×
Analista Judiciário - Contabilidade Analista Judiciário - Engenharia Civil Analista Judiciário - Área Judiciária Técnico Judiciário - Área Administrativa Oficial de Justiça Avaliador Federal Analista Judiciário - Tecnologia da Informação Analista Judiciário - Estatística Técnico Judiciário - Tecnologia da Informação
×
TRT 12ª 2010

TRT 12ª 2013

Analista Judiciário - Área Administrativa

Questão 1

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
As certezas sensíveis dão cor e concretude ao pre-
 
sente vivido. Na verdade, porém, o presente vivido é fruto de
 
uma sofisticada mediação. O real tem um quê de ilusório e vir-
 
tual.
5
Os órgãos sensoriais que nos ligam ao mundo são al-
 
tamente seletivos naquilo que acolhem e transmitem ao cére-
 
bro. O olho humano, por exemplo, não é capaz de captar todo o
 
espectro de energia eletromagnética existente. Os raios ultra-
 
violeta, situados fora do espectro visível do olho humano, são,
10
no entanto, captados pelas abelhas.
 
Seletividade análoga preside a operação dos demais
 
sentidos: cada um atua dentro de sua faixa de registro, ainda
 
que o grau de sensibilidade dos indivíduos varie de acordo com
 
idade, herança genética, treino e educação. Há mais coisas en-
15
tre o céu e a terra do que nossos cinco sentidos − e todos os
 
aparelhos científicos que lhes prestam serviços − são capazes
 
de detectar.
 
Aquilo de que o nosso aparelho perceptivo nos faz
 
cientes não passa, portanto, de uma fração diminuta do que há.
20
Mas o que aconteceria se tivéssemos de passar a lidar subita-
 
mente com uma gama extra e uma carga torrencial de per-
 
cepções sensoriais (visuais, auditivas, táteis etc.) com as quais
 
não estamos habituados? Suponha que uma mutação genética
 
reduza drasticamente a seletividade natural dos nossos sen-
25
tidos. O ganho de sensibilidade seria patente. “Se as portas da
 
percepção se depurassem”, sugeria William Blake, “tudo se re-
 
velaria ao homem tal qual é, infinito”.
 
O grande problema é saber se estaríamos aptos a
 
assimilar o formidável acréscimo de informação sensível que
30
isso acarretaria. O mais provável é que essa súbita mutação − a
 
desobstrução das portas e órgãos da percepção − produzisse
 
não a revelação mística imaginada por Blake, mas um terrível
 
engarrafamento cerebral: uma sobrecarga de informações
 
acompanhada de um estado de aguda confusão e perplexidade
35
do qual apenas lentamente conseguiríamos nos recuperar. As
 
informações sensíveis a que temos acesso, embora restritas,
 
não comprometeram nossa sobrevivência no laboratório da vi-
 
da. Longe disso. É a brutal seletividade dos nossos sentidos
 
que nos protege da infinita complexidade do Universo. Se o
40
muro desaba, o caos impera.
(Adaptado de: Eduardo Gianetti, O valor do amanhã, São Paulo, Cia. das Letras, 2010. p. 139-143)
No texto, o autor

Questão 2

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
As certezas sensíveis dão cor e concretude ao pre-
 
sente vivido. Na verdade, porém, o presente vivido é fruto de
 
uma sofisticada mediação. O real tem um quê de ilusório e vir-
 
tual.
5
Os órgãos sensoriais que nos ligam ao mundo são al-
 
tamente seletivos naquilo que acolhem e transmitem ao cére-
 
bro. O olho humano, por exemplo, não é capaz de captar todo o
 
espectro de energia eletromagnética existente. Os raios ultra-
 
violeta, situados fora do espectro visível do olho humano, são,
10
no entanto, captados pelas abelhas.
 
Seletividade análoga preside a operação dos demais
 
sentidos: cada um atua dentro de sua faixa de registro, ainda
 
que o grau de sensibilidade dos indivíduos varie de acordo com
 
idade, herança genética, treino e educação. Há mais coisas en-
15
tre o céu e a terra do que nossos cinco sentidos − e todos os
 
aparelhos científicos que lhes prestam serviços − são capazes
 
de detectar.
 
Aquilo de que o nosso aparelho perceptivo nos faz
 
cientes não passa, portanto, de uma fração diminuta do que há.
20
Mas o que aconteceria se tivéssemos de passar a lidar subita-
 
mente com uma gama extra e uma carga torrencial de per-
 
cepções sensoriais (visuais, auditivas, táteis etc.) com as quais
 
não estamos habituados? Suponha que uma mutação genética
 
reduza drasticamente a seletividade natural dos nossos sen-
25
tidos. O ganho de sensibilidade seria patente. “Se as portas da
 
percepção se depurassem”, sugeria William Blake, “tudo se re-
 
velaria ao homem tal qual é, infinito”.
 
O grande problema é saber se estaríamos aptos a
 
assimilar o formidável acréscimo de informação sensível que
30
isso acarretaria. O mais provável é que essa súbita mutação − a
 
desobstrução das portas e órgãos da percepção − produzisse
 
não a revelação mística imaginada por Blake, mas um terrível
 
engarrafamento cerebral: uma sobrecarga de informações
 
acompanhada de um estado de aguda confusão e perplexidade
35
do qual apenas lentamente conseguiríamos nos recuperar. As
 
informações sensíveis a que temos acesso, embora restritas,
 
não comprometeram nossa sobrevivência no laboratório da vi-
 
da. Longe disso. É a brutal seletividade dos nossos sentidos
 
que nos protege da infinita complexidade do Universo. Se o
40
muro desaba, o caos impera.
(Adaptado de: Eduardo Gianetti, O valor do amanhã, São Paulo, Cia. das Letras, 2010. p. 139-143)
As informações sensíveis a que temos acesso, embora restritas, não comprometeram nossa sobrevivência no laboratório da vida. (5º parágrafo)

Mantendo-se a correção e a lógica, sem que nenhuma outra alteração seja feita na frase acima, o elemento sublinhado pode ser corretamente substituído por:

Questão 3

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
As certezas sensíveis dão cor e concretude ao pre-
 
sente vivido. Na verdade, porém, o presente vivido é fruto de
 
uma sofisticada mediação. O real tem um quê de ilusório e vir-
 
tual.
5
Os órgãos sensoriais que nos ligam ao mundo são al-
 
tamente seletivos naquilo que acolhem e transmitem ao cére-
 
bro. O olho humano, por exemplo, não é capaz de captar todo o
 
espectro de energia eletromagnética existente. Os raios ultra-
 
violeta, situados fora do espectro visível do olho humano, são,
10
no entanto, captados pelas abelhas.
 
Seletividade análoga preside a operação dos demais
 
sentidos: cada um atua dentro de sua faixa de registro, ainda
 
que o grau de sensibilidade dos indivíduos varie de acordo com
 
idade, herança genética, treino e educação. Há mais coisas en-
15
tre o céu e a terra do que nossos cinco sentidos − e todos os
 
aparelhos científicos que lhes prestam serviços − são capazes
 
de detectar.
 
Aquilo de que o nosso aparelho perceptivo nos faz
 
cientes não passa, portanto, de uma fração diminuta do que há.
20
Mas o que aconteceria se tivéssemos de passar a lidar subita-
 
mente com uma gama extra e uma carga torrencial de per-
 
cepções sensoriais (visuais, auditivas, táteis etc.) com as quais
 
não estamos habituados? Suponha que uma mutação genética
 
reduza drasticamente a seletividade natural dos nossos sen-
25
tidos. O ganho de sensibilidade seria patente. “Se as portas da
 
percepção se depurassem”, sugeria William Blake, “tudo se re-
 
velaria ao homem tal qual é, infinito”.
 
O grande problema é saber se estaríamos aptos a
 
assimilar o formidável acréscimo de informação sensível que
30
isso acarretaria. O mais provável é que essa súbita mutação − a
 
desobstrução das portas e órgãos da percepção − produzisse
 
não a revelação mística imaginada por Blake, mas um terrível
 
engarrafamento cerebral: uma sobrecarga de informações
 
acompanhada de um estado de aguda confusão e perplexidade
35
do qual apenas lentamente conseguiríamos nos recuperar. As
 
informações sensíveis a que temos acesso, embora restritas,
 
não comprometeram nossa sobrevivência no laboratório da vi-
 
da. Longe disso. É a brutal seletividade dos nossos sentidos
 
que nos protege da infinita complexidade do Universo. Se o
40
muro desaba, o caos impera.
(Adaptado de: Eduardo Gianetti, O valor do amanhã, São Paulo, Cia. das Letras, 2010. p. 139-143)
A frase em que o elemento sublinhado NÃO é um pronome está em:

Questão 4

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
As certezas sensíveis dão cor e concretude ao pre-
 
sente vivido. Na verdade, porém, o presente vivido é fruto de
 
uma sofisticada mediação. O real tem um quê de ilusório e vir-
 
tual.
5
Os órgãos sensoriais que nos ligam ao mundo são al-
 
tamente seletivos naquilo que acolhem e transmitem ao cére-
 
bro. O olho humano, por exemplo, não é capaz de captar todo o
 
espectro de energia eletromagnética existente. Os raios ultra-
 
violeta, situados fora do espectro visível do olho humano, são,
10
no entanto, captados pelas abelhas.
 
Seletividade análoga preside a operação dos demais
 
sentidos: cada um atua dentro de sua faixa de registro, ainda
 
que o grau de sensibilidade dos indivíduos varie de acordo com
 
idade, herança genética, treino e educação. Há mais coisas en-
15
tre o céu e a terra do que nossos cinco sentidos − e todos os
 
aparelhos científicos que lhes prestam serviços − são capazes
 
de detectar.
 
Aquilo de que o nosso aparelho perceptivo nos faz
 
cientes não passa, portanto, de uma fração diminuta do que há.
20
Mas o que aconteceria se tivéssemos de passar a lidar subita-
 
mente com uma gama extra e uma carga torrencial de per-
 
cepções sensoriais (visuais, auditivas, táteis etc.) com as quais
 
não estamos habituados? Suponha que uma mutação genética
 
reduza drasticamente a seletividade natural dos nossos sen-
25
tidos. O ganho de sensibilidade seria patente. “Se as portas da
 
percepção se depurassem”, sugeria William Blake, “tudo se re-
 
velaria ao homem tal qual é, infinito”.
 
O grande problema é saber se estaríamos aptos a
 
assimilar o formidável acréscimo de informação sensível que
30
isso acarretaria. O mais provável é que essa súbita mutação − a
 
desobstrução das portas e órgãos da percepção − produzisse
 
não a revelação mística imaginada por Blake, mas um terrível
 
engarrafamento cerebral: uma sobrecarga de informações
 
acompanhada de um estado de aguda confusão e perplexidade
35
do qual apenas lentamente conseguiríamos nos recuperar. As
 
informações sensíveis a que temos acesso, embora restritas,
 
não comprometeram nossa sobrevivência no laboratório da vi-
 
da. Longe disso. É a brutal seletividade dos nossos sentidos
 
que nos protege da infinita complexidade do Universo. Se o
40
muro desaba, o caos impera.
(Adaptado de: Eduardo Gianetti, O valor do amanhã, São Paulo, Cia. das Letras, 2010. p. 139-143)
Admite transposição para a voz passiva o que se encontra em:

Questão 5

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
As certezas sensíveis dão cor e concretude ao pre-
 
sente vivido. Na verdade, porém, o presente vivido é fruto de
 
uma sofisticada mediação. O real tem um quê de ilusório e vir-
 
tual.
5
Os órgãos sensoriais que nos ligam ao mundo são al-
 
tamente seletivos naquilo que acolhem e transmitem ao cére-
 
bro. O olho humano, por exemplo, não é capaz de captar todo o
 
espectro de energia eletromagnética existente. Os raios ultra-
 
violeta, situados fora do espectro visível do olho humano, são,
10
no entanto, captados pelas abelhas.
 
Seletividade análoga preside a operação dos demais
 
sentidos: cada um atua dentro de sua faixa de registro, ainda
 
que o grau de sensibilidade dos indivíduos varie de acordo com
 
idade, herança genética, treino e educação. Há mais coisas en-
15
tre o céu e a terra do que nossos cinco sentidos − e todos os
 
aparelhos científicos que lhes prestam serviços − são capazes
 
de detectar.
 
Aquilo de que o nosso aparelho perceptivo nos faz
 
cientes não passa, portanto, de uma fração diminuta do que há.
20
Mas o que aconteceria se tivéssemos de passar a lidar subita-
 
mente com uma gama extra e uma carga torrencial de per-
 
cepções sensoriais (visuais, auditivas, táteis etc.) com as quais
 
não estamos habituados? Suponha que uma mutação genética
 
reduza drasticamente a seletividade natural dos nossos sen-
25
tidos. O ganho de sensibilidade seria patente. “Se as portas da
 
percepção se depurassem”, sugeria William Blake, “tudo se re-
 
velaria ao homem tal qual é, infinito”.
 
O grande problema é saber se estaríamos aptos a
 
assimilar o formidável acréscimo de informação sensível que
30
isso acarretaria. O mais provável é que essa súbita mutação − a
 
desobstrução das portas e órgãos da percepção − produzisse
 
não a revelação mística imaginada por Blake, mas um terrível
 
engarrafamento cerebral: uma sobrecarga de informações
 
acompanhada de um estado de aguda confusão e perplexidade
35
do qual apenas lentamente conseguiríamos nos recuperar. As
 
informações sensíveis a que temos acesso, embora restritas,
 
não comprometeram nossa sobrevivência no laboratório da vi-
 
da. Longe disso. É a brutal seletividade dos nossos sentidos
 
que nos protege da infinita complexidade do Universo. Se o
40
muro desaba, o caos impera.
(Adaptado de: Eduardo Gianetti, O valor do amanhã, São Paulo, Cia. das Letras, 2010. p. 139-143)
… que uma mutação genética reduza drasticamente a seletividade natural dos nossos sentidos.

O verbo flexionado nos mesmos tempo e modo que o grifado acima está em:

Questão 6

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
As certezas sensíveis dão cor e concretude ao pre-
 
sente vivido. Na verdade, porém, o presente vivido é fruto de
 
uma sofisticada mediação. O real tem um quê de ilusório e vir-
 
tual.
5
Os órgãos sensoriais que nos ligam ao mundo são al-
 
tamente seletivos naquilo que acolhem e transmitem ao cére-
 
bro. O olho humano, por exemplo, não é capaz de captar todo o
 
espectro de energia eletromagnética existente. Os raios ultra-
 
violeta, situados fora do espectro visível do olho humano, são,
10
no entanto, captados pelas abelhas.
 
Seletividade análoga preside a operação dos demais
 
sentidos: cada um atua dentro de sua faixa de registro, ainda
 
que o grau de sensibilidade dos indivíduos varie de acordo com
 
idade, herança genética, treino e educação. Há mais coisas en-
15
tre o céu e a terra do que nossos cinco sentidos − e todos os
 
aparelhos científicos que lhes prestam serviços − são capazes
 
de detectar.
 
Aquilo de que o nosso aparelho perceptivo nos faz
 
cientes não passa, portanto, de uma fração diminuta do que há.
20
Mas o que aconteceria se tivéssemos de passar a lidar subita-
 
mente com uma gama extra e uma carga torrencial de per-
 
cepções sensoriais (visuais, auditivas, táteis etc.) com as quais
 
não estamos habituados? Suponha que uma mutação genética
 
reduza drasticamente a seletividade natural dos nossos sen-
25
tidos. O ganho de sensibilidade seria patente. “Se as portas da
 
percepção se depurassem”, sugeria William Blake, “tudo se re-
 
velaria ao homem tal qual é, infinito”.
 
O grande problema é saber se estaríamos aptos a
 
assimilar o formidável acréscimo de informação sensível que
30
isso acarretaria. O mais provável é que essa súbita mutação − a
 
desobstrução das portas e órgãos da percepção − produzisse
 
não a revelação mística imaginada por Blake, mas um terrível
 
engarrafamento cerebral: uma sobrecarga de informações
 
acompanhada de um estado de aguda confusão e perplexidade
35
do qual apenas lentamente conseguiríamos nos recuperar. As
 
informações sensíveis a que temos acesso, embora restritas,
 
não comprometeram nossa sobrevivência no laboratório da vi-
 
da. Longe disso. É a brutal seletividade dos nossos sentidos
 
que nos protege da infinita complexidade do Universo. Se o
40
muro desaba, o caos impera.
(Adaptado de: Eduardo Gianetti, O valor do amanhã, São Paulo, Cia. das Letras, 2010. p. 139-143)
Se o mundo desaba, o caos impera.

Mantém-se correta correlação entre os tempos verbais da frase acima substituindo-se os verbos grifados, respectivamente, por:

Questão 7

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
As certezas sensíveis dão cor e concretude ao pre-
 
sente vivido. Na verdade, porém, o presente vivido é fruto de
 
uma sofisticada mediação. O real tem um quê de ilusório e vir-
 
tual.
5
Os órgãos sensoriais que nos ligam ao mundo são al-
 
tamente seletivos naquilo que acolhem e transmitem ao cére-
 
bro. O olho humano, por exemplo, não é capaz de captar todo o
 
espectro de energia eletromagnética existente. Os raios ultra-
 
violeta, situados fora do espectro visível do olho humano, são,
10
no entanto, captados pelas abelhas.
 
Seletividade análoga preside a operação dos demais
 
sentidos: cada um atua dentro de sua faixa de registro, ainda
 
que o grau de sensibilidade dos indivíduos varie de acordo com
 
idade, herança genética, treino e educação. Há mais coisas en-
15
tre o céu e a terra do que nossos cinco sentidos − e todos os
 
aparelhos científicos que lhes prestam serviços − são capazes
 
de detectar.
 
Aquilo de que o nosso aparelho perceptivo nos faz
 
cientes não passa, portanto, de uma fração diminuta do que há.
20
Mas o que aconteceria se tivéssemos de passar a lidar subita-
 
mente com uma gama extra e uma carga torrencial de per-
 
cepções sensoriais (visuais, auditivas, táteis etc.) com as quais
 
não estamos habituados? Suponha que uma mutação genética
 
reduza drasticamente a seletividade natural dos nossos sen-
25
tidos. O ganho de sensibilidade seria patente. “Se as portas da
 
percepção se depurassem”, sugeria William Blake, “tudo se re-
 
velaria ao homem tal qual é, infinito”.
 
O grande problema é saber se estaríamos aptos a
 
assimilar o formidável acréscimo de informação sensível que
30
isso acarretaria. O mais provável é que essa súbita mutação − a
 
desobstrução das portas e órgãos da percepção − produzisse
 
não a revelação mística imaginada por Blake, mas um terrível
 
engarrafamento cerebral: uma sobrecarga de informações
 
acompanhada de um estado de aguda confusão e perplexidade
35
do qual apenas lentamente conseguiríamos nos recuperar. As
 
informações sensíveis a que temos acesso, embora restritas,
 
não comprometeram nossa sobrevivência no laboratório da vi-
 
da. Longe disso. É a brutal seletividade dos nossos sentidos
 
que nos protege da infinita complexidade do Universo. Se o
40
muro desaba, o caos impera.
(Adaptado de: Eduardo Gianetti, O valor do amanhã, São Paulo, Cia. das Letras, 2010. p. 139-143)
As normas de concordância estão plenamente respeitadas na frase:

Questão 8

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
As certezas sensíveis dão cor e concretude ao pre-
 
sente vivido. Na verdade, porém, o presente vivido é fruto de
 
uma sofisticada mediação. O real tem um quê de ilusório e vir-
 
tual.
5
Os órgãos sensoriais que nos ligam ao mundo são al-
 
tamente seletivos naquilo que acolhem e transmitem ao cére-
 
bro. O olho humano, por exemplo, não é capaz de captar todo o
 
espectro de energia eletromagnética existente. Os raios ultra-
 
violeta, situados fora do espectro visível do olho humano, são,
10
no entanto, captados pelas abelhas.
 
Seletividade análoga preside a operação dos demais
 
sentidos: cada um atua dentro de sua faixa de registro, ainda
 
que o grau de sensibilidade dos indivíduos varie de acordo com
 
idade, herança genética, treino e educação. Há mais coisas en-
15
tre o céu e a terra do que nossos cinco sentidos − e todos os
 
aparelhos científicos que lhes prestam serviços − são capazes
 
de detectar.
 
Aquilo de que o nosso aparelho perceptivo nos faz
 
cientes não passa, portanto, de uma fração diminuta do que há.
20
Mas o que aconteceria se tivéssemos de passar a lidar subita-
 
mente com uma gama extra e uma carga torrencial de per-
 
cepções sensoriais (visuais, auditivas, táteis etc.) com as quais
 
não estamos habituados? Suponha que uma mutação genética
 
reduza drasticamente a seletividade natural dos nossos sen-
25
tidos. O ganho de sensibilidade seria patente. “Se as portas da
 
percepção se depurassem”, sugeria William Blake, “tudo se re-
 
velaria ao homem tal qual é, infinito”.
 
O grande problema é saber se estaríamos aptos a
 
assimilar o formidável acréscimo de informação sensível que
30
isso acarretaria. O mais provável é que essa súbita mutação − a
 
desobstrução das portas e órgãos da percepção − produzisse
 
não a revelação mística imaginada por Blake, mas um terrível
 
engarrafamento cerebral: uma sobrecarga de informações
 
acompanhada de um estado de aguda confusão e perplexidade
35
do qual apenas lentamente conseguiríamos nos recuperar. As
 
informações sensíveis a que temos acesso, embora restritas,
 
não comprometeram nossa sobrevivência no laboratório da vi-
 
da. Longe disso. É a brutal seletividade dos nossos sentidos
 
que nos protege da infinita complexidade do Universo. Se o
40
muro desaba, o caos impera.
(Adaptado de: Eduardo Gianetti, O valor do amanhã, São Paulo, Cia. das Letras, 2010. p. 139-143)
Aquilo de que o nosso aparelho perceptivo nos faz cientes…

O elemento sublinhado na frase acima preenche corretamente a lacuna da frase

Questão 9

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
no fundo, no fundo,
 
bem lá no fundo,
 
a gente gostaria
 
de ver nossos problemas
5
resolvidos por decreto
 
 
a partir desta data,
 
aquela mágoa sem remédio
 
é considerada nula
10
e sobre ela − silêncio perpétuo
 
 
extinto por lei todo o remorso
 
maldito seja quem olhar pra trás,
 
lá pra trás não há nada,
15
e nada mais
 
 
mas problemas não se resolvem,
 
problemas têm família grande,
 
e aos domingos saem todos passear
20
o problema, sua senhora
 
e outros pequenos probleminhas
(Paulo Leminski, Toda Poesia, São Paulo, Cia. das Letras, 2013. p. 195)
Atente para o que se afirma abaixo.

I. Depreende-se do poema que é preciso mais do que apenas nosso desejo para a resolução de dificuldades.

II. Segundo o texto, o remorso deve ser evitado, bastando, para tanto, que não se evoque o passado a todo o momento.

III. Infere-se do texto que as mágoas podem desaparecer na medida em que não forem cultivadas.

Está correto o que se afirma APENAS em:

Questão 10

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
no fundo, no fundo,
 
bem lá no fundo,
 
a gente gostaria
 
de ver nossos problemas
5
resolvidos por decreto
 
 
a partir desta data,
 
aquela mágoa sem remédio
 
é considerada nula
10
e sobre ela − silêncio perpétuo
 
 
extinto por lei todo o remorso
 
maldito seja quem olhar pra trás,
 
lá pra trás não há nada,
15
e nada mais
 
 
mas problemas não se resolvem,
 
problemas têm família grande,
 
e aos domingos saem todos passear
20
o problema, sua senhora
 
e outros pequenos probleminhas
(Paulo Leminski, Toda Poesia, São Paulo, Cia. das Letras, 2013. p. 195)
         a partir desta data,  
aquela mágoa sem remédio
é considerada nula
e sobre ela − silêncio perpétuo


Uma redação alternativa em prosa para os versos acima, em que se mantêm a correção, a lógica e, em linhas gerais, o sentido original, é:

Questão 11

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
no fundo, no fundo,
 
bem lá no fundo,
 
a gente gostaria
 
de ver nossos problemas
5
resolvidos por decreto
 
 
a partir desta data,
 
aquela mágoa sem remédio
 
é considerada nula
10
e sobre ela − silêncio perpétuo
 
 
extinto por lei todo o remorso
 
maldito seja quem olhar pra trás,
 
lá pra trás não há nada,
15
e nada mais
 
 
mas problemas não se resolvem,
 
problemas têm família grande,
 
e aos domingos saem todos passear
20
o problema, sua senhora
 
e outros pequenos probleminhas
(Paulo Leminski, Toda Poesia, São Paulo, Cia. das Letras, 2013. p. 195)
problemas têm família grande

O verbo que, no contexto, exige o mesmo tipo de complemento que o grifado na frase acima está empregado em:

Questão 12

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
no fundo, no fundo,
 
bem lá no fundo,
 
a gente gostaria
 
de ver nossos problemas
5
resolvidos por decreto
 
 
a partir desta data,
 
aquela mágoa sem remédio
 
é considerada nula
10
e sobre ela − silêncio perpétuo
 
 
extinto por lei todo o remorso
 
maldito seja quem olhar pra trás,
 
lá pra trás não há nada,
15
e nada mais
 
 
mas problemas não se resolvem,
 
problemas têm família grande,
 
e aos domingos saem todos passear
20
o problema, sua senhora
 
e outros pequenos probleminhas
(Paulo Leminski, Toda Poesia, São Paulo, Cia. das Letras, 2013. p. 195)
aquela mágoa sem remédio é considerada nula

Transpondo-se a frase acima para a voz ativa, a forma verbal resultante será:

Questão 13

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
A primeira vez que vi o Paulo [Leminski] foi na entrega
 
dos prêmios de um concurso de poesia em Curitiba. Todos os
 
poemas premiados eram lidos por seus autores e o dele foi o
 
único que me disse algo de inovador e contundente. Uma
5
dicção tão original deve ter ultrapassado a capacidade de
 
apreciação do júri, na época, mas aquele poema de construção
 
impecável não poderia passar em branco. Assim, aquele que
 
merecia o primeiro lugar levou apenas uma menção honrosa. O
 
tempo haveria de corrigir esse equívoco, já que os primeiros
10
lugares daquele concurso não estão em nenhum lugar especial
 
hoje, bem diferente dele.
 
Os livros de Paulo são diferentes entre si, mas têm a
 
mesma marca de sua escrita poética. Raízes na poesia con-
 
creta e na síntese, na experimentação e no coloquial. O mesmo
15
compromisso com duas coisas aparentemente excludentes: a
 
inovação e o afã de comunicar, de dizer. Um dizer repleto da
 
consciência da necessidade do silêncio. Talvez por essas e
 
outras razões sua poesia continue tão atual e converse com o
 
futuro.
20
(Adaptado da apresentação de Alice Ruiz, em Paulo Leminski, Toda Poesia. São Paulo, Cia. das Letras, 2013. p. 7-11)
Afirma-se corretamente sobre o texto:

Questão 14

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
A primeira vez que vi o Paulo [Leminski] foi na entrega
 
dos prêmios de um concurso de poesia em Curitiba. Todos os
 
poemas premiados eram lidos por seus autores e o dele foi o
 
único que me disse algo de inovador e contundente. Uma
5
dicção tão original deve ter ultrapassado a capacidade de
 
apreciação do júri, na época, mas aquele poema de construção
 
impecável não poderia passar em branco. Assim, aquele que
 
merecia o primeiro lugar levou apenas uma menção honrosa. O
 
tempo haveria de corrigir esse equívoco, já que os primeiros
10
lugares daquele concurso não estão em nenhum lugar especial
 
hoje, bem diferente dele.
 
Os livros de Paulo são diferentes entre si, mas têm a
 
mesma marca de sua escrita poética. Raízes na poesia con-
 
creta e na síntese, na experimentação e no coloquial. O mesmo
15
compromisso com duas coisas aparentemente excludentes: a
 
inovação e o afã de comunicar, de dizer. Um dizer repleto da
 
consciência da necessidade do silêncio. Talvez por essas e
 
outras razões sua poesia continue tão atual e converse com o
 
futuro.
20
(Adaptado da apresentação de Alice Ruiz, em Paulo Leminski, Toda Poesia. São Paulo, Cia. das Letras, 2013. p. 7-11)
... que merecia o primeiro lugar...

O tempo haveria de corrigir esse equívoco...

... deve ter ultrapassado a capacidade de apreciação do júri...

A substituição dos elementos sublinhados pelo pronome correspondente, com os necessários ajustes, foi efetuada de modo correto, respectivamente, em:

Questão 15

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Há quem faça canções com acurado conhecimento de causa musical, ...... o trato de harmonias complexas concilia-se com o gosto popular. Há outros que trabalham apenas com um violão ...... não dominam mais do que dois ou três acordes. No entanto, como a canção popular é campo fértil para as relações entre o sofisticado e o elementar, soluções muito simples dispõem às vezes de uma força criativa genuína.
(Adaptado do ensaio de Jose Miguel Wisnick, em Paulo Leminski, Toda Poesia, São Paulo, Cia. das Letras, 2013. p. 387 e 388)

Preenchem corretamente as lacunas da frase acima, na ordem dada:

Questão 16

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
Num passado não muito remoto, cada um era definido
 
por sua proveniência, e as perguntas iniciais diziam: quem fo-
 
ram seus pais e antepassados? Onde você nasceu? Quais são
 
as dívidas que você herdou?
5
Prefiro os dias de hoje, em que são nossas próprias fa-
 
çanhas que nos definem. É uma escolha que deveria nos deixar
 
mais livres, mas acontece que a praticamos de um jeito es-
 
tranho: junto com os laços que nos prendiam às nossas origens
 
e ao passado, nossa vida concreta também é silenciada na des-
10
crição de nossa identidade. E nos transformamos em sujeitos
 
abstratos, resumidos por nossa função na produção e na circu-
 
lação de mercadorias e serviços.
 
Consequência: o desemprego nos ameaça com uma
 
perda radical de identidade. E não adianta observar que, afinal,
15
nos sobra o resto, ou seja, toda a complexidade de nosso ser.
 
Não adianta porque, em regra, já renunciamos há tempos a ser-
 
mos representados por nossa vida concreta.
 
Enfim, espera-se que a economia crie empregos. Mas
 
os poetas e os saltimbancos também têm uma tarefa crucial:
20
são eles que podem, aos poucos, convencer a gente de que é
 
nossa vida concreta que nos define, não nossa função pro-
 
dutiva.
(Adaptado de: Contardo Caligaris, Folha de S. Paulo, 17/10/2009. Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/folha/publifolha/ ult10037u398900.shtml.)
Pode-se depreender do texto a contraposição entre

Questão 17

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
Num passado não muito remoto, cada um era definido
 
por sua proveniência, e as perguntas iniciais diziam: quem fo-
 
ram seus pais e antepassados? Onde você nasceu? Quais são
 
as dívidas que você herdou?
5
Prefiro os dias de hoje, em que são nossas próprias fa-
 
çanhas que nos definem. É uma escolha que deveria nos deixar
 
mais livres, mas acontece que a praticamos de um jeito es-
 
tranho: junto com os laços que nos prendiam às nossas origens
 
e ao passado, nossa vida concreta também é silenciada na des-
10
crição de nossa identidade. E nos transformamos em sujeitos
 
abstratos, resumidos por nossa função na produção e na circu-
 
lação de mercadorias e serviços.
 
Consequência: o desemprego nos ameaça com uma
 
perda radical de identidade. E não adianta observar que, afinal,
15
nos sobra o resto, ou seja, toda a complexidade de nosso ser.
 
Não adianta porque, em regra, já renunciamos há tempos a ser-
 
mos representados por nossa vida concreta.
 
Enfim, espera-se que a economia crie empregos. Mas
 
os poetas e os saltimbancos também têm uma tarefa crucial:
20
são eles que podem, aos poucos, convencer a gente de que é
 
nossa vida concreta que nos define, não nossa função pro-
 
dutiva.
(Adaptado de: Contardo Caligaris, Folha de S. Paulo, 17/10/2009. Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/folha/publifolha/ ult10037u398900.shtml.)
Atente para o que se afirma abaixo a respeito da pontuação empregada no texto.

I. É uma escolha que deveria nos deixar mais livres. (2º parágrafo)
Uma vírgula pode ser inserida imediatamente após que, sem prejuízo para a correção.

II. No segmento cada um era definido por sua proveniência, e as perguntas iniciais diziam... (1º parágrafo) a vírgula pode ser suprimida, sem prejuízo para a correção.

III. Quem foram seus pais e antepassados?
Onde você nasceu? Quais são as dívidas que você herdou? (início do texto)
Os pontos de interrogação podem ser suprimidos, sem prejuízo para a correção e o sentido, pois as perguntas feitas nas frases acima são retóricas.

Está correto o que se afirma APENAS em

Questão 18

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
No trabalho em equipe, respeito ...... diretrizes é essencial, mas muitos profissionais decidem ignorar ...... regras e tomam decisões de acordo com o que acham melhor. A resistência em aceitar regras geralmente está ligada ...... adoção de novos procedimentos e sistemas.
(Adaptado de: revistaalfa.abril.com.br)

Preenchem corretamente as lacunas da frase acima, na ordem dada:

Questão 19

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
A respeito da Escola Judicial, considere:

I. A Escola tem por finalidades a preparação, a formação, o treinamento, o aperfeiçoamento, o desenvolvimento e a capacitação de Magistrados e servidores.

II. Todos os cursos regulares promovidos pela Escola destinados aos Magistrados serão objeto de avaliação final a ser encaminhada ao Corregedor do Tribunal e à Comissão de Vitaliciamento para fins de vitaliciamento e promoção.

III. O cargo de Diretor da Escola será exercido por Desembargador do Trabalho eleito em escrutínio secreto por todos os Juízes do Trabalho e terá mandato de dois anos, sendo vedada a recondução.

Está correto o que consta APENAS em

Questão 20

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Compete ao Presidente do Tribunal

Questão 21

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Mauricio é Juiz do Tribunal Regional do Trabalho da 12ª Região, oriundo da magistratura da carreira, e pretende um dia ser um dos 27 Ministros do Tribunal Superior do Trabalho (TST). Para tanto, antes de ser nomeado pelo Presidente da República, Maurício deverá ser brasileiro nato

Questão 22

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Considerando a capacidade de produção de efeitos das normas constitucionais, a previsão constante do artigo 5º, XIII, da Constituição Federal, segundo a qual “é livre o exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão, atendidas as qualificações profissionais que a lei estabelecer”, é norma de eficácia

Questão 23

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Sobre o Poder Judiciário, de acordo com a Constituição Federal brasileira, é INCORRETO afirmar:

Questão 24

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Determinado órgão público pretende restaurar obras de arte e objetos históricos, de autenticidade certificada, compatíveis com suas finalidades. Na hipótese narrada, a licitação é

Questão 25

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Carlos, servidor público, está sendo processado por improbidade administrativa, sob o argumento de ter adquirido, no exercício do cargo, bens cujo valor seja desproporcional à sua renda. Já Felício, também servidor público (Auditor Fiscal do Tesouro Nacional), está respondendo à ação de improbidade administrativa por ter concedido benefício fiscal sem a observância das formalidades legais aplicáveis à espécie. Os atos de improbidade em questão estão previstos, respectivamente, na Lei nº 8.429/92 como atos que

Questão 26

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Acerca do afastamento para participação em programa de pós-graduação stricto sensu no país, considere:

I. Tal afastamento dar-se-á ainda que a participação no curso possa ocorrer simultaneamente com o exercício do cargo.

II. O servidor afastar-se-á do exercício do cargo efetivo com a respectiva remuneração.

III. Ocorre no interesse da Administração.

De acordo com a Lei nº 8.112/90, está correto o que consta APENAS em

Questão 27

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Nos termos da Lei nº 8.666/93, a publicação resumida do instrumento do contrato administrativo ou de seus aditamentos na imprensa oficial é condição indispensável para sua eficácia e será providenciada pela Administração até o

Questão 28

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Nos termos da Lei nº 8.112/90, no que concerne ao tema "penalidades" é correto afirmar:

Questão 29

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
A Constituição Federal, em seu artigo 7º, elenca uma série de direitos trabalhistas, EXCETO

Questão 30

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
O descumprimento de ordens legais, legítimas e pessoais de serviços efetuados pelo gerente para o seu subordinado, constitui justa causa para rescisão do contrato de trabalho pelo empregador na modalidade de

Questão 31

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
O prazo para o ajuizamento de ação para cobrança de créditos trabalhistas por trabalhadores urbanos e rurais, previsto na Constituição Federal brasileira, é de

Questão 32

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Nos contratos de trabalho comuns regidos pela CLT, após cada período de 12 meses de vigência do contrato de trabalho, considerando-se as faltas injustificadas no respectivo período aquisitivo, o empregado terá direito a férias, na proporção de

Questão 33

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
O modelo de excelência em gestão pública inspirado nos preceitos da Fundação Nacional de Qualidade

Questão 34

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
As denominadas redes organizacionais

Questão 35

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
A metodologia CPM − Critical Path Method, utilizada no planejamento de projetos, está diretamente relacionada com o

Questão 36

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Segundo a visão da SDPS − Society for Design and Process Science, mencionada no Guia de Gestão de Processos no Governo (GESPÚBLICA 2011), a maturidade dos processos acompanha o grau de conhecimento das equipes envolvidas e o grau de minimização de riscos e efeitos indesejados, contemplando em seu nível

Questão 37

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
De acordo com a legislação de regência, uma das etapas da gestão de contratos, dentre outras, consiste no recebimento do objeto contratado e

Questão 38

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
A respeito da estrutura das organizações administrativas de acordo com o sistema jurídico-institucional brasileiro, considere:

I. As denominadas organizações sociais são entidades privadas que se ligam à Administração Pública por meio de contrato de gestão.

II. As sociedades de economia mista fazem parte da Administração Indireta e podem desempenhar serviço público ou atividade econômica.

III. A Administração Direta compreende as autarquias, fundações e empresas públicas.

Está correto o que consta em

Questão 39

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Acerca da avaliação de desempenho no âmbito da Gestão de Resultados na produção de serviços públicos, considere:

I. Contempla os níveis institucional, gerencial e operacional, cabendo ao primeiro a aferição dos indicadores e aos demais a aferição de metas.

II. Proporciona maior transparência às ações de governo e permite a comparação entre unidades, departamentos e organizações.

III. É realizada com diversas finalidades, entre as quais avaliar a eficiência, eficácia e economicidade de ações administrativas.

Está correto o que consta APENAS em

Questão 40

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
No planejamento estratégico das organizações,

Questão 41

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
São classificados, respectivamente, como Receita Orçamentária Efetiva e Despesa Orçamentária Efetiva:

Questão 42

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Na Despesa Orçamentária,

Questão 43

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
A receita com alienação de bem imóvel e a despesa com amortização da dívida dependem de autorização legislativa para poderem ser realizadas porque envolvem a movimentação, respectivamente, de

Questão 44

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
A informação sobre o valor total de material de consumo em estoques, em uma determinada data, pode ser obtida a partir da consulta

Questão 45

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
A Lei de Diretrizes Orçamentárias, nos termos do que prevê o § 2º do art. 165 da Constituição Federal brasileira,

Questão 46

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Sobre as disposições da Lei Complementar Federal nº 101/2000 (Lei de Responsabilidade Fiscal) a respeito das despesas públicas, é correto afirmar que

Questão 47

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Nos termos da Lei de Responsabilidade Fiscal, os limites de gastos com pessoal sobre a receita corrente líquida dos Poderes Judiciários Federal e Estadual são, em %, respectivamente, iguais a

Questão 48

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Constou do orçamento da União a cobertura dos déficits de manutenção das empresas públicas, de natureza autárquica ou não. Esse tipo de despesa é classificado como

Questão 49

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Acerca da gestão de Recursos Humanos, uma razão, dentre outras, que pode levar à falha dos esforços de mudança dentro de uma organização é a presença de

Questão 50

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
A presidente da Human Resource Planning Society de Nova Iorque afirmou que: O problema mais frequente nos projetos de mudança fracassados não são os fatores técnicos, mas sim os fatores humanos considerados.
(Bohlander e Snell. Administração de Recursos Humanos. Cengage Learning. p. 12)

Com base nessa afirmação, NÃO constitui um elementochave para a gestão da mudança:

Questão 51

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
A respeito da Gestão Estratégica de Pessoas, considere:

I. É necessária a tradução dos objetivos e estratégias organizacionais em objetivos e estratégias da Gestão de Pessoas.

II. Tem como objetivo, dentre outros, prever as necessidades organizacionais de capital humano.

III. Corrigir e evitar a falta ou o excesso de pessoal são, dentre outras, algumas de suas ações.

IV. Desenvolve e implementa planos de adequação do capital humano.

Está correto o que consta em

Questão 52

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Considere, abaixo, as duas afirmações ligadas pelo conectivo explicativo “porque”:

O planejamento estratégico de Gestão de Pessoas é o processo de decisão a respeito dos recursos humanos necessários para atingir os objetivos organizacionais, dentro de um determinado período de tempo

PORQUE

trata da definição, com antecipação, de qual a força de trabalho e os talentos humanos são necessários para a realização da ação organizacional futura.

Está correto afirmar que

Questão 53

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Uma interessante abordagem a respeito da Cultura Organizacional é aquela que procura compreendê-la através dos ritos que ocorrem nas organizações.

A tabela abaixo relaciona, em sua primeira coluna, cinco tipos de “ritos organizacionais”; na segunda coluna, estão listados cinco exemplos de “ritos organizacionais”.


A relação correta entre os tipos de ritos e seus exemplos é apresentada, correta e respectivamente, em

Questão 54

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
A respeito da evolução dos modelos de Gestão de Pessoas, ao longo do tempo,

Questão 55

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
No tocante às características de alguns dos principais modelos de gestão de pessoas,

Questão 56

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Sobre a gestão de processos de mudança, é INCORRETO afirmar:

Questão 57

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
No arcabouço do Programa Nacional de Gestão Pública e Desburocratização (GESPÚBLICA), ganha importância a atividade de avaliação, pois

Questão 58

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Um desafio competitivo para a organização associado corretamente a uma resposta da área de gestão de pessoas é:

Questão 59

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
No tocante às compras no serviço público,

Questão 60

TRT 12ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
A respeito do gerenciamento de estoques,



Provas de Concursos » Fcc 2013