×
Técnico de Nível Médio I - Atendimento Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Administração Técnico de Nível Superior - Suporte Administrativo Operacional Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Ciências Contábeis Técnico de Nível Médio II - Operacional Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Direito
×
Pref. Salvador/BA 2019

Pref. Salvador/BA 2017

Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira

Questão 1

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
1
Posso falar de arte e artistas outra vez? Tenho afeição pelo tema.
 
Espero que, em algum lugar aí no Brasil, haja leitores e leitoras,
 
mesmo poucos, que se interessem pela figura singular e tão
 
fundamental do artista. Ou quem sabe se dou sorte e há um ou
5
outro artista aí fora, extraviado nesta coluna?
 
[....] Sempre me pareceu que o artista verdadeiro sacrifica
 
qualquer “conteúdo”, qualquer “coerência”, por uma bela frase,
 
por um belo gesto, por um belo efeito plástico ou cênico. Como
 
dizia Oscar Wilde, “coerência é a virtude dos que não têm
10
imaginação”. Dos não artistas, portanto.
 
O que distingue o artista é a busca incondicional pela beleza, em
 
detrimento da verdade, do equilíbrio, do bom senso, da ética, da
 
saúde e até da própria vida. Além disso, leitor, o artista é
 
frequentemente um pobre ser ameaçado, com instalação
15
precária no mundo. E, se faz concessões, corre o risco de se
 
desvirtuar, de perder o rumo.
 
Assim, o artista precisa sacrificar, ou deixar em segundo plano, a
 
verdade e a moral. A objetividade e os bons princípios são temas
 
para outros tipos humanos, para o cientista e para o sacerdote,
20
respectivamente. [....] Quando um artista migra para outros
 
terrenos (ciência, moral, filosofia, pensamento social, crítica
 
literária), o que acaba dominando, em última análise, é a
 
expressão da beleza. Para o verdadeiro artista, a beleza é o único
 
mandamento. Para o bem e para o mal, ela interfere o tempo
25
todo. E a obra artística resvala para a mentira, para o engano,
 
para a fabulação. Tangencia a imoralidade, o crime, a perversão.
(Paulo Nogueira Batista Jr., O Globo, 04/08/2017 – adaptado)
“Posso falar de arte e artistas outra vez? Espero que, em algum lugar aí no Brasil, haja leitores e leitoras, mesmo poucos, que se interessem pela figura singular e tão fundamental do artista”.
Desse segmento do texto 1, pode-se inferir várias afirmações.

Assinale a opção que apresenta uma inferência inadequada.

Questão 2

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
1
Posso falar de arte e artistas outra vez? Tenho afeição pelo tema.
 
Espero que, em algum lugar aí no Brasil, haja leitores e leitoras,
 
mesmo poucos, que se interessem pela figura singular e tão
 
fundamental do artista. Ou quem sabe se dou sorte e há um ou
5
outro artista aí fora, extraviado nesta coluna?
 
[....] Sempre me pareceu que o artista verdadeiro sacrifica
 
qualquer “conteúdo”, qualquer “coerência”, por uma bela frase,
 
por um belo gesto, por um belo efeito plástico ou cênico. Como
 
dizia Oscar Wilde, “coerência é a virtude dos que não têm
10
imaginação”. Dos não artistas, portanto.
 
O que distingue o artista é a busca incondicional pela beleza, em
 
detrimento da verdade, do equilíbrio, do bom senso, da ética, da
 
saúde e até da própria vida. Além disso, leitor, o artista é
 
frequentemente um pobre ser ameaçado, com instalação
15
precária no mundo. E, se faz concessões, corre o risco de se
 
desvirtuar, de perder o rumo.
 
Assim, o artista precisa sacrificar, ou deixar em segundo plano, a
 
verdade e a moral. A objetividade e os bons princípios são temas
 
para outros tipos humanos, para o cientista e para o sacerdote,
20
respectivamente. [....] Quando um artista migra para outros
 
terrenos (ciência, moral, filosofia, pensamento social, crítica
 
literária), o que acaba dominando, em última análise, é a
 
expressão da beleza. Para o verdadeiro artista, a beleza é o único
 
mandamento. Para o bem e para o mal, ela interfere o tempo
25
todo. E a obra artística resvala para a mentira, para o engano,
 
para a fabulação. Tangencia a imoralidade, o crime, a perversão.
(Paulo Nogueira Batista Jr., O Globo, 04/08/2017 – adaptado)
Sobre a pergunta inicial do texto “Posso falar de arte e artistas outra vez?”, assinale a afirmativa correta.

Questão 3

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
1
Posso falar de arte e artistas outra vez? Tenho afeição pelo tema.
 
Espero que, em algum lugar aí no Brasil, haja leitores e leitoras,
 
mesmo poucos, que se interessem pela figura singular e tão
 
fundamental do artista. Ou quem sabe se dou sorte e há um ou
5
outro artista aí fora, extraviado nesta coluna?
 
[....] Sempre me pareceu que o artista verdadeiro sacrifica
 
qualquer “conteúdo”, qualquer “coerência”, por uma bela frase,
 
por um belo gesto, por um belo efeito plástico ou cênico. Como
 
dizia Oscar Wilde, “coerência é a virtude dos que não têm
10
imaginação”. Dos não artistas, portanto.
 
O que distingue o artista é a busca incondicional pela beleza, em
 
detrimento da verdade, do equilíbrio, do bom senso, da ética, da
 
saúde e até da própria vida. Além disso, leitor, o artista é
 
frequentemente um pobre ser ameaçado, com instalação
15
precária no mundo. E, se faz concessões, corre o risco de se
 
desvirtuar, de perder o rumo.
 
Assim, o artista precisa sacrificar, ou deixar em segundo plano, a
 
verdade e a moral. A objetividade e os bons princípios são temas
 
para outros tipos humanos, para o cientista e para o sacerdote,
20
respectivamente. [....] Quando um artista migra para outros
 
terrenos (ciência, moral, filosofia, pensamento social, crítica
 
literária), o que acaba dominando, em última análise, é a
 
expressão da beleza. Para o verdadeiro artista, a beleza é o único
 
mandamento. Para o bem e para o mal, ela interfere o tempo
25
todo. E a obra artística resvala para a mentira, para o engano,
 
para a fabulação. Tangencia a imoralidade, o crime, a perversão.
(Paulo Nogueira Batista Jr., O Globo, 04/08/2017 – adaptado)
Assinale o segmento do texto que mostra um emprego de linguagem informal.

Questão 4

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
1
A amizade é um exercício de limites afetivos em permanente desejo de expansão. Por mais completa que pareça ser uma
 
relação de amizade, ela vive também do que lhe falta e da esperança de que um dia nada venha a faltar. Com o tempo, aprendemos
 
a esperar menos e a nos satisfazer com a finitude dos sentimentos nossos e alheios, embora no fundo de nós ainda esperemos a
 
súbita novidade que o amigo saberá revelar. Sendo um exercício bem-sucedido de tolerância e paciência – amplamente recom-
5
pensadas, diga-se – a amizade é também a ansiedade e a expectativa de descobrirmos em nós, por intermédio do amigo, uma
 
dimensão desconhecida do nosso ser.
 
Há quem julgue que cabe ao amigo reconhecer e estimular nossas melhores qualidades. Mas por que não esperar que o valor
 
maior da amizade está em ser ela um necessário e fiel espelho de nossos defeitos? Não é preciso contar com o amigo para
 
conhecermos melhor nossas mais agudas imperfeições? Não cabe ao amigo a sinceridade de quem aponta nossa falha, pela
10
esperança de que venhamos a corrigi-la? Se o nosso adversário aponta nossas faltas no tom destrutivo de uma acusação, o amigo as
 
identifica com lealdade, para que nos compreendamos melhor.
 
Quando um amigo verdadeiro, por contingência da vida ou imposição da morte, é afastado de nós, ficam dele, em nossa
 
consciência, seus valores, seus juízos, suas percepções. Perguntas como “O que diria ele sobre isso?” ou “O que faria ele com isso?”
 
passam a nos ocorrer: são perspectivas dele que se fixaram e continuam a agir como um parâmetro vivo e importante. As marcas da
15
amizade não desaparecem com a ausência do amigo, nem se enfraquecem como memórias pálidas: continuam a ser referências
 
para o que fazemos e pensamos.
(CALÓGERAS, Bruno, inédito)
Considere as seguintes afirmações:

I. No primeiro parágrafo, há a sugestão de que a tolerância e a paciência, qualidades positivas mas dispensáveis entre amigos verdadeiros, dão lugar à recompensa da incondicionalidade do afeto.
II. No segundo parágrafo, expressa-se a convicção de que o amigo verdadeiro não apenas releva nossos defeitos como também é capaz de convertê-los em qualidades nossas.
III. No terceiro parágrafo, considera-se que da ausência ocasional ou definitiva do amigo não resulta que seus valores e seus pontos de vista deixem de atuar dentro de nossa consciência.

Em relação ao texto está correto o que se afirma em

Questão 5

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
1
Posso falar de arte e artistas outra vez? Tenho afeição pelo tema.
 
Espero que, em algum lugar aí no Brasil, haja leitores e leitoras,
 
mesmo poucos, que se interessem pela figura singular e tão
 
fundamental do artista. Ou quem sabe se dou sorte e há um ou
5
outro artista aí fora, extraviado nesta coluna?
 
[....] Sempre me pareceu que o artista verdadeiro sacrifica
 
qualquer “conteúdo”, qualquer “coerência”, por uma bela frase,
 
por um belo gesto, por um belo efeito plástico ou cênico. Como
 
dizia Oscar Wilde, “coerência é a virtude dos que não têm
10
imaginação”. Dos não artistas, portanto.
 
O que distingue o artista é a busca incondicional pela beleza, em
 
detrimento da verdade, do equilíbrio, do bom senso, da ética, da
 
saúde e até da própria vida. Além disso, leitor, o artista é
 
frequentemente um pobre ser ameaçado, com instalação
15
precária no mundo. E, se faz concessões, corre o risco de se
 
desvirtuar, de perder o rumo.
 
Assim, o artista precisa sacrificar, ou deixar em segundo plano, a
 
verdade e a moral. A objetividade e os bons princípios são temas
 
para outros tipos humanos, para o cientista e para o sacerdote,
20
respectivamente. [....] Quando um artista migra para outros
 
terrenos (ciência, moral, filosofia, pensamento social, crítica
 
literária), o que acaba dominando, em última análise, é a
 
expressão da beleza. Para o verdadeiro artista, a beleza é o único
 
mandamento. Para o bem e para o mal, ela interfere o tempo
25
todo. E a obra artística resvala para a mentira, para o engano,
 
para a fabulação. Tangencia a imoralidade, o crime, a perversão.
(Paulo Nogueira Batista Jr., O Globo, 04/08/2017 – adaptado)
“Sempre me pareceu que o artista verdadeiro sacrifica qualquer conteúdo, qualquer coerência, por uma bela frase, por um belo gesto, por um belo efeito plástico ou cênico”.

Isso equivale a dizer que

Questão 6

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
1
Posso falar de arte e artistas outra vez? Tenho afeição pelo tema.
 
Espero que, em algum lugar aí no Brasil, haja leitores e leitoras,
 
mesmo poucos, que se interessem pela figura singular e tão
 
fundamental do artista. Ou quem sabe se dou sorte e há um ou
5
outro artista aí fora, extraviado nesta coluna?
 
[....] Sempre me pareceu que o artista verdadeiro sacrifica
 
qualquer “conteúdo”, qualquer “coerência”, por uma bela frase,
 
por um belo gesto, por um belo efeito plástico ou cênico. Como
 
dizia Oscar Wilde, “coerência é a virtude dos que não têm
10
imaginação”. Dos não artistas, portanto.
 
O que distingue o artista é a busca incondicional pela beleza, em
 
detrimento da verdade, do equilíbrio, do bom senso, da ética, da
 
saúde e até da própria vida. Além disso, leitor, o artista é
 
frequentemente um pobre ser ameaçado, com instalação
15
precária no mundo. E, se faz concessões, corre o risco de se
 
desvirtuar, de perder o rumo.
 
Assim, o artista precisa sacrificar, ou deixar em segundo plano, a
 
verdade e a moral. A objetividade e os bons princípios são temas
 
para outros tipos humanos, para o cientista e para o sacerdote,
20
respectivamente. [....] Quando um artista migra para outros
 
terrenos (ciência, moral, filosofia, pensamento social, crítica
 
literária), o que acaba dominando, em última análise, é a
 
expressão da beleza. Para o verdadeiro artista, a beleza é o único
 
mandamento. Para o bem e para o mal, ela interfere o tempo
25
todo. E a obra artística resvala para a mentira, para o engano,
 
para a fabulação. Tangencia a imoralidade, o crime, a perversão.
(Paulo Nogueira Batista Jr., O Globo, 04/08/2017 – adaptado)
“Tangencia a imoralidade, o crime, a perversão”. Nesse segmento não se pode confundir “imoralidade” com “amoralidade”, seu parônimo.

Assinale a frase a seguir em que houve troca indevida entre parônimos.

Questão 7

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
1
Posso falar de arte e artistas outra vez? Tenho afeição pelo tema.
 
Espero que, em algum lugar aí no Brasil, haja leitores e leitoras,
 
mesmo poucos, que se interessem pela figura singular e tão
 
fundamental do artista. Ou quem sabe se dou sorte e há um ou
5
outro artista aí fora, extraviado nesta coluna?
 
[....] Sempre me pareceu que o artista verdadeiro sacrifica
 
qualquer “conteúdo”, qualquer “coerência”, por uma bela frase,
 
por um belo gesto, por um belo efeito plástico ou cênico. Como
 
dizia Oscar Wilde, “coerência é a virtude dos que não têm
10
imaginação”. Dos não artistas, portanto.
 
O que distingue o artista é a busca incondicional pela beleza, em
 
detrimento da verdade, do equilíbrio, do bom senso, da ética, da
 
saúde e até da própria vida. Além disso, leitor, o artista é
 
frequentemente um pobre ser ameaçado, com instalação
15
precária no mundo. E, se faz concessões, corre o risco de se
 
desvirtuar, de perder o rumo.
 
Assim, o artista precisa sacrificar, ou deixar em segundo plano, a
 
verdade e a moral. A objetividade e os bons princípios são temas
 
para outros tipos humanos, para o cientista e para o sacerdote,
20
respectivamente. [....] Quando um artista migra para outros
 
terrenos (ciência, moral, filosofia, pensamento social, crítica
 
literária), o que acaba dominando, em última análise, é a
 
expressão da beleza. Para o verdadeiro artista, a beleza é o único
 
mandamento. Para o bem e para o mal, ela interfere o tempo
25
todo. E a obra artística resvala para a mentira, para o engano,
 
para a fabulação. Tangencia a imoralidade, o crime, a perversão.
(Paulo Nogueira Batista Jr., O Globo, 04/08/2017 – adaptado)
O colunista declara que a coerência não é imprescindível em uma obra de arte.

Assinale a opção que apresenta a frase em que a coerência foi respeitada.

Questão 8

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
1
Posso falar de arte e artistas outra vez? Tenho afeição pelo tema.
 
Espero que, em algum lugar aí no Brasil, haja leitores e leitoras,
 
mesmo poucos, que se interessem pela figura singular e tão
 
fundamental do artista. Ou quem sabe se dou sorte e há um ou
5
outro artista aí fora, extraviado nesta coluna?
 
[....] Sempre me pareceu que o artista verdadeiro sacrifica
 
qualquer “conteúdo”, qualquer “coerência”, por uma bela frase,
 
por um belo gesto, por um belo efeito plástico ou cênico. Como
 
dizia Oscar Wilde, “coerência é a virtude dos que não têm
10
imaginação”. Dos não artistas, portanto.
 
O que distingue o artista é a busca incondicional pela beleza, em
 
detrimento da verdade, do equilíbrio, do bom senso, da ética, da
 
saúde e até da própria vida. Além disso, leitor, o artista é
 
frequentemente um pobre ser ameaçado, com instalação
15
precária no mundo. E, se faz concessões, corre o risco de se
 
desvirtuar, de perder o rumo.
 
Assim, o artista precisa sacrificar, ou deixar em segundo plano, a
 
verdade e a moral. A objetividade e os bons princípios são temas
 
para outros tipos humanos, para o cientista e para o sacerdote,
20
respectivamente. [....] Quando um artista migra para outros
 
terrenos (ciência, moral, filosofia, pensamento social, crítica
 
literária), o que acaba dominando, em última análise, é a
 
expressão da beleza. Para o verdadeiro artista, a beleza é o único
 
mandamento. Para o bem e para o mal, ela interfere o tempo
25
todo. E a obra artística resvala para a mentira, para o engano,
 
para a fabulação. Tangencia a imoralidade, o crime, a perversão.
(Paulo Nogueira Batista Jr., O Globo, 04/08/2017 – adaptado)
“E a obra artística resvala para a mentira, o engano, para a fabulação. Tangencia a imoralidade, o crime, a perversão”.

Nessas frases, o colunista

Questão 9

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
1
Posso falar de arte e artistas outra vez? Tenho afeição pelo tema.
 
Espero que, em algum lugar aí no Brasil, haja leitores e leitoras,
 
mesmo poucos, que se interessem pela figura singular e tão
 
fundamental do artista. Ou quem sabe se dou sorte e há um ou
5
outro artista aí fora, extraviado nesta coluna?
 
[....] Sempre me pareceu que o artista verdadeiro sacrifica
 
qualquer “conteúdo”, qualquer “coerência”, por uma bela frase,
 
por um belo gesto, por um belo efeito plástico ou cênico. Como
 
dizia Oscar Wilde, “coerência é a virtude dos que não têm
10
imaginação”. Dos não artistas, portanto.
 
O que distingue o artista é a busca incondicional pela beleza, em
 
detrimento da verdade, do equilíbrio, do bom senso, da ética, da
 
saúde e até da própria vida. Além disso, leitor, o artista é
 
frequentemente um pobre ser ameaçado, com instalação
15
precária no mundo. E, se faz concessões, corre o risco de se
 
desvirtuar, de perder o rumo.
 
Assim, o artista precisa sacrificar, ou deixar em segundo plano, a
 
verdade e a moral. A objetividade e os bons princípios são temas
 
para outros tipos humanos, para o cientista e para o sacerdote,
20
respectivamente. [....] Quando um artista migra para outros
 
terrenos (ciência, moral, filosofia, pensamento social, crítica
 
literária), o que acaba dominando, em última análise, é a
 
expressão da beleza. Para o verdadeiro artista, a beleza é o único
 
mandamento. Para o bem e para o mal, ela interfere o tempo
25
todo. E a obra artística resvala para a mentira, para o engano,
 
para a fabulação. Tangencia a imoralidade, o crime, a perversão.
(Paulo Nogueira Batista Jr., O Globo, 04/08/2017 – adaptado)
“Posso falar de arte e artistas outra vez? Espero que, em algum lugar aí no Brasil, haja leitores e leitoras, mesmo poucos, que se interessem pela figura tão singular e tão fundamental do artista”.

Nesses períodos prevalece a função de linguagem denominada

Questão 10

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
1
Posso falar de arte e artistas outra vez? Tenho afeição pelo tema.
 
Espero que, em algum lugar aí no Brasil, haja leitores e leitoras,
 
mesmo poucos, que se interessem pela figura singular e tão
 
fundamental do artista. Ou quem sabe se dou sorte e há um ou
5
outro artista aí fora, extraviado nesta coluna?
 
[....] Sempre me pareceu que o artista verdadeiro sacrifica
 
qualquer “conteúdo”, qualquer “coerência”, por uma bela frase,
 
por um belo gesto, por um belo efeito plástico ou cênico. Como
 
dizia Oscar Wilde, “coerência é a virtude dos que não têm
10
imaginação”. Dos não artistas, portanto.
 
O que distingue o artista é a busca incondicional pela beleza, em
 
detrimento da verdade, do equilíbrio, do bom senso, da ética, da
 
saúde e até da própria vida. Além disso, leitor, o artista é
 
frequentemente um pobre ser ameaçado, com instalação
15
precária no mundo. E, se faz concessões, corre o risco de se
 
desvirtuar, de perder o rumo.
 
Assim, o artista precisa sacrificar, ou deixar em segundo plano, a
 
verdade e a moral. A objetividade e os bons princípios são temas
 
para outros tipos humanos, para o cientista e para o sacerdote,
20
respectivamente. [....] Quando um artista migra para outros
 
terrenos (ciência, moral, filosofia, pensamento social, crítica
 
literária), o que acaba dominando, em última análise, é a
 
expressão da beleza. Para o verdadeiro artista, a beleza é o único
 
mandamento. Para o bem e para o mal, ela interfere o tempo
25
todo. E a obra artística resvala para a mentira, para o engano,
 
para a fabulação. Tangencia a imoralidade, o crime, a perversão.
(Paulo Nogueira Batista Jr., O Globo, 04/08/2017 – adaptado)
O título dado ao texto é “Beleza como mandamento”. Tendo em vista o que é expresso no texto, podemos dizer que tal título

Questão 11

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
1
Posso falar de arte e artistas outra vez? Tenho afeição pelo tema.
 
Espero que, em algum lugar aí no Brasil, haja leitores e leitoras,
 
mesmo poucos, que se interessem pela figura singular e tão
 
fundamental do artista. Ou quem sabe se dou sorte e há um ou
5
outro artista aí fora, extraviado nesta coluna?
 
[....] Sempre me pareceu que o artista verdadeiro sacrifica
 
qualquer “conteúdo”, qualquer “coerência”, por uma bela frase,
 
por um belo gesto, por um belo efeito plástico ou cênico. Como
 
dizia Oscar Wilde, “coerência é a virtude dos que não têm
10
imaginação”. Dos não artistas, portanto.
 
O que distingue o artista é a busca incondicional pela beleza, em
 
detrimento da verdade, do equilíbrio, do bom senso, da ética, da
 
saúde e até da própria vida. Além disso, leitor, o artista é
 
frequentemente um pobre ser ameaçado, com instalação
15
precária no mundo. E, se faz concessões, corre o risco de se
 
desvirtuar, de perder o rumo.
 
Assim, o artista precisa sacrificar, ou deixar em segundo plano, a
 
verdade e a moral. A objetividade e os bons princípios são temas
 
para outros tipos humanos, para o cientista e para o sacerdote,
20
respectivamente. [....] Quando um artista migra para outros
 
terrenos (ciência, moral, filosofia, pensamento social, crítica
 
literária), o que acaba dominando, em última análise, é a
 
expressão da beleza. Para o verdadeiro artista, a beleza é o único
 
mandamento. Para o bem e para o mal, ela interfere o tempo
25
todo. E a obra artística resvala para a mentira, para o engano,
 
para a fabulação. Tangencia a imoralidade, o crime, a perversão.
(Paulo Nogueira Batista Jr., O Globo, 04/08/2017 – adaptado)
A citação de Oscar Wilde no segundo parágrafo do texto tem a função textual de

Questão 12

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
1
Posso falar de arte e artistas outra vez? Tenho afeição pelo tema.
 
Espero que, em algum lugar aí no Brasil, haja leitores e leitoras,
 
mesmo poucos, que se interessem pela figura singular e tão
 
fundamental do artista. Ou quem sabe se dou sorte e há um ou
5
outro artista aí fora, extraviado nesta coluna?
 
[....] Sempre me pareceu que o artista verdadeiro sacrifica
 
qualquer “conteúdo”, qualquer “coerência”, por uma bela frase,
 
por um belo gesto, por um belo efeito plástico ou cênico. Como
 
dizia Oscar Wilde, “coerência é a virtude dos que não têm
10
imaginação”. Dos não artistas, portanto.
 
O que distingue o artista é a busca incondicional pela beleza, em
 
detrimento da verdade, do equilíbrio, do bom senso, da ética, da
 
saúde e até da própria vida. Além disso, leitor, o artista é
 
frequentemente um pobre ser ameaçado, com instalação
15
precária no mundo. E, se faz concessões, corre o risco de se
 
desvirtuar, de perder o rumo.
 
Assim, o artista precisa sacrificar, ou deixar em segundo plano, a
 
verdade e a moral. A objetividade e os bons princípios são temas
 
para outros tipos humanos, para o cientista e para o sacerdote,
20
respectivamente. [....] Quando um artista migra para outros
 
terrenos (ciência, moral, filosofia, pensamento social, crítica
 
literária), o que acaba dominando, em última análise, é a
 
expressão da beleza. Para o verdadeiro artista, a beleza é o único
 
mandamento. Para o bem e para o mal, ela interfere o tempo
25
todo. E a obra artística resvala para a mentira, para o engano,
 
para a fabulação. Tangencia a imoralidade, o crime, a perversão.
(Paulo Nogueira Batista Jr., O Globo, 04/08/2017 – adaptado)
Sobre as aspas empregadas nos vocábulos “conteúdo” e “coerência”, assinale a afirmativa correta.

Questão 13

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
1
Posso falar de arte e artistas outra vez? Tenho afeição pelo tema.
 
Espero que, em algum lugar aí no Brasil, haja leitores e leitoras,
 
mesmo poucos, que se interessem pela figura singular e tão
 
fundamental do artista. Ou quem sabe se dou sorte e há um ou
5
outro artista aí fora, extraviado nesta coluna?
 
[....] Sempre me pareceu que o artista verdadeiro sacrifica
 
qualquer “conteúdo”, qualquer “coerência”, por uma bela frase,
 
por um belo gesto, por um belo efeito plástico ou cênico. Como
 
dizia Oscar Wilde, “coerência é a virtude dos que não têm
10
imaginação”. Dos não artistas, portanto.
 
O que distingue o artista é a busca incondicional pela beleza, em
 
detrimento da verdade, do equilíbrio, do bom senso, da ética, da
 
saúde e até da própria vida. Além disso, leitor, o artista é
 
frequentemente um pobre ser ameaçado, com instalação
15
precária no mundo. E, se faz concessões, corre o risco de se
 
desvirtuar, de perder o rumo.
 
Assim, o artista precisa sacrificar, ou deixar em segundo plano, a
 
verdade e a moral. A objetividade e os bons princípios são temas
 
para outros tipos humanos, para o cientista e para o sacerdote,
20
respectivamente. [....] Quando um artista migra para outros
 
terrenos (ciência, moral, filosofia, pensamento social, crítica
 
literária), o que acaba dominando, em última análise, é a
 
expressão da beleza. Para o verdadeiro artista, a beleza é o único
 
mandamento. Para o bem e para o mal, ela interfere o tempo
25
todo. E a obra artística resvala para a mentira, para o engano,
 
para a fabulação. Tangencia a imoralidade, o crime, a perversão.
(Paulo Nogueira Batista Jr., O Globo, 04/08/2017 – adaptado)
Dentre as opções a seguir, a palavra que mostra um processo de formação distinto do das demais palavras é:

Questão 14

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
1
Posso falar de arte e artistas outra vez? Tenho afeição pelo tema.
 
Espero que, em algum lugar aí no Brasil, haja leitores e leitoras,
 
mesmo poucos, que se interessem pela figura singular e tão
 
fundamental do artista. Ou quem sabe se dou sorte e há um ou
5
outro artista aí fora, extraviado nesta coluna?
 
[....] Sempre me pareceu que o artista verdadeiro sacrifica
 
qualquer “conteúdo”, qualquer “coerência”, por uma bela frase,
 
por um belo gesto, por um belo efeito plástico ou cênico. Como
 
dizia Oscar Wilde, “coerência é a virtude dos que não têm
10
imaginação”. Dos não artistas, portanto.
 
O que distingue o artista é a busca incondicional pela beleza, em
 
detrimento da verdade, do equilíbrio, do bom senso, da ética, da
 
saúde e até da própria vida. Além disso, leitor, o artista é
 
frequentemente um pobre ser ameaçado, com instalação
15
precária no mundo. E, se faz concessões, corre o risco de se
 
desvirtuar, de perder o rumo.
 
Assim, o artista precisa sacrificar, ou deixar em segundo plano, a
 
verdade e a moral. A objetividade e os bons princípios são temas
 
para outros tipos humanos, para o cientista e para o sacerdote,
20
respectivamente. [....] Quando um artista migra para outros
 
terrenos (ciência, moral, filosofia, pensamento social, crítica
 
literária), o que acaba dominando, em última análise, é a
 
expressão da beleza. Para o verdadeiro artista, a beleza é o único
 
mandamento. Para o bem e para o mal, ela interfere o tempo
25
todo. E a obra artística resvala para a mentira, para o engano,
 
para a fabulação. Tangencia a imoralidade, o crime, a perversão.
(Paulo Nogueira Batista Jr., O Globo, 04/08/2017 – adaptado)
No primeiro parágrafo, o texto 1 fala de “um ou outro artista aí fora, extraviado nesta coluna?”.

Nesse caso, os artistas estariam “extraviados” porque

Questão 15

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
1
Posso falar de arte e artistas outra vez? Tenho afeição pelo tema.
 
Espero que, em algum lugar aí no Brasil, haja leitores e leitoras,
 
mesmo poucos, que se interessem pela figura singular e tão
 
fundamental do artista. Ou quem sabe se dou sorte e há um ou
5
outro artista aí fora, extraviado nesta coluna?
 
[....] Sempre me pareceu que o artista verdadeiro sacrifica
 
qualquer “conteúdo”, qualquer “coerência”, por uma bela frase,
 
por um belo gesto, por um belo efeito plástico ou cênico. Como
 
dizia Oscar Wilde, “coerência é a virtude dos que não têm
10
imaginação”. Dos não artistas, portanto.
 
O que distingue o artista é a busca incondicional pela beleza, em
 
detrimento da verdade, do equilíbrio, do bom senso, da ética, da
 
saúde e até da própria vida. Além disso, leitor, o artista é
 
frequentemente um pobre ser ameaçado, com instalação
15
precária no mundo. E, se faz concessões, corre o risco de se
 
desvirtuar, de perder o rumo.
 
Assim, o artista precisa sacrificar, ou deixar em segundo plano, a
 
verdade e a moral. A objetividade e os bons princípios são temas
 
para outros tipos humanos, para o cientista e para o sacerdote,
20
respectivamente. [....] Quando um artista migra para outros
 
terrenos (ciência, moral, filosofia, pensamento social, crítica
 
literária), o que acaba dominando, em última análise, é a
 
expressão da beleza. Para o verdadeiro artista, a beleza é o único
 
mandamento. Para o bem e para o mal, ela interfere o tempo
25
todo. E a obra artística resvala para a mentira, para o engano,
 
para a fabulação. Tangencia a imoralidade, o crime, a perversão.
(Paulo Nogueira Batista Jr., O Globo, 04/08/2017 – adaptado)
O texto lido utiliza um conjunto de palavras terminadas pelo mesmo sufixo – ção.

Assinale a alternativa que apresenta as palavras que têm rigorosamente a mesma formação.

Questão 16

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
Considere a sentença:

“Corro e não me canso”.

Sua negação lógica é:

Questão 17

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
Considere a sentença:

“Se Jorge é torcedor do Vitória, então ele é soteropolitano”.

Um cenário no qual a sentença dada é falsa é

Questão 18

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
1
A amizade é um exercício de limites afetivos em permanente desejo de expansão. Por mais completa que pareça ser uma
 
relação de amizade, ela vive também do que lhe falta e da esperança de que um dia nada venha a faltar. Com o tempo, aprendemos
 
a esperar menos e a nos satisfazer com a finitude dos sentimentos nossos e alheios, embora no fundo de nós ainda esperemos a
 
súbita novidade que o amigo saberá revelar. Sendo um exercício bem-sucedido de tolerância e paciência – amplamente recom-
5
pensadas, diga-se – a amizade é também a ansiedade e a expectativa de descobrirmos em nós, por intermédio do amigo, uma
 
dimensão desconhecida do nosso ser.
 
Há quem julgue que cabe ao amigo reconhecer e estimular nossas melhores qualidades. Mas por que não esperar que o valor
 
maior da amizade está em ser ela um necessário e fiel espelho de nossos defeitos? Não é preciso contar com o amigo para
 
conhecermos melhor nossas mais agudas imperfeições? Não cabe ao amigo a sinceridade de quem aponta nossa falha, pela
10
esperança de que venhamos a corrigi-la? Se o nosso adversário aponta nossas faltas no tom destrutivo de uma acusação, o amigo as
 
identifica com lealdade, para que nos compreendamos melhor.
 
Quando um amigo verdadeiro, por contingência da vida ou imposição da morte, é afastado de nós, ficam dele, em nossa
 
consciência, seus valores, seus juízos, suas percepções. Perguntas como “O que diria ele sobre isso?” ou “O que faria ele com isso?”
 
passam a nos ocorrer: são perspectivas dele que se fixaram e continuam a agir como um parâmetro vivo e importante. As marcas da
15
amizade não desaparecem com a ausência do amigo, nem se enfraquecem como memórias pálidas: continuam a ser referências
 
para o que fazemos e pensamos.
(CALÓGERAS, Bruno, inédito)
Considere as seguintes afirmações:

I. No primeiro parágrafo, há a sugestão de que a tolerância e a paciência, qualidades positivas mas dispensáveis entre amigos verdadeiros, dão lugar à recompensa da incondicionalidade do afeto.
II. No segundo parágrafo, expressa-se a convicção de que o amigo verdadeiro não apenas releva nossos defeitos como também é capaz de convertê-los em qualidades nossas.
III. No terceiro parágrafo, considera-se que da ausência ocasional ou definitiva do amigo não resulta que seus valores e seus pontos de vista deixem de atuar dentro de nossa consciência.

Em relação ao texto está correto o que se afirma em

Questão 19

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
Pedro está em uma fila que tem duas pessoas a mais atrás de Pedro do que à sua frente. Entraram duas novas pessoas na fila; agora, o número de pessoas atrás de Pedro é o triplo do número de pessoas que estão na frente dele.

O número de pessoas que há agora na fila é

Questão 20

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
Alfredo, Roberto e Caetano combinaram de se encontrar em um restaurante. Alfredo chegou às 20h12, Roberto chegou às 19h43 e Caetano chegou meia hora depois de Roberto.

Conclui-se que

Questão 21

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
As idades de Ângela e de Beatriz somam 27 anos. Daqui a 3 anos, Beatriz terá o dobro da idade de Ângela.

Ângela é mais nova que Beatriz

Questão 22

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
Em um grupo de 30 profissionais, todos são engenheiros ou arquitetos. A quantidade daqueles que são somente arquitetos é o dobro da quantidade dos que são somente engenheiros. Doze desses profissionais são arquitetos e também engenheiros.

Assinale a opção que indica o número de engenheiros desse grupo.

Questão 23

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
Três operários constroem um muro em 6 horas. Cinco operários construirão um muro com o triplo do tamanho do muro citado em

Questão 24

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
1
A amizade é um exercício de limites afetivos em permanente desejo de expansão. Por mais completa que pareça ser uma
 
relação de amizade, ela vive também do que lhe falta e da esperança de que um dia nada venha a faltar. Com o tempo, aprendemos
 
a esperar menos e a nos satisfazer com a finitude dos sentimentos nossos e alheios, embora no fundo de nós ainda esperemos a
 
súbita novidade que o amigo saberá revelar. Sendo um exercício bem-sucedido de tolerância e paciência – amplamente recom-
5
pensadas, diga-se – a amizade é também a ansiedade e a expectativa de descobrirmos em nós, por intermédio do amigo, uma
 
dimensão desconhecida do nosso ser.
 
Há quem julgue que cabe ao amigo reconhecer e estimular nossas melhores qualidades. Mas por que não esperar que o valor
 
maior da amizade está em ser ela um necessário e fiel espelho de nossos defeitos? Não é preciso contar com o amigo para
 
conhecermos melhor nossas mais agudas imperfeições? Não cabe ao amigo a sinceridade de quem aponta nossa falha, pela
10
esperança de que venhamos a corrigi-la? Se o nosso adversário aponta nossas faltas no tom destrutivo de uma acusação, o amigo as
 
identifica com lealdade, para que nos compreendamos melhor.
 
Quando um amigo verdadeiro, por contingência da vida ou imposição da morte, é afastado de nós, ficam dele, em nossa
 
consciência, seus valores, seus juízos, suas percepções. Perguntas como “O que diria ele sobre isso?” ou “O que faria ele com isso?”
 
passam a nos ocorrer: são perspectivas dele que se fixaram e continuam a agir como um parâmetro vivo e importante. As marcas da
15
amizade não desaparecem com a ausência do amigo, nem se enfraquecem como memórias pálidas: continuam a ser referências
 
para o que fazemos e pensamos.
(CALÓGERAS, Bruno, inédito)
Considere as seguintes afirmações:

I. No primeiro parágrafo, há a sugestão de que a tolerância e a paciência, qualidades positivas mas dispensáveis entre amigos verdadeiros, dão lugar à recompensa da incondicionalidade do afeto.
II. No segundo parágrafo, expressa-se a convicção de que o amigo verdadeiro não apenas releva nossos defeitos como também é capaz de convertê-los em qualidades nossas.
III. No terceiro parágrafo, considera-se que da ausência ocasional ou definitiva do amigo não resulta que seus valores e seus pontos de vista deixem de atuar dentro de nossa consciência.

Em relação ao texto está correto o que se afirma em

Questão 25

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
Uma professora disse aos seus alunos:

“Todos que acertarem as cinco questões do teste ganharão um sorvete”.
O teste foi realizado e Joãozinho é um dos alunos.

Pode-se deduzir, logicamente, que,

Questão 26

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
Euclides e Arquimedes estavam no vértice inferior esquerdo de um campo quadrado e caminharam até o vértice superior direito. Arquimedes caminhou primeiro em direção ao leste e, depois, em direção ao norte, até chegar ao destino. Euclides caminhou em linha reta, diretamente de onde estava até chegar ao destino.

A distância percorrida por Euclides, comparada à percorrida por Arquimedes, foi menor em, aproximadamente,

Questão 27

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
A região formada por todos os pontos de um plano que estão a, no máximo, 2 cm de distância de um segmento de reta AB contido nesse plano, tem área (24 + 4π) cm².

A medida do segmento de reta AB é de

Questão 28

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
Amélia, Bruno, Carla e Diego desejam sentar-se em quatro cadeiras consecutivas em uma fila do cinema. Entretanto, Carla se recusa a sentar ao lado de Amélia ou de Bruno.

Nessas condições, o número de maneiras de os quatro se sentarem nas quatro cadeiras é

Questão 29

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
Duzentas e dez fichas são arrumadas em linhas, de tal forma que a primeira linha tenha 1 ficha, a segunda linha tenha 2 fichas, e assim sucessivamente, até a linha de número N, com exatamente, N fichas.

A soma dos algarismos de N é

Questão 30

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
Abel tem uma moeda que dá “cara” com probabilidade 1/2 e Breno tem uma moeda que dá “cara” com probabilidade 1/3.
Abel e Breno lançam suas respectivas moedas, alternadamente. O primeiro que obtiver “cara”, ganha. Abel é o primeiro a lançar, e os lançamentos são todos independentes.

A probabilidade de Abel ganhar no seu terceiro lançamento é de

Questão 31

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira

Manifestantes venezuelanos protestam contra as políticas de Nicolás Maduro com um cartaz, no qual se lê: "Insegurança. Inflação. Escassez. Violência. Esta não é a Venezuela onde cresci # SOS".

Desde a morte de Hugo Chávez, em 2013, as tensões entre o governo de Nicolás Maduro e a oposição se intensificaram e o atual presidente está em dificuldade para dar continuidade às políticas do "socialismo bolivariano" de seu antecessor.

Assinale a opção que identifica corretamente um fator que vem agravando a recente crise política e econômica da Venezuela.

Questão 32

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
A denúncia de desvios de verbas, a investigação de agentes públicos e privados, o desmantelamento de esquemas para beneficiar indevidamente órgãos e instituições, têm ocupado as manchetes diárias da mídia impressa e televisiva, familiarizando o cidadão brasileiro com uma terminologia jurídica sobre os crimes associados à corrupção.
Relacione os tipos de crime listados abaixo às suas respectivas caracterizações.

1. Corrupção ativa
2. Tráfico de influência
3. Extorsão
( ) Oferecimento de alguma forma de compensação para que o agente público deixe de fazer algo que, dentro de suas funções, deveria fazer.
( ) Uso de uma posição privilegiada dentro de uma empresa ou entidade, ou das conexões com pessoas em posição de autoridade, para obter favores ou benefícios para terceiros.
( ) Ato de obrigar alguém a fazer ou deixar de fazer alguma coisa, mediante violência ou ameaça, com a intenção de obter vantagem, recompensa ou lucro.

Assinale a opção que mostra a relação correta, de cima para baixo.

Questão 33

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
A política de imigração do Governo Trump é alvo de duras críticas veiculadas pela imprensa e pelas redes sociais, como no exemplo das charges a seguir, que, além de imagens contundentes, apresentam dizeres como "Não ao banimento".

http://indianexpress.com

As medidas polêmicas da política norte-americana de imigração, listadas a seguir estão corretas, à exceção de uma. Assinale-a.

Questão 34

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
1
A amizade é um exercício de limites afetivos em permanente desejo de expansão. Por mais completa que pareça ser uma
 
relação de amizade, ela vive também do que lhe falta e da esperança de que um dia nada venha a faltar. Com o tempo, aprendemos
 
a esperar menos e a nos satisfazer com a finitude dos sentimentos nossos e alheios, embora no fundo de nós ainda esperemos a
 
súbita novidade que o amigo saberá revelar. Sendo um exercício bem-sucedido de tolerância e paciência – amplamente recom-
5
pensadas, diga-se – a amizade é também a ansiedade e a expectativa de descobrirmos em nós, por intermédio do amigo, uma
 
dimensão desconhecida do nosso ser.
 
Há quem julgue que cabe ao amigo reconhecer e estimular nossas melhores qualidades. Mas por que não esperar que o valor
 
maior da amizade está em ser ela um necessário e fiel espelho de nossos defeitos? Não é preciso contar com o amigo para
 
conhecermos melhor nossas mais agudas imperfeições? Não cabe ao amigo a sinceridade de quem aponta nossa falha, pela
10
esperança de que venhamos a corrigi-la? Se o nosso adversário aponta nossas faltas no tom destrutivo de uma acusação, o amigo as
 
identifica com lealdade, para que nos compreendamos melhor.
 
Quando um amigo verdadeiro, por contingência da vida ou imposição da morte, é afastado de nós, ficam dele, em nossa
 
consciência, seus valores, seus juízos, suas percepções. Perguntas como “O que diria ele sobre isso?” ou “O que faria ele com isso?”
 
passam a nos ocorrer: são perspectivas dele que se fixaram e continuam a agir como um parâmetro vivo e importante. As marcas da
15
amizade não desaparecem com a ausência do amigo, nem se enfraquecem como memórias pálidas: continuam a ser referências
 
para o que fazemos e pensamos.
(CALÓGERAS, Bruno, inédito)
Considere as seguintes afirmações:

I. No primeiro parágrafo, há a sugestão de que a tolerância e a paciência, qualidades positivas mas dispensáveis entre amigos verdadeiros, dão lugar à recompensa da incondicionalidade do afeto.
II. No segundo parágrafo, expressa-se a convicção de que o amigo verdadeiro não apenas releva nossos defeitos como também é capaz de convertê-los em qualidades nossas.
III. No terceiro parágrafo, considera-se que da ausência ocasional ou definitiva do amigo não resulta que seus valores e seus pontos de vista deixem de atuar dentro de nossa consciência.

Em relação ao texto está correto o que se afirma em

Questão 35

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira

http://portal.iphan.gov.br

Em 2013, a Festa do Nosso Senhor do Bonfim, comemorada em Salvador (BA), recebeu o título de Patrimônio Cultural do Brasil.
A principal razão para esse reconhecimento está associada

Questão 36

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
O Congresso representa quem, mesmo?

in Revista Caros Amigos, Ano XIX, julho de 2015.

A respeito da relação entre a sociedade brasileira e sua representação no Parlamento Federal, com base no gráfico, assinale (V) para a afirmativa verdadeira e (F) para a falsa.

( ) Os segmentos indicados a partir de suas atividades econômicas mostram uma representação política inversamente proporcional à sua expressão numérica na sociedade brasileira.
( ) Há grandes disparidades entre segmentos da população brasileira e seus representantes no Congresso, embora as questões étnicas sejam as que apresentam menor divergência.
( ) Os segmentos majoritários da sociedade brasileira possuem representação proporcional no Parlamento, indicando um processo de amadurecimento das instituições democráticas no país.

As afirmativas são, de cima para baixo.

Questão 37

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
Nos últimos anos, os cientistas descobriram uma nova técnica para "recortar" e mudar partes do código genético, conseguindo eliminar trechos indesejados do genoma, que causam doenças e, se necessário, inserir novas sequências no local. Essa possibilidade de "cortar e colar" partes do código genético tornou possível a cura de algumas condições hereditárias, como, por exemplo, o diabetes, a obesidade, a fibrose cística e tipos graves de distrofia muscular.

Essa nova técnica é conhecida como

Questão 38

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
1
A amizade é um exercício de limites afetivos em permanente desejo de expansão. Por mais completa que pareça ser uma
 
relação de amizade, ela vive também do que lhe falta e da esperança de que um dia nada venha a faltar. Com o tempo, aprendemos
 
a esperar menos e a nos satisfazer com a finitude dos sentimentos nossos e alheios, embora no fundo de nós ainda esperemos a
 
súbita novidade que o amigo saberá revelar. Sendo um exercício bem-sucedido de tolerância e paciência – amplamente recom-
5
pensadas, diga-se – a amizade é também a ansiedade e a expectativa de descobrirmos em nós, por intermédio do amigo, uma
 
dimensão desconhecida do nosso ser.
 
Há quem julgue que cabe ao amigo reconhecer e estimular nossas melhores qualidades. Mas por que não esperar que o valor
 
maior da amizade está em ser ela um necessário e fiel espelho de nossos defeitos? Não é preciso contar com o amigo para
 
conhecermos melhor nossas mais agudas imperfeições? Não cabe ao amigo a sinceridade de quem aponta nossa falha, pela
10
esperança de que venhamos a corrigi-la? Se o nosso adversário aponta nossas faltas no tom destrutivo de uma acusação, o amigo as
 
identifica com lealdade, para que nos compreendamos melhor.
 
Quando um amigo verdadeiro, por contingência da vida ou imposição da morte, é afastado de nós, ficam dele, em nossa
 
consciência, seus valores, seus juízos, suas percepções. Perguntas como “O que diria ele sobre isso?” ou “O que faria ele com isso?”
 
passam a nos ocorrer: são perspectivas dele que se fixaram e continuam a agir como um parâmetro vivo e importante. As marcas da
15
amizade não desaparecem com a ausência do amigo, nem se enfraquecem como memórias pálidas: continuam a ser referências
 
para o que fazemos e pensamos.
(CALÓGERAS, Bruno, inédito)
Considere as seguintes afirmações:

I. No primeiro parágrafo, há a sugestão de que a tolerância e a paciência, qualidades positivas mas dispensáveis entre amigos verdadeiros, dão lugar à recompensa da incondicionalidade do afeto.
II. No segundo parágrafo, expressa-se a convicção de que o amigo verdadeiro não apenas releva nossos defeitos como também é capaz de convertê-los em qualidades nossas.
III. No terceiro parágrafo, considera-se que da ausência ocasional ou definitiva do amigo não resulta que seus valores e seus pontos de vista deixem de atuar dentro de nossa consciência.

Em relação ao texto está correto o que se afirma em

Questão 39

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
Observe o mapa do IBGE a respeito do PIB global do Estado da Bahia.

As opções a seguir apresentam afirmativas corretas sobre as contribuições dos municípios para o Produto Interno Bruto (PIB) do Estado, à exceção de uma. Assinale-a.

Questão 40

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
Entre as décadas de 1940 e 1960, a obra de Diógenes Rebouças (19141994), considerado o mais importante arquiteto moderno da Bahia, ajudou a definir uma linguagem arquitetônica para o modernismo baiano que apresenta, como traços distintivos, o uso do concreto armado aparente, a valorização das estruturas, o emprego de grandes vãos e a ênfase na luminosidade natural.
Observe as imagens a seguir, que exemplificam diversas tendências arquitetônicas presentes na cidade de Salvador.


I - Faculdade de Arquitetura da UFBA


II - Elevador Lacerda


III - Edifício Suarez Trade Center


IV - Mercado Modelo

Com base nas imagens, podemos afirmar que o modernismo arquitetônico está representado em

Questão 41

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
O Governo Federal lançou recentemente um Plano de Demissão Voluntária (PDV) para seus servidores. Suponha um servidor que recebeu uma proposta de emprego no setor privado por um salário menor e resolve aderir ao PDV.

Neste caso, o seu custo de oportunidade para adesão é

Questão 42

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
Suponha que um indivíduo decida por uma cesta de dois bens (x e y) e que ele sempre decida consumir apenas um dos bens dependendo da razão de preços entre eles.

Logo, suas preferências são

Questão 43

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
A situação em que uma empresa maximiza lucro na parte elástica da demanda e tem poder de definir livremente o preço de mercado, é denominada de

Questão 44

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
Suponha incialmente uma economia sem desemprego, com equilíbrio entre oferta e demanda por trabalho.

A situação na qual haverá falta de mão de obra é aquela em que o governo

Questão 45

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
1
A amizade é um exercício de limites afetivos em permanente desejo de expansão. Por mais completa que pareça ser uma
 
relação de amizade, ela vive também do que lhe falta e da esperança de que um dia nada venha a faltar. Com o tempo, aprendemos
 
a esperar menos e a nos satisfazer com a finitude dos sentimentos nossos e alheios, embora no fundo de nós ainda esperemos a
 
súbita novidade que o amigo saberá revelar. Sendo um exercício bem-sucedido de tolerância e paciência – amplamente recom-
5
pensadas, diga-se – a amizade é também a ansiedade e a expectativa de descobrirmos em nós, por intermédio do amigo, uma
 
dimensão desconhecida do nosso ser.
 
Há quem julgue que cabe ao amigo reconhecer e estimular nossas melhores qualidades. Mas por que não esperar que o valor
 
maior da amizade está em ser ela um necessário e fiel espelho de nossos defeitos? Não é preciso contar com o amigo para
 
conhecermos melhor nossas mais agudas imperfeições? Não cabe ao amigo a sinceridade de quem aponta nossa falha, pela
10
esperança de que venhamos a corrigi-la? Se o nosso adversário aponta nossas faltas no tom destrutivo de uma acusação, o amigo as
 
identifica com lealdade, para que nos compreendamos melhor.
 
Quando um amigo verdadeiro, por contingência da vida ou imposição da morte, é afastado de nós, ficam dele, em nossa
 
consciência, seus valores, seus juízos, suas percepções. Perguntas como “O que diria ele sobre isso?” ou “O que faria ele com isso?”
 
passam a nos ocorrer: são perspectivas dele que se fixaram e continuam a agir como um parâmetro vivo e importante. As marcas da
15
amizade não desaparecem com a ausência do amigo, nem se enfraquecem como memórias pálidas: continuam a ser referências
 
para o que fazemos e pensamos.
(CALÓGERAS, Bruno, inédito)
Considere as seguintes afirmações:

I. No primeiro parágrafo, há a sugestão de que a tolerância e a paciência, qualidades positivas mas dispensáveis entre amigos verdadeiros, dão lugar à recompensa da incondicionalidade do afeto.
II. No segundo parágrafo, expressa-se a convicção de que o amigo verdadeiro não apenas releva nossos defeitos como também é capaz de convertê-los em qualidades nossas.
III. No terceiro parágrafo, considera-se que da ausência ocasional ou definitiva do amigo não resulta que seus valores e seus pontos de vista deixem de atuar dentro de nossa consciência.

Em relação ao texto está correto o que se afirma em

Questão 46

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
No século XIX, na Irlanda, uma crise alimentar elevou o preço da batata provocando um aumento de sua demanda. Isso decorreu do fato desse bem ser a base da alimentação da população e, em consequência, o aumento de preço obrigou as pessoas a reduzirem seu orçamento com os demais bens.

Assim a batata é um exemplo de bem

Questão 47

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
O Primeiro Teorema do Bem-Estar afirma que

Questão 48

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
Em relação aos principais agregados macroeconômicos e suas identidades macroeconômicas básicas, assinale (V) para a afirmativa verdadeira e (F) para a falsa.

I. O PIB a preços de mercado pode ser definido como o PIB a custo de fatores adicionado dos impostos indiretos e subtraído os subsídios.
II. O PIB a preços de mercado é igual ao PNB a preços de mercado deduzida a renda líquida enviada ao exterior.
III. A oferta agregada global é definida como a oferta interna somada as importações e deduzidas as exportações.

As afirmações são, respectivamente,

Questão 49

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
Um aumento dos gastos dos turistas estrangeiros no Brasil e uma redução dos gastos de turistas brasileiros no exterior levam a

Questão 50

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
O multiplicador da base monetária se eleva quando

Questão 51

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
Considerando o modelo IS-LM, o caso clássico mostra que

Questão 52

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
A versão absoluta da paridade do poder de compra é relevante para analisar

Questão 53

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
Considerando uma versão da curva de Phillips com expectativa de inflação e choques de oferta, um aumento da inflação corrente pode advir

Questão 54

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
Supondo o modelo keynesiano de determinação da renda com consumo, investimento e governo, a renda de equilíbrio será maior quando

Questão 55

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
Considerando a Equivalência Ricardiana, assinale (V) para a afirmativa verdadeira e (F) para a falsa.

I. Uma redução dos impostos pelo governo hoje eleva o consumo das famílias de imediato.
II. O governo deve sempre manter um orçamento em equilíbrio a cada exercício.
III. Um aumento dos impostos correntes leva a uma queda da poupança privada corrente.

As afirmativas são, respectivamente,

Questão 56

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
Relacione cada função econômica do governo à sua característica ou ao seu exemplo.

1. Função Alocativa
2. Função Distributiva
3. Função Estabilizadora
( ) O acesso da população à água e ao esgoto tratável contribui para reduzir os gastos públicos com saúde.
( ) O adequado uso da política monetária leva a uma taxa de inflação menor, sem afetar fortemente o desemprego.
( ) Reduzir impostos sobre consumo tem efeitos progressivos sobre a renda das pessoas.

Assinale a opção que apresenta a relação correta.

Questão 57

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
Segundo a curva de Laffer, assinale a afirmativa incorreta.

Questão 58

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
Recentemente, o Tesouro Nacional divulgou que passaria a computar a inadimplência esperada dos empréstimos do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), o que afetará o resultado primário porque afeta

Questão 59

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
O governo pode obter o conceito nominal das Necessidades de Financiamento do Setor Público (NFSP) a partir

Questão 60

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
Em relação à Lei de Responsabilidade Fiscal, assinale a opção que não apresenta uma de suas características.

Questão 61

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
Em relação ao Plano Cruzado, assinale (V) para a afirmativa verdadeira e (F) para a a falsa.

( ) Houve congelamento dos preços de todos os produtos e a taxa de câmbio se tornou fixa.
( ) Foi proibido a indexação de contratos com prazos menores do que um ano.
( ) O rendimento da poupança mudou de periodicidade com o aparente objetivo de evitar a ilusão monetária.

As afirmativas são, respectivamente,

Questão 62

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
Sobre os fatores responsáveis pelo aumento da importância do Brasil como ator internacional, durante o Governo Lula (20032010), analise as afirmativas a seguir.

I. O crescimento econômico da China e o consequente aumento da participação desse país nas exportações brasileiras.
II. O aumento da demanda das economias emergentes por bens produzidos pelo Brasil.
III. A desvalorização do real frente ao dólar, o que impulsionou as exportações.

Está correto o que se afirma em:

Questão 63

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
1
A amizade é um exercício de limites afetivos em permanente desejo de expansão. Por mais completa que pareça ser uma
 
relação de amizade, ela vive também do que lhe falta e da esperança de que um dia nada venha a faltar. Com o tempo, aprendemos
 
a esperar menos e a nos satisfazer com a finitude dos sentimentos nossos e alheios, embora no fundo de nós ainda esperemos a
 
súbita novidade que o amigo saberá revelar. Sendo um exercício bem-sucedido de tolerância e paciência – amplamente recom-
5
pensadas, diga-se – a amizade é também a ansiedade e a expectativa de descobrirmos em nós, por intermédio do amigo, uma
 
dimensão desconhecida do nosso ser.
 
Há quem julgue que cabe ao amigo reconhecer e estimular nossas melhores qualidades. Mas por que não esperar que o valor
 
maior da amizade está em ser ela um necessário e fiel espelho de nossos defeitos? Não é preciso contar com o amigo para
 
conhecermos melhor nossas mais agudas imperfeições? Não cabe ao amigo a sinceridade de quem aponta nossa falha, pela
10
esperança de que venhamos a corrigi-la? Se o nosso adversário aponta nossas faltas no tom destrutivo de uma acusação, o amigo as
 
identifica com lealdade, para que nos compreendamos melhor.
 
Quando um amigo verdadeiro, por contingência da vida ou imposição da morte, é afastado de nós, ficam dele, em nossa
 
consciência, seus valores, seus juízos, suas percepções. Perguntas como “O que diria ele sobre isso?” ou “O que faria ele com isso?”
 
passam a nos ocorrer: são perspectivas dele que se fixaram e continuam a agir como um parâmetro vivo e importante. As marcas da
15
amizade não desaparecem com a ausência do amigo, nem se enfraquecem como memórias pálidas: continuam a ser referências
 
para o que fazemos e pensamos.
(CALÓGERAS, Bruno, inédito)
Considere as seguintes afirmações:

I. No primeiro parágrafo, há a sugestão de que a tolerância e a paciência, qualidades positivas mas dispensáveis entre amigos verdadeiros, dão lugar à recompensa da incondicionalidade do afeto.
II. No segundo parágrafo, expressa-se a convicção de que o amigo verdadeiro não apenas releva nossos defeitos como também é capaz de convertê-los em qualidades nossas.
III. No terceiro parágrafo, considera-se que da ausência ocasional ou definitiva do amigo não resulta que seus valores e seus pontos de vista deixem de atuar dentro de nossa consciência.

Em relação ao texto está correto o que se afirma em

Questão 64

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
A taxa de desemprego de um país tende a se elevar nas situações listadas a seguir, à exceção de uma. Assinale-a.

Questão 65

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
Os fatores que podem explicar a tendência de insolvência da Previdência Social estão listados a seguir, à exceção de um.

Assinale-o.

Questão 66

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
Suponha que se deseja testar se um determinado candidato tem 50% das intenções de voto. Assim, foram realizadas pesquisas em cinco regiões (A, B, C, D e E) e seus respectivos intervalos de confiança foram calculados.

Sendo a letra de cada alternativa representante de cada região com seu respectivo intervalo de confiança, a única região em que se pode rejeitar a hipótese de que o candidato detém 50% dos votos é

Questão 67

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
1
A amizade é um exercício de limites afetivos em permanente desejo de expansão. Por mais completa que pareça ser uma
 
relação de amizade, ela vive também do que lhe falta e da esperança de que um dia nada venha a faltar. Com o tempo, aprendemos
 
a esperar menos e a nos satisfazer com a finitude dos sentimentos nossos e alheios, embora no fundo de nós ainda esperemos a
 
súbita novidade que o amigo saberá revelar. Sendo um exercício bem-sucedido de tolerância e paciência – amplamente recom-
5
pensadas, diga-se – a amizade é também a ansiedade e a expectativa de descobrirmos em nós, por intermédio do amigo, uma
 
dimensão desconhecida do nosso ser.
 
Há quem julgue que cabe ao amigo reconhecer e estimular nossas melhores qualidades. Mas por que não esperar que o valor
 
maior da amizade está em ser ela um necessário e fiel espelho de nossos defeitos? Não é preciso contar com o amigo para
 
conhecermos melhor nossas mais agudas imperfeições? Não cabe ao amigo a sinceridade de quem aponta nossa falha, pela
10
esperança de que venhamos a corrigi-la? Se o nosso adversário aponta nossas faltas no tom destrutivo de uma acusação, o amigo as
 
identifica com lealdade, para que nos compreendamos melhor.
 
Quando um amigo verdadeiro, por contingência da vida ou imposição da morte, é afastado de nós, ficam dele, em nossa
 
consciência, seus valores, seus juízos, suas percepções. Perguntas como “O que diria ele sobre isso?” ou “O que faria ele com isso?”
 
passam a nos ocorrer: são perspectivas dele que se fixaram e continuam a agir como um parâmetro vivo e importante. As marcas da
15
amizade não desaparecem com a ausência do amigo, nem se enfraquecem como memórias pálidas: continuam a ser referências
 
para o que fazemos e pensamos.
(CALÓGERAS, Bruno, inédito)
Considere as seguintes afirmações:

I. No primeiro parágrafo, há a sugestão de que a tolerância e a paciência, qualidades positivas mas dispensáveis entre amigos verdadeiros, dão lugar à recompensa da incondicionalidade do afeto.
II. No segundo parágrafo, expressa-se a convicção de que o amigo verdadeiro não apenas releva nossos defeitos como também é capaz de convertê-los em qualidades nossas.
III. No terceiro parágrafo, considera-se que da ausência ocasional ou definitiva do amigo não resulta que seus valores e seus pontos de vista deixem de atuar dentro de nossa consciência.

Em relação ao texto está correto o que se afirma em

Questão 68

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
Suponha que a seguinte regressão seja estimada para homens e mulheres em separado:

W = a + b*(Educ) + u,

em que, w é o logaritmo neperiano do salário, Educ representa os anos de estudos, a e b são parâmetros do intercepto e da inclinação a serem estimados por mínimos quadrados ordinários e u é o termo aleatório.
Sendo ah e bh as estimativas dos parâmetros do intercepto e da inclinação, respectivamente, para o universo dos homens e, am e bm, as estimativas dos parâmetros do intercepto e da inclinação, respectivamente, para as mulheres.

Para se verificar se os homens apresentam um retorno monetário da educação maior do que as mulheres deve-se testar a seguinte hipótese nula:

Questão 69

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
Considere o seguinte fluxo de caixa:

Ano 0: -100
Ano 1: 100
Ano 2: 10

A TIR e o payback simples são, respectivamente,

Questão 70

Pref. Salvador/BA 2017 - FGV - Técnico de Nível Superior II - Suporte Administrativo - Economia ou Gestão Financeira
1
A amizade é um exercício de limites afetivos em permanente desejo de expansão. Por mais completa que pareça ser uma
 
relação de amizade, ela vive também do que lhe falta e da esperança de que um dia nada venha a faltar. Com o tempo, aprendemos
 
a esperar menos e a nos satisfazer com a finitude dos sentimentos nossos e alheios, embora no fundo de nós ainda esperemos a
 
súbita novidade que o amigo saberá revelar. Sendo um exercício bem-sucedido de tolerância e paciência – amplamente recom-
5
pensadas, diga-se – a amizade é também a ansiedade e a expectativa de descobrirmos em nós, por intermédio do amigo, uma
 
dimensão desconhecida do nosso ser.
 
Há quem julgue que cabe ao amigo reconhecer e estimular nossas melhores qualidades. Mas por que não esperar que o valor
 
maior da amizade está em ser ela um necessário e fiel espelho de nossos defeitos? Não é preciso contar com o amigo para
 
conhecermos melhor nossas mais agudas imperfeições? Não cabe ao amigo a sinceridade de quem aponta nossa falha, pela
10
esperança de que venhamos a corrigi-la? Se o nosso adversário aponta nossas faltas no tom destrutivo de uma acusação, o amigo as
 
identifica com lealdade, para que nos compreendamos melhor.
 
Quando um amigo verdadeiro, por contingência da vida ou imposição da morte, é afastado de nós, ficam dele, em nossa
 
consciência, seus valores, seus juízos, suas percepções. Perguntas como “O que diria ele sobre isso?” ou “O que faria ele com isso?”
 
passam a nos ocorrer: são perspectivas dele que se fixaram e continuam a agir como um parâmetro vivo e importante. As marcas da
15
amizade não desaparecem com a ausência do amigo, nem se enfraquecem como memórias pálidas: continuam a ser referências
 
para o que fazemos e pensamos.
(CALÓGERAS, Bruno, inédito)
Considere as seguintes afirmações:

I. No primeiro parágrafo, há a sugestão de que a tolerância e a paciência, qualidades positivas mas dispensáveis entre amigos verdadeiros, dão lugar à recompensa da incondicionalidade do afeto.
II. No segundo parágrafo, expressa-se a convicção de que o amigo verdadeiro não apenas releva nossos defeitos como também é capaz de convertê-los em qualidades nossas.
III. No terceiro parágrafo, considera-se que da ausência ocasional ou definitiva do amigo não resulta que seus valores e seus pontos de vista deixem de atuar dentro de nossa consciência.

Em relação ao texto está correto o que se afirma em



Provas de Concursos » Fgv 2017