×
Analista Administrativo - Advogado
×
FUNDAÇÃO CASA 2010 FUNDAÇÃO CASA 2013

FUNDAÇÃO CASA 2011

Agente Administrativo

Questão 1

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
1

A corrupção domina o Mundo. Esta é a conclusão amarga
 
que resulta da análise dos indicadores de percepção da corrupção
 
divulgados ontem pela Transparência Internacional.
 
Cerca de 75 por cento dos países obtêm nota negativa, numa
5
escala que vai de zero (os mais corruptos) a dez (os países mais
 
“limpos”). A propagação da corrupção não tem limites e ultra-
 
passa todas as fronteiras. De Angola, que apresenta um score de
 
1,9, à Venezuela, de Chávez, que obtém a pior classificação do
 
continente americano (2,0), passando pela Rússia (2,1) ou até
10
pela Grécia (3,5).
 
Em termos globais, é evidente a relação direta entre a pobreza
 
e a corrupção, o que torna esta epidemia ainda mais grave. Este
 
fenômeno será até o fator que gera maior pobreza, já que é através
 
dos seus mecanismos que se canalizam os recursos de todos para
15
os bolsos de alguns. Talvez o verdadeiro combate à fome tenha
 
sucesso quando as Nações Unidas trocarem os programas de apoio
 
alimentar por estratégias efetivas de combate à fraude.
 
E em Portugal? Por cá, o panorama é desolador. Só na última
 
década, desceu dez posições no “ranking”. Em termos do espaço
20
europeu ocidental, Portugal ocupa a 19.ª posição, em 30, apenas
 
à frente de Itália, Grécia, Malta e países do antigo bloco do Leste.
 
Esta posição é afinal o corolário lógico dum sistema que
 
parece querer proteger a corrupção. E que tem como primeiro
 
responsável um Parlamento que produz legislação confusa, cheia
25
de regras, repleta de exceções e que permite, a quem as aplica,
 
um enorme poder discricionário, fonte de todo o compadrio. Este
 
cenário só poderia piorar com um sistema de justiça que se revela
 
absolutamente incapaz no combate a este flagelo.
 
Também em Portugal a corrupção gera pobreza, através da
30
transferência dos bens coletivos para os mais poderosos, permi-
 
tindo que os ricos sejam cada vez mais ricos e os pobres cada
 
vez mais desgraçados. Talvez por cá, como no Mundo, a melhor
 
forma de combater a crise seja começar por travar um combate,
 
sem tréguas, à corrupção.
(Texto de Paulo Morais, Jornal de Notícias [Portugal], 27.10.2010, com adaptações. Obtido pelo site http://jn.sapo.pt/Opiniao.)
De acordo com o autor, a corrupção

Questão 2

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
1

A corrupção domina o Mundo. Esta é a conclusão amarga
 
que resulta da análise dos indicadores de percepção da corrupção
 
divulgados ontem pela Transparência Internacional.
 
Cerca de 75 por cento dos países obtêm nota negativa, numa
5
escala que vai de zero (os mais corruptos) a dez (os países mais
 
“limpos”). A propagação da corrupção não tem limites e ultra-
 
passa todas as fronteiras. De Angola, que apresenta um score de
 
1,9, à Venezuela, de Chávez, que obtém a pior classificação do
 
continente americano (2,0), passando pela Rússia (2,1) ou até
10
pela Grécia (3,5).
 
Em termos globais, é evidente a relação direta entre a pobreza
 
e a corrupção, o que torna esta epidemia ainda mais grave. Este
 
fenômeno será até o fator que gera maior pobreza, já que é através
 
dos seus mecanismos que se canalizam os recursos de todos para
15
os bolsos de alguns. Talvez o verdadeiro combate à fome tenha
 
sucesso quando as Nações Unidas trocarem os programas de apoio
 
alimentar por estratégias efetivas de combate à fraude.
 
E em Portugal? Por cá, o panorama é desolador. Só na última
 
década, desceu dez posições no “ranking”. Em termos do espaço
20
europeu ocidental, Portugal ocupa a 19.ª posição, em 30, apenas
 
à frente de Itália, Grécia, Malta e países do antigo bloco do Leste.
 
Esta posição é afinal o corolário lógico dum sistema que
 
parece querer proteger a corrupção. E que tem como primeiro
 
responsável um Parlamento que produz legislação confusa, cheia
25
de regras, repleta de exceções e que permite, a quem as aplica,
 
um enorme poder discricionário, fonte de todo o compadrio. Este
 
cenário só poderia piorar com um sistema de justiça que se revela
 
absolutamente incapaz no combate a este flagelo.
 
Também em Portugal a corrupção gera pobreza, através da
30
transferência dos bens coletivos para os mais poderosos, permi-
 
tindo que os ricos sejam cada vez mais ricos e os pobres cada
 
vez mais desgraçados. Talvez por cá, como no Mundo, a melhor
 
forma de combater a crise seja começar por travar um combate,
 
sem tréguas, à corrupção.
(Texto de Paulo Morais, Jornal de Notícias [Portugal], 27.10.2010, com adaptações. Obtido pelo site http://jn.sapo.pt/Opiniao.)
No texto, fica claro que

Questão 3

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
1

A corrupção domina o Mundo. Esta é a conclusão amarga
 
que resulta da análise dos indicadores de percepção da corrupção
 
divulgados ontem pela Transparência Internacional.
 
Cerca de 75 por cento dos países obtêm nota negativa, numa
5
escala que vai de zero (os mais corruptos) a dez (os países mais
 
“limpos”). A propagação da corrupção não tem limites e ultra-
 
passa todas as fronteiras. De Angola, que apresenta um score de
 
1,9, à Venezuela, de Chávez, que obtém a pior classificação do
 
continente americano (2,0), passando pela Rússia (2,1) ou até
10
pela Grécia (3,5).
 
Em termos globais, é evidente a relação direta entre a pobreza
 
e a corrupção, o que torna esta epidemia ainda mais grave. Este
 
fenômeno será até o fator que gera maior pobreza, já que é através
 
dos seus mecanismos que se canalizam os recursos de todos para
15
os bolsos de alguns. Talvez o verdadeiro combate à fome tenha
 
sucesso quando as Nações Unidas trocarem os programas de apoio
 
alimentar por estratégias efetivas de combate à fraude.
 
E em Portugal? Por cá, o panorama é desolador. Só na última
 
década, desceu dez posições no “ranking”. Em termos do espaço
20
europeu ocidental, Portugal ocupa a 19.ª posição, em 30, apenas
 
à frente de Itália, Grécia, Malta e países do antigo bloco do Leste.
 
Esta posição é afinal o corolário lógico dum sistema que
 
parece querer proteger a corrupção. E que tem como primeiro
 
responsável um Parlamento que produz legislação confusa, cheia
25
de regras, repleta de exceções e que permite, a quem as aplica,
 
um enorme poder discricionário, fonte de todo o compadrio. Este
 
cenário só poderia piorar com um sistema de justiça que se revela
 
absolutamente incapaz no combate a este flagelo.
 
Também em Portugal a corrupção gera pobreza, através da
30
transferência dos bens coletivos para os mais poderosos, permi-
 
tindo que os ricos sejam cada vez mais ricos e os pobres cada
 
vez mais desgraçados. Talvez por cá, como no Mundo, a melhor
 
forma de combater a crise seja começar por travar um combate,
 
sem tréguas, à corrupção.
(Texto de Paulo Morais, Jornal de Notícias [Portugal], 27.10.2010, com adaptações. Obtido pelo site http://jn.sapo.pt/Opiniao.)
No terceiro parágrafo, a ideia que se defende é que

Questão 4

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
1

A corrupção domina o Mundo. Esta é a conclusão amarga
 
que resulta da análise dos indicadores de percepção da corrupção
 
divulgados ontem pela Transparência Internacional.
 
Cerca de 75 por cento dos países obtêm nota negativa, numa
5
escala que vai de zero (os mais corruptos) a dez (os países mais
 
“limpos”). A propagação da corrupção não tem limites e ultra-
 
passa todas as fronteiras. De Angola, que apresenta um score de
 
1,9, à Venezuela, de Chávez, que obtém a pior classificação do
 
continente americano (2,0), passando pela Rússia (2,1) ou até
10
pela Grécia (3,5).
 
Em termos globais, é evidente a relação direta entre a pobreza
 
e a corrupção, o que torna esta epidemia ainda mais grave. Este
 
fenômeno será até o fator que gera maior pobreza, já que é através
 
dos seus mecanismos que se canalizam os recursos de todos para
15
os bolsos de alguns. Talvez o verdadeiro combate à fome tenha
 
sucesso quando as Nações Unidas trocarem os programas de apoio
 
alimentar por estratégias efetivas de combate à fraude.
 
E em Portugal? Por cá, o panorama é desolador. Só na última
 
década, desceu dez posições no “ranking”. Em termos do espaço
20
europeu ocidental, Portugal ocupa a 19.ª posição, em 30, apenas
 
à frente de Itália, Grécia, Malta e países do antigo bloco do Leste.
 
Esta posição é afinal o corolário lógico dum sistema que
 
parece querer proteger a corrupção. E que tem como primeiro
 
responsável um Parlamento que produz legislação confusa, cheia
25
de regras, repleta de exceções e que permite, a quem as aplica,
 
um enorme poder discricionário, fonte de todo o compadrio. Este
 
cenário só poderia piorar com um sistema de justiça que se revela
 
absolutamente incapaz no combate a este flagelo.
 
Também em Portugal a corrupção gera pobreza, através da
30
transferência dos bens coletivos para os mais poderosos, permi-
 
tindo que os ricos sejam cada vez mais ricos e os pobres cada
 
vez mais desgraçados. Talvez por cá, como no Mundo, a melhor
 
forma de combater a crise seja começar por travar um combate,
 
sem tréguas, à corrupção.
(Texto de Paulo Morais, Jornal de Notícias [Portugal], 27.10.2010, com adaptações. Obtido pelo site http://jn.sapo.pt/Opiniao.)
Com a frase – ... permite, a quem as aplica, um enorme poder discricionário, fonte de todo o compadrio. – entende-se que a aplicação das leis com base em uma legislação confusa

Questão 5

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
1

A corrupção domina o Mundo. Esta é a conclusão amarga
 
que resulta da análise dos indicadores de percepção da corrupção
 
divulgados ontem pela Transparência Internacional.
 
Cerca de 75 por cento dos países obtêm nota negativa, numa
5
escala que vai de zero (os mais corruptos) a dez (os países mais
 
“limpos”). A propagação da corrupção não tem limites e ultra-
 
passa todas as fronteiras. De Angola, que apresenta um score de
 
1,9, à Venezuela, de Chávez, que obtém a pior classificação do
 
continente americano (2,0), passando pela Rússia (2,1) ou até
10
pela Grécia (3,5).
 
Em termos globais, é evidente a relação direta entre a pobreza
 
e a corrupção, o que torna esta epidemia ainda mais grave. Este
 
fenômeno será até o fator que gera maior pobreza, já que é através
 
dos seus mecanismos que se canalizam os recursos de todos para
15
os bolsos de alguns. Talvez o verdadeiro combate à fome tenha
 
sucesso quando as Nações Unidas trocarem os programas de apoio
 
alimentar por estratégias efetivas de combate à fraude.
 
E em Portugal? Por cá, o panorama é desolador. Só na última
 
década, desceu dez posições no “ranking”. Em termos do espaço
20
europeu ocidental, Portugal ocupa a 19.ª posição, em 30, apenas
 
à frente de Itália, Grécia, Malta e países do antigo bloco do Leste.
 
Esta posição é afinal o corolário lógico dum sistema que
 
parece querer proteger a corrupção. E que tem como primeiro
 
responsável um Parlamento que produz legislação confusa, cheia
25
de regras, repleta de exceções e que permite, a quem as aplica,
 
um enorme poder discricionário, fonte de todo o compadrio. Este
 
cenário só poderia piorar com um sistema de justiça que se revela
 
absolutamente incapaz no combate a este flagelo.
 
Também em Portugal a corrupção gera pobreza, através da
30
transferência dos bens coletivos para os mais poderosos, permi-
 
tindo que os ricos sejam cada vez mais ricos e os pobres cada
 
vez mais desgraçados. Talvez por cá, como no Mundo, a melhor
 
forma de combater a crise seja começar por travar um combate,
 
sem tréguas, à corrupção.
(Texto de Paulo Morais, Jornal de Notícias [Portugal], 27.10.2010, com adaptações. Obtido pelo site http://jn.sapo.pt/Opiniao.)
Conforme delineada no texto, a relação entre ricos e pobres é

Questão 6

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
1

A corrupção domina o Mundo. Esta é a conclusão amarga
 
que resulta da análise dos indicadores de percepção da corrupção
 
divulgados ontem pela Transparência Internacional.
 
Cerca de 75 por cento dos países obtêm nota negativa, numa
5
escala que vai de zero (os mais corruptos) a dez (os países mais
 
“limpos”). A propagação da corrupção não tem limites e ultra-
 
passa todas as fronteiras. De Angola, que apresenta um score de
 
1,9, à Venezuela, de Chávez, que obtém a pior classificação do
 
continente americano (2,0), passando pela Rússia (2,1) ou até
10
pela Grécia (3,5).
 
Em termos globais, é evidente a relação direta entre a pobreza
 
e a corrupção, o que torna esta epidemia ainda mais grave. Este
 
fenômeno será até o fator que gera maior pobreza, já que é através
 
dos seus mecanismos que se canalizam os recursos de todos para
15
os bolsos de alguns. Talvez o verdadeiro combate à fome tenha
 
sucesso quando as Nações Unidas trocarem os programas de apoio
 
alimentar por estratégias efetivas de combate à fraude.
 
E em Portugal? Por cá, o panorama é desolador. Só na última
 
década, desceu dez posições no “ranking”. Em termos do espaço
20
europeu ocidental, Portugal ocupa a 19.ª posição, em 30, apenas
 
à frente de Itália, Grécia, Malta e países do antigo bloco do Leste.
 
Esta posição é afinal o corolário lógico dum sistema que
 
parece querer proteger a corrupção. E que tem como primeiro
 
responsável um Parlamento que produz legislação confusa, cheia
25
de regras, repleta de exceções e que permite, a quem as aplica,
 
um enorme poder discricionário, fonte de todo o compadrio. Este
 
cenário só poderia piorar com um sistema de justiça que se revela
 
absolutamente incapaz no combate a este flagelo.
 
Também em Portugal a corrupção gera pobreza, através da
30
transferência dos bens coletivos para os mais poderosos, permi-
 
tindo que os ricos sejam cada vez mais ricos e os pobres cada
 
vez mais desgraçados. Talvez por cá, como no Mundo, a melhor
 
forma de combater a crise seja começar por travar um combate,
 
sem tréguas, à corrupção.
(Texto de Paulo Morais, Jornal de Notícias [Portugal], 27.10.2010, com adaptações. Obtido pelo site http://jn.sapo.pt/Opiniao.)
A conclusão do texto permite afirmar que

Questão 7

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
1

A corrupção domina o Mundo. Esta é a conclusão amarga
 
que resulta da análise dos indicadores de percepção da corrupção
 
divulgados ontem pela Transparência Internacional.
 
Cerca de 75 por cento dos países obtêm nota negativa, numa
5
escala que vai de zero (os mais corruptos) a dez (os países mais
 
“limpos”). A propagação da corrupção não tem limites e ultra-
 
passa todas as fronteiras. De Angola, que apresenta um score de
 
1,9, à Venezuela, de Chávez, que obtém a pior classificação do
 
continente americano (2,0), passando pela Rússia (2,1) ou até
10
pela Grécia (3,5).
 
Em termos globais, é evidente a relação direta entre a pobreza
 
e a corrupção, o que torna esta epidemia ainda mais grave. Este
 
fenômeno será até o fator que gera maior pobreza, já que é através
 
dos seus mecanismos que se canalizam os recursos de todos para
15
os bolsos de alguns. Talvez o verdadeiro combate à fome tenha
 
sucesso quando as Nações Unidas trocarem os programas de apoio
 
alimentar por estratégias efetivas de combate à fraude.
 
E em Portugal? Por cá, o panorama é desolador. Só na última
 
década, desceu dez posições no “ranking”. Em termos do espaço
20
europeu ocidental, Portugal ocupa a 19.ª posição, em 30, apenas
 
à frente de Itália, Grécia, Malta e países do antigo bloco do Leste.
 
Esta posição é afinal o corolário lógico dum sistema que
 
parece querer proteger a corrupção. E que tem como primeiro
 
responsável um Parlamento que produz legislação confusa, cheia
25
de regras, repleta de exceções e que permite, a quem as aplica,
 
um enorme poder discricionário, fonte de todo o compadrio. Este
 
cenário só poderia piorar com um sistema de justiça que se revela
 
absolutamente incapaz no combate a este flagelo.
 
Também em Portugal a corrupção gera pobreza, através da
30
transferência dos bens coletivos para os mais poderosos, permi-
 
tindo que os ricos sejam cada vez mais ricos e os pobres cada
 
vez mais desgraçados. Talvez por cá, como no Mundo, a melhor
 
forma de combater a crise seja começar por travar um combate,
 
sem tréguas, à corrupção.
(Texto de Paulo Morais, Jornal de Notícias [Portugal], 27.10.2010, com adaptações. Obtido pelo site http://jn.sapo.pt/Opiniao.)
Leia a charge, comparando-a às informações do texto Da corrupção à crise.
É correto afirmar que o personagem da charge corresponde a quem

Questão 8

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
1

A corrupção domina o Mundo. Esta é a conclusão amarga
 
que resulta da análise dos indicadores de percepção da corrupção
 
divulgados ontem pela Transparência Internacional.
 
Cerca de 75 por cento dos países obtêm nota negativa, numa
5
escala que vai de zero (os mais corruptos) a dez (os países mais
 
“limpos”). A propagação da corrupção não tem limites e ultra-
 
passa todas as fronteiras. De Angola, que apresenta um score de
 
1,9, à Venezuela, de Chávez, que obtém a pior classificação do
 
continente americano (2,0), passando pela Rússia (2,1) ou até
10
pela Grécia (3,5).
 
Em termos globais, é evidente a relação direta entre a pobreza
 
e a corrupção, o que torna esta epidemia ainda mais grave. Este
 
fenômeno será até o fator que gera maior pobreza, já que é através
 
dos seus mecanismos que se canalizam os recursos de todos para
15
os bolsos de alguns. Talvez o verdadeiro combate à fome tenha
 
sucesso quando as Nações Unidas trocarem os programas de apoio
 
alimentar por estratégias efetivas de combate à fraude.
 
E em Portugal? Por cá, o panorama é desolador. Só na última
 
década, desceu dez posições no “ranking”. Em termos do espaço
20
europeu ocidental, Portugal ocupa a 19.ª posição, em 30, apenas
 
à frente de Itália, Grécia, Malta e países do antigo bloco do Leste.
 
Esta posição é afinal o corolário lógico dum sistema que
 
parece querer proteger a corrupção. E que tem como primeiro
 
responsável um Parlamento que produz legislação confusa, cheia
25
de regras, repleta de exceções e que permite, a quem as aplica,
 
um enorme poder discricionário, fonte de todo o compadrio. Este
 
cenário só poderia piorar com um sistema de justiça que se revela
 
absolutamente incapaz no combate a este flagelo.
 
Também em Portugal a corrupção gera pobreza, através da
30
transferência dos bens coletivos para os mais poderosos, permi-
 
tindo que os ricos sejam cada vez mais ricos e os pobres cada
 
vez mais desgraçados. Talvez por cá, como no Mundo, a melhor
 
forma de combater a crise seja começar por travar um combate,
 
sem tréguas, à corrupção.
(Texto de Paulo Morais, Jornal de Notícias [Portugal], 27.10.2010, com adaptações. Obtido pelo site http://jn.sapo.pt/Opiniao.)
Em – Por cá, o panorama é desolador. – o termo em destaque significa

Questão 9

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
1

A corrupção domina o Mundo. Esta é a conclusão amarga
 
que resulta da análise dos indicadores de percepção da corrupção
 
divulgados ontem pela Transparência Internacional.
 
Cerca de 75 por cento dos países obtêm nota negativa, numa
5
escala que vai de zero (os mais corruptos) a dez (os países mais
 
“limpos”). A propagação da corrupção não tem limites e ultra-
 
passa todas as fronteiras. De Angola, que apresenta um score de
 
1,9, à Venezuela, de Chávez, que obtém a pior classificação do
 
continente americano (2,0), passando pela Rússia (2,1) ou até
10
pela Grécia (3,5).
 
Em termos globais, é evidente a relação direta entre a pobreza
 
e a corrupção, o que torna esta epidemia ainda mais grave. Este
 
fenômeno será até o fator que gera maior pobreza, já que é através
 
dos seus mecanismos que se canalizam os recursos de todos para
15
os bolsos de alguns. Talvez o verdadeiro combate à fome tenha
 
sucesso quando as Nações Unidas trocarem os programas de apoio
 
alimentar por estratégias efetivas de combate à fraude.
 
E em Portugal? Por cá, o panorama é desolador. Só na última
 
década, desceu dez posições no “ranking”. Em termos do espaço
20
europeu ocidental, Portugal ocupa a 19.ª posição, em 30, apenas
 
à frente de Itália, Grécia, Malta e países do antigo bloco do Leste.
 
Esta posição é afinal o corolário lógico dum sistema que
 
parece querer proteger a corrupção. E que tem como primeiro
 
responsável um Parlamento que produz legislação confusa, cheia
25
de regras, repleta de exceções e que permite, a quem as aplica,
 
um enorme poder discricionário, fonte de todo o compadrio. Este
 
cenário só poderia piorar com um sistema de justiça que se revela
 
absolutamente incapaz no combate a este flagelo.
 
Também em Portugal a corrupção gera pobreza, através da
30
transferência dos bens coletivos para os mais poderosos, permi-
 
tindo que os ricos sejam cada vez mais ricos e os pobres cada
 
vez mais desgraçados. Talvez por cá, como no Mundo, a melhor
 
forma de combater a crise seja começar por travar um combate,
 
sem tréguas, à corrupção.
(Texto de Paulo Morais, Jornal de Notícias [Portugal], 27.10.2010, com adaptações. Obtido pelo site http://jn.sapo.pt/Opiniao.)
Considere a frase: Esta é a conclusão amarga ______ se chega ______ análise dos indicadores de percepção da corrupção ontem divulgados pela Transparência Internacional.

Em norma padrão da língua portuguesa, tendo como base a regência e o uso ou não do acento indicativo da crase, as lacunas devem ser preenchidas, correta e respectivamente, com:

Questão 10

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
1

A corrupção domina o Mundo. Esta é a conclusão amarga
 
que resulta da análise dos indicadores de percepção da corrupção
 
divulgados ontem pela Transparência Internacional.
 
Cerca de 75 por cento dos países obtêm nota negativa, numa
5
escala que vai de zero (os mais corruptos) a dez (os países mais
 
“limpos”). A propagação da corrupção não tem limites e ultra-
 
passa todas as fronteiras. De Angola, que apresenta um score de
 
1,9, à Venezuela, de Chávez, que obtém a pior classificação do
 
continente americano (2,0), passando pela Rússia (2,1) ou até
10
pela Grécia (3,5).
 
Em termos globais, é evidente a relação direta entre a pobreza
 
e a corrupção, o que torna esta epidemia ainda mais grave. Este
 
fenômeno será até o fator que gera maior pobreza, já que é através
 
dos seus mecanismos que se canalizam os recursos de todos para
15
os bolsos de alguns. Talvez o verdadeiro combate à fome tenha
 
sucesso quando as Nações Unidas trocarem os programas de apoio
 
alimentar por estratégias efetivas de combate à fraude.
 
E em Portugal? Por cá, o panorama é desolador. Só na última
 
década, desceu dez posições no “ranking”. Em termos do espaço
20
europeu ocidental, Portugal ocupa a 19.ª posição, em 30, apenas
 
à frente de Itália, Grécia, Malta e países do antigo bloco do Leste.
 
Esta posição é afinal o corolário lógico dum sistema que
 
parece querer proteger a corrupção. E que tem como primeiro
 
responsável um Parlamento que produz legislação confusa, cheia
25
de regras, repleta de exceções e que permite, a quem as aplica,
 
um enorme poder discricionário, fonte de todo o compadrio. Este
 
cenário só poderia piorar com um sistema de justiça que se revela
 
absolutamente incapaz no combate a este flagelo.
 
Também em Portugal a corrupção gera pobreza, através da
30
transferência dos bens coletivos para os mais poderosos, permi-
 
tindo que os ricos sejam cada vez mais ricos e os pobres cada
 
vez mais desgraçados. Talvez por cá, como no Mundo, a melhor
 
forma de combater a crise seja começar por travar um combate,
 
sem tréguas, à corrupção.
(Texto de Paulo Morais, Jornal de Notícias [Portugal], 27.10.2010, com adaptações. Obtido pelo site http://jn.sapo.pt/Opiniao.)
Observe as frases do texto:

I. Cerca de 75 por cento dos países obtêm nota negativa...
II. ... à Venezuela, de Chávez, que obtém a pior classificação do continente americano (2,0)...

Assim como ocorre com o verbo obter nas frases I e II, a concordância segue as mesmas regras, na ordem dos exemplos, em:

Questão 11

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
1

A corrupção domina o Mundo. Esta é a conclusão amarga
 
que resulta da análise dos indicadores de percepção da corrupção
 
divulgados ontem pela Transparência Internacional.
 
Cerca de 75 por cento dos países obtêm nota negativa, numa
5
escala que vai de zero (os mais corruptos) a dez (os países mais
 
“limpos”). A propagação da corrupção não tem limites e ultra-
 
passa todas as fronteiras. De Angola, que apresenta um score de
 
1,9, à Venezuela, de Chávez, que obtém a pior classificação do
 
continente americano (2,0), passando pela Rússia (2,1) ou até
10
pela Grécia (3,5).
 
Em termos globais, é evidente a relação direta entre a pobreza
 
e a corrupção, o que torna esta epidemia ainda mais grave. Este
 
fenômeno será até o fator que gera maior pobreza, já que é através
 
dos seus mecanismos que se canalizam os recursos de todos para
15
os bolsos de alguns. Talvez o verdadeiro combate à fome tenha
 
sucesso quando as Nações Unidas trocarem os programas de apoio
 
alimentar por estratégias efetivas de combate à fraude.
 
E em Portugal? Por cá, o panorama é desolador. Só na última
 
década, desceu dez posições no “ranking”. Em termos do espaço
20
europeu ocidental, Portugal ocupa a 19.ª posição, em 30, apenas
 
à frente de Itália, Grécia, Malta e países do antigo bloco do Leste.
 
Esta posição é afinal o corolário lógico dum sistema que
 
parece querer proteger a corrupção. E que tem como primeiro
 
responsável um Parlamento que produz legislação confusa, cheia
25
de regras, repleta de exceções e que permite, a quem as aplica,
 
um enorme poder discricionário, fonte de todo o compadrio. Este
 
cenário só poderia piorar com um sistema de justiça que se revela
 
absolutamente incapaz no combate a este flagelo.
 
Também em Portugal a corrupção gera pobreza, através da
30
transferência dos bens coletivos para os mais poderosos, permi-
 
tindo que os ricos sejam cada vez mais ricos e os pobres cada
 
vez mais desgraçados. Talvez por cá, como no Mundo, a melhor
 
forma de combater a crise seja começar por travar um combate,
 
sem tréguas, à corrupção.
(Texto de Paulo Morais, Jornal de Notícias [Portugal], 27.10.2010, com adaptações. Obtido pelo site http://jn.sapo.pt/Opiniao.)
No texto, os termos epidemia, fenômeno e flagelo referem-se à

Questão 12

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
1
Na fala do marido, a conjunção Se é

Questão 13

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
1
Em norma padrão da língua portuguesa, a fala da mulher, transposta para a 3.ª pessoa e correta quanto à regência, assume a seguinte redação:

Questão 14

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
1
Analise as informações.
I. Se na frase-título da charge o numeral 1,5 fosse substituído por 2,5, a expressão correta seria 2,5 milhões.
II. Na fala do marido, a expressão a gente é uma forma coloquial que equivale ao pronome nós.
III. Na fala da mulher, a expressão homi poderia estar sem vírgulas, sem prejuízo à sintaxe da frase.

Está correto apenas o que se afirma em

Questão 15

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
1
Na fala da mulher, a expressão não tem nem onde cair morto está empregada em sentido

Questão 16

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
1
O meu amor, o meu amor, Maria
 
É como um fio telegráfico da estrada
 
Aonde vêm pousar as andorinhas...
 
De vez em quando chega uma
5
E canta
 
(Não sei se as andorinhas cantam, mas vá lá!)
 
Canta e vai-se embora
 
Outra, nem isso,
 
Mal chega, vai-se embora.
10
A última que passou
 
Limitou-se a fazer cocô
 
No meu pobre fio de vida!
 
No entanto, Maria, o meu amor é sempre o mesmo:
 
As andorinhas é que mudam.
O uso do diminutivo no título, sugere tratar-se de um poema

Questão 17

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
1
O meu amor, o meu amor, Maria
 
É como um fio telegráfico da estrada
 
Aonde vêm pousar as andorinhas...
 
De vez em quando chega uma
5
E canta
 
(Não sei se as andorinhas cantam, mas vá lá!)
 
Canta e vai-se embora
 
Outra, nem isso,
 
Mal chega, vai-se embora.
10
A última que passou
 
Limitou-se a fazer cocô
 
No meu pobre fio de vida!
 
No entanto, Maria, o meu amor é sempre o mesmo:
 
As andorinhas é que mudam.
De acordo com o poema, as andorinhas que pousam no fio de vida do poeta são as

Questão 18

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
1
O meu amor, o meu amor, Maria
 
É como um fio telegráfico da estrada
 
Aonde vêm pousar as andorinhas...
 
De vez em quando chega uma
5
E canta
 
(Não sei se as andorinhas cantam, mas vá lá!)
 
Canta e vai-se embora
 
Outra, nem isso,
 
Mal chega, vai-se embora.
10
A última que passou
 
Limitou-se a fazer cocô
 
No meu pobre fio de vida!
 
No entanto, Maria, o meu amor é sempre o mesmo:
 
As andorinhas é que mudam.
No poema, a expressão fazer cocô remete à ideia de

Questão 19

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
1
O meu amor, o meu amor, Maria
 
É como um fio telegráfico da estrada
 
Aonde vêm pousar as andorinhas...
 
De vez em quando chega uma
5
E canta
 
(Não sei se as andorinhas cantam, mas vá lá!)
 
Canta e vai-se embora
 
Outra, nem isso,
 
Mal chega, vai-se embora.
10
A última que passou
 
Limitou-se a fazer cocô
 
No meu pobre fio de vida!
 
No entanto, Maria, o meu amor é sempre o mesmo:
 
As andorinhas é que mudam.
Sobre o verso – Mal chega, vai-se embora. – é correto afirmar que

Questão 20

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
1
O meu amor, o meu amor, Maria
 
É como um fio telegráfico da estrada
 
Aonde vêm pousar as andorinhas...
 
De vez em quando chega uma
5
E canta
 
(Não sei se as andorinhas cantam, mas vá lá!)
 
Canta e vai-se embora
 
Outra, nem isso,
 
Mal chega, vai-se embora.
10
A última que passou
 
Limitou-se a fazer cocô
 
No meu pobre fio de vida!
 
No entanto, Maria, o meu amor é sempre o mesmo:
 
As andorinhas é que mudam.
Se no verso – No entanto, Maria, o meu amor é sempre o mesmo: – a conjunção em destaque fosse substituída por outra de sentido equivalente e a expressão o meu amor, por as minhas emoções, a redação ficaria da seguinte forma:

Questão 21

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
Sabe-se que o funcionário A monta 4 unidades de um determinado produto em 5 minutos, e o funcionário B, mais expe- riente, monta 5 unidades do mesmo produto em 4 minutos. Desse modo, é correto afirmar que, enquanto o funcionário B monta 25 unidades desse produto, o funcionário A monta, apenas,

Questão 22

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
Duas tábuas, cujos comprimentos são iguais a 90 cm e 2,25 m, devem ser cortadas em pedaços de mesmo comprimento, sendo esse o maior possível, sem haver sobras. Sabendo-se que cada tábua tem 20 cm de largura, pode-se afirmar que cada pedaço cortado terá área de

Questão 23

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
A razão entre o número de funcionários dos sexos masculino e feminino de uma unidade industrial é de 7 para 6, nessa ordem. Nessa unidade, o vestiário retangular foi dividido em duas alas (masculina e feminina), de forma que a área de cada ala fosse diretamente proporcional ao número de funcionários de cada sexo, conforme mostra a figura. Com essa divisão, a ala masculina ficou com um perímetro de

Questão 24

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
Após muita negociação, Laura conseguiu um desconto de

5% sobre o preço de tabela e comprou um carro novo por x reais. Deu 25% do preço de compra como entrada e financiou o restante. Se o valor financiado foi R$ 28.500,00, então o preço de tabela desse carro era

Questão 25

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
Para realizar uma mudança comercial em 6 dias, serão necessários 8 caminhões iguais, que deverão estar em operação durante 10 horas por dia. A quantidade necessária dos mesmos caminhões, para realizar essa mudança em 4 dias, com os caminhões operando 8 horas por dia, é

Questão 26

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
Observe as informações do quadro sobre a duração do desfile de Carnaval de cada escola de samba do Grupo Especial no sambódromo do Rio de Janeiro. Suponha que a duração dos desfiles das escolas A, B e C tenha sido igual, e que a do desfile da escola D tenha ultrapassado o tempo máximo, fazendo a escola perder 0,6 ponto. Se a duração média do desfile dessas 4 escolas foi de 81,25 minutos, então, o desfile da escola B durou

Questão 27

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
Um certo capital foi aplicado a uma taxa de juros simples de 30% ao ano, e o valor recebido de juros, ao final da aplicação, correspondeu a 3/8 do capital inicial. Pode-se afirmar que esse capital permaneceu aplicado durante

Questão 28

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
No final da competição, as 110 fichas de um jogo estavam divididas entre 3 amigos. Sabe-se que a quantidade de fichas de Flávio era igual a 5/8 da de Bruno, e que Pedro tinha 20 fichas a mais do que Flávio. A diferença entre o número de fichas de Pedro e de Bruno era igual a

Questão 29

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
Hoje, a soma dos quadrados das idades de Mariana e de Lígia é igual a 145 anos. Se Mariana é 1 ano mais velha do que Lígia, então, a idade de Mariana, hoje, é

Questão 30

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
No estoque inicial de uma loja, o número de casacos pretos era o triplo do número de casacos vermelhos. Foram vendidos 2 casacos vermelhos e 26 pretos, restando no estoque quantidades iguais de casacos de cada cor. O número total desses casacos no estoque inicial era

Questão 31

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
O piso de um salão retangular, de lados iguais a x e 2x, foi totalmente recoberto por 1 250 placas quadradas iguais de granito, medindo cada uma 40 cm de lado. Sabendo-se que todas as placas foram colocadas inteiras, sem espaço entre elas, pode-se concluir que o perímetro desse salão é

Questão 32

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
Em uma sessão de teatro infantil, havia um total de 480 espectadores, dos quais 80 eram homens adultos. Entre os demais, havia 4 vezes mais crianças do que mulheres adultas.

Desse modo, é correto afirmar que, para cada espectador adulto havia, em média,

Questão 33

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
As plantas de um jardim passaram a ser regadas com um regador, no lugar da mangueira, gerando uma economia de 2 700 litros de água em certo período. Suponha que toda a água economizada tenha sido colocada em um reservatório com a forma de um paralelepípedo reto retângulo, conforme mostra a figura, ocupando 3/5 da sua capacidade total. Nesse caso, a altura desse reservatório, indicada por x na figura, é igual a

Questão 34

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
A figura, com a forma de um triângulo retângulo, mostra as cidades vizinhas A, B e C, e as estradas que ligam essas cidades. Para ir de A até C, passando por B, percorre-se um total de 35 km, sendo que a distância de A até B corresponde a 3/4 da distância de B até C. Pode-se concluir, então, que o trajeto direto entre as cidades A e C é de

Questão 35

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
Os gráficos mostram a variação da cotação, em reais e em ienes, do dólar americano, no período de janeiro a outubro de 2010.

De acordo com os dados dos gráficos, pode-se afirmar que, em outubro de 2010, um real valia, aproximadamente,

Questão 36

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
A garantia de prioridade expressamente estabelecida no Estatuto da Criança e do Adolescente compreende:

Questão 37

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
“A criança e o adolescente têm direito à proteção, à vida e à ________, mediante a efetivação de políticas sociais públicas que permitam o ________ e o desenvolvimento ________ e harmonioso, em condições _________ de existência.”
Assinale a alternativa que contém os vocábulos que preenchem, correta e respectivamente, as lacunas do dispositivo legal apresentado.

Questão 38

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
Conforme o Estatuto da Criança e do Adolescente,

Questão 39

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
Sem prejuízo de outras providências legais, os casos de suspeita ou confirmação de maus-tratos contra criança ou adolescente serão obrigatoriamente comunicados ao

Questão 40

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
Assinale a alternativa que está de acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente.

Questão 41

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
Sobre os direitos individuais contidos no Estatuto da Criança e do Adolescente, é correto afirmar que

Questão 42

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
É uma garantia processual do adolescente:

Questão 43

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
Conforme estabelece expressamente o Estatuto da Criança e do Adolescente, as decisões do Conselho Tutelar, a pedido de quem tenha legítimo interesse, somente poderão ser revistas

Questão 44

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
Assinale a alternativa que está conforme o texto da Constituição Federal.

Questão 45

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
Sempre que alguém sofrer ou se achar ameaçado de sofrer violência ou coação em sua liberdade de locomoção, por ilegalidade ou abuso de poder, a Constituição Federal assegura o remédio jurídico denominado de

Questão 46

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
Sabe-se que o programa Windows Explorer, que integra o Microsoft Windows XP em sua configuração padrão, está sendo utilizado para o gerenciamento de pastas e arquivos.
Assinale a alternativa que contém a afirmação correta sobre as operações realizadas com o mouse, no que diz respeito ao método arrastar e soltar.

Questão 47

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
No programa Microsoft Word 2003, em sua configuração padrão, o menu que permite a um usuário acessar a funcionalidade “Comparar e mesclar documentos” é denominado

Questão 48

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
Um Agente Administrativo preencheu as células de uma planilha que está sendo elaborada com o auxílio do programa Microsoft Excel 2003, em sua configuração padrão, como mostrado na figura a seguir:


Sabendo-se que as expressões matemáticas =EXT.TEXTO(A1 ; 3 ; 2 ) , =ESQUERDA(A2 ; 2 ) , =DIREITA(A3;2) e =CONCATENAR(B1;B3;B2) foram digitadas, respectivamente, nas células B1, B2, B3 e B4, assinale a alternativa que contém o resultado obtido na célula B4.

Questão 49

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
Analise as afirmações sobre o programa Microsoft Power-Point 2003, em sua configuração padrão.
I. Para remover a numeração de diversos parágrafos de um slide da apresentação, depois de selecionar os parágrafos desejados, um usuário poderá acionar o ícone denominado “Marcadores”.
II. Um usuário do programa pode criar uma nova apresentação em branco por meio do ícone “Novo” da barra de ferramentas Padrão, ou selecionando a opção “Novo” que pertence ao menu “Arquivo”.
III. Para encontrar facilmente uma apresentação em que trabalhou anteriormente, um usuário poderá abrir o menu
Exibir e olhar os nomes dos arquivos listados na parte inferior desse menu. É correto o que se afirma em

Questão 50

FUNDAÇÃO CASA 2011 - VUNESP - Agente Administrativo
Considerando os serviços e os recursos disponíveis na Internet, assinale a alternativa que completa, correta e respectivamente, a frase.
O _______ é uma interface da World Wide Web que permite ao usuário ler e escrever um ________ utilizando para tanto um ________ e que pode ser utilizado em qualquer computador com acesso à Internet.



Provas de Concursos » Vunesp 2011