×
Técnico Ministerial Analista Ministerial - Direito
×

PGJ/CE 2013

Analista Ministerial - Ciências da Computação

Questão 1

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
1
Caminha depressa e ritmado, a cabeça balançando no
 
alto, como um instrumento, a captar os ruídos, os perigos, as
 
ameaças da Terra. Os cegos, habitantes de mundo esquemáti-
 
co, sabem aonde ir, desconhecendo as nossas incertezas e per-
5
plexidades. Sua bengala bate na calçada com um barulho seco
 
e compassado, investigando o mundo geométrico. A cidade é
 
um vasto diagrama, de que ele conhece as distâncias, as cur-
 
vas, os ângulos. Sua vida é uma série de operações matemáti-
 
cas, enquanto a nossa costuma ser uma improvisação constan-
10
te, uma tonteira, um desvario. Sua sobrevivência é um cálculo.
 
Um dia eu o vi em um momento particular de mansidão e
 
ternura. Um rapaz que limpava um cadillac sobre o passeio
 
deixou que ele apalpasse todo o carro. Suas mãos percorreram
 
o para-lama, o painel, os faróis, os frisos. Seu rosto se ilumina-
15
va, deslumbrado, como se seus olhos vissem pela primeira vez
 
uma grande cachoeira, o mar de encontro aos rochedos, uma
 
tempestade, uma bela mulher.
(Paulo Mendes Campos. O amor acaba. São Paulo: Compa- nhia das Letras, 2013, p. 31)
O primeiro e o segundo parágrafos destacam, respectivamente, as seguintes características do “cego de Ipanema”:

Questão 2

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
1
Caminha depressa e ritmado, a cabeça balançando no
 
alto, como um instrumento, a captar os ruídos, os perigos, as
 
ameaças da Terra. Os cegos, habitantes de mundo esquemáti-
 
co, sabem aonde ir, desconhecendo as nossas incertezas e per-
5
plexidades. Sua bengala bate na calçada com um barulho seco
 
e compassado, investigando o mundo geométrico. A cidade é
 
um vasto diagrama, de que ele conhece as distâncias, as cur-
 
vas, os ângulos. Sua vida é uma série de operações matemáti-
 
cas, enquanto a nossa costuma ser uma improvisação constan-
10
te, uma tonteira, um desvario. Sua sobrevivência é um cálculo.
 
Um dia eu o vi em um momento particular de mansidão e
 
ternura. Um rapaz que limpava um cadillac sobre o passeio
 
deixou que ele apalpasse todo o carro. Suas mãos percorreram
 
o para-lama, o painel, os faróis, os frisos. Seu rosto se ilumina-
15
va, deslumbrado, como se seus olhos vissem pela primeira vez
 
uma grande cachoeira, o mar de encontro aos rochedos, uma
 
tempestade, uma bela mulher.
(Paulo Mendes Campos. O amor acaba. São Paulo: Compa- nhia das Letras, 2013, p. 31)
Atente para as seguintes afirmações:

I. A assertiva Sua sobrevivência é um cálculo (1º parágrafo), referida ao homem cego, justifica-se pelas expressões que imediatamente a antecedem, entre elas improvisação constante.

II. No 1º parágrafo, o autor do texto estabelece uma relação entre as capacidades desenvolvidas pelos homens cegos e a autossuficiência com que parecem explorar os caminhos da vida.

III. Testemunhando um momento particular de mansidão e ternura (2º parágrafo), o autor equipara um prazer possível ao cego e o desfrute visual de formas naturais.

Em relação ao texto, está correto o que se afirma SOMENTE em

Questão 3

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
1
Caminha depressa e ritmado, a cabeça balançando no
 
alto, como um instrumento, a captar os ruídos, os perigos, as
 
ameaças da Terra. Os cegos, habitantes de mundo esquemáti-
 
co, sabem aonde ir, desconhecendo as nossas incertezas e per-
5
plexidades. Sua bengala bate na calçada com um barulho seco
 
e compassado, investigando o mundo geométrico. A cidade é
 
um vasto diagrama, de que ele conhece as distâncias, as cur-
 
vas, os ângulos. Sua vida é uma série de operações matemáti-
 
cas, enquanto a nossa costuma ser uma improvisação constan-
10
te, uma tonteira, um desvario. Sua sobrevivência é um cálculo.
 
Um dia eu o vi em um momento particular de mansidão e
 
ternura. Um rapaz que limpava um cadillac sobre o passeio
 
deixou que ele apalpasse todo o carro. Suas mãos percorreram
 
o para-lama, o painel, os faróis, os frisos. Seu rosto se ilumina-
15
va, deslumbrado, como se seus olhos vissem pela primeira vez
 
uma grande cachoeira, o mar de encontro aos rochedos, uma
 
tempestade, uma bela mulher.
(Paulo Mendes Campos. O amor acaba. São Paulo: Compa- nhia das Letras, 2013, p. 31)
Está clara e correta a redação deste livre comentário sobre o texto:

Questão 4

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
1
Caminha depressa e ritmado, a cabeça balançando no
 
alto, como um instrumento, a captar os ruídos, os perigos, as
 
ameaças da Terra. Os cegos, habitantes de mundo esquemáti-
 
co, sabem aonde ir, desconhecendo as nossas incertezas e per-
5
plexidades. Sua bengala bate na calçada com um barulho seco
 
e compassado, investigando o mundo geométrico. A cidade é
 
um vasto diagrama, de que ele conhece as distâncias, as cur-
 
vas, os ângulos. Sua vida é uma série de operações matemáti-
 
cas, enquanto a nossa costuma ser uma improvisação constan-
10
te, uma tonteira, um desvario. Sua sobrevivência é um cálculo.
 
Um dia eu o vi em um momento particular de mansidão e
 
ternura. Um rapaz que limpava um cadillac sobre o passeio
 
deixou que ele apalpasse todo o carro. Suas mãos percorreram
 
o para-lama, o painel, os faróis, os frisos. Seu rosto se ilumina-
15
va, deslumbrado, como se seus olhos vissem pela primeira vez
 
uma grande cachoeira, o mar de encontro aos rochedos, uma
 
tempestade, uma bela mulher.
(Paulo Mendes Campos. O amor acaba. São Paulo: Compa- nhia das Letras, 2013, p. 31)
Os verbos indicados entre parênteses deverão flexio- nar-se no PLURAL para preencherem de modo correto as lacunas da frase:

Questão 5

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
1
Caminha depressa e ritmado, a cabeça balançando no
 
alto, como um instrumento, a captar os ruídos, os perigos, as
 
ameaças da Terra. Os cegos, habitantes de mundo esquemáti-
 
co, sabem aonde ir, desconhecendo as nossas incertezas e per-
5
plexidades. Sua bengala bate na calçada com um barulho seco
 
e compassado, investigando o mundo geométrico. A cidade é
 
um vasto diagrama, de que ele conhece as distâncias, as cur-
 
vas, os ângulos. Sua vida é uma série de operações matemáti-
 
cas, enquanto a nossa costuma ser uma improvisação constan-
10
te, uma tonteira, um desvario. Sua sobrevivência é um cálculo.
 
Um dia eu o vi em um momento particular de mansidão e
 
ternura. Um rapaz que limpava um cadillac sobre o passeio
 
deixou que ele apalpasse todo o carro. Suas mãos percorreram
 
o para-lama, o painel, os faróis, os frisos. Seu rosto se ilumina-
15
va, deslumbrado, como se seus olhos vissem pela primeira vez
 
uma grande cachoeira, o mar de encontro aos rochedos, uma
 
tempestade, uma bela mulher.
(Paulo Mendes Campos. O amor acaba. São Paulo: Compa- nhia das Letras, 2013, p. 31)
Está plenamente adequada a correlação entre tempos e modos verbais na frase:

Questão 6

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
1
Caminha depressa e ritmado, a cabeça balançando no
 
alto, como um instrumento, a captar os ruídos, os perigos, as
 
ameaças da Terra. Os cegos, habitantes de mundo esquemáti-
 
co, sabem aonde ir, desconhecendo as nossas incertezas e per-
5
plexidades. Sua bengala bate na calçada com um barulho seco
 
e compassado, investigando o mundo geométrico. A cidade é
 
um vasto diagrama, de que ele conhece as distâncias, as cur-
 
vas, os ângulos. Sua vida é uma série de operações matemáti-
 
cas, enquanto a nossa costuma ser uma improvisação constan-
10
te, uma tonteira, um desvario. Sua sobrevivência é um cálculo.
 
Um dia eu o vi em um momento particular de mansidão e
 
ternura. Um rapaz que limpava um cadillac sobre o passeio
 
deixou que ele apalpasse todo o carro. Suas mãos percorreram
 
o para-lama, o painel, os faróis, os frisos. Seu rosto se ilumina-
15
va, deslumbrado, como se seus olhos vissem pela primeira vez
 
uma grande cachoeira, o mar de encontro aos rochedos, uma
 
tempestade, uma bela mulher.
(Paulo Mendes Campos. O amor acaba. São Paulo: Compa- nhia das Letras, 2013, p. 31)
A supressão da vírgula altera o sentido da frase em:

I. Observei bem os movimentos daquele cego, enquanto ele caminhava com desenvoltura pela rua movimentada.

II. Que prazer encontrava o cego de Ipanema, percorrendo com as mãos as partes do belo automóvel!

III. Sempre nos impressionaremos com os cegos, que caminham com tanta segurança pela cidade.

Atende ao enunciado SOMENTE o que está em

Questão 7

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
1
Fiquei velho na época errada. Toda a minha vida foi as-
 
sim. Cheguei às diferentes fases da vida quando elas já tinham
 
perdido as suas vantagens, ou antes de adquirirem vantagens
 
novas. Veja você: a infância. Houve um tempo em que as
5
crianças, assim, da minha classe, eram tratadas como príncipes
 
e princesas. Não foi o meu. E a adolescência? A revolução
 
sexual começou exatamente um dia depois do meu casamento.
 
Quando cheguei à juventude, os jovens adultos estavam cui-
 
dando de suas carteiras de ações da Bolsa.
10
Tudo bem, pensei. Vou me preparar para a velhice e
 
seus privilégios, com minha pensão e meus netos. Mas a Previ-
 
dência está quase quebrando e meus netos, quando me olham,
 
parecem estar me medindo para um asilo geriátrico. Cheguei
 
tarde também à velhice.
(Adaptado de: Luis Fernando Verissimo. Em algum lugar do paraíso. Rio de Janeiro: Objetiva, 2011, p. 48 e 49)
A ideia principal do texto está resumida de modo adequado na seguinte formulação: O autor acredita que

Questão 8

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
1
Fiquei velho na época errada. Toda a minha vida foi as-
 
sim. Cheguei às diferentes fases da vida quando elas já tinham
 
perdido as suas vantagens, ou antes de adquirirem vantagens
 
novas. Veja você: a infância. Houve um tempo em que as
5
crianças, assim, da minha classe, eram tratadas como príncipes
 
e princesas. Não foi o meu. E a adolescência? A revolução
 
sexual começou exatamente um dia depois do meu casamento.
 
Quando cheguei à juventude, os jovens adultos estavam cui-
 
dando de suas carteiras de ações da Bolsa.
10
Tudo bem, pensei. Vou me preparar para a velhice e
 
seus privilégios, com minha pensão e meus netos. Mas a Previ-
 
dência está quase quebrando e meus netos, quando me olham,
 
parecem estar me medindo para um asilo geriátrico. Cheguei
 
tarde também à velhice.
(Adaptado de: Luis Fernando Verissimo. Em algum lugar do paraíso. Rio de Janeiro: Objetiva, 2011, p. 48 e 49)
Deve-se deduzir das informações apresentadas no texto que

I. houve época em que se condicionavam, com certa naturalidade, os prazeres da vida sexual à contração do matrimônio.

II. os moços, à época da juventude do autor, entregavam-se já a tarefas que em nada os aliviava das responsabilidades dos adultos.

III. a velhice, ao contrário das outras fases da vida, não nos traz decepções, já que nos conformamos em dela nada esperar.

Está correto o que se formula SOMENTE em

Questão 9

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
1
Fiquei velho na época errada. Toda a minha vida foi as-
 
sim. Cheguei às diferentes fases da vida quando elas já tinham
 
perdido as suas vantagens, ou antes de adquirirem vantagens
 
novas. Veja você: a infância. Houve um tempo em que as
5
crianças, assim, da minha classe, eram tratadas como príncipes
 
e princesas. Não foi o meu. E a adolescência? A revolução
 
sexual começou exatamente um dia depois do meu casamento.
 
Quando cheguei à juventude, os jovens adultos estavam cui-
 
dando de suas carteiras de ações da Bolsa.
10
Tudo bem, pensei. Vou me preparar para a velhice e
 
seus privilégios, com minha pensão e meus netos. Mas a Previ-
 
dência está quase quebrando e meus netos, quando me olham,
 
parecem estar me medindo para um asilo geriátrico. Cheguei
 
tarde também à velhice.
(Adaptado de: Luis Fernando Verissimo. Em algum lugar do paraíso. Rio de Janeiro: Objetiva, 2011, p. 48 e 49)
Atente para as seguintes frases:

I. Fiquei velho.

II. Supunha haver vantagens na velhice.

III. Não desfruto de vantagens em minha velhice.

As frases acima articulam-se com correção e coerência neste período único:

Questão 10

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
1
Fiquei velho na época errada. Toda a minha vida foi as-
 
sim. Cheguei às diferentes fases da vida quando elas já tinham
 
perdido as suas vantagens, ou antes de adquirirem vantagens
 
novas. Veja você: a infância. Houve um tempo em que as
5
crianças, assim, da minha classe, eram tratadas como príncipes
 
e princesas. Não foi o meu. E a adolescência? A revolução
 
sexual começou exatamente um dia depois do meu casamento.
 
Quando cheguei à juventude, os jovens adultos estavam cui-
 
dando de suas carteiras de ações da Bolsa.
10
Tudo bem, pensei. Vou me preparar para a velhice e
 
seus privilégios, com minha pensão e meus netos. Mas a Previ-
 
dência está quase quebrando e meus netos, quando me olham,
 
parecem estar me medindo para um asilo geriátrico. Cheguei
 
tarde também à velhice.
(Adaptado de: Luis Fernando Verissimo. Em algum lugar do paraíso. Rio de Janeiro: Objetiva, 2011, p. 48 e 49)
Transpondo-se para a voz ativa a construção eram tratadas como príncipes e princesas, a forma verbal resultante deverá ser:

Questão 11

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
1
Há quem veja tão somente fantasia e ingenuidade nas
 
palavras das cantigas de roda: “Ciranda, cirandinha / Vamos to-
 
dos cirandar”... Mas há algumas que fazem pensar, e muito: vão
 
bem mais fundo do que parecem. Têm, às vezes, versos trági-
5
cos, como estes: “Menina, minha menina / Faz favor de entrar
 
na roda / Cante um verso bem bonito / Diga adeus e vá-se em-
 
bora”. Trágicos, sim: podem ser ouvidos e entendidos como
 
uma síntese da nossa vida, do tempo curto da nossa vida, a que
 
viemos para entrar na roda, cantar alguma coisa de nós e
10
partir... para sempre. É pouco? É tudo. E tem gente que vai em-
 
bora sem nunca ter cantado coisa nenhuma. A escritora Orides
 
Fontela usou esses versos populares como epígrafe de seu livro
 
de poemas Helianto. Era a dona de uma poesia fina e trágica,
 
cantava como poucos.
(Carlos Rossignol, inédito)
Para considerar como trágicos os versos populares adotados por Orides Fontela, o autor do texto atribuiu-lhes o sentido que corretamente se resume nesta afirmação:

Questão 12

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
1
Há quem veja tão somente fantasia e ingenuidade nas
 
palavras das cantigas de roda: “Ciranda, cirandinha / Vamos to-
 
dos cirandar”... Mas há algumas que fazem pensar, e muito: vão
 
bem mais fundo do que parecem. Têm, às vezes, versos trági-
5
cos, como estes: “Menina, minha menina / Faz favor de entrar
 
na roda / Cante um verso bem bonito / Diga adeus e vá-se em-
 
bora”. Trágicos, sim: podem ser ouvidos e entendidos como
 
uma síntese da nossa vida, do tempo curto da nossa vida, a que
 
viemos para entrar na roda, cantar alguma coisa de nós e
10
partir... para sempre. É pouco? É tudo. E tem gente que vai em-
 
bora sem nunca ter cantado coisa nenhuma. A escritora Orides
 
Fontela usou esses versos populares como epígrafe de seu livro
 
de poemas Helianto. Era a dona de uma poesia fina e trágica,
 
cantava como poucos.
(Carlos Rossignol, inédito)
Há muita gente que, sem mesmo dar-se conta disto, parte desta vida sem nada ter cantado.

A frase acima conserva o sentido básico e mantém a correção nesta outra forma:

Questão 13

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
1
Há quem veja tão somente fantasia e ingenuidade nas
 
palavras das cantigas de roda: “Ciranda, cirandinha / Vamos to-
 
dos cirandar”... Mas há algumas que fazem pensar, e muito: vão
 
bem mais fundo do que parecem. Têm, às vezes, versos trági-
5
cos, como estes: “Menina, minha menina / Faz favor de entrar
 
na roda / Cante um verso bem bonito / Diga adeus e vá-se em-
 
bora”. Trágicos, sim: podem ser ouvidos e entendidos como
 
uma síntese da nossa vida, do tempo curto da nossa vida, a que
 
viemos para entrar na roda, cantar alguma coisa de nós e
10
partir... para sempre. É pouco? É tudo. E tem gente que vai em-
 
bora sem nunca ter cantado coisa nenhuma. A escritora Orides
 
Fontela usou esses versos populares como epígrafe de seu livro
 
de poemas Helianto. Era a dona de uma poesia fina e trágica,
 
cantava como poucos.
(Carlos Rossignol, inédito)
As formas verbais estão corretamente flexionadas na frase:

Questão 14

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
Atente para as seguintes construções:

I. Meu coração, não sei porque, bate feliz quando te vê.

II. Sei que você se aborreceu comigo, só não sei por quê.

III. Ela partiu sem me esclarecer o porquê de seu descontentamento.

Está correto o emprego da forma pronominal sublinhada SOMENTE em

Questão 15

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
O cineasta alemão Wim Wenders afirmou em recente entrevista: − A atual superabundância de imagens significa, basicamente, que somos incapazes de prestar atenção. Deve-se entender que, nessa afirmação,

Questão 16

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
O emprego e a forma de todas as palavras estão plenamente adequados em:

Questão 17

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
1
Will Home work?
 
Apr 4th 2013, 23:24 by M.G | SAN FRANCISCO
 
 
A DAY after the mobile phone celebrated its 40th birthday, Facebook has produced something that it hopes will make certain of
5
the devices even more useful. On April 4th the giant social network unveiled Home, new software that is designed to give it more
 
prominence on mobile phones powered by Android, an operating system developed by Google.
 
This matters because more and more folk are now accessing social networks from mobile devices rather than from desktop
 
computers and because mobile advertising revenues are growing fast, albeit from a low base. Without a robust mobile presence,
 
Facebook could see some of its users siphoned off by rivals born in the mobile era. And it could miss out on a potentially massive
10
source of new revenue.
 
There had been speculation that Facebook was working on a phone of its own, or at least on a mobile operating system to rival
 
Android or Apple’s iOS. But dabbling in hardware at this stage of its development would be a huge risk for Facebook and developing a
 
rival operating system would risk alienating Apple and Google, whose mobile platforms have helped power its advertising growth.
 
EMarketer, a research firm, reckons Facebook is on track to win 11% of the $13.6 billion likely to be spent around the world on mobile
15
ads this year.
(Adaptado de http://www.economist.com/blogs/babbage/2013/04/facebook-and-mobile-phones; Acessado em 08/04/2013)
De acordo com as informações contidas no texto, a rede social Facebook

Questão 18

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
1
Will Home work?
 
Apr 4th 2013, 23:24 by M.G | SAN FRANCISCO
 
 
A DAY after the mobile phone celebrated its 40th birthday, Facebook has produced something that it hopes will make certain of
5
the devices even more useful. On April 4th the giant social network unveiled Home, new software that is designed to give it more
 
prominence on mobile phones powered by Android, an operating system developed by Google.
 
This matters because more and more folk are now accessing social networks from mobile devices rather than from desktop
 
computers and because mobile advertising revenues are growing fast, albeit from a low base. Without a robust mobile presence,
 
Facebook could see some of its users siphoned off by rivals born in the mobile era. And it could miss out on a potentially massive
10
source of new revenue.
 
There had been speculation that Facebook was working on a phone of its own, or at least on a mobile operating system to rival
 
Android or Apple’s iOS. But dabbling in hardware at this stage of its development would be a huge risk for Facebook and developing a
 
rival operating system would risk alienating Apple and Google, whose mobile platforms have helped power its advertising growth.
 
EMarketer, a research firm, reckons Facebook is on track to win 11% of the $13.6 billion likely to be spent around the world on mobile
15
ads this year.
(Adaptado de http://www.economist.com/blogs/babbage/2013/04/facebook-and-mobile-phones; Acessado em 08/04/2013)
Da leitura do texto, tem-se a informação de que

Questão 19

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
1
Will Home work?
 
Apr 4th 2013, 23:24 by M.G | SAN FRANCISCO
 
 
A DAY after the mobile phone celebrated its 40th birthday, Facebook has produced something that it hopes will make certain of
5
the devices even more useful. On April 4th the giant social network unveiled Home, new software that is designed to give it more
 
prominence on mobile phones powered by Android, an operating system developed by Google.
 
This matters because more and more folk are now accessing social networks from mobile devices rather than from desktop
 
computers and because mobile advertising revenues are growing fast, albeit from a low base. Without a robust mobile presence,
 
Facebook could see some of its users siphoned off by rivals born in the mobile era. And it could miss out on a potentially massive
10
source of new revenue.
 
There had been speculation that Facebook was working on a phone of its own, or at least on a mobile operating system to rival
 
Android or Apple’s iOS. But dabbling in hardware at this stage of its development would be a huge risk for Facebook and developing a
 
rival operating system would risk alienating Apple and Google, whose mobile platforms have helped power its advertising growth.
 
EMarketer, a research firm, reckons Facebook is on track to win 11% of the $13.6 billion likely to be spent around the world on mobile
15
ads this year.
(Adaptado de http://www.economist.com/blogs/babbage/2013/04/facebook-and-mobile-phones; Acessado em 08/04/2013)
As palavras it e whose, que aparecem sublinhadas no texto, referem-se, respectivamente, a

Questão 20

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
1
PREDICTING WHAT NEXT YEAR'S (OR NEXT WEEK'S) IPAD IS GOING to be like is hard enough. Knowing what computers
 
in general will be like 150 years from now − an eternity in technology development − is  ]A[ . On the other hand, technology prophets,
 
computer pioneers and researchers have never been known for their reticence on the subject of the future. So we thought it wouldn't
 
hurt to ask them. For starters, will there even be computers in the far future?
5
"There will definitely be computers," says nanotechnology oracle Eric Drexler of the University of Oxford. "They're more
 
fundamental than the wheel."
 
George Dyson, author of books about computers and global intelligence, says, "I can't tell you a lot about computing 50, 100
 
and 150 years ago but really nothing about computing 50, 100 or 150 years in the future. It's just truly impossible to predict: all I can
 
guarantee is that any prediction will be wrong!" He then relents and makes one: "In 150 years most of the important computation will be
10
analog computation (for the same reason that most of the important numbers are real numbers but not integers) and the notion of all-
 
digital computation will be a quaint relic."
 
Ivan Sutherland, who invented Sketchpad, the basis for today's ubiquitous graphical user interface says, "I have no clue about
 
the state of the world 150 years from now. If you want to know the future, ask the young people who will create it."
(Disponível em: Magazine Scientific American. janeiro de 2013. v. 308. p. 30, Adaptado)
Os termos que, de acordo com o contexto, preenchem adequadamente a lacuna ..[A].. no primeiro parágrafo do texto são

Questão 21

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
1
PREDICTING WHAT NEXT YEAR'S (OR NEXT WEEK'S) IPAD IS GOING to be like is hard enough. Knowing what computers
 
in general will be like 150 years from now − an eternity in technology development − is  ]A[ . On the other hand, technology prophets,
 
computer pioneers and researchers have never been known for their reticence on the subject of the future. So we thought it wouldn't
 
hurt to ask them. For starters, will there even be computers in the far future?
5
"There will definitely be computers," says nanotechnology oracle Eric Drexler of the University of Oxford. "They're more
 
fundamental than the wheel."
 
George Dyson, author of books about computers and global intelligence, says, "I can't tell you a lot about computing 50, 100
 
and 150 years ago but really nothing about computing 50, 100 or 150 years in the future. It's just truly impossible to predict: all I can
 
guarantee is that any prediction will be wrong!" He then relents and makes one: "In 150 years most of the important computation will be
10
analog computation (for the same reason that most of the important numbers are real numbers but not integers) and the notion of all-
 
digital computation will be a quaint relic."
 
Ivan Sutherland, who invented Sketchpad, the basis for today's ubiquitous graphical user interface says, "I have no clue about
 
the state of the world 150 years from now. If you want to know the future, ask the young people who will create it."
(Disponível em: Magazine Scientific American. janeiro de 2013. v. 308. p. 30, Adaptado)
Um dos especialistas em computação citados no texto

Questão 22

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
1
PREDICTING WHAT NEXT YEAR'S (OR NEXT WEEK'S) IPAD IS GOING to be like is hard enough. Knowing what computers
 
in general will be like 150 years from now − an eternity in technology development − is  ]A[ . On the other hand, technology prophets,
 
computer pioneers and researchers have never been known for their reticence on the subject of the future. So we thought it wouldn't
 
hurt to ask them. For starters, will there even be computers in the far future?
5
"There will definitely be computers," says nanotechnology oracle Eric Drexler of the University of Oxford. "They're more
 
fundamental than the wheel."
 
George Dyson, author of books about computers and global intelligence, says, "I can't tell you a lot about computing 50, 100
 
and 150 years ago but really nothing about computing 50, 100 or 150 years in the future. It's just truly impossible to predict: all I can
 
guarantee is that any prediction will be wrong!" He then relents and makes one: "In 150 years most of the important computation will be
10
analog computation (for the same reason that most of the important numbers are real numbers but not integers) and the notion of all-
 
digital computation will be a quaint relic."
 
Ivan Sutherland, who invented Sketchpad, the basis for today's ubiquitous graphical user interface says, "I have no clue about
 
the state of the world 150 years from now. If you want to know the future, ask the young people who will create it."
(Disponível em: Magazine Scientific American. janeiro de 2013. v. 308. p. 30, Adaptado)
O texto exibe opiniões sobre a existência de computadores no futuro. Além disso, segundo o texto, há também o questionamento sobre

Questão 23

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
1
(http://www.sidewalkbubblegum.com/category/the-entire- collection/archive-2000/page/3/; Acessado em 09/04/2013)
Na charge editorial, os funcionários têm algo em comum. Nota-se em suas falas que todos

Questão 24

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
1
(http://www.sidewalkbubblegum.com/category/the-entire- collection/archive-2000/page/3/; Acessado em 09/04/2013)
As informações veiculadas na charge têm um tom ...... e podem ser interpretadas como ...... .

Segundo o contexto, a alternativa que preenche, respectivamente, as lacunas da frase acima é

Questão 25

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
A Constituição Federal, ao disciplinar a repartição de competências entre União, Estados e Municípios, atribuiu aos Estados, dentre outras, a competência para

Questão 26

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
Suponha que certo Estado da federação editou lei complementar, dispondo sobre a organização, as atribuições e o estatuto do Ministério Público e determinando, dentre outras disposições:

I. que os membros do Ministério Público do respectivo Estado formarão lista tríplice dentre integrantes da carreira, para escolha de seu Procurador-Geral, que será nomeado pelo Conselho Estadual do Ministério Público, para um mandato de dois anos, permitida uma recondução;

II. ser vedado aos membros do Ministério Público exercer, ainda que em disponibilidade, qualquer outra função pública;

III. que o Ministério Público exercerá o controle externo da atividade policial nos termos previstos naquela lei.

A referida lei complementar é compatível com a Constituição Federal no que diz respeito

Questão 27

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
A Administração Pública, após regular procedimento licitatório, celebra contrato administrativo para a execução de obra pública com a Empresa XY. Na fase de execução contratual, foram causados danos diretamente à Administração, decorrentes de conduta culposa da empresa contratada. Cumpre salientar que houve fiscalização e acompanhamento da execução pelo órgão interessado. Nos termos da Lei nº 8.666/93, a contratada

Questão 28

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
Nos termos da Lei nº 8.429/92, em qualquer fase do processo, reconhecida a inadequação da ação de improbidade, o juiz

Questão 29

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
De acordo com a Lei Orgânica Nacional do Ministério Público, compete ao Colégio de Procuradores de Justiça

Questão 30

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
De acordo com a Lei Complementar Federal nº 75/93, é prerrogativa processual do Procurador-Geral da República ser processado e julgado, nos crimes comuns

Questão 31

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
O modelo de dados relacional é baseado em uma coleção de ..I.. . O usuário pode consultá-las e inserir, excluir e atualizar ..II.. . A ..III.. define um conjunto de operações sobre relações e as linguagens de consulta são baseadas nela. O modelo de dados ..IV.. é amplamente usado para o projeto do banco de dados, oferecendo uma representação gráfica para visualizar dados, relacionamentos e ..V.. .

Preenchem as lacunas, correta e respectivamente, o que consta em

Questão 32

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
Sabendo-se que uma relação r é armazenada em um Banco de Dados Distribuído pela técnica de replicação, considere as assertivas abaixo.

I. O sistema mantém várias cópias idênticas (réplicas) da relação r e armazena cada uma em um site diferente.

II. Quanto mais réplicas de r houver, maior a chance de que os dados necessários sejam encontrados no site em que a transação está executando. Assim, a replicação sempre aumenta o movimento de dados entre os sites.

III. Se um dos sites contendo a relação r falhar, então r pode ser encontrada em outro site e o sistema pode continuar a processar consultas envolvendo r apesar da falha.

Está correto o que se afirma APENAS em

Questão 33

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
Observe abaixo, o trecho de código em SQL em que realiza é uma relação:

 create trigger defNulo before update of realiza  
referencing new row as linhaNova
for each row
when (linhaNova.nota = ‘ ’)
begin atomic
set linhaNova.nota = null;
end;
Sobre o trecho de código, é correto afirmar:

Questão 34

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
Observe os comandos em Transact-SQL:

DECLARE @DataAtual DATETIME
SET @DataAtual = GETDATE()

Considere as tarefas a serem realizadas:

1- Retornar a quantidade de dias desde 01/01/2013 às 07:00 até o momento.
2- Somar 1 hora à hora atual.
3- Verificar se a data 01/34/2012 é uma data válida.

Os comandos corretos em Transact-SQL (usando ou não as informações dos comandos acima) que realizam as tarefas 1, 2 e 3, respectivamente, são:

Questão 35

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
Considere o código escrito em PL-SQL:

 DECLARE  
TYPE tabela IS TABLE OF NUMBER;
list NUMBER_TABLE := tabela (1,2,3,4,5,6,7,8);
BEGIN
list.DELETE(2);
FOR i IN 1..list.COUNT LOOP
IF list.EXISTS(i) THEN
dbms_output.put(‘[‘||list(i)||’]’);
END IF;
END LOOP;
dbms_output.new_line;
END;
/


O código acima imprime na console:

Questão 36

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
A associação entre o comando do banco de dados MySQL e sua descrição é expressa corretamente em

Questão 37

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
Em relação ao entendimento do significado do termo Business Intelligence (BI) e da solução que provê, a definição que NÃO é coerente com o termo Business Intelligence é a que

Questão 38

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
Sobre os elementos de interconexão de redes de computadores, considere:

I. Os hubs irradiam por todas as portas um frame recebido de uma estação, o que pode ocasionar colisões no barramento da rede local se o número de estações e o tráfego forem elevados.

II. O switch separa uma rede local em vários segmentos com domínios de colisão separados, deixando passar para um segmento apenas os frames direcionados a ele.

III. A comutação ou encaminhamento de frames nos switches ocorre mais rapidamente do que nas bridges, pois a comutação e o filtro dos frames são baseados, exclusivamente, em software.

IV. O IEEE 802.1b é um protocolo de comunicação entre bridges ou switches, que tem como único objetivo detectar e eliminar loops em redes e bloquear portas para que esses loops não ocorram.

Está correto o que se afirma APENAS em

Questão 39

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
Os modelos de referência OSI e TCP/IP se baseiam no conceito de uma pilha de protocolos independentes. Apesar de apresentarem alguns nomes de camadas semelhantes, possuem forma de operação diferente. A camada de Aplicação do modelo TCP/IP é formada (de forma representativa), exclusivamente, a partir da fusão das camadas do modelo OSI:

Questão 40

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
1
Ana Luiza trabalha em um escritório onde está sendo instalada uma pequena rede de computadores. O responsável pela
 
instalação escolheu para a rede local o endereço IP 10.0.0.0, com máscara de rede /30 (255.255.255.252). Todos os computadores
 
da rede serão conectados através de cabos UTPs a um switch sem gerenciamento que será ligado a um servidor que acessa a
 
Internet.
O endereço de broadcast da rede local será

Questão 41

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
1
Ana Luiza trabalha em um escritório onde está sendo instalada uma pequena rede de computadores. O responsável pela
 
instalação escolheu para a rede local o endereço IP 10.0.0.0, com máscara de rede /30 (255.255.255.252). Todos os computadores
 
da rede serão conectados através de cabos UTPs a um switch sem gerenciamento que será ligado a um servidor que acessa a
 
Internet.
Os endereços IP de host mínimo e máximo serão, respectivamente,

Questão 42

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
No prompt de comando do Linux, quando logado como root, para ativar a interface de rede eth0, desativada anteriormente por comando, utiliza-se a instrução

Questão 43

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
No Windows Server 2008 há um utilitário de linha de comando que permite configurar e exibir o status de vários componentes instalados e funções do servidor de rede. Com esse utilitário, para se conectar a um servidor DHCP com endereço IP 192.168.0.2, adicionar o escopo ABC com endereço IP 192.168.10.0 e máscara de sub-rede 255.255.255.0 e com o comentário NovoEscopo, utiliza-se a instrução

Questão 44

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
A Medida Provisória nº 2200-2, de 24 de agosto de 2001, instituiu a Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira (ICP-Brasil) para garantir a autenticidade, a integridade e a validade jurídica de documentos em forma eletrônica. A ICP-Brasil é composta por uma autoridade gestora de políticas e pela cadeia de autoridades certificadoras composta

Questão 45

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
No tipo de RAID que usa um sistema de paridade para manter a integridade dos dados, os arquivos são divididos em fragmentos, e, para cada grupo de fragmentos, é gerado um fragmento adicional, contendo códigos de paridade. Pode ser usado com 3 discos ou mais, porém, independentemente da quantidade de discos usados, sempre será sacrificado o espaço equivalente a um deles. Por exemplo, em uma NAS (Network Attached Storage) com 16 discos de 1 TB cada, será possível hospedar 15 TBs de dados e reservar 1 TB de espaço para paridade. Caso qualquer um dos discos usados falhe, os dados continuarão seguros, porém, se um segundo disco falhar antes que o primeiro seja substituído (ou antes que a controladora tenha tempo de regravar os dados), todos os dados serão perdidos.

O tipo descrito no texto é o RAID

Questão 46

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
Um Plano de Continuidade de Negócios pode ser subdividido em Plano de Administração de Crises (PAC), Plano de Recuperação de Desastres (PRD) e Plano de Continuidade Operacional (PCO) que são descritos abaixo:

1. A ativação dos recursos de contingência são características ativas desse plano. Se um link de internet ficar indisponível, esse plano pode definir a utilização de um link secundário, inclusive de menor capacidade visando a não interrupção das atividades.

2. Tem por objetivo definir a responsabilidade dos contatos-chave que conhecem o plano. Esses contatos atuam antes, durante e depois que ocorre um incidente que interrompe a continuidade de negócios, conhecendo todos os procedimentos para retorno e normalização das atividades.

3. Tem o objetivo de restabelecer as atividades o mais breve possível, minimizando o impacto causado pelo desastre. Esse plano possui seu escopo restrito, não tratando de interrupções menores que não requerem mudanças de locais. Cada cenário precisa de um estudo detalhado.

A associação correta entre o plano e sua descrição é expressa em

Questão 47

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
Considerando as melhores práticas de gerenciamento de serviços de TI, analise as afirmativas sobre incidentes e problemas.

I. Um incidente é uma interrupção planejada ou uma redução de qualidade de um serviço de TI. Um incidente é a causa de um problema.

II. O Gerenciamento de Problema dá suporte ao Gerenciamento de Incidentes, oferecendo soluções de contorno e reparo temporários. O Gerenciamento de Incidente visa resolver rapidamente um incidente por algum meio possível. Já o Gerenciamento de Problemas identifica a causa-raiz dos incidentes e dos problemas para buscar eliminá-los.

III. Um incidente não se transforma em um problema. Um incidente gera a abertura de um Registro de Problema.

Está correto o que se afirma APENAS em

Questão 48

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
Há diferentes tipos de vírus. Alguns procuram permanecer ocultos, infectando arquivos do disco e executando uma série de atividades sem o conhecimento do usuário. Há outros que permanecem inativos durante certos períodos, entrando em atividade apenas em datas específicas. Alguns dos tipos de vírus mais comuns são apresentados nas afirmativas abaixo. Assinale o que NÃO se trata de um vírus.

Questão 49

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
Ataques costumam ocorrer na Internet com diversos objetivos, visando diferentes alvos e usando variadas técnicas. Analise os exemplos e descrições abaixo.

1. Pode ser realizado por diversos meios, como pela geração de grande tráfego de dados para uma rede, ocupando toda a banda disponível e tornando indisponível qualquer acesso a computadores ou serviços desta rede.

2. Uma pessoa recebe um e-mail, em nome de um site de comércio eletrônico ou de uma instituição financeira, que tenta induzi-la a clicar em um link. Ao fazer isto, é direcionada para uma página web falsa, semelhante ao site que realmente deseja acessar, no qual são solicitados os dados pessoais e financeiros da pessoa.

3. Consiste em alterar campos do cabeçalho de um e-mail, de forma a aparentar que ele foi enviado de uma determinada origem quando, na verdade, foi enviado de outra. Esta técnica é possível devido a características do protocolo SMTP que permitem que campos do cabeçalho sejam falsificados.

A associação entre a descrição e o tipo de ataque é expressa correta, e respectivamente, em

Questão 50

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
Sobre criptografia, analise:

I. Quando usada para o compartilhamento de informações, se torna complexa e pouco escalável, em virtude da necessidade de um canal de comunicação seguro para promover o compartilhamento da chave secreta entre as partes e da dificuldade de gerenciamento de grandes quantidades de chaves.

II. Apesar de possuir um processamento mais lento, resolve estes problemas visto que facilita o gerenciamento (pois não requer que se mantenha uma chave secreta com cada um que desejar se comunicar) e dispensa a necessidade de um canal de comunicação seguro para o compartilhamento de chaves.

Sobre estas afirmativas é correto afirmar que

Questão 51

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
Sobre a seção 13 da Norma NBR ISO/IEC 27002:2005 que trata da Gestão de Incidentes de Segurança de Informação, é INCORRETO afirmar que

Questão 52

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
O Gerenciamento do tempo do projeto do PMBoK define os 6 processos necessários para gerenciar o término pontual do projeto. O processo “Definir as atividades” identifica as ações específicas a serem realizadas para produzir as entregas do projeto. Os 5 processos restantes estão listados abaixo. A afirmativa que traz uma correspondência correta entre o processo e sua definição é:

Questão 53

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
Paulo foi contratado para trabalhar na empresa ABC e a criar o project charter de um novo projeto de desenvolvimento de software utilizando como referência o PMBoK. Nesse documento, Paulo deverá colocar um conjunto de informações, EXCETO:

Questão 54

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
Na engenharia de requisitos, a etapa que está relacionada à priorização de requisitos e à procura e resolução de conflitos de requisitos é conhecida como

Questão 55

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
As especificações de requisitos escritas em linguagem natural são propensas a mal-entendidos. Muitas das necessidades relatadas podem nunca ser implementadas e diversas delas podem ser relatadas dando margem à ambiguidade, o que pode fazer com que sejam implementadas de maneira incorreta ou deficiente.

Para minimizar esse problema, os requisitos funcionais podem ser escritos usando notações mais especializadas como

Questão 56

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
Os softwares podem ser desenvolvidos utilizando-se vários modelos de arquitetura. Sobre esse assunto é correto afirmar:

Questão 57

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
Engenharia de Software é a aplicação de abordagens sistemáticas, disciplinadas e quantificáveis ao desenvolvimento, operação e manutenção de software, além do estudo dessas abordagens. Com relação à Engenharia de Software, é correto afirmar que

Questão 58

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
Uma linguagem de programação hipotética denominada Z-Prog utiliza três tipos primitivos para armazenar números inteiros: Zbyte, Zint e Zlong. Zbyte utiliza um byte de memória, Zint utiliza 2 bytes de memória e ZLong utiliza 4 bytes de memória para armazenar um valor inteiro. Baseado nessas informações é possível concluir que uma variável do tipo Zint pode armazenar números inteiros sinalizados de

Questão 59

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
Esse conceito refere-se à separação dos aspectos externos de um objeto, que são acessíveis a outros objetos, dos detalhes internos da implementação, que estão escondidos de outros objetos. Isso evita que partes de um programa se tornem tão independentes que uma pequena mudança tenha grandes efeitos em cascata. Pode-se mudar a implementação de um objeto sem afetar as aplicações que o utilizam. Pode-se querer mudar a implementação de um objeto para melhorar o desempenho, reparar um erro, consolidar código ou dar suporte à portabilidade. Esse conceito não é exclusivo das linguagens orientadas a objetos, mas a capacidade de combinar estrutura e comportamento de dados em uma única entidade o torna mais claro e mais poderoso do que em linguagens como Cobol, Fortran e C.

O conceito citado no texto é conhecido como

Questão 60

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
Em uma aplicação desenvolvida por uma equipe de TI deseja-se:

Caso 1: obrigar um conjunto de classes a implementar um conjunto de métodos para se obter um padrão. A ideia é centralizar um conjunto de assinaturas de métodos em um componente para que um conjunto de classes possa implementá-los da maneira como lhes convier.

Caso 2: centralizar os atributos e métodos comuns a um conjunto de classes em uma única classe, de forma que esse conjunto de classes especializadas se comporte como se tivessem em seu código fonte esses atributos e métodos comuns.

Os principais conceitos da orientação a objetos que devem ser utilizados para atender os Casos 1 e 2 são, respectivamente,

Questão 61

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
O Gerenciamento do tempo do projeto do PMBoK define os 6 processos necessários para gerenciar o término pontual do projeto. O processo “Definir as atividades” identifica as ações específicas a serem realizadas para produzir as entregas do projeto. Os 5 processos restantes estão listados abaixo. A afirmativa que traz uma correspondência correta entre o processo e sua definição é:

Questão 62

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
Qualidade de software é uma área dentro da Engenharia de software que visa garantir bons produtos a partir de processos adequados. Com relação à medição da qualidade de software, é correto afirmar que

Questão 63

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
O Scrum é um modelo ágil para a gestão de projeto de software. No Scrum,

Questão 64

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
O modelo de processo ágil Extreme Programming (XP) envolve um conjunto de regras e práticas que constam no contexto de diversas atividades metodológicas. A atividade metodológica na qual se estabelece um guia de implementação para uma história de usuário à medida que é escrita, em que se encoraja o uso de cartões CRC como um mecanismo eficaz para pensar sobre o software em um contexto orientado a objetos é conhecida como

Questão 65

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
Para atender aos objetivos de negócios, as informações precisam se adequar a certos critérios de controles, aos quais o CobiT denomina necessidades de informação da empresa. Baseado em abrangentes requisitos de qualidade, guarda e segurança, o CobiT define sete critérios de informação, dos quais quatro são descritos abaixo.

I. Lida com a informação relevante e pertinente para o processo de negócio, bem como a mesma sendo entregue em tempo, de maneira correta, consistente e utilizável.

II. Está relacionada com a proteção de informações sigilosas para evitar a divulgação indevida.

III. Relaciona-se com a fidedignidade e totalidade da informação, bem como sua validade de acordo com os valores de negócios e expectativas.

IV. Lida com a aderência a leis, regulamentos e obrigações contratuais aos quais os processos de negócios estão sujeitos, isto é, critérios de negócios impostos externamente e políticas internas.

A associação das definições acima com os critérios está expressa correta, e respectivamente, em

Questão 66

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
O CobiT fornece boas práticas através de um modelo de domínios e processos. Além disso,

Questão 67

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
De acordo com a IN 04/2010,

Questão 68

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
Segundo o glossário ITIL v3, Estratégia de Serviço objetiva

Questão 69

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
Segundo a ITIL v3, o Portfólio de Serviços se desdobra em três componentes. Quando um serviço está na fase de definição e análise, ele está no ..I.. . Quando o serviço foi aprovado, ele entra no ..II.. . Quando um serviço já não serve mais para o propósito para o qual foi criado ou há um serviço novo para substituí-lo, ele é classificado como Serviço Obsoleto.

As lacunas I e II são preenchidas, correta e respectivamente, com:

Questão 70

PGJ/CE 2013 - FCC - Analista Ministerial - Ciências da Computação
A imagem abaixo mostra dois nós de um Diagrama de Redes que faz parte do cronograma de um projeto que utiliza o PMBoK.


Considere que as datas de início e término de cada atividade referem-se à quantidade de dias passados desde o início do projeto. Por exemplo, a última data de término da atividade 3.3 será 121 dias após o início do projeto.

Para completar corretamente os nós do diagrama, as letras A, B, C, D, E e F precisam ser substituídas, respectivamente, por



Provas de Concursos » Fcc 2013