×
Analista Judiciário - Área Judiciária Auxiliar Judiciário - Área Administrativa Analista Judiciário - Especialidade Arquivologia Analista Judiciário - Especialidade Contadoria
×
TRF 2ª 2012

TRF 2ª 2007

Analista Judiciário - Área Administrativa

Questão 1

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
Os princípios éticos são normas de comportamento
 
social, e não simples ideais de vida, ou premissas
 
doutrinárias. Como normas de comportamento humano, os
 
princípios éticos distinguem-se nitidamente não só das regras
5
do raciocínio matemático, mas também das leis naturais ou
 
biológicas. Ao contrário do que sustentaram grandes
 
pensadores, como Hobbes, Leibniz e Espinosa, a vida ética
 
não pode ser interpretada segundo o método geométrico
 
(ordine geometrico demonstrata). As normas éticas tampouco
10
podem ser reduzidas a enunciados científicos, fundados na
 
observação e na experimentação, como se se tratasse de
 
leis zoológicas. Durante boa parte do século XIX, alguns
 
pensadores, impressionados pelo extraordinário progresso
 
alcançado no campo das ciências exatas, com a produção
15
de certeza e previsibilidade no conhecimento dos dados
 
da natureza, sucumbiram à tentação de explicar a vida
 
humana segundo parâmetros deterministas.
 
Ora, por mais que se queira eliminar a liberdade do
 
mundo humano, ela teima em aparecer, desafiando
20
constantemente as previsões “científicas”. Somos o único
 
ser que combina, em sua vida social, a necessidade física e
 
biológica com os deveres éticos, a sujeição aos fatos naturais
 
com a autonomia de ação. Como é passível de comprovação,
 
em toda sociedade o ideário e as estruturas de poder de-
25
senvolvem-se dentro dos limites postos por determinados
 
fatores básicos, como o patrimônio genético, o meio
 
geográfico ou o estado da técnica. Vencer tais limitações
 
tem sido um desafio constante lançado à espécie humana.
 
Mas nem por isso devemos tomar esses fatores condi-
30
cionantes da vida social como seus princípios diretivos.
(Adaptado de COMPARATO, Fábio Konder. Ética: direito, moral e religião no mundo moderno. São Paulo: Companhia das Letras, 2006, p. 494-5) OBS.: Hobbes (1588-1679), Leibniz (1646-1717), Espinosa (1632- 1677) − filósofos ordine geometrico demonstrata − em tradução livre, "demonstrado segundo a ordem geométrica"
No primeiro parágrafo, o autor:

Questão 2

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
Os princípios éticos são normas de comportamento
 
social, e não simples ideais de vida, ou premissas
 
doutrinárias. Como normas de comportamento humano, os
 
princípios éticos distinguem-se nitidamente não só das regras
5
do raciocínio matemático, mas também das leis naturais ou
 
biológicas. Ao contrário do que sustentaram grandes
 
pensadores, como Hobbes, Leibniz e Espinosa, a vida ética
 
não pode ser interpretada segundo o método geométrico
 
(ordine geometrico demonstrata). As normas éticas tampouco
10
podem ser reduzidas a enunciados científicos, fundados na
 
observação e na experimentação, como se se tratasse de
 
leis zoológicas. Durante boa parte do século XIX, alguns
 
pensadores, impressionados pelo extraordinário progresso
 
alcançado no campo das ciências exatas, com a produção
15
de certeza e previsibilidade no conhecimento dos dados
 
da natureza, sucumbiram à tentação de explicar a vida
 
humana segundo parâmetros deterministas.
 
Ora, por mais que se queira eliminar a liberdade do
 
mundo humano, ela teima em aparecer, desafiando
20
constantemente as previsões “científicas”. Somos o único
 
ser que combina, em sua vida social, a necessidade física e
 
biológica com os deveres éticos, a sujeição aos fatos naturais
 
com a autonomia de ação. Como é passível de comprovação,
 
em toda sociedade o ideário e as estruturas de poder de-
25
senvolvem-se dentro dos limites postos por determinados
 
fatores básicos, como o patrimônio genético, o meio
 
geográfico ou o estado da técnica. Vencer tais limitações
 
tem sido um desafio constante lançado à espécie humana.
 
Mas nem por isso devemos tomar esses fatores condi-
30
cionantes da vida social como seus princípios diretivos.
(Adaptado de COMPARATO, Fábio Konder. Ética: direito, moral e religião no mundo moderno. São Paulo: Companhia das Letras, 2006, p. 494-5) OBS.: Hobbes (1588-1679), Leibniz (1646-1717), Espinosa (1632- 1677) − filósofos ordine geometrico demonstrata − em tradução livre, "demonstrado segundo a ordem geométrica"
No contexto, a frase do primeiro parágrafo que expressa uma causa é:

Questão 3

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
Os princípios éticos são normas de comportamento
 
social, e não simples ideais de vida, ou premissas
 
doutrinárias. Como normas de comportamento humano, os
 
princípios éticos distinguem-se nitidamente não só das regras
5
do raciocínio matemático, mas também das leis naturais ou
 
biológicas. Ao contrário do que sustentaram grandes
 
pensadores, como Hobbes, Leibniz e Espinosa, a vida ética
 
não pode ser interpretada segundo o método geométrico
 
(ordine geometrico demonstrata). As normas éticas tampouco
10
podem ser reduzidas a enunciados científicos, fundados na
 
observação e na experimentação, como se se tratasse de
 
leis zoológicas. Durante boa parte do século XIX, alguns
 
pensadores, impressionados pelo extraordinário progresso
 
alcançado no campo das ciências exatas, com a produção
15
de certeza e previsibilidade no conhecimento dos dados
 
da natureza, sucumbiram à tentação de explicar a vida
 
humana segundo parâmetros deterministas.
 
Ora, por mais que se queira eliminar a liberdade do
 
mundo humano, ela teima em aparecer, desafiando
20
constantemente as previsões “científicas”. Somos o único
 
ser que combina, em sua vida social, a necessidade física e
 
biológica com os deveres éticos, a sujeição aos fatos naturais
 
com a autonomia de ação. Como é passível de comprovação,
 
em toda sociedade o ideário e as estruturas de poder de-
25
senvolvem-se dentro dos limites postos por determinados
 
fatores básicos, como o patrimônio genético, o meio
 
geográfico ou o estado da técnica. Vencer tais limitações
 
tem sido um desafio constante lançado à espécie humana.
 
Mas nem por isso devemos tomar esses fatores condi-
30
cionantes da vida social como seus princípios diretivos.
(Adaptado de COMPARATO, Fábio Konder. Ética: direito, moral e religião no mundo moderno. São Paulo: Companhia das Letras, 2006, p. 494-5) OBS.: Hobbes (1588-1679), Leibniz (1646-1717), Espinosa (1632- 1677) − filósofos ordine geometrico demonstrata − em tradução livre, "demonstrado segundo a ordem geométrica"
É correto afirmar:

Questão 4

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
Os princípios éticos são normas de comportamento
 
social, e não simples ideais de vida, ou premissas
 
doutrinárias. Como normas de comportamento humano, os
 
princípios éticos distinguem-se nitidamente não só das regras
5
do raciocínio matemático, mas também das leis naturais ou
 
biológicas. Ao contrário do que sustentaram grandes
 
pensadores, como Hobbes, Leibniz e Espinosa, a vida ética
 
não pode ser interpretada segundo o método geométrico
 
(ordine geometrico demonstrata). As normas éticas tampouco
10
podem ser reduzidas a enunciados científicos, fundados na
 
observação e na experimentação, como se se tratasse de
 
leis zoológicas. Durante boa parte do século XIX, alguns
 
pensadores, impressionados pelo extraordinário progresso
 
alcançado no campo das ciências exatas, com a produção
15
de certeza e previsibilidade no conhecimento dos dados
 
da natureza, sucumbiram à tentação de explicar a vida
 
humana segundo parâmetros deterministas.
 
Ora, por mais que se queira eliminar a liberdade do
 
mundo humano, ela teima em aparecer, desafiando
20
constantemente as previsões “científicas”. Somos o único
 
ser que combina, em sua vida social, a necessidade física e
 
biológica com os deveres éticos, a sujeição aos fatos naturais
 
com a autonomia de ação. Como é passível de comprovação,
 
em toda sociedade o ideário e as estruturas de poder de-
25
senvolvem-se dentro dos limites postos por determinados
 
fatores básicos, como o patrimônio genético, o meio
 
geográfico ou o estado da técnica. Vencer tais limitações
 
tem sido um desafio constante lançado à espécie humana.
 
Mas nem por isso devemos tomar esses fatores condi-
30
cionantes da vida social como seus princípios diretivos.
(Adaptado de COMPARATO, Fábio Konder. Ética: direito, moral e religião no mundo moderno. São Paulo: Companhia das Letras, 2006, p. 494-5) OBS.: Hobbes (1588-1679), Leibniz (1646-1717), Espinosa (1632- 1677) − filósofos ordine geometrico demonstrata − em tradução livre, "demonstrado segundo a ordem geométrica"
Ora, por mais que se queira eliminar a liberdade do mundo humano, ela teima em aparecer, desafiando constantemente as previsões “científicas”.

Considerada a frase acima, em seu contexto, é correto afirmar:

Questão 5

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
Os princípios éticos são normas de comportamento
 
social, e não simples ideais de vida, ou premissas
 
doutrinárias. Como normas de comportamento humano, os
 
princípios éticos distinguem-se nitidamente não só das regras
5
do raciocínio matemático, mas também das leis naturais ou
 
biológicas. Ao contrário do que sustentaram grandes
 
pensadores, como Hobbes, Leibniz e Espinosa, a vida ética
 
não pode ser interpretada segundo o método geométrico
 
(ordine geometrico demonstrata). As normas éticas tampouco
10
podem ser reduzidas a enunciados científicos, fundados na
 
observação e na experimentação, como se se tratasse de
 
leis zoológicas. Durante boa parte do século XIX, alguns
 
pensadores, impressionados pelo extraordinário progresso
 
alcançado no campo das ciências exatas, com a produção
15
de certeza e previsibilidade no conhecimento dos dados
 
da natureza, sucumbiram à tentação de explicar a vida
 
humana segundo parâmetros deterministas.
 
Ora, por mais que se queira eliminar a liberdade do
 
mundo humano, ela teima em aparecer, desafiando
20
constantemente as previsões “científicas”. Somos o único
 
ser que combina, em sua vida social, a necessidade física e
 
biológica com os deveres éticos, a sujeição aos fatos naturais
 
com a autonomia de ação. Como é passível de comprovação,
 
em toda sociedade o ideário e as estruturas de poder de-
25
senvolvem-se dentro dos limites postos por determinados
 
fatores básicos, como o patrimônio genético, o meio
 
geográfico ou o estado da técnica. Vencer tais limitações
 
tem sido um desafio constante lançado à espécie humana.
 
Mas nem por isso devemos tomar esses fatores condi-
30
cionantes da vida social como seus princípios diretivos.
(Adaptado de COMPARATO, Fábio Konder. Ética: direito, moral e religião no mundo moderno. São Paulo: Companhia das Letras, 2006, p. 494-5) OBS.: Hobbes (1588-1679), Leibniz (1646-1717), Espinosa (1632- 1677) − filósofos ordine geometrico demonstrata − em tradução livre, "demonstrado segundo a ordem geométrica"
Somos o único ser que combina, em sua vida social, a necessidade física e biológica com os deveres éticos, a sujeição aos fatos naturais com a autonomia de ação.

Afirma-se com correção, considerada a frase acima, em seu contexto:

Questão 6

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
Os princípios éticos são normas de comportamento
 
social, e não simples ideais de vida, ou premissas
 
doutrinárias. Como normas de comportamento humano, os
 
princípios éticos distinguem-se nitidamente não só das regras
5
do raciocínio matemático, mas também das leis naturais ou
 
biológicas. Ao contrário do que sustentaram grandes
 
pensadores, como Hobbes, Leibniz e Espinosa, a vida ética
 
não pode ser interpretada segundo o método geométrico
 
(ordine geometrico demonstrata). As normas éticas tampouco
10
podem ser reduzidas a enunciados científicos, fundados na
 
observação e na experimentação, como se se tratasse de
 
leis zoológicas. Durante boa parte do século XIX, alguns
 
pensadores, impressionados pelo extraordinário progresso
 
alcançado no campo das ciências exatas, com a produção
15
de certeza e previsibilidade no conhecimento dos dados
 
da natureza, sucumbiram à tentação de explicar a vida
 
humana segundo parâmetros deterministas.
 
Ora, por mais que se queira eliminar a liberdade do
 
mundo humano, ela teima em aparecer, desafiando
20
constantemente as previsões “científicas”. Somos o único
 
ser que combina, em sua vida social, a necessidade física e
 
biológica com os deveres éticos, a sujeição aos fatos naturais
 
com a autonomia de ação. Como é passível de comprovação,
 
em toda sociedade o ideário e as estruturas de poder de-
25
senvolvem-se dentro dos limites postos por determinados
 
fatores básicos, como o patrimônio genético, o meio
 
geográfico ou o estado da técnica. Vencer tais limitações
 
tem sido um desafio constante lançado à espécie humana.
 
Mas nem por isso devemos tomar esses fatores condi-
30
cionantes da vida social como seus princípios diretivos.
(Adaptado de COMPARATO, Fábio Konder. Ética: direito, moral e religião no mundo moderno. São Paulo: Companhia das Letras, 2006, p. 494-5) OBS.: Hobbes (1588-1679), Leibniz (1646-1717), Espinosa (1632- 1677) − filósofos ordine geometrico demonstrata − em tradução livre, "demonstrado segundo a ordem geométrica"
Como é passível de comprovação, em toda sociedade o ideário e as estruturas de poder desenvolvem-se dentro dos limites postos por determinados fatores básicos, como o patrimônio genético, o meio geográfico ou o estado da técnica.

Observada a frase acima, e sempre considerando o contexto, é correto afirmar:

Questão 7

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
Os princípios éticos são normas de comportamento
 
social, e não simples ideais de vida, ou premissas
 
doutrinárias. Como normas de comportamento humano, os
 
princípios éticos distinguem-se nitidamente não só das regras
5
do raciocínio matemático, mas também das leis naturais ou
 
biológicas. Ao contrário do que sustentaram grandes
 
pensadores, como Hobbes, Leibniz e Espinosa, a vida ética
 
não pode ser interpretada segundo o método geométrico
 
(ordine geometrico demonstrata). As normas éticas tampouco
10
podem ser reduzidas a enunciados científicos, fundados na
 
observação e na experimentação, como se se tratasse de
 
leis zoológicas. Durante boa parte do século XIX, alguns
 
pensadores, impressionados pelo extraordinário progresso
 
alcançado no campo das ciências exatas, com a produção
15
de certeza e previsibilidade no conhecimento dos dados
 
da natureza, sucumbiram à tentação de explicar a vida
 
humana segundo parâmetros deterministas.
 
Ora, por mais que se queira eliminar a liberdade do
 
mundo humano, ela teima em aparecer, desafiando
20
constantemente as previsões “científicas”. Somos o único
 
ser que combina, em sua vida social, a necessidade física e
 
biológica com os deveres éticos, a sujeição aos fatos naturais
 
com a autonomia de ação. Como é passível de comprovação,
 
em toda sociedade o ideário e as estruturas de poder de-
25
senvolvem-se dentro dos limites postos por determinados
 
fatores básicos, como o patrimônio genético, o meio
 
geográfico ou o estado da técnica. Vencer tais limitações
 
tem sido um desafio constante lançado à espécie humana.
 
Mas nem por isso devemos tomar esses fatores condi-
30
cionantes da vida social como seus princípios diretivos.
(Adaptado de COMPARATO, Fábio Konder. Ética: direito, moral e religião no mundo moderno. São Paulo: Companhia das Letras, 2006, p. 494-5) OBS.: Hobbes (1588-1679), Leibniz (1646-1717), Espinosa (1632- 1677) − filósofos ordine geometrico demonstrata − em tradução livre, "demonstrado segundo a ordem geométrica"
Vencer tais limitações tem sido um desafio constante lançado à espécie humana.

A frase acima, em seu contexto, abona a seguinte assertiva:

Questão 8

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
Os princípios éticos são normas de comportamento
 
social, e não simples ideais de vida, ou premissas
 
doutrinárias. Como normas de comportamento humano, os
 
princípios éticos distinguem-se nitidamente não só das regras
5
do raciocínio matemático, mas também das leis naturais ou
 
biológicas. Ao contrário do que sustentaram grandes
 
pensadores, como Hobbes, Leibniz e Espinosa, a vida ética
 
não pode ser interpretada segundo o método geométrico
 
(ordine geometrico demonstrata). As normas éticas tampouco
10
podem ser reduzidas a enunciados científicos, fundados na
 
observação e na experimentação, como se se tratasse de
 
leis zoológicas. Durante boa parte do século XIX, alguns
 
pensadores, impressionados pelo extraordinário progresso
 
alcançado no campo das ciências exatas, com a produção
15
de certeza e previsibilidade no conhecimento dos dados
 
da natureza, sucumbiram à tentação de explicar a vida
 
humana segundo parâmetros deterministas.
 
Ora, por mais que se queira eliminar a liberdade do
 
mundo humano, ela teima em aparecer, desafiando
20
constantemente as previsões “científicas”. Somos o único
 
ser que combina, em sua vida social, a necessidade física e
 
biológica com os deveres éticos, a sujeição aos fatos naturais
 
com a autonomia de ação. Como é passível de comprovação,
 
em toda sociedade o ideário e as estruturas de poder de-
25
senvolvem-se dentro dos limites postos por determinados
 
fatores básicos, como o patrimônio genético, o meio
 
geográfico ou o estado da técnica. Vencer tais limitações
 
tem sido um desafio constante lançado à espécie humana.
 
Mas nem por isso devemos tomar esses fatores condi-
30
cionantes da vida social como seus princípios diretivos.
(Adaptado de COMPARATO, Fábio Konder. Ética: direito, moral e religião no mundo moderno. São Paulo: Companhia das Letras, 2006, p. 494-5) OBS.: Hobbes (1588-1679), Leibniz (1646-1717), Espinosa (1632- 1677) − filósofos ordine geometrico demonstrata − em tradução livre, "demonstrado segundo a ordem geométrica"
Mas nem por isso devemos tomar esses fatores condicionantes da vida social como seus princípios diretivos.

A alternativa que apresenta, de maneira clara e correta, o modo como a frase acima deve ser entendida, no seu contexto, é:

Questão 9

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
Os princípios éticos são normas de comportamento
 
social, e não simples ideais de vida, ou premissas
 
doutrinárias. Como normas de comportamento humano, os
 
princípios éticos distinguem-se nitidamente não só das regras
5
do raciocínio matemático, mas também das leis naturais ou
 
biológicas. Ao contrário do que sustentaram grandes
 
pensadores, como Hobbes, Leibniz e Espinosa, a vida ética
 
não pode ser interpretada segundo o método geométrico
 
(ordine geometrico demonstrata). As normas éticas tampouco
10
podem ser reduzidas a enunciados científicos, fundados na
 
observação e na experimentação, como se se tratasse de
 
leis zoológicas. Durante boa parte do século XIX, alguns
 
pensadores, impressionados pelo extraordinário progresso
 
alcançado no campo das ciências exatas, com a produção
15
de certeza e previsibilidade no conhecimento dos dados
 
da natureza, sucumbiram à tentação de explicar a vida
 
humana segundo parâmetros deterministas.
 
Ora, por mais que se queira eliminar a liberdade do
 
mundo humano, ela teima em aparecer, desafiando
20
constantemente as previsões “científicas”. Somos o único
 
ser que combina, em sua vida social, a necessidade física e
 
biológica com os deveres éticos, a sujeição aos fatos naturais
 
com a autonomia de ação. Como é passível de comprovação,
 
em toda sociedade o ideário e as estruturas de poder de-
25
senvolvem-se dentro dos limites postos por determinados
 
fatores básicos, como o patrimônio genético, o meio
 
geográfico ou o estado da técnica. Vencer tais limitações
 
tem sido um desafio constante lançado à espécie humana.
 
Mas nem por isso devemos tomar esses fatores condi-
30
cionantes da vida social como seus princípios diretivos.
(Adaptado de COMPARATO, Fábio Konder. Ética: direito, moral e religião no mundo moderno. São Paulo: Companhia das Letras, 2006, p. 494-5) OBS.: Hobbes (1588-1679), Leibniz (1646-1717), Espinosa (1632- 1677) − filósofos ordine geometrico demonstrata − em tradução livre, "demonstrado segundo a ordem geométrica"
A expressão do texto que está corretamente entendida é:

Questão 10

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
Os princípios éticos são normas de comportamento
 
social, e não simples ideais de vida, ou premissas
 
doutrinárias. Como normas de comportamento humano, os
 
princípios éticos distinguem-se nitidamente não só das regras
5
do raciocínio matemático, mas também das leis naturais ou
 
biológicas. Ao contrário do que sustentaram grandes
 
pensadores, como Hobbes, Leibniz e Espinosa, a vida ética
 
não pode ser interpretada segundo o método geométrico
 
(ordine geometrico demonstrata). As normas éticas tampouco
10
podem ser reduzidas a enunciados científicos, fundados na
 
observação e na experimentação, como se se tratasse de
 
leis zoológicas. Durante boa parte do século XIX, alguns
 
pensadores, impressionados pelo extraordinário progresso
 
alcançado no campo das ciências exatas, com a produção
15
de certeza e previsibilidade no conhecimento dos dados
 
da natureza, sucumbiram à tentação de explicar a vida
 
humana segundo parâmetros deterministas.
 
Ora, por mais que se queira eliminar a liberdade do
 
mundo humano, ela teima em aparecer, desafiando
20
constantemente as previsões “científicas”. Somos o único
 
ser que combina, em sua vida social, a necessidade física e
 
biológica com os deveres éticos, a sujeição aos fatos naturais
 
com a autonomia de ação. Como é passível de comprovação,
 
em toda sociedade o ideário e as estruturas de poder de-
25
senvolvem-se dentro dos limites postos por determinados
 
fatores básicos, como o patrimônio genético, o meio
 
geográfico ou o estado da técnica. Vencer tais limitações
 
tem sido um desafio constante lançado à espécie humana.
 
Mas nem por isso devemos tomar esses fatores condi-
30
cionantes da vida social como seus princípios diretivos.
(Adaptado de COMPARATO, Fábio Konder. Ética: direito, moral e religião no mundo moderno. São Paulo: Companhia das Letras, 2006, p. 494-5) OBS.: Hobbes (1588-1679), Leibniz (1646-1717), Espinosa (1632- 1677) − filósofos ordine geometrico demonstrata − em tradução livre, "demonstrado segundo a ordem geométrica"
Considere as assertivas abaixo.

I. O autor entende a Ética como o campo de conhecimento metafísico que, baseado nas finalidades últimas, ideais e transcendentes da ação humana, busca estabelecer as leis que garantam a perfectibilidade da organização social.

II. O autor entende que o homem é dotado de capacidade individual de autodeterminação, caracterizada por compatibilizar autonomia e livre-arbítrio com os múltiplos condicionamentos naturais, psicológicos ou sociais que impõem predisposições ao seu agir.

III. A referência a Hobbes, Leibniz e Espinosa e a citação de uma expressão em latim são elementos do discurso que revelam a seguinte intencionalidade do autor: realizar recorte excludente no potencial grupo de leitores, baseado na especialidade profissional.

O texto abona SOMENTE:

Questão 11

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
Nos séculos XVIII e XIX e no começo do século
 
XX, os extraordinários acontecimentos que anunciavam a
 
promessa de uma nova sociedade pareciam dividir
 
nitidamente o mundo entre os defensores e os inimigos da
5
liberdade e do progresso social, permitindo aos
 
revolucionários traduzir em programas políticos sua fé na
 
força emancipatória da aliança entre o intelectual educador
 
e o proletário moderno. Contudo, seu diagnóstico da
 
realidade, embora não chegasse a abalar os alicerces
10
dessa fé, já atentava para as novas formas de manipulação
 
e domínio emersas das próprias revoluções democráticas,
 
detectando um problema central para aqueles que ainda
 
hoje procuram vincular a utopia à lógica dos fatos: até que
 
ponto a busca intelectual do verdadeiro e a ação solidária
15
podem se ampliar e ter efetividade em um universo
 
impregnado − e decodificado − pela cultura do
 
individualismo e da competição.
(PIOZZI, Patrizia. Os arquitetos da ordem anárquica: de Rousseau a Proudhon e Bakunin. São Paulo: Editora UNESP, 2006, p. 213.)
No primeiro período do texto, referindo-se aos séculos XVIII, XIX e ao começo do século XX, a autora:

Questão 12

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
Nos séculos XVIII e XIX e no começo do século
 
XX, os extraordinários acontecimentos que anunciavam a
 
promessa de uma nova sociedade pareciam dividir
 
nitidamente o mundo entre os defensores e os inimigos da
5
liberdade e do progresso social, permitindo aos
 
revolucionários traduzir em programas políticos sua fé na
 
força emancipatória da aliança entre o intelectual educador
 
e o proletário moderno. Contudo, seu diagnóstico da
 
realidade, embora não chegasse a abalar os alicerces
10
dessa fé, já atentava para as novas formas de manipulação
 
e domínio emersas das próprias revoluções democráticas,
 
detectando um problema central para aqueles que ainda
 
hoje procuram vincular a utopia à lógica dos fatos: até que
 
ponto a busca intelectual do verdadeiro e a ação solidária
15
podem se ampliar e ter efetividade em um universo
 
impregnado − e decodificado − pela cultura do
 
individualismo e da competição.
(PIOZZI, Patrizia. Os arquitetos da ordem anárquica: de Rousseau a Proudhon e Bakunin. São Paulo: Editora UNESP, 2006, p. 213.)
Contudo, seu diagnóstico da realidade, embora não chegasse a abalar os alicerces dessa fé, já atentava para as novas formas de manipulação e domínio emersas das próprias revoluções democráticas, detectando um problema central para aqueles que ainda hoje procuram vincular a utopia à lógica dos fatos: até que ponto a busca intelectual do verdadeiro e a ação solidária podem se ampliar e ter efetividade em um universo impregnado − e decodificado − pela cultura do individualismo e da competição.

Observado o período acima e o contexto, é correto afirmar que:

Questão 13

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
Nos séculos XVIII e XIX e no começo do século
 
XX, os extraordinários acontecimentos que anunciavam a
 
promessa de uma nova sociedade pareciam dividir
 
nitidamente o mundo entre os defensores e os inimigos da
5
liberdade e do progresso social, permitindo aos
 
revolucionários traduzir em programas políticos sua fé na
 
força emancipatória da aliança entre o intelectual educador
 
e o proletário moderno. Contudo, seu diagnóstico da
 
realidade, embora não chegasse a abalar os alicerces
10
dessa fé, já atentava para as novas formas de manipulação
 
e domínio emersas das próprias revoluções democráticas,
 
detectando um problema central para aqueles que ainda
 
hoje procuram vincular a utopia à lógica dos fatos: até que
 
ponto a busca intelectual do verdadeiro e a ação solidária
15
podem se ampliar e ter efetividade em um universo
 
impregnado − e decodificado − pela cultura do
 
individualismo e da competição.
(PIOZZI, Patrizia. Os arquitetos da ordem anárquica: de Rousseau a Proudhon e Bakunin. São Paulo: Editora UNESP, 2006, p. 213.)
Contudo, seu diagnóstico da realidade, embora não chegasse a abalar os alicerces dessa fé, já atentava para as novas formas de manipulação e domínio emersas das próprias revoluções democráticas...

No fragmento acima, sempre considerado o contexto:

Questão 14

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
Nos séculos XVIII e XIX e no começo do século
 
XX, os extraordinários acontecimentos que anunciavam a
 
promessa de uma nova sociedade pareciam dividir
 
nitidamente o mundo entre os defensores e os inimigos da
5
liberdade e do progresso social, permitindo aos
 
revolucionários traduzir em programas políticos sua fé na
 
força emancipatória da aliança entre o intelectual educador
 
e o proletário moderno. Contudo, seu diagnóstico da
 
realidade, embora não chegasse a abalar os alicerces
10
dessa fé, já atentava para as novas formas de manipulação
 
e domínio emersas das próprias revoluções democráticas,
 
detectando um problema central para aqueles que ainda
 
hoje procuram vincular a utopia à lógica dos fatos: até que
 
ponto a busca intelectual do verdadeiro e a ação solidária
15
podem se ampliar e ter efetividade em um universo
 
impregnado − e decodificado − pela cultura do
 
individualismo e da competição.
(PIOZZI, Patrizia. Os arquitetos da ordem anárquica: de Rousseau a Proudhon e Bakunin. São Paulo: Editora UNESP, 2006, p. 213.)
Passagens foram pontuadas de maneira distinta daquela encontrada no texto. O segmento alterado, indicado entre reticências, que está pontuado conforme a gramática normativa e que mantém o sentido original, é:

Questão 15

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
Nos séculos XVIII e XIX e no começo do século
 
XX, os extraordinários acontecimentos que anunciavam a
 
promessa de uma nova sociedade pareciam dividir
 
nitidamente o mundo entre os defensores e os inimigos da
5
liberdade e do progresso social, permitindo aos
 
revolucionários traduzir em programas políticos sua fé na
 
força emancipatória da aliança entre o intelectual educador
 
e o proletário moderno. Contudo, seu diagnóstico da
 
realidade, embora não chegasse a abalar os alicerces
10
dessa fé, já atentava para as novas formas de manipulação
 
e domínio emersas das próprias revoluções democráticas,
 
detectando um problema central para aqueles que ainda
 
hoje procuram vincular a utopia à lógica dos fatos: até que
 
ponto a busca intelectual do verdadeiro e a ação solidária
15
podem se ampliar e ter efetividade em um universo
 
impregnado − e decodificado − pela cultura do
 
individualismo e da competição.
(PIOZZI, Patrizia. Os arquitetos da ordem anárquica: de Rousseau a Proudhon e Bakunin. São Paulo: Editora UNESP, 2006, p. 213.)
Transpondo a frase os extraordinários acontecimentos pareciam dividir nitidamente o mundo entre os defensores e os inimigos da liberdade e do progresso social para a voz passiva, a forma verbal corretamente obtida é:

Questão 16

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Muitos exemplos elucidam que é difícil harmonizar instância particular /instância comum. O homem que milita na esfera política está na hora de tomar consciência do seu papel. Às vezes, seus interesses pessoais podem correr o risco de prejuízo. Mas ele tem de ser um mediador entre os anseios das diferentes camadas da sociedade e o âmbito institucional em que se dão as decisões; estas afetam o conjunto das pessoas.

O discurso acima está lógica, clara e corretamente organizado num único período assim:

Questão 17

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
A frase que está clara e totalmente conforme a norma padrão da Língua Portuguesa é:

Questão 18

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa

» Essa questão pode ter algum problema e está sendo revisada. Em breve estará corrigida.
A frase em que a grafia e a acentuação estão em conformidade com as prescrições da norma padrão da Língua Portuguesa é:

Questão 19

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
A frase em que a concordância está totalmente conforme as prescrições da norma padrão da Língua Portuguesa é:

Questão 20

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa

» Esta questão foi anulada pela banca.
Considerada a norma padrão da Língua Portuguesa, a frase que está totalmente correta é:

Questão 21

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
No planejamento de recursos humanos a relação entre o número de horas perdidas e o número de horas planejadas para o processo produtivo denomina-se índice de

Questão 22

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Conforme Lei Federal no 4.320/64, artigo 36:

Consideram-se restos a pagar as despesas empenhadas mas não pagas até o dia 31 de dezembro, distinguindo-se as processadas das não processadas.

Despesa não processada é aquela

Questão 23

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
No processo de seleção de pessoal, o teste que tem a propriedade de avaliar candidatos em determinadas situações práticas do dia-a-dia no trabalho, quanto a sua rapidez e eficácia na tomada de decisão, denomina-se

Questão 24

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Dotações para investimentos ou inversões financeiras que outras pessoas de direito público ou privado devam realizar, independentemente de contraprestação direta em bens ou serviços, são:

Questão 25

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
A fonte de receita gerada por meio de recursos financeiros recebidos de outras entidades de direito público ou privado e destinados ao atendimento de gastos, classificáveis em despesas correntes denomina-se

Questão 26

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
A empresa Gama registrou, durante o ano de 2006, a saída de 65 empregados. Em 1o de janeiro de 2006 havia 350 empregados e, em 31 de dezembro de 2006, 650 empregados.

O índice de rotatividade da empresa Gama é

Questão 27

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
De acordo com o modelo de Hamblin de níveis de avaliação no treinamento, quando o treinando, após participar de um processo de treinamento que gostou e demonstra ter aprendido, embora continue a executar a tarefa sob sua responsabilidade pelo mesmo método utilizado antes do treinamento, retrata o nível de avaliação de

Questão 28

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Tratando-se de despesa pública, na Lei de Orçamento a discriminação da despesa orçamentária será feita, no mínimo, por elementos.

Entende-se por elementos:

Questão 29

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
No estudo realizado por Straus & Sayles como auxílio da curva de aprendizagem, a fase que indica um retrocesso na velocidade da assimilação denomina-se

Questão 30

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa

» Esta questão foi anulada pela banca.
Gastos de natureza operacional, realizados pela administração pública, para a manutenção e o funcionamento dos seus órgãos são denominados despesas

Questão 31

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Na avaliação de desempenho humano nas organizações, concentrar-se na determinação dos grandes pontos fortes e fracos de quem está sendo avaliado, apontando comportamentos extremos e sem analisar especificamente traços de personalidade, refere-se ao método

Questão 32

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Uma estrutura de organização na qual existem dois tipos de órgãos: os órgãos principais de trabalho, que têm vida limitada à duração do projeto e os órgãos de apoio funcional, permanentes, que apóiam os projetos e os orientam em assuntos especializados denomina-se estrutura organizacional

Questão 33

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
O instrumento de administração que auxilia o gestor na análise dos processos e na seqüência das rotinas de trabalho é denominado

Questão 34

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
No processo de avaliação de cargos, a variável que indica se um fator tem ou não a propriedade de atribuir valores diferenciados ao universo de cargos, por meio dos seus graus de intensidade, é a variável da

Questão 35

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa

» Esta questão foi anulada pela banca.
Sobre os princípios básicos da Administração Pública, é INCORRETO afirmar que

Questão 36

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa

» Esta questão foi anulada pela banca.
Considere as proposições abaixo.

I. Descentralização e desconcentração são formas semelhantes de distribuição de competências da Administração Pública indireta.

II. A distribuição de competências de uma para outra pessoa, física ou jurídica, é característica própria da descentralização.

III. As entidades da Administração Pública indireta podem ter personalidade jurídica de direito público ou privado, mas sempre devem ser criadas por lei.

IV. Como exemplo de descentralização administrativa, destacam-se os Estados-membros da Federação e os Municípios.

Está correto o que consta APENAS em

Questão 37

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
A respeito dos vários critérios de classificação e espécies dos atos administrativos, considere:

I. os que são editados por superior hierárquico com a finalidade de fixar diretrizes aos subordinados quanto ao modo de realização de serviço;

II. aqueles pelos quais a Administração torna possível ao interessado a realização de certa atividade, serviço ou utilização de determinados bens, nas condições impostas ou consentidas por ela.

Esses conceitos referem-se, respectivamente,

Questão 38

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
No que se refere aos órgãos e agentes públicos, considere:

I. A atuação do órgão público é imputada à pessoa jurídica que ele integra, mas o órgão não pode representá-la juridicamente.

II. Órgãos superiores são os originários da Constituição e representativos dos Poderes de Estado, sem qualquer subordinação hierárquica ou funcional.

III. Agentes credenciados são os particulares que recebem a incumbência de executar determinada atividade, obra ou serviço público, em nome próprio e por sua conta e risco.

Está correto o que consta APENAS em

Questão 39

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Quanto ao poderes conferidos ao Administrador Público, é INCORRETO afirmar que

Questão 40

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Sobre a inexecução do contrato administrativo, considere:

I. Se houver sustação do contrato, o cronograma de execução será prorrogado automaticamente por igual tempo.

II. Em regra, se houver atraso superior a sessenta dias dos pagamentos devidos pela Administração, o contratado tem o direito de optar pela suspensão do cumprimento de suas obrigações até que seja normalizada a situação.

III. Se ocorrer caso fortuito ou de força maior, regularmente comprovado e que impeça a execução do contrato, poderá a Administração Pública rescindir unilateralmente.

Está correto o que consta APENAS em

Questão 41

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Se houver inexecução total ou parcial do contrato, é INCORRETO afirmar que a Administração poderá, garantida a prévia defesa, aplicar ao contratado a sanção de

Questão 42

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Detectada a qualquer tempo a acumulação ilegal de cargos, empregos ou funções públicas, a autoridade competente

Questão 43

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Considere as seguintes assertivas a respeito do Processo Disciplinar:

I. O processo disciplinar será conduzido por comissão composta de cinco servidores estáveis designados pela autoridade competente, que indicará, dentre eles, o seu presidente.

II. O presidente da comissão de sindicância deverá, necessariamente, ser ocupante de cargo efetivo superior ou ter nível de escolaridade superior ao do indiciado.

III. Não poderá participar de comissão de sindicância ou de inquérito, cônjuge, companheiro ou parente do acusado, consangüíneo ou afim, em linha reta ou colateral, até o terceiro grau.

IV. O prazo para a conclusão do processo disciplinar não excederá sessenta dias, contados da data de publicação do ato que constituir a comissão, admitida a sua prorrogação por igual prazo, quando as circunstâncias o exigirem.

De acordo com a Lei no 8.112/90, está correto o que consta APENAS em

Questão 44

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
A reintegração é a reinvestidura do servidor estável no cargo anteriormente ocupado, ou no cargo resultante de sua transformação, quando invalidada a sua demissão por decisão administrativa ou judicial, com ressarcimento de todas as vantagens. Encontrando-se provido o cargo, o seu eventual ocupante será

Questão 45

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Nos processos administrativos no âmbito da Administração Pública Federal, é certo que a competência é irrenunciável e se exerce pelos órgãos administrativos a que foi atribuída como própria, SALVO

Questão 46

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Nos processos administrativos no âmbito da Administração Pública Federal, o órgão competente perante o qual tramita o processo administrativo determinará a intimação do interessado para ciência de decisão ou a efetivação de diligências. Diante disso, analise:

I. Informação da continuidade do processo independentemente do seu comparecimento.

II. Se o intimado deve comparecer pessoalmente, ou fazer-se representar.

III. Indicação dos fatos pertinentes, ou não, dispensada a fundamentação.

IV. Observância da antecedência mínima de cinco dias úteis quanto à data do comparecimento.

Nesses casos, são considerados requisitos obrigatórios da intimação, APENAS os previstos em

Questão 47

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Compete privativamente à União legislar sobre

Questão 48

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Maria é funcionária pública e exerce o cargo de Delegada de Polícia do Município de Niterói, onde reside. No último pleito eleitoral, Maria resolve se candidatar e é eleita Vereadora. Investida no mandato de Vereador, Maria

Questão 49

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Considere as seguintes afirmativas sobre os direitos e deveres individuais e coletivos:

I. O brasileiro naturalizado poderá ser extraditado se praticar crime comum antes da naturalização ou no caso de comprovado envolvimento em tráfico ilícito de entorpecentes e drogas afins, na forma da lei.

II. São gratuitas as ações de habeas corpus, mandado de segurança e habeas data, e, na forma da lei, os atos necessários ao exercício da cidadania.

III. Conceder-se-á habeas data sempre que a falta de norma regulamentadora torne inviável o exercício dos direitos e liberdades constitucionais e das prerrogativas inerentes à nacionalidade, à soberania e à cidadania.

IV. São a todos assegurados, independentemente do pagamento de taxas, a obtenção de certidões em repartições públicas, para defesa de direitos e esclarecimento de situações de interesse pessoal.

De acordo com a Constituição Federal de 1988, está correto o que consta APENAS em

Questão 50

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Márcio é brasileiro nato e é o embaixador do Brasil na Inglaterra, residindo na cidade de Londres. Lá, Márcio conhece Tina, inglesa e começa um relacionamento amoroso com ela, que resulta no nascimento de um filho, de nome Cris. Nos termos da Carta Magna Brasileira de 1988, Cris

Questão 51

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Manuela é analista judiciária do Tribunal Regional Federal da 2a Região. Para se aposentar voluntariamente, com proventos proporcionais, haja vista que não completou o período mínimo de contribuição, Manuela deverá ostentar as seguintes condições:

Questão 52

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Além de outras competências, cabe exclusivamente ao Congresso Nacional

Questão 53

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa

» Esta questão foi anulada pela banca.
Nos termos da Constituição Federal, o Presidente da República deverá efetuar junto ao Congresso Nacional, dentro de 60 (sessenta) dias após a abertura da sessão legislativa anual, a apresentação de contas referentes ao exercício anterior. Em caso de descumprimento de tal disposição, as contas devem ser tomadas

Questão 54

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
A Emenda Constitucional no 45/2004, incluiu no rol de legitimados para a propositura da ação direta de inconstitucionalidade, além de outros, o

Questão 55

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Nas hipóteses de grave violação de direitos humanos e com vistas a assegurar o cumprimento de obrigações decorrentes de tratados internacionais de direitos humanos dos quais o Brasil seja parte, a Constituição Federal reserva a competência para suscitar o incidente de deslocamento de competência para a Justiça Federal, ao

Questão 56

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Quanto aos Tribunais Regionais Federais, estabelece a Constituição Federal que

Questão 57

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Maurice, francês, casou-se com Jeanne, espanhola. Morou algum tempo no Brasil, onde adquiriu bens imóveis. Dessa união nasceu um filho brasileiro, José. Posteriormente, Maurice faleceu na França, onde era domiciliado. Nesse caso, de acordo com a Lei de Introdução ao Código Civil brasileiro, a sucessão dos bens que Maurice adquiriu em vida no Brasil será regulada pela lei

Questão 58

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
O domicílio do

Questão 59

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Um quilo de ouro é um bem

Questão 60

TRF 2ª 2007 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
No que concerne aos contratos em geral, a proposta de contrato, se o contrário não resultar dos termos dela, da natureza do negócio, ou das circunstâncias do caso, obriga o proponente se,



Provas de Concursos » Fcc 2007