×
Analista Judiciário - Área Judiciária Analista Judiciário - Contabilidade Analista Judiciário - Tecnologia da Informação Técnico Judiciário - Tecnologia da Informação Técnico Judiciário - Área Administrativa Oficial de Justiça Avaliador Federal Técnico Judiciário - Segurança
×
TRT 18ª 2008 TRT 18ª 2014

TRT 18ª 2013

Analista Judiciário - Área Administrativa

Questão 1

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
Em 8 de outubro de 2010 a terra tremeu como jamais se
 
havia visto em Mara Rosa, cidade com 10 mil habitantes no nor-
 
te de Goiás. Passava um pouco das 5 da tarde daquela sexta-
 
feira e as pessoas se preparavam para o fim de semana quando
5
o chão balançou tão intensamente a ponto de se tornar difícil
 
ficar em pé. Menos de um minuto mais tarde, os reflexos desse
 
terremoto de magnitude 5, um dos mais fortes registrados no
 
país nos últimos 30 anos, haviam percorrido 250 quilômetros e
 
alcançado Brasília, onde alguns prédios chegaram a ser deso-
10
cupados.
 
Nas semanas seguintes, Lucas Barros, chefe do Obser-
 
vatório Sismológico da Universidade de Brasília (UnB), e sua
 
equipe instalaram sismógrafos em Mara Rosa e nos municípios
 
vizinhos. Em seis meses, outros 800 sismos, menos intensos,
15
ocorreram ali e ajudaram a determinar a causa direta do desas-
 
sossego da terra naquela região. Bem abaixo de Mara Rosa, a
 
uns três quilômetros de profundidade, há uma extensa rachadu-
 
ra na crosta terrestre, a camada mais rígida e externa do plane-
 
ta. E, ao longo dessa fratura que se estende por cinco quilôme-
20
tros, as rochas haviam se deslocado, fazendo a terra tremer.
 
A identificação dessa fratura não chegou a surpreender o
 
grupo da UnB. Mara Rosa e outros municípios do norte de
 
Goiás e do sul de Tocantins se encontram em uma região geo-
 
logicamente instável: a zona sísmica Goiás-Tocantins, que con-
25
centra 10% dos terremotos do Brasil. Parte dos geólogos atribui
 
a elevada frequência de tremores nessa área − uma das nove
 
zonas sísmicas delimitadas no país − à proximidade com o Li-
 
neamento Transbrasiliano, uma extensa cicatriz na crosta ter-
 
restre que cruza o Brasil e, do outro lado do Atlântico, continua
30
na África.
 
Mas nem todos concordam. Muitas vezes a localização
 
dos tremores não coincide com a desse conjunto de falhas e,
 
em certos trechos dele, nunca se detectaram tremores.
(Adaptado de Igor Zolnerkvic e Ricardo Zorzeto. Disponível em: www.revista.pesquisa.fapesp.br/2013/05/14/por-que-aterra- treme-no-brasil/. Acesso em 24/07/2013)
Depreende-se corretamente do texto:

Questão 2

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
Em 8 de outubro de 2010 a terra tremeu como jamais se
 
havia visto em Mara Rosa, cidade com 10 mil habitantes no nor-
 
te de Goiás. Passava um pouco das 5 da tarde daquela sexta-
 
feira e as pessoas se preparavam para o fim de semana quando
5
o chão balançou tão intensamente a ponto de se tornar difícil
 
ficar em pé. Menos de um minuto mais tarde, os reflexos desse
 
terremoto de magnitude 5, um dos mais fortes registrados no
 
país nos últimos 30 anos, haviam percorrido 250 quilômetros e
 
alcançado Brasília, onde alguns prédios chegaram a ser deso-
10
cupados.
 
Nas semanas seguintes, Lucas Barros, chefe do Obser-
 
vatório Sismológico da Universidade de Brasília (UnB), e sua
 
equipe instalaram sismógrafos em Mara Rosa e nos municípios
 
vizinhos. Em seis meses, outros 800 sismos, menos intensos,
15
ocorreram ali e ajudaram a determinar a causa direta do desas-
 
sossego da terra naquela região. Bem abaixo de Mara Rosa, a
 
uns três quilômetros de profundidade, há uma extensa rachadu-
 
ra na crosta terrestre, a camada mais rígida e externa do plane-
 
ta. E, ao longo dessa fratura que se estende por cinco quilôme-
20
tros, as rochas haviam se deslocado, fazendo a terra tremer.
 
A identificação dessa fratura não chegou a surpreender o
 
grupo da UnB. Mara Rosa e outros municípios do norte de
 
Goiás e do sul de Tocantins se encontram em uma região geo-
 
logicamente instável: a zona sísmica Goiás-Tocantins, que con-
25
centra 10% dos terremotos do Brasil. Parte dos geólogos atribui
 
a elevada frequência de tremores nessa área − uma das nove
 
zonas sísmicas delimitadas no país − à proximidade com o Li-
 
neamento Transbrasiliano, uma extensa cicatriz na crosta ter-
 
restre que cruza o Brasil e, do outro lado do Atlântico, continua
30
na África.
 
Mas nem todos concordam. Muitas vezes a localização
 
dos tremores não coincide com a desse conjunto de falhas e,
 
em certos trechos dele, nunca se detectaram tremores.
(Adaptado de Igor Zolnerkvic e Ricardo Zorzeto. Disponível em: www.revista.pesquisa.fapesp.br/2013/05/14/por-que-aterra- treme-no-brasil/. Acesso em 24/07/2013)
Mara Rosa e outros municípios do norte de Goiás e do sul de Tocantins se encontram em uma região geologicamente instável: a zona sísmica Goiás-Tocantins, que concentra 10% dos terremotos do Brasil.

I. Na frase acima, a vírgula empregada imediatamente após Goiás-Tocantins pode ser suprimida, sem prejuízo para o sentido e a correção gramatical.

II. Os dois-pontos assinalam um esclarecimento a respeito do que se afirmou antes.

III. Uma vírgula pode ser inserida imediatamente após Mara Rosa, sem prejuízo para a correção e o sentido original.

Está correto o que se afirma APENAS em

Questão 3

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
Em 8 de outubro de 2010 a terra tremeu como jamais se
 
havia visto em Mara Rosa, cidade com 10 mil habitantes no nor-
 
te de Goiás. Passava um pouco das 5 da tarde daquela sexta-
 
feira e as pessoas se preparavam para o fim de semana quando
5
o chão balançou tão intensamente a ponto de se tornar difícil
 
ficar em pé. Menos de um minuto mais tarde, os reflexos desse
 
terremoto de magnitude 5, um dos mais fortes registrados no
 
país nos últimos 30 anos, haviam percorrido 250 quilômetros e
 
alcançado Brasília, onde alguns prédios chegaram a ser deso-
10
cupados.
 
Nas semanas seguintes, Lucas Barros, chefe do Obser-
 
vatório Sismológico da Universidade de Brasília (UnB), e sua
 
equipe instalaram sismógrafos em Mara Rosa e nos municípios
 
vizinhos. Em seis meses, outros 800 sismos, menos intensos,
15
ocorreram ali e ajudaram a determinar a causa direta do desas-
 
sossego da terra naquela região. Bem abaixo de Mara Rosa, a
 
uns três quilômetros de profundidade, há uma extensa rachadu-
 
ra na crosta terrestre, a camada mais rígida e externa do plane-
 
ta. E, ao longo dessa fratura que se estende por cinco quilôme-
20
tros, as rochas haviam se deslocado, fazendo a terra tremer.
 
A identificação dessa fratura não chegou a surpreender o
 
grupo da UnB. Mara Rosa e outros municípios do norte de
 
Goiás e do sul de Tocantins se encontram em uma região geo-
 
logicamente instável: a zona sísmica Goiás-Tocantins, que con-
25
centra 10% dos terremotos do Brasil. Parte dos geólogos atribui
 
a elevada frequência de tremores nessa área − uma das nove
 
zonas sísmicas delimitadas no país − à proximidade com o Li-
 
neamento Transbrasiliano, uma extensa cicatriz na crosta ter-
 
restre que cruza o Brasil e, do outro lado do Atlântico, continua
30
na África.
 
Mas nem todos concordam. Muitas vezes a localização
 
dos tremores não coincide com a desse conjunto de falhas e,
 
em certos trechos dele, nunca se detectaram tremores.
(Adaptado de Igor Zolnerkvic e Ricardo Zorzeto. Disponível em: www.revista.pesquisa.fapesp.br/2013/05/14/por-que-aterra- treme-no-brasil/. Acesso em 24/07/2013)
Uma redação alternativa, escrita com correção e lógica, para um segmento do texto é:

Questão 4

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
Em 8 de outubro de 2010 a terra tremeu como jamais se
 
havia visto em Mara Rosa, cidade com 10 mil habitantes no nor-
 
te de Goiás. Passava um pouco das 5 da tarde daquela sexta-
 
feira e as pessoas se preparavam para o fim de semana quando
5
o chão balançou tão intensamente a ponto de se tornar difícil
 
ficar em pé. Menos de um minuto mais tarde, os reflexos desse
 
terremoto de magnitude 5, um dos mais fortes registrados no
 
país nos últimos 30 anos, haviam percorrido 250 quilômetros e
 
alcançado Brasília, onde alguns prédios chegaram a ser deso-
10
cupados.
 
Nas semanas seguintes, Lucas Barros, chefe do Obser-
 
vatório Sismológico da Universidade de Brasília (UnB), e sua
 
equipe instalaram sismógrafos em Mara Rosa e nos municípios
 
vizinhos. Em seis meses, outros 800 sismos, menos intensos,
15
ocorreram ali e ajudaram a determinar a causa direta do desas-
 
sossego da terra naquela região. Bem abaixo de Mara Rosa, a
 
uns três quilômetros de profundidade, há uma extensa rachadu-
 
ra na crosta terrestre, a camada mais rígida e externa do plane-
 
ta. E, ao longo dessa fratura que se estende por cinco quilôme-
20
tros, as rochas haviam se deslocado, fazendo a terra tremer.
 
A identificação dessa fratura não chegou a surpreender o
 
grupo da UnB. Mara Rosa e outros municípios do norte de
 
Goiás e do sul de Tocantins se encontram em uma região geo-
 
logicamente instável: a zona sísmica Goiás-Tocantins, que con-
25
centra 10% dos terremotos do Brasil. Parte dos geólogos atribui
 
a elevada frequência de tremores nessa área − uma das nove
 
zonas sísmicas delimitadas no país − à proximidade com o Li-
 
neamento Transbrasiliano, uma extensa cicatriz na crosta ter-
 
restre que cruza o Brasil e, do outro lado do Atlântico, continua
30
na África.
 
Mas nem todos concordam. Muitas vezes a localização
 
dos tremores não coincide com a desse conjunto de falhas e,
 
em certos trechos dele, nunca se detectaram tremores.
(Adaptado de Igor Zolnerkvic e Ricardo Zorzeto. Disponível em: www.revista.pesquisa.fapesp.br/2013/05/14/por-que-aterra- treme-no-brasil/. Acesso em 24/07/2013)
O verbo flexionado no singular que também pode ser corretamente flexionado no plural, sem que nenhuma outra alteração seja feita na frase, está em:

Questão 5

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
Em 8 de outubro de 2010 a terra tremeu como jamais se
 
havia visto em Mara Rosa, cidade com 10 mil habitantes no nor-
 
te de Goiás. Passava um pouco das 5 da tarde daquela sexta-
 
feira e as pessoas se preparavam para o fim de semana quando
5
o chão balançou tão intensamente a ponto de se tornar difícil
 
ficar em pé. Menos de um minuto mais tarde, os reflexos desse
 
terremoto de magnitude 5, um dos mais fortes registrados no
 
país nos últimos 30 anos, haviam percorrido 250 quilômetros e
 
alcançado Brasília, onde alguns prédios chegaram a ser deso-
10
cupados.
 
Nas semanas seguintes, Lucas Barros, chefe do Obser-
 
vatório Sismológico da Universidade de Brasília (UnB), e sua
 
equipe instalaram sismógrafos em Mara Rosa e nos municípios
 
vizinhos. Em seis meses, outros 800 sismos, menos intensos,
15
ocorreram ali e ajudaram a determinar a causa direta do desas-
 
sossego da terra naquela região. Bem abaixo de Mara Rosa, a
 
uns três quilômetros de profundidade, há uma extensa rachadu-
 
ra na crosta terrestre, a camada mais rígida e externa do plane-
 
ta. E, ao longo dessa fratura que se estende por cinco quilôme-
20
tros, as rochas haviam se deslocado, fazendo a terra tremer.
 
A identificação dessa fratura não chegou a surpreender o
 
grupo da UnB. Mara Rosa e outros municípios do norte de
 
Goiás e do sul de Tocantins se encontram em uma região geo-
 
logicamente instável: a zona sísmica Goiás-Tocantins, que con-
25
centra 10% dos terremotos do Brasil. Parte dos geólogos atribui
 
a elevada frequência de tremores nessa área − uma das nove
 
zonas sísmicas delimitadas no país − à proximidade com o Li-
 
neamento Transbrasiliano, uma extensa cicatriz na crosta ter-
 
restre que cruza o Brasil e, do outro lado do Atlântico, continua
30
na África.
 
Mas nem todos concordam. Muitas vezes a localização
 
dos tremores não coincide com a desse conjunto de falhas e,
 
em certos trechos dele, nunca se detectaram tremores.
(Adaptado de Igor Zolnerkvic e Ricardo Zorzeto. Disponível em: www.revista.pesquisa.fapesp.br/2013/05/14/por-que-aterra- treme-no-brasil/. Acesso em 24/07/2013)
A frase em que se admite transposição para a voz passiva está em:

Questão 6

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
 
Pintor e desenhista, Van Gogh compôs um dos mais re-
 
nomados conjuntos de obras de arte do acervo da história das
 
artes plásticas mundiais.
5
Influenciou, direta ou indiretamente, a produção de su-
 
cessivas gerações de artistas, e, em razão da tragicidade de
 
sua existência, tornou-se um modelo, uma espécie de para-
 
digma de personalidade artística criadora.
 
De vida interior intensa e conturbada, a ele foi impossível
10
uma existência regular, dentro de padrões. Em sua atividade
 
artística, tardia e extraordinariamente breve (quando morreu,
 
contava apenas 37 anos de idade), Van Gogh encontrou so-
 
mente a frustração e a indiferença entre seus contemporâneos.
 
Suas telas, se não eram destruídas ou vilipendiadas, eram
15
guardadas em porões e depósitos como qualquer entulho.
 
Triste ironia, considerando-se que hoje acompanhamos
 
pelos noticiários internacionais os leilões de suas obras, ar-
 
rematadas por colecionadores do mundo todo a preços vul-
 
tosos.
20
Dele, como artista, ou mesmo de sua obra, já não se de-
 
ve falar, visto que ingressaram, indiscutivelmente, no rol dos
 
inquestionáveis tesouros humanos. No entanto, no interior mes-
 
mo do mundo objetivo da cultura, ao qual sua pintura se integra,
 
seu legado poderia ser utilizado, como modelo ou premissa,
25
para a análise de inúmeras questões − sociais ou estéticas −
 
que envolvem a arte contemporaneamente.
(Adaptado de João Werner. Ensaios sobre arte e estética. Formato ebook)
No texto, considera-se irônico o fato de

Questão 7

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
 
Pintor e desenhista, Van Gogh compôs um dos mais re-
 
nomados conjuntos de obras de arte do acervo da história das
 
artes plásticas mundiais.
5
Influenciou, direta ou indiretamente, a produção de su-
 
cessivas gerações de artistas, e, em razão da tragicidade de
 
sua existência, tornou-se um modelo, uma espécie de para-
 
digma de personalidade artística criadora.
 
De vida interior intensa e conturbada, a ele foi impossível
10
uma existência regular, dentro de padrões. Em sua atividade
 
artística, tardia e extraordinariamente breve (quando morreu,
 
contava apenas 37 anos de idade), Van Gogh encontrou so-
 
mente a frustração e a indiferença entre seus contemporâneos.
 
Suas telas, se não eram destruídas ou vilipendiadas, eram
15
guardadas em porões e depósitos como qualquer entulho.
 
Triste ironia, considerando-se que hoje acompanhamos
 
pelos noticiários internacionais os leilões de suas obras, ar-
 
rematadas por colecionadores do mundo todo a preços vul-
 
tosos.
20
Dele, como artista, ou mesmo de sua obra, já não se de-
 
ve falar, visto que ingressaram, indiscutivelmente, no rol dos
 
inquestionáveis tesouros humanos. No entanto, no interior mes-
 
mo do mundo objetivo da cultura, ao qual sua pintura se integra,
 
seu legado poderia ser utilizado, como modelo ou premissa,
25
para a análise de inúmeras questões − sociais ou estéticas −
 
que envolvem a arte contemporaneamente.
(Adaptado de João Werner. Ensaios sobre arte e estética. Formato ebook)

− Van Gogh compôs um dos mais importantes conjuntos de obras plásticas do acervo da história das artes mundiais.

− A obra de Van Gogh influenciou a produção de sucessivas gerações de artistas.

As frases acima se articulam com correção e lógica em:

Questão 8

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
 
Pintor e desenhista, Van Gogh compôs um dos mais re-
 
nomados conjuntos de obras de arte do acervo da história das
 
artes plásticas mundiais.
5
Influenciou, direta ou indiretamente, a produção de su-
 
cessivas gerações de artistas, e, em razão da tragicidade de
 
sua existência, tornou-se um modelo, uma espécie de para-
 
digma de personalidade artística criadora.
 
De vida interior intensa e conturbada, a ele foi impossível
10
uma existência regular, dentro de padrões. Em sua atividade
 
artística, tardia e extraordinariamente breve (quando morreu,
 
contava apenas 37 anos de idade), Van Gogh encontrou so-
 
mente a frustração e a indiferença entre seus contemporâneos.
 
Suas telas, se não eram destruídas ou vilipendiadas, eram
15
guardadas em porões e depósitos como qualquer entulho.
 
Triste ironia, considerando-se que hoje acompanhamos
 
pelos noticiários internacionais os leilões de suas obras, ar-
 
rematadas por colecionadores do mundo todo a preços vul-
 
tosos.
20
Dele, como artista, ou mesmo de sua obra, já não se de-
 
ve falar, visto que ingressaram, indiscutivelmente, no rol dos
 
inquestionáveis tesouros humanos. No entanto, no interior mes-
 
mo do mundo objetivo da cultura, ao qual sua pintura se integra,
 
seu legado poderia ser utilizado, como modelo ou premissa,
25
para a análise de inúmeras questões − sociais ou estéticas −
 
que envolvem a arte contemporaneamente.
(Adaptado de João Werner. Ensaios sobre arte e estética. Formato ebook)
... no interior mesmo do mundo objetivo da cultura, ao qual sua pintura se integra...

Sem prejuízo para a correção gramatical, o elemento sublinhado pode ser substituído por:

Questão 9

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
Hélio Schwartsman
 
 
SÃO PAULO – Saiu mais um estudo mostrando que o en-
 
sino de matemática no Brasil não anda bem. A pergunta é: pode-
5
mos viver sem dominar o básico da matemática? Durante muito
 
tempo, a resposta foi sim. Aqueles que não simpatizavam muito
 
com Pitágoras podiam simplesmente escolher carreiras nas quais
 
os números não encontravam muito espaço, como direito, jorna-
 
lismo, as humanidades e até a medicina de antigamente.
10
Como observa Steven Pinker, ainda hoje, nos meios univer-
 
sitários, é considerado aceitável que um intelectual se vanglorie
 
de ter passado raspando em física e de ignorar o beabá da esta-
 
tística. Mas ai de quem admitir nunca ter lido Joyce ou dizer que
 
não gosta de Mozart. Sobre ele recairão olhares tão recriminado-
15
res quanto sobre o sujeito que assoa o nariz na manga da camisa.
 
Joyce e Mozart são ótimos, mas eles, como quase toda a cul-
 
tura humanística, têm pouca relevância para nossa vida prática.
 
Já a cultura científica, que muitos ainda tratam com uma ponta
 
de desprezo, torna-se cada vez mais fundamental, mesmo para
20
quem não pretende ser engenheiro ou seguir carreiras técnicas.
 
Como sobreviver à era do crédito farto sem saber calcular as
 
armadilhas que uma taxa de juros pode esconder? Hoje, é difícil
 
até posicionar-se de forma racional sobre políticas públicas sem
 
assimilar toda a numeralha que idealmente as informa. Conhe-
25
cimentos rudimentares de estatística são pré-requisito para com-
 
preender as novas pesquisas que trazem informações relevantes
 
para nossa saúde e bem-estar.
 
A matemática está no centro de algumas das mais intrigan-
 
tes especulações cosmológicas da atualidade. Se as equações
30
da mecânica quântica indicam que existem universos paralelos,
 
isso basta para que acreditemos neles? Ou, no rastro de Eugene
 
Wigner, podemos nos perguntar por que a matemática é tão efi-
 
caz para exprimir as leis da física.
(Folha de S.Paulo. 06.04.2013. Adaptado)
Releia os trechos apresentados a seguir.
•   Aqueles que não simpatizavam muito com Pitágoras podiam simplesmente escolher carreiras nas quais os números não encontravam muito espaço... (1.º parágrafo)
•   Já a cultura científica, que muitos ainda tratam com uma ponta de desprezo, torna-se cada vez mais fundamental... (3.º parágrafo)

Os advérbios em destaque nos trechos expressam, correta e respectivamente, circunstâncias de

Questão 10

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
 
Pintor e desenhista, Van Gogh compôs um dos mais re-
 
nomados conjuntos de obras de arte do acervo da história das
 
artes plásticas mundiais.
5
Influenciou, direta ou indiretamente, a produção de su-
 
cessivas gerações de artistas, e, em razão da tragicidade de
 
sua existência, tornou-se um modelo, uma espécie de para-
 
digma de personalidade artística criadora.
 
De vida interior intensa e conturbada, a ele foi impossível
10
uma existência regular, dentro de padrões. Em sua atividade
 
artística, tardia e extraordinariamente breve (quando morreu,
 
contava apenas 37 anos de idade), Van Gogh encontrou so-
 
mente a frustração e a indiferença entre seus contemporâneos.
 
Suas telas, se não eram destruídas ou vilipendiadas, eram
15
guardadas em porões e depósitos como qualquer entulho.
 
Triste ironia, considerando-se que hoje acompanhamos
 
pelos noticiários internacionais os leilões de suas obras, ar-
 
rematadas por colecionadores do mundo todo a preços vul-
 
tosos.
20
Dele, como artista, ou mesmo de sua obra, já não se de-
 
ve falar, visto que ingressaram, indiscutivelmente, no rol dos
 
inquestionáveis tesouros humanos. No entanto, no interior mes-
 
mo do mundo objetivo da cultura, ao qual sua pintura se integra,
 
seu legado poderia ser utilizado, como modelo ou premissa,
25
para a análise de inúmeras questões − sociais ou estéticas −
 
que envolvem a arte contemporaneamente.
(Adaptado de João Werner. Ensaios sobre arte e estética. Formato ebook)
Suas telas, se não eram destruídas ou vilipendiadas, eram guardadas...

Preservando-se o sentido original, o elemento sublinhado acima pode ser corretamente substituído por

Questão 11

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
 
No ano de 1296, ao lançarem a pedra fundamental da
 
Igreja de Santa Maria Del Fiore − a Catedral de Florença −, os
 
governantes da cidade italiana iniciavam uma empreitada épica
5
que se estenderia por quase 600 anos. Tão grandioso que pare-
 
ce estabelecer uma conexão entre o casario florentino e o céu,
 
o edifício em questão só seria concluído no século XIX. A obra
 
foi interrompida por surtos de peste que chegaram a dizimar
 
quatro quintos da população local. Enfrentaram-se contratem-
10
pos para transportar em barquetas ao longo do Rio Arno enor-
 
mes quantidades de materiais como o mármore da vizinha Car-
 
rara. A dificuldade mais monumental, contudo, provinha dos de-
 
safios técnicos do projeto, como a construção da cúpula da
 
igreja que ficou sob o comando de Filippo Brunelleschi.
15
O gênio de Brunelleschi residia em seu domínio da dinâ-
 
mica dos materiais e da matemática. Ele inventou um guindaste
 
capaz de içar toneladas de material do chão ao cume da abó-
 
bada da Catedral só com a tração de alguns bois. Mas a grande
 
façanha da obra foi embutir ao longo dos oito lados da cúpula
20
nove anéis circulares horizontais − referência aos círculos que
 
compõem o Paraíso na Divina Comédia de Dante Alighieri. Os
 
anéis neutralizam as forças de tensão, mantendo a estrutura
 
suspensa. A façanha fez de Brunelleschi a primeira celebridade
 
da arquitetura.
25
Paranoico com o risco de plágio, ele fazia seus projetos
 
em código. Irascível, foi extremamente rigoroso com pedreiros
 
grevistas. Em outra ocasião, armou uma farsa para humilhar
 
seu rival, o escultor Lorenzo Ghiberti. Inconformado por ter de
 
dividir com ele o gerenciamento da construção, Brunelleschi
30
teria se fingido de doente para que ficasse a cargo de Ghiberti a
 
decisão sobre como tocar a obra. Ao expor a inépcia do
 
desafeto, ganhou mais poder e triplicou seu salário. Diante do
 
milagre de Santa Maria Del Fiore, fica uma certeza: cada florim
 
pago ao genioso arquiteto foi muito bem gasto.
(Adaptado de: Marcelo Marthe. Revista Veja, 12/06/13. p. 136)
Considerando-se o contexto, há relação de causa e consequência em:

Questão 12

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
 
No ano de 1296, ao lançarem a pedra fundamental da
 
Igreja de Santa Maria Del Fiore − a Catedral de Florença −, os
 
governantes da cidade italiana iniciavam uma empreitada épica
5
que se estenderia por quase 600 anos. Tão grandioso que pare-
 
ce estabelecer uma conexão entre o casario florentino e o céu,
 
o edifício em questão só seria concluído no século XIX. A obra
 
foi interrompida por surtos de peste que chegaram a dizimar
 
quatro quintos da população local. Enfrentaram-se contratem-
10
pos para transportar em barquetas ao longo do Rio Arno enor-
 
mes quantidades de materiais como o mármore da vizinha Car-
 
rara. A dificuldade mais monumental, contudo, provinha dos de-
 
safios técnicos do projeto, como a construção da cúpula da
 
igreja que ficou sob o comando de Filippo Brunelleschi.
15
O gênio de Brunelleschi residia em seu domínio da dinâ-
 
mica dos materiais e da matemática. Ele inventou um guindaste
 
capaz de içar toneladas de material do chão ao cume da abó-
 
bada da Catedral só com a tração de alguns bois. Mas a grande
 
façanha da obra foi embutir ao longo dos oito lados da cúpula
20
nove anéis circulares horizontais − referência aos círculos que
 
compõem o Paraíso na Divina Comédia de Dante Alighieri. Os
 
anéis neutralizam as forças de tensão, mantendo a estrutura
 
suspensa. A façanha fez de Brunelleschi a primeira celebridade
 
da arquitetura.
25
Paranoico com o risco de plágio, ele fazia seus projetos
 
em código. Irascível, foi extremamente rigoroso com pedreiros
 
grevistas. Em outra ocasião, armou uma farsa para humilhar
 
seu rival, o escultor Lorenzo Ghiberti. Inconformado por ter de
 
dividir com ele o gerenciamento da construção, Brunelleschi
30
teria se fingido de doente para que ficasse a cargo de Ghiberti a
 
decisão sobre como tocar a obra. Ao expor a inépcia do
 
desafeto, ganhou mais poder e triplicou seu salário. Diante do
 
milagre de Santa Maria Del Fiore, fica uma certeza: cada florim
 
pago ao genioso arquiteto foi muito bem gasto.
(Adaptado de: Marcelo Marthe. Revista Veja, 12/06/13. p. 136)
Sem prejuízo para a correção e o sentido, o elemento sublinhado pode ser substituído pelo indicado entre parênteses em:

Questão 13

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
 
No ano de 1296, ao lançarem a pedra fundamental da
 
Igreja de Santa Maria Del Fiore − a Catedral de Florença −, os
 
governantes da cidade italiana iniciavam uma empreitada épica
5
que se estenderia por quase 600 anos. Tão grandioso que pare-
 
ce estabelecer uma conexão entre o casario florentino e o céu,
 
o edifício em questão só seria concluído no século XIX. A obra
 
foi interrompida por surtos de peste que chegaram a dizimar
 
quatro quintos da população local. Enfrentaram-se contratem-
10
pos para transportar em barquetas ao longo do Rio Arno enor-
 
mes quantidades de materiais como o mármore da vizinha Car-
 
rara. A dificuldade mais monumental, contudo, provinha dos de-
 
safios técnicos do projeto, como a construção da cúpula da
 
igreja que ficou sob o comando de Filippo Brunelleschi.
15
O gênio de Brunelleschi residia em seu domínio da dinâ-
 
mica dos materiais e da matemática. Ele inventou um guindaste
 
capaz de içar toneladas de material do chão ao cume da abó-
 
bada da Catedral só com a tração de alguns bois. Mas a grande
 
façanha da obra foi embutir ao longo dos oito lados da cúpula
20
nove anéis circulares horizontais − referência aos círculos que
 
compõem o Paraíso na Divina Comédia de Dante Alighieri. Os
 
anéis neutralizam as forças de tensão, mantendo a estrutura
 
suspensa. A façanha fez de Brunelleschi a primeira celebridade
 
da arquitetura.
25
Paranoico com o risco de plágio, ele fazia seus projetos
 
em código. Irascível, foi extremamente rigoroso com pedreiros
 
grevistas. Em outra ocasião, armou uma farsa para humilhar
 
seu rival, o escultor Lorenzo Ghiberti. Inconformado por ter de
 
dividir com ele o gerenciamento da construção, Brunelleschi
30
teria se fingido de doente para que ficasse a cargo de Ghiberti a
 
decisão sobre como tocar a obra. Ao expor a inépcia do
 
desafeto, ganhou mais poder e triplicou seu salário. Diante do
 
milagre de Santa Maria Del Fiore, fica uma certeza: cada florim
 
pago ao genioso arquiteto foi muito bem gasto.
(Adaptado de: Marcelo Marthe. Revista Veja, 12/06/13. p. 136)
... embutir ao longo dos oito lados da cúpula nove anéis circulares horizontais − referência aos círculos que compõem o Paraíso na Divina Comédia de Dante Alighieri. Os anéis neutralizam as forças de tensão...

Fazendo-se as alterações necessárias, os segmentos sublinhados acima foram corretamente substituídos por um pronome, na ordem dada, em:

Questão 14

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
 
No ano de 1296, ao lançarem a pedra fundamental da
 
Igreja de Santa Maria Del Fiore − a Catedral de Florença −, os
 
governantes da cidade italiana iniciavam uma empreitada épica
5
que se estenderia por quase 600 anos. Tão grandioso que pare-
 
ce estabelecer uma conexão entre o casario florentino e o céu,
 
o edifício em questão só seria concluído no século XIX. A obra
 
foi interrompida por surtos de peste que chegaram a dizimar
 
quatro quintos da população local. Enfrentaram-se contratem-
10
pos para transportar em barquetas ao longo do Rio Arno enor-
 
mes quantidades de materiais como o mármore da vizinha Car-
 
rara. A dificuldade mais monumental, contudo, provinha dos de-
 
safios técnicos do projeto, como a construção da cúpula da
 
igreja que ficou sob o comando de Filippo Brunelleschi.
15
O gênio de Brunelleschi residia em seu domínio da dinâ-
 
mica dos materiais e da matemática. Ele inventou um guindaste
 
capaz de içar toneladas de material do chão ao cume da abó-
 
bada da Catedral só com a tração de alguns bois. Mas a grande
 
façanha da obra foi embutir ao longo dos oito lados da cúpula
20
nove anéis circulares horizontais − referência aos círculos que
 
compõem o Paraíso na Divina Comédia de Dante Alighieri. Os
 
anéis neutralizam as forças de tensão, mantendo a estrutura
 
suspensa. A façanha fez de Brunelleschi a primeira celebridade
 
da arquitetura.
25
Paranoico com o risco de plágio, ele fazia seus projetos
 
em código. Irascível, foi extremamente rigoroso com pedreiros
 
grevistas. Em outra ocasião, armou uma farsa para humilhar
 
seu rival, o escultor Lorenzo Ghiberti. Inconformado por ter de
 
dividir com ele o gerenciamento da construção, Brunelleschi
30
teria se fingido de doente para que ficasse a cargo de Ghiberti a
 
decisão sobre como tocar a obra. Ao expor a inépcia do
 
desafeto, ganhou mais poder e triplicou seu salário. Diante do
 
milagre de Santa Maria Del Fiore, fica uma certeza: cada florim
 
pago ao genioso arquiteto foi muito bem gasto.
(Adaptado de: Marcelo Marthe. Revista Veja, 12/06/13. p. 136)
A dificuldade mais monumental, contudo, provinha dos desafios técnicos do projeto...

Sem que nenhuma outra alteração seja feita, mantêm-se o sentido e a correção da frase acima, caso se substitua o elemento sublinhado por

Questão 15

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
 
No ano de 1296, ao lançarem a pedra fundamental da
 
Igreja de Santa Maria Del Fiore − a Catedral de Florença −, os
 
governantes da cidade italiana iniciavam uma empreitada épica
5
que se estenderia por quase 600 anos. Tão grandioso que pare-
 
ce estabelecer uma conexão entre o casario florentino e o céu,
 
o edifício em questão só seria concluído no século XIX. A obra
 
foi interrompida por surtos de peste que chegaram a dizimar
 
quatro quintos da população local. Enfrentaram-se contratem-
10
pos para transportar em barquetas ao longo do Rio Arno enor-
 
mes quantidades de materiais como o mármore da vizinha Car-
 
rara. A dificuldade mais monumental, contudo, provinha dos de-
 
safios técnicos do projeto, como a construção da cúpula da
 
igreja que ficou sob o comando de Filippo Brunelleschi.
15
O gênio de Brunelleschi residia em seu domínio da dinâ-
 
mica dos materiais e da matemática. Ele inventou um guindaste
 
capaz de içar toneladas de material do chão ao cume da abó-
 
bada da Catedral só com a tração de alguns bois. Mas a grande
 
façanha da obra foi embutir ao longo dos oito lados da cúpula
20
nove anéis circulares horizontais − referência aos círculos que
 
compõem o Paraíso na Divina Comédia de Dante Alighieri. Os
 
anéis neutralizam as forças de tensão, mantendo a estrutura
 
suspensa. A façanha fez de Brunelleschi a primeira celebridade
 
da arquitetura.
25
Paranoico com o risco de plágio, ele fazia seus projetos
 
em código. Irascível, foi extremamente rigoroso com pedreiros
 
grevistas. Em outra ocasião, armou uma farsa para humilhar
 
seu rival, o escultor Lorenzo Ghiberti. Inconformado por ter de
 
dividir com ele o gerenciamento da construção, Brunelleschi
30
teria se fingido de doente para que ficasse a cargo de Ghiberti a
 
decisão sobre como tocar a obra. Ao expor a inépcia do
 
desafeto, ganhou mais poder e triplicou seu salário. Diante do
 
milagre de Santa Maria Del Fiore, fica uma certeza: cada florim
 
pago ao genioso arquiteto foi muito bem gasto.
(Adaptado de: Marcelo Marthe. Revista Veja, 12/06/13. p. 136)
A dificuldade mais monumental [...] provinha dos desafios técnicos do projeto...

O verbo que exige o mesmo tipo de complemento que o grifado acima está empregado em:

Questão 16

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
 
No ano de 1296, ao lançarem a pedra fundamental da
 
Igreja de Santa Maria Del Fiore − a Catedral de Florença −, os
 
governantes da cidade italiana iniciavam uma empreitada épica
5
que se estenderia por quase 600 anos. Tão grandioso que pare-
 
ce estabelecer uma conexão entre o casario florentino e o céu,
 
o edifício em questão só seria concluído no século XIX. A obra
 
foi interrompida por surtos de peste que chegaram a dizimar
 
quatro quintos da população local. Enfrentaram-se contratem-
10
pos para transportar em barquetas ao longo do Rio Arno enor-
 
mes quantidades de materiais como o mármore da vizinha Car-
 
rara. A dificuldade mais monumental, contudo, provinha dos de-
 
safios técnicos do projeto, como a construção da cúpula da
 
igreja que ficou sob o comando de Filippo Brunelleschi.
15
O gênio de Brunelleschi residia em seu domínio da dinâ-
 
mica dos materiais e da matemática. Ele inventou um guindaste
 
capaz de içar toneladas de material do chão ao cume da abó-
 
bada da Catedral só com a tração de alguns bois. Mas a grande
 
façanha da obra foi embutir ao longo dos oito lados da cúpula
20
nove anéis circulares horizontais − referência aos círculos que
 
compõem o Paraíso na Divina Comédia de Dante Alighieri. Os
 
anéis neutralizam as forças de tensão, mantendo a estrutura
 
suspensa. A façanha fez de Brunelleschi a primeira celebridade
 
da arquitetura.
25
Paranoico com o risco de plágio, ele fazia seus projetos
 
em código. Irascível, foi extremamente rigoroso com pedreiros
 
grevistas. Em outra ocasião, armou uma farsa para humilhar
 
seu rival, o escultor Lorenzo Ghiberti. Inconformado por ter de
 
dividir com ele o gerenciamento da construção, Brunelleschi
30
teria se fingido de doente para que ficasse a cargo de Ghiberti a
 
decisão sobre como tocar a obra. Ao expor a inépcia do
 
desafeto, ganhou mais poder e triplicou seu salário. Diante do
 
milagre de Santa Maria Del Fiore, fica uma certeza: cada florim
 
pago ao genioso arquiteto foi muito bem gasto.
(Adaptado de: Marcelo Marthe. Revista Veja, 12/06/13. p. 136)
As normas de concordância estão plenamente respeitadas na frase:

Questão 17

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
O sinal indicativo de crase está empregado corretamente na frase:

Questão 18

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
Você acredita no amor romântico? Alguns dirão que
 
pessoas maduras sabem que o amor não existe. Outros, que é
 
diferente de paixão, sendo esta passageira, enquanto o amor
 
seria algo mais sólido, dado a parcerias de longa duração.
5
O tema nos encanta, apesar de alguns teóricos afir-
 
marem que o amor é mera invenção da literatura europeia
 
medieval, universalizada, de modo equivocado, pelos autores
 
românticos dos séculos 19 e 20.
(Adaptado de: Luiz Felipe Pondé. Folha de S. Paulo, 11/02/2013)
O tema nos encanta, apesar de alguns teóricos afirmarem que o amor é mera invenção da literatura europeia medieval, universalizada, de modo equivocado, pelos autores românticos dos séculos 19 e 20.

Afirma-se corretamente sobre a frase acima:

Questão 19

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
1
Você acredita no amor romântico? Alguns dirão que
 
pessoas maduras sabem que o amor não existe. Outros, que é
 
diferente de paixão, sendo esta passageira, enquanto o amor
 
seria algo mais sólido, dado a parcerias de longa duração.
5
O tema nos encanta, apesar de alguns teóricos afir-
 
marem que o amor é mera invenção da literatura europeia
 
medieval, universalizada, de modo equivocado, pelos autores
 
românticos dos séculos 19 e 20.
(Adaptado de: Luiz Felipe Pondé. Folha de S. Paulo, 11/02/2013)
... enquanto o amor seria algo mais sólido, dado a parcerias de longa duração.

Considerando-se o contexto, no segmento acima há uma

Questão 20

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
A narrativa medieval descreve essa "doença do pensamento, do espírito" como um modo de obsessão que ...... o homem e a mulher, fazendo com que ...... presos no desejo de estar um com o outro e atormentados quando não podem se encontrar.

A estrutura ideal ...... o amor impossível.
(Adaptado de: Luiz Felipe Pondé. Folha de S. Paulo, 11/02/2013)

Preenchem corretamente as lacunas da frase acima, na ordem dada:

Questão 21

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Patrícia e Pedro são brasileiros natos e casados há seis anos. Patrícia está grávida de sete meses. Pedro, Ministro de Estado do Governo Federal, tem uma reunião de trabalho na ONU, com duração de uma semana, em Nova York, e leva sua esposa Patrícia para lhe acompanhar nesta viagem. Durante a viagem, programada para o período de 20 dias, Patrícia é internada às pressas em um hospital de Nova York onde acaba realizando o parto. O filho do casal, Pedro, nasce com saúde e prematuro em Nova York. Neste caso, segundo a Constituição Federal de 1988, Pedro será considerado brasileiro nato,

Questão 22

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Considere a seguinte Ementa extraída do julgamento do Recurso Extraordinário 56158-MG, pelo Supremo Tribunal Federal: TAXA − SERVIÇO DE EXTINÇÃO DE INCÊN-DIOS − COMPATIBILIDADE CONSTITUCIONAL − ELUCIDAÇÃO − RECURSO EXTRAORDINÁRIO − REPERCUS- SÃO GERAL ADMITIDA. Surge com envergadura maior definir-se a constitucionalidade, ou não, de taxa cobrada pela utilização potencial do serviço de extinção de incêndios.

Neste caso, o Supremo Tribunal Federal analisou

Questão 23

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Fiscalizar a aplicação de quaisquer recursos repassados pela União mediante convênio, acordo, ajuste ou outros instrumentos congêneres, a Estado, ao Distrito Federal ou a Município é atribuição constitucional

Questão 24

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Considere as seguintes situações hipotéticas:

I. A Presidente da República delegou o provimento de um cargo público ao Ministro da Fazenda.

II. A Presidente da República delegou a concessão de indulto ao Ministro da Justiça.

III. A Presidente da República delegou ao Ministro da Casa Civil a disposição, mediante decreto, da organização e funcionamento da Administração federal, sem implicar aumento de despesa nem criação ou extinção de órgãos públicos.

IV. A Presidente da República delegou a extinção de um cargo público ao Procurador-Geral da República.

De acordo com a Constituição Federal de 1988, agiu corretamente a Presidente da República nas hipóteses indicadas APENAS em

Questão 25

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Considere a seguinte situação hipotética: Paulo é Procurador de Justiça no Estado de Goiás e pretende ser nomeado Procurador-Geral de Justiça do referido Estado da Federação. Para tanto, Paulo deverá

Questão 26

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
A Consolidação das Leis do Trabalho apresenta normas que regulam os sujeitos do contrato individual de trabalho, conceituando e caracterizando o empregado e o empregador. Segundo essas normas, é INCORRETO afirmar:

Questão 27

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Os contratos individuais de trabalho, quanto à duração, classificam-se em contratos por prazo determinado ou indeterminado. Sobre eles, é correto afirmar que

Questão 28

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Vênus ausentou-se dos serviços por mais de 30 dias consecutivos, sem enviar qualquer comunicação para seu empregador justificando o motivo de suas faltas. Foram enviados três e-mails e três telegramas para que Vênus retornasse ao serviço ou justificasse a sua ausência. Nessa situação, fica caracterizada a justa causa para rescisão do contrato pelo empregador na modalidade

Questão 29

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
A suspensão contratual é conceituada como a paralisação temporária dos principais efeitos do contrato de trabalho, não havendo prestação dos serviços nem pagamento de remuneração; enquanto que a interrupção é a paralisação da prestação dos serviços com pagamento salarial e contagem de tempo de serviço. Considera-se como modalidade de suspensão e interrupção, respectivamente,

Questão 30

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
A Constituição Federal prevê que é obrigatória a participação dos sindicatos nas negociações coletivas. Sobre essas negociações, conforme normas previstas na Consolidação das Leis do Trabalho, é correto afirmar que

Questão 31

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Em relação aos direitos dos trabalhadores previstos na Constituição Federal, é correto afirmar que

Questão 32

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
O empregado que não recebe os salários da empresa empregadora poderá pleitear o pagamento por parte de outra empresa que pertença ao mesmo grupo econômico de sua empregadora, embora não tenha prestado serviços a essa empresa?

Questão 33

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
De acordo com o previsto na Lei nº 8.666/93, a inadequada execução do contrato administrativo dá lugar à imposição de sanções, dentre elas, a

Questão 34

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Dentre os benefícios e vantagens advindos da utilização da modalidade de pregão, destaca-se a

Questão 35

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
A mutabilidade que caracteriza o contrato administrativo,

Questão 36

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
A acumulação da percepção de vencimentos de cargo público efetivo com proventos de inatividade, nos termos da Lei nº 8.112/90, é

Questão 37

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
O princípio da continuidade dos serviços públicos

Questão 38

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Principais características do sistema de planejamento no Brasil:

Questão 39

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Para Kotler (1975), o planejamento estratégico é uma metodologia gerencial que permite estabelecer

Questão 40

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Em relação à LRF − Lei de Responsabilidade Fiscal (Lei 101/2000) que estabelece as normas de finanças públicas voltadas para a responsabilidade na gestão fiscal, considere:

I. Desobriga a divulgação dos atos, contratos e outros instrumentos celebrados pela Administração pública direta.

II. Estabelece, em regime nacional, parâmetros a serem seguidos exclusivamente pela União, relativos aos gastos públicos.

III. Contém restrições orçamentárias que visam a preservar a situação fiscal dos entes federativos, de acordo com seus balanços anuais, com o objetivo de garantir a saúde financeira de estados e municípios.

IV. É um dos mais fortes instrumentos de transparência em relação aos gastos públicos e privados, indicando os parâmetros para uma administração eficiente.

Está correto o que se afirma APENAS em

Questão 41

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
A Administração pública tem como finalidade

Questão 42

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
O modelo burocrático de Max Weber é um modelo organizacional disseminado nas administrações durante o século XX em todo o mundo. O modelo burocrático é atribuído a Max Weber porque o sociólogo alemão analisou e sintetizou suas principais características. NÃO corresponde a essas características o que está expresso em

Questão 43

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
O conceito: especialização horizontal na organização através da criação de departamentos para cuidar das atividades organizacionais; é decorrente da divisão do trabalho e da homogeneização das atividades refere-se a

Questão 44

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Segundo Chiavenato (2008), para que as organizações públicas ou privadas consigam acompanhar as constantes mudanças e evolução do mundo moderno, elas precisam equiparar talentos e competências. O autor afirma, ainda, que a excelência na prestação de serviços públicos ou privados não depende apenas de agregar, aplicar, recompensar, desenvolver, manter e monitorar pessoas, mas depende também, principalmente, de

Questão 45

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
A Lei Orçamentária Anual NÃO poderá conter dispositivo sobre reformas administrativas porque fere o princípio orçamentário

Questão 46

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
De acordo com a Constituição Federal de 1988, na indicação dos recursos necessários para aprovação das emendas ao projeto de lei do orçamento anual são admitidos APENAS os provenientes de

Questão 47

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Sobre o processo de planejamento e orçamento, considere:

I. A lei que instituir o plano plurianual estabelecerá, de forma regionalizada, as diretrizes, objetivos e metas da Administração pública federal para as despesas relativas aos programas de curta duração.

II. A lei de diretrizes orçamentárias conterá, no mínimo, a discriminação da receita, por fontes, e da despesa, por elementos de despesa.

III. A lei de diretrizes orçamentárias disporá sobre as alterações na legislação tributária e estabelecerá a política de aplicação das agências financeiras oficiais de fomento.

IV. A lei orçamentária anual conterá Anexo de Metas Fiscais, em que serão estabelecidas metas anuais, em valores correntes e constantes, relativas a receitas, despesas, resultados nominal e primário e montante da dívida pública, para o exercício a que se referirem e para os dois seguintes.

Está correto o que se afirma APENAS em

Questão 48

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
De acordo com a Lei nº 4.320/64, a aquisição de um terreno para a construção de uma Unidade Básica de Saúde é classificada, na entidade pública que adquiriu o imóvel, como

Questão 49

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
A execução da receita oriunda do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores se dá em

Questão 50

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
No exercício financeiro de X1, conforme regime de competência e obedecidos os critérios estabelecidos pela Lei de Responsabilidade Fiscal, a despesa total com pessoal do Poder Judiciário de um Estado, esfera estadual, foi R$ (mil) 6.000,00. Deste valor, R$ (mil) 5.500,00 foram pagos durante o exercício financeiro de X1.

Com base nessas informações e sabendo que a receita corrente líquida do Estado, no exercício de X1, foi R$ (mil) 100.000,00, é correto afirmar que o limite de despesa com pessoal definido pela Lei de Responsabilidade Fiscal

Questão 51

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
O Movimento das Relações Humanas, na década de 1920, trouxe um desafio extremo à função de Chefe de Pessoal, sendo que esse novo modelo de administração teve como base, a mudança na relação entre empregados e empregadores. Enquanto a escola clássica operava utilizando-se da força do autocratismo, o novo modelo propunha aumentar a produtividade pela eliminação dos conflitos entre os indivíduos e seus respectivos custos. Pode-se compreender que surge um novo movimento nas relações humanas dentro das organizações dando-se ênfase

Questão 52

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
O conceito de clima organizacional envolve um quadro amplo e flexível da influência ambiental sobre a motivação. O clima organizacional é a qualidade ou propriedade do ambiente organizacional que é percebida ou experimentada pelos membros da organização, influenciando seu comportamento. Pode-se identificar que o clima organizacional, dentro de uma organização, favorece aos seus participantes um ambiente propício a

Questão 53

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
As grandes organizações são as responsáveis pelas primeiras mudanças. Existiam patrocínios de estudos acadêmicos, havendo uma valorização de novas posturas de comando. Diga-se que não era propriamente resultado da sensibilidade patronal daquela época. Sempre foram, como ainda são hoje, investimentos interessantes do ponto de vista da imagem da empresa e do seu marketing político.
Dentro do contexto das mudanças houve a evolução da área de gestão de pessoas, que se caracteriza por:

Questão 54

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa

» Esta questão foi anulada pela banca.
O gerenciamento dos serviços de Tecnologia de Informação necessita prover pontos de controle que permitam avaliar seu processo de eficiência, eficácia, efetividade e economicidade, que constituem pontos de controle co- nhecidos como Indicadores-Chave de Desempenho (Key Performance Indicator − KPI). Os indicadores índice de custos contabilizados e índice de consultas atendidas dentro do prazo estabelecido são pontos de controle visualizados, respectivamente, nas seguintes perspectivas:

Questão 55

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Um dos temas mais importantes no estudo de liderança é o processo racional de tomada de decisão, objetivo de análise e de propostas de modelos. Com relação a esse tema, condiz com os estilos de liderança estudados nas relações humanas na administração,

Questão 56

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
A Resolução 70/2009 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) caracteriza-se como peça de gestão estratégica, pois

Questão 57

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
NÃO se refere ao chamado Ciclo PDCA a seguinte característica:

Questão 58

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
A competência interpessoal ganha importância dentro das organizações, pois

Questão 59

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Das decisões proferidas pelo Corregedor nos pedidos de correição cabe agravo

Questão 60

TRT 18ª 2013 - FCC - Analista Judiciário - Área Administrativa
Instaurado pelo Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região procedimento disciplinar contra um determinado Magistrado de 1º Grau, as medidas punitivas previstas no Regimento Interno do Tribunal serão tomadas por



Provas de Concursos » Fcc 2013