×
Inspetor de Alunos Advogado
×

Pref. São Roque/SP 2020

Secretário de Escola

Questão 1

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
1
Na década de cinquenta, cresceu a participação
 
feminina no mercado de trabalho, especialmente no setor de
 
serviços de consumo coletivo, em escritórios, no comércio ou
 
em serviços públicos. Surgiram então mais oportunidades de
5
emprego em profissões como as de enfermeira, professora,
 
funcionária burocrática, médica, assistente social, vendedora,
 
as quais exigiam das mulheres certa qualificação e, em
 
contrapartida, tornavam-nas profissionais remuneradas. Essa
 
tendência demandou maior escolaridade feminina e provocou,
10
sem dúvida, mudanças no status social das mulheres.
 
Entretanto, eram nítidos os preconceitos que cercavam o
 
trabalho feminino nessa época. Como as mulheres ainda eram
 
vistas prioritariamente como donas de casa e mães, a ideia da
 
incompatibilidade entre casamento e vida profissional tinha
15
grande força no imaginário social. Um dos principais
 
argumentos dos que viam com ressalvas o trabalho feminino
 
era o de que, trabalhando, a mulher deixaria de lado seus
 
afazeres domésticos e suas atenções e cuidados para com o
 
marido: ameaças não só à organização doméstica como
20
também à estabilidade do matrimônio.
 
Carla Bassanezi. Mulheres dos anos dourados. In: História das mulheres
 
no Brasil. 8.ª ed. São Paulo: Con
Infere-se do CG4A1-II que, na década de cinquenta, as mulheres

Questão 2

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
1
Na década de cinquenta, cresceu a participação
 
feminina no mercado de trabalho, especialmente no setor de
 
serviços de consumo coletivo, em escritórios, no comércio ou
 
em serviços públicos. Surgiram então mais oportunidades de
5
emprego em profissões como as de enfermeira, professora,
 
funcionária burocrática, médica, assistente social, vendedora,
 
as quais exigiam das mulheres certa qualificação e, em
 
contrapartida, tornavam-nas profissionais remuneradas. Essa
 
tendência demandou maior escolaridade feminina e provocou,
10
sem dúvida, mudanças no status social das mulheres.
 
Entretanto, eram nítidos os preconceitos que cercavam o
 
trabalho feminino nessa época. Como as mulheres ainda eram
 
vistas prioritariamente como donas de casa e mães, a ideia da
 
incompatibilidade entre casamento e vida profissional tinha
15
grande força no imaginário social. Um dos principais
 
argumentos dos que viam com ressalvas o trabalho feminino
 
era o de que, trabalhando, a mulher deixaria de lado seus
 
afazeres domésticos e suas atenções e cuidados para com o
 
marido: ameaças não só à organização doméstica como
20
também à estabilidade do matrimônio.
 
Carla Bassanezi. Mulheres dos anos dourados. In: História das mulheres
 
no Brasil. 8.ª ed. São Paulo: Con
Infere-se do CG4A1-II que, na década de cinquenta, as mulheres

Questão 3

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
1
Todo mundo conhece os sete pecados capitais e, por
 
séculos, muita gente viveu sob o pêndulo da censura e da
 
condenação moral por eventual cometimento de um des-
 
ses pecados. Hoje em dia, quase ninguém mais dá tanta
5
importância a eles, que mais parecem uma herança esque-
 
cida no passado medieval. Mas, ainda assim, um dos sete
 
pecados encontra-se presente em quase todos nós; em uns
 
mais, em outros menos: a inveja.
 
Melanie Klein, uma das figuras centrais da história da
10
psicanálise, realizou estudos sobre esse assunto e concluiu
 
que a inveja é um sentimento negativo que o ser humano
 
começa a desenvolver desde os primeiros tempos da infân-
 
cia e que, como regra geral, acompanha a pessoa por toda
 
a vida. Ninguém gosta de admitir, mas todos nós, em algum
15
momento, sentimos inveja de alguém, por uma razão ou
 
outra. Segundo os especialistas, isso é natural.
 
O problema são aquelas pessoas que, de tão invejosas,
 
acabam por ficar cegas para as suas próprias potenciali-
 
dades. São pessoas que dedicam a sua existência a admi-
20
rar e desejar intensamente tudo o que pertence aos outros.
 
Como não conseguem tomar para si as coisas ou qualida-
 
des dos outros, passam a desejar a destruição daquilo que
 
tanto admiram. Daí a negatividade da inveja.
 
Entre os inúmeros ditados que falam sobre a inveja,
25
há um bem interessante: “Não grite a sua felicidade, pois a
 
inveja tem sono leve”.
(João Francisco Neto. Diário da Região, 19.10.2019. Adaptado)
Segundo o texto,

Questão 4

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
1
Todo mundo conhece os sete pecados capitais e, por
 
séculos, muita gente viveu sob o pêndulo da censura e da
 
condenação moral por eventual cometimento de um des-
 
ses pecados. Hoje em dia, quase ninguém mais dá tanta
5
importância a eles, que mais parecem uma herança esque-
 
cida no passado medieval. Mas, ainda assim, um dos sete
 
pecados encontra-se presente em quase todos nós; em uns
 
mais, em outros menos: a inveja.
 
Melanie Klein, uma das figuras centrais da história da
10
psicanálise, realizou estudos sobre esse assunto e concluiu
 
que a inveja é um sentimento negativo que o ser humano
 
começa a desenvolver desde os primeiros tempos da infân-
 
cia e que, como regra geral, acompanha a pessoa por toda
 
a vida. Ninguém gosta de admitir, mas todos nós, em algum
15
momento, sentimos inveja de alguém, por uma razão ou
 
outra. Segundo os especialistas, isso é natural.
 
O problema são aquelas pessoas que, de tão invejosas,
 
acabam por ficar cegas para as suas próprias potenciali-
 
dades. São pessoas que dedicam a sua existência a admi-
20
rar e desejar intensamente tudo o que pertence aos outros.
 
Como não conseguem tomar para si as coisas ou qualida-
 
des dos outros, passam a desejar a destruição daquilo que
 
tanto admiram. Daí a negatividade da inveja.
 
Entre os inúmeros ditados que falam sobre a inveja,
25
há um bem interessante: “Não grite a sua felicidade, pois a
 
inveja tem sono leve”.
(João Francisco Neto. Diário da Região, 19.10.2019. Adaptado)
Na expressão “pêndulo da censura e da condenação moral”, o termo destacado está empregado em sentido

Questão 5

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
1
Na década de cinquenta, cresceu a participação
 
feminina no mercado de trabalho, especialmente no setor de
 
serviços de consumo coletivo, em escritórios, no comércio ou
 
em serviços públicos. Surgiram então mais oportunidades de
5
emprego em profissões como as de enfermeira, professora,
 
funcionária burocrática, médica, assistente social, vendedora,
 
as quais exigiam das mulheres certa qualificação e, em
 
contrapartida, tornavam-nas profissionais remuneradas. Essa
 
tendência demandou maior escolaridade feminina e provocou,
10
sem dúvida, mudanças no status social das mulheres.
 
Entretanto, eram nítidos os preconceitos que cercavam o
 
trabalho feminino nessa época. Como as mulheres ainda eram
 
vistas prioritariamente como donas de casa e mães, a ideia da
 
incompatibilidade entre casamento e vida profissional tinha
15
grande força no imaginário social. Um dos principais
 
argumentos dos que viam com ressalvas o trabalho feminino
 
era o de que, trabalhando, a mulher deixaria de lado seus
 
afazeres domésticos e suas atenções e cuidados para com o
 
marido: ameaças não só à organização doméstica como
20
também à estabilidade do matrimônio.
 
Carla Bassanezi. Mulheres dos anos dourados. In: História das mulheres
 
no Brasil. 8.ª ed. São Paulo: Con
Infere-se do CG4A1-II que, na década de cinquenta, as mulheres

Questão 6

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
1
Todo mundo conhece os sete pecados capitais e, por
 
séculos, muita gente viveu sob o pêndulo da censura e da
 
condenação moral por eventual cometimento de um des-
 
ses pecados. Hoje em dia, quase ninguém mais dá tanta
5
importância a eles, que mais parecem uma herança esque-
 
cida no passado medieval. Mas, ainda assim, um dos sete
 
pecados encontra-se presente em quase todos nós; em uns
 
mais, em outros menos: a inveja.
 
Melanie Klein, uma das figuras centrais da história da
10
psicanálise, realizou estudos sobre esse assunto e concluiu
 
que a inveja é um sentimento negativo que o ser humano
 
começa a desenvolver desde os primeiros tempos da infân-
 
cia e que, como regra geral, acompanha a pessoa por toda
 
a vida. Ninguém gosta de admitir, mas todos nós, em algum
15
momento, sentimos inveja de alguém, por uma razão ou
 
outra. Segundo os especialistas, isso é natural.
 
O problema são aquelas pessoas que, de tão invejosas,
 
acabam por ficar cegas para as suas próprias potenciali-
 
dades. São pessoas que dedicam a sua existência a admi-
20
rar e desejar intensamente tudo o que pertence aos outros.
 
Como não conseguem tomar para si as coisas ou qualida-
 
des dos outros, passam a desejar a destruição daquilo que
 
tanto admiram. Daí a negatividade da inveja.
 
Entre os inúmeros ditados que falam sobre a inveja,
25
há um bem interessante: “Não grite a sua felicidade, pois a
 
inveja tem sono leve”.
(João Francisco Neto. Diário da Região, 19.10.2019. Adaptado)
O trecho assinalado na passagem – O problema são aquelas pessoas que, de tão invejosas, acabam por ficar cegas para as suas próprias potencialidades. – expressa, na relação com o contexto, o sentido de

Questão 7

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
1
Na década de cinquenta, cresceu a participação
 
feminina no mercado de trabalho, especialmente no setor de
 
serviços de consumo coletivo, em escritórios, no comércio ou
 
em serviços públicos. Surgiram então mais oportunidades de
5
emprego em profissões como as de enfermeira, professora,
 
funcionária burocrática, médica, assistente social, vendedora,
 
as quais exigiam das mulheres certa qualificação e, em
 
contrapartida, tornavam-nas profissionais remuneradas. Essa
 
tendência demandou maior escolaridade feminina e provocou,
10
sem dúvida, mudanças no status social das mulheres.
 
Entretanto, eram nítidos os preconceitos que cercavam o
 
trabalho feminino nessa época. Como as mulheres ainda eram
 
vistas prioritariamente como donas de casa e mães, a ideia da
 
incompatibilidade entre casamento e vida profissional tinha
15
grande força no imaginário social. Um dos principais
 
argumentos dos que viam com ressalvas o trabalho feminino
 
era o de que, trabalhando, a mulher deixaria de lado seus
 
afazeres domésticos e suas atenções e cuidados para com o
 
marido: ameaças não só à organização doméstica como
20
também à estabilidade do matrimônio.
 
Carla Bassanezi. Mulheres dos anos dourados. In: História das mulheres
 
no Brasil. 8.ª ed. São Paulo: Con
Infere-se do CG4A1-II que, na década de cinquenta, as mulheres

Questão 8

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
1
Todo mundo conhece os sete pecados capitais e, por
 
séculos, muita gente viveu sob o pêndulo da censura e da
 
condenação moral por eventual cometimento de um des-
 
ses pecados. Hoje em dia, quase ninguém mais dá tanta
5
importância a eles, que mais parecem uma herança esque-
 
cida no passado medieval. Mas, ainda assim, um dos sete
 
pecados encontra-se presente em quase todos nós; em uns
 
mais, em outros menos: a inveja.
 
Melanie Klein, uma das figuras centrais da história da
10
psicanálise, realizou estudos sobre esse assunto e concluiu
 
que a inveja é um sentimento negativo que o ser humano
 
começa a desenvolver desde os primeiros tempos da infân-
 
cia e que, como regra geral, acompanha a pessoa por toda
 
a vida. Ninguém gosta de admitir, mas todos nós, em algum
15
momento, sentimos inveja de alguém, por uma razão ou
 
outra. Segundo os especialistas, isso é natural.
 
O problema são aquelas pessoas que, de tão invejosas,
 
acabam por ficar cegas para as suas próprias potenciali-
 
dades. São pessoas que dedicam a sua existência a admi-
20
rar e desejar intensamente tudo o que pertence aos outros.
 
Como não conseguem tomar para si as coisas ou qualida-
 
des dos outros, passam a desejar a destruição daquilo que
 
tanto admiram. Daí a negatividade da inveja.
 
Entre os inúmeros ditados que falam sobre a inveja,
25
há um bem interessante: “Não grite a sua felicidade, pois a
 
inveja tem sono leve”.
(João Francisco Neto. Diário da Região, 19.10.2019. Adaptado)
Nas expressões destacadas no primeiro parágrafo – por séculos / por eventual cometimento de algum desses pecados – a preposição “por” imprime aos respectivos contextos as noções de

Questão 9

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
1
Na década de cinquenta, cresceu a participação
 
feminina no mercado de trabalho, especialmente no setor de
 
serviços de consumo coletivo, em escritórios, no comércio ou
 
em serviços públicos. Surgiram então mais oportunidades de
5
emprego em profissões como as de enfermeira, professora,
 
funcionária burocrática, médica, assistente social, vendedora,
 
as quais exigiam das mulheres certa qualificação e, em
 
contrapartida, tornavam-nas profissionais remuneradas. Essa
 
tendência demandou maior escolaridade feminina e provocou,
10
sem dúvida, mudanças no status social das mulheres.
 
Entretanto, eram nítidos os preconceitos que cercavam o
 
trabalho feminino nessa época. Como as mulheres ainda eram
 
vistas prioritariamente como donas de casa e mães, a ideia da
 
incompatibilidade entre casamento e vida profissional tinha
15
grande força no imaginário social. Um dos principais
 
argumentos dos que viam com ressalvas o trabalho feminino
 
era o de que, trabalhando, a mulher deixaria de lado seus
 
afazeres domésticos e suas atenções e cuidados para com o
 
marido: ameaças não só à organização doméstica como
20
também à estabilidade do matrimônio.
 
Carla Bassanezi. Mulheres dos anos dourados. In: História das mulheres
 
no Brasil. 8.ª ed. São Paulo: Con
Infere-se do CG4A1-II que, na década de cinquenta, as mulheres

Questão 10

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
1
Assinale a alternativa que reescreve fala da charge de acordo com a norma-padrão de concordância.

Questão 11

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
1
Na década de cinquenta, cresceu a participação
 
feminina no mercado de trabalho, especialmente no setor de
 
serviços de consumo coletivo, em escritórios, no comércio ou
 
em serviços públicos. Surgiram então mais oportunidades de
5
emprego em profissões como as de enfermeira, professora,
 
funcionária burocrática, médica, assistente social, vendedora,
 
as quais exigiam das mulheres certa qualificação e, em
 
contrapartida, tornavam-nas profissionais remuneradas. Essa
 
tendência demandou maior escolaridade feminina e provocou,
10
sem dúvida, mudanças no status social das mulheres.
 
Entretanto, eram nítidos os preconceitos que cercavam o
 
trabalho feminino nessa época. Como as mulheres ainda eram
 
vistas prioritariamente como donas de casa e mães, a ideia da
 
incompatibilidade entre casamento e vida profissional tinha
15
grande força no imaginário social. Um dos principais
 
argumentos dos que viam com ressalvas o trabalho feminino
 
era o de que, trabalhando, a mulher deixaria de lado seus
 
afazeres domésticos e suas atenções e cuidados para com o
 
marido: ameaças não só à organização doméstica como
20
também à estabilidade do matrimônio.
 
Carla Bassanezi. Mulheres dos anos dourados. In: História das mulheres
 
no Brasil. 8.ª ed. São Paulo: Con
Infere-se do CG4A1-II que, na década de cinquenta, as mulheres

Questão 12

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
1
Na década de cinquenta, cresceu a participação
 
feminina no mercado de trabalho, especialmente no setor de
 
serviços de consumo coletivo, em escritórios, no comércio ou
 
em serviços públicos. Surgiram então mais oportunidades de
5
emprego em profissões como as de enfermeira, professora,
 
funcionária burocrática, médica, assistente social, vendedora,
 
as quais exigiam das mulheres certa qualificação e, em
 
contrapartida, tornavam-nas profissionais remuneradas. Essa
 
tendência demandou maior escolaridade feminina e provocou,
10
sem dúvida, mudanças no status social das mulheres.
 
Entretanto, eram nítidos os preconceitos que cercavam o
 
trabalho feminino nessa época. Como as mulheres ainda eram
 
vistas prioritariamente como donas de casa e mães, a ideia da
 
incompatibilidade entre casamento e vida profissional tinha
15
grande força no imaginário social. Um dos principais
 
argumentos dos que viam com ressalvas o trabalho feminino
 
era o de que, trabalhando, a mulher deixaria de lado seus
 
afazeres domésticos e suas atenções e cuidados para com o
 
marido: ameaças não só à organização doméstica como
20
também à estabilidade do matrimônio.
 
Carla Bassanezi. Mulheres dos anos dourados. In: História das mulheres
 
no Brasil. 8.ª ed. São Paulo: Con
Infere-se do CG4A1-II que, na década de cinquenta, as mulheres

Questão 13

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
1
Subi ao avião com indiferença, e como o dia não estava
 
bonito, lancei apenas um olhar distraído a essa cidade do Rio
 
de Janeiro e mergulhei na leitura de um jornal. Depois fiquei
 
a olhar pela janela e não via mais que nuvens, e feias. Na
5
verdade, não estava no céu; pensava coisas da terra, minhas
 
pobres, pequenas coisas, uma aborrecida sonolência foi me
 
dominando, até que uma senhora nervosa ao meu lado disse
 
que “nós não podemos descer!” O avião já havia chegado
 
a São Paulo, mas estava fazendo sua ronda dentro de um
10
nevoeiro fechado, à espera de ordem para pousar. Procurei
 
acalmar a senhora.
 
Ela estava tão aflita que embora fizesse frio se abanava
 
com uma revista. Tentei convencê-la de que não devia se aba-
 
nar, mas acabei achando que era melhor que o fizesse. Ela
15
precisava fazer alguma coisa, e a única providência que apa-
 
rentemente poderia tomar naquele momento de medo era se
 
abanar. Ofereci-lhe meu jornal dobrado, no lugar da revista, e
 
ficou muito grata, como se acreditasse que, produzindo mais
 
vento, adquirisse maior eficiência na sua luta contra a morte.
20
Gastei cerca de meia hora com a aflição daquela senhora.
 
Notando que uma sua amiga estava em outra poltrona, ofereci-
 
-me para trocar de lugar, e ela aceitou. Mas esperei inutilmente
 
que recolhesse as pernas para que eu pudesse sair de meu
 
lugar junto à janela; acabou confessando que assim mesmo
25
estava bem, e preferia ter um homem – “o senhor” – ao lado.
 
Isto lisonjeou meu orgulho de cavalheiro: senti-me útil e res-
 
ponsável. Era por estar ali eu, um homem, que aquele avião
 
não ousava cair.
(Rubem Braga, Um braço de mulher. Os cem melhores contos brasileiros do século.)
Empregando aspas na passagem “nós não podemos descer”, o narrador sinaliza ao leitor que se trata

Questão 14

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
1
Subi ao avião com indiferença, e como o dia não estava
 
bonito, lancei apenas um olhar distraído a essa cidade do Rio
 
de Janeiro e mergulhei na leitura de um jornal. Depois fiquei
 
a olhar pela janela e não via mais que nuvens, e feias. Na
5
verdade, não estava no céu; pensava coisas da terra, minhas
 
pobres, pequenas coisas, uma aborrecida sonolência foi me
 
dominando, até que uma senhora nervosa ao meu lado disse
 
que “nós não podemos descer!” O avião já havia chegado
 
a São Paulo, mas estava fazendo sua ronda dentro de um
10
nevoeiro fechado, à espera de ordem para pousar. Procurei
 
acalmar a senhora.
 
Ela estava tão aflita que embora fizesse frio se abanava
 
com uma revista. Tentei convencê-la de que não devia se aba-
 
nar, mas acabei achando que era melhor que o fizesse. Ela
15
precisava fazer alguma coisa, e a única providência que apa-
 
rentemente poderia tomar naquele momento de medo era se
 
abanar. Ofereci-lhe meu jornal dobrado, no lugar da revista, e
 
ficou muito grata, como se acreditasse que, produzindo mais
 
vento, adquirisse maior eficiência na sua luta contra a morte.
20
Gastei cerca de meia hora com a aflição daquela senhora.
 
Notando que uma sua amiga estava em outra poltrona, ofereci-
 
-me para trocar de lugar, e ela aceitou. Mas esperei inutilmente
 
que recolhesse as pernas para que eu pudesse sair de meu
 
lugar junto à janela; acabou confessando que assim mesmo
25
estava bem, e preferia ter um homem – “o senhor” – ao lado.
 
Isto lisonjeou meu orgulho de cavalheiro: senti-me útil e res-
 
ponsável. Era por estar ali eu, um homem, que aquele avião
 
não ousava cair.
(Rubem Braga, Um braço de mulher. Os cem melhores contos brasileiros do século.)
Nas passagens do segundo e do terceiro parágrafos, as expressões destacadas (“o fizesse” e “Isto”) referem-se, correta e respectivamente, às informações textuais

Questão 15

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
1
Subi ao avião com indiferença, e como o dia não estava
 
bonito, lancei apenas um olhar distraído a essa cidade do Rio
 
de Janeiro e mergulhei na leitura de um jornal. Depois fiquei
 
a olhar pela janela e não via mais que nuvens, e feias. Na
5
verdade, não estava no céu; pensava coisas da terra, minhas
 
pobres, pequenas coisas, uma aborrecida sonolência foi me
 
dominando, até que uma senhora nervosa ao meu lado disse
 
que “nós não podemos descer!” O avião já havia chegado
 
a São Paulo, mas estava fazendo sua ronda dentro de um
10
nevoeiro fechado, à espera de ordem para pousar. Procurei
 
acalmar a senhora.
 
Ela estava tão aflita que embora fizesse frio se abanava
 
com uma revista. Tentei convencê-la de que não devia se aba-
 
nar, mas acabei achando que era melhor que o fizesse. Ela
15
precisava fazer alguma coisa, e a única providência que apa-
 
rentemente poderia tomar naquele momento de medo era se
 
abanar. Ofereci-lhe meu jornal dobrado, no lugar da revista, e
 
ficou muito grata, como se acreditasse que, produzindo mais
 
vento, adquirisse maior eficiência na sua luta contra a morte.
20
Gastei cerca de meia hora com a aflição daquela senhora.
 
Notando que uma sua amiga estava em outra poltrona, ofereci-
 
-me para trocar de lugar, e ela aceitou. Mas esperei inutilmente
 
que recolhesse as pernas para que eu pudesse sair de meu
 
lugar junto à janela; acabou confessando que assim mesmo
25
estava bem, e preferia ter um homem – “o senhor” – ao lado.
 
Isto lisonjeou meu orgulho de cavalheiro: senti-me útil e res-
 
ponsável. Era por estar ali eu, um homem, que aquele avião
 
não ousava cair.
(Rubem Braga, Um braço de mulher. Os cem melhores contos brasileiros do século.)
A alternativa que reescreve passagem do texto de acordo com a norma-padrão de regência verbal é:

Questão 16

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
1
Na década de cinquenta, cresceu a participação
 
feminina no mercado de trabalho, especialmente no setor de
 
serviços de consumo coletivo, em escritórios, no comércio ou
 
em serviços públicos. Surgiram então mais oportunidades de
5
emprego em profissões como as de enfermeira, professora,
 
funcionária burocrática, médica, assistente social, vendedora,
 
as quais exigiam das mulheres certa qualificação e, em
 
contrapartida, tornavam-nas profissionais remuneradas. Essa
 
tendência demandou maior escolaridade feminina e provocou,
10
sem dúvida, mudanças no status social das mulheres.
 
Entretanto, eram nítidos os preconceitos que cercavam o
 
trabalho feminino nessa época. Como as mulheres ainda eram
 
vistas prioritariamente como donas de casa e mães, a ideia da
 
incompatibilidade entre casamento e vida profissional tinha
15
grande força no imaginário social. Um dos principais
 
argumentos dos que viam com ressalvas o trabalho feminino
 
era o de que, trabalhando, a mulher deixaria de lado seus
 
afazeres domésticos e suas atenções e cuidados para com o
 
marido: ameaças não só à organização doméstica como
20
também à estabilidade do matrimônio.
 
Carla Bassanezi. Mulheres dos anos dourados. In: História das mulheres
 
no Brasil. 8.ª ed. São Paulo: Con
Infere-se do CG4A1-II que, na década de cinquenta, as mulheres

Questão 17

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
1
Na década de cinquenta, cresceu a participação
 
feminina no mercado de trabalho, especialmente no setor de
 
serviços de consumo coletivo, em escritórios, no comércio ou
 
em serviços públicos. Surgiram então mais oportunidades de
5
emprego em profissões como as de enfermeira, professora,
 
funcionária burocrática, médica, assistente social, vendedora,
 
as quais exigiam das mulheres certa qualificação e, em
 
contrapartida, tornavam-nas profissionais remuneradas. Essa
 
tendência demandou maior escolaridade feminina e provocou,
10
sem dúvida, mudanças no status social das mulheres.
 
Entretanto, eram nítidos os preconceitos que cercavam o
 
trabalho feminino nessa época. Como as mulheres ainda eram
 
vistas prioritariamente como donas de casa e mães, a ideia da
 
incompatibilidade entre casamento e vida profissional tinha
15
grande força no imaginário social. Um dos principais
 
argumentos dos que viam com ressalvas o trabalho feminino
 
era o de que, trabalhando, a mulher deixaria de lado seus
 
afazeres domésticos e suas atenções e cuidados para com o
 
marido: ameaças não só à organização doméstica como
20
também à estabilidade do matrimônio.
 
Carla Bassanezi. Mulheres dos anos dourados. In: História das mulheres
 
no Brasil. 8.ª ed. São Paulo: Con
Infere-se do CG4A1-II que, na década de cinquenta, as mulheres

Questão 18

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
A alternativa em que os verbos estão conjugados de acordo com a norma-padrão é:

Questão 19

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
1
Na década de cinquenta, cresceu a participação
 
feminina no mercado de trabalho, especialmente no setor de
 
serviços de consumo coletivo, em escritórios, no comércio ou
 
em serviços públicos. Surgiram então mais oportunidades de
5
emprego em profissões como as de enfermeira, professora,
 
funcionária burocrática, médica, assistente social, vendedora,
 
as quais exigiam das mulheres certa qualificação e, em
 
contrapartida, tornavam-nas profissionais remuneradas. Essa
 
tendência demandou maior escolaridade feminina e provocou,
10
sem dúvida, mudanças no status social das mulheres.
 
Entretanto, eram nítidos os preconceitos que cercavam o
 
trabalho feminino nessa época. Como as mulheres ainda eram
 
vistas prioritariamente como donas de casa e mães, a ideia da
 
incompatibilidade entre casamento e vida profissional tinha
15
grande força no imaginário social. Um dos principais
 
argumentos dos que viam com ressalvas o trabalho feminino
 
era o de que, trabalhando, a mulher deixaria de lado seus
 
afazeres domésticos e suas atenções e cuidados para com o
 
marido: ameaças não só à organização doméstica como
20
também à estabilidade do matrimônio.
 
Carla Bassanezi. Mulheres dos anos dourados. In: História das mulheres
 
no Brasil. 8.ª ed. São Paulo: Con
Infere-se do CG4A1-II que, na década de cinquenta, as mulheres

Questão 20

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
Está de acordo com a norma-padrão de concordância nominal e verbal a alternativa:

Questão 21

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
1
A questão foi elaborada com base
 
em informações apresentadas no site do Instituto Brasileiro
 
de Geografia e Estatística (IBGE), e está relacionada ao
 
Município de São Roque.
Para o ano de 2019, a população estimada no município é de 91 016 pessoas. Se essa estimativa é maior em 12 195 pessoas do que a população identificada no censo de 2010, então é verdade que a população identificada no referido censo era de

Questão 22

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
1
O peso de Eurídice se estabilizou, assim como a rotina
 
da família Gusmão Campelo. Antenor saía para o trabalho, os
 
filhos saíam para a escola e Eurídice ficava em casa, moendo
 
carne e remoendo os pensamentos estéreis que faziam da sua
5
vida infeliz. Ela não tinha emprego, ela já tinha ido para a
 
escola, e como preencher as horas do dia depois de arrumar as
 
camas, regar as plantas, varrer a sala, lavar a roupa, temperar
 
o feijão, refogar o arroz, preparar o suflê e fritar os bifes?
 
Porque Eurídice, vejam vocês, era uma mulher brilhante. Se lhe
10
dessem cálculos elaborados, ela projetaria pontes. Se lhe
 
dessem um laboratório, ela inventaria vacinas. Se lhe dessem
 
páginas brancas, ela escreveria clássicos. No entanto, o que lhe
 
deram foram cuecas sujas, que Eurídice lavou muito rápido e
 
muito bem, sentando-se em seguida no sofá, olhando as unhas
15
e pensando no que deveria pensar. E foi assim que concluiu
 
que não deveria pensar, e que, para não pensar, deveria se
 
manter ocupada todas as horas do dia, e que a única atividade
 
caseira que oferecia tal benefício era aquela que apresentava o
 
dom de ser quase infinita em suas demandas diárias: a
20
culinária. Eurídice jamais seria uma engenheira, nunca poria os
 
pés em um laboratório e não ousaria escrever versos, mas essa
 
mulher se dedicou à única atividade permitida que tinha um
 
certo quê de engenharia, ciência e poesia. Todas as manhãs,
 
depois de despertar, preparar, alimentar e se livrar do marido
25
e dos filhos, Eurídice abria o livro de receitas da Tia Palmira.
 
Martha Batalha. A vida invisível de Eurídice Gusmão. 1.ª ed.
 
São Paulo: Companhia das Letras, 2016 (com adaptações).
Infere-se do CG4A1-I que a personagem Eurídice dedicava-se à culinária porque

Questão 23

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
1
A questão foi elaborada com base
 
em informações apresentadas no site do Instituto Brasileiro
 
de Geografia e Estatística (IBGE), e está relacionada ao
 
Município de São Roque.
A razão entre o número de docentes que atuavam na Educação Infantil nos anos de 2017 e 2018, no município, era 14/17. Se em 2018 o número de professores que atuavam nesse segmento era maior em 66 docentes, em relação aos que atuavam em 2017, então é verdade que em São Roque, o número de docentes que atuavam na Educação Infantil, em 2018, era igual a

Questão 24

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
1
A questão foi elaborada com base
 
em informações apresentadas no site do Instituto Brasileiro
 
de Geografia e Estatística (IBGE), e está relacionada ao
 
Município de São Roque.
No ano de 2017, 22 593 pessoas, no município, eram consideradas ocupadas, ou seja, estavam trabalhando. Sabendo-se que esse número correspondia a 25,5% da população do município, no referido ano, conclui-se, corretamente, que a população de São Roque, em 2017, era de

Questão 25

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
1
Do total de MWh de energia utilizada no dia 17.10.2019, a quantidade de MWh de energia que foi proveniente de fontes não-renováveis correspondia a, aproximadamente,

Questão 26

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
1
Considerando-se o ano com 365 dias, a previsão para ocorrer o fim do petróleo no mundo é o ano de

Questão 27

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
1
O peso de Eurídice se estabilizou, assim como a rotina
 
da família Gusmão Campelo. Antenor saía para o trabalho, os
 
filhos saíam para a escola e Eurídice ficava em casa, moendo
 
carne e remoendo os pensamentos estéreis que faziam da sua
5
vida infeliz. Ela não tinha emprego, ela já tinha ido para a
 
escola, e como preencher as horas do dia depois de arrumar as
 
camas, regar as plantas, varrer a sala, lavar a roupa, temperar
 
o feijão, refogar o arroz, preparar o suflê e fritar os bifes?
 
Porque Eurídice, vejam vocês, era uma mulher brilhante. Se lhe
10
dessem cálculos elaborados, ela projetaria pontes. Se lhe
 
dessem um laboratório, ela inventaria vacinas. Se lhe dessem
 
páginas brancas, ela escreveria clássicos. No entanto, o que lhe
 
deram foram cuecas sujas, que Eurídice lavou muito rápido e
 
muito bem, sentando-se em seguida no sofá, olhando as unhas
15
e pensando no que deveria pensar. E foi assim que concluiu
 
que não deveria pensar, e que, para não pensar, deveria se
 
manter ocupada todas as horas do dia, e que a única atividade
 
caseira que oferecia tal benefício era aquela que apresentava o
 
dom de ser quase infinita em suas demandas diárias: a
20
culinária. Eurídice jamais seria uma engenheira, nunca poria os
 
pés em um laboratório e não ousaria escrever versos, mas essa
 
mulher se dedicou à única atividade permitida que tinha um
 
certo quê de engenharia, ciência e poesia. Todas as manhãs,
 
depois de despertar, preparar, alimentar e se livrar do marido
25
e dos filhos, Eurídice abria o livro de receitas da Tia Palmira.
 
Martha Batalha. A vida invisível de Eurídice Gusmão. 1.ª ed.
 
São Paulo: Companhia das Letras, 2016 (com adaptações).
Infere-se do CG4A1-I que a personagem Eurídice dedicava-se à culinária porque

Questão 28

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
1
Na década de cinquenta, cresceu a participação
 
feminina no mercado de trabalho, especialmente no setor de
 
serviços de consumo coletivo, em escritórios, no comércio ou
 
em serviços públicos. Surgiram então mais oportunidades de
5
emprego em profissões como as de enfermeira, professora,
 
funcionária burocrática, médica, assistente social, vendedora,
 
as quais exigiam das mulheres certa qualificação e, em
 
contrapartida, tornavam-nas profissionais remuneradas. Essa
 
tendência demandou maior escolaridade feminina e provocou,
10
sem dúvida, mudanças no status social das mulheres.
 
Entretanto, eram nítidos os preconceitos que cercavam o
 
trabalho feminino nessa época. Como as mulheres ainda eram
 
vistas prioritariamente como donas de casa e mães, a ideia da
 
incompatibilidade entre casamento e vida profissional tinha
15
grande força no imaginário social. Um dos principais
 
argumentos dos que viam com ressalvas o trabalho feminino
 
era o de que, trabalhando, a mulher deixaria de lado seus
 
afazeres domésticos e suas atenções e cuidados para com o
 
marido: ameaças não só à organização doméstica como
20
também à estabilidade do matrimônio.
 
Carla Bassanezi. Mulheres dos anos dourados. In: História das mulheres
 
no Brasil. 8.ª ed. São Paulo: Con
Infere-se do CG4A1-II que, na década de cinquenta, as mulheres

Questão 29

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
A secretária de uma escola realiza, rigorosamente, uma tarefa A, a cada 6 dias trabalhados, e uma tarefa B, a cada 4 dias trabalhados. Sabendo-se que ela trabalha de segunda à sexta-feira, que em uma quinta-feira ela realizou ambas as tarefas, e que durante o mês seguinte a essa quinta-feira não houve interrupção dos dias trabalhados por ela, é correto afirmar que a vez imediatamente posterior em que ela realizou, no mesmo dia, ambas as tarefas foi uma

Questão 30

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
A tabela apresenta informações sobre a distribuição do total de 80 pessoas atendidas em determinado dia em uma repartição pública, que funciona das 9 às 17 horas.



Com base nas informações apresentadas, assinale a alternativa que contêm uma afirmação verdadeira.

Questão 31

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
O gráfico apresenta a distribuição do número total de matrículas efetuadas em 2017 e 2018 em uma escola de Ensino Fundamental, nas variáveis anos iniciais e anos finais.



Com base nas informações apresentadas, assinale a alternativa que contém uma informação necessariamente verdadeira.

Questão 32

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
O valor de R$ 180,00 foi dividido entre Carlos, Renato e Alessandra, de modo que Alessandra recebeu o dobro do valor recebido por Carlos, e Renato recebeu R$ 51,00. Sendo assim, o valor que Alessandra recebeu, comparado ao valor recebido por Renato, é maior em

Questão 33

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
Uma verba municipal foi dividida para três escolas de um município: a escola A rebebeu a quarta parte da verba municipal, a escola B recebeu dois terços do valor não recebido pela escola A, e a escola C recebeu o restante, o que correspondeu a R$ 1,4 milhão. O valor total da verba municipal dividida foi de

Questão 34

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
Uma sala de aula, com perímetro de 22 metros, tem o comprimento equivalendo a 1,2 vezes a sua largura. A área dessa sala de aula, em metros quadrados, é igual a

Questão 35

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
1
Na década de cinquenta, cresceu a participação
 
feminina no mercado de trabalho, especialmente no setor de
 
serviços de consumo coletivo, em escritórios, no comércio ou
 
em serviços públicos. Surgiram então mais oportunidades de
5
emprego em profissões como as de enfermeira, professora,
 
funcionária burocrática, médica, assistente social, vendedora,
 
as quais exigiam das mulheres certa qualificação e, em
 
contrapartida, tornavam-nas profissionais remuneradas. Essa
 
tendência demandou maior escolaridade feminina e provocou,
10
sem dúvida, mudanças no status social das mulheres.
 
Entretanto, eram nítidos os preconceitos que cercavam o
 
trabalho feminino nessa época. Como as mulheres ainda eram
 
vistas prioritariamente como donas de casa e mães, a ideia da
 
incompatibilidade entre casamento e vida profissional tinha
15
grande força no imaginário social. Um dos principais
 
argumentos dos que viam com ressalvas o trabalho feminino
 
era o de que, trabalhando, a mulher deixaria de lado seus
 
afazeres domésticos e suas atenções e cuidados para com o
 
marido: ameaças não só à organização doméstica como
20
também à estabilidade do matrimônio.
 
Carla Bassanezi. Mulheres dos anos dourados. In: História das mulheres
 
no Brasil. 8.ª ed. São Paulo: Con
Infere-se do CG4A1-II que, na década de cinquenta, as mulheres

Questão 36

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
1
Na década de cinquenta, cresceu a participação
 
feminina no mercado de trabalho, especialmente no setor de
 
serviços de consumo coletivo, em escritórios, no comércio ou
 
em serviços públicos. Surgiram então mais oportunidades de
5
emprego em profissões como as de enfermeira, professora,
 
funcionária burocrática, médica, assistente social, vendedora,
 
as quais exigiam das mulheres certa qualificação e, em
 
contrapartida, tornavam-nas profissionais remuneradas. Essa
 
tendência demandou maior escolaridade feminina e provocou,
10
sem dúvida, mudanças no status social das mulheres.
 
Entretanto, eram nítidos os preconceitos que cercavam o
 
trabalho feminino nessa época. Como as mulheres ainda eram
 
vistas prioritariamente como donas de casa e mães, a ideia da
 
incompatibilidade entre casamento e vida profissional tinha
15
grande força no imaginário social. Um dos principais
 
argumentos dos que viam com ressalvas o trabalho feminino
 
era o de que, trabalhando, a mulher deixaria de lado seus
 
afazeres domésticos e suas atenções e cuidados para com o
 
marido: ameaças não só à organização doméstica como
20
também à estabilidade do matrimônio.
 
Carla Bassanezi. Mulheres dos anos dourados. In: História das mulheres
 
no Brasil. 8.ª ed. São Paulo: Con
Infere-se do CG4A1-II que, na década de cinquenta, as mulheres

Questão 37

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
1
Na década de cinquenta, cresceu a participação
 
feminina no mercado de trabalho, especialmente no setor de
 
serviços de consumo coletivo, em escritórios, no comércio ou
 
em serviços públicos. Surgiram então mais oportunidades de
5
emprego em profissões como as de enfermeira, professora,
 
funcionária burocrática, médica, assistente social, vendedora,
 
as quais exigiam das mulheres certa qualificação e, em
 
contrapartida, tornavam-nas profissionais remuneradas. Essa
 
tendência demandou maior escolaridade feminina e provocou,
10
sem dúvida, mudanças no status social das mulheres.
 
Entretanto, eram nítidos os preconceitos que cercavam o
 
trabalho feminino nessa época. Como as mulheres ainda eram
 
vistas prioritariamente como donas de casa e mães, a ideia da
 
incompatibilidade entre casamento e vida profissional tinha
15
grande força no imaginário social. Um dos principais
 
argumentos dos que viam com ressalvas o trabalho feminino
 
era o de que, trabalhando, a mulher deixaria de lado seus
 
afazeres domésticos e suas atenções e cuidados para com o
 
marido: ameaças não só à organização doméstica como
20
também à estabilidade do matrimônio.
 
Carla Bassanezi. Mulheres dos anos dourados. In: História das mulheres
 
no Brasil. 8.ª ed. São Paulo: Con
Infere-se do CG4A1-II que, na década de cinquenta, as mulheres

Questão 38

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
As células de uma planilha que está sendo elaborada com o programa MS-Excel 2010, em sua configuração padrão, foram preenchidas com os valores mostrados na figura a seguir:



Se =CONT.SE(A1:E5;”<2”)+CONT.SE(C1:E5;”>8”) for a fórmula inserida na célula A6, o valor resultante será

Questão 39

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
Assinale a alternativa que contém os nomes das guias do programa MS-PowerPoint 2010, em sua configuração padrão, que, respectivamente, permitem a um usuário adicionar uma tabela a um slide e escolher um tema para os slides de uma apresentação.

Questão 40

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
Assinale a alternativa que contém o nome do sistema de documentos disponíveis na Internet no formato de hipertexto que podem ser acessados por meio de um programa de computador chamado navegador.

Questão 41

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
O Censo Escolar é uma pesquisa estatística declaratória realizada anualmente pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), autarquia vinculada ao Ministério da Educação (MEC), em regime de colaboração entre a União, os estados, o Distrito Federal e os municípios, que tem por objetivo realizar um amplo levantamento sobre a educação brasileira. É o mais importante levantamento estatístico educacional sobre as diferentes etapas e modalidades de ensino da educação básica e da educação profissional. A data referência para seu preenchimento deve ocorrer no denominado Dia Nacional do Censo Escolar, ou seja,

Questão 42

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
O documento produzido sem rasura, ao término do período letivo, contendo obrigatoriamente: nome da instituição, dia, mês e ano da conclusão da série ou etapa; forma de organização do ensino (série, ciclo, turma e turno); níveis e modalidades; nome dos alunos por extenso, organizados em ordem alfabética, exatamente igual ao registrado no diário de classe que por sua vez deve estar conforme a certidão de nascimento ou casamento; rol de disciplinas; resultado final (aprovados, reprovados, afastados por transferência e abandono) com assinaturas do diretor e do secretário escolar, recebe o nome de

Questão 43

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
Na escola municipal em que trabalha Sueli, secretária de escola, matrículas são admitidas mediante existência de vaga e cumprimento das seguintes etapas: 1. requerimento assinado pelo aluno (quando maior de 18 anos) e/ ou por seu responsável legal e 2. mediante a entrega da documentação, que deverá ser arquivada em prontuário próprio: Cópia da Certidão de Nascimento ou Casamento, conforme o caso; Cópia do RG do aluno, caso o possua; Cópia de comprovante de endereço ou declaração. A mãe de uma criança de 07 anos, que nunca frequentou escola, solicitou vaga na 1ª série do ensino fundamental e não apresentou cópia da certidão de nascimento ou do RG da criança, alegando que sua filha nunca teve esses documentos. Em uma situação como essa, a secretária escolar deverá

Questão 44

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
O pai de um estudante matriculado no terceiro ano do ensino fundamental buscou o secretário escolar solicitando uma declaração de escolaridade em que constasse a quantidade de faltas do seu filho, pois, separado da genitora, desejava entrar na justiça solicitando guarda do filho com a alegação de abandono intelectual, gerado por acreditar na infrequência do estudante às aulas. Em uma situação como essa, cabe ao secretário

Questão 45

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
Observe o documento a seguir.



Esse documento, elaborado por um secretário de escola, é um tipo de correspondência interna, que trata de qualquer assunto de trabalho, utilizada entre unidades administrativas da mesma instituição, com o mesmo nível hierárquico ou não, é chamado de

Questão 46

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
1
Na década de cinquenta, cresceu a participação
 
feminina no mercado de trabalho, especialmente no setor de
 
serviços de consumo coletivo, em escritórios, no comércio ou
 
em serviços públicos. Surgiram então mais oportunidades de
5
emprego em profissões como as de enfermeira, professora,
 
funcionária burocrática, médica, assistente social, vendedora,
 
as quais exigiam das mulheres certa qualificação e, em
 
contrapartida, tornavam-nas profissionais remuneradas. Essa
 
tendência demandou maior escolaridade feminina e provocou,
10
sem dúvida, mudanças no status social das mulheres.
 
Entretanto, eram nítidos os preconceitos que cercavam o
 
trabalho feminino nessa época. Como as mulheres ainda eram
 
vistas prioritariamente como donas de casa e mães, a ideia da
 
incompatibilidade entre casamento e vida profissional tinha
15
grande força no imaginário social. Um dos principais
 
argumentos dos que viam com ressalvas o trabalho feminino
 
era o de que, trabalhando, a mulher deixaria de lado seus
 
afazeres domésticos e suas atenções e cuidados para com o
 
marido: ameaças não só à organização doméstica como
20
também à estabilidade do matrimônio.
 
Carla Bassanezi. Mulheres dos anos dourados. In: História das mulheres
 
no Brasil. 8.ª ed. São Paulo: Con
Infere-se do CG4A1-II que, na década de cinquenta, as mulheres

Questão 47

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
Complete a sentença a seguir, tornando-a verdadeira, de acordo com o conceito expresso no Caderno 11 do Programa Profuncionário – Disciplinas de Formação Técnica em Secretaria.

“Como outro elemento fundamental da gestão democrática, a transparência está intrinsecamente ligada à ideia de escola como espaço público. Face ao predomínio da lógica econômica em todos os setores sociais, em especial na educação, garantir a visibilidade da escola frente à sociedade, torna-se _______ .”

Questão 48

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
1
Na década de cinquenta, cresceu a participação
 
feminina no mercado de trabalho, especialmente no setor de
 
serviços de consumo coletivo, em escritórios, no comércio ou
 
em serviços públicos. Surgiram então mais oportunidades de
5
emprego em profissões como as de enfermeira, professora,
 
funcionária burocrática, médica, assistente social, vendedora,
 
as quais exigiam das mulheres certa qualificação e, em
 
contrapartida, tornavam-nas profissionais remuneradas. Essa
 
tendência demandou maior escolaridade feminina e provocou,
10
sem dúvida, mudanças no status social das mulheres.
 
Entretanto, eram nítidos os preconceitos que cercavam o
 
trabalho feminino nessa época. Como as mulheres ainda eram
 
vistas prioritariamente como donas de casa e mães, a ideia da
 
incompatibilidade entre casamento e vida profissional tinha
15
grande força no imaginário social. Um dos principais
 
argumentos dos que viam com ressalvas o trabalho feminino
 
era o de que, trabalhando, a mulher deixaria de lado seus
 
afazeres domésticos e suas atenções e cuidados para com o
 
marido: ameaças não só à organização doméstica como
20
também à estabilidade do matrimônio.
 
Carla Bassanezi. Mulheres dos anos dourados. In: História das mulheres
 
no Brasil. 8.ª ed. São Paulo: Con
Infere-se do CG4A1-II que, na década de cinquenta, as mulheres

Questão 49

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
Observe a tirinha a seguir:



A tirinha invoca uma ação, prevista pelo Estatuto da Criança e do Adolescente, a ser desempenhada pela escola, que é a de

Questão 50

Pref. São Roque/SP 2020 - VUNESP - Secretário de Escola
1
Na década de cinquenta, cresceu a participação
 
feminina no mercado de trabalho, especialmente no setor de
 
serviços de consumo coletivo, em escritórios, no comércio ou
 
em serviços públicos. Surgiram então mais oportunidades de
5
emprego em profissões como as de enfermeira, professora,
 
funcionária burocrática, médica, assistente social, vendedora,
 
as quais exigiam das mulheres certa qualificação e, em
 
contrapartida, tornavam-nas profissionais remuneradas. Essa
 
tendência demandou maior escolaridade feminina e provocou,
10
sem dúvida, mudanças no status social das mulheres.
 
Entretanto, eram nítidos os preconceitos que cercavam o
 
trabalho feminino nessa época. Como as mulheres ainda eram
 
vistas prioritariamente como donas de casa e mães, a ideia da
 
incompatibilidade entre casamento e vida profissional tinha
15
grande força no imaginário social. Um dos principais
 
argumentos dos que viam com ressalvas o trabalho feminino
 
era o de que, trabalhando, a mulher deixaria de lado seus
 
afazeres domésticos e suas atenções e cuidados para com o
 
marido: ameaças não só à organização doméstica como
20
também à estabilidade do matrimônio.
 
Carla Bassanezi. Mulheres dos anos dourados. In: História das mulheres
 
no Brasil. 8.ª ed. São Paulo: Con
Infere-se do CG4A1-II que, na década de cinquenta, as mulheres



Provas de Concursos » Vunesp 2020