×
Analista de Sistemas Contador
×

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016

Auxiliar Administrativo

Questão 1

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
1
Como presente de fim de ano, a namorada, entusiasta defensora da ecologia, deu-lhe um
 
celular biodegradável. Explicou que se tratava de um aparelho especial, feito de um plástico que,
 
decompondo-se, não poluiria a natureza. E, detalhe poético, havia ali uma semente de flor que
 
germinaria quando o aparelho fosse jogado à terra.
5
Ele agradeceu muito, disse que se tratava de um presente sensível e de fino gosto. A
 
namorada, contudo, fez uma exigência: ele só poderia usar o celular em chamadas para ela. Para
 
outros tipos de chamadas, profissionais, por exemplo, deveria recorrer a um celular comum. Com
 
o que ele concordou. O aparelho daria testemunho do amor deles, amor que, achava, seria eterno.
 
Estava enganado. Dois meses depois ela ligou, de uma cidade distante. Pelo celular
10
biodegradável ele ouviu a notícia que o deixou arrasado: na viagem, ela conhecera um rapaz,
 
adepto, como ela, da ecologia, e se apaixonara. Você entende, ela explicou, tudo na vida tem de ser
 
reciclado, inclusive o amor. Desejou-lhe felicidades e disse que ele agora poderia usar o celular
 
ecológico para fazer qualquer tipo de ligação, e para qualquer pessoa: o aparelho, para ela, já era
 
coisa do passado.
15
Furioso, ele atirou o celular pela janela da casa. Nunca mais queria ouvir falar daquela coisa.
 
Nunca mais queria ouvir falar da infiel namorada. Era uma página virada de sua vida. Algo que
 
pretendia esquecer e da forma mais completa possível.
 
Na mesma noite foi até um bar próximo de sua casa, um clássico ponto de encontro para
 
solitários. Ali conheceu uma moça; não era bem o seu tipo, mas ele precisava de um novo caso para
20
esquecer o antigo. O que, esperava, não seria difícil.
 
Mas aí aconteceu o imprevisto. No jardim de sua casa brotou uma flor. O que, num primeiro
 
momento, deixou-o intrigado. Só ele cuidava daquele jardim e não se lembrava de ter plantado
 
coisa alguma recentemente. De súbito deu-se conta: era a semente que estava no celular
 
biodegradável. Era o passado que voltava sob a forma de uma flor.
25
Que, curiosamente, tem um perfume parecido com o da antiga namorada. Mais: quando ele
 
está junto à flor e, sempre que ele pode, está junto à flor parece-lhe ouvir a voz dela sussurrando-
 
lhe doces palavras de paixão. E dizendo que tudo na vida pode ser reciclado. Inclusive o amor.
SCLIAR, Moacyr. Histórias que os jornais não contam. Adaptado
Sobre o texto de Moacyr Scliar, é correto afirmar que o autor

Questão 2

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
1
Como presente de fim de ano, a namorada, entusiasta defensora da ecologia, deu-lhe um
 
celular biodegradável. Explicou que se tratava de um aparelho especial, feito de um plástico que,
 
decompondo-se, não poluiria a natureza. E, detalhe poético, havia ali uma semente de flor que
 
germinaria quando o aparelho fosse jogado à terra.
5
Ele agradeceu muito, disse que se tratava de um presente sensível e de fino gosto. A
 
namorada, contudo, fez uma exigência: ele só poderia usar o celular em chamadas para ela. Para
 
outros tipos de chamadas, profissionais, por exemplo, deveria recorrer a um celular comum. Com
 
o que ele concordou. O aparelho daria testemunho do amor deles, amor que, achava, seria eterno.
 
Estava enganado. Dois meses depois ela ligou, de uma cidade distante. Pelo celular
10
biodegradável ele ouviu a notícia que o deixou arrasado: na viagem, ela conhecera um rapaz,
 
adepto, como ela, da ecologia, e se apaixonara. Você entende, ela explicou, tudo na vida tem de ser
 
reciclado, inclusive o amor. Desejou-lhe felicidades e disse que ele agora poderia usar o celular
 
ecológico para fazer qualquer tipo de ligação, e para qualquer pessoa: o aparelho, para ela, já era
 
coisa do passado.
15
Furioso, ele atirou o celular pela janela da casa. Nunca mais queria ouvir falar daquela coisa.
 
Nunca mais queria ouvir falar da infiel namorada. Era uma página virada de sua vida. Algo que
 
pretendia esquecer e da forma mais completa possível.
 
Na mesma noite foi até um bar próximo de sua casa, um clássico ponto de encontro para
 
solitários. Ali conheceu uma moça; não era bem o seu tipo, mas ele precisava de um novo caso para
20
esquecer o antigo. O que, esperava, não seria difícil.
 
Mas aí aconteceu o imprevisto. No jardim de sua casa brotou uma flor. O que, num primeiro
 
momento, deixou-o intrigado. Só ele cuidava daquele jardim e não se lembrava de ter plantado
 
coisa alguma recentemente. De súbito deu-se conta: era a semente que estava no celular
 
biodegradável. Era o passado que voltava sob a forma de uma flor.
25
Que, curiosamente, tem um perfume parecido com o da antiga namorada. Mais: quando ele
 
está junto à flor e, sempre que ele pode, está junto à flor parece-lhe ouvir a voz dela sussurrando-
 
lhe doces palavras de paixão. E dizendo que tudo na vida pode ser reciclado. Inclusive o amor.
SCLIAR, Moacyr. Histórias que os jornais não contam. Adaptado
Considerando a perspectiva assumida pelo narrador, em relação aos fatos narrados, pode-se qualificá-lo como

Questão 3

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
1
Como presente de fim de ano, a namorada, entusiasta defensora da ecologia, deu-lhe um
 
celular biodegradável. Explicou que se tratava de um aparelho especial, feito de um plástico que,
 
decompondo-se, não poluiria a natureza. E, detalhe poético, havia ali uma semente de flor que
 
germinaria quando o aparelho fosse jogado à terra.
5
Ele agradeceu muito, disse que se tratava de um presente sensível e de fino gosto. A
 
namorada, contudo, fez uma exigência: ele só poderia usar o celular em chamadas para ela. Para
 
outros tipos de chamadas, profissionais, por exemplo, deveria recorrer a um celular comum. Com
 
o que ele concordou. O aparelho daria testemunho do amor deles, amor que, achava, seria eterno.
 
Estava enganado. Dois meses depois ela ligou, de uma cidade distante. Pelo celular
10
biodegradável ele ouviu a notícia que o deixou arrasado: na viagem, ela conhecera um rapaz,
 
adepto, como ela, da ecologia, e se apaixonara. Você entende, ela explicou, tudo na vida tem de ser
 
reciclado, inclusive o amor. Desejou-lhe felicidades e disse que ele agora poderia usar o celular
 
ecológico para fazer qualquer tipo de ligação, e para qualquer pessoa: o aparelho, para ela, já era
 
coisa do passado.
15
Furioso, ele atirou o celular pela janela da casa. Nunca mais queria ouvir falar daquela coisa.
 
Nunca mais queria ouvir falar da infiel namorada. Era uma página virada de sua vida. Algo que
 
pretendia esquecer e da forma mais completa possível.
 
Na mesma noite foi até um bar próximo de sua casa, um clássico ponto de encontro para
 
solitários. Ali conheceu uma moça; não era bem o seu tipo, mas ele precisava de um novo caso para
20
esquecer o antigo. O que, esperava, não seria difícil.
 
Mas aí aconteceu o imprevisto. No jardim de sua casa brotou uma flor. O que, num primeiro
 
momento, deixou-o intrigado. Só ele cuidava daquele jardim e não se lembrava de ter plantado
 
coisa alguma recentemente. De súbito deu-se conta: era a semente que estava no celular
 
biodegradável. Era o passado que voltava sob a forma de uma flor.
25
Que, curiosamente, tem um perfume parecido com o da antiga namorada. Mais: quando ele
 
está junto à flor e, sempre que ele pode, está junto à flor parece-lhe ouvir a voz dela sussurrando-
 
lhe doces palavras de paixão. E dizendo que tudo na vida pode ser reciclado. Inclusive o amor.
SCLIAR, Moacyr. Histórias que os jornais não contam. Adaptado
No primeiro parágrafo, foi empregado o termo detalhe poético, que, nesse contexto, refere-se ao seguinte fato:

Questão 4

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
1
Como presente de fim de ano, a namorada, entusiasta defensora da ecologia, deu-lhe um
 
celular biodegradável. Explicou que se tratava de um aparelho especial, feito de um plástico que,
 
decompondo-se, não poluiria a natureza. E, detalhe poético, havia ali uma semente de flor que
 
germinaria quando o aparelho fosse jogado à terra.
5
Ele agradeceu muito, disse que se tratava de um presente sensível e de fino gosto. A
 
namorada, contudo, fez uma exigência: ele só poderia usar o celular em chamadas para ela. Para
 
outros tipos de chamadas, profissionais, por exemplo, deveria recorrer a um celular comum. Com
 
o que ele concordou. O aparelho daria testemunho do amor deles, amor que, achava, seria eterno.
 
Estava enganado. Dois meses depois ela ligou, de uma cidade distante. Pelo celular
10
biodegradável ele ouviu a notícia que o deixou arrasado: na viagem, ela conhecera um rapaz,
 
adepto, como ela, da ecologia, e se apaixonara. Você entende, ela explicou, tudo na vida tem de ser
 
reciclado, inclusive o amor. Desejou-lhe felicidades e disse que ele agora poderia usar o celular
 
ecológico para fazer qualquer tipo de ligação, e para qualquer pessoa: o aparelho, para ela, já era
 
coisa do passado.
15
Furioso, ele atirou o celular pela janela da casa. Nunca mais queria ouvir falar daquela coisa.
 
Nunca mais queria ouvir falar da infiel namorada. Era uma página virada de sua vida. Algo que
 
pretendia esquecer e da forma mais completa possível.
 
Na mesma noite foi até um bar próximo de sua casa, um clássico ponto de encontro para
 
solitários. Ali conheceu uma moça; não era bem o seu tipo, mas ele precisava de um novo caso para
20
esquecer o antigo. O que, esperava, não seria difícil.
 
Mas aí aconteceu o imprevisto. No jardim de sua casa brotou uma flor. O que, num primeiro
 
momento, deixou-o intrigado. Só ele cuidava daquele jardim e não se lembrava de ter plantado
 
coisa alguma recentemente. De súbito deu-se conta: era a semente que estava no celular
 
biodegradável. Era o passado que voltava sob a forma de uma flor.
25
Que, curiosamente, tem um perfume parecido com o da antiga namorada. Mais: quando ele
 
está junto à flor e, sempre que ele pode, está junto à flor parece-lhe ouvir a voz dela sussurrando-
 
lhe doces palavras de paixão. E dizendo que tudo na vida pode ser reciclado. Inclusive o amor.
SCLIAR, Moacyr. Histórias que os jornais não contam. Adaptado
O texto apresenta um casal de namorados cujo comportamento e cujas expectativas, em relação ao amor, são diferentes.

Sendo assim, é possível afirmar que

Questão 5

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
1
Como presente de fim de ano, a namorada, entusiasta defensora da ecologia, deu-lhe um
 
celular biodegradável. Explicou que se tratava de um aparelho especial, feito de um plástico que,
 
decompondo-se, não poluiria a natureza. E, detalhe poético, havia ali uma semente de flor que
 
germinaria quando o aparelho fosse jogado à terra.
5
Ele agradeceu muito, disse que se tratava de um presente sensível e de fino gosto. A
 
namorada, contudo, fez uma exigência: ele só poderia usar o celular em chamadas para ela. Para
 
outros tipos de chamadas, profissionais, por exemplo, deveria recorrer a um celular comum. Com
 
o que ele concordou. O aparelho daria testemunho do amor deles, amor que, achava, seria eterno.
 
Estava enganado. Dois meses depois ela ligou, de uma cidade distante. Pelo celular
10
biodegradável ele ouviu a notícia que o deixou arrasado: na viagem, ela conhecera um rapaz,
 
adepto, como ela, da ecologia, e se apaixonara. Você entende, ela explicou, tudo na vida tem de ser
 
reciclado, inclusive o amor. Desejou-lhe felicidades e disse que ele agora poderia usar o celular
 
ecológico para fazer qualquer tipo de ligação, e para qualquer pessoa: o aparelho, para ela, já era
 
coisa do passado.
15
Furioso, ele atirou o celular pela janela da casa. Nunca mais queria ouvir falar daquela coisa.
 
Nunca mais queria ouvir falar da infiel namorada. Era uma página virada de sua vida. Algo que
 
pretendia esquecer e da forma mais completa possível.
 
Na mesma noite foi até um bar próximo de sua casa, um clássico ponto de encontro para
 
solitários. Ali conheceu uma moça; não era bem o seu tipo, mas ele precisava de um novo caso para
20
esquecer o antigo. O que, esperava, não seria difícil.
 
Mas aí aconteceu o imprevisto. No jardim de sua casa brotou uma flor. O que, num primeiro
 
momento, deixou-o intrigado. Só ele cuidava daquele jardim e não se lembrava de ter plantado
 
coisa alguma recentemente. De súbito deu-se conta: era a semente que estava no celular
 
biodegradável. Era o passado que voltava sob a forma de uma flor.
25
Que, curiosamente, tem um perfume parecido com o da antiga namorada. Mais: quando ele
 
está junto à flor e, sempre que ele pode, está junto à flor parece-lhe ouvir a voz dela sussurrando-
 
lhe doces palavras de paixão. E dizendo que tudo na vida pode ser reciclado. Inclusive o amor.
SCLIAR, Moacyr. Histórias que os jornais não contam. Adaptado
Ao final da história, a reação do rapaz diante do fim do relacionamento amoroso permite ao leitor a seguinte conclusão:

Questão 6

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
1
Como presente de fim de ano, a namorada, entusiasta defensora da ecologia, deu-lhe um
 
celular biodegradável. Explicou que se tratava de um aparelho especial, feito de um plástico que,
 
decompondo-se, não poluiria a natureza. E, detalhe poético, havia ali uma semente de flor que
 
germinaria quando o aparelho fosse jogado à terra.
5
Ele agradeceu muito, disse que se tratava de um presente sensível e de fino gosto. A
 
namorada, contudo, fez uma exigência: ele só poderia usar o celular em chamadas para ela. Para
 
outros tipos de chamadas, profissionais, por exemplo, deveria recorrer a um celular comum. Com
 
o que ele concordou. O aparelho daria testemunho do amor deles, amor que, achava, seria eterno.
 
Estava enganado. Dois meses depois ela ligou, de uma cidade distante. Pelo celular
10
biodegradável ele ouviu a notícia que o deixou arrasado: na viagem, ela conhecera um rapaz,
 
adepto, como ela, da ecologia, e se apaixonara. Você entende, ela explicou, tudo na vida tem de ser
 
reciclado, inclusive o amor. Desejou-lhe felicidades e disse que ele agora poderia usar o celular
 
ecológico para fazer qualquer tipo de ligação, e para qualquer pessoa: o aparelho, para ela, já era
 
coisa do passado.
15
Furioso, ele atirou o celular pela janela da casa. Nunca mais queria ouvir falar daquela coisa.
 
Nunca mais queria ouvir falar da infiel namorada. Era uma página virada de sua vida. Algo que
 
pretendia esquecer e da forma mais completa possível.
 
Na mesma noite foi até um bar próximo de sua casa, um clássico ponto de encontro para
 
solitários. Ali conheceu uma moça; não era bem o seu tipo, mas ele precisava de um novo caso para
20
esquecer o antigo. O que, esperava, não seria difícil.
 
Mas aí aconteceu o imprevisto. No jardim de sua casa brotou uma flor. O que, num primeiro
 
momento, deixou-o intrigado. Só ele cuidava daquele jardim e não se lembrava de ter plantado
 
coisa alguma recentemente. De súbito deu-se conta: era a semente que estava no celular
 
biodegradável. Era o passado que voltava sob a forma de uma flor.
25
Que, curiosamente, tem um perfume parecido com o da antiga namorada. Mais: quando ele
 
está junto à flor e, sempre que ele pode, está junto à flor parece-lhe ouvir a voz dela sussurrando-
 
lhe doces palavras de paixão. E dizendo que tudo na vida pode ser reciclado. Inclusive o amor.
SCLIAR, Moacyr. Histórias que os jornais não contam. Adaptado
No trecho Era uma página virada de sua vida, foi empregada a linguagem conotativa, através da figura de linguagem chamada

Questão 7

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
1
Como presente de fim de ano, a namorada, entusiasta defensora da ecologia, deu-lhe um
 
celular biodegradável. Explicou que se tratava de um aparelho especial, feito de um plástico que,
 
decompondo-se, não poluiria a natureza. E, detalhe poético, havia ali uma semente de flor que
 
germinaria quando o aparelho fosse jogado à terra.
5
Ele agradeceu muito, disse que se tratava de um presente sensível e de fino gosto. A
 
namorada, contudo, fez uma exigência: ele só poderia usar o celular em chamadas para ela. Para
 
outros tipos de chamadas, profissionais, por exemplo, deveria recorrer a um celular comum. Com
 
o que ele concordou. O aparelho daria testemunho do amor deles, amor que, achava, seria eterno.
 
Estava enganado. Dois meses depois ela ligou, de uma cidade distante. Pelo celular
10
biodegradável ele ouviu a notícia que o deixou arrasado: na viagem, ela conhecera um rapaz,
 
adepto, como ela, da ecologia, e se apaixonara. Você entende, ela explicou, tudo na vida tem de ser
 
reciclado, inclusive o amor. Desejou-lhe felicidades e disse que ele agora poderia usar o celular
 
ecológico para fazer qualquer tipo de ligação, e para qualquer pessoa: o aparelho, para ela, já era
 
coisa do passado.
15
Furioso, ele atirou o celular pela janela da casa. Nunca mais queria ouvir falar daquela coisa.
 
Nunca mais queria ouvir falar da infiel namorada. Era uma página virada de sua vida. Algo que
 
pretendia esquecer e da forma mais completa possível.
 
Na mesma noite foi até um bar próximo de sua casa, um clássico ponto de encontro para
 
solitários. Ali conheceu uma moça; não era bem o seu tipo, mas ele precisava de um novo caso para
20
esquecer o antigo. O que, esperava, não seria difícil.
 
Mas aí aconteceu o imprevisto. No jardim de sua casa brotou uma flor. O que, num primeiro
 
momento, deixou-o intrigado. Só ele cuidava daquele jardim e não se lembrava de ter plantado
 
coisa alguma recentemente. De súbito deu-se conta: era a semente que estava no celular
 
biodegradável. Era o passado que voltava sob a forma de uma flor.
25
Que, curiosamente, tem um perfume parecido com o da antiga namorada. Mais: quando ele
 
está junto à flor e, sempre que ele pode, está junto à flor parece-lhe ouvir a voz dela sussurrando-
 
lhe doces palavras de paixão. E dizendo que tudo na vida pode ser reciclado. Inclusive o amor.
SCLIAR, Moacyr. Histórias que os jornais não contam. Adaptado
Na frase “Masaconteceu o imprevisto”, as palavras sublinhadas poderiam ser substituídas, sem alteração de sentido, respectivamente, por

Questão 8

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
1
Como presente de fim de ano, a namorada, entusiasta defensora da ecologia, deu-lhe um
 
celular biodegradável. Explicou que se tratava de um aparelho especial, feito de um plástico que,
 
decompondo-se, não poluiria a natureza. E, detalhe poético, havia ali uma semente de flor que
 
germinaria quando o aparelho fosse jogado à terra.
5
Ele agradeceu muito, disse que se tratava de um presente sensível e de fino gosto. A
 
namorada, contudo, fez uma exigência: ele só poderia usar o celular em chamadas para ela. Para
 
outros tipos de chamadas, profissionais, por exemplo, deveria recorrer a um celular comum. Com
 
o que ele concordou. O aparelho daria testemunho do amor deles, amor que, achava, seria eterno.
 
Estava enganado. Dois meses depois ela ligou, de uma cidade distante. Pelo celular
10
biodegradável ele ouviu a notícia que o deixou arrasado: na viagem, ela conhecera um rapaz,
 
adepto, como ela, da ecologia, e se apaixonara. Você entende, ela explicou, tudo na vida tem de ser
 
reciclado, inclusive o amor. Desejou-lhe felicidades e disse que ele agora poderia usar o celular
 
ecológico para fazer qualquer tipo de ligação, e para qualquer pessoa: o aparelho, para ela, já era
 
coisa do passado.
15
Furioso, ele atirou o celular pela janela da casa. Nunca mais queria ouvir falar daquela coisa.
 
Nunca mais queria ouvir falar da infiel namorada. Era uma página virada de sua vida. Algo que
 
pretendia esquecer e da forma mais completa possível.
 
Na mesma noite foi até um bar próximo de sua casa, um clássico ponto de encontro para
 
solitários. Ali conheceu uma moça; não era bem o seu tipo, mas ele precisava de um novo caso para
20
esquecer o antigo. O que, esperava, não seria difícil.
 
Mas aí aconteceu o imprevisto. No jardim de sua casa brotou uma flor. O que, num primeiro
 
momento, deixou-o intrigado. Só ele cuidava daquele jardim e não se lembrava de ter plantado
 
coisa alguma recentemente. De súbito deu-se conta: era a semente que estava no celular
 
biodegradável. Era o passado que voltava sob a forma de uma flor.
25
Que, curiosamente, tem um perfume parecido com o da antiga namorada. Mais: quando ele
 
está junto à flor e, sempre que ele pode, está junto à flor parece-lhe ouvir a voz dela sussurrando-
 
lhe doces palavras de paixão. E dizendo que tudo na vida pode ser reciclado. Inclusive o amor.
SCLIAR, Moacyr. Histórias que os jornais não contam. Adaptado
Considerando os períodos a seguir, o único cuja mudança de ordem dos termos provocou alterações sintáticas e semânticas, em relação aos demais, é o seguinte:

Questão 9

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
1
Como presente de fim de ano, a namorada, entusiasta defensora da ecologia, deu-lhe um
 
celular biodegradável. Explicou que se tratava de um aparelho especial, feito de um plástico que,
 
decompondo-se, não poluiria a natureza. E, detalhe poético, havia ali uma semente de flor que
 
germinaria quando o aparelho fosse jogado à terra.
5
Ele agradeceu muito, disse que se tratava de um presente sensível e de fino gosto. A
 
namorada, contudo, fez uma exigência: ele só poderia usar o celular em chamadas para ela. Para
 
outros tipos de chamadas, profissionais, por exemplo, deveria recorrer a um celular comum. Com
 
o que ele concordou. O aparelho daria testemunho do amor deles, amor que, achava, seria eterno.
 
Estava enganado. Dois meses depois ela ligou, de uma cidade distante. Pelo celular
10
biodegradável ele ouviu a notícia que o deixou arrasado: na viagem, ela conhecera um rapaz,
 
adepto, como ela, da ecologia, e se apaixonara. Você entende, ela explicou, tudo na vida tem de ser
 
reciclado, inclusive o amor. Desejou-lhe felicidades e disse que ele agora poderia usar o celular
 
ecológico para fazer qualquer tipo de ligação, e para qualquer pessoa: o aparelho, para ela, já era
 
coisa do passado.
15
Furioso, ele atirou o celular pela janela da casa. Nunca mais queria ouvir falar daquela coisa.
 
Nunca mais queria ouvir falar da infiel namorada. Era uma página virada de sua vida. Algo que
 
pretendia esquecer e da forma mais completa possível.
 
Na mesma noite foi até um bar próximo de sua casa, um clássico ponto de encontro para
 
solitários. Ali conheceu uma moça; não era bem o seu tipo, mas ele precisava de um novo caso para
20
esquecer o antigo. O que, esperava, não seria difícil.
 
Mas aí aconteceu o imprevisto. No jardim de sua casa brotou uma flor. O que, num primeiro
 
momento, deixou-o intrigado. Só ele cuidava daquele jardim e não se lembrava de ter plantado
 
coisa alguma recentemente. De súbito deu-se conta: era a semente que estava no celular
 
biodegradável. Era o passado que voltava sob a forma de uma flor.
25
Que, curiosamente, tem um perfume parecido com o da antiga namorada. Mais: quando ele
 
está junto à flor e, sempre que ele pode, está junto à flor parece-lhe ouvir a voz dela sussurrando-
 
lhe doces palavras de paixão. E dizendo que tudo na vida pode ser reciclado. Inclusive o amor.
SCLIAR, Moacyr. Histórias que os jornais não contam. Adaptado
Ele agradeceu muito, disse que se tratava de um presente sensível e de fino gosto. A namorada, contudo, fez uma exigência: ele só poderia usar o celular em chamadas para ela.[...]

Nesse trecho em destaque, a conjunção sublinhada apresenta o valor semântico de

Questão 10

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
1
Como presente de fim de ano, a namorada, entusiasta defensora da ecologia, deu-lhe um
 
celular biodegradável. Explicou que se tratava de um aparelho especial, feito de um plástico que,
 
decompondo-se, não poluiria a natureza. E, detalhe poético, havia ali uma semente de flor que
 
germinaria quando o aparelho fosse jogado à terra.
5
Ele agradeceu muito, disse que se tratava de um presente sensível e de fino gosto. A
 
namorada, contudo, fez uma exigência: ele só poderia usar o celular em chamadas para ela. Para
 
outros tipos de chamadas, profissionais, por exemplo, deveria recorrer a um celular comum. Com
 
o que ele concordou. O aparelho daria testemunho do amor deles, amor que, achava, seria eterno.
 
Estava enganado. Dois meses depois ela ligou, de uma cidade distante. Pelo celular
10
biodegradável ele ouviu a notícia que o deixou arrasado: na viagem, ela conhecera um rapaz,
 
adepto, como ela, da ecologia, e se apaixonara. Você entende, ela explicou, tudo na vida tem de ser
 
reciclado, inclusive o amor. Desejou-lhe felicidades e disse que ele agora poderia usar o celular
 
ecológico para fazer qualquer tipo de ligação, e para qualquer pessoa: o aparelho, para ela, já era
 
coisa do passado.
15
Furioso, ele atirou o celular pela janela da casa. Nunca mais queria ouvir falar daquela coisa.
 
Nunca mais queria ouvir falar da infiel namorada. Era uma página virada de sua vida. Algo que
 
pretendia esquecer e da forma mais completa possível.
 
Na mesma noite foi até um bar próximo de sua casa, um clássico ponto de encontro para
 
solitários. Ali conheceu uma moça; não era bem o seu tipo, mas ele precisava de um novo caso para
20
esquecer o antigo. O que, esperava, não seria difícil.
 
Mas aí aconteceu o imprevisto. No jardim de sua casa brotou uma flor. O que, num primeiro
 
momento, deixou-o intrigado. Só ele cuidava daquele jardim e não se lembrava de ter plantado
 
coisa alguma recentemente. De súbito deu-se conta: era a semente que estava no celular
 
biodegradável. Era o passado que voltava sob a forma de uma flor.
25
Que, curiosamente, tem um perfume parecido com o da antiga namorada. Mais: quando ele
 
está junto à flor e, sempre que ele pode, está junto à flor parece-lhe ouvir a voz dela sussurrando-
 
lhe doces palavras de paixão. E dizendo que tudo na vida pode ser reciclado. Inclusive o amor.
SCLIAR, Moacyr. Histórias que os jornais não contam. Adaptado
No período Ele agradeceu muito, disse que se tratava de um presente sensível e de fino gosto [...], a vírgula substituiu o conectivo

Questão 11

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
1
Como presente de fim de ano, a namorada, entusiasta defensora da ecologia, deu-lhe um
 
celular biodegradável. Explicou que se tratava de um aparelho especial, feito de um plástico que,
 
decompondo-se, não poluiria a natureza. E, detalhe poético, havia ali uma semente de flor que
 
germinaria quando o aparelho fosse jogado à terra.
5
Ele agradeceu muito, disse que se tratava de um presente sensível e de fino gosto. A
 
namorada, contudo, fez uma exigência: ele só poderia usar o celular em chamadas para ela. Para
 
outros tipos de chamadas, profissionais, por exemplo, deveria recorrer a um celular comum. Com
 
o que ele concordou. O aparelho daria testemunho do amor deles, amor que, achava, seria eterno.
 
Estava enganado. Dois meses depois ela ligou, de uma cidade distante. Pelo celular
10
biodegradável ele ouviu a notícia que o deixou arrasado: na viagem, ela conhecera um rapaz,
 
adepto, como ela, da ecologia, e se apaixonara. Você entende, ela explicou, tudo na vida tem de ser
 
reciclado, inclusive o amor. Desejou-lhe felicidades e disse que ele agora poderia usar o celular
 
ecológico para fazer qualquer tipo de ligação, e para qualquer pessoa: o aparelho, para ela, já era
 
coisa do passado.
15
Furioso, ele atirou o celular pela janela da casa. Nunca mais queria ouvir falar daquela coisa.
 
Nunca mais queria ouvir falar da infiel namorada. Era uma página virada de sua vida. Algo que
 
pretendia esquecer e da forma mais completa possível.
 
Na mesma noite foi até um bar próximo de sua casa, um clássico ponto de encontro para
 
solitários. Ali conheceu uma moça; não era bem o seu tipo, mas ele precisava de um novo caso para
20
esquecer o antigo. O que, esperava, não seria difícil.
 
Mas aí aconteceu o imprevisto. No jardim de sua casa brotou uma flor. O que, num primeiro
 
momento, deixou-o intrigado. Só ele cuidava daquele jardim e não se lembrava de ter plantado
 
coisa alguma recentemente. De súbito deu-se conta: era a semente que estava no celular
 
biodegradável. Era o passado que voltava sob a forma de uma flor.
25
Que, curiosamente, tem um perfume parecido com o da antiga namorada. Mais: quando ele
 
está junto à flor e, sempre que ele pode, está junto à flor parece-lhe ouvir a voz dela sussurrando-
 
lhe doces palavras de paixão. E dizendo que tudo na vida pode ser reciclado. Inclusive o amor.
SCLIAR, Moacyr. Histórias que os jornais não contam. Adaptado
[...] curiosamente, tem um perfume parecido com o da antiga namorada.

A palavra destacada formou-se através do mesmo processo que a palavra

Questão 12

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
1
Como presente de fim de ano, a namorada, entusiasta defensora da ecologia, deu-lhe um
 
celular biodegradável. Explicou que se tratava de um aparelho especial, feito de um plástico que,
 
decompondo-se, não poluiria a natureza. E, detalhe poético, havia ali uma semente de flor que
 
germinaria quando o aparelho fosse jogado à terra.
5
Ele agradeceu muito, disse que se tratava de um presente sensível e de fino gosto. A
 
namorada, contudo, fez uma exigência: ele só poderia usar o celular em chamadas para ela. Para
 
outros tipos de chamadas, profissionais, por exemplo, deveria recorrer a um celular comum. Com
 
o que ele concordou. O aparelho daria testemunho do amor deles, amor que, achava, seria eterno.
 
Estava enganado. Dois meses depois ela ligou, de uma cidade distante. Pelo celular
10
biodegradável ele ouviu a notícia que o deixou arrasado: na viagem, ela conhecera um rapaz,
 
adepto, como ela, da ecologia, e se apaixonara. Você entende, ela explicou, tudo na vida tem de ser
 
reciclado, inclusive o amor. Desejou-lhe felicidades e disse que ele agora poderia usar o celular
 
ecológico para fazer qualquer tipo de ligação, e para qualquer pessoa: o aparelho, para ela, já era
 
coisa do passado.
15
Furioso, ele atirou o celular pela janela da casa. Nunca mais queria ouvir falar daquela coisa.
 
Nunca mais queria ouvir falar da infiel namorada. Era uma página virada de sua vida. Algo que
 
pretendia esquecer e da forma mais completa possível.
 
Na mesma noite foi até um bar próximo de sua casa, um clássico ponto de encontro para
 
solitários. Ali conheceu uma moça; não era bem o seu tipo, mas ele precisava de um novo caso para
20
esquecer o antigo. O que, esperava, não seria difícil.
 
Mas aí aconteceu o imprevisto. No jardim de sua casa brotou uma flor. O que, num primeiro
 
momento, deixou-o intrigado. Só ele cuidava daquele jardim e não se lembrava de ter plantado
 
coisa alguma recentemente. De súbito deu-se conta: era a semente que estava no celular
 
biodegradável. Era o passado que voltava sob a forma de uma flor.
25
Que, curiosamente, tem um perfume parecido com o da antiga namorada. Mais: quando ele
 
está junto à flor e, sempre que ele pode, está junto à flor parece-lhe ouvir a voz dela sussurrando-
 
lhe doces palavras de paixão. E dizendo que tudo na vida pode ser reciclado. Inclusive o amor.
SCLIAR, Moacyr. Histórias que os jornais não contam. Adaptado
Dois meses depois ela ligou, de uma cidade distante.[...]

Os termos destacados exercem, respectivamente, as seguintes funções:

Questão 13

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
1
Como presente de fim de ano, a namorada, entusiasta defensora da ecologia, deu-lhe um
 
celular biodegradável. Explicou que se tratava de um aparelho especial, feito de um plástico que,
 
decompondo-se, não poluiria a natureza. E, detalhe poético, havia ali uma semente de flor que
 
germinaria quando o aparelho fosse jogado à terra.
5
Ele agradeceu muito, disse que se tratava de um presente sensível e de fino gosto. A
 
namorada, contudo, fez uma exigência: ele só poderia usar o celular em chamadas para ela. Para
 
outros tipos de chamadas, profissionais, por exemplo, deveria recorrer a um celular comum. Com
 
o que ele concordou. O aparelho daria testemunho do amor deles, amor que, achava, seria eterno.
 
Estava enganado. Dois meses depois ela ligou, de uma cidade distante. Pelo celular
10
biodegradável ele ouviu a notícia que o deixou arrasado: na viagem, ela conhecera um rapaz,
 
adepto, como ela, da ecologia, e se apaixonara. Você entende, ela explicou, tudo na vida tem de ser
 
reciclado, inclusive o amor. Desejou-lhe felicidades e disse que ele agora poderia usar o celular
 
ecológico para fazer qualquer tipo de ligação, e para qualquer pessoa: o aparelho, para ela, já era
 
coisa do passado.
15
Furioso, ele atirou o celular pela janela da casa. Nunca mais queria ouvir falar daquela coisa.
 
Nunca mais queria ouvir falar da infiel namorada. Era uma página virada de sua vida. Algo que
 
pretendia esquecer e da forma mais completa possível.
 
Na mesma noite foi até um bar próximo de sua casa, um clássico ponto de encontro para
 
solitários. Ali conheceu uma moça; não era bem o seu tipo, mas ele precisava de um novo caso para
20
esquecer o antigo. O que, esperava, não seria difícil.
 
Mas aí aconteceu o imprevisto. No jardim de sua casa brotou uma flor. O que, num primeiro
 
momento, deixou-o intrigado. Só ele cuidava daquele jardim e não se lembrava de ter plantado
 
coisa alguma recentemente. De súbito deu-se conta: era a semente que estava no celular
 
biodegradável. Era o passado que voltava sob a forma de uma flor.
25
Que, curiosamente, tem um perfume parecido com o da antiga namorada. Mais: quando ele
 
está junto à flor e, sempre que ele pode, está junto à flor parece-lhe ouvir a voz dela sussurrando-
 
lhe doces palavras de paixão. E dizendo que tudo na vida pode ser reciclado. Inclusive o amor.
SCLIAR, Moacyr. Histórias que os jornais não contam. Adaptado
Em Nunca mais queria ouvir falar da infiel namorada. Era uma página virada de sua vida.[...], analise os verbos destacados nesse trecho, e assinale a afirmativa correta.

Questão 14

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
1
Observando as falas dos personagens nessa tirinha, pode-se concluir que

Questão 15

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
1
A resposta dada pelo dono do estabelecimento ao cliente revela que esse comerciante

Questão 16

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
Numa determinada sala de cinema, existem 23 filas, ordenadas de A até Z, e cada uma delas tem 30 cadeiras, numeradas de 1 a 30.

Assim, um casal que deseje ocupar cadeiras mais ao centro dessa sala, deverá comprar os seguintes lugares:

Questão 17

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
Uma vaga de emprego está sendo oferecida para quem tem habilitação e não está cursando nível superior no turno da noite. Suzana foi tentar a referida vaga e não conseguiu.

Podemos afirmar com absoluta certeza que Suzana

Questão 18

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
Um funcionário recebe atualmente um salário mensal de R$ 1.500,00. No próximo mês, seu salário passará a ser de R$ 1.800,00.

Portanto, o reajuste desse salário, em percentual, foi igual a

Questão 19

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
O número mínimo de azulejos retangulares, cujas medidas são 30 cm x 20 cm, necessário para revestir uma parede que mede 4 metros de largura e 3 metros de altura, é

Questão 20

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
Considere esta afirmativa – Se dirigir então não beba.

Então, a alternativa que descreve uma afirmativa equivalente à lida é

Questão 21

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
Numa determinada sala de cinema, existem 15 fileiras, ordenadas de A a P, com 21 cadeiras cada, numeradas de 1 a 21.

Logo, a cadeira que fica mais próxima do centro dessas acomodações é a

Questão 22

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
Para que esta sequência ( 3, 17, 31, 43, 45, 59) tenha um padrão definido, deve ser retirado o número

Questão 23

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
O Estacionamento de um Shopping cobra de cada carro, R$ 7,00 por uma hora de utilização, mais R$ 4,00 por hora ou fração excedida. Cláudio estacionou seu carro às 09h e pagou, na retirada do seu veículo, o valor de R$ 27,00.

A possibilidade de horário em que Cláudio saiu do estacionamento é a seguinte:

Questão 24

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
A Câmara Municipal de Nova Iguaçu possui atualmente 29 cadeiras para vereadores.

Se, hipoteticamente, a Câmara fosse dividida em 5 comissões, compostas por 5 ou 7 vereadores, de forma que um vereador não pudesse participar de mais de uma comissão e todos tivessem que participar, o número de comissões com 5 vereadores seria de

Questão 25

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
O valor numérico da seguinte expressão 0,25+ 0,5 + 1,0 é

Questão 26

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
São formas de provimentos de cargos públicos, de acordo com o Estatuto dos Funcionários do Município de Nova Iguaçu (Lei nº 2378 de 29 de dezembro de 1992), EXCETO a

Questão 27

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
De acordo com o Estatuto dos Funcionários do Município de Nova Iguaçu (Lei nº 2378 de 29 de dezembro de 1992), poderá ser concedida licença ao funcionário por motivo de doença do cônjuge ou companheiro, ascendente, descendente e colateral consanguíneo ou afim até o segundo grau civil, mediante comprovação por junta médica oficial.

Portanto, é CORRETO afirmar que a licença será concedida até 90 (noventa) dias, podendo ser prorrogada por até 90 (noventa) dias, mediante parecer de junta médica, sem

Questão 28

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
Na forma do Estatuto dos Funcionários do Município de Nova Iguaçu (Lei nº 2378 de 29 de dezembro de 1992), é CORRETO afirmar que o funcionário, fará jus, a título de prêmio por assiduidade, com remuneração integral, a

Questão 29

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
O Estatuto dos Funcionários do Município de Nova Iguaçu (Lei nº 2378 de 29 de dezembro de 1992) define os deveres do funcionário, sendo INCORRETO o seguinte:

Questão 30

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
De acordo com o Estatuto dos Funcionários do Município de Nova Iguaçu (Lei nº 2378 de 29 de dezembro de 1992), a alternativa que contempla, corretamente, as penalidades disciplinares aplicáveis aos funcionários é

Questão 31

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
De acordo com o seu Regimento Interno, é CORRETO afirmar que a Câmara Municipal de Nova Iguaçu

Questão 32

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
Sempre que o Presidente da Câmara Municipal tiver que se ausentar por um prazo maior que 15 (quinze) dias, o Regimento Interno prevê que o Presidente passará o exercício da Presidência ao

Questão 33

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
Compete à Comissão de Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia, conforme previsto no Regimento Interno da Câmara Municipal de Nova Iguaçu,

Questão 34

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
Assinale a alternativa correta sobre as Reuniões das Comissões, conforme prevê o Regimento Interno da Câmara Municipal de Nova Iguaçu.

Questão 35

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
De acordo com o Regimento Interno da Câmara Municipal de Nova Iguaçu, é INCORRETO afirmar que o relatório final emitido pela Comissão Parlamentar de Inquérito deve apresentar a

Questão 36

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
A Câmara somente poderá ser convocada, extraordinariamente, pelo Prefeito, quando houver matéria de interesse público relevante e urgente a deliberar ou pelo Presidente da Câmara para apreciação do ato do Prefeito que importe em infração político-administrativa.

Portanto, de acordo com o Regimento Interno da Câmara Municipal de Nova Iguaçu, é CORRETO afirmar que

Questão 37

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
Em casos excepcionais, segundo o seu regimento, a Câmara Municipal de Nova Iguaçu poderá realizar sessões secretas.

Para isso, e quando ocorrer motivo relevante de preservação do decoro parlamentar ou nos casos previstos expressamente em Regimento, através de requerimento escrito, é necessário, o seguinte quórum mínimo de seus membros:

Questão 38

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
Conforme o Regimento Interno da Câmara Municipal de Nova Iguaçu, as seções, destinadas a solenidades cívicas e oficiais, serão convocadas pelo Presidente ou por deliberação da Câmara, mediante requerimento aprovado por

Questão 39

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
De acordo com o Regimento Interno da Câmara Municipal de Nova Iguaçu, as proposições iniciadas por Vereador ou pelo Prefeito serão apresentadas e protocolizadas pelo seu autor

Questão 40

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
Conforme o Regimento Interno da Câmara Municipal de Nova Iguaçu, a proposta de Emenda à Lei Orgânica será submetida a

Questão 41

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
No sistema operacional Windows, arquivos com extensão .doc são associados a aplicativos do tipo

Questão 42

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
Um usuário utilizando o MS Excel deseja inserir uma função para executar a operação A1 + A2 (sendo que A1 e A2 são células da planilha).

A função a ser usada é a

Questão 43

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
Um usuário necessita utilizar um aplicativo de rede social na internet.

Um aplicativo para esse caso é o

Questão 44

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
O aplicativo que funciona na internet como uma rede social e servidor para blog, que permite enviar e receber atualizações pessoais de outros contatos é o

Questão 45

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
No MS Word, o símbolo está associado à funcionalidade de

Questão 46

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
Um aplicativo que pode acessar e trabalhar com planilhas é o

Questão 47

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
Um tipo de software malicioso, que invade o computador para colocar anúncios indesejados no momento em que estamos navegando na Internet, é assim denominado.

Questão 48

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
Um exemplo de navegador utilizado para acessar sites na Internet é o

Questão 49

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
O principal gerenciador de arquivos do MS Windows é conhecido como

Questão 50

Câmara de Nova Iguaçu/RJ 2016 - FUNRIO - Auxiliar Administrativo
A ação de gerar cópias de segurança dos arquivos de um computador é conhecida como



Provas de Concursos » Funrio 2016