para evitar que me
 
pedissem para digitar *9 e minha linha ser clonada e eu ter de
 
pagar uma conta astronômica. Acabei dando o meu celular
15
porque iriam me presentear com um modelo mais novo, de
 
outra marca, o que nunca aconteceu. Então, tive de comprar
 
outro, mas o abandonei em um canto com medo de que as
 
microondas me dessem câncer no cérebro.
 
Deixei de comer vários alimentos com medo dos
20
estrógenos. Parei de comer galinha e hambúrgueres porque eles
 
não são mais que carne de monstros horríveis sem olhos,
 
cabeludos e cultivados em um laboratório.
 
Deixei de ter relações sexuais por medo de comprar
 
preservativos furados que me contagiem com alguma doença
25
venérea. Aproveitei e abandonei o hábito de tomar qualquer
 
coisa em lata para não morrer devido aos resíduos infectados
 
pela urina de rato.
 
Deixei de ir aos shoppings com medo de que seqüestrem
 
a minha mulher e a obriguem a gastar todos os limites do cartão
30
de crédito ou coloquem alguém morto no porta-malas do
 
automóvel dela.
 
Eu participei arduamente em uma campanha contra a
 
tortura de alguns ursos asiáticos que tinham a bílis extraída, e
 
contra o desmatamento da floresta amazônica.
35
Fiquei praticamente arruinado financeiramente por
 
comprar todos os antivírus existentes para evitar que a maldita
 
rã da Budweiser invadisse o meu micro ou que os Teletubies se
 
apoderassem do meu protetor de tela.
 
Quis fazer o meu testamento e entregá-lo ao meu
40
advogado para doar os meus bens para a instituição beneficente
 
que recebe um centavo de dólar por pessoa que anota seu nome
 
na corrente pela luta da independência das mulheres no
 
Paquistão, mas não pude entregar porque tive medo de passar
 
a língua sobre a cola na borda do envelope e contaminar-me
45
com as baratas ali incubadas, segundo me haviam me
 
informado por e-mail.
 
E acabei acreditando, como se não bastasse, que tudo de
 
ruim e de injusto que me aconteceu é porque quebrei todas as
 
correntes ridículas que me enviaram e acabei sendo
50
amaldiçoado. Resultado: estou em tratamento psiquiátrico.
Mensagem circulada pela Internet, em dezembro de 2001 (com adaptações).
Analisando as passagens do texto LP-II sob a ótica dos processos de coordenação e subordinação, julgue os itens subseqüentes.
Exercem a função de complemento direto das formas verbais a elas relacionadas as seguintes expressões: “um levantamento” (L.1), “alguém morto” (L.30), “todos os antivírus existentes” (L.36) e “a língua” (L.44).
Questão 22

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Estive fazendo um levantamento de todas as mensagens
 
que me enviaram pela Internet e observei como elas mudaram
 
a minha vida.
 
Primeiro, deixei de ir a bares e boates por medo de me
5
envolver com alguém ligado a alguma quadrilha de ladrões de
 
órgãos, com terror de que me roubem as córneas, arranquem-
 
me os dois rins, ou até mesmo esperma, deixando-me estirado
 
dentro de uma banheira cheia de gelo com uma mensagem:
 
“Chame a emergência ou morrerá”. Em seguida, deixei também
10
de ir ao cinema, com medo de sentar-me em uma poltrona com
 
seringa infectada com o vírus da AIDS.
 
Depois, parei de atender o telefone para evitar que me
 
pedissem para digitar *9 e minha linha ser clonada e eu ter de
 
pagar uma conta astronômica. Acabei dando o meu celular
15
porque iriam me presentear com um modelo mais novo, de
 
outra marca, o que nunca aconteceu. Então, tive de comprar
 
outro, mas o abandonei em um canto com medo de que as
 
microondas me dessem câncer no cérebro.
 
Deixei de comer vários alimentos com medo dos
20
estrógenos. Parei de comer galinha e hambúrgueres porque eles
 
não são mais que carne de monstros horríveis sem olhos,
 
cabeludos e cultivados em um laboratório.
 
Deixei de ter relações sexuais por medo de comprar
 
preservativos furados que me contagiem com alguma doença
25
venérea. Aproveitei e abandonei o hábito de tomar qualquer
 
coisa em lata para não morrer devido aos resíduos infectados
 
pela urina de rato.
 
Deixei de ir aos shoppings com medo de que seqüestrem
 
a minha mulher e a obriguem a gastar todos os limites do cartão
30
de crédito ou coloquem alguém morto no porta-malas do
 
automóvel dela.
 
Eu participei arduamente em uma campanha contra a
 
tortura de alguns ursos asiáticos que tinham a bílis extraída, e
 
contra o desmatamento da floresta amazônica.
35
Fiquei praticamente arruinado financeiramente por
 
comprar todos os antivírus existentes para evitar que a maldita
 
rã da Budweiser invadisse o meu micro ou que os Teletubies se
 
apoderassem do meu protetor de tela.
 
Quis fazer o meu testamento e entregá-lo ao meu
40
advogado para doar os meus bens para a instituição beneficente
 
que recebe um centavo de dólar por pessoa que anota seu nome
 
na corrente pela luta da independência das mulheres no
 
Paquistão, mas não pude entregar porque tive medo de passar
 
a língua sobre a cola na borda do envelope e contaminar-me
45
com as baratas ali incubadas, segundo me haviam me
 
informado por e-mail.
 
E acabei acreditando, como se não bastasse, que tudo de
 
ruim e de injusto que me aconteceu é porque quebrei todas as
 
correntes ridículas que me enviaram e acabei sendo
50
amaldiçoado. Resultado: estou em tratamento psiquiátrico.
Mensagem circulada pela Internet, em dezembro de 2001 (com adaptações).
Analisando as passagens do texto LP-II sob a ótica dos processos de coordenação e subordinação, julgue os itens subseqüentes.
Nos trechos ‘Chame a emergência’ (L.9), “pagar uma conta astronômica” (L.14), “dessem câncer” (L.18) e “comprar preservativos” (L.23-24), as formas verbais não são intransitivas.
Questão 23

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Estive fazendo um levantamento de todas as mensagens
 
que me enviaram pela Internet e observei como elas mudaram
 
a minha vida.
 
Primeiro, deixei de ir a bares e boates por medo de me
5
envolver com alguém ligado a alguma quadrilha de ladrões de
 
órgãos, com terror de que me roubem as córneas, arranquem-
 
me os dois rins, ou até mesmo esperma, deixando-me estirado
 
dentro de uma banheira cheia de gelo com uma mensagem:
 
“Chame a emergência ou morrerá”. Em seguida, deixei também
10
de ir ao cinema, com medo de sentar-me em uma poltrona com
 
seringa infectada com o vírus da AIDS.
 
Depois, parei de atender o telefone para evitar que me
 
pedissem para digitar *9 e minha linha ser clonada e eu ter de
 
pagar uma conta astronômica. Acabei dando o meu celular
15
porque iriam me presentear com um modelo mais novo, de
 
outra marca, o que nunca aconteceu. Então, tive de comprar
 
outro, mas o abandonei em um canto com medo de que as
 
microondas me dessem câncer no cérebro.
 
Deixei de comer vários alimentos com medo dos
20
estrógenos. Parei de comer galinha e hambúrgueres porque eles
 
não são mais que carne de monstros horríveis sem olhos,
 
cabeludos e cultivados em um laboratório.
 
Deixei de ter relações sexuais por medo de comprar
 
preservativos furados que me contagiem com alguma doença
25
venérea. Aproveitei e abandonei o hábito de tomar qualquer
 
coisa em lata para não morrer devido aos resíduos infectados
 
pela urina de rato.
 
Deixei de ir aos shoppings com medo de que seqüestrem
 
a minha mulher e a obriguem a gastar todos os limites do cartão
30
de crédito ou coloquem alguém morto no porta-malas do
 
automóvel dela.
 
Eu participei arduamente em uma campanha contra a
 
tortura de alguns ursos asiáticos que tinham a bílis extraída, e
 
contra o desmatamento da floresta amazônica.
35
Fiquei praticamente arruinado financeiramente por
 
comprar todos os antivírus existentes para evitar que a maldita
 
rã da Budweiser invadisse o meu micro ou que os Teletubies se
 
apoderassem do meu protetor de tela.
 
Quis fazer o meu testamento e entregá-lo ao meu
40
advogado para doar os meus bens para a instituição beneficente
 
que recebe um centavo de dólar por pessoa que anota seu nome
 
na corrente pela luta da independência das mulheres no
 
Paquistão, mas não pude entregar porque tive medo de passar
 
a língua sobre a cola na borda do envelope e contaminar-me
45
com as baratas ali incubadas, segundo me haviam me
 
informado por e-mail.
 
E acabei acreditando, como se não bastasse, que tudo de
 
ruim e de injusto que me aconteceu é porque quebrei todas as
 
correntes ridículas que me enviaram e acabei sendo
50
amaldiçoado. Resultado: estou em tratamento psiquiátrico.
Mensagem circulada pela Internet, em dezembro de 2001 (com adaptações).
Analisando as passagens do texto LP-II sob a ótica dos processos de coordenação e subordinação, julgue os itens subseqüentes.
Os seguintes nomes têm significação incompleta e carecem de uma expansão sintática que lhes complete o sentido: “medo” (L.4), “infectada” (L.11) e “hábito” (L.25).
Questão 24

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Estive fazendo um levantamento de todas as mensagens
 
que me enviaram pela Internet e observei como elas mudaram
 
a minha vida.
 
Primeiro, deixei de ir a bares e boates por medo de me
5
envolver com alguém ligado a alguma quadrilha de ladrões de
 
órgãos, com terror de que me roubem as córneas, arranquem-
 
me os dois rins, ou até mesmo esperma, deixando-me estirado
 
dentro de uma banheira cheia de gelo com uma mensagem:
 
“Chame a emergência ou morrerá”. Em seguida, deixei também
10
de ir ao cinema, com medo de sentar-me em uma poltrona com
 
seringa infectada com o vírus da AIDS.
 
Depois, parei de atender o telefone para evitar que me
 
pedissem para digitar *9 e minha linha ser clonada e eu ter de
 
pagar uma conta astronômica. Acabei dando o meu celular
15
porque iriam me presentear com um modelo mais novo, de
 
outra marca, o que nunca aconteceu. Então, tive de comprar
 
outro, mas o abandonei em um canto com medo de que as
 
microondas me dessem câncer no cérebro.
 
Deixei de comer vários alimentos com medo dos
20
estrógenos. Parei de comer galinha e hambúrgueres porque eles
 
não são mais que carne de monstros horríveis sem olhos,
 
cabeludos e cultivados em um laboratório.
 
Deixei de ter relações sexuais por medo de comprar
 
preservativos furados que me contagiem com alguma doença
25
venérea. Aproveitei e abandonei o hábito de tomar qualquer
 
coisa em lata para não morrer devido aos resíduos infectados
 
pela urina de rato.
 
Deixei de ir aos shoppings com medo de que seqüestrem
 
a minha mulher e a obriguem a gastar todos os limites do cartão
30
de crédito ou coloquem alguém morto no porta-malas do
 
automóvel dela.
 
Eu participei arduamente em uma campanha contra a
 
tortura de alguns ursos asiáticos que tinham a bílis extraída, e
 
contra o desmatamento da floresta amazônica.
35
Fiquei praticamente arruinado financeiramente por
 
comprar todos os antivírus existentes para evitar que a maldita
 
rã da Budweiser invadisse o meu micro ou que os Teletubies se
 
apoderassem do meu protetor de tela.
 
Quis fazer o meu testamento e entregá-lo ao meu
40
advogado para doar os meus bens para a instituição beneficente
 
que recebe um centavo de dólar por pessoa que anota seu nome
 
na corrente pela luta da independência das mulheres no
 
Paquistão, mas não pude entregar porque tive medo de passar
 
a língua sobre a cola na borda do envelope e contaminar-me
45
com as baratas ali incubadas, segundo me haviam me
 
informado por e-mail.
 
E acabei acreditando, como se não bastasse, que tudo de
 
ruim e de injusto que me aconteceu é porque quebrei todas as
 
correntes ridículas que me enviaram e acabei sendo
50
amaldiçoado. Resultado: estou em tratamento psiquiátrico.
Mensagem circulada pela Internet, em dezembro de 2001 (com adaptações).
Analisando as passagens do texto LP-II sob a ótica dos processos de coordenação e subordinação, julgue os itens subseqüentes.
Na construção parei de comer galinha, deixei de ter relações sexuais, abandonei o hábito de tomar qualquer coisa em lata, deixei de ir aos shoppings, entre as orações, estabelece-se uma relação de coordenação, mas, dentro de cada oração, dá-se a subordinação dos termos.
Questão 25

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Estive fazendo um levantamento de todas as mensagens
 
que me enviaram pela Internet e observei como elas mudaram
 
a minha vida.
 
Primeiro, deixei de ir a bares e boates por medo de me
5
envolver com alguém ligado a alguma quadrilha de ladrões de
 
órgãos, com terror de que me roubem as córneas, arranquem-
 
me os dois rins, ou até mesmo esperma, deixando-me estirado
 
dentro de uma banheira cheia de gelo com uma mensagem:
 
“Chame a emergência ou morrerá”. Em seguida, deixei também
10
de ir ao cinema, com medo de sentar-me em uma poltrona com
 
seringa infectada com o vírus da AIDS.
 
Depois, parei de atender o telefone para evitar que me
 
pedissem para digitar *9 e minha linha ser clonada e eu ter de
 
pagar uma conta astronômica. Acabei dando o meu celular
15
porque iriam me presentear com um modelo mais novo, de
 
outra marca, o que nunca aconteceu. Então, tive de comprar
 
outro, mas o abandonei em um canto com medo de que as
 
microondas me dessem câncer no cérebro.
 
Deixei de comer vários alimentos com medo dos
20
estrógenos. Parei de comer galinha e hambúrgueres porque eles
 
não são mais que carne de monstros horríveis sem olhos,
 
cabeludos e cultivados em um laboratório.
 
Deixei de ter relações sexuais por medo de comprar
 
preservativos furados que me contagiem com alguma doença
25
venérea. Aproveitei e abandonei o hábito de tomar qualquer
 
coisa em lata para não morrer devido aos resíduos infectados
 
pela urina de rato.
 
Deixei de ir aos shoppings com medo de que seqüestrem
 
a minha mulher e a obriguem a gastar todos os limites do cartão
30
de crédito ou coloquem alguém morto no porta-malas do
 
automóvel dela.
 
Eu participei arduamente em uma campanha contra a
 
tortura de alguns ursos asiáticos que tinham a bílis extraída, e
 
contra o desmatamento da floresta amazônica.
35
Fiquei praticamente arruinado financeiramente por
 
comprar todos os antivírus existentes para evitar que a maldita
 
rã da Budweiser invadisse o meu micro ou que os Teletubies se
 
apoderassem do meu protetor de tela.
 
Quis fazer o meu testamento e entregá-lo ao meu
40
advogado para doar os meus bens para a instituição beneficente
 
que recebe um centavo de dólar por pessoa que anota seu nome
 
na corrente pela luta da independência das mulheres no
 
Paquistão, mas não pude entregar porque tive medo de passar
 
a língua sobre a cola na borda do envelope e contaminar-me
45
com as baratas ali incubadas, segundo me haviam me
 
informado por e-mail.
 
E acabei acreditando, como se não bastasse, que tudo de
 
ruim e de injusto que me aconteceu é porque quebrei todas as
 
correntes ridículas que me enviaram e acabei sendo
50
amaldiçoado. Resultado: estou em tratamento psiquiátrico.
Mensagem circulada pela Internet, em dezembro de 2001 (com adaptações).
Analisando as passagens do texto LP-II sob a ótica dos processos de coordenação e subordinação, julgue os itens subseqüentes.
Em todos os parágrafos, a função de sujeito sintático da oração inicial é marcada, flexionalmente, pelo uso da primeira pessoa do singular, que corresponde, semanticamente, à voz do narrador.
Questão 26

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Objeto da moda
 
 
Um objeto estranho ameaça incorporar-se à elegância
 
masculina. Seu aparecimento ocorreu na Itália, e sua presença já se
5
faz sentir em outras cidades européias. É a maçaranduba.
 
A primeira singularidade da maçaranduba consiste em que
 
ela absolutamente não participa da sorte das demais peças do
 
equipamento humano a que se junta. É que a maçaranduba fica
 
perto do vestuário, sem se ligar a ele. É ciosa de sua independência,
10
ao contrário dos outros elementos que colaboram na apresentação
 
do homem em público. Estes seguem conosco na condição de
 
servos dóceis, ao passo que ela mantém liberdade de movimentos.
 
E exige de nossa parte atenções especiais, sob pena de abandonar-
 
nos à primeira distração. Concorda em fazer-nos companhia, mas
15
sem o compromisso de aturar-nos o dia inteiro. Dir-se-ia, mesmo,
 
que nós é que a acompanhamos no seu ir e vir pretensiosa pelas
 
ruas.
 
A maçaranduba está sempre à mostra, ostensiva e vaidosa.
 
Sua tendência é para assumir a liderança do conjunto e exibir-se em
20
evoluções fantasiosas, que exigem certas habilidades do portador.
 
Assim, quando não tem o que fazer (e de ordinário não tem)
 
descreve círculos e volteios que pretendem ser graciosos em sua
 
gratuidade.
 
A maçaranduba parece ter mau gênio? Parece, não; tem. Já
25
o demonstrou sempre que algum transeunte lhe despertou antipatia
 
ou lhe recordou episódios menos agradáveis. Ela não é de suportar
 
opiniões contrárias às suas. À falta de melhor argumento, na
 
polêmica, ergue-se inopinadamente, avança como um raio e procura
 
alcançar a parte doutrinária alheia nos pontos mais vulneráveis,
30
desde o lombo até os óculos. Sua agressividade impulsiva costuma
 
levá-la à polícia, quando não se recolhe inerte e indiferente a um
 
canto deixando que seu portador pague a nota dos estragos.
 
A maçaranduba é basicamente feita de madeira, às vezes se
 
beneficia de espécies vegetais não-compactas, o que lhe permite
35
estocar recursos ofensivos de grande temibilidade. Ao vê-la
 
aproximar-se, tome cuidado, pois sua ira não se satisfaz com
 
simples equimoses.
 
A impertinência da maçaranduba, para não dizer arrogância,
 
deve-se talvez ao fato de que em outras eras foi símbolo de poder
40
e, sob formas diversas, esteve ligada à realeza e a seu irmão gêmeo,
 
o absolutismo. Em mãos governamentais, era duplamente terrível:
 
pela contundência material e pela espiritual.
 
Diga-se em favor da maçaranduba, para que o retrato não
 
fique excessivamente carregado, que algumas espécies são
45
inclinadas à generosidade, e se comprazem em ajudar pessoas
 
encanecidas ou faltas de visão. Contudo, trata-se de exceção.
Carlos Drummond de Andrade. Folha da Tarde, 1.º/2/1973 (com adaptações).
Em cada um dos itens seguintes, julgue se a reescritura do trecho indicado do texto LP-III, destacada em negrito, mantém as idéias originais desse trecho.
“Um objeto (...) maçaranduba.” (L.1-3): A maçaranduba é um estranho objeto que ameaça incorporar-se à elegância masculina; seu surgimento aconteceu na Itália, mas sua presença já se faz sentir em outros centros europeus.
Questão 27

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Objeto da moda
 
 
Um objeto estranho ameaça incorporar-se à elegância
 
masculina. Seu aparecimento ocorreu na Itália, e sua presença já se
5
faz sentir em outras cidades européias. É a maçaranduba.
 
A primeira singularidade da maçaranduba consiste em que
 
ela absolutamente não participa da sorte das demais peças do
 
equipamento humano a que se junta. É que a maçaranduba fica
 
perto do vestuário, sem se ligar a ele. É ciosa de sua independência,
10
ao contrário dos outros elementos que colaboram na apresentação
 
do homem em público. Estes seguem conosco na condição de
 
servos dóceis, ao passo que ela mantém liberdade de movimentos.
 
E exige de nossa parte atenções especiais, sob pena de abandonar-
 
nos à primeira distração. Concorda em fazer-nos companhia, mas
15
sem o compromisso de aturar-nos o dia inteiro. Dir-se-ia, mesmo,
 
que nós é que a acompanhamos no seu ir e vir pretensiosa pelas
 
ruas.
 
A maçaranduba está sempre à mostra, ostensiva e vaidosa.
 
Sua tendência é para assumir a liderança do conjunto e exibir-se em
20
evoluções fantasiosas, que exigem certas habilidades do portador.
 
Assim, quando não tem o que fazer (e de ordinário não tem)
 
descreve círculos e volteios que pretendem ser graciosos em sua
 
gratuidade.
 
A maçaranduba parece ter mau gênio? Parece, não; tem. Já
25
o demonstrou sempre que algum transeunte lhe despertou antipatia
 
ou lhe recordou episódios menos agradáveis. Ela não é de suportar
 
opiniões contrárias às suas. À falta de melhor argumento, na
 
polêmica, ergue-se inopinadamente, avança como um raio e procura
 
alcançar a parte doutrinária alheia nos pontos mais vulneráveis,
30
desde o lombo até os óculos. Sua agressividade impulsiva costuma
 
levá-la à polícia, quando não se recolhe inerte e indiferente a um
 
canto deixando que seu portador pague a nota dos estragos.
 
A maçaranduba é basicamente feita de madeira, às vezes se
 
beneficia de espécies vegetais não-compactas, o que lhe permite
35
estocar recursos ofensivos de grande temibilidade. Ao vê-la
 
aproximar-se, tome cuidado, pois sua ira não se satisfaz com
 
simples equimoses.
 
A impertinência da maçaranduba, para não dizer arrogância,
 
deve-se talvez ao fato de que em outras eras foi símbolo de poder
40
e, sob formas diversas, esteve ligada à realeza e a seu irmão gêmeo,
 
o absolutismo. Em mãos governamentais, era duplamente terrível:
 
pela contundência material e pela espiritual.
 
Diga-se em favor da maçaranduba, para que o retrato não
 
fique excessivamente carregado, que algumas espécies são
45
inclinadas à generosidade, e se comprazem em ajudar pessoas
 
encanecidas ou faltas de visão. Contudo, trata-se de exceção.
Carlos Drummond de Andrade. Folha da Tarde, 1.º/2/1973 (com adaptações).
Em cada um dos itens seguintes, julgue se a reescritura do trecho indicado do texto LP-III, destacada em negrito, mantém as idéias originais desse trecho.
“A maçaranduba (...) portador.” (L.15-17): A maçaranduba, ostensiva, está sempre à mostra; vaidosa, tem a tendência de assumir a liderança, no conjunto do vestuário, e de exibir-se em evoluções fantasiosas; exige muitas habilidades do portador.
Questão 28

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Objeto da moda
 
 
Um objeto estranho ameaça incorporar-se à elegância
 
masculina. Seu aparecimento ocorreu na Itália, e sua presença já se
5
faz sentir em outras cidades européias. É a maçaranduba.
 
A primeira singularidade da maçaranduba consiste em que
 
ela absolutamente não participa da sorte das demais peças do
 
equipamento humano a que se junta. É que a maçaranduba fica
 
perto do vestuário, sem se ligar a ele. É ciosa de sua independência,
10
ao contrário dos outros elementos que colaboram na apresentação
 
do homem em público. Estes seguem conosco na condição de
 
servos dóceis, ao passo que ela mantém liberdade de movimentos.
 
E exige de nossa parte atenções especiais, sob pena de abandonar-
 
nos à primeira distração. Concorda em fazer-nos companhia, mas
15
sem o compromisso de aturar-nos o dia inteiro. Dir-se-ia, mesmo,
 
que nós é que a acompanhamos no seu ir e vir pretensiosa pelas
 
ruas.
 
A maçaranduba está sempre à mostra, ostensiva e vaidosa.
 
Sua tendência é para assumir a liderança do conjunto e exibir-se em
20
evoluções fantasiosas, que exigem certas habilidades do portador.
 
Assim, quando não tem o que fazer (e de ordinário não tem)
 
descreve círculos e volteios que pretendem ser graciosos em sua
 
gratuidade.
 
A maçaranduba parece ter mau gênio? Parece, não; tem. Já
25
o demonstrou sempre que algum transeunte lhe despertou antipatia
 
ou lhe recordou episódios menos agradáveis. Ela não é de suportar
 
opiniões contrárias às suas. À falta de melhor argumento, na
 
polêmica, ergue-se inopinadamente, avança como um raio e procura
 
alcançar a parte doutrinária alheia nos pontos mais vulneráveis,
30
desde o lombo até os óculos. Sua agressividade impulsiva costuma
 
levá-la à polícia, quando não se recolhe inerte e indiferente a um
 
canto deixando que seu portador pague a nota dos estragos.
 
A maçaranduba é basicamente feita de madeira, às vezes se
 
beneficia de espécies vegetais não-compactas, o que lhe permite
35
estocar recursos ofensivos de grande temibilidade. Ao vê-la
 
aproximar-se, tome cuidado, pois sua ira não se satisfaz com
 
simples equimoses.
 
A impertinência da maçaranduba, para não dizer arrogância,
 
deve-se talvez ao fato de que em outras eras foi símbolo de poder
40
e, sob formas diversas, esteve ligada à realeza e a seu irmão gêmeo,
 
o absolutismo. Em mãos governamentais, era duplamente terrível:
 
pela contundência material e pela espiritual.
 
Diga-se em favor da maçaranduba, para que o retrato não
 
fique excessivamente carregado, que algumas espécies são
45
inclinadas à generosidade, e se comprazem em ajudar pessoas
 
encanecidas ou faltas de visão. Contudo, trata-se de exceção.
Carlos Drummond de Andrade. Folha da Tarde, 1.º/2/1973 (com adaptações).
Em cada um dos itens seguintes, julgue se a reescritura do trecho indicado do texto LP-III, destacada em negrito, mantém as idéias originais desse trecho.
“À falta (...) vulneráveis” (L.24-26): A maçaranduba é polêmica! Não suporta opiniões contrárias às suas e, na falta de argumentos, ergue-se; avança como um raio, e procura alcançar os pontos alheios mais vulneráveis.
Questão 29

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Objeto da moda
 
 
Um objeto estranho ameaça incorporar-se à elegância
 
masculina. Seu aparecimento ocorreu na Itália, e sua presença já se
5
faz sentir em outras cidades européias. É a maçaranduba.
 
A primeira singularidade da maçaranduba consiste em que
 
ela absolutamente não participa da sorte das demais peças do
 
equipamento humano a que se junta. É que a maçaranduba fica
 
perto do vestuário, sem se ligar a ele. É ciosa de sua independência,
10
ao contrário dos outros elementos que colaboram na apresentação
 
do homem em público. Estes seguem conosco na condição de
 
servos dóceis, ao passo que ela mantém liberdade de movimentos.
 
E exige de nossa parte atenções especiais, sob pena de abandonar-
 
nos à primeira distração. Concorda em fazer-nos companhia, mas
15
sem o compromisso de aturar-nos o dia inteiro. Dir-se-ia, mesmo,
 
que nós é que a acompanhamos no seu ir e vir pretensiosa pelas
 
ruas.
 
A maçaranduba está sempre à mostra, ostensiva e vaidosa.
 
Sua tendência é para assumir a liderança do conjunto e exibir-se em
20
evoluções fantasiosas, que exigem certas habilidades do portador.
 
Assim, quando não tem o que fazer (e de ordinário não tem)
 
descreve círculos e volteios que pretendem ser graciosos em sua
 
gratuidade.
 
A maçaranduba parece ter mau gênio? Parece, não; tem. Já
25
o demonstrou sempre que algum transeunte lhe despertou antipatia
 
ou lhe recordou episódios menos agradáveis. Ela não é de suportar
 
opiniões contrárias às suas. À falta de melhor argumento, na
 
polêmica, ergue-se inopinadamente, avança como um raio e procura
 
alcançar a parte doutrinária alheia nos pontos mais vulneráveis,
30
desde o lombo até os óculos. Sua agressividade impulsiva costuma
 
levá-la à polícia, quando não se recolhe inerte e indiferente a um
 
canto deixando que seu portador pague a nota dos estragos.
 
A maçaranduba é basicamente feita de madeira, às vezes se
 
beneficia de espécies vegetais não-compactas, o que lhe permite
35
estocar recursos ofensivos de grande temibilidade. Ao vê-la
 
aproximar-se, tome cuidado, pois sua ira não se satisfaz com
 
simples equimoses.
 
A impertinência da maçaranduba, para não dizer arrogância,
 
deve-se talvez ao fato de que em outras eras foi símbolo de poder
40
e, sob formas diversas, esteve ligada à realeza e a seu irmão gêmeo,
 
o absolutismo. Em mãos governamentais, era duplamente terrível:
 
pela contundência material e pela espiritual.
 
Diga-se em favor da maçaranduba, para que o retrato não
 
fique excessivamente carregado, que algumas espécies são
45
inclinadas à generosidade, e se comprazem em ajudar pessoas
 
encanecidas ou faltas de visão. Contudo, trata-se de exceção.
Carlos Drummond de Andrade. Folha da Tarde, 1.º/2/1973 (com adaptações).
Em cada um dos itens seguintes, julgue se a reescritura do trecho indicado do texto LP-III, destacada em negrito, mantém as idéias originais desse trecho.
“Sua (...) estragos.” (L.27-29): Impulsiva, em sua agressividade, isso costuma levá-la à polícia: quando não se recolhe, inerte e indiferente, a um canto; deixando que seu portador pague os estragos.
Questão 30

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Objeto da moda
 
 
Um objeto estranho ameaça incorporar-se à elegância
 
masculina. Seu aparecimento ocorreu na Itália, e sua presença já se
5
faz sentir em outras cidades européias. É a maçaranduba.
 
A primeira singularidade da maçaranduba consiste em que
 
ela absolutamente não participa da sorte das demais peças do
 
equipamento humano a que se junta. É que a maçaranduba fica
 
perto do vestuário, sem se ligar a ele. É ciosa de sua independência,
10
ao contrário dos outros elementos que colaboram na apresentação
 
do homem em público. Estes seguem conosco na condição de
 
servos dóceis, ao passo que ela mantém liberdade de movimentos.
 
E exige de nossa parte atenções especiais, sob pena de abandonar-
 
nos à primeira distração. Concorda em fazer-nos companhia, mas
15
sem o compromisso de aturar-nos o dia inteiro. Dir-se-ia, mesmo,
 
que nós é que a acompanhamos no seu ir e vir pretensiosa pelas
 
ruas.
 
A maçaranduba está sempre à mostra, ostensiva e vaidosa.
 
Sua tendência é para assumir a liderança do conjunto e exibir-se em
20
evoluções fantasiosas, que exigem certas habilidades do portador.
 
Assim, quando não tem o que fazer (e de ordinário não tem)
 
descreve círculos e volteios que pretendem ser graciosos em sua
 
gratuidade.
 
A maçaranduba parece ter mau gênio? Parece, não; tem. Já
25
o demonstrou sempre que algum transeunte lhe despertou antipatia
 
ou lhe recordou episódios menos agradáveis. Ela não é de suportar
 
opiniões contrárias às suas. À falta de melhor argumento, na
 
polêmica, ergue-se inopinadamente, avança como um raio e procura
 
alcançar a parte doutrinária alheia nos pontos mais vulneráveis,
30
desde o lombo até os óculos. Sua agressividade impulsiva costuma
 
levá-la à polícia, quando não se recolhe inerte e indiferente a um
 
canto deixando que seu portador pague a nota dos estragos.
 
A maçaranduba é basicamente feita de madeira, às vezes se
 
beneficia de espécies vegetais não-compactas, o que lhe permite
35
estocar recursos ofensivos de grande temibilidade. Ao vê-la
 
aproximar-se, tome cuidado, pois sua ira não se satisfaz com
 
simples equimoses.
 
A impertinência da maçaranduba, para não dizer arrogância,
 
deve-se talvez ao fato de que em outras eras foi símbolo de poder
40
e, sob formas diversas, esteve ligada à realeza e a seu irmão gêmeo,
 
o absolutismo. Em mãos governamentais, era duplamente terrível:
 
pela contundência material e pela espiritual.
 
Diga-se em favor da maçaranduba, para que o retrato não
 
fique excessivamente carregado, que algumas espécies são
45
inclinadas à generosidade, e se comprazem em ajudar pessoas
 
encanecidas ou faltas de visão. Contudo, trata-se de exceção.
Carlos Drummond de Andrade. Folha da Tarde, 1.º/2/1973 (com adaptações).
Em cada um dos itens seguintes, julgue se a reescritura do trecho indicado do texto LP-III, destacada em negrito, mantém as idéias originais desse trecho.
“A maçaranduba (...) temibilidade.” (L.30-32): A maçaranduba, produzida em madeira às vezes, é beneficiada por ser feita, também, de espécies vegetais não-compactadas, fato que permite a ela estocar recursos ofensivos de grande temibilidade.
Questão 31

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Objeto da moda
 
 
Um objeto estranho ameaça incorporar-se à elegância
 
masculina. Seu aparecimento ocorreu na Itália, e sua presença já se
5
faz sentir em outras cidades européias. É a maçaranduba.
 
A primeira singularidade da maçaranduba consiste em que
 
ela absolutamente não participa da sorte das demais peças do
 
equipamento humano a que se junta. É que a maçaranduba fica
 
perto do vestuário, sem se ligar a ele. É ciosa de sua independência,
10
ao contrário dos outros elementos que colaboram na apresentação
 
do homem em público. Estes seguem conosco na condição de
 
servos dóceis, ao passo que ela mantém liberdade de movimentos.
 
E exige de nossa parte atenções especiais, sob pena de abandonar-
 
nos à primeira distração. Concorda em fazer-nos companhia, mas
15
sem o compromisso de aturar-nos o dia inteiro. Dir-se-ia, mesmo,
 
que nós é que a acompanhamos no seu ir e vir pretensiosa pelas
 
ruas.
 
A maçaranduba está sempre à mostra, ostensiva e vaidosa.
 
Sua tendência é para assumir a liderança do conjunto e exibir-se em
20
evoluções fantasiosas, que exigem certas habilidades do portador.
 
Assim, quando não tem o que fazer (e de ordinário não tem)
 
descreve círculos e volteios que pretendem ser graciosos em sua
 
gratuidade.
 
A maçaranduba parece ter mau gênio? Parece, não; tem. Já
25
o demonstrou sempre que algum transeunte lhe despertou antipatia
 
ou lhe recordou episódios menos agradáveis. Ela não é de suportar
 
opiniões contrárias às suas. À falta de melhor argumento, na
 
polêmica, ergue-se inopinadamente, avança como um raio e procura
 
alcançar a parte doutrinária alheia nos pontos mais vulneráveis,
30
desde o lombo até os óculos. Sua agressividade impulsiva costuma
 
levá-la à polícia, quando não se recolhe inerte e indiferente a um
 
canto deixando que seu portador pague a nota dos estragos.
 
A maçaranduba é basicamente feita de madeira, às vezes se
 
beneficia de espécies vegetais não-compactas, o que lhe permite
35
estocar recursos ofensivos de grande temibilidade. Ao vê-la
 
aproximar-se, tome cuidado, pois sua ira não se satisfaz com
 
simples equimoses.
 
A impertinência da maçaranduba, para não dizer arrogância,
 
deve-se talvez ao fato de que em outras eras foi símbolo de poder
40
e, sob formas diversas, esteve ligada à realeza e a seu irmão gêmeo,
 
o absolutismo. Em mãos governamentais, era duplamente terrível:
 
pela contundência material e pela espiritual.
 
Diga-se em favor da maçaranduba, para que o retrato não
 
fique excessivamente carregado, que algumas espécies são
45
inclinadas à generosidade, e se comprazem em ajudar pessoas
 
encanecidas ou faltas de visão. Contudo, trata-se de exceção.
Carlos Drummond de Andrade. Folha da Tarde, 1.º/2/1973 (com adaptações).
A partir da análise do vocabulário do texto LP-III, julgue se as duas equivalências de sentido apresentadas em cada um dos itens abaixo satisfazem ao contexto.
“singularidade” (L.4) = peculiaridade e “ostensiva” (L.15) = ostentosa .
Questão 32

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Objeto da moda
 
 
Um objeto estranho ameaça incorporar-se à elegância
 
masculina. Seu aparecimento ocorreu na Itália, e sua presença já se
5
faz sentir em outras cidades européias. É a maçaranduba.
 
A primeira singularidade da maçaranduba consiste em que
 
ela absolutamente não participa da sorte das demais peças do
 
equipamento humano a que se junta. É que a maçaranduba fica
 
perto do vestuário, sem se ligar a ele. É ciosa de sua independência,
10
ao contrário dos outros elementos que colaboram na apresentação
 
do homem em público. Estes seguem conosco na condição de
 
servos dóceis, ao passo que ela mantém liberdade de movimentos.
 
E exige de nossa parte atenções especiais, sob pena de abandonar-
 
nos à primeira distração. Concorda em fazer-nos companhia, mas
15
sem o compromisso de aturar-nos o dia inteiro. Dir-se-ia, mesmo,
 
que nós é que a acompanhamos no seu ir e vir pretensiosa pelas
 
ruas.
 
A maçaranduba está sempre à mostra, ostensiva e vaidosa.
 
Sua tendência é para assumir a liderança do conjunto e exibir-se em
20
evoluções fantasiosas, que exigem certas habilidades do portador.
 
Assim, quando não tem o que fazer (e de ordinário não tem)
 
descreve círculos e volteios que pretendem ser graciosos em sua
 
gratuidade.
 
A maçaranduba parece ter mau gênio? Parece, não; tem. Já
25
o demonstrou sempre que algum transeunte lhe despertou antipatia
 
ou lhe recordou episódios menos agradáveis. Ela não é de suportar
 
opiniões contrárias às suas. À falta de melhor argumento, na
 
polêmica, ergue-se inopinadamente, avança como um raio e procura
 
alcançar a parte doutrinária alheia nos pontos mais vulneráveis,
30
desde o lombo até os óculos. Sua agressividade impulsiva costuma
 
levá-la à polícia, quando não se recolhe inerte e indiferente a um
 
canto deixando que seu portador pague a nota dos estragos.
 
A maçaranduba é basicamente feita de madeira, às vezes se
 
beneficia de espécies vegetais não-compactas, o que lhe permite
35
estocar recursos ofensivos de grande temibilidade. Ao vê-la
 
aproximar-se, tome cuidado, pois sua ira não se satisfaz com
 
simples equimoses.
 
A impertinência da maçaranduba, para não dizer arrogância,
 
deve-se talvez ao fato de que em outras eras foi símbolo de poder
40
e, sob formas diversas, esteve ligada à realeza e a seu irmão gêmeo,
 
o absolutismo. Em mãos governamentais, era duplamente terrível:
 
pela contundência material e pela espiritual.
 
Diga-se em favor da maçaranduba, para que o retrato não
 
fique excessivamente carregado, que algumas espécies são
45
inclinadas à generosidade, e se comprazem em ajudar pessoas
 
encanecidas ou faltas de visão. Contudo, trata-se de exceção.
Carlos Drummond de Andrade. Folha da Tarde, 1.º/2/1973 (com adaptações).
A partir da análise do vocabulário do texto LP-III, julgue se as duas equivalências de sentido apresentadas em cada um dos itens abaixo satisfazem ao contexto.
“sorte” (L.5) = fortuna e “ciosa” (L.7) = zeladora.
Questão 33

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Objeto da moda
 
 
Um objeto estranho ameaça incorporar-se à elegância
 
masculina. Seu aparecimento ocorreu na Itália, e sua presença já se
5
faz sentir em outras cidades européias. É a maçaranduba.
 
A primeira singularidade da maçaranduba consiste em que
 
ela absolutamente não participa da sorte das demais peças do
 
equipamento humano a que se junta. É que a maçaranduba fica
 
perto do vestuário, sem se ligar a ele. É ciosa de sua independência,
10
ao contrário dos outros elementos que colaboram na apresentação
 
do homem em público. Estes seguem conosco na condição de
 
servos dóceis, ao passo que ela mantém liberdade de movimentos.
 
E exige de nossa parte atenções especiais, sob pena de abandonar-
 
nos à primeira distração. Concorda em fazer-nos companhia, mas
15
sem o compromisso de aturar-nos o dia inteiro. Dir-se-ia, mesmo,
 
que nós é que a acompanhamos no seu ir e vir pretensiosa pelas
 
ruas.
 
A maçaranduba está sempre à mostra, ostensiva e vaidosa.
 
Sua tendência é para assumir a liderança do conjunto e exibir-se em
20
evoluções fantasiosas, que exigem certas habilidades do portador.
 
Assim, quando não tem o que fazer (e de ordinário não tem)
 
descreve círculos e volteios que pretendem ser graciosos em sua
 
gratuidade.
 
A maçaranduba parece ter mau gênio? Parece, não; tem. Já
25
o demonstrou sempre que algum transeunte lhe despertou antipatia
 
ou lhe recordou episódios menos agradáveis. Ela não é de suportar
 
opiniões contrárias às suas. À falta de melhor argumento, na
 
polêmica, ergue-se inopinadamente, avança como um raio e procura
 
alcançar a parte doutrinária alheia nos pontos mais vulneráveis,
30
desde o lombo até os óculos. Sua agressividade impulsiva costuma
 
levá-la à polícia, quando não se recolhe inerte e indiferente a um
 
canto deixando que seu portador pague a nota dos estragos.
 
A maçaranduba é basicamente feita de madeira, às vezes se
 
beneficia de espécies vegetais não-compactas, o que lhe permite
35
estocar recursos ofensivos de grande temibilidade. Ao vê-la
 
aproximar-se, tome cuidado, pois sua ira não se satisfaz com
 
simples equimoses.
 
A impertinência da maçaranduba, para não dizer arrogância,
 
deve-se talvez ao fato de que em outras eras foi símbolo de poder
40
e, sob formas diversas, esteve ligada à realeza e a seu irmão gêmeo,
 
o absolutismo. Em mãos governamentais, era duplamente terrível:
 
pela contundência material e pela espiritual.
 
Diga-se em favor da maçaranduba, para que o retrato não
 
fique excessivamente carregado, que algumas espécies são
45
inclinadas à generosidade, e se comprazem em ajudar pessoas
 
encanecidas ou faltas de visão. Contudo, trata-se de exceção.
Carlos Drummond de Andrade. Folha da Tarde, 1.º/2/1973 (com adaptações).
A partir da análise do vocabulário do texto LP-III, julgue se as duas equivalências de sentido apresentadas em cada um dos itens abaixo satisfazem ao contexto.
“inopinadamente” (L.25) = sem opinião e “impulsiva” (L.27) = incontinenti .
Questão 34

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Objeto da moda
 
 
Um objeto estranho ameaça incorporar-se à elegância
 
masculina. Seu aparecimento ocorreu na Itália, e sua presença já se
5
faz sentir em outras cidades européias. É a maçaranduba.
 
A primeira singularidade da maçaranduba consiste em que
 
ela absolutamente não participa da sorte das demais peças do
 
equipamento humano a que se junta. É que a maçaranduba fica
 
perto do vestuário, sem se ligar a ele. É ciosa de sua independência,
10
ao contrário dos outros elementos que colaboram na apresentação
 
do homem em público. Estes seguem conosco na condição de
 
servos dóceis, ao passo que ela mantém liberdade de movimentos.
 
E exige de nossa parte atenções especiais, sob pena de abandonar-
 
nos à primeira distração. Concorda em fazer-nos companhia, mas
15
sem o compromisso de aturar-nos o dia inteiro. Dir-se-ia, mesmo,
 
que nós é que a acompanhamos no seu ir e vir pretensiosa pelas
 
ruas.
 
A maçaranduba está sempre à mostra, ostensiva e vaidosa.
 
Sua tendência é para assumir a liderança do conjunto e exibir-se em
20
evoluções fantasiosas, que exigem certas habilidades do portador.
 
Assim, quando não tem o que fazer (e de ordinário não tem)
 
descreve círculos e volteios que pretendem ser graciosos em sua
 
gratuidade.
 
A maçaranduba parece ter mau gênio? Parece, não; tem. Já
25
o demonstrou sempre que algum transeunte lhe despertou antipatia
 
ou lhe recordou episódios menos agradáveis. Ela não é de suportar
 
opiniões contrárias às suas. À falta de melhor argumento, na
 
polêmica, ergue-se inopinadamente, avança como um raio e procura
 
alcançar a parte doutrinária alheia nos pontos mais vulneráveis,
30
desde o lombo até os óculos. Sua agressividade impulsiva costuma
 
levá-la à polícia, quando não se recolhe inerte e indiferente a um
 
canto deixando que seu portador pague a nota dos estragos.
 
A maçaranduba é basicamente feita de madeira, às vezes se
 
beneficia de espécies vegetais não-compactas, o que lhe permite
35
estocar recursos ofensivos de grande temibilidade. Ao vê-la
 
aproximar-se, tome cuidado, pois sua ira não se satisfaz com
 
simples equimoses.
 
A impertinência da maçaranduba, para não dizer arrogância,
 
deve-se talvez ao fato de que em outras eras foi símbolo de poder
40
e, sob formas diversas, esteve ligada à realeza e a seu irmão gêmeo,
 
o absolutismo. Em mãos governamentais, era duplamente terrível:
 
pela contundência material e pela espiritual.
 
Diga-se em favor da maçaranduba, para que o retrato não
 
fique excessivamente carregado, que algumas espécies são
45
inclinadas à generosidade, e se comprazem em ajudar pessoas
 
encanecidas ou faltas de visão. Contudo, trata-se de exceção.
Carlos Drummond de Andrade. Folha da Tarde, 1.º/2/1973 (com adaptações).
A partir da análise do vocabulário do texto LP-III, julgue se as duas equivalências de sentido apresentadas em cada um dos itens abaixo satisfazem ao contexto.
“doutrinária” (L.26) = exposta e “vulneráveis” (L.26) = frágeis.
Questão 35

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Objeto da moda
 
 
Um objeto estranho ameaça incorporar-se à elegância
 
masculina. Seu aparecimento ocorreu na Itália, e sua presença já se
5
faz sentir em outras cidades européias. É a maçaranduba.
 
A primeira singularidade da maçaranduba consiste em que
 
ela absolutamente não participa da sorte das demais peças do
 
equipamento humano a que se junta. É que a maçaranduba fica
 
perto do vestuário, sem se ligar a ele. É ciosa de sua independência,
10
ao contrário dos outros elementos que colaboram na apresentação
 
do homem em público. Estes seguem conosco na condição de
 
servos dóceis, ao passo que ela mantém liberdade de movimentos.
 
E exige de nossa parte atenções especiais, sob pena de abandonar-
 
nos à primeira distração. Concorda em fazer-nos companhia, mas
15
sem o compromisso de aturar-nos o dia inteiro. Dir-se-ia, mesmo,
 
que nós é que a acompanhamos no seu ir e vir pretensiosa pelas
 
ruas.
 
A maçaranduba está sempre à mostra, ostensiva e vaidosa.
 
Sua tendência é para assumir a liderança do conjunto e exibir-se em
20
evoluções fantasiosas, que exigem certas habilidades do portador.
 
Assim, quando não tem o que fazer (e de ordinário não tem)
 
descreve círculos e volteios que pretendem ser graciosos em sua
 
gratuidade.
 
A maçaranduba parece ter mau gênio? Parece, não; tem. Já
25
o demonstrou sempre que algum transeunte lhe despertou antipatia
 
ou lhe recordou episódios menos agradáveis. Ela não é de suportar
 
opiniões contrárias às suas. À falta de melhor argumento, na
 
polêmica, ergue-se inopinadamente, avança como um raio e procura
 
alcançar a parte doutrinária alheia nos pontos mais vulneráveis,
30
desde o lombo até os óculos. Sua agressividade impulsiva costuma
 
levá-la à polícia, quando não se recolhe inerte e indiferente a um
 
canto deixando que seu portador pague a nota dos estragos.
 
A maçaranduba é basicamente feita de madeira, às vezes se
 
beneficia de espécies vegetais não-compactas, o que lhe permite
35
estocar recursos ofensivos de grande temibilidade. Ao vê-la
 
aproximar-se, tome cuidado, pois sua ira não se satisfaz com
 
simples equimoses.
 
A impertinência da maçaranduba, para não dizer arrogância,
 
deve-se talvez ao fato de que em outras eras foi símbolo de poder
40
e, sob formas diversas, esteve ligada à realeza e a seu irmão gêmeo,
 
o absolutismo. Em mãos governamentais, era duplamente terrível:
 
pela contundência material e pela espiritual.
 
Diga-se em favor da maçaranduba, para que o retrato não
 
fique excessivamente carregado, que algumas espécies são
45
inclinadas à generosidade, e se comprazem em ajudar pessoas
 
encanecidas ou faltas de visão. Contudo, trata-se de exceção.
Carlos Drummond de Andrade. Folha da Tarde, 1.º/2/1973 (com adaptações).
A partir da análise do vocabulário do texto LP-III, julgue se as duas equivalências de sentido apresentadas em cada um dos itens abaixo satisfazem ao contexto.
“arrogância” (L.35) = orgulho e “encanecidas” (L.43) = encarecidas.
Questão 36

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Objeto da moda
 
 
Um objeto estranho ameaça incorporar-se à elegância
 
masculina. Seu aparecimento ocorreu na Itália, e sua presença já se
5
faz sentir em outras cidades européias. É a maçaranduba.
 
A primeira singularidade da maçaranduba consiste em que
 
ela absolutamente não participa da sorte das demais peças do
 
equipamento humano a que se junta. É que a maçaranduba fica
 
perto do vestuário, sem se ligar a ele. É ciosa de sua independência,
10
ao contrário dos outros elementos que colaboram na apresentação
 
do homem em público. Estes seguem conosco na condição de
 
servos dóceis, ao passo que ela mantém liberdade de movimentos.
 
E exige de nossa parte atenções especiais, sob pena de abandonar-
 
nos à primeira distração. Concorda em fazer-nos companhia, mas
15
sem o compromisso de aturar-nos o dia inteiro. Dir-se-ia, mesmo,
 
que nós é que a acompanhamos no seu ir e vir pretensiosa pelas
 
ruas.
 
A maçaranduba está sempre à mostra, ostensiva e vaidosa.
 
Sua tendência é para assumir a liderança do conjunto e exibir-se em
20
evoluções fantasiosas, que exigem certas habilidades do portador.
 
Assim, quando não tem o que fazer (e de ordinário não tem)
 
descreve círculos e volteios que pretendem ser graciosos em sua
 
gratuidade.
 
A maçaranduba parece ter mau gênio? Parece, não; tem. Já
25
o demonstrou sempre que algum transeunte lhe despertou antipatia
 
ou lhe recordou episódios menos agradáveis. Ela não é de suportar
 
opiniões contrárias às suas. À falta de melhor argumento, na
 
polêmica, ergue-se inopinadamente, avança como um raio e procura
 
alcançar a parte doutrinária alheia nos pontos mais vulneráveis,
30
desde o lombo até os óculos. Sua agressividade impulsiva costuma
 
levá-la à polícia, quando não se recolhe inerte e indiferente a um
 
canto deixando que seu portador pague a nota dos estragos.
 
A maçaranduba é basicamente feita de madeira, às vezes se
 
beneficia de espécies vegetais não-compactas, o que lhe permite
35
estocar recursos ofensivos de grande temibilidade. Ao vê-la
 
aproximar-se, tome cuidado, pois sua ira não se satisfaz com
 
simples equimoses.
 
A impertinência da maçaranduba, para não dizer arrogância,
 
deve-se talvez ao fato de que em outras eras foi símbolo de poder
40
e, sob formas diversas, esteve ligada à realeza e a seu irmão gêmeo,
 
o absolutismo. Em mãos governamentais, era duplamente terrível:
 
pela contundência material e pela espiritual.
 
Diga-se em favor da maçaranduba, para que o retrato não
 
fique excessivamente carregado, que algumas espécies são
45
inclinadas à generosidade, e se comprazem em ajudar pessoas
 
encanecidas ou faltas de visão. Contudo, trata-se de exceção.
Carlos Drummond de Andrade. Folha da Tarde, 1.º/2/1973 (com adaptações).
Analisando as relações de referência e de morfossintaxe e o processo coesivo do texto LP-III, julgue os itens que se seguem.
O pronome “ela” (L.10) refere-se ao substantivo “independência” (L.7).
Questão 37

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Objeto da moda
 
 
Um objeto estranho ameaça incorporar-se à elegância
 
masculina. Seu aparecimento ocorreu na Itália, e sua presença já se
5
faz sentir em outras cidades européias. É a maçaranduba.
 
A primeira singularidade da maçaranduba consiste em que
 
ela absolutamente não participa da sorte das demais peças do
 
equipamento humano a que se junta. É que a maçaranduba fica
 
perto do vestuário, sem se ligar a ele. É ciosa de sua independência,
10
ao contrário dos outros elementos que colaboram na apresentação
 
do homem em público. Estes seguem conosco na condição de
 
servos dóceis, ao passo que ela mantém liberdade de movimentos.
 
E exige de nossa parte atenções especiais, sob pena de abandonar-
 
nos à primeira distração. Concorda em fazer-nos companhia, mas
15
sem o compromisso de aturar-nos o dia inteiro. Dir-se-ia, mesmo,
 
que nós é que a acompanhamos no seu ir e vir pretensiosa pelas
 
ruas.
 
A maçaranduba está sempre à mostra, ostensiva e vaidosa.
 
Sua tendência é para assumir a liderança do conjunto e exibir-se em
20
evoluções fantasiosas, que exigem certas habilidades do portador.
 
Assim, quando não tem o que fazer (e de ordinário não tem)
 
descreve círculos e volteios que pretendem ser graciosos em sua
 
gratuidade.
 
A maçaranduba parece ter mau gênio? Parece, não; tem. Já
25
o demonstrou sempre que algum transeunte lhe despertou antipatia
 
ou lhe recordou episódios menos agradáveis. Ela não é de suportar
 
opiniões contrárias às suas. À falta de melhor argumento, na
 
polêmica, ergue-se inopinadamente, avança como um raio e procura
 
alcançar a parte doutrinária alheia nos pontos mais vulneráveis,
30
desde o lombo até os óculos. Sua agressividade impulsiva costuma
 
levá-la à polícia, quando não se recolhe inerte e indiferente a um
 
canto deixando que seu portador pague a nota dos estragos.
 
A maçaranduba é basicamente feita de madeira, às vezes se
 
beneficia de espécies vegetais não-compactas, o que lhe permite
35
estocar recursos ofensivos de grande temibilidade. Ao vê-la
 
aproximar-se, tome cuidado, pois sua ira não se satisfaz com
 
simples equimoses.
 
A impertinência da maçaranduba, para não dizer arrogância,
 
deve-se talvez ao fato de que em outras eras foi símbolo de poder
40
e, sob formas diversas, esteve ligada à realeza e a seu irmão gêmeo,
 
o absolutismo. Em mãos governamentais, era duplamente terrível:
 
pela contundência material e pela espiritual.
 
Diga-se em favor da maçaranduba, para que o retrato não
 
fique excessivamente carregado, que algumas espécies são
45
inclinadas à generosidade, e se comprazem em ajudar pessoas
 
encanecidas ou faltas de visão. Contudo, trata-se de exceção.
Carlos Drummond de Andrade. Folha da Tarde, 1.º/2/1973 (com adaptações).
Analisando as relações de referência e de morfossintaxe e o processo coesivo do texto LP-III, julgue os itens que se seguem.
A expressão “servos dóceis” (L.9-10) refere-se a “outros elementos” (L.8).
Questão 38

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Objeto da moda
 
 
Um objeto estranho ameaça incorporar-se à elegância
 
masculina. Seu aparecimento ocorreu na Itália, e sua presença já se
5
faz sentir em outras cidades européias. É a maçaranduba.
 
A primeira singularidade da maçaranduba consiste em que
 
ela absolutamente não participa da sorte das demais peças do
 
equipamento humano a que se junta. É que a maçaranduba fica
 
perto do vestuário, sem se ligar a ele. É ciosa de sua independência,
10
ao contrário dos outros elementos que colaboram na apresentação
 
do homem em público. Estes seguem conosco na condição de
 
servos dóceis, ao passo que ela mantém liberdade de movimentos.
 
E exige de nossa parte atenções especiais, sob pena de abandonar-
 
nos à primeira distração. Concorda em fazer-nos companhia, mas
15
sem o compromisso de aturar-nos o dia inteiro. Dir-se-ia, mesmo,
 
que nós é que a acompanhamos no seu ir e vir pretensiosa pelas
 
ruas.
 
A maçaranduba está sempre à mostra, ostensiva e vaidosa.
 
Sua tendência é para assumir a liderança do conjunto e exibir-se em
20
evoluções fantasiosas, que exigem certas habilidades do portador.
 
Assim, quando não tem o que fazer (e de ordinário não tem)
 
descreve círculos e volteios que pretendem ser graciosos em sua
 
gratuidade.
 
A maçaranduba parece ter mau gênio? Parece, não; tem. Já
25
o demonstrou sempre que algum transeunte lhe despertou antipatia
 
ou lhe recordou episódios menos agradáveis. Ela não é de suportar
 
opiniões contrárias às suas. À falta de melhor argumento, na
 
polêmica, ergue-se inopinadamente, avança como um raio e procura
 
alcançar a parte doutrinária alheia nos pontos mais vulneráveis,
30
desde o lombo até os óculos. Sua agressividade impulsiva costuma
 
levá-la à polícia, quando não se recolhe inerte e indiferente a um
 
canto deixando que seu portador pague a nota dos estragos.
 
A maçaranduba é basicamente feita de madeira, às vezes se
 
beneficia de espécies vegetais não-compactas, o que lhe permite
35
estocar recursos ofensivos de grande temibilidade. Ao vê-la
 
aproximar-se, tome cuidado, pois sua ira não se satisfaz com
 
simples equimoses.
 
A impertinência da maçaranduba, para não dizer arrogância,
 
deve-se talvez ao fato de que em outras eras foi símbolo de poder
40
e, sob formas diversas, esteve ligada à realeza e a seu irmão gêmeo,
 
o absolutismo. Em mãos governamentais, era duplamente terrível:
 
pela contundência material e pela espiritual.
 
Diga-se em favor da maçaranduba, para que o retrato não
 
fique excessivamente carregado, que algumas espécies são
45
inclinadas à generosidade, e se comprazem em ajudar pessoas
 
encanecidas ou faltas de visão. Contudo, trata-se de exceção.
Carlos Drummond de Andrade. Folha da Tarde, 1.º/2/1973 (com adaptações).
Analisando as relações de referência e de morfossintaxe e o processo coesivo do texto LP-III, julgue os itens que se seguem.
O sujeito sintático e semântico de “abandonar-nos” (L.11) é a maçaranduba, palavra principal do texto.
Questão 39

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Objeto da moda
 
 
Um objeto estranho ameaça incorporar-se à elegância
 
masculina. Seu aparecimento ocorreu na Itália, e sua presença já se
5
faz sentir em outras cidades européias. É a maçaranduba.
 
A primeira singularidade da maçaranduba consiste em que
 
ela absolutamente não participa da sorte das demais peças do
 
equipamento humano a que se junta. É que a maçaranduba fica
 
perto do vestuário, sem se ligar a ele. É ciosa de sua independência,
10
ao contrário dos outros elementos que colaboram na apresentação
 
do homem em público. Estes seguem conosco na condição de
 
servos dóceis, ao passo que ela mantém liberdade de movimentos.
 
E exige de nossa parte atenções especiais, sob pena de abandonar-
 
nos à primeira distração. Concorda em fazer-nos companhia, mas
15
sem o compromisso de aturar-nos o dia inteiro. Dir-se-ia, mesmo,
 
que nós é que a acompanhamos no seu ir e vir pretensiosa pelas
 
ruas.
 
A maçaranduba está sempre à mostra, ostensiva e vaidosa.
 
Sua tendência é para assumir a liderança do conjunto e exibir-se em
20
evoluções fantasiosas, que exigem certas habilidades do portador.
 
Assim, quando não tem o que fazer (e de ordinário não tem)
 
descreve círculos e volteios que pretendem ser graciosos em sua
 
gratuidade.
 
A maçaranduba parece ter mau gênio? Parece, não; tem. Já
25
o demonstrou sempre que algum transeunte lhe despertou antipatia
 
ou lhe recordou episódios menos agradáveis. Ela não é de suportar
 
opiniões contrárias às suas. À falta de melhor argumento, na
 
polêmica, ergue-se inopinadamente, avança como um raio e procura
 
alcançar a parte doutrinária alheia nos pontos mais vulneráveis,
30
desde o lombo até os óculos. Sua agressividade impulsiva costuma
 
levá-la à polícia, quando não se recolhe inerte e indiferente a um
 
canto deixando que seu portador pague a nota dos estragos.
 
A maçaranduba é basicamente feita de madeira, às vezes se
 
beneficia de espécies vegetais não-compactas, o que lhe permite
35
estocar recursos ofensivos de grande temibilidade. Ao vê-la
 
aproximar-se, tome cuidado, pois sua ira não se satisfaz com
 
simples equimoses.
 
A impertinência da maçaranduba, para não dizer arrogância,
 
deve-se talvez ao fato de que em outras eras foi símbolo de poder
40
e, sob formas diversas, esteve ligada à realeza e a seu irmão gêmeo,
 
o absolutismo. Em mãos governamentais, era duplamente terrível:
 
pela contundência material e pela espiritual.
 
Diga-se em favor da maçaranduba, para que o retrato não
 
fique excessivamente carregado, que algumas espécies são
45
inclinadas à generosidade, e se comprazem em ajudar pessoas
 
encanecidas ou faltas de visão. Contudo, trata-se de exceção.
Carlos Drummond de Andrade. Folha da Tarde, 1.º/2/1973 (com adaptações).
Analisando as relações de referência e de morfossintaxe e o processo coesivo do texto LP-III, julgue os itens que se seguem.
A palavra enfática “mesmo” (L.13) está se referindo a “nós” (L.13).
Questão 40

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Objeto da moda
 
 
Um objeto estranho ameaça incorporar-se à elegância
 
masculina. Seu aparecimento ocorreu na Itália, e sua presença já se
5
faz sentir em outras cidades européias. É a maçaranduba.
 
A primeira singularidade da maçaranduba consiste em que
 
ela absolutamente não participa da sorte das demais peças do
 
equipamento humano a que se junta. É que a maçaranduba fica
 
perto do vestuário, sem se ligar a ele. É ciosa de sua independência,
10
ao contrário dos outros elementos que colaboram na apresentação
 
do homem em público. Estes seguem conosco na condição de
 
servos dóceis, ao passo que ela mantém liberdade de movimentos.
 
E exige de nossa parte atenções especiais, sob pena de abandonar-
 
nos à primeira distração. Concorda em fazer-nos companhia, mas
15
sem o compromisso de aturar-nos o dia inteiro. Dir-se-ia, mesmo,
 
que nós é que a acompanhamos no seu ir e vir pretensiosa pelas
 
ruas.
 
A maçaranduba está sempre à mostra, ostensiva e vaidosa.
 
Sua tendência é para assumir a liderança do conjunto e exibir-se em
20
evoluções fantasiosas, que exigem certas habilidades do portador.
 
Assim, quando não tem o que fazer (e de ordinário não tem)
 
descreve círculos e volteios que pretendem ser graciosos em sua
 
gratuidade.
 
A maçaranduba parece ter mau gênio? Parece, não; tem. Já
25
o demonstrou sempre que algum transeunte lhe despertou antipatia
 
ou lhe recordou episódios menos agradáveis. Ela não é de suportar
 
opiniões contrárias às suas. À falta de melhor argumento, na
 
polêmica, ergue-se inopinadamente, avança como um raio e procura
 
alcançar a parte doutrinária alheia nos pontos mais vulneráveis,
30
desde o lombo até os óculos. Sua agressividade impulsiva costuma
 
levá-la à polícia, quando não se recolhe inerte e indiferente a um
 
canto deixando que seu portador pague a nota dos estragos.
 
A maçaranduba é basicamente feita de madeira, às vezes se
 
beneficia de espécies vegetais não-compactas, o que lhe permite
35
estocar recursos ofensivos de grande temibilidade. Ao vê-la
 
aproximar-se, tome cuidado, pois sua ira não se satisfaz com
 
simples equimoses.
 
A impertinência da maçaranduba, para não dizer arrogância,
 
deve-se talvez ao fato de que em outras eras foi símbolo de poder
40
e, sob formas diversas, esteve ligada à realeza e a seu irmão gêmeo,
 
o absolutismo. Em mãos governamentais, era duplamente terrível:
 
pela contundência material e pela espiritual.
 
Diga-se em favor da maçaranduba, para que o retrato não
 
fique excessivamente carregado, que algumas espécies são
45
inclinadas à generosidade, e se comprazem em ajudar pessoas
 
encanecidas ou faltas de visão. Contudo, trata-se de exceção.
Carlos Drummond de Andrade. Folha da Tarde, 1.º/2/1973 (com adaptações).
Analisando as relações de referência e de morfossintaxe e o processo coesivo do texto LP-III, julgue os itens que se seguem.
O sujeito a que está subordinada a expressão verbal “tome cuidado” (L.33) é o leitor, a quem o autor se dirige.
Questão 41

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Considere que cada um dos itens a seguir constitua um parágrafo, identificado por uma expressão em negrito; esta especifica a sua função textual, com vistas à construção de um todo coerente que trata da atuação da imprensa na vida atual. Em cada item, julgue a correção gramatical e a correspondência entre a função do parágrafo e as idéias apresentadas nele.
Apresentação do assunto – A televisão, o rádio e principalmente a imprensa trazem inúmeros benefícios à vida moderna, desde a simples função de entretenimento até as notáveis colaborações de caráter educativo, político ou social.
Questão 42

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Considere que cada um dos itens a seguir constitua um parágrafo, identificado por uma expressão em negrito; esta especifica a sua função textual, com vistas à construção de um todo coerente que trata da atuação da imprensa na vida atual. Em cada item, julgue a correção gramatical e a correspondência entre a função do parágrafo e as idéias apresentadas nele.
Discussão inicial do assunto – O tempo destinado aos prazeres é uma das características da sociedade pós-industrial. Tudo deve ser feito para dar ao homem um pouco mais de tranqüilidade e evitar os desequilíbrios e as neuroses. E, nesse particular, a imprensa desempenha oportuno papel. Os momentos escolhidos, por exemplo, para a leitura constituem intervalos repousantes: o descanso após o almoço, antes de dormir; nos transportes, nas salas de espera, nos dias feriados, quando chove etc.
Questão 43

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Considere que cada um dos itens a seguir constitua um parágrafo, identificado por uma expressão em negrito; esta especifica a sua função textual, com vistas à construção de um todo coerente que trata da atuação da imprensa na vida atual. Em cada item, julgue a correção gramatical e a correspondência entre a função do parágrafo e as idéias apresentadas nele.
Argumentação favorável – Essa função educativa da imprensa é exercida de diversas maneiras: publicação de noticiário internacional, debates, editoriais, páginas especializadas e reportagens atinentes às múltiplas atividades humanas. Muitos têm sido os acontecimentos históricos em que a imprensa tem atuação destacada. Sua participação, inegável na orientação dos destinos de um país, tanto nas democracias quanto nos países de regimes fortes, a ação mais delicada e decisiva da imprensa consiste justamente na expressão e no controle da opinião pública.
Questão 44

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Considere que cada um dos itens a seguir constitua um parágrafo, identificado por uma expressão em negrito; esta especifica a sua função textual, com vistas à construção de um todo coerente que trata da atuação da imprensa na vida atual. Em cada item, julgue a correção gramatical e a correspondência entre a função do parágrafo e as idéias apresentadas nele.
Argumentação contrária – Pode a imprensa, eventualmente, prestar-se a distorções lamentáveis, o que só acontecem em decorrência da irresponsabilidade com que a dirija um determinado grupo humano. Todavia, não podemos negar a paixão do escândalo pela pura intenção de tiragem, o comércio das emoções e as concessões às vezes excessivas a determinada faixa de público medíocre que ela tende a aceitar tal como é. Felizmente, essa nem sempre é a regra.
Questão 45

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Considere que cada um dos itens a seguir constitua um parágrafo, identificado por uma expressão em negrito; esta especifica a sua função textual, com vistas à construção de um todo coerente que trata da atuação da imprensa na vida atual. Em cada item, julgue a correção gramatical e a correspondência entre a função do parágrafo e as idéias apresentadas nele.
Conclusão do texto – A imprensa, por excelência, nasceu livre e deve continuar livre. Cabendo-lhe orientar a opinião pública, será menos desastroso o risco de errar ou distorcer os fatos que a possibilidade de submeter-se a uma censura poderosa. Os órgãos de imprensa devem assumir o controle natural da responsabilidade sobre seus atos. Aliás, somente em função dessa responsabilidade se concebem os privilégios de que geralmente goza a imprensa em uma sociedade.

Itens adaptados de A imprensa na vida atual. In: Português básico I. Porto Alegre: EMMA, 1975, p. 32-4.
Questão 46

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Julgue os itens abaixo com relação à correta utilização dos princípios de pontuação, de concordância e de regência.
O próprio noticiário da imprensa, do rádio ou da televisão, além de repousantes, atuam quase como uma purgação das tensões inexprimidas. Denunciando o escândalo e acusando culpados, dão uma satisfação pelo menos imaginativa a nossa violência, as nossas reivindicações, a nossa necessidade de protestar.
Questão 47

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Julgue os itens abaixo com relação à correta utilização dos princípios de pontuação, de concordância e de regência.
Em uma época como a nossa, que as técnicas audiovisuais já não são simples elementos auxiliares, mas verdadeiros instrumentos em prol da educação, a televisão, particularmente, avulta de sua importância, não tanto pelo que já fez, senão pelo que ainda poderá fazer.
Questão 48

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Julgue os itens abaixo com relação à correta utilização dos princípios de pontuação, de concordância e de regência.
Há muito que os meios de informação se tornaram instrumentos de desenvolvimento econômico e social, difundindo conhecimentos e notícias, aceitando publicidade, para o desenvolvimento dos parques de manufatura e de revenda de produtos, e, ainda, contribuindo para melhorar as relações humanas.
Questão 49

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Julgue os itens abaixo com relação à correta utilização dos princípios de pontuação, de concordância e de regência.
Nos tempos modernos, firma-se cada vez mais a tese que a informação é um elemento essencial da educação, a ponto de se preconizarem, para os países em formação, pelo menos, um sistema integrado da educação com a informação.
Questão 50

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Julgue os itens abaixo com relação à correta utilização dos princípios de pontuação, de concordância e de regência.
Nesta época, em que as máquinas se impõem, às vezes despoticamente, estamos assistindo à corajosa tomada de posição dos noticiários da imprensa, do rádio ou da televisão, no sentido de alertar para os fatos de que o homem é o valor mais perene e de que não lhe pode ser suprimido o direito a uma sobrevivência condigna, nem mesmo em nome do progresso.

Idem, ibidem.
Questão 51

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O processo histórico que levou à substituição das
 
ferramentas pelas máquinas, da energia humana pela energia
 
motriz e do modo de produção doméstico pelo fabril constituiu
 
a Revolução Industrial. Revolucionário pelas transformações
5
que provocou na sociedade, o advento das máquinas, por
 
exemplo, criou a base de um desenvolvimento material até
 
então desconhecido pela humanidade. Impulsionadas por
 
pesquisas científicas, as indústrias passaram a pôr à disposição
 
da população uma infinidade de equipamentos que
10
modificaram drasticamente não só seu cotidiano, mas também
 
a maior parte das relações sociais.
José Jobson de A. Arruda e Nelson Piletti. Toda a história. São Paulo: Ática, 2001, p. 238 (com adaptações).
Com o auxílio das informações do texto acima, julgue os itens seguintes, concernentes ao significado histórico da Revolução Industrial.
O conceito de Revolução Industrial não se restringe aos aspectos econômicos ou meramente materiais; além desses, ele envolve um profundo e denso processo de transformações que atinge a sociedade nos mais diversos campos, fazendo desse acontecimento um dos marcos simbólicos essenciais da fundação do mundo contemporâneo.
Questão 52

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O processo histórico que levou à substituição das
 
ferramentas pelas máquinas, da energia humana pela energia
 
motriz e do modo de produção doméstico pelo fabril constituiu
 
a Revolução Industrial. Revolucionário pelas transformações
5
que provocou na sociedade, o advento das máquinas, por
 
exemplo, criou a base de um desenvolvimento material até
 
então desconhecido pela humanidade. Impulsionadas por
 
pesquisas científicas, as indústrias passaram a pôr à disposição
 
da população uma infinidade de equipamentos que
10
modificaram drasticamente não só seu cotidiano, mas também
 
a maior parte das relações sociais.
José Jobson de A. Arruda e Nelson Piletti. Toda a história. São Paulo: Ática, 2001, p. 238 (com adaptações).
Com o auxílio das informações do texto acima, julgue os itens seguintes, concernentes ao significado histórico da Revolução Industrial.
Ao situá-la no contexto de um “processo histórico”, o texto sugere que a Revolução Industrial, iniciada na Inglaterra em meados do século XVIII, é fruto das condições peculiares daquela região, sem maiores vinculações com o quadro de dinamismo econômico que, desde os séculos finais da Idade Média, caracterizava a Europa ocidental.
Questão 53

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O processo histórico que levou à substituição das
 
ferramentas pelas máquinas, da energia humana pela energia
 
motriz e do modo de produção doméstico pelo fabril constituiu
 
a Revolução Industrial. Revolucionário pelas transformações
5
que provocou na sociedade, o advento das máquinas, por
 
exemplo, criou a base de um desenvolvimento material até
 
então desconhecido pela humanidade. Impulsionadas por
 
pesquisas científicas, as indústrias passaram a pôr à disposição
 
da população uma infinidade de equipamentos que
10
modificaram drasticamente não só seu cotidiano, mas também
 
a maior parte das relações sociais.
José Jobson de A. Arruda e Nelson Piletti. Toda a história. São Paulo: Ática, 2001, p. 238 (com adaptações).
Com o auxílio das informações do texto acima, julgue os itens seguintes, concernentes ao significado histórico da Revolução Industrial.
Além de ter coroado, sob o ponto de vista econômico, a revolução política burguesa que a Inglaterra protagonizava desde o século XVII — Revolução Gloriosa —, a Revolução Industrial redimensionou e consolidou o sistema capitalista, assinalando a substituição da preponderância do capital industrial sobre o mercantil.
Questão 54

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O processo histórico que levou à substituição das
 
ferramentas pelas máquinas, da energia humana pela energia
 
motriz e do modo de produção doméstico pelo fabril constituiu
 
a Revolução Industrial. Revolucionário pelas transformações
5
que provocou na sociedade, o advento das máquinas, por
 
exemplo, criou a base de um desenvolvimento material até
 
então desconhecido pela humanidade. Impulsionadas por
 
pesquisas científicas, as indústrias passaram a pôr à disposição
 
da população uma infinidade de equipamentos que
10
modificaram drasticamente não só seu cotidiano, mas também
 
a maior parte das relações sociais.
José Jobson de A. Arruda e Nelson Piletti. Toda a história. São Paulo: Ática, 2001, p. 238 (com adaptações).
Com o auxílio das informações do texto acima, julgue os itens seguintes, concernentes ao significado histórico da Revolução Industrial.
Quando o texto fala em mudanças no cotidiano das pessoas e na “maior parte das relações sociais”, como conseqüências diretas da Revolução Industrial, refere-se, entre outros aspectos, à crescente afirmação de uma sociedade de classes sobre a velha ordem estamental do Antigo Regime e ao acentuado incremento da urbanização.
Questão 55

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O processo histórico que levou à substituição das
 
ferramentas pelas máquinas, da energia humana pela energia
 
motriz e do modo de produção doméstico pelo fabril constituiu
 
a Revolução Industrial. Revolucionário pelas transformações
5
que provocou na sociedade, o advento das máquinas, por
 
exemplo, criou a base de um desenvolvimento material até
 
então desconhecido pela humanidade. Impulsionadas por
 
pesquisas científicas, as indústrias passaram a pôr à disposição
 
da população uma infinidade de equipamentos que
10
modificaram drasticamente não só seu cotidiano, mas também
 
a maior parte das relações sociais.
José Jobson de A. Arruda e Nelson Piletti. Toda a história. São Paulo: Ática, 2001, p. 238 (com adaptações).
Com o auxílio das informações do texto acima, julgue os itens seguintes, concernentes ao significado histórico da Revolução Industrial.
Pode-se dizer que a Revolução Industrial foi um momento decisivo na trajetória do capitalismo, possível, entre outras razões, pela disponibilidade de capitais acumulados ao longo da Idade Moderna, graças à expansão mercantil e à exploração colonial. Seu desdobramento, a partir de meados do século XIX, levou à notável ampliação de mercados e de áreas para a atuação capitalista.
Questão 56

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
A Segunda Guerra Mundial, na verdade, trouxe
 
soluções, pelo menos por décadas. Os impressionantes
 
problemas sociais e econômicos do capitalismo na Era da
 
Catástrofe aparentemente sumiram. A economia do
5
mundo ocidental entrou em sua Era de Ouro; a
 
democracia política ocidental, apoiada por uma
 
extraordinária melhora na vida material, ficou estável.
 
Os velhos impérios coloniais desapareceram ou logo
 
estariam destinados a desaparecer. Como se pode ver
10
agora, até o cenário internacional se estabilizou, embora
 
não parecesse.
Eric Hobsbawm. Era dos extremos: o breve século XX – 1914/1991. São Paulo: Companhia das Letras, 1995, p. 59 (com adaptações).
A partir do texto, julgue os itens que se seguem, relativos à Segunda Guerra Mundial (1939 a 1945) e ao cenário internacional dela decorrente.
A “Era da Catástrofe”, com seus “impressionantes problemas sociais e econômicos”, na expressão do autor, remete ao caótico quadro da Grande Depressão dos anos 30 do século passado que, a partir da Crise de 1929, simbolizada pelo crack da Bolsa de Valores de Nova York, praticamente mergulhou todo o mundo capitalista em um quadro de perigosa instabilidade política e de convulsão social.
Questão 57

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
A Segunda Guerra Mundial, na verdade, trouxe
 
soluções, pelo menos por décadas. Os impressionantes
 
problemas sociais e econômicos do capitalismo na Era da
 
Catástrofe aparentemente sumiram. A economia do
5
mundo ocidental entrou em sua Era de Ouro; a
 
democracia política ocidental, apoiada por uma
 
extraordinária melhora na vida material, ficou estável.
 
Os velhos impérios coloniais desapareceram ou logo
 
estariam destinados a desaparecer. Como se pode ver
10
agora, até o cenário internacional se estabilizou, embora
 
não parecesse.
Eric Hobsbawm. Era dos extremos: o breve século XX – 1914/1991. São Paulo: Companhia das Letras, 1995, p. 59 (com adaptações).
A partir do texto, julgue os itens que se seguem, relativos à Segunda Guerra Mundial (1939 a 1945) e ao cenário internacional dela decorrente.
A “Era de Ouro” identifica-se, em linhas gerais, com as duas décadas que se seguiram ao grande conflito que opôs os Aliados ao Eixo nazifascista: época de prosperidade econômica, com sensível desenvolvimento científico e tecnológico, que, sob o ponto de vista político, assistiu ao avanço das democracias liberais.
Questão 58

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
A Segunda Guerra Mundial, na verdade, trouxe
 
soluções, pelo menos por décadas. Os impressionantes
 
problemas sociais e econômicos do capitalismo na Era da
 
Catástrofe aparentemente sumiram. A economia do
5
mundo ocidental entrou em sua Era de Ouro; a
 
democracia política ocidental, apoiada por uma
 
extraordinária melhora na vida material, ficou estável.
 
Os velhos impérios coloniais desapareceram ou logo
 
estariam destinados a desaparecer. Como se pode ver
10
agora, até o cenário internacional se estabilizou, embora
 
não parecesse.
Eric Hobsbawm. Era dos extremos: o breve século XX – 1914/1991. São Paulo: Companhia das Letras, 1995, p. 59 (com adaptações).
A partir do texto, julgue os itens que se seguem, relativos à Segunda Guerra Mundial (1939 a 1945) e ao cenário internacional dela decorrente.
O desaparecimento dos “velhos impérios coloniais”, um dos mais significativos elementos do novo cenário pós- Segunda Guerra, reflete, simultaneamente, o movimento afro-asiático pela independência e o declínio da Europa que, nesse momento, viu formalizada a perda de sua hegemonia mundial.
Questão 59

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
A Segunda Guerra Mundial, na verdade, trouxe
 
soluções, pelo menos por décadas. Os impressionantes
 
problemas sociais e econômicos do capitalismo na Era da
 
Catástrofe aparentemente sumiram. A economia do
5
mundo ocidental entrou em sua Era de Ouro; a
 
democracia política ocidental, apoiada por uma
 
extraordinária melhora na vida material, ficou estável.
 
Os velhos impérios coloniais desapareceram ou logo
 
estariam destinados a desaparecer. Como se pode ver
10
agora, até o cenário internacional se estabilizou, embora
 
não parecesse.
Eric Hobsbawm. Era dos extremos: o breve século XX – 1914/1991. São Paulo: Companhia das Letras, 1995, p. 59 (com adaptações).
A partir do texto, julgue os itens que se seguem, relativos à Segunda Guerra Mundial (1939 a 1945) e ao cenário internacional dela decorrente.
A idéia de um cenário internacional pós-1945 estável, “embora não parecesse”, como afirma Eric Hobsbawm no texto, não se sustenta historicamente — afinal, a Guerra Fria, pondo os Estados Unidos da América (EUA) e a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS) em permanente confronto ideológico e bélico, algumas vezes diretamente, inviabilizou a estabilidade pretendida pelo autor.
Questão 60

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
A Segunda Guerra Mundial, na verdade, trouxe
 
soluções, pelo menos por décadas. Os impressionantes
 
problemas sociais e econômicos do capitalismo na Era da
 
Catástrofe aparentemente sumiram. A economia do
5
mundo ocidental entrou em sua Era de Ouro; a
 
democracia política ocidental, apoiada por uma
 
extraordinária melhora na vida material, ficou estável.
 
Os velhos impérios coloniais desapareceram ou logo
 
estariam destinados a desaparecer. Como se pode ver
10
agora, até o cenário internacional se estabilizou, embora
 
não parecesse.
Eric Hobsbawm. Era dos extremos: o breve século XX – 1914/1991. São Paulo: Companhia das Letras, 1995, p. 59 (com adaptações).
A partir do texto, julgue os itens que se seguem, relativos à Segunda Guerra Mundial (1939 a 1945) e ao cenário internacional dela decorrente.
O quadro surgido no pós-1945 não cicatrizou as feridas abertas por duas guerras mundiais no espaço de uma geração, sobretudo pelo nível de competição que se estabeleceu entre as potências; daí, o fracasso da Liga das Nações, criada logo após a Segunda Guerra Mundial, em manter a paz e em promover o desenvolvimento dos países emergentes.
Questão 61

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Uma das diferenças mais impressionantes entre uma
 
cidade européia anterior a 1914 e um centro urbano atual é o
 
cheiro. Hoje, vivemos na era do petróleo; antes de 1914,
 
existiam os cavalos. Muitas vezes, exemplos simples como esse
5
constituem a maneira mais fácil de tornar evidente a passagem
 
do tempo. Cinco temas ajudam a ilustrar a natureza social do
 
século XX — a sociedade de massas, o impacto da ciência na
 
sociedade, a imprensa popular, a mudança na situação das
 
mulheres e o crescimento da economia internacional. O
10
crescimento da sociedade de massa foi sustentado pelo
 
desenvolvimento complexo e em escala internacional das
 
relações econômicas. A rápida expansão da economia, que
 
tornava a sociedade de massa possível, estava contribuindo para
 
o crescimento de uma economia crescentemente
15
internacionalizada e, ao mesmo tempo, sendo ajudada por ele.
J. M. Roberts. A sociedade de massa: introdução. In: História do século 20, vol. 1 (1900-1914). São Paulo: Abril Cultural, 1974, p. 1 (com adaptações).
Com o auxílio das informações do texto acima, julgue os itens a seguir, relativos à configuração da sociedade contemporânea ao longo do século XX.
Industrialização e urbanização são elementos convergentes e estruturadores do processo de modernização das sociedades, muito próprio do século XX, desde os seus primórdios; esse processo, todavia, não ocorreu de maneira homogênea nem repartiu os seus avanços uniformemente.
Questão 62

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Uma das diferenças mais impressionantes entre uma
 
cidade européia anterior a 1914 e um centro urbano atual é o
 
cheiro. Hoje, vivemos na era do petróleo; antes de 1914,
 
existiam os cavalos. Muitas vezes, exemplos simples como esse
5
constituem a maneira mais fácil de tornar evidente a passagem
 
do tempo. Cinco temas ajudam a ilustrar a natureza social do
 
século XX — a sociedade de massas, o impacto da ciência na
 
sociedade, a imprensa popular, a mudança na situação das
 
mulheres e o crescimento da economia internacional. O
10
crescimento da sociedade de massa foi sustentado pelo
 
desenvolvimento complexo e em escala internacional das
 
relações econômicas. A rápida expansão da economia, que
 
tornava a sociedade de massa possível, estava contribuindo para
 
o crescimento de uma economia crescentemente
15
internacionalizada e, ao mesmo tempo, sendo ajudada por ele.
J. M. Roberts. A sociedade de massa: introdução. In: História do século 20, vol. 1 (1900-1914). São Paulo: Abril Cultural, 1974, p. 1 (com adaptações).
Com o auxílio das informações do texto acima, julgue os itens a seguir, relativos à configuração da sociedade contemporânea ao longo do século XX.
A expansão de uma imprensa tipicamente popular já no início do século passado — momento em que já havia jornais de circulação diária com tiragem de centenas de milhares de exemplares — indicava, pelo menos nas sociedades mais industrializadas, os progressos obtidos na educação e na vitória contra o analfabetismo.
Questão 63

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Uma das diferenças mais impressionantes entre uma
 
cidade européia anterior a 1914 e um centro urbano atual é o
 
cheiro. Hoje, vivemos na era do petróleo; antes de 1914,
 
existiam os cavalos. Muitas vezes, exemplos simples como esse
5
constituem a maneira mais fácil de tornar evidente a passagem
 
do tempo. Cinco temas ajudam a ilustrar a natureza social do
 
século XX — a sociedade de massas, o impacto da ciência na
 
sociedade, a imprensa popular, a mudança na situação das
 
mulheres e o crescimento da economia internacional. O
10
crescimento da sociedade de massa foi sustentado pelo
 
desenvolvimento complexo e em escala internacional das
 
relações econômicas. A rápida expansão da economia, que
 
tornava a sociedade de massa possível, estava contribuindo para
 
o crescimento de uma economia crescentemente
15
internacionalizada e, ao mesmo tempo, sendo ajudada por ele.
J. M. Roberts. A sociedade de massa: introdução. In: História do século 20, vol. 1 (1900-1914). São Paulo: Abril Cultural, 1974, p. 1 (com adaptações).
Com o auxílio das informações do texto acima, julgue os itens a seguir, relativos à configuração da sociedade contemporânea ao longo do século XX.
Um dos marcos definidores do século XX foi a mudança verificada quanto ao papel feminino na sociedade; alterando seu comportamento e lutando por direitos — como os de votar, de ingressar no mundo profissional e de igualdade legal em face da propriedade e em relação à tutela dos filhos —, a mulher colecionou vitórias, embora em ritmo e intensidade que variam geográfica e cronologicamente.
Questão 64

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Uma das diferenças mais impressionantes entre uma
 
cidade européia anterior a 1914 e um centro urbano atual é o
 
cheiro. Hoje, vivemos na era do petróleo; antes de 1914,
 
existiam os cavalos. Muitas vezes, exemplos simples como esse
5
constituem a maneira mais fácil de tornar evidente a passagem
 
do tempo. Cinco temas ajudam a ilustrar a natureza social do
 
século XX — a sociedade de massas, o impacto da ciência na
 
sociedade, a imprensa popular, a mudança na situação das
 
mulheres e o crescimento da economia internacional. O
10
crescimento da sociedade de massa foi sustentado pelo
 
desenvolvimento complexo e em escala internacional das
 
relações econômicas. A rápida expansão da economia, que
 
tornava a sociedade de massa possível, estava contribuindo para
 
o crescimento de uma economia crescentemente
15
internacionalizada e, ao mesmo tempo, sendo ajudada por ele.
J. M. Roberts. A sociedade de massa: introdução. In: História do século 20, vol. 1 (1900-1914). São Paulo: Abril Cultural, 1974, p. 1 (com adaptações).
Com o auxílio das informações do texto acima, julgue os itens a seguir, relativos à configuração da sociedade contemporânea ao longo do século XX.
A aplicação do conhecimento científico, sob a forma de tecnologia, de importância vital para o sistema produtivo, está na base da internacionalização — hoje mundialização — da economia, estando presente em setores essenciais da vida contemporânea, como nos meios de transportes e de comunicações.
Questão 65

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Uma das diferenças mais impressionantes entre uma
 
cidade européia anterior a 1914 e um centro urbano atual é o
 
cheiro. Hoje, vivemos na era do petróleo; antes de 1914,
 
existiam os cavalos. Muitas vezes, exemplos simples como esse
5
constituem a maneira mais fácil de tornar evidente a passagem
 
do tempo. Cinco temas ajudam a ilustrar a natureza social do
 
século XX — a sociedade de massas, o impacto da ciência na
 
sociedade, a imprensa popular, a mudança na situação das
 
mulheres e o crescimento da economia internacional. O
10
crescimento da sociedade de massa foi sustentado pelo
 
desenvolvimento complexo e em escala internacional das
 
relações econômicas. A rápida expansão da economia, que
 
tornava a sociedade de massa possível, estava contribuindo para
 
o crescimento de uma economia crescentemente
15
internacionalizada e, ao mesmo tempo, sendo ajudada por ele.
J. M. Roberts. A sociedade de massa: introdução. In: História do século 20, vol. 1 (1900-1914). São Paulo: Abril Cultural, 1974, p. 1 (com adaptações).
Com o auxílio das informações do texto acima, julgue os itens a seguir, relativos à configuração da sociedade contemporânea ao longo do século XX.
À medida que o século XX avançou, também se transformaram os meios de produção e de disseminação cultural, nas suas mais diversas manifestações, em sintonia com uma sociedade crescentemente massificada: do pós-Segunda Guerra aos dias de hoje, com amparo na televisão, no cinema e na rede mundial de computadores, refinou-se o pensamento filosófico, cristalizaram-se estilos e escolas nas artes plásticas e na literatura, e o entretenimento cedeu lugar à reflexão.
Questão 66

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Em geral, percebe-se que a Primeira República
 
(1889-1930) configura um período de transição, que se
 
teria iniciado um pouco antes, ainda no Império. Tal
 
mudança, ao acarretar a formação de um mercado interno
5
e a ampliação da divisão social do trabalho, implicaria o
 
começo do rompimento com uma economia que se
 
concentrava na agroexportação. Apesar de a Primeira
 
República poder ser encarada como um período de
 
transição, algumas observações devem ser agregadas: no
10
período escravista, a plantation não conformava uma
 
unidade auto-suficiente — ela recorria ao mercado para se
 
reproduzir, e o fazia em um mercado interno pré-
 
capitalista; aquela transição não representou a
 
consolidação, na agroexportação, de relações capitalistas
15
de produção, mas sim a constituição de diferentes tipos de
 
relações de produção não-capitalistas — colonato,
 
parceria, moradores etc. —, fato esse que redefine o ritmo
 
da transição para uma economia capitalista.
João Luís Fragoso. O império escravista e a república dos plantadores. In: Maria Yedda Linhares (org.). História geral do Brasil. Rio de Janeiro: Campus, 1996, p. 191 (com adaptações).
Com o auxílio do texto acima, e tendo em vista as transformações ocorridas no Brasil na passagem do século XIX ao XX, julgue os itens subseqüentes.
Na análise apresentada no texto, acerca do caráter de transição socioeconômica que a República Velha teria representado, nada há que indique, ou pelo menos sugira, o papel representado pela abolição do trabalho escravo, ocorrida no ocaso do Império, para que as transformações se efetivassem.
Questão 67

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Em geral, percebe-se que a Primeira República
 
(1889-1930) configura um período de transição, que se
 
teria iniciado um pouco antes, ainda no Império. Tal
 
mudança, ao acarretar a formação de um mercado interno
5
e a ampliação da divisão social do trabalho, implicaria o
 
começo do rompimento com uma economia que se
 
concentrava na agroexportação. Apesar de a Primeira
 
República poder ser encarada como um período de
 
transição, algumas observações devem ser agregadas: no
10
período escravista, a plantation não conformava uma
 
unidade auto-suficiente — ela recorria ao mercado para se
 
reproduzir, e o fazia em um mercado interno pré-
 
capitalista; aquela transição não representou a
 
consolidação, na agroexportação, de relações capitalistas
15
de produção, mas sim a constituição de diferentes tipos de
 
relações de produção não-capitalistas — colonato,
 
parceria, moradores etc. —, fato esse que redefine o ritmo
 
da transição para uma economia capitalista.
João Luís Fragoso. O império escravista e a república dos plantadores. In: Maria Yedda Linhares (org.). História geral do Brasil. Rio de Janeiro: Campus, 1996, p. 191 (com adaptações).
Com o auxílio do texto acima, e tendo em vista as transformações ocorridas no Brasil na passagem do século XIX ao XX, julgue os itens subseqüentes.
Infere-se do texto que a monocultura para exportação, assentada no latifúndio e na escravidão, que configura, em linhas gerais, a plantation, não apenas foi a única atividade econômica do período colonial, como assim prevaleceu após a independência e chegou ao século XX.
Questão 68

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Em geral, percebe-se que a Primeira República
 
(1889-1930) configura um período de transição, que se
 
teria iniciado um pouco antes, ainda no Império. Tal
 
mudança, ao acarretar a formação de um mercado interno
5
e a ampliação da divisão social do trabalho, implicaria o
 
começo do rompimento com uma economia que se
 
concentrava na agroexportação. Apesar de a Primeira
 
República poder ser encarada como um período de
 
transição, algumas observações devem ser agregadas: no
10
período escravista, a plantation não conformava uma
 
unidade auto-suficiente — ela recorria ao mercado para se
 
reproduzir, e o fazia em um mercado interno pré-
 
capitalista; aquela transição não representou a
 
consolidação, na agroexportação, de relações capitalistas
15
de produção, mas sim a constituição de diferentes tipos de
 
relações de produção não-capitalistas — colonato,
 
parceria, moradores etc. —, fato esse que redefine o ritmo
 
da transição para uma economia capitalista.
João Luís Fragoso. O império escravista e a república dos plantadores. In: Maria Yedda Linhares (org.). História geral do Brasil. Rio de Janeiro: Campus, 1996, p. 191 (com adaptações).
Com o auxílio do texto acima, e tendo em vista as transformações ocorridas no Brasil na passagem do século XIX ao XX, julgue os itens subseqüentes.
A exemplo do ocorrido em praticamente toda a América Latina, a transição das bases econômicas do Brasil, referida no texto, deu-se com a inequívoca introdução do capitalismo no campo, a começar pela transformação do trabalhador da plantation em mão-de-obra assalariada.
Questão 69

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Em geral, percebe-se que a Primeira República
 
(1889-1930) configura um período de transição, que se
 
teria iniciado um pouco antes, ainda no Império. Tal
 
mudança, ao acarretar a formação de um mercado interno
5
e a ampliação da divisão social do trabalho, implicaria o
 
começo do rompimento com uma economia que se
 
concentrava na agroexportação. Apesar de a Primeira
 
República poder ser encarada como um período de
 
transição, algumas observações devem ser agregadas: no
10
período escravista, a plantation não conformava uma
 
unidade auto-suficiente — ela recorria ao mercado para se
 
reproduzir, e o fazia em um mercado interno pré-
 
capitalista; aquela transição não representou a
 
consolidação, na agroexportação, de relações capitalistas
15
de produção, mas sim a constituição de diferentes tipos de
 
relações de produção não-capitalistas — colonato,
 
parceria, moradores etc. —, fato esse que redefine o ritmo
 
da transição para uma economia capitalista.
João Luís Fragoso. O império escravista e a república dos plantadores. In: Maria Yedda Linhares (org.). História geral do Brasil. Rio de Janeiro: Campus, 1996, p. 191 (com adaptações).
Com o auxílio do texto acima, e tendo em vista as transformações ocorridas no Brasil na passagem do século XIX ao XX, julgue os itens subseqüentes.
Sob o prisma político, as transformações econômicas verificadas na República Velha, que incluíam os primórdios de uma industrialização, corresponderam ao alijamento das velhas oligarquias agrárias e à sua substituição pelos ascendentes segmentos burgueses.
Questão 70

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Em geral, percebe-se que a Primeira República
 
(1889-1930) configura um período de transição, que se
 
teria iniciado um pouco antes, ainda no Império. Tal
 
mudança, ao acarretar a formação de um mercado interno
5
e a ampliação da divisão social do trabalho, implicaria o
 
começo do rompimento com uma economia que se
 
concentrava na agroexportação. Apesar de a Primeira
 
República poder ser encarada como um período de
 
transição, algumas observações devem ser agregadas: no
10
período escravista, a plantation não conformava uma
 
unidade auto-suficiente — ela recorria ao mercado para se
 
reproduzir, e o fazia em um mercado interno pré-
 
capitalista; aquela transição não representou a
 
consolidação, na agroexportação, de relações capitalistas
15
de produção, mas sim a constituição de diferentes tipos de
 
relações de produção não-capitalistas — colonato,
 
parceria, moradores etc. —, fato esse que redefine o ritmo
 
da transição para uma economia capitalista.
João Luís Fragoso. O império escravista e a república dos plantadores. In: Maria Yedda Linhares (org.). História geral do Brasil. Rio de Janeiro: Campus, 1996, p. 191 (com adaptações).
Com o auxílio do texto acima, e tendo em vista as transformações ocorridas no Brasil na passagem do século XIX ao XX, julgue os itens subseqüentes.
A expansão da agricultura mercantil, associada à urbanização e à industrialização, processo visível nos últimos anos do século XIX e aprofundado ao longo do século XX, ajudou a promover o esvaziamento do Nordeste e a transformação do Sudeste no principal eixo econômico do país.
Questão 71

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O ano de 1930 foi um divisor de águas na história do
 
país. A partir dessa data, houve aceleração das mudanças
 
sociais e políticas, a história começou a andar mais rápido. No
 
campo da cidadania, a mudança mais espetacular verificou-se
5
no avanço dos direitos sociais. Uma das primeiras medidas do
 
governo revolucionário foi criar um Ministério do Trabalho,
 
Indústria e Comércio. A seguir, veio vasta legislação trabalhista
 
e previdenciária, completada em 1943 com a Consolidação das
 
Leis do Trabalho. Os direitos políticos tiveram evolução mais
10
complexa. O país entrou em fase de instabilidade, alternando
 
ditaduras e regimes democráticos. A fase propriamente
 
revolucionária durou até 1934. Em 1937, o golpe de Vargas
 
inaugurou um período ditatorial que durou até 1945. Esse ano
 
deu início à primeira experiência que se poderia chamar, com
15
alguma propriedade, de democrática em toda a história do país.
 
A experiência terminou em 1964.16
José Murilo de Carvalho. Cidadania no Brasil – o longo caminho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001, p. 87-8 (com adaptações).
A partir do texto CG-I, julgue os itens abaixo, relativos à Revolução de 1930 e à Era Vargas.
O fato de 1930 ter significado uma ruptura na história brasileira, ocasião em que as velhas e ultrapassadas estruturas da carcomida República Velha foram radicalmente substituídas, justifica a aceitação consensual do termo revolução para definir os acontecimentos que levaram Vargas ao poder.
Questão 72

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O ano de 1930 foi um divisor de águas na história do
 
país. A partir dessa data, houve aceleração das mudanças
 
sociais e políticas, a história começou a andar mais rápido. No
 
campo da cidadania, a mudança mais espetacular verificou-se
5
no avanço dos direitos sociais. Uma das primeiras medidas do
 
governo revolucionário foi criar um Ministério do Trabalho,
 
Indústria e Comércio. A seguir, veio vasta legislação trabalhista
 
e previdenciária, completada em 1943 com a Consolidação das
 
Leis do Trabalho. Os direitos políticos tiveram evolução mais
10
complexa. O país entrou em fase de instabilidade, alternando
 
ditaduras e regimes democráticos. A fase propriamente
 
revolucionária durou até 1934. Em 1937, o golpe de Vargas
 
inaugurou um período ditatorial que durou até 1945. Esse ano
 
deu início à primeira experiência que se poderia chamar, com
15
alguma propriedade, de democrática em toda a história do país.
 
A experiência terminou em 1964.16
José Murilo de Carvalho. Cidadania no Brasil – o longo caminho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001, p. 87-8 (com adaptações).
A partir do texto CG-I, julgue os itens abaixo, relativos à Revolução de 1930 e à Era Vargas.
Em 1930, ocorreu algo atípico na história política do Brasil, bem diferente de episódios anteriores, como a independência e a implantação do regime republicano: não houve espaço para a tradicional conciliação pelo alto, provavelmente por influência do radical e ideologicamente bem estruturado movimento tenentista.
Questão 73

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O ano de 1930 foi um divisor de águas na história do
 
país. A partir dessa data, houve aceleração das mudanças
 
sociais e políticas, a história começou a andar mais rápido. No
 
campo da cidadania, a mudança mais espetacular verificou-se
5
no avanço dos direitos sociais. Uma das primeiras medidas do
 
governo revolucionário foi criar um Ministério do Trabalho,
 
Indústria e Comércio. A seguir, veio vasta legislação trabalhista
 
e previdenciária, completada em 1943 com a Consolidação das
 
Leis do Trabalho. Os direitos políticos tiveram evolução mais
10
complexa. O país entrou em fase de instabilidade, alternando
 
ditaduras e regimes democráticos. A fase propriamente
 
revolucionária durou até 1934. Em 1937, o golpe de Vargas
 
inaugurou um período ditatorial que durou até 1945. Esse ano
 
deu início à primeira experiência que se poderia chamar, com
15
alguma propriedade, de democrática em toda a história do país.
 
A experiência terminou em 1964.16
José Murilo de Carvalho. Cidadania no Brasil – o longo caminho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001, p. 87-8 (com adaptações).
A partir do texto CG-I, julgue os itens abaixo, relativos à Revolução de 1930 e à Era Vargas.
Denunciando um atraso que devia ser superado e reconhecendo as questões trabalhistas, Vargas recolheu as demandas operárias surgidas ainda na República Velha, transformando-as de conquistas em concessões, de modo a acoplar à lógica material dos benefícios da legislação social uma poderosa lógica simbólica, o que marcou seu relacionamento com os sindicatos e com os trabalhadores.
Questão 74

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O ano de 1930 foi um divisor de águas na história do
 
país. A partir dessa data, houve aceleração das mudanças
 
sociais e políticas, a história começou a andar mais rápido. No
 
campo da cidadania, a mudança mais espetacular verificou-se
5
no avanço dos direitos sociais. Uma das primeiras medidas do
 
governo revolucionário foi criar um Ministério do Trabalho,
 
Indústria e Comércio. A seguir, veio vasta legislação trabalhista
 
e previdenciária, completada em 1943 com a Consolidação das
 
Leis do Trabalho. Os direitos políticos tiveram evolução mais
10
complexa. O país entrou em fase de instabilidade, alternando
 
ditaduras e regimes democráticos. A fase propriamente
 
revolucionária durou até 1934. Em 1937, o golpe de Vargas
 
inaugurou um período ditatorial que durou até 1945. Esse ano
 
deu início à primeira experiência que se poderia chamar, com
15
alguma propriedade, de democrática em toda a história do país.
 
A experiência terminou em 1964.16
José Murilo de Carvalho. Cidadania no Brasil – o longo caminho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001, p. 87-8 (com adaptações).
A partir do texto CG-I, julgue os itens abaixo, relativos à Revolução de 1930 e à Era Vargas.
O caráter provisório da primeira fase da Era Vargas, que parecia prolongar-se indefinidamente, teve na Revolução Constitucionalista de 1932, irrompida em São Paulo, um fator determinante para abreviar seu fim; militarmente vitorioso, Getúlio viu-se politicamente instado a convocar eleições para a Assembléia Constituinte.
Questão 75

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O ano de 1930 foi um divisor de águas na história do
 
país. A partir dessa data, houve aceleração das mudanças
 
sociais e políticas, a história começou a andar mais rápido. No
 
campo da cidadania, a mudança mais espetacular verificou-se
5
no avanço dos direitos sociais. Uma das primeiras medidas do
 
governo revolucionário foi criar um Ministério do Trabalho,
 
Indústria e Comércio. A seguir, veio vasta legislação trabalhista
 
e previdenciária, completada em 1943 com a Consolidação das
 
Leis do Trabalho. Os direitos políticos tiveram evolução mais
10
complexa. O país entrou em fase de instabilidade, alternando
 
ditaduras e regimes democráticos. A fase propriamente
 
revolucionária durou até 1934. Em 1937, o golpe de Vargas
 
inaugurou um período ditatorial que durou até 1945. Esse ano
 
deu início à primeira experiência que se poderia chamar, com
15
alguma propriedade, de democrática em toda a história do país.
 
A experiência terminou em 1964.16
José Murilo de Carvalho. Cidadania no Brasil – o longo caminho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001, p. 87-8 (com adaptações).
A partir do texto CG-I, julgue os itens abaixo, relativos à Revolução de 1930 e à Era Vargas.
O clima de confronto ideológico típico dos anos 30, que teve na Guerra Civil Espanhola um de seus momentos de maior dramaticidade e envolvimento popular, também se manifestou intensamente no Brasil: Aliança Renovadora Nacional e Ação Integralista Brasileira foram, respectivamente, os canais das correntes de direita e de esquerda que, por algum tempo, incendiaram a política brasileira.
Questão 76

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O ano de 1930 foi um divisor de águas na história do
 
país. A partir dessa data, houve aceleração das mudanças
 
sociais e políticas, a história começou a andar mais rápido. No
 
campo da cidadania, a mudança mais espetacular verificou-se
5
no avanço dos direitos sociais. Uma das primeiras medidas do
 
governo revolucionário foi criar um Ministério do Trabalho,
 
Indústria e Comércio. A seguir, veio vasta legislação trabalhista
 
e previdenciária, completada em 1943 com a Consolidação das
 
Leis do Trabalho. Os direitos políticos tiveram evolução mais
10
complexa. O país entrou em fase de instabilidade, alternando
 
ditaduras e regimes democráticos. A fase propriamente
 
revolucionária durou até 1934. Em 1937, o golpe de Vargas
 
inaugurou um período ditatorial que durou até 1945. Esse ano
 
deu início à primeira experiência que se poderia chamar, com
15
alguma propriedade, de democrática em toda a história do país.
 
A experiência terminou em 1964.16
José Murilo de Carvalho. Cidadania no Brasil – o longo caminho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001, p. 87-8 (com adaptações).
Relativamente à evolução política brasileira, da Era Vargas ao golpe de 1964, tal como citada no texto CG-I, julgue os itens que se seguem.
Ao contrário do ocorrido quando da queda do Império e, ulteriormente, por ocasião do golpe de Estado que derrubou João Goulart, na implantação (1937) e na derrubada (1945) da ditadura getulista — Estado Novo —, foi bastante discreta a participação militar, sem maiores responsabilidades no desfecho dos acontecimentos.
Questão 77

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O ano de 1930 foi um divisor de águas na história do
 
país. A partir dessa data, houve aceleração das mudanças
 
sociais e políticas, a história começou a andar mais rápido. No
 
campo da cidadania, a mudança mais espetacular verificou-se
5
no avanço dos direitos sociais. Uma das primeiras medidas do
 
governo revolucionário foi criar um Ministério do Trabalho,
 
Indústria e Comércio. A seguir, veio vasta legislação trabalhista
 
e previdenciária, completada em 1943 com a Consolidação das
 
Leis do Trabalho. Os direitos políticos tiveram evolução mais
10
complexa. O país entrou em fase de instabilidade, alternando
 
ditaduras e regimes democráticos. A fase propriamente
 
revolucionária durou até 1934. Em 1937, o golpe de Vargas
 
inaugurou um período ditatorial que durou até 1945. Esse ano
 
deu início à primeira experiência que se poderia chamar, com
15
alguma propriedade, de democrática em toda a história do país.
 
A experiência terminou em 1964.16
José Murilo de Carvalho. Cidadania no Brasil – o longo caminho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001, p. 87-8 (com adaptações).
Relativamente à evolução política brasileira, da Era Vargas ao golpe de 1964, tal como citada no texto CG-I, julgue os itens que se seguem.
A ressalva que faz o autor — “alguma propriedade” (L.15) — em torno da democracia liberal vigente entre 1946 e 1964, pode ser justificada, entre outros motivos, pela cassação do registro do Partido Comunista e a conseqüente perda do mandato de seus parlamentares, além do elevado índice de analfabetos, razão pela qual estavam impedidos de se alistar como eleitores.
Questão 78

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O ano de 1930 foi um divisor de águas na história do
 
país. A partir dessa data, houve aceleração das mudanças
 
sociais e políticas, a história começou a andar mais rápido. No
 
campo da cidadania, a mudança mais espetacular verificou-se
5
no avanço dos direitos sociais. Uma das primeiras medidas do
 
governo revolucionário foi criar um Ministério do Trabalho,
 
Indústria e Comércio. A seguir, veio vasta legislação trabalhista
 
e previdenciária, completada em 1943 com a Consolidação das
 
Leis do Trabalho. Os direitos políticos tiveram evolução mais
10
complexa. O país entrou em fase de instabilidade, alternando
 
ditaduras e regimes democráticos. A fase propriamente
 
revolucionária durou até 1934. Em 1937, o golpe de Vargas
 
inaugurou um período ditatorial que durou até 1945. Esse ano
 
deu início à primeira experiência que se poderia chamar, com
15
alguma propriedade, de democrática em toda a história do país.
 
A experiência terminou em 1964.16
José Murilo de Carvalho. Cidadania no Brasil – o longo caminho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001, p. 87-8 (com adaptações).
Relativamente à evolução política brasileira, da Era Vargas ao golpe de 1964, tal como citada no texto CG-I, julgue os itens que se seguem.
No campo da política externa, o governo Gaspar Dutra (1946-1951) levou o Brasil a incorporar o espírito da Guerra Fria, inclusive rompendo relações diplomáticas com a URSS, atrelando-se aos ditames de Washington; tal como a Argentina o faria ao final do século XX, o Brasil de Dutra aspirava ter relações privilegiadas com os EUA.
Questão 79

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O ano de 1930 foi um divisor de águas na história do
 
país. A partir dessa data, houve aceleração das mudanças
 
sociais e políticas, a história começou a andar mais rápido. No
 
campo da cidadania, a mudança mais espetacular verificou-se
5
no avanço dos direitos sociais. Uma das primeiras medidas do
 
governo revolucionário foi criar um Ministério do Trabalho,
 
Indústria e Comércio. A seguir, veio vasta legislação trabalhista
 
e previdenciária, completada em 1943 com a Consolidação das
 
Leis do Trabalho. Os direitos políticos tiveram evolução mais
10
complexa. O país entrou em fase de instabilidade, alternando
 
ditaduras e regimes democráticos. A fase propriamente
 
revolucionária durou até 1934. Em 1937, o golpe de Vargas
 
inaugurou um período ditatorial que durou até 1945. Esse ano
 
deu início à primeira experiência que se poderia chamar, com
15
alguma propriedade, de democrática em toda a história do país.
 
A experiência terminou em 1964.16
José Murilo de Carvalho. Cidadania no Brasil – o longo caminho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001, p. 87-8 (com adaptações).
Relativamente à evolução política brasileira, da Era Vargas ao golpe de 1964, tal como citada no texto CG-I, julgue os itens que se seguem.
Com Juscelino Kubitschek na presidência da República (1956-1961), o planejamento adquiriu dimensão desconhecida no país, consubstanciado no Plano de Metas — politicamente demarcado pelo famoso slogan “50 anos em 5” —, que privilegiava projetos macroeconômicos e o controle da inflação em vez de objetivos desenvolvimentistas concretos, expressos em resultados mensuráveis.
Questão 80

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O ano de 1930 foi um divisor de águas na história do
 
país. A partir dessa data, houve aceleração das mudanças
 
sociais e políticas, a história começou a andar mais rápido. No
 
campo da cidadania, a mudança mais espetacular verificou-se
5
no avanço dos direitos sociais. Uma das primeiras medidas do
 
governo revolucionário foi criar um Ministério do Trabalho,
 
Indústria e Comércio. A seguir, veio vasta legislação trabalhista
 
e previdenciária, completada em 1943 com a Consolidação das
 
Leis do Trabalho. Os direitos políticos tiveram evolução mais
10
complexa. O país entrou em fase de instabilidade, alternando
 
ditaduras e regimes democráticos. A fase propriamente
 
revolucionária durou até 1934. Em 1937, o golpe de Vargas
 
inaugurou um período ditatorial que durou até 1945. Esse ano
 
deu início à primeira experiência que se poderia chamar, com
15
alguma propriedade, de democrática em toda a história do país.
 
A experiência terminou em 1964.16
José Murilo de Carvalho. Cidadania no Brasil – o longo caminho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001, p. 87-8 (com adaptações).
Relativamente à evolução política brasileira, da Era Vargas ao golpe de 1964, tal como citada no texto CG-I, julgue os itens que se seguem.
A curta passagem de Jânio Quadros pela presidência (1961), à qual chegou com expressivo apoio popular e plenamente identificado com o seu partido, a UDN, pode ser classificada como o exercício de uma política bifronte: internamente, medidas progressistas, merecedoras do apoio da esquerda; externamente, um retrocesso aos tempos de Dutra, implementando uma política externa conservadora e subserviente aos EUA.
Questão 81

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O embate não dizia respeito à defesa do que já
 
ficara sepultado no passado — a economia exportadora e
 
a sociedade agrária —, não colocava em tela de juízo a
 
necessidade ou não da industrialização. O que estava em
5
jogo, isto sim, eram dois estilos de desenvolvimento
 
econômico, dois modelos de sociedade urbana de massas:
 
de um lado, um capitalismo selvagem e plutocrático; de
 
outro, um capitalismo domesticado pelos valores
 
modernos da igualdade social e da participação
10
democrática dos cidadãos, cidadãos conscientes de seus
 
direitos, educados, verdadeiramente autônomos,
 
politicamente ativos. Portanto, 1964 representou a
 
imposição, pela força, de uma das formas possíveis de
 
sociedade capitalista no Brasil.
João Manuel Cardoso de Mello e Fernando A. Novais. Capitalismo tardio e sociedade moderna. In: Lilia M. Schwarcz. História da vida privada no Brasil (4). São Paulo: Companhia das Letras, 1998, p. 617-8 (com adaptações).
Com o auxílio do texto CG-II, julgue os itens seguintes, relativos ao quadro brasileiro preexistente à ruptura institucional de 1964 e ao significado histórico desse golpe.
Os dois estilos e modelos que estiveram no cerne do debate político nacional nos primeiros anos da década de 60, aos quais se referem os autores do texto, tiveram, nas eleições de 1962, boa oportunidade de serem postos a prova, com relação ao apoio popular, pois a expressiva votação do reformista PTB levou, na prática, à aproximação entre as duas maiores agremiações conservadoras, PSD e UDN.
Questão 82

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O embate não dizia respeito à defesa do que já
 
ficara sepultado no passado — a economia exportadora e
 
a sociedade agrária —, não colocava em tela de juízo a
 
necessidade ou não da industrialização. O que estava em
5
jogo, isto sim, eram dois estilos de desenvolvimento
 
econômico, dois modelos de sociedade urbana de massas:
 
de um lado, um capitalismo selvagem e plutocrático; de
 
outro, um capitalismo domesticado pelos valores
 
modernos da igualdade social e da participação
10
democrática dos cidadãos, cidadãos conscientes de seus
 
direitos, educados, verdadeiramente autônomos,
 
politicamente ativos. Portanto, 1964 representou a
 
imposição, pela força, de uma das formas possíveis de
 
sociedade capitalista no Brasil.
João Manuel Cardoso de Mello e Fernando A. Novais. Capitalismo tardio e sociedade moderna. In: Lilia M. Schwarcz. História da vida privada no Brasil (4). São Paulo: Companhia das Letras, 1998, p. 617-8 (com adaptações).
Com o auxílio do texto CG-II, julgue os itens seguintes, relativos ao quadro brasileiro preexistente à ruptura institucional de 1964 e ao significado histórico desse golpe.
O fim da aliança entre PSD e PTB no jogo parlamentar, evidente após as eleições de 1962, apontava para o esgotamento da experiência iniciada em 1945: o acúmulo de contradições, as profundas mudanças na fisionomia da sociedade, o processo de modernização do país e o grave contexto internacional mostravam ter chegado o momento do confronto, que se deu em 1964.
Questão 83

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O embate não dizia respeito à defesa do que já
 
ficara sepultado no passado — a economia exportadora e
 
a sociedade agrária —, não colocava em tela de juízo a
 
necessidade ou não da industrialização. O que estava em
5
jogo, isto sim, eram dois estilos de desenvolvimento
 
econômico, dois modelos de sociedade urbana de massas:
 
de um lado, um capitalismo selvagem e plutocrático; de
 
outro, um capitalismo domesticado pelos valores
 
modernos da igualdade social e da participação
10
democrática dos cidadãos, cidadãos conscientes de seus
 
direitos, educados, verdadeiramente autônomos,
 
politicamente ativos. Portanto, 1964 representou a
 
imposição, pela força, de uma das formas possíveis de
 
sociedade capitalista no Brasil.
João Manuel Cardoso de Mello e Fernando A. Novais. Capitalismo tardio e sociedade moderna. In: Lilia M. Schwarcz. História da vida privada no Brasil (4). São Paulo: Companhia das Letras, 1998, p. 617-8 (com adaptações).
Com o auxílio do texto CG-II, julgue os itens seguintes, relativos ao quadro brasileiro preexistente à ruptura institucional de 1964 e ao significado histórico desse golpe.
Infere-se do texto que seus autores defendem a tese da inevitabilidade do golpe tal como ele ocorreu, ante a inexistência de condições objetivas para o êxito do projeto reformista que o presidente João Goulart procurava liderar, fazendo das Reformas de Base a grande bandeira de seu governo.
Questão 84

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O embate não dizia respeito à defesa do que já
 
ficara sepultado no passado — a economia exportadora e
 
a sociedade agrária —, não colocava em tela de juízo a
 
necessidade ou não da industrialização. O que estava em
5
jogo, isto sim, eram dois estilos de desenvolvimento
 
econômico, dois modelos de sociedade urbana de massas:
 
de um lado, um capitalismo selvagem e plutocrático; de
 
outro, um capitalismo domesticado pelos valores
 
modernos da igualdade social e da participação
10
democrática dos cidadãos, cidadãos conscientes de seus
 
direitos, educados, verdadeiramente autônomos,
 
politicamente ativos. Portanto, 1964 representou a
 
imposição, pela força, de uma das formas possíveis de
 
sociedade capitalista no Brasil.
João Manuel Cardoso de Mello e Fernando A. Novais. Capitalismo tardio e sociedade moderna. In: Lilia M. Schwarcz. História da vida privada no Brasil (4). São Paulo: Companhia das Letras, 1998, p. 617-8 (com adaptações).
Com o auxílio do texto CG-II, julgue os itens seguintes, relativos ao quadro brasileiro preexistente à ruptura institucional de 1964 e ao significado histórico desse golpe.
Enquanto, para os vitoriosos de 1964, a ruptura significou a defesa de uma democracia em risco, para outros, a queda de Jango correspondeu à vitória de um projeto que propugnava pela modernização capitalista do país pela via conservadora, disposto a adotar, caso necessário, o caminho do autoritarismo.
Questão 85

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O embate não dizia respeito à defesa do que já
 
ficara sepultado no passado — a economia exportadora e
 
a sociedade agrária —, não colocava em tela de juízo a
 
necessidade ou não da industrialização. O que estava em
5
jogo, isto sim, eram dois estilos de desenvolvimento
 
econômico, dois modelos de sociedade urbana de massas:
 
de um lado, um capitalismo selvagem e plutocrático; de
 
outro, um capitalismo domesticado pelos valores
 
modernos da igualdade social e da participação
10
democrática dos cidadãos, cidadãos conscientes de seus
 
direitos, educados, verdadeiramente autônomos,
 
politicamente ativos. Portanto, 1964 representou a
 
imposição, pela força, de uma das formas possíveis de
 
sociedade capitalista no Brasil.
João Manuel Cardoso de Mello e Fernando A. Novais. Capitalismo tardio e sociedade moderna. In: Lilia M. Schwarcz. História da vida privada no Brasil (4). São Paulo: Companhia das Letras, 1998, p. 617-8 (com adaptações).
Com o auxílio do texto CG-II, julgue os itens seguintes, relativos ao quadro brasileiro preexistente à ruptura institucional de 1964 e ao significado histórico desse golpe.
É inegável o peso da Revolução Cubana sobre o imaginário brasileiro — e latino-americano — naquele período: de um lado, embalava a utopia revolucionária e os sonhos reformistas; de outro, acenava com a possibilidade de reformas graduais e controladas, o que interessava aos setores direitistas e conservadores.
Questão 86

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O embate não dizia respeito à defesa do que já
 
ficara sepultado no passado — a economia exportadora e
 
a sociedade agrária —, não colocava em tela de juízo a
 
necessidade ou não da industrialização. O que estava em
5
jogo, isto sim, eram dois estilos de desenvolvimento
 
econômico, dois modelos de sociedade urbana de massas:
 
de um lado, um capitalismo selvagem e plutocrático; de
 
outro, um capitalismo domesticado pelos valores
 
modernos da igualdade social e da participação
10
democrática dos cidadãos, cidadãos conscientes de seus
 
direitos, educados, verdadeiramente autônomos,
 
politicamente ativos. Portanto, 1964 representou a
 
imposição, pela força, de uma das formas possíveis de
 
sociedade capitalista no Brasil.
João Manuel Cardoso de Mello e Fernando A. Novais. Capitalismo tardio e sociedade moderna. In: Lilia M. Schwarcz. História da vida privada no Brasil (4). São Paulo: Companhia das Letras, 1998, p. 617-8 (com adaptações).

Considerando o texto CG-II, julgue os itens a seguir, relativos ao modelo econômico implementado no Brasil a partir de 1964, alvo de críticas como as vistas nas charges acima, publicadas por Ziraldo e Chico Caruso.

A dependência de parte do dinamismo industrial brasileiro à expansão capitalista dos países centrais, visível sobretudo a partir de meados dos anos 50, foi subitamente refreada em 1964; com o golpe, a economia nacional tornou-se bem mais impermeável aos movimentos do sistema capitalista internacional.
Questão 87

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O embate não dizia respeito à defesa do que já
 
ficara sepultado no passado — a economia exportadora e
 
a sociedade agrária —, não colocava em tela de juízo a
 
necessidade ou não da industrialização. O que estava em
5
jogo, isto sim, eram dois estilos de desenvolvimento
 
econômico, dois modelos de sociedade urbana de massas:
 
de um lado, um capitalismo selvagem e plutocrático; de
 
outro, um capitalismo domesticado pelos valores
 
modernos da igualdade social e da participação
10
democrática dos cidadãos, cidadãos conscientes de seus
 
direitos, educados, verdadeiramente autônomos,
 
politicamente ativos. Portanto, 1964 representou a
 
imposição, pela força, de uma das formas possíveis de
 
sociedade capitalista no Brasil.
João Manuel Cardoso de Mello e Fernando A. Novais. Capitalismo tardio e sociedade moderna. In: Lilia M. Schwarcz. História da vida privada no Brasil (4). São Paulo: Companhia das Letras, 1998, p. 617-8 (com adaptações).

Considerando o texto CG-II, julgue os itens a seguir, relativos ao modelo econômico implementado no Brasil a partir de 1964, alvo de críticas como as vistas nas charges acima, publicadas por Ziraldo e Chico Caruso.

A inexistência de crédito fácil no mercado internacional, particularmente após a primeira crise do petróleo, é provavelmente a mais consistente explicação para o fato de o milagre brasileiro, à época de Delfim Neto, ter sido um exercício de desenvolvimento autárquico, sua marca registrada.
Questão 88

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O embate não dizia respeito à defesa do que já
 
ficara sepultado no passado — a economia exportadora e
 
a sociedade agrária —, não colocava em tela de juízo a
 
necessidade ou não da industrialização. O que estava em
5
jogo, isto sim, eram dois estilos de desenvolvimento
 
econômico, dois modelos de sociedade urbana de massas:
 
de um lado, um capitalismo selvagem e plutocrático; de
 
outro, um capitalismo domesticado pelos valores
 
modernos da igualdade social e da participação
10
democrática dos cidadãos, cidadãos conscientes de seus
 
direitos, educados, verdadeiramente autônomos,
 
politicamente ativos. Portanto, 1964 representou a
 
imposição, pela força, de uma das formas possíveis de
 
sociedade capitalista no Brasil.
João Manuel Cardoso de Mello e Fernando A. Novais. Capitalismo tardio e sociedade moderna. In: Lilia M. Schwarcz. História da vida privada no Brasil (4). São Paulo: Companhia das Letras, 1998, p. 617-8 (com adaptações).

Considerando o texto CG-II, julgue os itens a seguir, relativos ao modelo econômico implementado no Brasil a partir de 1964, alvo de críticas como as vistas nas charges acima, publicadas por Ziraldo e Chico Caruso.

Nas charges, sobressai a crítica à contenção salarial, entendida como arrocho pelos opositores, presente na política de estabilização praticada pelos ministros Roberto Campos — Planejamento — e Gouveia de Bulhões — Fazenda —, no governo Castelo Branco, e que também se manifestou no projeto de desenvolvimento conduzido pelo ministro Delfim Neto, nos governos Costa e Silva e Médici.
Questão 89

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O embate não dizia respeito à defesa do que já
 
ficara sepultado no passado — a economia exportadora e
 
a sociedade agrária —, não colocava em tela de juízo a
 
necessidade ou não da industrialização. O que estava em
5
jogo, isto sim, eram dois estilos de desenvolvimento
 
econômico, dois modelos de sociedade urbana de massas:
 
de um lado, um capitalismo selvagem e plutocrático; de
 
outro, um capitalismo domesticado pelos valores
 
modernos da igualdade social e da participação
10
democrática dos cidadãos, cidadãos conscientes de seus
 
direitos, educados, verdadeiramente autônomos,
 
politicamente ativos. Portanto, 1964 representou a
 
imposição, pela força, de uma das formas possíveis de
 
sociedade capitalista no Brasil.
João Manuel Cardoso de Mello e Fernando A. Novais. Capitalismo tardio e sociedade moderna. In: Lilia M. Schwarcz. História da vida privada no Brasil (4). São Paulo: Companhia das Letras, 1998, p. 617-8 (com adaptações).

Considerando o texto CG-II, julgue os itens a seguir, relativos ao modelo econômico implementado no Brasil a partir de 1964, alvo de críticas como as vistas nas charges acima, publicadas por Ziraldo e Chico Caruso.

O milagre econômico aprofundou o endividamento externo do país, na busca de financiamento para a produção e para a obtenção de tecnologia estrangeira; todavia, promoveu um processo de desconcentração da renda compatível com o que seria visto, mais tarde, com o Plano Real.
Questão 90

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O embate não dizia respeito à defesa do que já
 
ficara sepultado no passado — a economia exportadora e
 
a sociedade agrária —, não colocava em tela de juízo a
 
necessidade ou não da industrialização. O que estava em
5
jogo, isto sim, eram dois estilos de desenvolvimento
 
econômico, dois modelos de sociedade urbana de massas:
 
de um lado, um capitalismo selvagem e plutocrático; de
 
outro, um capitalismo domesticado pelos valores
 
modernos da igualdade social e da participação
10
democrática dos cidadãos, cidadãos conscientes de seus
 
direitos, educados, verdadeiramente autônomos,
 
politicamente ativos. Portanto, 1964 representou a
 
imposição, pela força, de uma das formas possíveis de
 
sociedade capitalista no Brasil.
João Manuel Cardoso de Mello e Fernando A. Novais. Capitalismo tardio e sociedade moderna. In: Lilia M. Schwarcz. História da vida privada no Brasil (4). São Paulo: Companhia das Letras, 1998, p. 617-8 (com adaptações).

Considerando o texto CG-II, julgue os itens a seguir, relativos ao modelo econômico implementado no Brasil a partir de 1964, alvo de críticas como as vistas nas charges acima, publicadas por Ziraldo e Chico Caruso.

Paradoxalmente, os dois últimos governos do regime militar — Geisel e Figueiredo — foram os que capitalizaram os resultados econômicos do milagre; entretanto, a ausência de uma base de sustentação política no Congresso Nacional lhes foi fatal, obrigando-os a conduzir uma distensão que, ao cabo, promoveu o retorno do poder civil.
Questão 91

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
A Constituição aprovada em
 
apresenta 245 artigos e 70 disposições
 
transitórias, tratando de vastíssima gama de
 
assuntos. É a mais democrática Constituição da
5
República e a de maior preocupação com os
 
chamados direitos sociais. Sua característica
 
mais importante, que lhe valeu o epíteto de
 
Constituição Cidadã, foi a incorporação de uma
 
série de direitos civis e sociais. Ocupa-se, ainda,
10
com uma série de garantias trabalhistas, desde
 
muito requeridas pelos sindicatos.
Francisco Carlos Teixeira da Silva. Brasil, em direção ao século XXI. In: Maria Yedda Linhares (org.). História geral do Brasil. Rio de Janeiro: Campus, 1996, p. 343 (com adaptações).
Com o auxílio do texto acima, julgue os itens subseqüentes, relativos à Carta de 1988, marco jurídico da redemocratização brasileira contemporânea.
Os direitos civis clássicos estão amplamente assegurados, como os relativos à liberdade de expressão e de reunião, à garantia de privacidade, à inviolabilidade do domicílio, da correspondência e das comunicações, além da proibição de prisão sem decisão judicial.
Questão 92

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
A Constituição aprovada em
 
apresenta 245 artigos e 70 disposições
 
transitórias, tratando de vastíssima gama de
 
assuntos. É a mais democrática Constituição da
5
República e a de maior preocupação com os
 
chamados direitos sociais. Sua característica
 
mais importante, que lhe valeu o epíteto de
 
Constituição Cidadã, foi a incorporação de uma
 
série de direitos civis e sociais. Ocupa-se, ainda,
10
com uma série de garantias trabalhistas, desde
 
muito requeridas pelos sindicatos.
Francisco Carlos Teixeira da Silva. Brasil, em direção ao século XXI. In: Maria Yedda Linhares (org.). História geral do Brasil. Rio de Janeiro: Campus, 1996, p. 343 (com adaptações).
Com o auxílio do texto acima, julgue os itens subseqüentes, relativos à Carta de 1988, marco jurídico da redemocratização brasileira contemporânea.
A tortura e o racismo foram tipificados como crimes inafiançáveis, enquanto o direito ao voto foi estendido aos analfabetos e aos jovens entre 16 e 18 anos.
Questão 93

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
A Constituição aprovada em
 
apresenta 245 artigos e 70 disposições
 
transitórias, tratando de vastíssima gama de
 
assuntos. É a mais democrática Constituição da
5
República e a de maior preocupação com os
 
chamados direitos sociais. Sua característica
 
mais importante, que lhe valeu o epíteto de
 
Constituição Cidadã, foi a incorporação de uma
 
série de direitos civis e sociais. Ocupa-se, ainda,
10
com uma série de garantias trabalhistas, desde
 
muito requeridas pelos sindicatos.
Francisco Carlos Teixeira da Silva. Brasil, em direção ao século XXI. In: Maria Yedda Linhares (org.). História geral do Brasil. Rio de Janeiro: Campus, 1996, p. 343 (com adaptações).
Com o auxílio do texto acima, julgue os itens subseqüentes, relativos à Carta de 1988, marco jurídico da redemocratização brasileira contemporânea.
A Carta restringiu a atuação das Forças Armadas e, em uma espécie de concessão às pretensões do Poder Executivo, reduziu as prerrogativas do Congresso Nacional — em particular, da Câmara dos Deputados — e do Poder Judiciário.
Questão 94

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
A Constituição aprovada em
 
apresenta 245 artigos e 70 disposições
 
transitórias, tratando de vastíssima gama de
 
assuntos. É a mais democrática Constituição da
5
República e a de maior preocupação com os
 
chamados direitos sociais. Sua característica
 
mais importante, que lhe valeu o epíteto de
 
Constituição Cidadã, foi a incorporação de uma
 
série de direitos civis e sociais. Ocupa-se, ainda,
10
com uma série de garantias trabalhistas, desde
 
muito requeridas pelos sindicatos.
Francisco Carlos Teixeira da Silva. Brasil, em direção ao século XXI. In: Maria Yedda Linhares (org.). História geral do Brasil. Rio de Janeiro: Campus, 1996, p. 343 (com adaptações).
Com o auxílio do texto acima, julgue os itens subseqüentes, relativos à Carta de 1988, marco jurídico da redemocratização brasileira contemporânea.
A aprovação consensual de todos os capítulos da Carta pode ser explicada pela origem do processo — uma Assembléia Constituinte convocada e eleita para esse fim exclusivo — e pela convergência das correntes de centro e de esquerda em torno de um bloco coeso — o Centrão.
Questão 95

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
A Constituição aprovada em
 
apresenta 245 artigos e 70 disposições
 
transitórias, tratando de vastíssima gama de
 
assuntos. É a mais democrática Constituição da
5
República e a de maior preocupação com os
 
chamados direitos sociais. Sua característica
 
mais importante, que lhe valeu o epíteto de
 
Constituição Cidadã, foi a incorporação de uma
 
série de direitos civis e sociais. Ocupa-se, ainda,
10
com uma série de garantias trabalhistas, desde
 
muito requeridas pelos sindicatos.
Francisco Carlos Teixeira da Silva. Brasil, em direção ao século XXI. In: Maria Yedda Linhares (org.). História geral do Brasil. Rio de Janeiro: Campus, 1996, p. 343 (com adaptações).
Com o auxílio do texto acima, julgue os itens subseqüentes, relativos à Carta de 1988, marco jurídico da redemocratização brasileira contemporânea.
As dificuldades encontradas pelo governo Fernando Henrique Cardoso em alterar dispositivos constitucionais derivam, na opinião hoje corrente no país, da frágil base de sustentação política com que ele conta no Congresso, particularmente no Senado Federal.
Questão 96

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Hoje, é fácil dizer que os argentinos foram vítimas dos peronistas e dos militares, que teriam corroído todas as suas
 
riquezas, principalmente as econômicas e as culturais. Mas as coisas não são tão fáceis como gostaríamos que fossem. Se a
 
Argentina tem algo a preservar, agora, é a certeza de que a crise do país é culpa de todos, do povo inclusive, que elegeu
 
peronistas e apoiou os militares na guerra, e não apenas do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do capital estrangeiro. Se
5
o país conseguir escapar do populismo do atual presidente Eduardo Duhalde sem cair na guerra civil e sem colocar a culpa nos
 
outros, nada estará perdido.
Cláudio Lysias. A culpa é de todos. In: Jornal de Brasília, 16/1/2002, p. 10.
A partir do texto acima, julgue os itens seguintes, que se referem à atual crise vivida pela Argentina.
Para o autor, os elementos explicativos da crise argentina não podem ser encontrados apenas na atual conjuntura; eles são históricos e não se restringem a aspectos puramente econômicos.
Questão 97

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Hoje, é fácil dizer que os argentinos foram vítimas dos peronistas e dos militares, que teriam corroído todas as suas
 
riquezas, principalmente as econômicas e as culturais. Mas as coisas não são tão fáceis como gostaríamos que fossem. Se a
 
Argentina tem algo a preservar, agora, é a certeza de que a crise do país é culpa de todos, do povo inclusive, que elegeu
 
peronistas e apoiou os militares na guerra, e não apenas do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do capital estrangeiro. Se
5
o país conseguir escapar do populismo do atual presidente Eduardo Duhalde sem cair na guerra civil e sem colocar a culpa nos
 
outros, nada estará perdido.
Cláudio Lysias. A culpa é de todos. In: Jornal de Brasília, 16/1/2002, p. 10.
A partir do texto acima, julgue os itens seguintes, que se referem à atual crise vivida pela Argentina.
Na opinião do autor, a politizada e culta sociedade argentina somente foi vencida por atos de força, como os golpes de Estado que levaram Perón e, mais tarde, os militares ao poder.
Questão 98

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Hoje, é fácil dizer que os argentinos foram vítimas dos peronistas e dos militares, que teriam corroído todas as suas
 
riquezas, principalmente as econômicas e as culturais. Mas as coisas não são tão fáceis como gostaríamos que fossem. Se a
 
Argentina tem algo a preservar, agora, é a certeza de que a crise do país é culpa de todos, do povo inclusive, que elegeu
 
peronistas e apoiou os militares na guerra, e não apenas do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do capital estrangeiro. Se
5
o país conseguir escapar do populismo do atual presidente Eduardo Duhalde sem cair na guerra civil e sem colocar a culpa nos
 
outros, nada estará perdido.
Cláudio Lysias. A culpa é de todos. In: Jornal de Brasília, 16/1/2002, p. 10.
A partir do texto acima, julgue os itens seguintes, que se referem à atual crise vivida pela Argentina.
Ainda que reconhecendo os fatores exógenos como ingredientes da crise, o autor não exime a sociedade argentina de parte da responsabilidade pelo quadro de insolvência e de conturbação social, hoje, presente no país.
Questão 99

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Hoje, é fácil dizer que os argentinos foram vítimas dos peronistas e dos militares, que teriam corroído todas as suas
 
riquezas, principalmente as econômicas e as culturais. Mas as coisas não são tão fáceis como gostaríamos que fossem. Se a
 
Argentina tem algo a preservar, agora, é a certeza de que a crise do país é culpa de todos, do povo inclusive, que elegeu
 
peronistas e apoiou os militares na guerra, e não apenas do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do capital estrangeiro. Se
5
o país conseguir escapar do populismo do atual presidente Eduardo Duhalde sem cair na guerra civil e sem colocar a culpa nos
 
outros, nada estará perdido.
Cláudio Lysias. A culpa é de todos. In: Jornal de Brasília, 16/1/2002, p. 10.
A partir do texto acima, julgue os itens seguintes, que se referem à atual crise vivida pela Argentina.
Quando fala em apoio popular aos militares na guerra, o autor deve estar se referindo à desastrosa decisão do general Galtieri, o último dos ditadores militares, de declarar guerra à Inglaterra, invadindo o Canal de Beagle.
Questão 100

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Hoje, é fácil dizer que os argentinos foram vítimas dos peronistas e dos militares, que teriam corroído todas as suas
 
riquezas, principalmente as econômicas e as culturais. Mas as coisas não são tão fáceis como gostaríamos que fossem. Se a
 
Argentina tem algo a preservar, agora, é a certeza de que a crise do país é culpa de todos, do povo inclusive, que elegeu
 
peronistas e apoiou os militares na guerra, e não apenas do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do capital estrangeiro. Se
5
o país conseguir escapar do populismo do atual presidente Eduardo Duhalde sem cair na guerra civil e sem colocar a culpa nos
 
outros, nada estará perdido.
Cláudio Lysias. A culpa é de todos. In: Jornal de Brasília, 16/1/2002, p. 10.
A partir do texto acima, julgue os itens seguintes, que se referem à atual crise vivida pela Argentina.
Ao atacar o populismo justicialista, o autor provavelmente estaria pensando em dois governos que, tributários e fiéis adeptos do legado de Juan Domingo Perón, fracassaram de maneira patética: Alfonsín e Fernando de la Rúa.
Questão 101

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O diretor-gerente do FMI, Horst Köhler, disse ontem
 
que os países ricos devem abrir seus mercados e acabar aos
 
poucos com os subsídios que dão, hoje, aos seus
 
agricultores e à sua indústria, se quiserem, de fato, levar a
5
sério a redução da pobreza nas nações em desenvolvimento.
 
Por sua vez, James Wolfensohn, o presidente do Banco
 
Mundial (BIRD), voltou a insistir que os países ricos não
 
podem mais virar as costas aos mais pobres. Segundo ele, os
 
atentados terroristas de 11 de setembro passado tornaram
10
isso ainda mais evidente.
José Meirelles Passos. FMI e BIRD querem combate à pobreza. In: O Globo, 15/1/2002, p. 27 (com adaptações).
A partir das declarações contidas na matéria jornalística acima, colhidas na abertura da Conferência Internacional sobre Estratégias de Combate à Pobreza, em Washington, julgue os itens que se seguem.
As declarações dos dois dirigentes, recuperando o discurso prevalecente na década de 80 e em parte dos anos 90 do século passado, opõem-se ao novo viés interpretativo da realidade econômica mundial que importantes técnicos de organismos internacionais têm expressado nos últimos anos.
Questão 102

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O diretor-gerente do FMI, Horst Köhler, disse ontem
 
que os países ricos devem abrir seus mercados e acabar aos
 
poucos com os subsídios que dão, hoje, aos seus
 
agricultores e à sua indústria, se quiserem, de fato, levar a
5
sério a redução da pobreza nas nações em desenvolvimento.
 
Por sua vez, James Wolfensohn, o presidente do Banco
 
Mundial (BIRD), voltou a insistir que os países ricos não
 
podem mais virar as costas aos mais pobres. Segundo ele, os
 
atentados terroristas de 11 de setembro passado tornaram
10
isso ainda mais evidente.
José Meirelles Passos. FMI e BIRD querem combate à pobreza. In: O Globo, 15/1/2002, p. 27 (com adaptações).
A partir das declarações contidas na matéria jornalística acima, colhidas na abertura da Conferência Internacional sobre Estratégias de Combate à Pobreza, em Washington, julgue os itens que se seguem.
Quando Köhler fala da necessidade de serem abolidos subsídios por parte dos países ricos, por certo está se referindo, por exemplo, às medidas que EUA e União Européia insistem em praticar, particularmente protegendo os interesses de seus setores agrícolas.
Questão 103

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O diretor-gerente do FMI, Horst Köhler, disse ontem
 
que os países ricos devem abrir seus mercados e acabar aos
 
poucos com os subsídios que dão, hoje, aos seus
 
agricultores e à sua indústria, se quiserem, de fato, levar a
5
sério a redução da pobreza nas nações em desenvolvimento.
 
Por sua vez, James Wolfensohn, o presidente do Banco
 
Mundial (BIRD), voltou a insistir que os países ricos não
 
podem mais virar as costas aos mais pobres. Segundo ele, os
 
atentados terroristas de 11 de setembro passado tornaram
10
isso ainda mais evidente.
José Meirelles Passos. FMI e BIRD querem combate à pobreza. In: O Globo, 15/1/2002, p. 27 (com adaptações).
A partir das declarações contidas na matéria jornalística acima, colhidas na abertura da Conferência Internacional sobre Estratégias de Combate à Pobreza, em Washington, julgue os itens que se seguem.
Quando a principal autoridade do BIRD cita o 11/9/2001 como evidência de que os países ricos não podem mais continuar dando as costas para os pobres, deve estar levando em consideração que a manutenção de um quadro de pobreza gera conseqüências graves — como desespero, alienação e violência — e potencialmente perigosas para a segurança global.
Questão 104

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O diretor-gerente do FMI, Horst Köhler, disse ontem
 
que os países ricos devem abrir seus mercados e acabar aos
 
poucos com os subsídios que dão, hoje, aos seus
 
agricultores e à sua indústria, se quiserem, de fato, levar a
5
sério a redução da pobreza nas nações em desenvolvimento.
 
Por sua vez, James Wolfensohn, o presidente do Banco
 
Mundial (BIRD), voltou a insistir que os países ricos não
 
podem mais virar as costas aos mais pobres. Segundo ele, os
 
atentados terroristas de 11 de setembro passado tornaram
10
isso ainda mais evidente.
José Meirelles Passos. FMI e BIRD querem combate à pobreza. In: O Globo, 15/1/2002, p. 27 (com adaptações).
A partir das declarações contidas na matéria jornalística acima, colhidas na abertura da Conferência Internacional sobre Estratégias de Combate à Pobreza, em Washington, julgue os itens que se seguem.
Enquanto EUA e União Européia são acusados de práticas protecionistas, que atingem frontalmente as economias emergentes, o Japão distingue-se por fazer exatamente o contrário, ou seja, levar ao extremo a crença em uma economia essencialmente liberal, o que se traduz pela não- aceitação de medidas cerceadoras do livre comércio.
Questão 105

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O diretor-gerente do FMI, Horst Köhler, disse ontem
 
que os países ricos devem abrir seus mercados e acabar aos
 
poucos com os subsídios que dão, hoje, aos seus
 
agricultores e à sua indústria, se quiserem, de fato, levar a
5
sério a redução da pobreza nas nações em desenvolvimento.
 
Por sua vez, James Wolfensohn, o presidente do Banco
 
Mundial (BIRD), voltou a insistir que os países ricos não
 
podem mais virar as costas aos mais pobres. Segundo ele, os
 
atentados terroristas de 11 de setembro passado tornaram
10
isso ainda mais evidente.
José Meirelles Passos. FMI e BIRD querem combate à pobreza. In: O Globo, 15/1/2002, p. 27 (com adaptações).
A partir das declarações contidas na matéria jornalística acima, colhidas na abertura da Conferência Internacional sobre Estratégias de Combate à Pobreza, em Washington, julgue os itens que se seguem.
Parceiro privilegiado nas relações comerciais com os EUA, o Brasil conseguiu, desde o início do governo Fernando Henrique Cardoso, fazer prevalecer seus interesses em relação à abertura do mercado norte-americano aos seus produtos, em especial suco de laranja, calçados e aço.
Questão 106

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Os presidentes Fernando Henrique Cardoso e Vladimir
 
Putin assinaram ontem no Kremlin uma declaração conjunta
 
na qual a Rússia formaliza seu respaldo à reivindicação
 
brasileira de se tornar membro permanente do Conselho de
5
Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) e, em
 
retribuição, o Brasil apóia a aspiração russa de ingressar na
 
Organização Mundial do Comércio (OMC). Na declaração,
 
os dois governos manifestam interesse em projetos conjuntos
 
nas áreas de alta tecnologia, como indústria aeronáutica e
10
espacial, telecomunicações, combustíveis e energia, inclusive
 
no desenvolvimento de tecnologias inovadoras na área
 
nuclear.
Lourival Sant’Anna. Brasil vai apoiar ingresso da Rússia na OMC. In: O Estado de S. Paulo, 15/1/2002, p. 4 (com adaptações).
Com o auxílio das informações do texto acima, julgue os itens a seguir, focalizando determinados aspectos referentes à recente viagem do presidente brasileiro à Rússia.
A pretensão de assento permanente no Conselho de Segurança da ONU, por parte do Brasil, é algo que se manifestou apenas a partir do início do atual mandato presidencial, quando os resultados positivos do real estimularam sonhos mais ambiciosos em termos geoestratégicos para o país.
Questão 107

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Os presidentes Fernando Henrique Cardoso e Vladimir
 
Putin assinaram ontem no Kremlin uma declaração conjunta
 
na qual a Rússia formaliza seu respaldo à reivindicação
 
brasileira de se tornar membro permanente do Conselho de
5
Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) e, em
 
retribuição, o Brasil apóia a aspiração russa de ingressar na
 
Organização Mundial do Comércio (OMC). Na declaração,
 
os dois governos manifestam interesse em projetos conjuntos
 
nas áreas de alta tecnologia, como indústria aeronáutica e
10
espacial, telecomunicações, combustíveis e energia, inclusive
 
no desenvolvimento de tecnologias inovadoras na área
 
nuclear.
Lourival Sant’Anna. Brasil vai apoiar ingresso da Rússia na OMC. In: O Estado de S. Paulo, 15/1/2002, p. 4 (com adaptações).
Com o auxílio das informações do texto acima, julgue os itens a seguir, focalizando determinados aspectos referentes à recente viagem do presidente brasileiro à Rússia.
Talvez em função do MERCOSUL, cuja consolidação sempre foi essencial para a economia da região, a Argentina, ao longo dos dois períodos governamentais de Carlos Menem, apressou-se em apoiar o pleito brasileiro de ocupar uma cadeira permanente no Conselho de Segurança da ONU.
Questão 108

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Os presidentes Fernando Henrique Cardoso e Vladimir
 
Putin assinaram ontem no Kremlin uma declaração conjunta
 
na qual a Rússia formaliza seu respaldo à reivindicação
 
brasileira de se tornar membro permanente do Conselho de
5
Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) e, em
 
retribuição, o Brasil apóia a aspiração russa de ingressar na
 
Organização Mundial do Comércio (OMC). Na declaração,
 
os dois governos manifestam interesse em projetos conjuntos
 
nas áreas de alta tecnologia, como indústria aeronáutica e
10
espacial, telecomunicações, combustíveis e energia, inclusive
 
no desenvolvimento de tecnologias inovadoras na área
 
nuclear.
Lourival Sant’Anna. Brasil vai apoiar ingresso da Rússia na OMC. In: O Estado de S. Paulo, 15/1/2002, p. 4 (com adaptações).
Com o auxílio das informações do texto acima, julgue os itens a seguir, focalizando determinados aspectos referentes à recente viagem do presidente brasileiro à Rússia.
Após aparente recuo, explicitado pelo então chanceler Lampreia no primeiro semestre de 2000, o Brasil parece ter encontrado nos atentados terroristas de 11/9/2001 uma nova oportunidade para reiterar suas pretensões de ocupar maiores espaços na cena internacional.
Questão 109

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Os presidentes Fernando Henrique Cardoso e Vladimir
 
Putin assinaram ontem no Kremlin uma declaração conjunta
 
na qual a Rússia formaliza seu respaldo à reivindicação
 
brasileira de se tornar membro permanente do Conselho de
5
Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) e, em
 
retribuição, o Brasil apóia a aspiração russa de ingressar na
 
Organização Mundial do Comércio (OMC). Na declaração,
 
os dois governos manifestam interesse em projetos conjuntos
 
nas áreas de alta tecnologia, como indústria aeronáutica e
10
espacial, telecomunicações, combustíveis e energia, inclusive
 
no desenvolvimento de tecnologias inovadoras na área
 
nuclear.
Lourival Sant’Anna. Brasil vai apoiar ingresso da Rússia na OMC. In: O Estado de S. Paulo, 15/1/2002, p. 4 (com adaptações).
Com o auxílio das informações do texto acima, julgue os itens a seguir, focalizando determinados aspectos referentes à recente viagem do presidente brasileiro à Rússia.
É provável que, sentindo o retraimento norte-americano após os atentados de 11 de setembro, marcado pela visível dificuldade de Washington de agir em termos militares e diplomáticos, a chancelaria brasileira tenha se sentido estimulada a defender maior participação de Estados emergentes nas instâncias decisórias globais, como a ONU.
Questão 110

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Os presidentes Fernando Henrique Cardoso e Vladimir
 
Putin assinaram ontem no Kremlin uma declaração conjunta
 
na qual a Rússia formaliza seu respaldo à reivindicação
 
brasileira de se tornar membro permanente do Conselho de
5
Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) e, em
 
retribuição, o Brasil apóia a aspiração russa de ingressar na
 
Organização Mundial do Comércio (OMC). Na declaração,
 
os dois governos manifestam interesse em projetos conjuntos
 
nas áreas de alta tecnologia, como indústria aeronáutica e
10
espacial, telecomunicações, combustíveis e energia, inclusive
 
no desenvolvimento de tecnologias inovadoras na área
 
nuclear.
Lourival Sant’Anna. Brasil vai apoiar ingresso da Rússia na OMC. In: O Estado de S. Paulo, 15/1/2002, p. 4 (com adaptações).
Com o auxílio das informações do texto acima, julgue os itens a seguir, focalizando determinados aspectos referentes à recente viagem do presidente brasileiro à Rússia.
A presença de cerca de setenta empresários na comitiva presidencial é sinal de que a viagem de Fernando Henrique à Rússia não se restringiu às questões geopolíticas; exemplo disso são os contatos relativos à transferência de tecnologia russa para o veículo lançador de satélites brasileiro, à utilização da base espacial de Alcântara pelos russos e ao intercâmbio na área aeronáutica.
Questão 111

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
A criação da OMC, ao término da Rodada Uruguai do antigo GATT, em 1995, constituiu um notável avanço para o
 
incremento do comércio mundial a partir da fixação de normas para a resolução de pendências e correção de desequilíbrios no
 
intercâmbio entre as nações.
 
Nem sempre as decisões da OMC agradam às partes, mas são acatadas em razão do respeito que ela granjeou.
5
Infelizmente, os EUA, a maior economia mundial, não se têm comportado como se fossem parte do sistema da OMC. Pelas
 
atitudes tomadas, tem-se a impressão de que os EUA crêem ser o próprio sistema.
Gazeta Mercantil, 15/1/2002, p. 2 (com adaptações).
Tendo por referência o texto acima, julgue os itens que se seguem, concernentes ao panorama mundial do comércio contemporâneo.
A OMC caracteriza-se por ser uma espécie de instância reguladora do comércio mundial, elaborando normas a serem seguidas pelos países que a integram e julgando os casos de litígio entre eles; o Brasil foi protagonista de algumas dessas ações, inclusive em relação a divergências com os EUA.
Questão 112

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
A criação da OMC, ao término da Rodada Uruguai do antigo GATT, em 1995, constituiu um notável avanço para o
 
incremento do comércio mundial a partir da fixação de normas para a resolução de pendências e correção de desequilíbrios no
 
intercâmbio entre as nações.
 
Nem sempre as decisões da OMC agradam às partes, mas são acatadas em razão do respeito que ela granjeou.
5
Infelizmente, os EUA, a maior economia mundial, não se têm comportado como se fossem parte do sistema da OMC. Pelas
 
atitudes tomadas, tem-se a impressão de que os EUA crêem ser o próprio sistema.
Gazeta Mercantil, 15/1/2002, p. 2 (com adaptações).
Tendo por referência o texto acima, julgue os itens que se seguem, concernentes ao panorama mundial do comércio contemporâneo.
No passado recente, adquiriu repercussão o contencioso entre o Brasil e o Canadá em torno da acirrada disputa pelo mercado aeronáutico, com os dois países acusando-se de oferecerem subsídios ilegais às suas grandes empresas no setor, a EMBRAER e a Bombardier; a decisão da OMC foi integralmente favorável aos canadenses.
Questão 113

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
A criação da OMC, ao término da Rodada Uruguai do antigo GATT, em 1995, constituiu um notável avanço para o
 
incremento do comércio mundial a partir da fixação de normas para a resolução de pendências e correção de desequilíbrios no
 
intercâmbio entre as nações.
 
Nem sempre as decisões da OMC agradam às partes, mas são acatadas em razão do respeito que ela granjeou.
5
Infelizmente, os EUA, a maior economia mundial, não se têm comportado como se fossem parte do sistema da OMC. Pelas
 
atitudes tomadas, tem-se a impressão de que os EUA crêem ser o próprio sistema.
Gazeta Mercantil, 15/1/2002, p. 2 (com adaptações).
Tendo por referência o texto acima, julgue os itens que se seguem, concernentes ao panorama mundial do comércio contemporâneo.
Uma das maiores críticas que se fazem atualmente aos EUA, em relação ao comércio internacional, diz respeito à insistência de Washington de manter em vigor uma legislação antidumping, de 1916, que permite a tribunais estaduais impor restrições unilaterais à importação sempre que um setor da economia norte-americana se sinta prejudicado pela concorrência externa.
Questão 114

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
A criação da OMC, ao término da Rodada Uruguai do antigo GATT, em 1995, constituiu um notável avanço para o
 
incremento do comércio mundial a partir da fixação de normas para a resolução de pendências e correção de desequilíbrios no
 
intercâmbio entre as nações.
 
Nem sempre as decisões da OMC agradam às partes, mas são acatadas em razão do respeito que ela granjeou.
5
Infelizmente, os EUA, a maior economia mundial, não se têm comportado como se fossem parte do sistema da OMC. Pelas
 
atitudes tomadas, tem-se a impressão de que os EUA crêem ser o próprio sistema.
Gazeta Mercantil, 15/1/2002, p. 2 (com adaptações).
Tendo por referência o texto acima, julgue os itens que se seguem, concernentes ao panorama mundial do comércio contemporâneo.
Apesar das cobranças da OMC, os EUA relutam em abandonar seu protecionismo; em represália, Japão e União Européia acabam de solicitar oficialmente ao Órgão de Solução de Controvérsias da OMC permissão para adotar uma legislação antidumping semelhante à norte-americana, o que agregaria maiores dificuldades à penetração nos mercados mais desenvolvidos de produtos oriundos dos países em desenvolvimento.
Questão 115

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
A criação da OMC, ao término da Rodada Uruguai do antigo GATT, em 1995, constituiu um notável avanço para o
 
incremento do comércio mundial a partir da fixação de normas para a resolução de pendências e correção de desequilíbrios no
 
intercâmbio entre as nações.
 
Nem sempre as decisões da OMC agradam às partes, mas são acatadas em razão do respeito que ela granjeou.
5
Infelizmente, os EUA, a maior economia mundial, não se têm comportado como se fossem parte do sistema da OMC. Pelas
 
atitudes tomadas, tem-se a impressão de que os EUA crêem ser o próprio sistema.
Gazeta Mercantil, 15/1/2002, p. 2 (com adaptações).
Tendo por referência o texto acima, julgue os itens que se seguem, concernentes ao panorama mundial do comércio contemporâneo.
Estudos técnicos recentes demonstram que, em que pese algumas vitórias significativas de economias emergentes, na maioria das vezes os litígios julgados no âmbito da OMC resultam em decisões favoráveis aos países economicamente mais fortes.
Questão 116

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
A primeira guerra indo-paquistanesa, em 1948, explodiu no momento em que as antigas colônias britânicas conquistavam sua independência. Em 1965, pela segunda vez, os dois países voltaram às armas. Seis anos mais tarde, o terceiro conflito. A partir de então, perigosas novidades surgiam naquele cenário de permanente tensão: em 1974, produziu-se a primeira arma nuclear indiana; em 1998, os indianos realizaram cinco provas nucleares, os paquistaneses, seis. No alvorecer do século XXI, uma vez mais Índia e Paquistão encontram-se em clima de expectativa de guerra, gerando fundadas apreensões. A propósito desse quadro, julgue os itens subseqüentes.
O fato desencadeador da mais recente crise entre os dois países foi o ataque terrorista ao parlamento de Nova Déli, tendo o governo indiano acusado o serviço secreto paquistanês de ter apoiado o ataque.
Questão 117

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
A primeira guerra indo-paquistanesa, em 1948, explodiu no momento em que as antigas colônias britânicas conquistavam sua independência. Em 1965, pela segunda vez, os dois países voltaram às armas. Seis anos mais tarde, o terceiro conflito. A partir de então, perigosas novidades surgiam naquele cenário de permanente tensão: em 1974, produziu-se a primeira arma nuclear indiana; em 1998, os indianos realizaram cinco provas nucleares, os paquistaneses, seis. No alvorecer do século XXI, uma vez mais Índia e Paquistão encontram-se em clima de expectativa de guerra, gerando fundadas apreensões. A propósito desse quadro, julgue os itens subseqüentes.
Vivendo hoje sob regime democrático parlamentar, com o poder em mãos de civis, Índia e Paquistão estiveram submetidos, durante décadas, a regimes militares autoritários, o que ajuda a entender o sofisticado arsenal bélico de que dispõem.
Questão 118

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania

» Esta questão foi anulada pela banca.
A primeira guerra indo-paquistanesa, em 1948, explodiu no momento em que as antigas colônias britânicas conquistavam sua independência. Em 1965, pela segunda vez, os dois países voltaram às armas. Seis anos mais tarde, o terceiro conflito. A partir de então, perigosas novidades surgiam naquele cenário de permanente tensão: em 1974, produziu-se a primeira arma nuclear indiana; em 1998, os indianos realizaram cinco provas nucleares, os paquistaneses, seis. No alvorecer do século XXI, uma vez mais Índia e Paquistão encontram-se em clima de expectativa de guerra, gerando fundadas apreensões. A propósito desse quadro, julgue os itens subseqüentes.
O centro nevrálgico da disputa entre ambos os países é o controle sobre uma região, a Caxemira, que, estando sob domínio indiano, conta com uma população de maioria muçulmana, razão pela qual o Paquistão quer anexá-la.
Questão 119

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
A primeira guerra indo-paquistanesa, em 1948, explodiu no momento em que as antigas colônias britânicas conquistavam sua independência. Em 1965, pela segunda vez, os dois países voltaram às armas. Seis anos mais tarde, o terceiro conflito. A partir de então, perigosas novidades surgiam naquele cenário de permanente tensão: em 1974, produziu-se a primeira arma nuclear indiana; em 1998, os indianos realizaram cinco provas nucleares, os paquistaneses, seis. No alvorecer do século XXI, uma vez mais Índia e Paquistão encontram-se em clima de expectativa de guerra, gerando fundadas apreensões. A propósito desse quadro, julgue os itens subseqüentes.
A Índia, tradicional aliada dos EUA na Ásia, e o Paquistão, ferrenho inimigo do regime talibã, receberam atenção especial e considerável aporte financeiro norte-americano quando dos ataques da coalizão anti-terror ao vizinho Afeganistão.
Questão 120

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
A primeira guerra indo-paquistanesa, em 1948, explodiu no momento em que as antigas colônias britânicas conquistavam sua independência. Em 1965, pela segunda vez, os dois países voltaram às armas. Seis anos mais tarde, o terceiro conflito. A partir de então, perigosas novidades surgiam naquele cenário de permanente tensão: em 1974, produziu-se a primeira arma nuclear indiana; em 1998, os indianos realizaram cinco provas nucleares, os paquistaneses, seis. No alvorecer do século XXI, uma vez mais Índia e Paquistão encontram-se em clima de expectativa de guerra, gerando fundadas apreensões. A propósito desse quadro, julgue os itens subseqüentes.
O desenvolvimento econômico da Índia fez-se de maneira desigual: em meio a uma gigantesca população, em torno de 1 bilhão de habitantes, defronta-se com áreas muito pobres e com práticas econômicas rudimentares, enquanto ostenta notável desempenho em setores tecnológicos de ponta, como o da informática.
Questão 121

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Segundo Paulo Bonavides, a constitucionalização
 
de princípios gerais de direito foi um fenômeno observado
 
com muita intensidade na segunda metade do século XX.
 
Esse fenômeno foi impulsionado principalmente pela
5
Constituição de Weimar, de 1919, promulgada na
 
Alemanha.
 
Poder-se-ia dizer, ainda, que princípios são normas
 
ou “disposições normativas” com alto grau de
 
indeterminação, generalidade e forte conteúdo
10
programático e valorativo.
Considerando o contexto acima descrito e a Constituição da República de 1988, julgue os itens abaixo.
A Constituição de 1988 incorporou os princípios fundamentais, dispondo-os não só no preâmbulo, como mera declaração de valores, mas também em suas disposições normativas.
Questão 122

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Segundo Paulo Bonavides, a constitucionalização
 
de princípios gerais de direito foi um fenômeno observado
 
com muita intensidade na segunda metade do século XX.
 
Esse fenômeno foi impulsionado principalmente pela
5
Constituição de Weimar, de 1919, promulgada na
 
Alemanha.
 
Poder-se-ia dizer, ainda, que princípios são normas
 
ou “disposições normativas” com alto grau de
 
indeterminação, generalidade e forte conteúdo
10
programático e valorativo.
Considerando o contexto acima descrito e a Constituição da República de 1988, julgue os itens abaixo.
A soberania é um princípio político do Estado brasileiro, mas não fornece fundamento para a organização da República Federativa do Brasil.
Questão 123

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Segundo Paulo Bonavides, a constitucionalização
 
de princípios gerais de direito foi um fenômeno observado
 
com muita intensidade na segunda metade do século XX.
 
Esse fenômeno foi impulsionado principalmente pela
5
Constituição de Weimar, de 1919, promulgada na
 
Alemanha.
 
Poder-se-ia dizer, ainda, que princípios são normas
 
ou “disposições normativas” com alto grau de
 
indeterminação, generalidade e forte conteúdo
10
programático e valorativo.
Considerando o contexto acima descrito e a Constituição da República de 1988, julgue os itens abaixo.
A dignidade da pessoa humana e o pluralismo político são valores e, por essa razão, não integram o texto normativo da Constituição.
Questão 124

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Segundo Paulo Bonavides, a constitucionalização
 
de princípios gerais de direito foi um fenômeno observado
 
com muita intensidade na segunda metade do século XX.
 
Esse fenômeno foi impulsionado principalmente pela
5
Constituição de Weimar, de 1919, promulgada na
 
Alemanha.
 
Poder-se-ia dizer, ainda, que princípios são normas
 
ou “disposições normativas” com alto grau de
 
indeterminação, generalidade e forte conteúdo
10
programático e valorativo.
Considerando o contexto acima descrito e a Constituição da República de 1988, julgue os itens abaixo.
Os valores sociais do trabalho constituem direito social, mas não se incluem nos fundamentos da República Federativa do Brasil, pois derivam da política econômica de cada governo.
Questão 125

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
Segundo Paulo Bonavides, a constitucionalização
 
de princípios gerais de direito foi um fenômeno observado
 
com muita intensidade na segunda metade do século XX.
 
Esse fenômeno foi impulsionado principalmente pela
5
Constituição de Weimar, de 1919, promulgada na
 
Alemanha.
 
Poder-se-ia dizer, ainda, que princípios são normas
 
ou “disposições normativas” com alto grau de
 
indeterminação, generalidade e forte conteúdo
10
programático e valorativo.
Considerando o contexto acima descrito e a Constituição da República de 1988, julgue os itens abaixo.
Em suas relações internacionais, o Brasil deve orientar-se por princípios que fortaleçam os direitos humanos, devendo, ainda, defender a paz e repudiar o terrorismo e o racismo.
Questão 126

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O poder constituinte tanto poderá exprimir do ponto de
 
vista sociológico um confisco ou uma usurpação de soberania
 
como quadro de valores ou de legitimidade. O berço de sua
 
teorização foi, porém, a liberdade, a tese dos direitos humanos.
Paulo Bonavides. Curso de direito constitucional. São Paulo: Malheiros, 2001, p. 146 (com adaptações).
No tocante à compreensão da organização do Estado brasileiro e dos seus poderes, julgue os itens a seguir.
A teoria do poder constituinte é fruto do contratualismo e do racionalismo do final do século XVIII e confere expressão jurídica aos conceitos de soberania nacional e popular, traduzidos na Constituição da República de 1988.
Questão 127

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O poder constituinte tanto poderá exprimir do ponto de
 
vista sociológico um confisco ou uma usurpação de soberania
 
como quadro de valores ou de legitimidade. O berço de sua
 
teorização foi, porém, a liberdade, a tese dos direitos humanos.
Paulo Bonavides. Curso de direito constitucional. São Paulo: Malheiros, 2001, p. 146 (com adaptações).
No tocante à compreensão da organização do Estado brasileiro e dos seus poderes, julgue os itens a seguir.
Segundo a Constituição brasileira, o poder constituinte derivado ou constituído tem legitimidade para revisar, mas não para reformar a Constituição.
Questão 128

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O poder constituinte tanto poderá exprimir do ponto de
 
vista sociológico um confisco ou uma usurpação de soberania
 
como quadro de valores ou de legitimidade. O berço de sua
 
teorização foi, porém, a liberdade, a tese dos direitos humanos.
Paulo Bonavides. Curso de direito constitucional. São Paulo: Malheiros, 2001, p. 146 (com adaptações).
No tocante à compreensão da organização do Estado brasileiro e dos seus poderes, julgue os itens a seguir.
O poder constituinte derivado é ilimitado e não está preso a regras juridicamente estabelecidas.
Questão 129

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O poder constituinte tanto poderá exprimir do ponto de
 
vista sociológico um confisco ou uma usurpação de soberania
 
como quadro de valores ou de legitimidade. O berço de sua
 
teorização foi, porém, a liberdade, a tese dos direitos humanos.
Paulo Bonavides. Curso de direito constitucional. São Paulo: Malheiros, 2001, p. 146 (com adaptações).
No tocante à compreensão da organização do Estado brasileiro e dos seus poderes, julgue os itens a seguir.
A Constituição brasileira de 1988 não permite alteração do texto constitucional diante do estado de sítio.
Questão 130

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O poder constituinte tanto poderá exprimir do ponto de
 
vista sociológico um confisco ou uma usurpação de soberania
 
como quadro de valores ou de legitimidade. O berço de sua
 
teorização foi, porém, a liberdade, a tese dos direitos humanos.
Paulo Bonavides. Curso de direito constitucional. São Paulo: Malheiros, 2001, p. 146 (com adaptações).
No tocante à compreensão da organização do Estado brasileiro e dos seus poderes, julgue os itens a seguir.
A forma republicana de governo não é fundamento imutável da Constituição de 1988.
Questão 131

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
A independência e autonomia dos poderes registram nítida
 
distinção entre a instância judiciária e a administrativa. O mérito
 
do ato administrativo, entendido como juízo de oportunidade e
 
conveniência, é próprio do administrador. Vedado ao Judiciário
5
substituí-lo. Admissível, porém, analisar os fundamentos da
 
decisão para concluir se a opção guarda respaldo jurídico. Dentre
 
conclusões legalmente admissíveis, a Administração escolhe a que
 
melhor atenda o interesse público. Resta ao Judiciário julgar a
 
conformidade do ato com o Direito.
Ementário STJ n.º 3/530 – RMS n.º 129-PR. Reg. n.º 8900116584. rel. Min. Vicente Cernicchiaro. 2.ª T. Unânime. DJ 2/4/90.
Considerando o texto acima, julgue os seguintes itens.
Do texto, pode-se inferir a aplicação do princípio da legalidade.
Questão 132

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
A independência e autonomia dos poderes registram nítida
 
distinção entre a instância judiciária e a administrativa. O mérito
 
do ato administrativo, entendido como juízo de oportunidade e
 
conveniência, é próprio do administrador. Vedado ao Judiciário
5
substituí-lo. Admissível, porém, analisar os fundamentos da
 
decisão para concluir se a opção guarda respaldo jurídico. Dentre
 
conclusões legalmente admissíveis, a Administração escolhe a que
 
melhor atenda o interesse público. Resta ao Judiciário julgar a
 
conformidade do ato com o Direito.
Ementário STJ n.º 3/530 – RMS n.º 129-PR. Reg. n.º 8900116584. rel. Min. Vicente Cernicchiaro. 2.ª T. Unânime. DJ 2/4/90.
Considerando o texto acima, julgue os seguintes itens.
Não há como extrair do texto a determinação de princípios que orientem o controle da administração pública.
Questão 133

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
A independência e autonomia dos poderes registram nítida
 
distinção entre a instância judiciária e a administrativa. O mérito
 
do ato administrativo, entendido como juízo de oportunidade e
 
conveniência, é próprio do administrador. Vedado ao Judiciário
5
substituí-lo. Admissível, porém, analisar os fundamentos da
 
decisão para concluir se a opção guarda respaldo jurídico. Dentre
 
conclusões legalmente admissíveis, a Administração escolhe a que
 
melhor atenda o interesse público. Resta ao Judiciário julgar a
 
conformidade do ato com o Direito.
Ementário STJ n.º 3/530 – RMS n.º 129-PR. Reg. n.º 8900116584. rel. Min. Vicente Cernicchiaro. 2.ª T. Unânime. DJ 2/4/90.
Considerando o texto acima, julgue os seguintes itens.
O texto faz referência expressa ao princípio da separação dos poderes, bem como define sucintamente o poder discricionário que deve estar presente nos atos administrativos.
Questão 134

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
A independência e autonomia dos poderes registram nítida
 
distinção entre a instância judiciária e a administrativa. O mérito
 
do ato administrativo, entendido como juízo de oportunidade e
 
conveniência, é próprio do administrador. Vedado ao Judiciário
5
substituí-lo. Admissível, porém, analisar os fundamentos da
 
decisão para concluir se a opção guarda respaldo jurídico. Dentre
 
conclusões legalmente admissíveis, a Administração escolhe a que
 
melhor atenda o interesse público. Resta ao Judiciário julgar a
 
conformidade do ato com o Direito.
Ementário STJ n.º 3/530 – RMS n.º 129-PR. Reg. n.º 8900116584. rel. Min. Vicente Cernicchiaro. 2.ª T. Unânime. DJ 2/4/90.
Considerando o texto acima, julgue os seguintes itens.
Pode-se dizer que, embora seja vedada a substituição do Poder Executivo pelo Poder Judiciário, o mesmo não se pode dizer da intervenção do Poder Executivo na esfera legislativa, uma vez que tem aquele funções atípicas de legislação.
Questão 135

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
A independência e autonomia dos poderes registram nítida
 
distinção entre a instância judiciária e a administrativa. O mérito
 
do ato administrativo, entendido como juízo de oportunidade e
 
conveniência, é próprio do administrador. Vedado ao Judiciário
5
substituí-lo. Admissível, porém, analisar os fundamentos da
 
decisão para concluir se a opção guarda respaldo jurídico. Dentre
 
conclusões legalmente admissíveis, a Administração escolhe a que
 
melhor atenda o interesse público. Resta ao Judiciário julgar a
 
conformidade do ato com o Direito.
Ementário STJ n.º 3/530 – RMS n.º 129-PR. Reg. n.º 8900116584. rel. Min. Vicente Cernicchiaro. 2.ª T. Unânime. DJ 2/4/90.
Considerando o texto acima, julgue os seguintes itens.
É vedado ao Poder Judiciário exercer funções típicas da administração pública, conforme o sistema constitucional brasileiro.
Questão 136

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Considerando os direitos e as garantias fundamentais dispostos na Constituição de 1988, julgue os itens subseqüentes.
A expressão de atividades científicas pode ser controlada pelo Estado brasileiro, devendo o cientista pedir licença estatal para divulgar suas descobertas.
Questão 137

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Considerando os direitos e as garantias fundamentais dispostos na Constituição de 1988, julgue os itens subseqüentes.
A criação de associações não depende de autorização estatal.
Questão 138

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Considerando os direitos e as garantias fundamentais dispostos na Constituição de 1988, julgue os itens subseqüentes.
O Estado não pode usar a propriedade particular nem mesmo em caso de iminente perigo público.
Questão 139

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Considerando os direitos e as garantias fundamentais dispostos na Constituição de 1988, julgue os itens subseqüentes.
A obtenção de certidões em repartições públicas, para a defesa de direitos e esclarecimento de situações de interesse pessoal, não depende do pagamento de taxas.
Questão 140

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Considerando os direitos e as garantias fundamentais dispostos na Constituição de 1988, julgue os itens subseqüentes.
O partido político com representação nacional pode impetrar mandado de segurança coletivo contra ilegalidade ou abuso de poder.
Questão 141

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Em cada um dos itens seguintes, é apresentada uma situação hipotética, seguida de uma assertiva a ser julgada.
Em uma determinada fazenda, localizada em rio que banha mais de um estado-membro da Federação brasileira, a União cedeu, mediante concessão real de uso, os terrenos marginais para um projeto socioambiental que envolvia população de baixa renda. Nessa situação, conforme as normas constitucionais e administrativas, a União dispôs regularmente dos bens públicos.
Questão 142

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Em cada um dos itens seguintes, é apresentada uma situação hipotética, seguida de uma assertiva a ser julgada.
Uma secretaria de determinado estado-membro da Federação brasileira abriu licitação, na modalidade de concorrência, para a construção de algumas escolas. A licitação se processou na seguinte ordem de atos: definição do objeto; publicidade do edital; classificação e julgamento; assinatura do contrato; recebimento do contrato. Nessa situação, a licitação se processou corretamente, seguindo as regras previstas na legislação vigente.
Questão 143

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Em cada um dos itens seguintes, é apresentada uma situação hipotética, seguida de uma assertiva a ser julgada.
Um funcionário público estável ausentou-se do serviço por quinze dias em virtude de seu casamento. O seu superior hierárquico condenou a atitude e disse que iria tomar as devidas providências, apreciando a sua responsabilidade. Nessa situação, assiste razão ao superior hierárquico, porque a ausência do funcionário excedeu o prazo legal.
Questão 144

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Em cada um dos itens seguintes, é apresentada uma situação hipotética, seguida de uma assertiva a ser julgada.
Após minuciosa avaliação médica, tornaram-se insubsistentes os motivos que sustentavam a aposentadoria por invalidez de determinado funcionário público. Desse modo, a administração pública promoveu a sua imediata reintegração. Nessa situação, agiu corretamente a administração pública.
Questão 145

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Em cada um dos itens seguintes, é apresentada uma situação hipotética, seguida de uma assertiva a ser julgada.
Uma funcionária pública, nomeada em vaga reservada para deficientes físicos, logo deixou de realizar adequadamente as suas atribuições. Após inspeção médica, comprovou-se que o motivo do não- atendimento às atribuições e responsabilidades exigidas pelo serviço deu-se por limitação física da funcionária. A administração pública readaptou-a para outra vaga. Nessa situação, a administração pública agiu em conformidade com a legislação vigente.
Questão 146

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania

» Esta questão foi anulada pela banca.
Considerando os aspectos do texto constitucional referentes à ordem econômica e financeira, julgue os itens que se seguem.
As contribuições sociais e de intervenção no domínio econômico de competência exclusiva da União poderão incidir sobre a importação de petróleo e seus derivados, de gás natural e seus derivados e de álcool combustível.
Questão 147

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania

» Esta questão foi anulada pela banca.
Considerando os aspectos do texto constitucional referentes à ordem econômica e financeira, julgue os itens que se seguem.
Um dentista, destinatário de operações de importação, poderá ser equiparado a pessoa jurídica, na forma da lei.
Questão 148

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Considerando os aspectos do texto constitucional referentes à ordem econômica e financeira, julgue os itens que se seguem.
Compete à União instituir impostos sobre transmissão causa mortis e doação de quaisquer bens e direitos.
Questão 149

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Considerando os aspectos do texto constitucional referentes à ordem econômica e financeira, julgue os itens que se seguem.
A instituição de imposto sobre a propriedade de veículos automotores e de imposto sobre operações relativas à circulação de mercadorias e sobre prestações de serviços de transporte interestadual e intermunicipal e de comunicação é de competência dos estados e do Distrito Federal (DF).
Questão 150

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Considerando os aspectos do texto constitucional referentes à ordem econômica e financeira, julgue os itens que se seguem.
A instituição do imposto sobre a propriedade predial e territorial urbana pertence aos estados e ao DF, em razão da observação do princípio da proporcionalidade aplicável à administração.
Questão 151

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Ainda considerando os aspectos do texto constitucional relativos à ordem econômica e financeira, julgue os itens seguintes.
A função social da propriedade é cumprida quando a propriedade rural atende, simultaneamente, à utilização adequada de recursos naturais disponíveis, à preservação ambiental e às políticas de assentamento de trabalhadores rurais.
Questão 152

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Ainda considerando os aspectos do texto constitucional relativos à ordem econômica e financeira, julgue os itens seguintes.
A partir da Constituição de 1988, já não se permite a aquisição ou o arrendamento de propriedade rural por pessoa física ou jurídica estrangeira.
Questão 153

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Ainda considerando os aspectos do texto constitucional relativos à ordem econômica e financeira, julgue os itens seguintes.
A Constituição de 1988 criou — ao lado do usucapião urbano — modo possível de aquisição de propriedade para quem, não sendo proprietário de imóvel rural ou urbano, possui como sua área de terra, em zona rural, não-superior a cinqüenta hectares, que tenha tornado produtiva por seu trabalho ou de sua família e que lhe sirva de moradia.
Questão 154

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Ainda considerando os aspectos do texto constitucional relativos à ordem econômica e financeira, julgue os itens seguintes.
No âmbito da reforma agrária, o texto constitucional contemplou o título de domínio e a concessão de uso com inegociabilidade perpétua.
Questão 155

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Ainda considerando os aspectos do texto constitucional relativos à ordem econômica e financeira, julgue os itens seguintes.
São passíveis de desapropriação para fins de reforma agrária a pequena e a média propriedade rural e a propriedade improdutiva.
Questão 156

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Acerca da ordem social nos termos da Constituição da República de 1988, julgue os itens subseqüentes.
A ordem social disposta na Constituição de 1988 tem como base a harmonia entre capital e trabalho.
Questão 157

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Acerca da ordem social nos termos da Constituição da República de 1988, julgue os itens subseqüentes.
Entre os objetivos da seguridade social, em face de recente processo de flexibilização, já não mais se inclui a universalização de cobertura e atendimento.
Questão 158

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Acerca da ordem social nos termos da Constituição da República de 1988, julgue os itens subseqüentes.
As universidades gozam de autonomia didático-científica, administrativa e de gestão financeira, bem como podem admitir professores estrangeiros em seus quadros.
Questão 159

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Acerca da ordem social nos termos da Constituição da República de 1988, julgue os itens subseqüentes.
A língua oficial do Brasil é a portuguesa, mas o ensino fundamental, em determinadas escolas brasileiras, pode ocorrer em língua indígena.
Questão 160

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Acerca da ordem social nos termos da Constituição da República de 1988, julgue os itens subseqüentes.
Cabe à União, aos estados e aos municípios a aplicação de 25% da receita dos impostos na manutenção e no desenvolvimento do ensino.
Questão 161

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Ainda acerca da ordem social nos termos da Constituição da República de 1988, julgue os itens abaixo.
Os recursos humanos nas áreas de pesquisa, ciência e tecnologia terão apoio do Estado brasileiro, bem como meios e condições especiais de trabalho.
Questão 162

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Ainda acerca da ordem social nos termos da Constituição da República de 1988, julgue os itens abaixo.
As empresas privadas que investirem em pesquisa e criação de tecnologia adequada ao país terão o apoio da lei.
Questão 163

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Ainda acerca da ordem social nos termos da Constituição da República de 1988, julgue os itens abaixo.
A produção e a programação de emissoras de rádio e televisão atenderão ao princípio da nacionalização cultural, artística e jornalística.
Questão 164

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Ainda acerca da ordem social nos termos da Constituição da República de 1988, julgue os itens abaixo.
O Estado brasileiro não tratará de maneira diferenciada os desportos profissional e amador ao fomentar as práticas desportivas formais e não-formais.
Questão 165

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Ainda acerca da ordem social nos termos da Constituição da República de 1988, julgue os itens abaixo.
O patrimônio cultural brasileiro constitui-se de bens materiais e imateriais, sendo que, por ditame constitucional, as chamadas formas de expressão e os modos de criar, fazer e viver dos grupos formadores da sociedade brasileira não podem ser incluídos como tal.
Questão 166

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Julgue os itens a seguir, relativos à educação na forma da Constituição da República.
O ensino religioso será ministrado nas escolas públicas de ensino fundamental, sendo a matrícula de alunos obrigatória.
Questão 167

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Julgue os itens a seguir, relativos à educação na forma da Constituição da República.
O dever de Estado com a educação será efetivado mediante a garantia de ensinos médio e fundamental gratuitos e superior pago.
Questão 168

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Julgue os itens a seguir, relativos à educação na forma da Constituição da República.
O ensino é livre à iniciativa privada, desde que atenda às condições das normas gerais da educação nacional, devendo funcionar mediante autorização e avaliação de qualidade pelo poder público.
Questão 169

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Julgue os itens a seguir, relativos à educação na forma da Constituição da República.
O aperfeiçoamento de ensino obrigatório pelo poder público e a sua oferta regular ficam condicionados à cláusula do economicamente possível.
Questão 170

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Julgue os itens a seguir, relativos à educação na forma da Constituição da República.
A gratuidade do ensino público em estabelecimentos oficiais é princípio de natureza constitucional.
Questão 171

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Julgue os itens que se seguem, com referência ao conceito de burocracia.
Uma das características do patrimonialismo é a apropriação de ativos e interesses públicos por particulares.
Questão 172

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Julgue os itens que se seguem, com referência ao conceito de burocracia.
O estamento burocrático, tal como definido por Faoro, é uma forma híbrida de burocracia patrimonial.
Questão 173

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Julgue os itens que se seguem, com referência ao conceito de burocracia.
A interpretação funcionalista de Weber elaborada pela sociologia americana, da qual se originou o campo de estudo denominado sociologia das organizações, abordava criticamente o fenômeno burocrático como uma forma de dominação.
Questão 174

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Julgue os itens que se seguem, com referência ao conceito de burocracia.
A organização pós-burocrática preconizada pela literatura organizacional a partir dos anos 60 do século XX baseia-se na emergência de organizações com uma morfologia diferente do tipo ideal weberiano, mas igualmente condicionada pelos imperativos da racionalidade funcional.
Questão 175

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania

» Esta questão foi anulada pela banca.
Julgue os itens que se seguem, com referência ao conceito de burocracia.
O tipo ideal burocrático weberiano prescrevia originalmente uma perfeita separação entre política e administração.
Questão 176

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Julgue os itens seguintes, a respeito do new public management (NPM).
O NPM é um conjunto de teorias predominantemente descritivas acerca do perfil de atuação do Estado que se baseiam em experiências peculiares e, portanto, possuem baixo grau de aplicabilidade generalizada.
Questão 177

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Julgue os itens seguintes, a respeito do new public management (NPM).
Um dos principais argumentos do NPM é que a crescente complexidade do contexto das organizações públicas requer modelos de gestão mais flexíveis, de tal forma a processarem demandas cada vez mais dinâmicas de seus segmentos beneficiários.
Questão 178

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Julgue os itens seguintes, a respeito do new public management (NPM).
Eficiência é o valor central da abordagem gerencialista.
Questão 179

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Julgue os itens seguintes, a respeito do new public management (NPM).
Uma das características da fase consumerista das reformas britânicas foi a redução do quadro de servidores.
Questão 180

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Julgue os itens seguintes, a respeito do new public management (NPM).
No Brasil, a reforma gerencial preconizada no Plano Diretor da Reforma do Aparelho do Estado foi inspirada predominantemente nas implementações britânicas dos princípios do NPM.
Questão 181

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Com referência à administração pública brasileira, julgue os itens abaixo.
O processo de construção nacional brasileiro revela uma harmônica correlação entre a consolidação do Estado democrático de direito e uma administração pública embasada nos princípios da impessoalidade, da formalidade e do universalismo de procedimentos.
Questão 182

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania

» Esta questão foi anulada pela banca.
Com referência à administração pública brasileira, julgue os itens abaixo.
Os elementos da atual política de gestão pública do governo federal incluem a implantação de centros de prestação de serviço para a execução de atividades auxiliares no âmbito das forças armadas.
Questão 183

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania

» Esta questão foi anulada pela banca.
Com referência à administração pública brasileira, julgue os itens abaixo.
A orientação do ajuste fiscal tem permitido a manutenção e o aprofundamento do processo de transformação institucional preconizado pelo Plano Diretor da Reforma do Aparelho do Estado.
Questão 184

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Com referência à administração pública brasileira, julgue os itens abaixo.
Os grupos executivos incumbidos da implementação do Plano de Metas de Juscelino Kubitschek enquadravam-se no modelo de órgão autônomo.
Questão 185

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Com referência à administração pública brasileira, julgue os itens abaixo.
A reversão parcial dos efeitos do Plano Collor sobre a administração pública procedida durante o governo Itamar Franco baseava-se no resgate do conceito de administração para a democracia.
Questão 186

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania

» Esta questão foi anulada pela banca.
Julgue os itens a seguir, acerca das agências reguladoras brasileiras.
A atividade regulatória aplica-se strictu sensu a qualquer mercado.
Questão 187

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Julgue os itens a seguir, acerca das agências reguladoras brasileiras.
Captura regulatória consiste em uma modalidade de disfunção da regulação caracterizada pelo enfraquecimento da entidade reguladora frente à influência preponderante de um ou mais agentes regulados.
Questão 188

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Julgue os itens a seguir, acerca das agências reguladoras brasileiras.
Entre os objetivos da regulação, figuram a promoção de simetria de informações e a minimização de falhas de mercado.
Questão 189

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Julgue os itens a seguir, acerca das agências reguladoras brasileiras.
As comissões parlamentares têm papel marcante no estabelecimento e na implementação das políticas regulatórias, segundo o modelo regulatório vigente no Brasil.
Questão 190

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Julgue os itens a seguir, acerca das agências reguladoras brasileiras.
Uma das principais questões concernentes à gestão da regulação participativa voltada ao desenvolvimento de mercado é o relacionamento com stakeholders consumidores e agentes econômicos que atuam ao longo da cadeia produtiva do segmento regulado.
Questão 191

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Com base no modelo de planejamento do Plano Plurianual (PPA), julgue os itens subseqüentes.
A arquitetura do modelo é descentralizada e essencialmente autonomista, promovendo a elaboração, a implementação e o monitoramento de programas a partir da capacidade de pensamento estratégico dos atores públicos.
Questão 192

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Com base no modelo de planejamento do Plano Plurianual (PPA), julgue os itens subseqüentes.
A integração entre orçamento e planejamento foi possibilitada pela flexibilização da classificação funcional programática, a fim de permitir programações globais por categoria de despesa para execução detalhada.
Questão 193

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Com base no modelo de planejamento do Plano Plurianual (PPA), julgue os itens subseqüentes.
O detalhamento dos programas comporta ações, objetivos, produtos, indicadores e metas.
Questão 194

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Com base no modelo de planejamento do Plano Plurianual (PPA), julgue os itens subseqüentes.
Gerente de programas é um encargo suplementar, extensivo a ocupantes de posições de direção na hierarquia dos ministérios, de forma a ampliar seu grau de autonomia de gestão em níveis compatíveis com as metas dos programas.
Questão 195

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Com base no modelo de planejamento do Plano Plurianual (PPA), julgue os itens subseqüentes.
O gerente-geral de programas em um determinado ministério é o responsável pela gestão dos processos de transformação organizacional.
Questão 196

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
A noção de conjunto fornece uma interpretação
 
concreta para algumas idéias de natureza lógica que são
 
fundamentais para a Matemática e o desenvolvimento do
 
raciocínio. Por exemplo, a implicação lógica denotada por
5
p q pode ser interpretada como uma inclusão entre
 
conjuntos, ou seja, como P Q, em que P é o conjunto
 
cujos objetos cumprem a condição p, e Q é o conjunto cujos
 
objetos cumprem a condição q.
Com o auxílio do texto acima, julgue se a proposição apresentada em cada item a seguir é equivalente à sentença abaixo.
.

Se um indivíduo não pode ter acesso às provas do concurso do Senado Federal, então ele não está inscrito nesse concurso.
Questão 197

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
A noção de conjunto fornece uma interpretação
 
concreta para algumas idéias de natureza lógica que são
 
fundamentais para a Matemática e o desenvolvimento do
 
raciocínio. Por exemplo, a implicação lógica denotada por
5
p q pode ser interpretada como uma inclusão entre
 
conjuntos, ou seja, como P Q, em que P é o conjunto
 
cujos objetos cumprem a condição p, e Q é o conjunto cujos
 
objetos cumprem a condição q.
Com o auxílio do texto acima, julgue se a proposição apresentada em cada item a seguir é equivalente à sentença abaixo.
.

O conjunto de indivíduos que não podem ter acesso às provas do concurso do Senado Federal e que estão inscritos nesse concurso é vazio.
Questão 198

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
A noção de conjunto fornece uma interpretação
 
concreta para algumas idéias de natureza lógica que são
 
fundamentais para a Matemática e o desenvolvimento do
 
raciocínio. Por exemplo, a implicação lógica denotada por
5
p q pode ser interpretada como uma inclusão entre
 
conjuntos, ou seja, como P Q, em que P é o conjunto
 
cujos objetos cumprem a condição p, e Q é o conjunto cujos
 
objetos cumprem a condição q.
Com o auxílio do texto acima, julgue se a proposição apresentada em cada item a seguir é equivalente à sentença abaixo.
.

Se um indivíduo não pode ter acesso às provas do concurso do Senado Federal, então ele não está inscrito nesse concurso.
Questão 199

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
A noção de conjunto fornece uma interpretação
 
concreta para algumas idéias de natureza lógica que são
 
fundamentais para a Matemática e o desenvolvimento do
 
raciocínio. Por exemplo, a implicação lógica denotada por
5
p q pode ser interpretada como uma inclusão entre
 
conjuntos, ou seja, como P Q, em que P é o conjunto
 
cujos objetos cumprem a condição p, e Q é o conjunto cujos
 
objetos cumprem a condição q.
Com o auxílio do texto acima, julgue se a proposição apresentada em cada item a seguir é equivalente à sentença abaixo.
.

O conjunto de indivíduos que podem ter acesso às provas do concurso do Senado Federal é igual ao conjunto de indivíduos que estão inscritos nesse concurso.
Questão 200

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
A noção de conjunto fornece uma interpretação
 
concreta para algumas idéias de natureza lógica que são
 
fundamentais para a Matemática e o desenvolvimento do
 
raciocínio. Por exemplo, a implicação lógica denotada por
5
p q pode ser interpretada como uma inclusão entre
 
conjuntos, ou seja, como P Q, em que P é o conjunto
 
cujos objetos cumprem a condição p, e Q é o conjunto cujos
 
objetos cumprem a condição q.
Com o auxílio do texto acima, julgue se a proposição apresentada em cada item a seguir é equivalente à sentença abaixo.
.

O conjunto de indivíduos que estão inscritos no concurso do Senado Federal ou que podem ter acesso às provas desse concurso está contido neste último conjunto.
Questão 201

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
O Teorema Fundamental da Aritmética afirma que:

Julgue se cada um dos itens subseqüentes reescreve, de modo correto e equivalente, o enunciado acima.

É condição suficiente que n seja um número natural para que n possa ser decomposto como um produto de fatores primos, de modo único, a menos da ordem dos fatores.
Questão 202

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
O Teorema Fundamental da Aritmética afirma que:

Julgue se cada um dos itens subseqüentes reescreve, de modo correto e equivalente, o enunciado acima.

É condição suficiente que n seja um número natural para que n possa ser decomposto como um produto de fatores primos, de modo único, a menos da ordem dos fatores.
Questão 203

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
O Teorema Fundamental da Aritmética afirma que:

Julgue se cada um dos itens subseqüentes reescreve, de modo correto e equivalente, o enunciado acima.

Se n não possuir decomposição como um produto de fatores primos, que seja única, a menos da ordem dos fatores, então n não é um número natural diferente de 1.
Questão 204

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
O Teorema Fundamental da Aritmética afirma que:

Julgue se cada um dos itens subseqüentes reescreve, de modo correto e equivalente, o enunciado acima.

Se n não possuir decomposição como um produto de fatores primos, que seja única, a menos da ordem dos fatores, então n não é um número natural diferente de 1.
Questão 205

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
O Teorema Fundamental da Aritmética afirma que:

Julgue se cada um dos itens subseqüentes reescreve, de modo correto e equivalente, o enunciado acima.

n é um número natural diferente de 1 se puder ser decomposto como um produto de fatores primos, de modo único, a menos da ordem dos fatores.
Questão 206

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
tautologia. S. f.
 
1. Vício de linguagem que consiste em dizer, por formas
 
diversas, sempre a mesma coisa: “A gramática usual é uma
 
série de círculos viciosos, uma tautologia infinita.” (João
5
Ribeiro, Cartas Devolvidas, p. 45).
 
2. Filos. Proposição que tem por sujeito e predicado um
 
mesmo conceito, expresso ou não pelo mesmo termo.
 
3. Filos. Erro lógico que consiste em aparentemente
 
demonstrar uma tese repetindo-a com palavras diferentes.
10
4. Na linguagem da lógica proposicional, denomina-se
 
tautologia a toda fórmula α (nessa linguagem) para a qual
 
toda valoração verdadeira ou falsa dada a seus símbolos
 
proposicionais resulta que α é verdadeira.
Novo Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.
Considerando as acepções listadas acima, julgue, em cada item a seguir, se a proposição apresentada é uma tautologia de acordo com a acepção que a precede.
acepção 2: O sal é salgado.
Questão 207

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
tautologia. S. f.
 
1. Vício de linguagem que consiste em dizer, por formas
 
diversas, sempre a mesma coisa: “A gramática usual é uma
 
série de círculos viciosos, uma tautologia infinita.” (João
5
Ribeiro, Cartas Devolvidas, p. 45).
 
2. Filos. Proposição que tem por sujeito e predicado um
 
mesmo conceito, expresso ou não pelo mesmo termo.
 
3. Filos. Erro lógico que consiste em aparentemente
 
demonstrar uma tese repetindo-a com palavras diferentes.
10
4. Na linguagem da lógica proposicional, denomina-se
 
tautologia a toda fórmula α (nessa linguagem) para a qual
 
toda valoração verdadeira ou falsa dada a seus símbolos
 
proposicionais resulta que α é verdadeira.
Novo Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.
Considerando as acepções listadas acima, julgue, em cada item a seguir, se a proposição apresentada é uma tautologia de acordo com a acepção que a precede.
acepção 2: Todo indivíduo gordo ingere mais alimentos do que necessita.
Questão 208

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
tautologia. S. f.
 
1. Vício de linguagem que consiste em dizer, por formas
 
diversas, sempre a mesma coisa: “A gramática usual é uma
 
série de círculos viciosos, uma tautologia infinita.” (João
5
Ribeiro, Cartas Devolvidas, p. 45).
 
2. Filos. Proposição que tem por sujeito e predicado um
 
mesmo conceito, expresso ou não pelo mesmo termo.
 
3. Filos. Erro lógico que consiste em aparentemente
 
demonstrar uma tese repetindo-a com palavras diferentes.
10
4. Na linguagem da lógica proposicional, denomina-se
 
tautologia a toda fórmula α (nessa linguagem) para a qual
 
toda valoração verdadeira ou falsa dada a seus símbolos
 
proposicionais resulta que α é verdadeira.
Novo Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.
Considerando as acepções listadas acima, julgue, em cada item a seguir, se a proposição apresentada é uma tautologia de acordo com a acepção que a precede.
acepção 3: Para provar que 0 < 1, suponha que 1 > 0; como isso é claramente verdade, conclui-se que 0 < 1.
Questão 209

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
tautologia. S. f.
 
1. Vício de linguagem que consiste em dizer, por formas
 
diversas, sempre a mesma coisa: “A gramática usual é uma
 
série de círculos viciosos, uma tautologia infinita.” (João
5
Ribeiro, Cartas Devolvidas, p. 45).
 
2. Filos. Proposição que tem por sujeito e predicado um
 
mesmo conceito, expresso ou não pelo mesmo termo.
 
3. Filos. Erro lógico que consiste em aparentemente
 
demonstrar uma tese repetindo-a com palavras diferentes.
10
4. Na linguagem da lógica proposicional, denomina-se
 
tautologia a toda fórmula α (nessa linguagem) para a qual
 
toda valoração verdadeira ou falsa dada a seus símbolos
 
proposicionais resulta que α é verdadeira.
Novo Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.
Considerando as acepções listadas acima, julgue, em cada item a seguir, se a proposição apresentada é uma tautologia de acordo com a acepção que a precede.
acepção 4: Se 7% dos candidatos inscritos no concurso público do Senado Federal concorrem a vagas para o cargo de Consultor de Orçamentos e 93% concorrem para Consultor Legislativo, então a maioria dos candidatos no concurso público do Senado Federal concorre para o cargo de Consultor Legislativo.
Questão 210

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
tautologia. S. f.
 
1. Vício de linguagem que consiste em dizer, por formas
 
diversas, sempre a mesma coisa: “A gramática usual é uma
 
série de círculos viciosos, uma tautologia infinita.” (João
5
Ribeiro, Cartas Devolvidas, p. 45).
 
2. Filos. Proposição que tem por sujeito e predicado um
 
mesmo conceito, expresso ou não pelo mesmo termo.
 
3. Filos. Erro lógico que consiste em aparentemente
 
demonstrar uma tese repetindo-a com palavras diferentes.
10
4. Na linguagem da lógica proposicional, denomina-se
 
tautologia a toda fórmula α (nessa linguagem) para a qual
 
toda valoração verdadeira ou falsa dada a seus símbolos
 
proposicionais resulta que α é verdadeira.
Novo Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.
Considerando as acepções listadas acima, julgue, em cada item a seguir, se a proposição apresentada é uma tautologia de acordo com a acepção que a precede.
acepção 4: A gramática usual é uma série de círculos viciosos, uma tautologia infinita.
Questão 211

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Julgue os itens que se seguem.
Se uma pessoa, trabalhando 4 horas por dia, gasta 10 dias para analisar 20 processos, então, mantendo-se as mesmas condições de trabalho e eficiência, ela também gastaria 10 dias para analisar 40 processos, trabalhando 8 horas por dia.
Questão 212

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Julgue os itens que se seguem.
Sabendo que, na seqüência {1, 1, 3, 2, 5, 4, 7, 8, 9, 16, ...}, os termos de ordem ímpar estão em progressão aritmética e os de ordem par estão em progressão geométrica, conclui-se que o termo de ordem 999 dessa seqüência é maior que 1.000.
Questão 213

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Julgue os itens que se seguem.
É financeiramente mais vantajoso aplicar, pelo período de dois anos, um montante a uma taxa de juros simples de 5,5% ao semestre que aplicar essa mesma quantia, pelo mesmo período, a uma taxa de juros compostos de 10% ao ano.
Questão 214

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Julgue os itens que se seguem.
Se o cartucho de tinta preta de uma impressora tem volume igual a 5 cm3 e com ele é possível imprimir 80 metros do trecho “SENADOSENADOSENADOSENADO...”, então, para imprimir 20,8 km desse mesmo trecho seria necessário menos de 1 litro de tinta preta.
Questão 215

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Julgue os itens que se seguem.
Considere que um programa de televisão ofereça as duas opções de premiação seguintes:
I um milhão de reais para cada pergunta respondida corretamente em um conjunto de 30 perguntas;
II R$ 1,00 para a primeira pergunta, R$ 2,00 para a segunda, R$ 4,00 para a terceira, e assim por diante, duplicando a quantia a cada pergunta respondida corretamente, até a trigésima.
Nessa situação, para um participante que responda corretamente a todas as perguntas, é financeiramente mais vantajosa a opção II.
Questão 216

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O Censo 2000 revelou importantes aspectos relativos à população
 
brasileira, conforme ilustra o esquema abaixo.
 
 
Com base nos dados apresentados acima, julgue os seguintes itens.
Em 1970, existia pelo menos uma mulher brasileira que era mãe de, no mínimo, 6 filhos.
Questão 217

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O Censo 2000 revelou importantes aspectos relativos à população
 
brasileira, conforme ilustra o esquema abaixo.
 
 
Com base nos dados apresentados acima, julgue os seguintes itens.
Apenas com os dados fornecidos no esquema, é possível concluir que, em 2000, o número de homens na população brasileira era inferior ao de 1996.
Questão 218

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O Censo 2000 revelou importantes aspectos relativos à população
 
brasileira, conforme ilustra o esquema abaixo.
 
 
Com base nos dados apresentados acima, julgue os seguintes itens.
A proporção de idosos na população brasileira dobrou no período de 1980 a 2000.
Questão 219

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O Censo 2000 revelou importantes aspectos relativos à população
 
brasileira, conforme ilustra o esquema abaixo.
 
 
Com base nos dados apresentados acima, julgue os seguintes itens.
Em 2000, escolhendo-se ao acaso um indivíduo na população brasileira, a probabilidade de ele ser do sexo feminino era maior que 0,5.
Questão 220

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O Censo 2000 revelou importantes aspectos relativos à população
 
brasileira, conforme ilustra o esquema abaixo.
 
 
Com base nos dados apresentados acima, julgue os seguintes itens.
Se a mesma taxa de crescimento da população brasileira observada no período de 1990 a 2000 se mantivesse em cada uma das décadas do século XXI, então a população estaria crescendo em progressão aritmética de razão igual a 1,4%.
Questão 221

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
As quatro proposições categóricas de Aristóteles (384 a 322 a.C.),
 
componentes fundamentais de seus silogismos, podem ser
 
simbolizadas pelas fórmulas da linguagem da lógica de 1.ª ordem,
 
mostradas na tabela abaixo.
5
proposição categórica representação simbólica
 
 
 
 
Denotando por AB qualquer uma das quatro proposições categóricas,
10
e denominando A e B os termos de AB, então um silogismo consiste
 
(sintaticamente) de uma seqüência de três proposições categóricas
 
construídas com três termos, de modo que cada duas delas tenham
 
exatamente um termo comum.
 
15
Para os termos A, B e C, a tabela abaixo apresenta os quatro
 
possíveis modelos de silogismos.
 
 
Utilizando essas informações, julgue os itens que se seguem.
Considerando que cada uma das três proposições de cada modelo de silogismo pode ter um dos quatro tipos de proposições categóricas, há 43 silogismos distintos em cada modelo.
Questão 222

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
As quatro proposições categóricas de Aristóteles (384 a 322 a.C.),
 
componentes fundamentais de seus silogismos, podem ser
 
simbolizadas pelas fórmulas da linguagem da lógica de 1.ª ordem,
 
mostradas na tabela abaixo.
5
proposição categórica representação simbólica
 
 
 
 
Denotando por AB qualquer uma das quatro proposições categóricas,
10
e denominando A e B os termos de AB, então um silogismo consiste
 
(sintaticamente) de uma seqüência de três proposições categóricas
 
construídas com três termos, de modo que cada duas delas tenham
 
exatamente um termo comum.
 
15
Para os termos A, B e C, a tabela abaixo apresenta os quatro
 
possíveis modelos de silogismos.
 
 
Utilizando essas informações, julgue os itens que se seguem.
A dedução exibida a seguir é a representação, na lógica de1.ª ordem, de um modelo de silogismo da 1.ª forma.
.
Questão 223

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
As quatro proposições categóricas de Aristóteles (384 a 322 a.C.),
 
componentes fundamentais de seus silogismos, podem ser
 
simbolizadas pelas fórmulas da linguagem da lógica de 1.ª ordem,
 
mostradas na tabela abaixo.
5
proposição categórica representação simbólica
 
 
 
 
Denotando por AB qualquer uma das quatro proposições categóricas,
10
e denominando A e B os termos de AB, então um silogismo consiste
 
(sintaticamente) de uma seqüência de três proposições categóricas
 
construídas com três termos, de modo que cada duas delas tenham
 
exatamente um termo comum.
 
15
Para os termos A, B e C, a tabela abaixo apresenta os quatro
 
possíveis modelos de silogismos.
 
 
Utilizando essas informações, julgue os itens que se seguem.
A fórmula é equivalente a .
Questão 224

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
As quatro proposições categóricas de Aristóteles (384 a 322 a.C.),
 
componentes fundamentais de seus silogismos, podem ser
 
simbolizadas pelas fórmulas da linguagem da lógica de 1.ª ordem,
 
mostradas na tabela abaixo.
5
proposição categórica representação simbólica
 
 
 
 
Denotando por AB qualquer uma das quatro proposições categóricas,
10
e denominando A e B os termos de AB, então um silogismo consiste
 
(sintaticamente) de uma seqüência de três proposições categóricas
 
construídas com três termos, de modo que cada duas delas tenham
 
exatamente um termo comum.
 
15
Para os termos A, B e C, a tabela abaixo apresenta os quatro
 
possíveis modelos de silogismos.
 
 
Utilizando essas informações, julgue os itens que se seguem.
Nunca é verdadeiro o silogismo descrito por:
.
Questão 225

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
As quatro proposições categóricas de Aristóteles (384 a 322 a.C.),
 
componentes fundamentais de seus silogismos, podem ser
 
simbolizadas pelas fórmulas da linguagem da lógica de 1.ª ordem,
 
mostradas na tabela abaixo.
5
proposição categórica representação simbólica
 
 
 
 
Denotando por AB qualquer uma das quatro proposições categóricas,
10
e denominando A e B os termos de AB, então um silogismo consiste
 
(sintaticamente) de uma seqüência de três proposições categóricas
 
construídas com três termos, de modo que cada duas delas tenham
 
exatamente um termo comum.
 
15
Para os termos A, B e C, a tabela abaixo apresenta os quatro
 
possíveis modelos de silogismos.
 
 
Utilizando essas informações, julgue os itens que se seguem.
A seguinte cadeia de proposições pode ser traduzida como um dos quatro modelos de silogismo: Algumas mulheres não são religiosas. Todas as freiras são mulheres. Logo, algumas freiras não são religiosas..
Questão 226

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Julgue os itens seguintes.
Considerando que o gráfico abaixo relacione a porcentagem de poluente a ser removido por uma empresa em função do custo de remoção, é correto afirmar que o custo de remoção dos últimos 7% de poluente é mais de 5 vezes superior ao custo de remoção dos primeiros 54% de poluente.
.
Questão 227

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Julgue os itens seguintes.
Considerando que o gráfico abaixo relacione o custo e a receita relativos, respectivamente, à produção e à venda de uma revista em função do número de assinantes, é correto afirmar que o investimento será lucrativo se o número de assinantes for maior que n.
.
Questão 228

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Julgue os itens seguintes.
Sabendo que, segundo dados da revista Istoé n.º 1.657, de4/7/2001, as pessoas negras no Brasil permanecem, em média, menos tempo na escola que as pessoas brancas, embora o nível de escolaridade delas venha aumentando, e supondo que esse aumento seja linear e que o gráfico abaixo retrate esse quadro, então, nessa situação, é correto inferir que os negros nascidos em 1983 permaneceram, em média, menos de 7 anos na escola.
.
Questão 229

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Julgue os itens seguintes.
Considere os resultados apresentados na tabela abaixo, que foram obtidos a partir de informação da Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), acerca dos programas de pós-graduação no Brasil avaliados no ano 2000.

Nessa situação, pode estar correta a representação dos dados da tabela no gráfico de setores mostrado abaixo.
.
Questão 230

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
Julgue os itens seguintes.
Suponha que os gráficos I e II abaixo representem, respectivamente, as notas na prova de Língua Portuguesa, que tem um valor máximo de 10 pontos, obtidas por 10 candidatos a cada um dos cargos de Consultor Legislativo e Consultor de Orçamentos do Senado Federal. Nessa situação, é correto afirmar que o desvio-padrão da série de notas do gráfico I é maior que o da série de notas do gráfico II.

.
Questão 231

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
When preparing a speech, public speakers today are
 
often offered this advice “1) Just tell’em what you’re going
 
to tell’em; 2) tell’em; 3) then, tell’em what you told’em.”
 
This sage advice is a distilled version of classical
5
speech structure outlined more than 2,000 years ago, when
 
philosophers examined the great public speeches of the day,
 
such as Pericles famed funeral oration delivered in 430 BC,
 
and the impassioned courtroom speeches of Cicero,
 
considered the most eloquent speaker of all of Rome, to
10
determine the secrets of their success. The ancient Greeks
 
and Romans concluded that all public speech could be
 
broken down into six separate parts:
 
 
1 the introduction (exordium),
15
2 the proposition (narratio),
 
3 the outline of what’s to follow (partilio),
 
4 the proof (confirmatio),
 
5 the refutation (refutatio),
 
6 the conclusion (peroratio).
20
 
Successful speakers, these philosophers pointed out,
 
each had different goals and, depending on which part of the
 
speech they were in, used different rhetorical devices to
 
achieve them. During a speech’s introduction, for example,
25
the speaker should establish ethos, or credibility, with the
 
audience. To do so, a speaker may explain that she shares the
 
same concerns and values as her listeners. During the
 
proposition, the speaker briefly states her case, for example,
 
“we should have more field trips at school” or “income taxes
30
are too high”. In the outline, the speaker prepares the listener
 
with what to expect next. In addition to helping the speaker
 
organize her thoughts, stating the outline of the speech also
 
helped the speaker remember what she had planned to say,
 
especially in the days before teleprompters and cue
35
cards. The proof usually makes up the bulk of a speech, and
 
in it, the speaker should make appeals to logos, or logic,
 
possibly by bringing in outside sources and references to
 
support her case. During the refutation, the speaker attacks
 
the validity of her opponent’s arguments. In the conclusion
40
section, speakers often summarize their position, build
 
emotion and end with a call to action, usually by making an
 
appeal to pathos, or emotion.
Internet: <http://www.pbs.org/greatspeeches/criticscorn/cc_pr.html> (with adaptations).
It can be deduced from text LI that.
classical speech structure was sketched by philosophers more than twenty centuries ago.
Questão 232

Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
When preparing a speech, public speakers today are
 
often offered this advice “1) Just tell’em what you’re going
 
to tell’em; 2) tell’em; 3) then, tell’em what you told’em.”
 
This sage advice is a distilled version of classical
5
speech structure outlined more than 2,000 years ago, when
 
philosophers examined the great public speeches of the day,
 
such as Pericles famed funeral oration delivered in 430 BC,
 
and the impassioned courtroom speeches of Cicero,
 
considered the most eloquent speaker of all of Rome, to
10
determine the secrets of their success. The ancient Greeks
 
and Romans concluded that all public speech could be
 
broken down into six separate parts:
 
 
1 the introduction (exordium),
15
2 the proposition (narratio),
 
3 the outline of what’s to follow (partilio),
 
4 the proof (confirmatio),
 
5 the refutation (refutatio),
 
6 the conclusion (peroratio).
20
 
Successful speakers, these philosophers pointed out,
 
each had different goals and, depending on which part of the
 
speech they were in, used different rhetorical devices to
 
achieve them. During a speech’s introduction, for example,
25
the speaker should establish ethos, or credibility, with the
 
audience. To do so, a speaker may explain that she shares the
 
same concerns and values as her listeners. During the
 
proposition, the speaker briefly states her case, for example,
 
“we should have more field trips at school” or “income taxes
30
are too high”. In the outline, the speaker prepares the listener
 
with what to expect next. In addition to helping the speaker
 
organize her thoughts, stating the outline of the speech also
 
helped the speaker remember what she had planned to say,
 
especially in the days before teleprompters and cue
35
cards. The proof usually makes up the bulk of a speech, and
 
in it, the speaker should make appeals to logos, or logic,
 
possibly by bringing in outside sources and references to
 
support her case. During the refutation, the speaker attacks
 
the validity of her opponent’s arguments. In the conclusion
40
section, speakers often summarize their position, build
 
emotion and end with a call to action, usually by making an
 
appeal to pathos, or emotion.
Internet: <http://www.pbs.org/greatspeeches/criticscorn/cc_pr.html> (with adaptations).
It can be deduced