×
Analista de Planejamento e Orçamento - Gestão de Infraestrutura de TI Analista de Planejamento e Orçamento - Gestão e Desenvolvimento de Sistemas Analista de Planejamento e Orçamento - Planejamento e Orçamento
×
MPOG 2008 MPOG 2009 MPOG 2010 MPOG 2012 MPOG 2013

MPOG 2015

Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI

Questão 1

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
1
Hoje em dia vemos muitas matérias em
 
jornais, títulos de livros, artigos em periódicos
 
e magazines que usam a palavra crise: “crise
 
financeira”, “crise política”, “crise moral”, “crise
5
existencial”, “crise da representação”, “crise
 
do livro”, “crise da educação” etc. Quando
 
começamos a ler estes textos, frequentemente
 
nos damos conta de que são narrativas em
 
que se projetam imagens de uma estabilidade
10
antes inexistente, seguida por uma decadência
 
ou fi m de alguma coisa. Em outras palavras,
 
presume-se que algo estável (o mundo das
 
finanças, a política, a moral, a existência
 
humana, o livro...) perde esta condição ou tem
15
esta condição colocada em xeque. A crise é
 
apresentada, então, como um problema, sem
 
que se argumente que há também um problema
 
nessas narrativas. Qual?
 
Muitas vezes a presumida “estabilidade” que
20
existiria antes e que supostamente é ameaçada
 
na crise é apenas uma idealização que nunca
 
correspondeu a uma realidade efetiva. Claro, a
 
partir dessa idealização, pode-se criticar o que
 
se presume ser uma ameaça, decadência ou
25
fi m; mas a crítica é feita em relação ao que foi
 
idealizado anteriormente.
(Adaptado de José Luís Jobim. Literatura e cultura: do nacional ao transnacional, 2013, p. 67)
A partir das ideias do texto, julgue como verdadeiras (V) ou falsas (F) as inferências abaixo e, em seguida, assinale a sequência correta.

( ) Muito se tem escrito sobre crise na atualidade.
( ) A noção de crise é falsa, fruto da ansiedade do mundo contemporâneo.
( ) Atualmente o mundo passa por um período de crise nos mais diversos setores.
( ) A noção de crise se constrói quando alguma forma de estabilidade é vista como ameaçada.
( ) Quando se fala em crise, não se problematiza a noção de estabilidade com a qual a ideia de crise se relaciona.

Questão 2

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
1
Hoje em dia vemos muitas matérias em
 
jornais, títulos de livros, artigos em periódicos
 
e magazines que usam a palavra crise: “crise
 
financeira”, “crise política”, “crise moral”, “crise
5
existencial”, “crise da representação”, “crise
 
do livro”, “crise da educação” etc. Quando
 
começamos a ler estes textos, frequentemente
 
nos damos conta de que são narrativas em
 
que se projetam imagens de uma estabilidade
10
antes inexistente, seguida por uma decadência
 
ou fi m de alguma coisa. Em outras palavras,
 
presume-se que algo estável (o mundo das
 
finanças, a política, a moral, a existência
 
humana, o livro...) perde esta condição ou tem
15
esta condição colocada em xeque. A crise é
 
apresentada, então, como um problema, sem
 
que se argumente que há também um problema
 
nessas narrativas. Qual?
 
Muitas vezes a presumida “estabilidade” que
20
existiria antes e que supostamente é ameaçada
 
na crise é apenas uma idealização que nunca
 
correspondeu a uma realidade efetiva. Claro, a
 
partir dessa idealização, pode-se criticar o que
 
se presume ser uma ameaça, decadência ou
25
fi m; mas a crítica é feita em relação ao que foi
 
idealizado anteriormente.
(Adaptado de José Luís Jobim. Literatura e cultura: do nacional ao transnacional, 2013, p. 67)
Os verbos “perder” e “ter", no período “Em outras palavras, presume-se que algo estável (o mundo das finanças, a política, a moral, a existência humana, o livro...) perde esta condição ou tem esta condição colocada em xeque” (l. 11-15), têm, como sujeito,

Questão 3

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
1
Na área ficcional, opondo-se 1__ inconsciência,
 
ou seja, reagindo 2__ má consciência, haveremos
 
de governar, dentro do possível, a obra em geral
 
e, em particular, as personagens. Negaremos 3 __
5
personagens, honestamente, qualquer parcela de
 
vontade. Cada uma será assim porque nos pareceu,
 
quase sempre ao cabo de cálculos e ensaios, acréscimos
 
e cortes, que assim devia ser; e está no relato porque
 
foi necessário, porque julgamos oportuno dar-lhe uma
10
função ainda que fosse 4__ de parecer disponível.
 
Nem uma palavra lhes será disponível sem licença ou
 
aprovação. Ainda que alguns dos seus remotos modelos
 
possam existir fora de nós, só existem 5__ partir do
 
momento em que nossas palavras o efetivam.
(Adaptado de Osman Lins, Guerra sem testemunhas, 1974, p. 16)
Quanto ao uso do sinal indicativo da crase, assinale a opção que preenche, de forma gramaticalmente correta, as lacunas do texto.

Questão 4

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
1
Na área ficcional, opondo-se 1__ inconsciência,
 
ou seja, reagindo 2__ má consciência, haveremos
 
de governar, dentro do possível, a obra em geral
 
e, em particular, as personagens. Negaremos 3 __
5
personagens, honestamente, qualquer parcela de
 
vontade. Cada uma será assim porque nos pareceu,
 
quase sempre ao cabo de cálculos e ensaios, acréscimos
 
e cortes, que assim devia ser; e está no relato porque
 
foi necessário, porque julgamos oportuno dar-lhe uma
10
função ainda que fosse 4__ de parecer disponível.
 
Nem uma palavra lhes será disponível sem licença ou
 
aprovação. Ainda que alguns dos seus remotos modelos
 
possam existir fora de nós, só existem 5__ partir do
 
momento em que nossas palavras o efetivam.
(Adaptado de Osman Lins, Guerra sem testemunhas, 1974, p. 16)
Leia os trechos a seguir e ordene-os de modo a preservar a coerência e a coesão textual.

( ) A palavra “filosofia” deriva dos termos gregos fi los (amante, amigo) e sofia (sabedoria, saber). A junção desses dois termos é atribuída, tradicionalmente a Pitágoras.
( ) Neste sentido, o filósofo seria apenas um amigo ou amante do saber e a filosofia significaria o amor à sabedoria.
( ) Seguindo a linha de seu mestre Sócrates, que reconhecia nada saber, parecia-lhe que a ninguém era possível apossar-se da verdade.
( ) Atribui-se também a origem dessa composição a Platão, que teria questionado a ideia de posse do saber, comum aos pensadores do seu tempo.
( ) Diz-se que Pitágoras, ao ser perguntado pelo príncipe Leonte sobre a origem de sua sabedoria, teria respondido que era apenas um filósofo, assumindo assim a posição não de um sábio, mas de alguém que buscava a sabedoria.
(Adaptado de Filosofia, de Cleides Antonio Cabral, p. 11)

A sequência correta obtida é

Questão 5

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
1
O filósofo e doutor em educação Mário Sérgio
 
Cortella, 61 anos, começa a entrevista dizendo:
 
“Hoje, o Boko Haram matou cem pessoas no
 
norte de Camarões… Todo dia há notícias
5
assim”. O grupo fanático que ele menciona
 
tenta fazer da Nigéria, vizinha de Camarões,
 
uma república islâmica. E usa a barbárie para
 
suplantar a marginalização política, econômica
 
e social a que fora relegado pelos últimos
10
governos. Essa facção sanguinária tornou-se
 
conhecida do público ao sequestrar 200 meninas
 
nigerianas numa escola, em 2014. Muitas foram
 
estupradas. Disputam o noticiário as degolas
 
de civis por outro bando de radicais, o Estado
15
Islâmico, e, ainda, os rescaldos do atentado ao
 
semanário francês Charlie Hebdo, com a rejeição
 
generalizada aos que professam o islamismo, a
 
religião maometana que não prega o ódio – muito
 
menos a matança.
(Adaptado de Patrícia Zaidan. Fonte: http://www.contioutra.com/ todo-preconceituoso-e-covarde-o-ofendido-precisa-compreen- der-isso-afi rma-mario-sergio-cortella/. Acesso em 30.07.2015)
Assinale a opção incorreta a respeito do uso das estruturas linguísticas do texto.

Questão 6

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
1
Quando, em 2001, Facundo Manes regressou
 
a seu país, a Argentina, depois de concluir um
 
mestrado de ciências em Cambridge, estava
 
convencido de que, para criar um polo científico
5
relevante, só se necessitava de quatro paredes
 
e um punhado de mentes brilhantes. O que o
 
inspirou foi sua passagem pelos Laboratórios
 
Cavendish, lugar pelo qual já desfilaram mentes
 
como as de Isaac Newton e Stephen Hawking.
10
Sem pensar duas vezes, fundou o Instituto de
 
Neurologia Cognitiva (Ineco) para investigar
 
temas como a memória, a tomada de decisões
 
e as emoções de forma multidisciplinar, unindo
 
os conhecimentos de cientistas de diversas
15
áreas. Hoje, sua criação é um polo de referência
 
na América Latina. Já produziu mais de 180
 
trabalhos científicos, publicados em revistas
 
internacionais de prestígio, como Brain e Nature
 
Neuroscience.
(Fonte:http://brasil.elpais.com/brasil/2015/07/09/ ciencia/1436463420_426214.html. Acesso em 01 de agosto de 2015)
Sobre o uso das estruturas linguísticas do texto, assinale a opção incorreta.

Questão 7

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 8

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
1
Este livro pretende demarcar uma área de pesquisa
 
e reflexão dentro da antropologia contemporânea. Esta
 
tem hoje tantas possibilidades, tornando-se um campo
 
de conhecimento de tal forma rico e complexo, que
5
não é mais possível a fi gura do generalista capaz de
 
dominá-la em seus vários ramos e tendências. A própria
 
antropologia social, aparentemente uma subárea, já abriu
 
tantos espaços e produziu uma bibliografia tão vasta que
 
é incomum encontrar profissionais que, por exemplo,
10
se movam com familiaridade do estudo de sociedades
 
indígenas sul-americanas para a problemática do meio
 
urbano com toda a sua diversidade ou mesmo para as
 
discussões sobre campesinato, trabalhadores rurais
 
etc. No entanto, permanece, como ponto aglutinador e
15
condensador, uma problemática teórica, às vezes deixada
 
de lado ou marginalizada. Os nomes podem variar, assim
 
como as ênfases, mas a questão da unidade e continuidade
 
dos sistemas sociais permanece sendo referência central
 
da disciplina. Quer se privilegie o consenso ou o conflito,
20
quer se parta do indivíduo ou da sociedade e/ou cultura,
 
estamos sempre lidando com o dilema da estabilidade e
 
da descontinuidade. Como se estabelecem pactos? Como
 
se efetiva a dominação? De que forma são socializados
 
e incorporados os indivíduos? Como é possível exercer o
25
poder e que padrões de reciprocidade sustentam redes de
 
relações sociais?
(Adaptado de Gilberto Velho, Individualismo e cultura: notas para uma Antropologia da Sociedade Contemporânea, 2004, p. 7).
A partir das ideias do texto, julgue como verdadeiras (V) ou falsas (F) as inferências a seguir.

( ) A antropologia social é um ramo recente da antropologia.
( ) A antropologia social ainda não defi niu com clareza seu objeto.
( ) São poucos os pesquisadores familiarizados com todos os temas da antropologia social.
( ) A relação entre estabilidade e descontinuidade dos sistemas sociais é um problema teórico central da antropologia social.
( ) A antropologia social estuda, sobretudo, as relações de poder.

A sequência correta é:

Questão 9

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
1
Este livro pretende demarcar uma área de pesquisa
 
e reflexão dentro da antropologia contemporânea. Esta
 
tem hoje tantas possibilidades, tornando-se um campo
 
de conhecimento de tal forma rico e complexo, que
5
não é mais possível a fi gura do generalista capaz de
 
dominá-la em seus vários ramos e tendências. A própria
 
antropologia social, aparentemente uma subárea, já abriu
 
tantos espaços e produziu uma bibliografia tão vasta que
 
é incomum encontrar profissionais que, por exemplo,
10
se movam com familiaridade do estudo de sociedades
 
indígenas sul-americanas para a problemática do meio
 
urbano com toda a sua diversidade ou mesmo para as
 
discussões sobre campesinato, trabalhadores rurais
 
etc. No entanto, permanece, como ponto aglutinador e
15
condensador, uma problemática teórica, às vezes deixada
 
de lado ou marginalizada. Os nomes podem variar, assim
 
como as ênfases, mas a questão da unidade e continuidade
 
dos sistemas sociais permanece sendo referência central
 
da disciplina. Quer se privilegie o consenso ou o conflito,
20
quer se parta do indivíduo ou da sociedade e/ou cultura,
 
estamos sempre lidando com o dilema da estabilidade e
 
da descontinuidade. Como se estabelecem pactos? Como
 
se efetiva a dominação? De que forma são socializados
 
e incorporados os indivíduos? Como é possível exercer o
25
poder e que padrões de reciprocidade sustentam redes de
 
relações sociais?
(Adaptado de Gilberto Velho, Individualismo e cultura: notas para uma Antropologia da Sociedade Contemporânea, 2004, p. 7).
Assinale a opção que contém erro de grafia.

Questão 10

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
1
Um estudo demonstrou que é possível transportar
 
amostras de sangue em drones pequenos para a
 
realização de exames sem alterar a qualidade da
 
amostra. A estratégia pode ajudar a tornar exames
5
de rotina mais acessíveis em regiões isoladas,
 
com pouco acesso por estrada, por exemplo. A
 
pesquisa que chegou a essa conclusão – feita
 
pela Universidade Johns Hopkins, nos Estados
 
Unidos – foi publicada na revista científica Plos
10
one nesta quarta-feira (29).
 
O que os cientistas queriam avaliar era se
 
as amostras não perdem a qualidade depois de
 
jornadas de até 40 minutos a bordo do drone.
 
Além do tempo do percurso, preocupava os
15
pesquisadores a aceleração no lançamento do
 
veículo e o impacto quando o drone pousa em
 
seu destino. "Tais movimentos poderiam destruir
 
células do sangue ou fazer com que o sangue
 
coagulasse, então eu pensava que todo o tipo de
20
teste de sangue poderia ser afetado, mas nosso
 
estudo mostra que eles não foram afetados e
 
isso foi legal", disse o médico patologista Timothy
 
Amukele, da Escola de Medicina da Universidade
 
Johns Hopkins.
(Fonte: http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2015/07/ drone-pode-transportar-amostra-de-sangue-para-exame-em-zonas- remotas.html. Acesso em 30.07.2015)
Indique a opção incorreta no que diz respeito às estruturas linguísticas do texto.

Questão 11

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
1
Criado há dois anos, o Programa Mais Médicos
 
voltou a ser motivo de uma ferina disputa entre
 
o governo federal e as entidades da área de
 
saúde. Agora, não é mais a atuação dos cubanos
5
o foco da ira dos profissionais brasileiros, e sim
 
a expansão dos cursos de medicina no país.
 
No início de junho, os Ministérios da Saúde e
 
da Educação autorizaram instituições privadas
 
a oferecer 2.290 vagas de graduação em 36
10
municípios do interior. Por outro edital, foram
 
selecionadas mais 22 cidades para abrigar
 
novas escolas no Norte, Nordeste e Centro-
 
Oeste, regiões vistas como prioritárias, por
 
possuir maior déficit de profissionais.
15
A reação não tardou. O Conselho Federal de
 
Medicina e a Associação Brasileira de Escolas
 
Médicas decidiram criar um modelo próprio de
 
avaliação dos cursos da área, independente
 
daquele adotado pelo governo. O Conselho
20
Regional de Medicina de São Paulo prometeu
 
ingressar na Justiça contra a abertura dos
 
novos cursos. As entidades acusam o governo
 
de promover uma expansão indiscriminada
 
das faculdades de medicina em locais com
25
infraestrutura inadequada, o que colocaria em
 
risco a qualidade da formação.
(Rodrigo Martins, “Sobre a quantidade de jalecos brancos”. Carta capital, 5 de agosto de 2015. Ano XXI. n. 861)
Indique a opção incorreta com relação às estruturas linguísticas do texto e à compreensão textual.

Questão 12

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 13

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
1
Criado há dois anos, o Programa Mais Médicos
 
voltou a ser motivo de uma ferina disputa entre
 
o governo federal e as entidades da área de
 
saúde. Agora, não é mais a atuação dos cubanos
5
o foco da ira dos profissionais brasileiros, e sim
 
a expansão dos cursos de medicina no país.
 
No início de junho, os Ministérios da Saúde e
 
da Educação autorizaram instituições privadas
 
a oferecer 2.290 vagas de graduação em 36
10
municípios do interior. Por outro edital, foram
 
selecionadas mais 22 cidades para abrigar
 
novas escolas no Norte, Nordeste e Centro-
 
Oeste, regiões vistas como prioritárias, por
 
possuir maior déficit de profissionais.
15
A reação não tardou. O Conselho Federal de
 
Medicina e a Associação Brasileira de Escolas
 
Médicas decidiram criar um modelo próprio de
 
avaliação dos cursos da área, independente
 
daquele adotado pelo governo. O Conselho
20
Regional de Medicina de São Paulo prometeu
 
ingressar na Justiça contra a abertura dos
 
novos cursos. As entidades acusam o governo
 
de promover uma expansão indiscriminada
 
das faculdades de medicina em locais com
25
infraestrutura inadequada, o que colocaria em
 
risco a qualidade da formação.
(Rodrigo Martins, “Sobre a quantidade de jalecos brancos”. Carta capital, 5 de agosto de 2015. Ano XXI. n. 861)
Numere os fragmentos abaixo, de maneira a compor um texto coeso e coerente.

( ) No plano geográfico, é notória a unidade da América Latina como fruto de sua continuidade continental.
( ) Ainda hoje, nós, latino-americanos, vivemos como se fôssemos um arquipélago de ilhas que se comunicam por mar e pelo ar e que com mais frequência se voltam para fora, para os grandes centros econômicos mundiais, do que para dentro.
( ) Efetivamente, a unidade geográfica jamais funcionou aqui como fator de unificação porque as distintas implantações coloniais das quais nasceram as sociedades latino-americanas coexistiram sem conviver, ao longo dos séculos. Cada uma delas se relacionava diretamente com a metrópole colonial.
( ) Toda a vastidão continental se rompe em nacionalidades singulares.
( ) A essa base física, porém, não corresponde uma estrutura sociopolítica unificada, nem mesmo uma coexistência ativa e interaturante.
(Adaptação de Darcy Ribeiro, América Latina: a pátria grande, p. 3)

A sequência correta é:

Questão 14

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
1
O homem é um animal. Porém, não é “apenas
 
mais um animal”. Ele é único. Só o homem,
 
entre todas as espécies, tem uma capacidade
 
a que chamaremos, por falta de melhor termo,
5
capacidade de simbolizar. Ela é a capacidade de
 
originar, definir e atribuir significados, de forma
 
livre e arbitrária, a coisas e acontecimentos no
 
mundo externo, bem como de compreender
 
esses significados. Eles não podem ser
10
percebidos e avaliados com os sentidos. Por
 
exemplo, água benta é diferente de água
 
comum. Ela tem um valor que a distingue da
 
água comum, e esse valor é significativo para
 
milhões de pessoas. Como a água comum se
15
torna água benta? A resposta é simples: os
 
seres humanos atribuem-lhe esse significado e
 
estabelecem a sua importância. O significado,
 
por sua vez, pode ser compreendido por outros
 
seres humanos. Se não fosse assim, não faria
20
sentido para eles. Simbolizar, portanto, envolve
 
a possibilidade de criar, atribuir e compreender
 
signifi cados.
(Adaptado de Leslie A. White e Beth Dilligan. O conceito de cultura. Tradução de Teresa Dias Carneiro.)
Sobre o uso da pontuação, assinale a opção incorreta.

Questão 15

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
1
Os cristãos enfrentam uma perseguição
 
cada vez maior em todo o mundo, alimentada
 
principalmente pelo extremismo islâmico e
 
por governos repressivos, o que levou o papa
5
a advertir sobre “uma forma de genocídio” e
 
ativistas a falarem em “limpeza étnico-religiosa”.
 
A escala dos ataques a cristãos no Oriente
 
Médio, na África Subsaariana, na Ásia e na
 
América Latina alarmou organizações que
10
monitoram a perseguição religiosa. A maioria
 
relata uma deterioração significativa nos últimos
 
anos.
 
Em sua recente viagem à América Latina, o
 
papa Francisco disse ter fi cado decepcionado
15
“ao ver como no Oriente Médio e em outras
 
partes do mundo muitos de nossos irmãos e
 
irmãs são perseguidos, torturados e mortos
 
por sua fé em Jesus”. Ele continuou: “Nesta
 
terceira guerra mundial, travada em capítulos,
20
que hoje experimentamos, ocorre uma forma de
 
genocídio, que tem de terminar”.
(Harriet Sherwood, “Com os leões, sem Daniel”. Tradução de Luiz Roberto Mendes Gonçalves. Carta capital, 05 de agosto de 2015. Ano XXI. n.861)
No que diz respeito às estruturas linguísticas do texto, assinale a opção correta.

Questão 16

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 17

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
1
Os cristãos enfrentam uma perseguição
 
cada vez maior em todo o mundo, alimentada
 
principalmente pelo extremismo islâmico e
 
por governos repressivos, o que levou o papa
5
a advertir sobre “uma forma de genocídio” e
 
ativistas a falarem em “limpeza étnico-religiosa”.
 
A escala dos ataques a cristãos no Oriente
 
Médio, na África Subsaariana, na Ásia e na
 
América Latina alarmou organizações que
10
monitoram a perseguição religiosa. A maioria
 
relata uma deterioração significativa nos últimos
 
anos.
 
Em sua recente viagem à América Latina, o
 
papa Francisco disse ter fi cado decepcionado
15
“ao ver como no Oriente Médio e em outras
 
partes do mundo muitos de nossos irmãos e
 
irmãs são perseguidos, torturados e mortos
 
por sua fé em Jesus”. Ele continuou: “Nesta
 
terceira guerra mundial, travada em capítulos,
20
que hoje experimentamos, ocorre uma forma de
 
genocídio, que tem de terminar”.
(Harriet Sherwood, “Com os leões, sem Daniel”. Tradução de Luiz Roberto Mendes Gonçalves. Carta capital, 05 de agosto de 2015. Ano XXI. n.861)
Assinale a opção correta quanto ao uso da pontuação.

Questão 18

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 19

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
1
Como estamos às vésperas de celebrar os 500
 
anos da palavra “utopia” e do romance filosófico
 
de Thomas Morus que a consagrou, o momento
 
é mais do que oportuno para examinar que novas
5
feições ela adquiriu após tantos sonhos desfeitos
 
e outros tantos pervertidos e que atualização lhe
 
deram as expectativas geradas pela informática,
 
pelas biotecnologias, pelas nanociências,
 
pelas ciências cognitivas e as perspectivas de
10
clonagem, ectogênese (fecundação de útero
 
artifi cial), artificialização dos órgãos do corpo e
 
prolongamento da vida, abertas por elas.
 
Seu étimo grego, significando não-lugar, lugar
 
nenhum ou, trocadilhescamente, lugar da
15
felicidade (eutropia), designou primeiro uma ilha
 
dos mares do Novo Mundo, em que foi bater um
 
navegante português ligado a Américo Vespúcio.
 
Terra prodigiosa, em tudo diferente da Europa
 
do século 16, a perfeição imperava em suas
20
cinquenta e poucas cidades. Morus imaginou-a
 
empolgado pela descoberta da América e do “novo
 
homem” que a habitava. Se bem que a República
 
platônica já configurasse uma utopia, foi na ilha
 
“descoberta” por Rafael Hitlodeu que surgiu o
25
conceito de utopia como representação imaginária
 
de uma sociedade que tenha encontrado soluções
 
exemplares para todos os seus problemas.
 
Outras sociedades ideais, fundamentadas em
 
leis justas e instituições político-econômicas
30
comprometidas com o bem-estar da coletividade,
 
nasceram da imaginação de romancistas
 
e pensadores, nos séculos seguintes, com
 
particular insistência no século 19, auge do
 
utopismo socialista de Charles Fourier, Étienne
35
Cabet, Edward Bellamy e William Morris. A esses
 
devaneios igualitários a dupla Marx-Engels
 
combateu e contrapôs outro, supostamente
 
científi co, cuja caracterização como utopia
 
pode livrar a cara do comunismo, mas não das
40
sociedades que às suas ideias básicas deram
 
concretude, a partir da revolução bolchevique,
 
uma utopia que virou distopia.
 
A distopia é uma distorção ou uma mutação da
 
utopia, um sonho que se transforma em pesadelo.
45
A ficção científica e a literatura de antecipação
 
são pródigas em fantasias do gênero. De Jules
 
Verne (Capitão Nemo era um utopista) ao Aldous
 
Huxley de Admirável Mundo Novo, ao Orwell de
 
1984 e ao Ray Bradbury de Fahrenheit 451. Serão
50
todos lembrados ao longo do ciclo.
(Adaptação da matéria “Um sonho de 500 anos”, de Sérgio Augusto – jornal O Estado de São Paulo, 02 de agosto de 2015)
No que concerne às estruturas linguísticas do texto, assinale a opção correta.

Questão 20

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Numere os fragmentos seguintes, de modo a compor um texto coeso e coerente.

( ) Este parece ser um problema para um país que, a partir de 1992, quer-se dentro de um mundo globalizado.
( ) Um dos pontos dominantes é o grande número de resenhas de livros “clássicos” traduzidos pela primeira vez no Brasil.
( ) É verdade que o número de editoras citadas no Mais! é maior, mas o espaço é regionalizado, com a hegemonia dos lançamentos das editoras do eixo Rio-São Paulo.
( ) Aqui há o rebaixamento de um procedimento modernista: sabemos que o intelectual modernista pode ser pensado como um tradutor, como um pedagogo, e o que acontece agora é que o suplemento retoma esse procedimento, porém “deslumbrado”.
( ) O Mais! parece oferecer uma compensação para este “atraso’, traduzindo e publicando grande quantidade de textos de autores estrangeiros de renome na cena intelectual, como Darton, Kurz, Bloom, Derrida e, ao mesmo tempo, oferecendo regularmente espaço para as traduções literárias dos Irmãos Campos.
(Adaptado de Valdir Prigol, Leituras do presente: narrativas de comemoração no Mais! da Folha de São Paulo, p. 31)

A sequência correta da ordem dos fragmentos de texto é

Questão 21

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
1
It should have been a day of high excitement. A
 
public auction on July 15th marked the end of a 77-year
 
monopoly on oil exploration and production by Pemex,
 
Mexico`s state-owned oil company, and ushered in a
5
new era of foreign investment in Mexican oil that until a
 
few years ago was considered unimaginable.
 
The Mexican government had hoped that its fi rst-
 
ever auction of shallow-water exploration blocks in
 
the Gulf of Mexico would successfully launch the
10
modernisation of its energy industry. In the run-up to the
 
bidding, Mexico had sought to be as accommodating
 
as its historic dislike for foreign oil companies allowed
 
it to be. Juan Carlos Zepeda, head of the National
 
Hydrocarbons Commission, the regulator, had put a
15
premium on transparency, saying there was “zero room”
 
for favouritism.
 
When prices of Mexican crude were above $100
 
a barrel last year (now they are around $50), the
 
government had spoken optimistically of a bonanza.
20
It had predicted that four to six blocks would be sold,
 
based on international norms.
 
It did not turn out that way. The results fell well short
 
of the government’s hopes and underscore how residual
 
resource nationalism continues to plague the Latin
25
American oil industry. Only two of 14 exploration blocks
 
were awarded, both going to the same Mexican-led
 
trio of energy fi rms. Offi cials blamed the disappointing
 
outcome on the sagging international oil market, but
 
their own insecurity about appearing to sell the country’s
30
oil too cheap may also have been to blame, according to
 
industry experts. On the day of the auction, the fi nance
 
ministry set minimum-bid requirements that some
 
considered onerously high; bids for four blocks were
 
disqualifi ed because they failed to reach the offi cial fl oor.
(Source: http://www.economist.com/news/business/21657827-latin- americas-oil-fi rms-need-more-foreign-capital-historic-auction- mexico-shows)
According to text 1 above, Juan Carlos Zepeda

Questão 22

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
1
E-mail spoofing is the forgery of an e-mail header so that
 
the message appears to have originated from someone or
 
somewhere other than the actual source. Distributors of spam
 
often use spoofing in an attempt to get recipients to open,
5
and possibly even respond to, their solicitations. Spoofing can
 
be used legitimately. However, spoofing anyone other than
 
yourself is illegal in some jurisdictions.
 
E-mail spoofing is possible because Simple Mail Transfer
 
Protocol (SMTP), the main protocol used in sending e-mail,
10
does not include an authentication mechanism. Although
 
an SMTP service extension (specified in IETF RFC 2554)
 
allows an SMTP client to negotiate a security level with a mail
 
server, this precaution is not often taken. If the precaution is
 
not taken, anyone with the requisite knowledge can connect
15
to the server and use it to send messages. To send spoofed
 
e-mail, senders insert commands in headers that will alter
 
message information. It is possible to send a message that
 
appears to be from anyone, anywhere, saying whatever the
 
sender wants it to say. Thus, someone could send spoofed
20
e-mail that appears to be from you with a message that you
 
didn’t write.
 
Although most spoofed e-mail falls into the “nuisance”
 
category and requires little action other than deletion, the
 
more malicious varieties can cause serious problems and
25
security risks. For example, spoofed e-mail may purport
 
to be from someone in a position of authority, asking for
 
sensitive data, such as passwords, credit card numbers, or
 
other personal information – any of which can be used for a
 
variety of criminal purposes. One type of e-mail spoofing, self-
30
sending spam, involves messages that appear to be both to
 
and from the recipient.
(http://searchsecurity.techtarget.com/definition/email-spoofing. Adaptado)
In the last sentence of the second paragraph – Thus, someone could send spoofed e-mail that appears to be from you with a message that you didn’t write. – the word “thus” introduces a

Questão 23

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
1
E-mail spoofing is the forgery of an e-mail header so that
 
the message appears to have originated from someone or
 
somewhere other than the actual source. Distributors of spam
 
often use spoofing in an attempt to get recipients to open,
5
and possibly even respond to, their solicitations. Spoofing can
 
be used legitimately. However, spoofing anyone other than
 
yourself is illegal in some jurisdictions.
 
E-mail spoofing is possible because Simple Mail Transfer
 
Protocol (SMTP), the main protocol used in sending e-mail,
10
does not include an authentication mechanism. Although
 
an SMTP service extension (specified in IETF RFC 2554)
 
allows an SMTP client to negotiate a security level with a mail
 
server, this precaution is not often taken. If the precaution is
 
not taken, anyone with the requisite knowledge can connect
15
to the server and use it to send messages. To send spoofed
 
e-mail, senders insert commands in headers that will alter
 
message information. It is possible to send a message that
 
appears to be from anyone, anywhere, saying whatever the
 
sender wants it to say. Thus, someone could send spoofed
20
e-mail that appears to be from you with a message that you
 
didn’t write.
 
Although most spoofed e-mail falls into the “nuisance”
 
category and requires little action other than deletion, the
 
more malicious varieties can cause serious problems and
25
security risks. For example, spoofed e-mail may purport
 
to be from someone in a position of authority, asking for
 
sensitive data, such as passwords, credit card numbers, or
 
other personal information – any of which can be used for a
 
variety of criminal purposes. One type of e-mail spoofing, self-
30
sending spam, involves messages that appear to be both to
 
and from the recipient.
(http://searchsecurity.techtarget.com/definition/email-spoofing. Adaptado)
In the last sentence of the second paragraph – Thus, someone could send spoofed e-mail that appears to be from you with a message that you didn’t write. – the word “thus” introduces a

Questão 24

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
1
E-mail spoofing is the forgery of an e-mail header so that
 
the message appears to have originated from someone or
 
somewhere other than the actual source. Distributors of spam
 
often use spoofing in an attempt to get recipients to open,
5
and possibly even respond to, their solicitations. Spoofing can
 
be used legitimately. However, spoofing anyone other than
 
yourself is illegal in some jurisdictions.
 
E-mail spoofing is possible because Simple Mail Transfer
 
Protocol (SMTP), the main protocol used in sending e-mail,
10
does not include an authentication mechanism. Although
 
an SMTP service extension (specified in IETF RFC 2554)
 
allows an SMTP client to negotiate a security level with a mail
 
server, this precaution is not often taken. If the precaution is
 
not taken, anyone with the requisite knowledge can connect
15
to the server and use it to send messages. To send spoofed
 
e-mail, senders insert commands in headers that will alter
 
message information. It is possible to send a message that
 
appears to be from anyone, anywhere, saying whatever the
 
sender wants it to say. Thus, someone could send spoofed
20
e-mail that appears to be from you with a message that you
 
didn’t write.
 
Although most spoofed e-mail falls into the “nuisance”
 
category and requires little action other than deletion, the
 
more malicious varieties can cause serious problems and
25
security risks. For example, spoofed e-mail may purport
 
to be from someone in a position of authority, asking for
 
sensitive data, such as passwords, credit card numbers, or
 
other personal information – any of which can be used for a
 
variety of criminal purposes. One type of e-mail spoofing, self-
30
sending spam, involves messages that appear to be both to
 
and from the recipient.
(http://searchsecurity.techtarget.com/definition/email-spoofing. Adaptado)
In the last sentence of the second paragraph – Thus, someone could send spoofed e-mail that appears to be from you with a message that you didn’t write. – the word “thus” introduces a

Questão 25

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
1
E-mail spoofing is the forgery of an e-mail header so that
 
the message appears to have originated from someone or
 
somewhere other than the actual source. Distributors of spam
 
often use spoofing in an attempt to get recipients to open,
5
and possibly even respond to, their solicitations. Spoofing can
 
be used legitimately. However, spoofing anyone other than
 
yourself is illegal in some jurisdictions.
 
E-mail spoofing is possible because Simple Mail Transfer
 
Protocol (SMTP), the main protocol used in sending e-mail,
10
does not include an authentication mechanism. Although
 
an SMTP service extension (specified in IETF RFC 2554)
 
allows an SMTP client to negotiate a security level with a mail
 
server, this precaution is not often taken. If the precaution is
 
not taken, anyone with the requisite knowledge can connect
15
to the server and use it to send messages. To send spoofed
 
e-mail, senders insert commands in headers that will alter
 
message information. It is possible to send a message that
 
appears to be from anyone, anywhere, saying whatever the
 
sender wants it to say. Thus, someone could send spoofed
20
e-mail that appears to be from you with a message that you
 
didn’t write.
 
Although most spoofed e-mail falls into the “nuisance”
 
category and requires little action other than deletion, the
 
more malicious varieties can cause serious problems and
25
security risks. For example, spoofed e-mail may purport
 
to be from someone in a position of authority, asking for
 
sensitive data, such as passwords, credit card numbers, or
 
other personal information – any of which can be used for a
 
variety of criminal purposes. One type of e-mail spoofing, self-
30
sending spam, involves messages that appear to be both to
 
and from the recipient.
(http://searchsecurity.techtarget.com/definition/email-spoofing. Adaptado)
In the last sentence of the second paragraph – Thus, someone could send spoofed e-mail that appears to be from you with a message that you didn’t write. – the word “thus” introduces a

Questão 26

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
1
E-mail spoofing is the forgery of an e-mail header so that
 
the message appears to have originated from someone or
 
somewhere other than the actual source. Distributors of spam
 
often use spoofing in an attempt to get recipients to open,
5
and possibly even respond to, their solicitations. Spoofing can
 
be used legitimately. However, spoofing anyone other than
 
yourself is illegal in some jurisdictions.
 
E-mail spoofing is possible because Simple Mail Transfer
 
Protocol (SMTP), the main protocol used in sending e-mail,
10
does not include an authentication mechanism. Although
 
an SMTP service extension (specified in IETF RFC 2554)
 
allows an SMTP client to negotiate a security level with a mail
 
server, this precaution is not often taken. If the precaution is
 
not taken, anyone with the requisite knowledge can connect
15
to the server and use it to send messages. To send spoofed
 
e-mail, senders insert commands in headers that will alter
 
message information. It is possible to send a message that
 
appears to be from anyone, anywhere, saying whatever the
 
sender wants it to say. Thus, someone could send spoofed
20
e-mail that appears to be from you with a message that you
 
didn’t write.
 
Although most spoofed e-mail falls into the “nuisance”
 
category and requires little action other than deletion, the
 
more malicious varieties can cause serious problems and
25
security risks. For example, spoofed e-mail may purport
 
to be from someone in a position of authority, asking for
 
sensitive data, such as passwords, credit card numbers, or
 
other personal information – any of which can be used for a
 
variety of criminal purposes. One type of e-mail spoofing, self-
30
sending spam, involves messages that appear to be both to
 
and from the recipient.
(http://searchsecurity.techtarget.com/definition/email-spoofing. Adaptado)
In the last sentence of the second paragraph – Thus, someone could send spoofed e-mail that appears to be from you with a message that you didn’t write. – the word “thus” introduces a

Questão 27

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
1
E-mail spoofing is the forgery of an e-mail header so that
 
the message appears to have originated from someone or
 
somewhere other than the actual source. Distributors of spam
 
often use spoofing in an attempt to get recipients to open,
5
and possibly even respond to, their solicitations. Spoofing can
 
be used legitimately. However, spoofing anyone other than
 
yourself is illegal in some jurisdictions.
 
E-mail spoofing is possible because Simple Mail Transfer
 
Protocol (SMTP), the main protocol used in sending e-mail,
10
does not include an authentication mechanism. Although
 
an SMTP service extension (specified in IETF RFC 2554)
 
allows an SMTP client to negotiate a security level with a mail
 
server, this precaution is not often taken. If the precaution is
 
not taken, anyone with the requisite knowledge can connect
15
to the server and use it to send messages. To send spoofed
 
e-mail, senders insert commands in headers that will alter
 
message information. It is possible to send a message that
 
appears to be from anyone, anywhere, saying whatever the
 
sender wants it to say. Thus, someone could send spoofed
20
e-mail that appears to be from you with a message that you
 
didn’t write.
 
Although most spoofed e-mail falls into the “nuisance”
 
category and requires little action other than deletion, the
 
more malicious varieties can cause serious problems and
25
security risks. For example, spoofed e-mail may purport
 
to be from someone in a position of authority, asking for
 
sensitive data, such as passwords, credit card numbers, or
 
other personal information – any of which can be used for a
 
variety of criminal purposes. One type of e-mail spoofing, self-
30
sending spam, involves messages that appear to be both to
 
and from the recipient.
(http://searchsecurity.techtarget.com/definition/email-spoofing. Adaptado)
In the last sentence of the second paragraph – Thus, someone could send spoofed e-mail that appears to be from you with a message that you didn’t write. – the word “thus” introduces a

Questão 28

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
1
It wouldn´t be the fi rst time Pluto has confounded
 
expectations. In 2006, the year New Horizons was
 
launched, Pluto vanished from the list of planets and
 
reappeared as a “dwarf planet.” That, of course, had
5
more to do with astronomers on Earth than any celestial
 
sleight of hand, but the truth is, Pluto has been a tough
 
world to crack since before it was discovered.
 
By the turn of the century, the hunt for that missing
 
planet had gathered momentum: Whoever found it would
10
earn the shiny distinction of discovering the fi rst new
 
planet in more than 50 years. Calling the rogue world
 
“Planet X,”, Boston aristocrat Percival Lowell – perhaps
 
best known for claiming to have spotted irrigation canals
 
on the surface of Mars – vigorously took up the search.
15
Lowell had built his own observatory in Flagstaff, Arizona,
 
and in 1905 it became the epicenter of the search for
 
Planet X, with Lowell calculating and recalculating its
 
probable position and borrowing equipment for the hunt.
 
But Lowell died in 1916, without knowing that Planet X
20
really existed.
 
Fast-forward to 1930. Late one February afternoon,
 
24-year-old Clyde Tombaugh was parked in his spot at
 
Lowell Observatory. A transplant from the farm fi elds
 
of Kansas, Tombaugh had been assigned the task of
25
searching for Lowell`s elusive planet. He had no formal
 
training in astronomy but had developed a skill for
 
building telescopes, sometimes from old car parts and
 
other improbable items.
(Source: National Geographic Magazine – July 2015 - http:// ngm.nationalgeographic.com/ print/2015/07/ pluto/drake-text (adapted))
In the first paragraph, the expression “sleight of hand” means

Questão 29

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
1
It wouldn´t be the fi rst time Pluto has confounded
 
expectations. In 2006, the year New Horizons was
 
launched, Pluto vanished from the list of planets and
 
reappeared as a “dwarf planet.” That, of course, had
5
more to do with astronomers on Earth than any celestial
 
sleight of hand, but the truth is, Pluto has been a tough
 
world to crack since before it was discovered.
 
By the turn of the century, the hunt for that missing
 
planet had gathered momentum: Whoever found it would
10
earn the shiny distinction of discovering the fi rst new
 
planet in more than 50 years. Calling the rogue world
 
“Planet X,”, Boston aristocrat Percival Lowell – perhaps
 
best known for claiming to have spotted irrigation canals
 
on the surface of Mars – vigorously took up the search.
15
Lowell had built his own observatory in Flagstaff, Arizona,
 
and in 1905 it became the epicenter of the search for
 
Planet X, with Lowell calculating and recalculating its
 
probable position and borrowing equipment for the hunt.
 
But Lowell died in 1916, without knowing that Planet X
20
really existed.
 
Fast-forward to 1930. Late one February afternoon,
 
24-year-old Clyde Tombaugh was parked in his spot at
 
Lowell Observatory. A transplant from the farm fi elds
 
of Kansas, Tombaugh had been assigned the task of
25
searching for Lowell`s elusive planet. He had no formal
 
training in astronomy but had developed a skill for
 
building telescopes, sometimes from old car parts and
 
other improbable items.
(Source: National Geographic Magazine – July 2015 - http:// ngm.nationalgeographic.com/ print/2015/07/ pluto/drake-text (adapted))
The sentence “Percival Lowell perhaps best known for claiming to have spotted irrigation canals on the surface of Mars” means that he

Questão 30

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
1
It wouldn´t be the fi rst time Pluto has confounded
 
expectations. In 2006, the year New Horizons was
 
launched, Pluto vanished from the list of planets and
 
reappeared as a “dwarf planet.” That, of course, had
5
more to do with astronomers on Earth than any celestial
 
sleight of hand, but the truth is, Pluto has been a tough
 
world to crack since before it was discovered.
 
By the turn of the century, the hunt for that missing
 
planet had gathered momentum: Whoever found it would
10
earn the shiny distinction of discovering the fi rst new
 
planet in more than 50 years. Calling the rogue world
 
“Planet X,”, Boston aristocrat Percival Lowell – perhaps
 
best known for claiming to have spotted irrigation canals
 
on the surface of Mars – vigorously took up the search.
15
Lowell had built his own observatory in Flagstaff, Arizona,
 
and in 1905 it became the epicenter of the search for
 
Planet X, with Lowell calculating and recalculating its
 
probable position and borrowing equipment for the hunt.
 
But Lowell died in 1916, without knowing that Planet X
20
really existed.
 
Fast-forward to 1930. Late one February afternoon,
 
24-year-old Clyde Tombaugh was parked in his spot at
 
Lowell Observatory. A transplant from the farm fi elds
 
of Kansas, Tombaugh had been assigned the task of
25
searching for Lowell`s elusive planet. He had no formal
 
training in astronomy but had developed a skill for
 
building telescopes, sometimes from old car parts and
 
other improbable items.
(Source: National Geographic Magazine – July 2015 - http:// ngm.nationalgeographic.com/ print/2015/07/ pluto/drake-text (adapted))
Accordind to the text, Clyde Tombaugh had been

Questão 31

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
1
La Comisión Nacional de Administración Local
 
(CNAL), que reúne al ministro de Hacienda con los
 
representantes de los ayuntamientos, fijó ayer los
 
objetivos de déficit fiscal que deberán cumplir las
5
corporaciones locales para 2016-2018. Los municipios
 
deberán cerrar cada ejercicio con sus cuentas en
 
equilibrio, pero todo apunta a que lograrán hacerlo en
 
superávit, como ya ocurrió el año pasado. Cristóbal
 
Montoro confía en que ese excedente se cifre de nuevo
10
en el 0,5% del PIB –5.000 millones– y contribuya a
 
alcanzar así el objetivo de estabilidad del conjunto
 
de las Administraciones Públicas. El esfuerzo de los
 
ayuntamientos españoles en cuanto al saneamiento
 
de sus cuentas se ha ido extendiendo año a año
15
hasta englobar prácticamente a la totalidad de los
 
consistorios. Si en 2013, el 80% cerraron el ejercicio
 
en números verdes, en 2014 ese porcentaje llegaba
 
ya al 90%. Hoy son pocos los que se hallan en
 
dificultades financieras y, de ellos, solo unos 10 o 20 se
20
corresponden con localidades de tamaño mediano. Todo
 
ello hace plausible que vuelvan a compensar el más que
 
probable incumplimiento por parte de las comunidades
 
autónomas, que siguen arrastrando serios problemas
 
de indisciplina fiscal.
25
Aún así, el mapa político dibujado por las elecciones
 
del pasado 24 de mayo puede afectar a este panorama
 
de bonanza local. Por ello, Montoro ha recordado a
 
los alcaldes que los nuevos equipos consistoriales
 
tienen la obligación, sea cual sea su color político, de
30
comprometerse con la consolidación presupuestaria.
 
Un compromiso que no nace de un programa político,
 
sino de una norma de rango legal –la Ley de Estabilidad
 
Presupuestaria– y de las obligaciones impuestas por
 
Bruselas. En la reunión de ayer se estableció que el nivel
35
de deuda pública de los ayuntamientos se sitúe entre el
 
3,5% y el 3% en los próximos tres años en un escenario
 
en el que cuatro de cada diez municipios no deben
 
ningún euro. Todo ello ha servido de argumento a los
 
consistorios para pedir al Gobierno más flexibilidad en
40
materia de gasto y la posibilidad de emplear el superávit
 
fiscal no solo en amortizar la deuda, sino también en
 
aumentar los servicios sociales.
(Adaptado de Cinco Días, 14/7/15, en línea: http://cincodias. com/cincodias/2015/07/09/economia/1436465998_225494.)
En el texto se dice que la CNAL:

Questão 32

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
1
La Comisión Nacional de Administración Local
 
(CNAL), que reúne al ministro de Hacienda con los
 
representantes de los ayuntamientos, fijó ayer los
 
objetivos de déficit fiscal que deberán cumplir las
5
corporaciones locales para 2016-2018. Los municipios
 
deberán cerrar cada ejercicio con sus cuentas en
 
equilibrio, pero todo apunta a que lograrán hacerlo en
 
superávit, como ya ocurrió el año pasado. Cristóbal
 
Montoro confía en que ese excedente se cifre de nuevo
10
en el 0,5% del PIB –5.000 millones– y contribuya a
 
alcanzar así el objetivo de estabilidad del conjunto
 
de las Administraciones Públicas. El esfuerzo de los
 
ayuntamientos españoles en cuanto al saneamiento
 
de sus cuentas se ha ido extendiendo año a año
15
hasta englobar prácticamente a la totalidad de los
 
consistorios. Si en 2013, el 80% cerraron el ejercicio
 
en números verdes, en 2014 ese porcentaje llegaba
 
ya al 90%. Hoy son pocos los que se hallan en
 
dificultades financieras y, de ellos, solo unos 10 o 20 se
20
corresponden con localidades de tamaño mediano. Todo
 
ello hace plausible que vuelvan a compensar el más que
 
probable incumplimiento por parte de las comunidades
 
autónomas, que siguen arrastrando serios problemas
 
de indisciplina fiscal.
25
Aún así, el mapa político dibujado por las elecciones
 
del pasado 24 de mayo puede afectar a este panorama
 
de bonanza local. Por ello, Montoro ha recordado a
 
los alcaldes que los nuevos equipos consistoriales
 
tienen la obligación, sea cual sea su color político, de
30
comprometerse con la consolidación presupuestaria.
 
Un compromiso que no nace de un programa político,
 
sino de una norma de rango legal –la Ley de Estabilidad
 
Presupuestaria– y de las obligaciones impuestas por
 
Bruselas. En la reunión de ayer se estableció que el nivel
35
de deuda pública de los ayuntamientos se sitúe entre el
 
3,5% y el 3% en los próximos tres años en un escenario
 
en el que cuatro de cada diez municipios no deben
 
ningún euro. Todo ello ha servido de argumento a los
 
consistorios para pedir al Gobierno más flexibilidad en
40
materia de gasto y la posibilidad de emplear el superávit
 
fiscal no solo en amortizar la deuda, sino también en
 
aumentar los servicios sociales.
(Adaptado de Cinco Días, 14/7/15, en línea: http://cincodias. com/cincodias/2015/07/09/economia/1436465998_225494.)
De acuerdo con el texto, las comunidades autónomas españolas:

Questão 33

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
1
La Comisión Nacional de Administración Local
 
(CNAL), que reúne al ministro de Hacienda con los
 
representantes de los ayuntamientos, fijó ayer los
 
objetivos de déficit fiscal que deberán cumplir las
5
corporaciones locales para 2016-2018. Los municipios
 
deberán cerrar cada ejercicio con sus cuentas en
 
equilibrio, pero todo apunta a que lograrán hacerlo en
 
superávit, como ya ocurrió el año pasado. Cristóbal
 
Montoro confía en que ese excedente se cifre de nuevo
10
en el 0,5% del PIB –5.000 millones– y contribuya a
 
alcanzar así el objetivo de estabilidad del conjunto
 
de las Administraciones Públicas. El esfuerzo de los
 
ayuntamientos españoles en cuanto al saneamiento
 
de sus cuentas se ha ido extendiendo año a año
15
hasta englobar prácticamente a la totalidad de los
 
consistorios. Si en 2013, el 80% cerraron el ejercicio
 
en números verdes, en 2014 ese porcentaje llegaba
 
ya al 90%. Hoy son pocos los que se hallan en
 
dificultades financieras y, de ellos, solo unos 10 o 20 se
20
corresponden con localidades de tamaño mediano. Todo
 
ello hace plausible que vuelvan a compensar el más que
 
probable incumplimiento por parte de las comunidades
 
autónomas, que siguen arrastrando serios problemas
 
de indisciplina fiscal.
25
Aún así, el mapa político dibujado por las elecciones
 
del pasado 24 de mayo puede afectar a este panorama
 
de bonanza local. Por ello, Montoro ha recordado a
 
los alcaldes que los nuevos equipos consistoriales
 
tienen la obligación, sea cual sea su color político, de
30
comprometerse con la consolidación presupuestaria.
 
Un compromiso que no nace de un programa político,
 
sino de una norma de rango legal –la Ley de Estabilidad
 
Presupuestaria– y de las obligaciones impuestas por
 
Bruselas. En la reunión de ayer se estableció que el nivel
35
de deuda pública de los ayuntamientos se sitúe entre el
 
3,5% y el 3% en los próximos tres años en un escenario
 
en el que cuatro de cada diez municipios no deben
 
ningún euro. Todo ello ha servido de argumento a los
 
consistorios para pedir al Gobierno más flexibilidad en
40
materia de gasto y la posibilidad de emplear el superávit
 
fiscal no solo en amortizar la deuda, sino también en
 
aumentar los servicios sociales.
(Adaptado de Cinco Días, 14/7/15, en línea: http://cincodias. com/cincodias/2015/07/09/economia/1436465998_225494.)
Según el texto, la situación fiscal de los ayuntamientos españoles:

Questão 34

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
1
Las tensiones entre las distintas partes implicadas
 
en el rescate griego han sido evidentes. El Fondo
 
Monetario Internacional (FMI) parece haber
 
lanzado una guerra implícita contra Wolfgang
5
Schauble, el ministro de fi nanzas germano. De tal
 
suerte, si Alemania intenta imponer su puño de
 
acero y evitar cualquier quita o reestructuración,
 
la institución de Christine Lagarde ha echado un
 
jarro de agua fría al advertir que el ratio de deuda
10
con respecto al PIB de Grecia podría dispararse
 
hasta el 200 por ciento.
 
Sin quita apropiada a la vista y con la más
 
que evidente falta de sostenibilidad de la deuda
 
helena, el Fondo tendría excusa más que
15
sufi ciente para dar la espalda a los gobiernos de
 
la eurozona y no participar en el tercer rescate
 
griego, como ya había presionado el gobierno
 
de Alexis Tsipras. Según el Financial Times, la
 
regulación del Fondo estima que la institución
20
no puede participar en un rescate si la deuda de
 
un país es insostenible y no existe señal alguna
 
de que el país en cuestión pueda regresar al
 
mercado privado para fi nanciarse. De decidirse
 
el FMI a salirse del programa griego, los
25
problemas políticos y fi nancieros aumentarían
 
sensiblemente para Berlín y otros acreedores
 
de la eurozona. Al fi n y al cabo, sin el apoyo del
 
Fondo, los funcionarios alemanes lo tendrían
 
aún más difícil para contar con la aprobación del
30
Bundestag.
 
El actual programa de rescate del FMI, que
 
expira en marzo de 2016, todavía cuenta con
 
16.400 millones de euros en fondos sin utilizar,
 
pero estos no pueden ser concedidos hasta que
35
Grecia borre su mora con el Fondo. Además los
 
funcionarios europeos asumen que una vez que
 
expire el programa actual, el Fondo contribuya
 
al nuevo programa que se está preparando en
 
estos momentos.
(Tomado de El economista, 14/07/2015, en línea:http://www.economiahoy.mx/economia-eAm- mexico/ noticias /6870411/07/15/El-FMI-encuentra-su-excusa-para-no- participar-en-el-rescate-griego-y-dar-la-espalda-a-Europa.html#. Kku8WSuVhJMT84j.)
La expresión “De decidirse”, que aparece en la línea 23 del texto, mantiene su signifi cado al sustituirse por:

Questão 35

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
1
Las tensiones entre las distintas partes implicadas
 
en el rescate griego han sido evidentes. El Fondo
 
Monetario Internacional (FMI) parece haber
 
lanzado una guerra implícita contra Wolfgang
5
Schauble, el ministro de fi nanzas germano. De tal
 
suerte, si Alemania intenta imponer su puño de
 
acero y evitar cualquier quita o reestructuración,
 
la institución de Christine Lagarde ha echado un
 
jarro de agua fría al advertir que el ratio de deuda
10
con respecto al PIB de Grecia podría dispararse
 
hasta el 200 por ciento.
 
Sin quita apropiada a la vista y con la más
 
que evidente falta de sostenibilidad de la deuda
 
helena, el Fondo tendría excusa más que
15
sufi ciente para dar la espalda a los gobiernos de
 
la eurozona y no participar en el tercer rescate
 
griego, como ya había presionado el gobierno
 
de Alexis Tsipras. Según el Financial Times, la
 
regulación del Fondo estima que la institución
20
no puede participar en un rescate si la deuda de
 
un país es insostenible y no existe señal alguna
 
de que el país en cuestión pueda regresar al
 
mercado privado para fi nanciarse. De decidirse
 
el FMI a salirse del programa griego, los
25
problemas políticos y fi nancieros aumentarían
 
sensiblemente para Berlín y otros acreedores
 
de la eurozona. Al fi n y al cabo, sin el apoyo del
 
Fondo, los funcionarios alemanes lo tendrían
 
aún más difícil para contar con la aprobación del
30
Bundestag.
 
El actual programa de rescate del FMI, que
 
expira en marzo de 2016, todavía cuenta con
 
16.400 millones de euros en fondos sin utilizar,
 
pero estos no pueden ser concedidos hasta que
35
Grecia borre su mora con el Fondo. Además los
 
funcionarios europeos asumen que una vez que
 
expire el programa actual, el Fondo contribuya
 
al nuevo programa que se está preparando en
 
estos momentos.
(Tomado de El economista, 14/07/2015, en línea:http://www.economiahoy.mx/economia-eAm- mexico/ noticias /6870411/07/15/El-FMI-encuentra-su-excusa-para-no- participar-en-el-rescate-griego-y-dar-la-espalda-a-Europa.html#. Kku8WSuVhJMT84j.)
De acuerdo con el texto, la posición del FMI frente al rescate de la economía griega:

Questão 36

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
1
Las tensiones entre las distintas partes implicadas
 
en el rescate griego han sido evidentes. El Fondo
 
Monetario Internacional (FMI) parece haber
 
lanzado una guerra implícita contra Wolfgang
5
Schauble, el ministro de fi nanzas germano. De tal
 
suerte, si Alemania intenta imponer su puño de
 
acero y evitar cualquier quita o reestructuración,
 
la institución de Christine Lagarde ha echado un
 
jarro de agua fría al advertir que el ratio de deuda
10
con respecto al PIB de Grecia podría dispararse
 
hasta el 200 por ciento.
 
Sin quita apropiada a la vista y con la más
 
que evidente falta de sostenibilidad de la deuda
 
helena, el Fondo tendría excusa más que
15
sufi ciente para dar la espalda a los gobiernos de
 
la eurozona y no participar en el tercer rescate
 
griego, como ya había presionado el gobierno
 
de Alexis Tsipras. Según el Financial Times, la
 
regulación del Fondo estima que la institución
20
no puede participar en un rescate si la deuda de
 
un país es insostenible y no existe señal alguna
 
de que el país en cuestión pueda regresar al
 
mercado privado para fi nanciarse. De decidirse
 
el FMI a salirse del programa griego, los
25
problemas políticos y fi nancieros aumentarían
 
sensiblemente para Berlín y otros acreedores
 
de la eurozona. Al fi n y al cabo, sin el apoyo del
 
Fondo, los funcionarios alemanes lo tendrían
 
aún más difícil para contar con la aprobación del
30
Bundestag.
 
El actual programa de rescate del FMI, que
 
expira en marzo de 2016, todavía cuenta con
 
16.400 millones de euros en fondos sin utilizar,
 
pero estos no pueden ser concedidos hasta que
35
Grecia borre su mora con el Fondo. Además los
 
funcionarios europeos asumen que una vez que
 
expire el programa actual, el Fondo contribuya
 
al nuevo programa que se está preparando en
 
estos momentos.
(Tomado de El economista, 14/07/2015, en línea:http://www.economiahoy.mx/economia-eAm- mexico/ noticias /6870411/07/15/El-FMI-encuentra-su-excusa-para-no- participar-en-el-rescate-griego-y-dar-la-espalda-a-Europa.html#. Kku8WSuVhJMT84j.)
Según el texto, la deuda griega:

Questão 37

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
1
Casi ocho años después de estallar la crisis
 
económica en Estados Unidos, ya se perfi lan los nuevos
 
candidatos que podrían generar la próxima recesión
 
mundial. Pese a que Grecia ha acaparado la atención
5
por todo el drama que hay en torno a su deuda y su
 
tercer rescate económico, China, aunque de un modo
 
menos escandaloso, está comenzando a surgir como el
 
nuevo elegido para el desastre. Si resultara el próximo
 
catalizador de una recesión mundial, las consecuencias
10
podrían ser iguales o mayores que la crisis Subprime en
 
2008. Es la segunda economía del mundo por tamaño,
 
con un PIB que supera los diez billones de dólares detrás
 
de EEUU (con 17 billones). En uno de sus últimos informes
 
que recoge el Financial Times, Credit Suisse explica
15
que "China vive una triple burbuja, la tercera burbuja de
 
crédito más grande, la segunda burbuja inmobiliaria más
 
importante y la burbuja de inversión más grande vista en
 
todos los tiempos. Ahora mismo este es el mayor riesgo
 
que encara la economía global".
20
El informe sugiere "que el momento de preocuparse
 
por el estallido de una burbuja de este tipo llega cuando
 
el exceso de inversión conduce a la defl ación (China
 
está cerca de alcanzar una defl ación récord), cuando el
 
precio de la vivienda cae (en China se está hundiendo el
25
precio de la vivienda), el crecimiento de los depósitos
 
se ralentiza (como está pasando en China), el mercado
 
laboral da síntomas de haber alcanzado su máxima
 
ocupación y se comienzan a ver ciertas fugas de capital.
 
Por si esto fuera poco, el crecimiento nominal del PIB
30
cayó al 5,8% en el primer trimestre". Sin embargo, por
 
el momento no hay evidencia de un riesgo tangible.
 
Según la Ofi cina Nacional de Estadísticas de China, el
 
segundo trimestre de 2015 el PIB de este país creció
 
7%, el mismo ritmo registrado en los primeros tres
35
meses del año y por encima de las estimaciones de
 
los economistas (6,8 %), la producción industrial creció
 
en junio 6,8 %, mientras que la inversión en renta fi ja
 
aumentó 11,4 % en el primer semestre.
El espectador, 26/7/15, en línea http://www.elespectador. com/noticias/economia/china-provocara-siguiente-gran-crisis- mundial-articulo-574988)
De acuerdo con el texto, China podría catalizar una recesión mundial de iguales o mayores consecuencias que las de la crisis surgida en 2008:

Questão 38

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
1
Casi ocho años después de estallar la crisis
 
económica en Estados Unidos, ya se perfi lan los nuevos
 
candidatos que podrían generar la próxima recesión
 
mundial. Pese a que Grecia ha acaparado la atención
5
por todo el drama que hay en torno a su deuda y su
 
tercer rescate económico, China, aunque de un modo
 
menos escandaloso, está comenzando a surgir como el
 
nuevo elegido para el desastre. Si resultara el próximo
 
catalizador de una recesión mundial, las consecuencias
10
podrían ser iguales o mayores que la crisis Subprime en
 
2008. Es la segunda economía del mundo por tamaño,
 
con un PIB que supera los diez billones de dólares detrás
 
de EEUU (con 17 billones). En uno de sus últimos informes
 
que recoge el Financial Times, Credit Suisse explica
15
que "China vive una triple burbuja, la tercera burbuja de
 
crédito más grande, la segunda burbuja inmobiliaria más
 
importante y la burbuja de inversión más grande vista en
 
todos los tiempos. Ahora mismo este es el mayor riesgo
 
que encara la economía global".
20
El informe sugiere "que el momento de preocuparse
 
por el estallido de una burbuja de este tipo llega cuando
 
el exceso de inversión conduce a la defl ación (China
 
está cerca de alcanzar una defl ación récord), cuando el
 
precio de la vivienda cae (en China se está hundiendo el
25
precio de la vivienda), el crecimiento de los depósitos
 
se ralentiza (como está pasando en China), el mercado
 
laboral da síntomas de haber alcanzado su máxima
 
ocupación y se comienzan a ver ciertas fugas de capital.
 
Por si esto fuera poco, el crecimiento nominal del PIB
30
cayó al 5,8% en el primer trimestre". Sin embargo, por
 
el momento no hay evidencia de un riesgo tangible.
 
Según la Ofi cina Nacional de Estadísticas de China, el
 
segundo trimestre de 2015 el PIB de este país creció
 
7%, el mismo ritmo registrado en los primeros tres
35
meses del año y por encima de las estimaciones de
 
los economistas (6,8 %), la producción industrial creció
 
en junio 6,8 %, mientras que la inversión en renta fi ja
 
aumentó 11,4 % en el primer semestre.
El espectador, 26/7/15, en línea http://www.elespectador. com/noticias/economia/china-provocara-siguiente-gran-crisis- mundial-articulo-574988)
En el texto se dice que el PIB chino:

Questão 39

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
1
Casi ocho años después de estallar la crisis
 
económica en Estados Unidos, ya se perfi lan los nuevos
 
candidatos que podrían generar la próxima recesión
 
mundial. Pese a que Grecia ha acaparado la atención
5
por todo el drama que hay en torno a su deuda y su
 
tercer rescate económico, China, aunque de un modo
 
menos escandaloso, está comenzando a surgir como el
 
nuevo elegido para el desastre. Si resultara el próximo
 
catalizador de una recesión mundial, las consecuencias
10
podrían ser iguales o mayores que la crisis Subprime en
 
2008. Es la segunda economía del mundo por tamaño,
 
con un PIB que supera los diez billones de dólares detrás
 
de EEUU (con 17 billones). En uno de sus últimos informes
 
que recoge el Financial Times, Credit Suisse explica
15
que "China vive una triple burbuja, la tercera burbuja de
 
crédito más grande, la segunda burbuja inmobiliaria más
 
importante y la burbuja de inversión más grande vista en
 
todos los tiempos. Ahora mismo este es el mayor riesgo
 
que encara la economía global".
20
El informe sugiere "que el momento de preocuparse
 
por el estallido de una burbuja de este tipo llega cuando
 
el exceso de inversión conduce a la defl ación (China
 
está cerca de alcanzar una defl ación récord), cuando el
 
precio de la vivienda cae (en China se está hundiendo el
25
precio de la vivienda), el crecimiento de los depósitos
 
se ralentiza (como está pasando en China), el mercado
 
laboral da síntomas de haber alcanzado su máxima
 
ocupación y se comienzan a ver ciertas fugas de capital.
 
Por si esto fuera poco, el crecimiento nominal del PIB
30
cayó al 5,8% en el primer trimestre". Sin embargo, por
 
el momento no hay evidencia de un riesgo tangible.
 
Según la Ofi cina Nacional de Estadísticas de China, el
 
segundo trimestre de 2015 el PIB de este país creció
 
7%, el mismo ritmo registrado en los primeros tres
35
meses del año y por encima de las estimaciones de
 
los economistas (6,8 %), la producción industrial creció
 
en junio 6,8 %, mientras que la inversión en renta fi ja
 
aumentó 11,4 % en el primer semestre.
El espectador, 26/7/15, en línea http://www.elespectador. com/noticias/economia/china-provocara-siguiente-gran-crisis- mundial-articulo-574988)
1
El ministro peruano de Trabajo y Promoción del
 
Empleo, Daniel Maurate, sostuvo que como Gobierno
 
hay que ser responsable en el tema del sueldo mínimo,
 
toda vez que si bien influye en los niveles de aprobación
5
presidencial también repercute en la informalidad. De
 
ahí que no sea recomendable hacer uso político de
 
un posible aumento de la Remuneración Mínima Vital
 
(RMV, hoy en S/. 750), pues sería desfavorable para
 
el país, “pero por suerte el presidente de la República,
10
durante todo este Gobierno, ha pensado en lo mejor
 
para el país”, agregó.
 
Ponderó que sólo el 28 % de la Población
 
Económicamente Activa (PEA) es formal y el resto no
 
tiene benefi cios laborales, por lo que hay que tomar
15
en cuenta ello. “A veces pensamos que para lograr
 
un desarrollo sostenido el Gobierno tiene que hacerlo
 
todo, pero no es así. Los países que han alcanzado el
 
desarrollo y ahora son potencia lo han logrado gracias
 
a que la población y el gobierno trabajaron juntos”,
20
comentó. Cabe recordar que este gobierno elevó
 
a inicios de su gestión la RMV en S/. 150, lo que se
 
ejecutó en dos partes: en julio del 2011 y mayo de
 
2012.Por otro lado, destacó que pese a que no se
 
llegó a ningún acuerdo en el Consejo Nacional del
25
Trabajo y Promoción del Empleo (CNTPE), ambas
 
partes, empleadores y trabajadores, debatieron en
 
términos netamente técnicos. “El diálogo fue bastante
 
alturado y muy respetuoso. El sector de trabajadores
 
pedía un incremento de 14 % del sueldo mínimo y los
30
empleadores argumentaron que por la desaceleración
 
económica del país no era recomendable elevarlo”,
 
comentó el ministro fi nalmente. «No estamos en un país
 
que se está cayendo, estamos en un país que sigue
 
creciendo, quizás más lento que otros años, pero lo
35
sigue haciendo pese al difícil contexto internacional»,
 
afi rmó Maurate.
(El expreso, 28/7/15. En línea http://www.expreso.com. pe/economia/ministro-pide-tratar-el-sueldo-minimo-con- responsabilidad/.)
Según el texto, la Remuneración Mínima Vital (RMV) peruana:

Questão 40

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
1
El ministro peruano de Trabajo y Promoción del
 
Empleo, Daniel Maurate, sostuvo que como Gobierno
 
hay que ser responsable en el tema del sueldo mínimo,
 
toda vez que si bien influye en los niveles de aprobación
5
presidencial también repercute en la informalidad. De
 
ahí que no sea recomendable hacer uso político de
 
un posible aumento de la Remuneración Mínima Vital
 
(RMV, hoy en S/. 750), pues sería desfavorable para
 
el país, “pero por suerte el presidente de la República,
10
durante todo este Gobierno, ha pensado en lo mejor
 
para el país”, agregó.
 
Ponderó que sólo el 28 % de la Población
 
Económicamente Activa (PEA) es formal y el resto no
 
tiene benefi cios laborales, por lo que hay que tomar
15
en cuenta ello. “A veces pensamos que para lograr
 
un desarrollo sostenido el Gobierno tiene que hacerlo
 
todo, pero no es así. Los países que han alcanzado el
 
desarrollo y ahora son potencia lo han logrado gracias
 
a que la población y el gobierno trabajaron juntos”,
20
comentó. Cabe recordar que este gobierno elevó
 
a inicios de su gestión la RMV en S/. 150, lo que se
 
ejecutó en dos partes: en julio del 2011 y mayo de
 
2012.Por otro lado, destacó que pese a que no se
 
llegó a ningún acuerdo en el Consejo Nacional del
25
Trabajo y Promoción del Empleo (CNTPE), ambas
 
partes, empleadores y trabajadores, debatieron en
 
términos netamente técnicos. “El diálogo fue bastante
 
alturado y muy respetuoso. El sector de trabajadores
 
pedía un incremento de 14 % del sueldo mínimo y los
30
empleadores argumentaron que por la desaceleración
 
económica del país no era recomendable elevarlo”,
 
comentó el ministro fi nalmente. «No estamos en un país
 
que se está cayendo, estamos en un país que sigue
 
creciendo, quizás más lento que otros años, pero lo
35
sigue haciendo pese al difícil contexto internacional»,
 
afi rmó Maurate.
(El expreso, 28/7/15. En línea http://www.expreso.com. pe/economia/ministro-pide-tratar-el-sueldo-minimo-con- responsabilidad/.)
El sentido de los enunciados que comienzan en la primera línea del texto (El ministro…) y terminan en la quinta (…la informalidad.) se mantiene inalterable si la locución “toda vez que”, se sustituye por:

Questão 41

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI

» Esta questão foi anulada pela banca.
Mariana e Giovana são irmãs. O pai delas viajou para a Itália com 50 anos, contudo algum tempo depois faleceu. No mês e ano em que o pai delas faleceu, Mariana tinha 7/8 da idade de Giovana e a soma de suas idades era igual à idade do pai delas. Sabendo-se que Giovana é 5 anos mais velha do que Mariana, pode-se afirmar que:

Questão 42

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Considerando-se os números:

a=(((240)√2)2)1/4; b=(((320)√2/2)2) e c= (710)-8 √2/2)-1/2

pode-se, com certeza, afirmar que:

Questão 43

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 44

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Sobre as relações a seguir tem-se que: C ≠ C1 é condição necessária para A = A1 . P ≠ P1 é condição suficiente para C = C1 . A ≠ A1 é condição necessária para C ≠ C1 . P = P1 é condição suficiente para A = A1 . Com essas informações, tem-se que:

Questão 45

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Paulo não é padre e Pedro não é professor. Paulo é padre ou Péricles é pedreiro. Se Paulinha é professora, então Pedrita é paisagista. Se Pedrita não é paisagista, então Péricles não é pedreiro.
Desse modo, pode-se, corretamente, concluir que:

Questão 46

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Para estimar a proporção de atletas não fumantes, foi retirada uma amostra aleatória de 1600 atletas. Na amostra foi constatado que 20% dos atletas são fumantes. Sabe-se que, para construir um intervalo de aproximadamente 95% de confiança para a variável proporção, o valor tabelado é aproximadamente igual a 2 desvios-padrão. Assim, o tamanho da amostra para se estimar um intervalo de aproximadamente 95% de confiança, para o percentual de atletas não fumantes, de modo que o erro de estimação seja, no máximo, igual a 0,01, é igual a:

Questão 47

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Um restaurante especializado em carnes recebe somente 3 tipos de clientes, a saber: os que gostam de carne de gado, os que gostam de carne de javali e os que gostam de carne de jacaré. Desses clientes que frequentam o restaurante, 50% deles gostam de carne de gado, 40% gostam de carne de javali e 10% gostam de carne de jacaré. Por outro lado, dos clientes que gostam de carne de gado, 80% das vezes que vão ao restaurante eles bebem cerveja; dos clientes que gostam de carne de javali, 90% das vezes que vão ao restaurante, eles bebem cerveja; dos clientes que gostam de carne de jacaré, 95% das vezes que vão ao restaurante, eles bebem cerveja. Um cliente, ao sair do restaurante, informa que não bebeu cerveja. Assim, a probabilidade de que ele goste de carne de javali é igual a:

Questão 48

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Um auditor deseja saber se o valor médio de todas as contas a receber de uma empresa é de R$ 260,00. Para tanto ele realiza um teste de hipóteses bilateral. O auditor retira uma amostra aleatória de 36 contas a receber e obtém como estimativa para o desvio-padrão populacional R$ 36,00. Além disso, o auditor estabelece os valores críticos para esse teste de hipóteses, a saber: se a média amostral for inferior a R$ 248,00 ou superior a R$ 272,00, ele rejeita a hipótese nula; caso contrário ele não terá evidências sufi cientes para rejeitar a hipótese nula. Como a amostra retirada pelo auditor é maior do que 30 contas, ele utilizou como estatística de teste a variável normal padronizada. O auditor sabe que, em uma distribuição normal padronizada, 95% das observações encontram-se, aproximadamente, entre 2 desvios-padrão. Desse modo, pode-se corretamente afirmar que:

Questão 49

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 50

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Dizer que “Se Marco é marinheiro, então Míriam é mãe” equivale a dizer que

Questão 51

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI

» Esta questão foi anulada pela banca.
Sobre o Constitucionalismo, assinale a opção correta.

Questão 52

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Sobre o princípio constitucional da dignidade da pessoa humana, julgue os itens a seguir. Após, assinale a opção correta.

I- É constitucional a lei que estabeleceu políticas públicas para inserir os portadores de necessidades especiais na sociedade, pois atende ao princípio da dignidade da pessoa humana, definindo meios para que eles sejam alcançados.
II- A cláusula da reserva do possível – que não pode ser invocada, pelo Poder Público, com o propósito de fraudar, de frustrar e de inviabilizar a implementação de políticas públicas definidas na própria Constituição – encontra insuperável limitação na garantia constitucional do mínimo existencial, que representa, no contexto de nosso ordenamento positivo, emanação direta do postulado da essencial dignidade da pessoa humana.
III- Só é lícito o uso de algemas em casos de resistência e de fundado receio de fuga ou de perigo à integridade física própria ou alheia, por parte do preso ou de terceiros, justificada a excepcionalidade por escrito, sob pena de responsabilidade disciplinar, civil e penal do agente ou da autoridade e de nulidade da prisão ou do ato processual a que se refere, sem prejuízo da responsabilidade civil do Estado.
IV- O direito ao nome insere-se no conceito de dignidade da pessoa humana, princípio alçado a fundamento da República Federativa do Brasil.

Estão corretos apenas:

Questão 53

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Sobre a interpretação das normas constitucionais relativas ao ingresso mediante concurso público em cargos e funções públicas, assinale a opção correta.

Questão 54

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Sobre o princípio constitucional da impessoalidade, assinale a opção incorreta.

Questão 55

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
A eficiência como princípio da Administração Pública foi introduzida na Constituição Federal de 1988 por meio da Emenda n. 19/98, seguindo na linha de algumas legislações estrangeiras. No entanto, outras alterações feitas no texto constitucional são exemplos da materialização da aplicação do referido princípio. Assinale, entre as opções que se seguem, aquela que não seria um exemplo da aplicação do princípio da eficiência.

Questão 56

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
São características das autarquias, exceto:

Questão 57

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Constituem modalidades de indenização ao servidor público as seguintes espécies de verbas, exceto:

Questão 58

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 59

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Sobre a nova interpretação constitucional, que lida com um conjunto de novas categorias, julgue os itens a seguir, classificando-os como certos ou errados. A seguir escolha a opção correta.

I- O emprego da técnica legislativa das cláusulas abertas ou conceitos jurídicos indeterminados, como ordem pública, interesse social e boa-fé.
II- A normatividade dos princípios, normas que não são descritivas de condutas específicas, mas que consagram determinados valores ou indicam fins públicos a serem realizados por diferentes meios, como dignidade da pessoa humana, justiça, solidariedade, eficiência.
III- O reconhecimento da existência de colisões de normas constitucionais, de princípios ou de direitos fundamentais como fenômenos inerentes e inevitáveis dentro de um Estado democrático de direito, baseado no pluralismo político.
IV- Legitimação das decisões de acordo com os fundamentos da teoria da argumentação, voltada à demonstração racional de que a solução produzida foi a mais adequada do ponto de vista constitucional.

Estão corretos apenas os itens:

Questão 60

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 61

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Sobre as normas constitucionais que estabeleçam direitos fundamentais sociais que consistem numa prestação estatal, é incorreto afirmar que:

Questão 62

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 63

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 64

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI

» Esta questão foi anulada pela banca.
Analise os itens abaixo, classificando-os como certos ou errados e, em seguida, escolha a opção que se adequa aos itens marcados.

I- Por entidades paraestatais entende-se o gênero do qual são espécies distintas as sociedades de economia mista, as empresas públicas e os serviços sociais autônomos.
II- Empresa controlada é a sociedade cuja maioria do capital social com direito a voto pertença, direta ou indiretamente, a ente da Federação.
III- Na esfera federal, do ponto de vista orçamentário, as empresas estatais dependentes situam-se no ‘orçamento de investimento’, enquanto as empresas estatais não dependentes situam-se no ‘orçamento geral da União’.
IV- Empresa estatal dependente é a empresa controlada que recebe do ente controlador recursos financeiros para pagamento de despesas com pessoal ou de custeio em geral ou de capital, excluídos, no último caso, aqueles provenientes de aumento de participação acionária.

Questão 65

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Podemos divisar, no ordenamento jurídico, duas espécies de normas: as regras e os princípios. Sobre os métodos e técnicas de interpretação do texto constitucional, é incorreto afirmar que:

Questão 66

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
É sabido que a autoridade competente para a aprovação do procedimento licitatório somente poderá́ revogar a licitação por razões de interesse público decorrente de fato superveniente devidamente comprovado. Em tais situações:

Questão 67

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 68

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Sobre os atos jurídicos e sua classificação, julgue os itens abaixo, classificando-os como certos ou errados. Em seguida, assinale a opção que corresponda às suas respostas.

I- Perfeito, válido e eficaz ─ quando o ato completou o seu ciclo de formação, encontra-se conforme as exigências legais e está disponível para a produção dos efeitos jurídicos que lhe são típicos.
II- Perfeito, inválido e eficaz ─ quando o ato concluiu todas as etapas do seu ciclo de formação, encontra-se em desconformidade com a ordem jurídica e está produzindo os efeitos jurídicos que lhe são próprios.
III- Perfeito, válido e ineficaz – já completou o seu ciclo de formação, foi editado conforme a lei e ainda não se encontra disponível para a fruição dos seus efeitos típicos, por depender de uma condição suspensiva, termo inicial, ou complementação por outro órgão controlador.
IV- Perfeito, inválido e ineficaz – quando o ato concluiu todas as fases do ciclo de formação, está em desconformidade com o sistema normativo e ainda não se encontra disponível para a produção de seus efeitos típicos ou próprios, por depender de uma condição suspensiva, ou a chegada de um termo ou, ainda, a prática de um ato complementar por outro órgão.
V- Inválido, eficaz e inexequível – quando o ato se encontra desconforme a lei, tem disposição para produzir de imediato os seus efeitos jurídicos e ainda não é exequível ou operante, por estar sujeito a condição ou termo futuro para sua exequibilidade ou operatividade.

Estão corretos apenas os itens:

Questão 69

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Sobre as concessões de serviços públicos, assinale a opção correta.

Questão 70

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
As opções a seguir correspondem a meios de controle dos atos administrativos previstos na Constituição Federal, exceto:

Questão 71

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Embora sejam espécies do mesmo gênero, a Administração Pública e a Administração Privada possuem peculiaridades específicas. Por isso mesmo, quando contrapostas, convergências e divergências se revelam. Nesse contexto, é correto afirmar:

Questão 72

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Acerca dos dispositivos constitucionais sobre o Sistema Único de Saúde − SUS, é correto afirmar que

Questão 73

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Segundo a Carta da República, os Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário manterão, de forma integrada, sistema de controle interno com a finalidade, entre outras, de avaliar o cumprimento das metas previstas no Plano Plurianual. Nesse sentido, é incorreto afirmar que:

Questão 74

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Acerca do papel do Estado e seu relacionamento com o Mercado, é correto afirmar que:

Questão 75

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Em relação aos modelos de gestão pública, é incorreto afirmar:

Questão 76

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Acerca da práxis política em nosso país, tal como vem ocorrendo no último quarto de século, é correto afirmar que:

Questão 77

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Vista como um processo de adaptação, a Reforma Administrativa é tema indispensável à compreensão da máquina pública em face do ambiente em que se insere. No caso brasileiro, é correto afirmar:

Questão 78

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Acerca do tema "Transparência na Administração Pública", é correto afirmar que:

Questão 79

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Acerca do binômio planejamento e ação governamental, é correto afirmar que:

Questão 80

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 81

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Importante prática incorporada à Administração, a contratualização facilita o planejamento, a avaliação e o monitoramento do contratado pelo Estado. Contudo, como nada é perfeito, entre os problemas mais frequentes até aqui identificados quanto ao seu gerenciamento, podem-se citar os seguintes, exceto:

Questão 82

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
No que se refere às transferências de recursos da União, é correto afirmar:

Questão 83

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Como decorrência da modernização advinda com a implementação da gestão eletrônica de documentos e processos, no âmbito da Administração Pública, os seguintes benefícios podem ser citados, exceto:

Questão 84

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 85

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Visando sustentar o crescimento econômico inclusivo em um contexto econômico adverso, bem como propiciar que o país saia da crise internacional em melhor posição do que entrou, o governo federal nominou sua atual política industrial, tecnológica e de comércio exterior de:

Questão 86

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Acerca do arranjo institucional do Bolsa Família, é correto afirmar que:

Questão 87

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Visando atender exclusivamente às necessidades dos preparativos para os vindouros eventos esportivos internacionais, o governo federal instituiu, em 2011, o chamado Regime Diferenciado de Contratações Públicas (RDC). De lá para cá, o que era para ser temporário tomou ares de permanente, na medida em que, àquele Regime, foram incorporados os seguintes propósitos, exceto:

Questão 88

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Acerca da execução do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação – Fundeb, é correto afirmar que:

Questão 89

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
A natureza do modelo utilizado para entender as relações entre Estado e sociedade é crucial para a análise e a elaboração de uma política pública, ao ponto mesmo de fazer com que os resultados obtidos variem consideravelmente, segundo a visão que se adote. Nesse contexto, quando enfatizamos as restrições que colocam, sobre o Estado, um grande espectro de grupos de pressão dotados de poder diferenciado nas diversas áreas em que se conformam as políticas públicas, sendo estas um resultado das preferências de tais grupos, temos uma Visão:

Questão 90

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Acerca do papel da Burocracia no processo de formulação e implementação de políticas públicas, bem como de sua relação com o universo político, é incorreto afirmar que:

Questão 91

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
De acordo com o Decreto n. 93.872, de 1986, a cooperação financeira da União a entidade pública ou privada far-se-á mediante subvenção, auxílio ou contribuição. Com base em tais conceitos, assinale a opção correta.

Questão 92

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
A Lei de Responsabilidade Fiscal, ao estabelecer normas de finanças públicas voltadas para a responsabilidade fiscal, contém vários conceitos de Contabilidade Pública, entre os quais, é correto afirmar que:

Questão 93

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Para a elaboração do balanço patrimonial no modelo da Lei n. 4.320, de 1964, dispõe-se dos seguintes dados (em R$ 1.000,00):

Passivo financeiro: 4.500
Ativo permanente: 3.900
Superávit financeiro: 1.700
Passivo real descoberto: 800
Passivo compensado: 6.300

Com base nos dados acima, conclui-se que

Questão 94

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
As variações patrimoniais são transações que promovem alterações nos elementos patrimoniais da entidade do setor público. No que diz respeito ao reconhecimento de variações patrimoniais quantitativas, é correto afirmar que:

Questão 95

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
O Decreto-lei n. 200, de 1967, trata, entre outras questões, das normas de administração financeira e de contabilidade. De acordo com essas normas, assinale a opção correta.

Questão 96

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI

» Esta questão foi anulada pela banca.
Pode-se afirmar que são competências do Tribunal de Contas da União:

I- proceder, por iniciativa própria ou por solicitação do Congresso Nacional, de suas Casas ou das respectivas Comissões, à fiscalização contábil, financeira, orçamentária, operacional e patrimonial das unidades dos poderes da União e das demais entidades referidas no inciso anterior.
II- apreciar as contas prestadas anualmente pelo Presidente da República.
III- emitir, nos termos da Constituição Federal, parecer prévio sobre as contas do Governo de Território Federal, no prazo de sessenta dias, a contar de seu recebimento, na forma estabelecida no Regimento Interno.

Questão 97

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 98

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Restrições orçamentárias e metas subestimadas podem afetar o exame da meta a ser alcançada em relação à dimensão da

Questão 99

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 100

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 101

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
A classificação funcional da despesa procura responder basicamente à seguinte indagação:

Questão 102

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Acerca dos dispositivos constitucionais sobre o Sistema Único de Saúde − SUS, é correto afirmar que

Questão 103

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
A adoção do orçamento participativo como instrumento de complementação da democracia representativa proporciona à sociedade

Questão 104

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
O Relatório de Gestão Fiscal de que trata a Lei Complementar n. 101/2000 deve conter o comparativo com os limites definidos naquela Lei. Assinale a opção que indica um limite não exigido pela Lei.

Questão 105

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Acerca dos dispositivos constitucionais sobre o Sistema Único de Saúde − SUS, é correto afirmar que

Questão 106

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Assinale a opção incorreta a respeito do conteúdo e finalidade do Relatório de Avaliação do Cumprimento das Metas Fiscais de que tratam a Lei Complementar n. 101/2000 e a Lei n. 13.080/2014 (LDO 2015).

Questão 107

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
A respeito dos conceitos orçamento impositivo versus orçamento autorizativo e das práticas observadas na elaboração e execução do orçamento no Brasil em anos recentes, é correto afirmar, exceto:

Questão 108

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
A principal característica que diferencia receitas correntes de receitas de capital é:

Questão 109

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Sobre os limites em relação à receita corrente líquida para os gastos com pessoal no âmbito federal estabelecidos pela Lei Complementar n. 101/2000, é correto afirmar, exceto:

Questão 110

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 111

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Assinale a opção incorreta a respeito da gestão e uso da receita e da realização da despesa orçamentária da União.

Questão 112

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Assinale a opção que indica uma finalidade que não pertence ao Sistema de Planejamento e Orçamento Federal.

Questão 113

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Sobre a gestão das disponibilidades de caixa do Tesouro Nacional, de que trata o art. 164, § 3º da Constituição Federal (Conta Única), é correto afirmar, exceto:

Questão 114

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Assinale a alternativa que contempla o dispositivo constitucional que diz respeito ao princípio orçamentário da programação.

Questão 115

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
A realização de despesa por intermédio de Suprimento de Fundos de que trata o art. 68 da Lei n. 4.320/64 tem as seguintes características, exceto:

Questão 116

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Assinale a opção que indica uma exceção aos valores que alicerçam a visão de futuro do Brasil exposta na Mensagem Presidencial do Plano Plurianual 2012-2015.

Questão 117

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Assinale a opção cujo teor não constitui uma das razões pelas quais a reforma tributária poderá contribuir, de forma relevante, para acelerar o crescimento do País

Questão 118

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
No contexto de desenvolvimento e funcionamento da infraestrutura de transportes no Brasil, observa-se grande competência conferida à União Federal pela legislação na área de transporte hidroviário. Assinale a opção cujo item não faz parte do subsistema aquaviário federal.

Questão 119

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
No estudo do histórico do planejamento governamental no Brasil, pode-se observar as muitas tentativas de desenvolvimento de um sistema mediante o estabelecimento dos seguintes planos, exceto:

Questão 120

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
No contexto de desenvolvimento das políticas sociais no Brasil, em especial na área da educação, foi criado o Programa Universidade Para Todos ─ Prouni. Sobre esse programa, é correto afirmar, exceto:

Questão 121

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 122

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 123

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Comparando o Plano Real com o Plano Cruzado, é correto afirmar que:

Questão 124

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Os seguintes dados foram extraídos do Sistema de Contas Nacionais do Brasil, em unidades monetárias:

Rendimento misto bruto: 260.424
Excedente operacional bruto: 1.075.844
Remuneração dos empregados: 1.414.217
Impostos sobre a produção e a importação: 495.944
Subsídios à produção: 5.807
Rendas de propriedade enviadas ao resto do mundo: 83.459
Rendas de propriedade recebidas do resto do mundo: 18.165

Com base nestes dados, a Renda Nacional Bruta será de:

Questão 125

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Considere:

A = Produto Interno Bruto
B= Remuneração dos empregados
C = Impostos sobre a produção e a importação
D = Subsídios à produção
E = Excedente operacional bruto e rendimento misto bruto

É correto, então, afi rmar que:

Questão 126

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 127

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Suponha Ep = (Δqd/Δp).(p/qd) a elasticidade preço da demanda e Ey = (Δqd/Δy).(y/qd) a elasticidade renda da demanda, em que Δqd = variação da quantidade demandada; Δp = variação no preço do bem; p = preço do bem; qd = quantidade demandada do bem; Δy = variação na renda; e y = renda do consumidor. Com base nessas informações, é correto afirmar que:

Questão 128

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Em relação ao monopólio, é correto afirmar que:

Questão 129

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Pode ser considerada como consequência da existência de problemas de informação assimétrica nos mercados:

Questão 130

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
A década de 90 foi um período marcado pelo fim da inflação crônica e pelas reformas de mercado. Particularmente após 1994, foi adotada uma série de medidas para manter a estabilidade macroeconômica. Entre essas medidas, pode-se destacar:

Questão 131

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 132

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 133

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 134

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
A Reforma Agrária é um tema discutido no Brasil desde a época da colonização portuguesa. A discussão se faz presente até os dias de hoje e é conseqüência da estrutura fundiária em nosso país. Uma das grandes inovações da Constituição de 1988, ao regular a questão de terras, foi a de tornar a Reforma Agrária um dever fundamental do Estado. A desapropriação para fins de Reforma Agrária tem, como condição condicio iuris, o descumprimento, pelo proprietário, do dever fundamental de dar ao solo agrícola uma destinação produtiva. A Constituição de 1988 precisou que a função social da propriedade agrária é cumprida quando ela atende, simultaneamente, segundo critérios e graus de exigência estabelecidos em lei, a quatro requisitos. São requisitos para a Reforma Agrária todos os citados abaixo, exceto:

Questão 135

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI

» Esta questão foi anulada pela banca.
O desenvolvimento da infraestrutura é uma condição necessária e incontornável para o próprio desenvolvimento econômico e social do Brasil. São fatores críticos para o crescimento sustentado do país os citados abaixo, exceto:

Questão 136

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
1
Quem frequenta páginas da internet, sobretudo nas re-
 
des sociais, volta e meia se depara com textos atribuídos a
 
grandes escritores. Qualquer leitor dos mestres da literatura
 
logo perceberá a fraude: a citação está longe de honrar a ale-
5
gada autoria. Drummond, Clarice Lispector, Guimarães Rosa e
 
Fernando Pessoa, por exemplo, jamais escreveriam banalida-
 
des recheadas de lugares comuns, em linguagem capenga e
 
estilo indefinido. Mas fica a pergunta: o que motiva essas falsifi-
 
cações grosseiras de artistas da palavra e da imaginação?
10
São muitas as justificativas prováveis. Atrás de todas
 
está a vaidade simplória de quem gostaria de ser tomado por
 
um grande escritor e usa o nome deste para promover um texto
 
tolo, ingênuo, piegas, carregado de chavões. Os leitores incau-
 
tos mordem a isca e parabenizam o fraudulento, expandindo a
15
falsificação e o mau gosto. Mas há também o ressentimento
 
malicioso de quem conhece seus bem estreitos limites literários
 
e, não se conformando com eles, dispõe-se a iludir o público
 
com a assinatura falsa, esperando ser confundido com o gran-
 
de escritor. Como há de fato quem confunda a gritante aberra-
20
ção com a alta criação, o falsário dá-se por recompensado en-
 
quanto recebe os parabéns de quem o “curtiu”.
 
Tais casos são lamentáveis por todas as razões, e cons-
 
tituem transgressões éticas, morais, estéticas e legais. Mas fi-
 
quemos apenas com a grave questão da identidade própria que
25
foi rejeitada em nome de outra, inteiramente postiça. Enganar-
 
se a si mesmo, quando não se trata de uma psicopatia grave, é
 
uma forma dolorosa de trair a consciência de si. Os grandes
 
atores, apoiando-se no talento que lhes é próprio, enobrecem
 
esse desejo tão humano de desdobramento da personalidade e
30
o legitimam artisticamente no palco ou nas telas; os escritores
 
criam personagens com luz própria, que se tornam por vezes
 
mais famosos que seus criadores (caso de Cervantes e seu
 
Dom Quixote, por exemplo); mas os falsários da internet, ao
 
não assinarem seu texto medíocre, querem que o tomemos
35
como um grande momento de Shakespeare. Provavelmente ja-
 
mais leram Shakespeare ou qualquer outro gênio citado: co-
 
nhecem apenas a fama do nome, e a usam como moeda cor-
 
rente no mercado virtual da fama.
 
Tais fraudes devem deixar um gosto amargo em quem
40
as pratica, sobretudo quando ganham o ingênuo acolhimento
 
de quem, enganado, as aplaude. É próprio dos vícios misturar
 
prazer e corrosão em quem os sustenta. Disfarçar a mediocri-
 
dade pessoal envergando a máscara de um autêntico criador
 
só pode aprofundar a rejeição da identidade própria. É um
45
passo certo para alargar os ressentimentos e a infelicidade de
 
quem não se aceita e não se estima.
(Terêncio Cristobal, inédito)
Considere as seguintes afirmações sobre aspectos da construção do texto:

I. Na frase É próprio dos vícios misturar prazer e corrosão em quem os sustenta, o pronome os referese aos nomes prazer e corrosão.

II. Atentando para a regência verbal, o segmento Os grandes atores, apoiando-se no talento que lhes é próprio permanecerá correto caso se substitua apoiando-se no por valendo-se do ou contando com o.

III. Ao observar que ninguém deve enganar-se a si mesmo, o autor poderia ter optado pela forma do imperativo e nos lançar a seguinte frase, de modo correto e solene: “Não deveis enganar-se a vós mesmos”.

Está correto o que se afirma em

Questão 137

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
A globalização é um dos processos de aprofundamento das interações internacionais nas áreas econômica, social, cultural, política.

Entre os seus impactos para as sociedades, podemos citar todos os abaixo, exceto:

Questão 138

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 139

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 140

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Alguns autores consagrados procuram explicar a realidade brasileira pela denominada Sociologia da herança patriarcal-patrimonial. Assinale a afirmativa incorreta acerca dessa linha de pesquisa e perspectiva teórica.

Questão 141

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Com relação à função do Estado moderno, não é correto afirmar que:

Questão 142

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Identifique a opção incorreta sob o ponto de vista das funções clássicas do Estado: alocativa, distributiva e estabilizadora.

Questão 143

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 144

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Em regimes federativos cabe à União envidar esforços para reduzir as disparidades regionais de desenvolvimento. São instrumentos fiscais para desempenhar esse papel todas opções abaixo, exceto:

Questão 145

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Renúncia de Receita é a decisão de não arrecadar receita em função da concessão de isenções, anistias ou subsídios. Assinale a opção incorreta a respeito da renúncia de receita.

Questão 146

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI

» Esta questão foi anulada pela banca.
Sobre a competência tributária no vigente sistema constitucional tributário nacional, é correto afirmar que:

Questão 147

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Sobre as limitações constitucionais ao poder de tributar, é incorreto afirmar que:

Questão 148

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Sobre os princípios constitucionais tributários, é correto afirmar que:

Questão 149

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Sobre a legalidade em matéria tributária, é incorreto afirmar que:

Questão 150

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Sobre os tributos de competência da União, é correto afirmar que

Questão 151

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Correlacione Etapa às suas respectivas Funções:


Está correta a correlação em:

Questão 152

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
De acordo com o Guia de Elaboração do Plano Diretor de Tecnologia de Informação – PDTI, a elaboração do PDTI é realizada em três fases: Preparação, Diagnóstico e Planejamento. Cada uma dessas fases é composta por um conjunto de processos. Na fase de Diagnóstico, um dos processos é “Identificar Necessidades de Contratação de TI”. Uma das atividades desse processo consiste em solicitar documentos e realizar entrevistas com pessoas-chave. Entre as avaliações realizadas nessa atividade não se inclui verificar se

Questão 153

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
O modelo de referência de processo do COBIT 5 divide os processos de governança e gestão de TI da organização em dois domínios de processo principais: governança e gestão. Neste contexto, é correto afirmar que:

Questão 154

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 155

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Em relação à medição e estimativa de software em pontos de função, é correto afirmar que:

Questão 156

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 157

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
A modelagem em BPMN (Business Process Model and Notation) é feita com a utilização de diagramas simples, com um pequeno conjunto de elementos gráficos. As quatro categorias básicas desses elementos são:

Questão 158

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
A Revisão de Requisitos é uma das técnicas mais utilizadas na validação de requisitos. Nessa técnica, alguns atributos de qualidade devem ser levados em consideração na formulação de um checklist, que permite identificar erros comuns de especificação de requisitos. Ao avaliar se “os requisitos são identificados de maneira não ambígua, incluindo ligações com requisitos relacionados e com as razões que justificam a inclusão do requisito”, o atributo de qualidade considerado é:

Questão 159

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
A Gestão da Continuidade de Negócios ─ GNC requer a elaboração de um Plano de Continuidade de Negócios ─ PCN. Este plano deve ser composto por três itens: Plano de Gestão de Crise, Plano de Continuidade e Plano de Recuperação de Desastres. Nesse contexto, é incorreto afirmar que

Questão 160

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
O conjunto mínimo de premissas, políticas e especificações técnicas que regulamentam a utilização da Tecnologia de Informação e Comunicação (TIC) no Governo Federal, estabelecendo as condições de interação com os demais Poderes e esferas de governo e com a sociedade em geral, é definido no

Questão 161

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Em relação aos conceitos de alinhamento entre o Plano Estratégico de Negócio (PEN) e o Plano Estratégico de Tecnologia de Informação (PETI), é incorreto afirmar que:

Questão 162

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Correlacione Etapa às suas respectivas Funções:


Está correta a correlação em:

Questão 163

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
A ferramenta de gestão criada por Walter Shewhart e, mais tarde, amplamente divulgada por Willian Deming, cujo objetivo é implementar um processo de melhoria contínua, através de ciclos de planejamento e controle de uma determinada atividade, é denominada

Questão 164

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
O COBIT 5 define 17 objetivos de TI estruturados de acordo com as dimensões do BSC ─ Balanced ScoreCard. Assinale a opção que contém um objetivo relacionado à perspectiva do cliente.

Questão 165

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Correlacione Etapa às suas respectivas Funções:


Está correta a correlação em:

Questão 166

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Um projeto PRINCE2 tem as seguintes características, exceto:

Questão 167

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 168

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 169

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
O SCRUM é uma metodologia ágil para gestão e planejamento de projetos de software. Nele, as funcionalidades a serem implementadas em um projeto são mantidas em uma lista que é conhecida como ____________. No início de cada Sprint, faz-se um ____________ na qual o ____________ prioriza os itens do ____________ e a equipe seleciona as atividades que ela será capaz de implementar durante o Sprint que se inicia. As tarefas alocadas em um Sprint são transferidas do ____________ para o ____________ .

Questão 170

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
São objetivos do IFPUG CPM (Counting Practices Manual) 4.3, exceto:

Questão 171

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
A identificação dos arquivos lógicos no IFPUG CPM (Counting Practices Manual) 4.3, com vistas a agrupar as entidades candidatas identificadas em um ou mais arquivos lógicos é realizado em seis passos, abaixo relacionados.

I. Identifique todos os dados ou informações de controle reconhecidos pelo usuário logicamente relacionados no escopo da contagem.
II. Exclua as entidades não mantidas por qualquer aplicação.
III. Agrupe em arquivos lógicos as entidades relacionadas que forem entidades dependentes.
IV. Exclua aquelas entidades referenciadas como dados de código.
V. Exclua as entidades que não contenham atributos exigidos pelo usuário.
VI. Remova as entidades associativas que contenham atributos adicionais não exigidos pelo usuário e entidades associativas que contenham apenas chaves estrangeiras; agrupe os atributos chave estrangeira com as entidades principais.

De acordo com o CPM, o mais difícil é o passo

Questão 172

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
A NESMA (Netherlands Software Metrics Association) reconhece três tipos de contagem de pontos de função (PF): detalhada, estimada e indicativa. Os parâmetros para contagem de pontos de função não ajustados são funções dos tipos: Arquivo Lógico Interno (ALI); Arquivo de Interface Externa (AIE); Entradas Externas (EE); Saídas Externas (SE); Consultas Externas (CE). Em relação a esses métodos, é correto afirmar que na contagem

Questão 173

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
O modelo de ciclo de vida de software que combina elementos do modelo em cascata aplicado de maneira iterativa é o

Questão 174

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
De acordo com a Instrução Normativa MPOG/SLTI n. 4, um dos itens exigidos no Projeto Básico é o Modelo de Gestão do Contrato. Este modelo deve contemplar, sempre que possível, os itens a seguir, exceto:

Questão 175

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
De acordo com o Decreto n. 3.555, de 8 de agosto de 2000, que aprova o Regulamento para a modalidade de licitação denominada pregão, para aquisição de bens e serviços comuns, é correto afirmar que:

Questão 176

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 177

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
A técnica de mapeamento de processos denominada AS IS contempla o levantamento da situação atual do processo. Em relação a essa técnica, é incorreto afirmar que:

Questão 178

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Antônio Carlos, Técnico de Segurança Institucional, voltando de uma diligência, deparou-se com a presença de populares em ato de protesto em frente ao prédio em que exerce as suas funções. Dada a grande movimentação na via pública, disparou a arma que portava apontando para um canto em que não havia transeuntes, objetivando assustá-los e abrir caminho para adentrar ao prédio. A conduta de Antônio Carlos foi

Questão 179

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
Em relação às atividades relacionadas à produção e à gerência de requisitos, é correto afirmar que:

Questão 180

MPOG 2015 - ESAF - Analista de Planejamento e Orçamento - Gerência de Projetos e Governança de TI
As principais técnicas de elicitação de requisitos podem ser classificadas em quatro categorias: tradicionais, colaborativas, cognitivas e abordagens contextuais. Na categoria cognitiva encontram-se



Provas de Concursos » Esaf 2015