×
Auxiliar Administrativo
×

Pref. Paraopeba/MG 2012

Agente Administrativo

Questão 1

Pref. Paraopeba/MG 2012 - IDECAN - Agente Administrativo
1
Nosso pai era homem cumpridor, ordeiro, positivo; e sido assim desde mocinho e menino, pelo que
 
testemunharam as diversas pessoas sensatas, quando indaguei a informação. Do que eu mesmo me alembro, ele
 
não figurava mais estúrdio nem mais triste do que os outros, conhecidos nossos. Só quieto. Nossa mãe era quem
 
regia, e que ralhava no diário com a gente – minha irmã, meu irmão e eu. Mas se deu que, certo dia, nosso pai
5
mandou fazer para si uma canoa.
 
Era a sério. Encomendou a canoa especial, de pau de vinhático, pequena, mal com a tabuinha da popa,
 
como para caber justo o remador. Mas teve de ser toda fabricada, escolhida forte e arquejada em rijo, própria
 
para dever durar na água por uns vinte ou trinta anos. Nossa mãe jurou muito contra a ideia. Seria que, ele, que
 
nessas artes não vadiava, se ia propor agora para pescarias e caçadas? Nosso pai nada não dizia. Nossa casa, no
10
tempo, ainda era mais próxima do rio, obra de nem quarto de légua: o rio por aí se estendendo grande, fundo,
 
calado que sempre. Largo, de não se poder ver a forma de outra beira. E esquecer não posso, do dia em que a
 
canoa ficou pronta.
 
Sem alegria nem cuidado, nosso pai encalcou o chapéu e decidiu um adeus para a gente. Nem falou outras
 
palavras, não pegou matula e trouxa, não fez nenhuma recomendação. Nossa mãe, a gente achou que ela ia
15
esbravejar, mas persistiu somente alva de pálida, mascou o beiço e bramou: “– Cê vai, ocê fique, você nunca
 
volte!” Nosso pai suspendeu a resposta. Espiou manso para mim, me acenando de vir também, por uns passos.
 
Temi a ira de nossa mãe, mas obedeci, de vez de jeito.
 
O rumo daquilo me animava, chega que um propósito perguntei: “– Pai, o senhor me leva junto, nessa sua
 
canoa?” Ele só retornou o olhar em mim, e me botou a bênção, com gesto me mandando para trás. Fiz que vim,
20
mas ainda virei, na grota do mato, para saber. Nosso pai entrou na canoa e desamarrou, pelo remar. E a canoa
 
saiu se indo – a sombra dela por igual, feito um jacaré, comprida e longa.
(Rosa, Guimarães, J. Ficção Completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1994, p. 49)
De acordo com as ideias do texto, analise as afirmativas.

I. A canoa encomendada é própria para durar por uns vinte ou trinta anos.

II. O dia que a canoa ficou pronta foi inesquecível.

III. O pai regia sempre e a mãe era quieta.

IV. A casa ficava bem próxima do rio.

Estão corretas apenas as afirmativas

Questão 2

Pref. Paraopeba/MG 2012 - IDECAN - Agente Administrativo
1
Nosso pai era homem cumpridor, ordeiro, positivo; e sido assim desde mocinho e menino, pelo que
 
testemunharam as diversas pessoas sensatas, quando indaguei a informação. Do que eu mesmo me alembro, ele
 
não figurava mais estúrdio nem mais triste do que os outros, conhecidos nossos. Só quieto. Nossa mãe era quem
 
regia, e que ralhava no diário com a gente – minha irmã, meu irmão e eu. Mas se deu que, certo dia, nosso pai
5
mandou fazer para si uma canoa.
 
Era a sério. Encomendou a canoa especial, de pau de vinhático, pequena, mal com a tabuinha da popa,
 
como para caber justo o remador. Mas teve de ser toda fabricada, escolhida forte e arquejada em rijo, própria
 
para dever durar na água por uns vinte ou trinta anos. Nossa mãe jurou muito contra a ideia. Seria que, ele, que
 
nessas artes não vadiava, se ia propor agora para pescarias e caçadas? Nosso pai nada não dizia. Nossa casa, no
10
tempo, ainda era mais próxima do rio, obra de nem quarto de légua: o rio por aí se estendendo grande, fundo,
 
calado que sempre. Largo, de não se poder ver a forma de outra beira. E esquecer não posso, do dia em que a
 
canoa ficou pronta.
 
Sem alegria nem cuidado, nosso pai encalcou o chapéu e decidiu um adeus para a gente. Nem falou outras
 
palavras, não pegou matula e trouxa, não fez nenhuma recomendação. Nossa mãe, a gente achou que ela ia
15
esbravejar, mas persistiu somente alva de pálida, mascou o beiço e bramou: “– Cê vai, ocê fique, você nunca
 
volte!” Nosso pai suspendeu a resposta. Espiou manso para mim, me acenando de vir também, por uns passos.
 
Temi a ira de nossa mãe, mas obedeci, de vez de jeito.
 
O rumo daquilo me animava, chega que um propósito perguntei: “– Pai, o senhor me leva junto, nessa sua
 
canoa?” Ele só retornou o olhar em mim, e me botou a bênção, com gesto me mandando para trás. Fiz que vim,
20
mas ainda virei, na grota do mato, para saber. Nosso pai entrou na canoa e desamarrou, pelo remar. E a canoa
 
saiu se indo – a sombra dela por igual, feito um jacaré, comprida e longa.
(Rosa, Guimarães, J. Ficção Completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1994, p. 49)
“Sem alegria nem cuidado, nosso pai encalcou o chapéu e decidiu um adeus para a gente.” A palavra destacada significa

Questão 3

Pref. Paraopeba/MG 2012 - IDECAN - Agente Administrativo
1
Nosso pai era homem cumpridor, ordeiro, positivo; e sido assim desde mocinho e menino, pelo que
 
testemunharam as diversas pessoas sensatas, quando indaguei a informação. Do que eu mesmo me alembro, ele
 
não figurava mais estúrdio nem mais triste do que os outros, conhecidos nossos. Só quieto. Nossa mãe era quem
 
regia, e que ralhava no diário com a gente – minha irmã, meu irmão e eu. Mas se deu que, certo dia, nosso pai
5
mandou fazer para si uma canoa.
 
Era a sério. Encomendou a canoa especial, de pau de vinhático, pequena, mal com a tabuinha da popa,
 
como para caber justo o remador. Mas teve de ser toda fabricada, escolhida forte e arquejada em rijo, própria
 
para dever durar na água por uns vinte ou trinta anos. Nossa mãe jurou muito contra a ideia. Seria que, ele, que
 
nessas artes não vadiava, se ia propor agora para pescarias e caçadas? Nosso pai nada não dizia. Nossa casa, no
10
tempo, ainda era mais próxima do rio, obra de nem quarto de légua: o rio por aí se estendendo grande, fundo,
 
calado que sempre. Largo, de não se poder ver a forma de outra beira. E esquecer não posso, do dia em que a
 
canoa ficou pronta.
 
Sem alegria nem cuidado, nosso pai encalcou o chapéu e decidiu um adeus para a gente. Nem falou outras
 
palavras, não pegou matula e trouxa, não fez nenhuma recomendação. Nossa mãe, a gente achou que ela ia
15
esbravejar, mas persistiu somente alva de pálida, mascou o beiço e bramou: “– Cê vai, ocê fique, você nunca
 
volte!” Nosso pai suspendeu a resposta. Espiou manso para mim, me acenando de vir também, por uns passos.
 
Temi a ira de nossa mãe, mas obedeci, de vez de jeito.
 
O rumo daquilo me animava, chega que um propósito perguntei: “– Pai, o senhor me leva junto, nessa sua
 
canoa?” Ele só retornou o olhar em mim, e me botou a bênção, com gesto me mandando para trás. Fiz que vim,
20
mas ainda virei, na grota do mato, para saber. Nosso pai entrou na canoa e desamarrou, pelo remar. E a canoa
 
saiu se indo – a sombra dela por igual, feito um jacaré, comprida e longa.
(Rosa, Guimarães, J. Ficção Completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1994, p. 49)
“Fiz que vim, mas ainda virei, na grota do mato, para saber.” A palavra destacada exprime circunstância de

Questão 4

Pref. Paraopeba/MG 2012 - IDECAN - Agente Administrativo
1
Nosso pai era homem cumpridor, ordeiro, positivo; e sido assim desde mocinho e menino, pelo que
 
testemunharam as diversas pessoas sensatas, quando indaguei a informação. Do que eu mesmo me alembro, ele
 
não figurava mais estúrdio nem mais triste do que os outros, conhecidos nossos. Só quieto. Nossa mãe era quem
 
regia, e que ralhava no diário com a gente – minha irmã, meu irmão e eu. Mas se deu que, certo dia, nosso pai
5
mandou fazer para si uma canoa.
 
Era a sério. Encomendou a canoa especial, de pau de vinhático, pequena, mal com a tabuinha da popa,
 
como para caber justo o remador. Mas teve de ser toda fabricada, escolhida forte e arquejada em rijo, própria
 
para dever durar na água por uns vinte ou trinta anos. Nossa mãe jurou muito contra a ideia. Seria que, ele, que
 
nessas artes não vadiava, se ia propor agora para pescarias e caçadas? Nosso pai nada não dizia. Nossa casa, no
10
tempo, ainda era mais próxima do rio, obra de nem quarto de légua: o rio por aí se estendendo grande, fundo,
 
calado que sempre. Largo, de não se poder ver a forma de outra beira. E esquecer não posso, do dia em que a
 
canoa ficou pronta.
 
Sem alegria nem cuidado, nosso pai encalcou o chapéu e decidiu um adeus para a gente. Nem falou outras
 
palavras, não pegou matula e trouxa, não fez nenhuma recomendação. Nossa mãe, a gente achou que ela ia
15
esbravejar, mas persistiu somente alva de pálida, mascou o beiço e bramou: “– Cê vai, ocê fique, você nunca
 
volte!” Nosso pai suspendeu a resposta. Espiou manso para mim, me acenando de vir também, por uns passos.
 
Temi a ira de nossa mãe, mas obedeci, de vez de jeito.
 
O rumo daquilo me animava, chega que um propósito perguntei: “– Pai, o senhor me leva junto, nessa sua
 
canoa?” Ele só retornou o olhar em mim, e me botou a bênção, com gesto me mandando para trás. Fiz que vim,
20
mas ainda virei, na grota do mato, para saber. Nosso pai entrou na canoa e desamarrou, pelo remar. E a canoa
 
saiu se indo – a sombra dela por igual, feito um jacaré, comprida e longa.
(Rosa, Guimarães, J. Ficção Completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1994, p. 49)
Em “Nem falou outras palavras, não pegou matula e trouxa, não fez nenhuma recomendação.”, as vírgulas foram utilizadas para

Questão 5

Pref. Paraopeba/MG 2012 - IDECAN - Agente Administrativo
1
Nosso pai era homem cumpridor, ordeiro, positivo; e sido assim desde mocinho e menino, pelo que
 
testemunharam as diversas pessoas sensatas, quando indaguei a informação. Do que eu mesmo me alembro, ele
 
não figurava mais estúrdio nem mais triste do que os outros, conhecidos nossos. Só quieto. Nossa mãe era quem
 
regia, e que ralhava no diário com a gente – minha irmã, meu irmão e eu. Mas se deu que, certo dia, nosso pai
5
mandou fazer para si uma canoa.
 
Era a sério. Encomendou a canoa especial, de pau de vinhático, pequena, mal com a tabuinha da popa,
 
como para caber justo o remador. Mas teve de ser toda fabricada, escolhida forte e arquejada em rijo, própria
 
para dever durar na água por uns vinte ou trinta anos. Nossa mãe jurou muito contra a ideia. Seria que, ele, que
 
nessas artes não vadiava, se ia propor agora para pescarias e caçadas? Nosso pai nada não dizia. Nossa casa, no
10
tempo, ainda era mais próxima do rio, obra de nem quarto de légua: o rio por aí se estendendo grande, fundo,
 
calado que sempre. Largo, de não se poder ver a forma de outra beira. E esquecer não posso, do dia em que a
 
canoa ficou pronta.
 
Sem alegria nem cuidado, nosso pai encalcou o chapéu e decidiu um adeus para a gente. Nem falou outras
 
palavras, não pegou matula e trouxa, não fez nenhuma recomendação. Nossa mãe, a gente achou que ela ia
15
esbravejar, mas persistiu somente alva de pálida, mascou o beiço e bramou: “– Cê vai, ocê fique, você nunca
 
volte!” Nosso pai suspendeu a resposta. Espiou manso para mim, me acenando de vir também, por uns passos.
 
Temi a ira de nossa mãe, mas obedeci, de vez de jeito.
 
O rumo daquilo me animava, chega que um propósito perguntei: “– Pai, o senhor me leva junto, nessa sua
 
canoa?” Ele só retornou o olhar em mim, e me botou a bênção, com gesto me mandando para trás. Fiz que vim,
20
mas ainda virei, na grota do mato, para saber. Nosso pai entrou na canoa e desamarrou, pelo remar. E a canoa
 
saiu se indo – a sombra dela por igual, feito um jacaré, comprida e longa.
(Rosa, Guimarães, J. Ficção Completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1994, p. 49)
De acordo com o texto, o pai era, EXCETO:

Questão 6

Pref. Paraopeba/MG 2012 - IDECAN - Agente Administrativo
Acerca das classes de palavras, assinale a correspondência INCORRETA.

Questão 7

Pref. Paraopeba/MG 2012 - IDECAN - Agente Administrativo
A acentuação das palavras está corretamente justificada, EXCETO em

Questão 8

Pref. Paraopeba/MG 2012 - IDECAN - Agente Administrativo
São frases transcritas do texto que apresentam verbos no pretérito imperfeito do modo indicativo, EXCETO:

Questão 9

Pref. Paraopeba/MG 2012 - IDECAN - Agente Administrativo
A palavra “bramou”, no 3º parágrafo do texto, significa

Questão 10

Pref. Paraopeba/MG 2012 - IDECAN - Agente Administrativo
Em “... o rio por aí se estendendo grande, fundo, calado que sempre.”, as palavras exprimem, respectivamente, ideia de

Questão 11

Pref. Paraopeba/MG 2012 - IDECAN - Agente Administrativo
Quais sinais devem substituir as interrogações para que o resultado das operações seja um número cuja soma dos algarismos é igual a 15?

20 ? 5 ? 4

Questão 12

Pref. Paraopeba/MG 2012 - IDECAN - Agente Administrativo
Considere as igualdades entre as razões a seguir.


Para que todas as igualdades formem uma proporção, deve-se corrigir um dos números somando-se 2 ao mesmo. O número considerado é

Questão 13

Pref. Paraopeba/MG 2012 - IDECAN - Agente Administrativo
Das palavras a seguir assinale aquela em que todas as letras apresentam eixos de simetria horizontal.

Questão 14

Pref. Paraopeba/MG 2012 - IDECAN - Agente Administrativo
Seja a sequência numérica: 4000, 6000, 9000, ?, 20.250, 30.375.

O número que substitui corretamente o sinal de interrogação ( ? ) é

Questão 15

Pref. Paraopeba/MG 2012 - IDECAN - Agente Administrativo
Relacione cada sólido com sua respectiva planificação.


A sequência está correta em

Questão 16

Pref. Paraopeba/MG 2012 - IDECAN - Agente Administrativo
Cada figura a seguir foi associada a um algarismo. Observe.


A sequência de figuras que corresponde ao número oito mil, trezentos e seis é

Questão 17

Pref. Paraopeba/MG 2012 - IDECAN - Agente Administrativo
Eliminando-se, no sentido de leitura, as vogais e as consoantes que aparecem aos pares na sequência de letras a seguir obtém-se o nome de um[a]

U I C A T R E A P I M S V A T S B L R A T L

Questão 18

Pref. Paraopeba/MG 2012 - IDECAN - Agente Administrativo
Um quadrado de área 25 cm2 foi dividido em dois retângulos iguais. O perímetro de cada um desses retângulos é

Questão 19

Pref. Paraopeba/MG 2012 - IDECAN - Agente Administrativo
Água e cal virgem estão misturados na razão de 8 por 5. Sabendo-se que há 72 litros de água na mistura, o volume total em litros é de

Questão 20

Pref. Paraopeba/MG 2012 - IDECAN - Agente Administrativo

» Essa questão pode ter algum problema e está sendo revisada. Em breve estará corrigida.
Sejam os conjuntos A = {2, 5, 7, 8, 10, 11, 12} e B = {1, 3, 5, 6, 8, 9, 12}. O conjunto A I B possui

Questão 21

Pref. Paraopeba/MG 2012 - IDECAN - Agente Administrativo
Nas instituições públicas predomina um modelo de sistema de organização de arquivos em que o documento público é controlado desde a sua produção. Este modelo é conhecido como

Questão 22

Pref. Paraopeba/MG 2012 - IDECAN - Agente Administrativo
Considerando a rotina de expedição de correspondência e as regras que a regem, marque V para as afirmativas verdadeiras e F para as falsas.

( ) Deve-se evitar o uso da expressão “em anexo”.
( ) Os números de caixa postal e telefone devem vir precedidos de vírgula.
( ) Quando se utiliza caixa postal, não se utiliza o endereço completo.
( ) No envelope, o endereço não deve ser sublinhado.
( ) O número do CEP deve vir separado por ponto: 19.100-000.

A sequência está correta em

Questão 23

Pref. Paraopeba/MG 2012 - IDECAN - Agente Administrativo
Enumere, de acordo com a ordem em que devem aparecer na redação de um documento, as partes que compõem um requerimento.

( ) Local e data.
( ) Preâmbulo.
( ) Vocativo.
( ) Texto.
( ) Nome e assinatura.
( ) Fecho.

A sequência está correta em

Questão 24

Pref. Paraopeba/MG 2012 - IDECAN - Agente Administrativo
Segundo a gramática, denominam-se pronomes de tratamento certas palavras ou expressões que valem por pronomes pessoais. Assinale o pronome de tratamento usado para servidores públicos.

Questão 25

Pref. Paraopeba/MG 2012 - IDECAN - Agente Administrativo
No Microsoft Word 2007 (Português Brasil – configuração padrão), é uma extensão válida de arquivo de imagem para inserção de uma foto em um documento

Questão 26

Pref. Paraopeba/MG 2012 - IDECAN - Agente Administrativo
No Microsoft Excel 2007 (Português Brasil – configuração padrão), a ferramenta da guia Início refere-se ao seguinte comando (função)

Questão 27

Pref. Paraopeba/MG 2012 - IDECAN - Agente Administrativo
Com relação à formatação de textos no aplicativo Microsoft Word 2007 (Português Brasil – configuração padrão), o nome da fonte utilizada na palavra a seguir é

Questão 28

Pref. Paraopeba/MG 2012 - IDECAN - Agente Administrativo
Analise o fragmento de planilha do Microsoft Excel 2007 (Português Brasil – configuração padrão).


Se aplicada à célula E1 a fórmula =MÉDIA(A1;D1), obtém-se como resultado o valor de

Questão 29

Pref. Paraopeba/MG 2012 - IDECAN - Agente Administrativo
“_________________ é o vencimento do cargo, acrescido das vantagens pecuniárias permanentes ou temporárias estabelecidas em lei.” Assinale a alternativa que completa corretamente o art. 60, Capítulo I – Do vencimento e da remuneração da Lei Complementar nº 005, que dispõe sobre o Estatuto do Servidor Público do Município de Paraopeba.

Questão 30

Pref. Paraopeba/MG 2012 - IDECAN - Agente Administrativo
De acordo com o Estatuto do Servidor Público do Município de Paraopeba, além do vencimento, poderão ser pagas ao servidor as seguintes vantagens, EXCETO:

Questão 31

Pref. Paraopeba/MG 2012 - IDECAN - Agente Administrativo
Basicamente, a economia se divide em três setores: primário, secundário e terciário. Atribui-se ao setor secundário

Questão 32

Pref. Paraopeba/MG 2012 - IDECAN - Agente Administrativo
“Explicando a lógica de funcionamento do sistema, Ricardo Elias Cosendey, tenente-coronel da Aeronáutica e chefe da Subdivisão de Planejamento do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea), destaca que o GPS é uma tecnologia que faz uso da triangulação por satélites. Ou seja, o seu princípio está na medição da distância entre três satélites e o receptor, no caso o aparelho que recebe o sinal em Terra. Para realizar a triangulação, é feita a medição dessas três distâncias com base no tempo em que a onda de rádio, que viaja à velocidade da luz, percorre entre o satélite o e receptor. ‘O cálculo desse tempo é feito com precisão de milionésimos de segundo. Para isso, um quarto satélite, que possui a bordo um relógio atômico de altíssima precisão, faz a sincronização entre o receptor e os satélites’, explica Cosendey.”
(http://redeglobo.globo.com/globociencia/noticia/2011/10/da-bussola-ao-gps-entenda-como-funciona-navegacao-na-era-digital.html)

São utilizações do GPS (Global Positioning System), EXCETO:

Questão 33

Pref. Paraopeba/MG 2012 - IDECAN - Agente Administrativo
“A sociedade capitalista foi gestada em meio à dissolução da ordem feudal, particularmente na Inglaterra e o noroeste europeu mais desenvolvido (nos demais países a dissolução do feudalismo deu lugar a estados absolutistas, onde as revoluções burguesas adviriam quase dois séculos depois da inglesa, de 1640-60). O enfraquecimento da relação de servidão e da renda como relação de produção predominante, e a concomitante expansão da produção de mercadorias acabou por quebrar o isolamento dos feudos e levou à formação de um mercado unificado dentro do arcabouço institucional do Estado-nação burguês.”

(http://www.usp.br/fau/docentes/depprojeto/c_deak/CD/4verb/capitalism/index.html)

Sobre o capitalismo é correto afirmar que

Questão 34

Pref. Paraopeba/MG 2012 - IDECAN - Agente Administrativo
“O planeta se aproxima do fim da primeira década do século XXI diante de um dilema energético nunca antes registrado na história da humanidade. O uso do combustível, que ao longo do século passado, definiu o mundo como o conhecemos hoje, impulsionando o crescimento da indústria, do transporte, do comércio, da agricultura – e da população, que encontrou inéditas condições para se expandir – torna-se cada dia mais inviável. Seja por sua anunciada finitude e iminente escassez, seja pelo caráter altamente poluente ou pelas complicações políticas a que sempre está associado, o petróleo não é mais visto como a fonte de energia que moverá o mundo para sempre.”
(http://veja.abril.com.br/idade/exclusivo/energias_alternativas/contexto1.html)

O etanol é considerado um

Questão 35

Pref. Paraopeba/MG 2012 - IDECAN - Agente Administrativo
“As políticas públicas traduzem, no seu processo de elaboração e implantação e, sobretudo, em seus resultados, formas de exercício do poder político, envolvendo a distribuição e redistribuição de poder, o papel do conflito social nos processos de decisão, a repartição de custos e benefícios sociais. Como o poder é uma relação social que envolve vários atores com projetos e interesses diferenciados e até contraditórios, há necessidade de mediações sociais e institucionais, para que se possa obter um mínimo de consenso e, assim, as políticas públicas possam ser legitimadas e obter eficácia.”
(http://www.fit.br/home/link/texto/politicas_publicas.pdf)

No Brasil, entende-se por desenvolvimento de políticas públicas

Questão 36

Pref. Paraopeba/MG 2012 - IDECAN - Agente Administrativo
“Na década de 70 surgiram as primeiras equipes de som no Rio de Janeiro, como a Soul Grand Prix e a Furacão 2000, que organizavam bailes dançantes. Os primeiros bailes eram feitos com vitrolas hi-fi e as equipes foram, aos poucos, crescendo e comprando equipamentos melhores. A partir da década de 80, o funk no Rio foi influenciado por um novo ritmo da Flórida, o Miami Bass, que trazia músicas mais erotizadas e batidas mais rápidas.”
(http://originalfunkmusic.com/?page_id=24)

O funk carioca, em sua origem, dentro de uma reflexão artístico-cultural pode ser considerado um[a]

Questão 37

Pref. Paraopeba/MG 2012 - IDECAN - Agente Administrativo
1
A cidade do Rio de Janeiro será a sede da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento
 
Sustentável, em 2012. O encontro recebeu o nome de Rio+20 e visa a renovar o engajamento dos líderes
 
mundiais com o desenvolvimento sustentável do planeta, vinte anos após a Conferência das Nações Unidas sobre
 
Meio Ambiente e Desenvolvimento (Rio-92). Serão debatidos a contribuição da “economia verde” para o
5
desenvolvimento sustentável e a eliminação da pobreza, com foco sobre a questão da estrutura de governança
 
internacional na área do desenvolvimento sustentável. A Rio+20 insere-se, assim, na longa tradição de reuniões
 
anteriores da ONU sobre o tema, entre as quais as Conferências de 1972 em Estocolmo, Suécia, e de 2002, em
 
Joanesburgo, África do Sul.
 
%%(http://www.brasil.gov.br/noticias/arquivos/2010/01/06/rio-20)
As figuras expressam a ideia que fomenta eventos como os citados no texto, bem como os contextualiza, EXCETO:

Questão 38

Pref. Paraopeba/MG 2012 - IDECAN - Agente Administrativo
1
A cidade do Rio de Janeiro será a sede da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento
 
Sustentável, em 2012. O encontro recebeu o nome de Rio+20 e visa a renovar o engajamento dos líderes
 
mundiais com o desenvolvimento sustentável do planeta, vinte anos após a Conferência das Nações Unidas sobre
 
Meio Ambiente e Desenvolvimento (Rio-92). Serão debatidos a contribuição da “economia verde” para o
5
desenvolvimento sustentável e a eliminação da pobreza, com foco sobre a questão da estrutura de governança
 
internacional na área do desenvolvimento sustentável. A Rio+20 insere-se, assim, na longa tradição de reuniões
 
anteriores da ONU sobre o tema, entre as quais as Conferências de 1972 em Estocolmo, Suécia, e de 2002, em
 
Joanesburgo, África do Sul.
 
%%(http://www.brasil.gov.br/noticias/arquivos/2010/01/06/rio-20)
De acordo com as ideias do texto, conclui-se que o principal objetivo desses tipos de encontros internacionais é

Questão 39

Pref. Paraopeba/MG 2012 - IDECAN - Agente Administrativo
Analise as imagens.


Assinale a alternativa que contém somente representação(ões) de área(s) urbana(s).

Questão 40

Pref. Paraopeba/MG 2012 - IDECAN - Agente Administrativo
Exercer jornalismo em países latino-americanos é arriscado, alerta CPJ

São Paulo – O Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ) fez um alerta nesta terça-feira sobre os riscos que supõe ser jornalista em alguns países latino-americanos, como a Colômbia, México e Brasil, onde em alguns casos são alvos de assassinato e perseguição. A informação foi publicada no Portal Uol.
Após a apresentação no Cairo, o relatório anual sobre os ataques à imprensa em 2011, o subdiretor do CPJ, Robert Mahoney, explicou à Agência Efe que “há vários países onde é muito difícil ser jornalista na América Latina”.
Segundo Mahoney, a violência contra jornalistas especializados em assuntos de corrupção, tráfico de drogas e crime organizado está aumentando no Brasil, principalmente em áreas remotas.
A violência contra jornalistas também é crescente no México, onde no último ano morreram três profissionais da imprensa. De acordo com o responsável pelo CPJ, devido à presença do tráfico de drogas e do crime organizado, a insegurança e a censura abrangem todo território deste país, incluído as regiões turísticas, como Acapulco.
Segundo a classificação do Comitê para a Proteção para os Jornalistas, o México é o oitavo país do mundo onde os crimes cometidos contra a imprensa ficam impunes.
Entre os países da América Latina, o México só é superado em impunidade pela Colômbia, que, apesar dos avanços, ocupa o quinto posto e continua sendo um dos lugares mais perigosos do mundo para os jornalistas.
(http://www.d24am.com/noticias/brasil/exercer-jornalismo-em-paises-latinoamericanos-e-arriscado-alerta-cpj/50908)

A designação latino-americana é uma referência



Provas de Concursos » Idecan 2012