×
Agente Administrativo Contador Analista de Benefícios Previdenciários Procurador
×

Valiprev/SP 2020

Assistente Social

Questão 1

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
1
Se a vida é um vale de lágrimas, por que não processar
 
os pais por nos terem trazido ao mundo?
 
Se o leitor nunca pensou nessa hipótese, isso pode
 
significar duas coisas. Primeiro, que é uma pessoa sã.
5
Segundo, que nunca leu a saga do indiano Raphael Samuel, 27, que tentou processar os progenitores, segundo o jornal
 
“The Guardian”.
 
Sim, Samuel confessa que tem uma excelente relação
 
com eles. Mas há, digamos, um “pecado original” que o rapaz
 
não pode perdoar: ele nasceu sem dar o seu consentimento.
10
Uma indenização, ainda que simbólica, seria uma forma de
 
fazer doutrina: quando queremos ter filhos, é importante ter o
 
consentimento deles.
 
Por essa altura, o leitor inteligente que lê as minhas
 
colunas já deve ter feito uma pergunta fundamental: como
15
obter esse consentimento? E, já agora, em que fase?
 
A ciência terá aqui uma palavra importante. Mas,
 
conhecendo o narcisismo da espécie e a tendência irresistível
 
de marchar pelas causas mais improváveis, não é de excluir
 
que adolescentes de todas as idades, frustrados com a vida
20
e com a necessidade de escovar os dentes, encontrem em
 
Raphael Samuel um modelo (de negócio).
 
Antigamente, os pais poupavam para a universidade dos
 
filhos. Hoje, convém poupar primeiro para a indenização que
 
eles nos vão pedir.
25
No limite, ver o filho a pedir uma indenização aos pais por
 
ter nascido faz tanto sentido como pedir uma indenização ao
 
filho por ele não querer estar cá. Quem disse que só o filho
 
pode ter razões de queixa?
 
O problema dos cálculos meramente utilitaristas é que
30
eles são dotados de uma espantosa flexibilidade. E da
 
mesma forma que os filhos avaliam os seus danos por terem
 
nascido, os pais podem atuar da mesma forma.
 
Investiram tudo no delfim – patrimônio genético, tempo,
 
dinheiro, sanidade e expectativas legítimas de que ele seria
35
um adulto.
 
Mas o ingrato, no fim das contas, ainda quer fazer contas.
 
Se isso não é motivo para uma indenização pesada, só um
 
anjo nos pode salvar.
(João Pereira Coutinho, Alô, filho, você quer mesmo sair? Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br. Acesso em: 15.11.2019. Adaptado)
É correto concluir que, a partir de um fato divulgado na mídia, o autor traça

Questão 2

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
1
Na década de cinquenta, cresceu a participação
 
feminina no mercado de trabalho, especialmente no setor de
 
serviços de consumo coletivo, em escritórios, no comércio ou
 
em serviços públicos. Surgiram então mais oportunidades de
5
emprego em profissões como as de enfermeira, professora,
 
funcionária burocrática, médica, assistente social, vendedora,
 
as quais exigiam das mulheres certa qualificação e, em
 
contrapartida, tornavam-nas profissionais remuneradas. Essa
 
tendência demandou maior escolaridade feminina e provocou,
10
sem dúvida, mudanças no status social das mulheres.
 
Entretanto, eram nítidos os preconceitos que cercavam o
 
trabalho feminino nessa época. Como as mulheres ainda eram
 
vistas prioritariamente como donas de casa e mães, a ideia da
 
incompatibilidade entre casamento e vida profissional tinha
15
grande força no imaginário social. Um dos principais
 
argumentos dos que viam com ressalvas o trabalho feminino
 
era o de que, trabalhando, a mulher deixaria de lado seus
 
afazeres domésticos e suas atenções e cuidados para com o
 
marido: ameaças não só à organização doméstica como
20
também à estabilidade do matrimônio.
 
Carla Bassanezi. Mulheres dos anos dourados. In: História das mulheres
 
no Brasil. 8.ª ed. São Paulo: Con
Infere-se do CG4A1-II que, na década de cinquenta, as mulheres

Questão 3

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
1
O peso de Eurídice se estabilizou, assim como a rotina
 
da família Gusmão Campelo. Antenor saía para o trabalho, os
 
filhos saíam para a escola e Eurídice ficava em casa, moendo
 
carne e remoendo os pensamentos estéreis que faziam da sua
5
vida infeliz. Ela não tinha emprego, ela já tinha ido para a
 
escola, e como preencher as horas do dia depois de arrumar as
 
camas, regar as plantas, varrer a sala, lavar a roupa, temperar
 
o feijão, refogar o arroz, preparar o suflê e fritar os bifes?
 
Porque Eurídice, vejam vocês, era uma mulher brilhante. Se lhe
10
dessem cálculos elaborados, ela projetaria pontes. Se lhe
 
dessem um laboratório, ela inventaria vacinas. Se lhe dessem
 
páginas brancas, ela escreveria clássicos. No entanto, o que lhe
 
deram foram cuecas sujas, que Eurídice lavou muito rápido e
 
muito bem, sentando-se em seguida no sofá, olhando as unhas
15
e pensando no que deveria pensar. E foi assim que concluiu
 
que não deveria pensar, e que, para não pensar, deveria se
 
manter ocupada todas as horas do dia, e que a única atividade
 
caseira que oferecia tal benefício era aquela que apresentava o
 
dom de ser quase infinita em suas demandas diárias: a
20
culinária. Eurídice jamais seria uma engenheira, nunca poria os
 
pés em um laboratório e não ousaria escrever versos, mas essa
 
mulher se dedicou à única atividade permitida que tinha um
 
certo quê de engenharia, ciência e poesia. Todas as manhãs,
 
depois de despertar, preparar, alimentar e se livrar do marido
25
e dos filhos, Eurídice abria o livro de receitas da Tia Palmira.
 
Martha Batalha. A vida invisível de Eurídice Gusmão. 1.ª ed.
 
São Paulo: Companhia das Letras, 2016 (com adaptações).
Infere-se do CG4A1-I que a personagem Eurídice dedicava-se à culinária porque

Questão 4

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
1
Se a vida é um vale de lágrimas, por que não processar
 
os pais por nos terem trazido ao mundo?
 
Se o leitor nunca pensou nessa hipótese, isso pode
 
significar duas coisas. Primeiro, que é uma pessoa sã.
5
Segundo, que nunca leu a saga do indiano Raphael Samuel, 27, que tentou processar os progenitores, segundo o jornal
 
“The Guardian”.
 
Sim, Samuel confessa que tem uma excelente relação
 
com eles. Mas há, digamos, um “pecado original” que o rapaz
 
não pode perdoar: ele nasceu sem dar o seu consentimento.
10
Uma indenização, ainda que simbólica, seria uma forma de
 
fazer doutrina: quando queremos ter filhos, é importante ter o
 
consentimento deles.
 
Por essa altura, o leitor inteligente que lê as minhas
 
colunas já deve ter feito uma pergunta fundamental: como
15
obter esse consentimento? E, já agora, em que fase?
 
A ciência terá aqui uma palavra importante. Mas,
 
conhecendo o narcisismo da espécie e a tendência irresistível
 
de marchar pelas causas mais improváveis, não é de excluir
 
que adolescentes de todas as idades, frustrados com a vida
20
e com a necessidade de escovar os dentes, encontrem em
 
Raphael Samuel um modelo (de negócio).
 
Antigamente, os pais poupavam para a universidade dos
 
filhos. Hoje, convém poupar primeiro para a indenização que
 
eles nos vão pedir.
25
No limite, ver o filho a pedir uma indenização aos pais por
 
ter nascido faz tanto sentido como pedir uma indenização ao
 
filho por ele não querer estar cá. Quem disse que só o filho
 
pode ter razões de queixa?
 
O problema dos cálculos meramente utilitaristas é que
30
eles são dotados de uma espantosa flexibilidade. E da
 
mesma forma que os filhos avaliam os seus danos por terem
 
nascido, os pais podem atuar da mesma forma.
 
Investiram tudo no delfim – patrimônio genético, tempo,
 
dinheiro, sanidade e expectativas legítimas de que ele seria
35
um adulto.
 
Mas o ingrato, no fim das contas, ainda quer fazer contas.
 
Se isso não é motivo para uma indenização pesada, só um
 
anjo nos pode salvar.
(João Pereira Coutinho, Alô, filho, você quer mesmo sair? Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br. Acesso em: 15.11.2019. Adaptado)
Assinale a alternativa que reescreve a passagem – Hoje, convém poupar primeiro para a indenização que eles nos vão pedir. – de acordo com a norma-padrão de emprego dos verbos e colocação pronominal.

Questão 5

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
1
Se a vida é um vale de lágrimas, por que não processar
 
os pais por nos terem trazido ao mundo?
 
Se o leitor nunca pensou nessa hipótese, isso pode
 
significar duas coisas. Primeiro, que é uma pessoa sã.
5
Segundo, que nunca leu a saga do indiano Raphael Samuel, 27, que tentou processar os progenitores, segundo o jornal
 
“The Guardian”.
 
Sim, Samuel confessa que tem uma excelente relação
 
com eles. Mas há, digamos, um “pecado original” que o rapaz
 
não pode perdoar: ele nasceu sem dar o seu consentimento.
10
Uma indenização, ainda que simbólica, seria uma forma de
 
fazer doutrina: quando queremos ter filhos, é importante ter o
 
consentimento deles.
 
Por essa altura, o leitor inteligente que lê as minhas
 
colunas já deve ter feito uma pergunta fundamental: como
15
obter esse consentimento? E, já agora, em que fase?
 
A ciência terá aqui uma palavra importante. Mas,
 
conhecendo o narcisismo da espécie e a tendência irresistível
 
de marchar pelas causas mais improváveis, não é de excluir
 
que adolescentes de todas as idades, frustrados com a vida
20
e com a necessidade de escovar os dentes, encontrem em
 
Raphael Samuel um modelo (de negócio).
 
Antigamente, os pais poupavam para a universidade dos
 
filhos. Hoje, convém poupar primeiro para a indenização que
 
eles nos vão pedir.
25
No limite, ver o filho a pedir uma indenização aos pais por
 
ter nascido faz tanto sentido como pedir uma indenização ao
 
filho por ele não querer estar cá. Quem disse que só o filho
 
pode ter razões de queixa?
 
O problema dos cálculos meramente utilitaristas é que
30
eles são dotados de uma espantosa flexibilidade. E da
 
mesma forma que os filhos avaliam os seus danos por terem
 
nascido, os pais podem atuar da mesma forma.
 
Investiram tudo no delfim – patrimônio genético, tempo,
 
dinheiro, sanidade e expectativas legítimas de que ele seria
35
um adulto.
 
Mas o ingrato, no fim das contas, ainda quer fazer contas.
 
Se isso não é motivo para uma indenização pesada, só um
 
anjo nos pode salvar.
(João Pereira Coutinho, Alô, filho, você quer mesmo sair? Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br. Acesso em: 15.11.2019. Adaptado)
Assinale a alternativa que reescreve o trecho destacado na passagem – Se o leitor nunca pensou nessa hipótese, isso pode significar duas coisas. – com correção e preservando o sentido original.

Questão 6

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
1
Os fatos foram opostos – inundação e fogaréu –, e a reação
 
a eles também. Em uma mesma semana, a cidade italiana de
 
Veneza e a costa leste da Austrália materializaram o embate
 
que contrapõe “ambientalistas” a “negacionistas” quando o
5
assunto são as mudanças climáticas que afetam o planeta. Na
 
quarta-feira 13, o prefeito de Veneza, Luigi Brugnaro, declarou
 
estado de emergência na extraordinariamente bela capital da
 
região do Vêneto, no norte da Itália, notabilizada por seus
 
canais. Motivo: a maior cheia já registrada nos últimos cinquenta
10
anos. O nível da água se elevou tanto que agravou a degradação
 
de construções históricas – e, pior, fez duas vítimas logo nos
 
primeiros dias, mortas em suas casas. As águas subiram quase
 
2 metros, e ondas de mais de 1 metro e meio atingiram cerca de
 
85% da cidade. Um horror.
15
“Pedimos ao governo que nos ajude. O custo será alto. Esse
 
é o resultado da mudança climática”, escreveu o prefeito nas
 
redes sociais. Um relatório de 2017 de uma Agência Nacional
 
italiana advertiu que a cidade dos canais ficará submersa até o
 
final deste século se o aquecimento global não for contido por
20
medidas como as previstas no Acordo de Paris de 2015.
 
Mas, se em Veneza o Poder Executivo reconheceu
 
publicamente que as inundações decorriam do peso da
 
interferência humana no clima da Terra, a 16 000 quilômetros
 
de lá, outra catástrofe para o meio ambiente foi definida como
25
“natural” – apesar de seu inédito impacto. O fogo começou a
 
destruir a mata costeira em regiões muito próximas a Sidney.
 
As labaredas devastaram cerca de 1 000 quilômetros de
 
área florestal, provocando a morte de pessoas e de animais
 
únicos da fauna do país. Encarando tudo como fenômeno da
30
natureza, o vice-premiê australiano chamou de “lunáticos” os
 
que acreditam no aquecimento global.
(Sabrina Brito, Entre a água e o fogo. Veja, 20.11.2019. Adaptado)
A oposição entre “ambientalistas” e “negacionistas” refere-se, no texto,

Questão 7

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
1
Os fatos foram opostos – inundação e fogaréu –, e a reação
 
a eles também. Em uma mesma semana, a cidade italiana de
 
Veneza e a costa leste da Austrália materializaram o embate
 
que contrapõe “ambientalistas” a “negacionistas” quando o
5
assunto são as mudanças climáticas que afetam o planeta. Na
 
quarta-feira 13, o prefeito de Veneza, Luigi Brugnaro, declarou
 
estado de emergência na extraordinariamente bela capital da
 
região do Vêneto, no norte da Itália, notabilizada por seus
 
canais. Motivo: a maior cheia já registrada nos últimos cinquenta
10
anos. O nível da água se elevou tanto que agravou a degradação
 
de construções históricas – e, pior, fez duas vítimas logo nos
 
primeiros dias, mortas em suas casas. As águas subiram quase
 
2 metros, e ondas de mais de 1 metro e meio atingiram cerca de
 
85% da cidade. Um horror.
15
“Pedimos ao governo que nos ajude. O custo será alto. Esse
 
é o resultado da mudança climática”, escreveu o prefeito nas
 
redes sociais. Um relatório de 2017 de uma Agência Nacional
 
italiana advertiu que a cidade dos canais ficará submersa até o
 
final deste século se o aquecimento global não for contido por
20
medidas como as previstas no Acordo de Paris de 2015.
 
Mas, se em Veneza o Poder Executivo reconheceu
 
publicamente que as inundações decorriam do peso da
 
interferência humana no clima da Terra, a 16 000 quilômetros
 
de lá, outra catástrofe para o meio ambiente foi definida como
25
“natural” – apesar de seu inédito impacto. O fogo começou a
 
destruir a mata costeira em regiões muito próximas a Sidney.
 
As labaredas devastaram cerca de 1 000 quilômetros de
 
área florestal, provocando a morte de pessoas e de animais
 
únicos da fauna do país. Encarando tudo como fenômeno da
30
natureza, o vice-premiê australiano chamou de “lunáticos” os
 
que acreditam no aquecimento global.
(Sabrina Brito, Entre a água e o fogo. Veja, 20.11.2019. Adaptado)
É correto afirmar que, em relação ao assunto de que trata, a autora do texto

Questão 8

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
1
Na década de cinquenta, cresceu a participação
 
feminina no mercado de trabalho, especialmente no setor de
 
serviços de consumo coletivo, em escritórios, no comércio ou
 
em serviços públicos. Surgiram então mais oportunidades de
5
emprego em profissões como as de enfermeira, professora,
 
funcionária burocrática, médica, assistente social, vendedora,
 
as quais exigiam das mulheres certa qualificação e, em
 
contrapartida, tornavam-nas profissionais remuneradas. Essa
 
tendência demandou maior escolaridade feminina e provocou,
10
sem dúvida, mudanças no status social das mulheres.
 
Entretanto, eram nítidos os preconceitos que cercavam o
 
trabalho feminino nessa época. Como as mulheres ainda eram
 
vistas prioritariamente como donas de casa e mães, a ideia da
 
incompatibilidade entre casamento e vida profissional tinha
15
grande força no imaginário social. Um dos principais
 
argumentos dos que viam com ressalvas o trabalho feminino
 
era o de que, trabalhando, a mulher deixaria de lado seus
 
afazeres domésticos e suas atenções e cuidados para com o
 
marido: ameaças não só à organização doméstica como
20
também à estabilidade do matrimônio.
 
Carla Bassanezi. Mulheres dos anos dourados. In: História das mulheres
 
no Brasil. 8.ª ed. São Paulo: Con
Infere-se do CG4A1-II que, na década de cinquenta, as mulheres

Questão 9

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
1
Os fatos foram opostos – inundação e fogaréu –, e a reação
 
a eles também. Em uma mesma semana, a cidade italiana de
 
Veneza e a costa leste da Austrália materializaram o embate
 
que contrapõe “ambientalistas” a “negacionistas” quando o
5
assunto são as mudanças climáticas que afetam o planeta. Na
 
quarta-feira 13, o prefeito de Veneza, Luigi Brugnaro, declarou
 
estado de emergência na extraordinariamente bela capital da
 
região do Vêneto, no norte da Itália, notabilizada por seus
 
canais. Motivo: a maior cheia já registrada nos últimos cinquenta
10
anos. O nível da água se elevou tanto que agravou a degradação
 
de construções históricas – e, pior, fez duas vítimas logo nos
 
primeiros dias, mortas em suas casas. As águas subiram quase
 
2 metros, e ondas de mais de 1 metro e meio atingiram cerca de
 
85% da cidade. Um horror.
15
“Pedimos ao governo que nos ajude. O custo será alto. Esse
 
é o resultado da mudança climática”, escreveu o prefeito nas
 
redes sociais. Um relatório de 2017 de uma Agência Nacional
 
italiana advertiu que a cidade dos canais ficará submersa até o
 
final deste século se o aquecimento global não for contido por
20
medidas como as previstas no Acordo de Paris de 2015.
 
Mas, se em Veneza o Poder Executivo reconheceu
 
publicamente que as inundações decorriam do peso da
 
interferência humana no clima da Terra, a 16 000 quilômetros
 
de lá, outra catástrofe para o meio ambiente foi definida como
25
“natural” – apesar de seu inédito impacto. O fogo começou a
 
destruir a mata costeira em regiões muito próximas a Sidney.
 
As labaredas devastaram cerca de 1 000 quilômetros de
 
área florestal, provocando a morte de pessoas e de animais
 
únicos da fauna do país. Encarando tudo como fenômeno da
30
natureza, o vice-premiê australiano chamou de “lunáticos” os
 
que acreditam no aquecimento global.
(Sabrina Brito, Entre a água e o fogo. Veja, 20.11.2019. Adaptado)
As expressões – materializaram e notabilizada –, destacadas no primeiro parágrafo, têm como sinônimos adequados ao contexto, respectivamente,

Questão 10

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
Assinale a alternativa redigida segundo a norma-padrão de emprego de pronomes e do sinal indicativo de crase.

Questão 11

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
Com R$ 120,00 é possível comprar 6 pastas, a R$ 4,00 a unidade, e 8 cadernos iguais, não restando troco algum. O maior número de pastas que podem ser compradas com o mesmo valor pago na compra de um caderno é

Questão 12

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
1
O peso de Eurídice se estabilizou, assim como a rotina
 
da família Gusmão Campelo. Antenor saía para o trabalho, os
 
filhos saíam para a escola e Eurídice ficava em casa, moendo
 
carne e remoendo os pensamentos estéreis que faziam da sua
5
vida infeliz. Ela não tinha emprego, ela já tinha ido para a
 
escola, e como preencher as horas do dia depois de arrumar as
 
camas, regar as plantas, varrer a sala, lavar a roupa, temperar
 
o feijão, refogar o arroz, preparar o suflê e fritar os bifes?
 
Porque Eurídice, vejam vocês, era uma mulher brilhante. Se lhe
10
dessem cálculos elaborados, ela projetaria pontes. Se lhe
 
dessem um laboratório, ela inventaria vacinas. Se lhe dessem
 
páginas brancas, ela escreveria clássicos. No entanto, o que lhe
 
deram foram cuecas sujas, que Eurídice lavou muito rápido e
 
muito bem, sentando-se em seguida no sofá, olhando as unhas
15
e pensando no que deveria pensar. E foi assim que concluiu
 
que não deveria pensar, e que, para não pensar, deveria se
 
manter ocupada todas as horas do dia, e que a única atividade
 
caseira que oferecia tal benefício era aquela que apresentava o
 
dom de ser quase infinita em suas demandas diárias: a
20
culinária. Eurídice jamais seria uma engenheira, nunca poria os
 
pés em um laboratório e não ousaria escrever versos, mas essa
 
mulher se dedicou à única atividade permitida que tinha um
 
certo quê de engenharia, ciência e poesia. Todas as manhãs,
 
depois de despertar, preparar, alimentar e se livrar do marido
25
e dos filhos, Eurídice abria o livro de receitas da Tia Palmira.
 
Martha Batalha. A vida invisível de Eurídice Gusmão. 1.ª ed.
 
São Paulo: Companhia das Letras, 2016 (com adaptações).
Infere-se do CG4A1-I que a personagem Eurídice dedicava-se à culinária porque

Questão 13

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
Uma pessoa guardou em um vidro, somente moedas de R$ 1,00 e de R$ 0,50. Certo dia, ao contabilizar essas moedas, constatou que havia, no total, 84 moedas, e que a razão do número de moedas de R$ 1,00 para o número de moedas de R$ 0,50 era 5/7. As moedas de R$ 0,50, juntas, totalizavam o valor de

Questão 14

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
Em um depósito, há determinado número de unidades de um produto, que será distribuído entre as lojas A, B, C e D. O gráfico mostra algumas informações da porcentagem, sobre o número total de unidades desse produto, destinadas a cada loja.



Sabendo que as lojas C e D, juntas, receberam 120 unidades do produto, então, o número de unidades recebidas pela loja A foi

Questão 15

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
Um rolo de fita adesiva tem 50 m de comprimento. Desse total, foram cortados 5 pedaços, cada um deles com 75 cm de comprimento, e 9 pedaços com 1,25 m cada um. O comprimento da fita, restante no rolo, é de

Questão 16

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
1
O peso de Eurídice se estabilizou, assim como a rotina
 
da família Gusmão Campelo. Antenor saía para o trabalho, os
 
filhos saíam para a escola e Eurídice ficava em casa, moendo
 
carne e remoendo os pensamentos estéreis que faziam da sua
5
vida infeliz. Ela não tinha emprego, ela já tinha ido para a
 
escola, e como preencher as horas do dia depois de arrumar as
 
camas, regar as plantas, varrer a sala, lavar a roupa, temperar
 
o feijão, refogar o arroz, preparar o suflê e fritar os bifes?
 
Porque Eurídice, vejam vocês, era uma mulher brilhante. Se lhe
10
dessem cálculos elaborados, ela projetaria pontes. Se lhe
 
dessem um laboratório, ela inventaria vacinas. Se lhe dessem
 
páginas brancas, ela escreveria clássicos. No entanto, o que lhe
 
deram foram cuecas sujas, que Eurídice lavou muito rápido e
 
muito bem, sentando-se em seguida no sofá, olhando as unhas
15
e pensando no que deveria pensar. E foi assim que concluiu
 
que não deveria pensar, e que, para não pensar, deveria se
 
manter ocupada todas as horas do dia, e que a única atividade
 
caseira que oferecia tal benefício era aquela que apresentava o
 
dom de ser quase infinita em suas demandas diárias: a
20
culinária. Eurídice jamais seria uma engenheira, nunca poria os
 
pés em um laboratório e não ousaria escrever versos, mas essa
 
mulher se dedicou à única atividade permitida que tinha um
 
certo quê de engenharia, ciência e poesia. Todas as manhãs,
 
depois de despertar, preparar, alimentar e se livrar do marido
25
e dos filhos, Eurídice abria o livro de receitas da Tia Palmira.
 
Martha Batalha. A vida invisível de Eurídice Gusmão. 1.ª ed.
 
São Paulo: Companhia das Letras, 2016 (com adaptações).
Infere-se do CG4A1-I que a personagem Eurídice dedicava-se à culinária porque

Questão 17

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
Em um restaurante, há 40 mesas, algumas com 4 cadeiras e outras com 6 cadeiras, sendo que o número de mesas com 4 cadeiras supera o número de mesas com 6 cadeiras em 10 mesas. O número total de cadeiras de todas essas mesas juntas é

Questão 18

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
1
Na década de cinquenta, cresceu a participação
 
feminina no mercado de trabalho, especialmente no setor de
 
serviços de consumo coletivo, em escritórios, no comércio ou
 
em serviços públicos. Surgiram então mais oportunidades de
5
emprego em profissões como as de enfermeira, professora,
 
funcionária burocrática, médica, assistente social, vendedora,
 
as quais exigiam das mulheres certa qualificação e, em
 
contrapartida, tornavam-nas profissionais remuneradas. Essa
 
tendência demandou maior escolaridade feminina e provocou,
10
sem dúvida, mudanças no status social das mulheres.
 
Entretanto, eram nítidos os preconceitos que cercavam o
 
trabalho feminino nessa época. Como as mulheres ainda eram
 
vistas prioritariamente como donas de casa e mães, a ideia da
 
incompatibilidade entre casamento e vida profissional tinha
15
grande força no imaginário social. Um dos principais
 
argumentos dos que viam com ressalvas o trabalho feminino
 
era o de que, trabalhando, a mulher deixaria de lado seus
 
afazeres domésticos e suas atenções e cuidados para com o
 
marido: ameaças não só à organização doméstica como
20
também à estabilidade do matrimônio.
 
Carla Bassanezi. Mulheres dos anos dourados. In: História das mulheres
 
no Brasil. 8.ª ed. São Paulo: Con
Infere-se do CG4A1-II que, na década de cinquenta, as mulheres

Questão 19

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
Uma sala retangular ABCD, com 8 m de largura, teve parte de sua área reservada para estocar materiais, conforme mostra a figura.



Sabendo que o perímetro da sala reservada é igual à metade do perímetro da sala ABCD, então, a área da sala reservada é igual a

Questão 20

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
1
Na década de cinquenta, cresceu a participação
 
feminina no mercado de trabalho, especialmente no setor de
 
serviços de consumo coletivo, em escritórios, no comércio ou
 
em serviços públicos. Surgiram então mais oportunidades de
5
emprego em profissões como as de enfermeira, professora,
 
funcionária burocrática, médica, assistente social, vendedora,
 
as quais exigiam das mulheres certa qualificação e, em
 
contrapartida, tornavam-nas profissionais remuneradas. Essa
 
tendência demandou maior escolaridade feminina e provocou,
10
sem dúvida, mudanças no status social das mulheres.
 
Entretanto, eram nítidos os preconceitos que cercavam o
 
trabalho feminino nessa época. Como as mulheres ainda eram
 
vistas prioritariamente como donas de casa e mães, a ideia da
 
incompatibilidade entre casamento e vida profissional tinha
15
grande força no imaginário social. Um dos principais
 
argumentos dos que viam com ressalvas o trabalho feminino
 
era o de que, trabalhando, a mulher deixaria de lado seus
 
afazeres domésticos e suas atenções e cuidados para com o
 
marido: ameaças não só à organização doméstica como
20
também à estabilidade do matrimônio.
 
Carla Bassanezi. Mulheres dos anos dourados. In: História das mulheres
 
no Brasil. 8.ª ed. São Paulo: Con
Infere-se do CG4A1-II que, na década de cinquenta, as mulheres

Questão 21

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
1
Na década de cinquenta, cresceu a participação
 
feminina no mercado de trabalho, especialmente no setor de
 
serviços de consumo coletivo, em escritórios, no comércio ou
 
em serviços públicos. Surgiram então mais oportunidades de
5
emprego em profissões como as de enfermeira, professora,
 
funcionária burocrática, médica, assistente social, vendedora,
 
as quais exigiam das mulheres certa qualificação e, em
 
contrapartida, tornavam-nas profissionais remuneradas. Essa
 
tendência demandou maior escolaridade feminina e provocou,
10
sem dúvida, mudanças no status social das mulheres.
 
Entretanto, eram nítidos os preconceitos que cercavam o
 
trabalho feminino nessa época. Como as mulheres ainda eram
 
vistas prioritariamente como donas de casa e mães, a ideia da
 
incompatibilidade entre casamento e vida profissional tinha
15
grande força no imaginário social. Um dos principais
 
argumentos dos que viam com ressalvas o trabalho feminino
 
era o de que, trabalhando, a mulher deixaria de lado seus
 
afazeres domésticos e suas atenções e cuidados para com o
 
marido: ameaças não só à organização doméstica como
20
também à estabilidade do matrimônio.
 
Carla Bassanezi. Mulheres dos anos dourados. In: História das mulheres
 
no Brasil. 8.ª ed. São Paulo: Con
Infere-se do CG4A1-II que, na década de cinquenta, as mulheres

Questão 22

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
No caso de penalidade a qualquer funcionário que se encontre afastado junto a outros órgãos ou entidades, as sanções disciplinares previstas na Lei Municipal nº 2.018/1986

Questão 23

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
Nos termos da Lei Municipal nº 4.877/2013 (Lei da Criação do VALIPREV), independentemente de outros vínculos com o Município, considera-se segurado obrigatório do Regime Próprio de Previdência Social – RPPS do Município de Valinhos, dentre outros,

Questão 24

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
Nos termos da Lei Municipal nº 4.877/2013 (Lei da Criação do VALIPREV), independentemente de outros vínculos com o Município, considera-se segurado obrigatório do Regime Próprio de Previdência Social – RPPS do Município de Valinhos, dentre outros,

Questão 25

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
No tocante ao salário-maternidade, a Lei Municipal nº 4.877/2013 (Lei da Criação do VALIPREV) estabelece que

Questão 26

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
1
Na década de cinquenta, cresceu a participação
 
feminina no mercado de trabalho, especialmente no setor de
 
serviços de consumo coletivo, em escritórios, no comércio ou
 
em serviços públicos. Surgiram então mais oportunidades de
5
emprego em profissões como as de enfermeira, professora,
 
funcionária burocrática, médica, assistente social, vendedora,
 
as quais exigiam das mulheres certa qualificação e, em
 
contrapartida, tornavam-nas profissionais remuneradas. Essa
 
tendência demandou maior escolaridade feminina e provocou,
10
sem dúvida, mudanças no status social das mulheres.
 
Entretanto, eram nítidos os preconceitos que cercavam o
 
trabalho feminino nessa época. Como as mulheres ainda eram
 
vistas prioritariamente como donas de casa e mães, a ideia da
 
incompatibilidade entre casamento e vida profissional tinha
15
grande força no imaginário social. Um dos principais
 
argumentos dos que viam com ressalvas o trabalho feminino
 
era o de que, trabalhando, a mulher deixaria de lado seus
 
afazeres domésticos e suas atenções e cuidados para com o
 
marido: ameaças não só à organização doméstica como
20
também à estabilidade do matrimônio.
 
Carla Bassanezi. Mulheres dos anos dourados. In: História das mulheres
 
no Brasil. 8.ª ed. São Paulo: Con
Infere-se do CG4A1-II que, na década de cinquenta, as mulheres

Questão 27

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
No Microsoft Word 2010, em sua configuração padrão, tem-se o ícone Recortar, do grupo Área de Transferência e guia Página Inicial, destacado na imagem a seguir.



Assinale a alternativa que apresenta a combinação de teclas com o mesmo efeito desse ícone.

Questão 28

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
Tem-se a seguinte planilha, criada no Microsoft Excel 2010, em sua configuração padrão.



Com a célula A1 selecionada, assinale a alternativa que apresenta o resultado da ação ao pressionar as teclas CTRL+Page Down.

Questão 29

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
Tem-se o Painel de Animação de 5 AutoFormas em um slide criado no Microsoft PowerPoint 2010, em sua configuração original.



Assinale a alternativa que indica qual AutoForma tem a duração da animação mais longa, sem contar o tempo de demora.

Questão 30

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
Considerando o uso do aplicativo Microsoft Outlook 2010, em sua configuração padrão, um usuário deseja enviar uma mensagem de correio eletrônico para 30 destinatários, mas quer evitar que qualquer um desses destinatários possa clicar em Responder para todos e, com isso, enviar respostas dessa mensagem original para qualquer um dos 30 destinatários originais. Para isso, esse usuário inicial precisa colocar todos os 30 destinatários

Questão 31

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
A questão social resulta das relações de exploração do trabalho pelo capital, o que provoca as respostas da classe dominante no contexto do capitalismo dos monopólios, pela via das políticas sociais. No entanto, não basta identificar essa relação antagônica entre capital e trabalho como traço essencial e como expressão única da questão social. Para explicar a questão social, faz-se necessário acrescentar a essas categorias do modo de produção, a singularidade dos componentes da sociedade, como mediações centrais das expressões da questão social. Sendo assim, a questão social assume expressões particulares dependendo das peculiaridades específicas

Questão 32

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
1
Na década de cinquenta, cresceu a participação
 
feminina no mercado de trabalho, especialmente no setor de
 
serviços de consumo coletivo, em escritórios, no comércio ou
 
em serviços públicos. Surgiram então mais oportunidades de
5
emprego em profissões como as de enfermeira, professora,
 
funcionária burocrática, médica, assistente social, vendedora,
 
as quais exigiam das mulheres certa qualificação e, em
 
contrapartida, tornavam-nas profissionais remuneradas. Essa
 
tendência demandou maior escolaridade feminina e provocou,
10
sem dúvida, mudanças no status social das mulheres.
 
Entretanto, eram nítidos os preconceitos que cercavam o
 
trabalho feminino nessa época. Como as mulheres ainda eram
 
vistas prioritariamente como donas de casa e mães, a ideia da
 
incompatibilidade entre casamento e vida profissional tinha
15
grande força no imaginário social. Um dos principais
 
argumentos dos que viam com ressalvas o trabalho feminino
 
era o de que, trabalhando, a mulher deixaria de lado seus
 
afazeres domésticos e suas atenções e cuidados para com o
 
marido: ameaças não só à organização doméstica como
20
também à estabilidade do matrimônio.
 
Carla Bassanezi. Mulheres dos anos dourados. In: História das mulheres
 
no Brasil. 8.ª ed. São Paulo: Con
Infere-se do CG4A1-II que, na década de cinquenta, as mulheres

Questão 33

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
1
O peso de Eurídice se estabilizou, assim como a rotina
 
da família Gusmão Campelo. Antenor saía para o trabalho, os
 
filhos saíam para a escola e Eurídice ficava em casa, moendo
 
carne e remoendo os pensamentos estéreis que faziam da sua
5
vida infeliz. Ela não tinha emprego, ela já tinha ido para a
 
escola, e como preencher as horas do dia depois de arrumar as
 
camas, regar as plantas, varrer a sala, lavar a roupa, temperar
 
o feijão, refogar o arroz, preparar o suflê e fritar os bifes?
 
Porque Eurídice, vejam vocês, era uma mulher brilhante. Se lhe
10
dessem cálculos elaborados, ela projetaria pontes. Se lhe
 
dessem um laboratório, ela inventaria vacinas. Se lhe dessem
 
páginas brancas, ela escreveria clássicos. No entanto, o que lhe
 
deram foram cuecas sujas, que Eurídice lavou muito rápido e
 
muito bem, sentando-se em seguida no sofá, olhando as unhas
15
e pensando no que deveria pensar. E foi assim que concluiu
 
que não deveria pensar, e que, para não pensar, deveria se
 
manter ocupada todas as horas do dia, e que a única atividade
 
caseira que oferecia tal benefício era aquela que apresentava o
 
dom de ser quase infinita em suas demandas diárias: a
20
culinária. Eurídice jamais seria uma engenheira, nunca poria os
 
pés em um laboratório e não ousaria escrever versos, mas essa
 
mulher se dedicou à única atividade permitida que tinha um
 
certo quê de engenharia, ciência e poesia. Todas as manhãs,
 
depois de despertar, preparar, alimentar e se livrar do marido
25
e dos filhos, Eurídice abria o livro de receitas da Tia Palmira.
 
Martha Batalha. A vida invisível de Eurídice Gusmão. 1.ª ed.
 
São Paulo: Companhia das Letras, 2016 (com adaptações).
Infere-se do CG4A1-I que a personagem Eurídice dedicava-se à culinária porque

Questão 34

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
1
Na década de cinquenta, cresceu a participação
 
feminina no mercado de trabalho, especialmente no setor de
 
serviços de consumo coletivo, em escritórios, no comércio ou
 
em serviços públicos. Surgiram então mais oportunidades de
5
emprego em profissões como as de enfermeira, professora,
 
funcionária burocrática, médica, assistente social, vendedora,
 
as quais exigiam das mulheres certa qualificação e, em
 
contrapartida, tornavam-nas profissionais remuneradas. Essa
 
tendência demandou maior escolaridade feminina e provocou,
10
sem dúvida, mudanças no status social das mulheres.
 
Entretanto, eram nítidos os preconceitos que cercavam o
 
trabalho feminino nessa época. Como as mulheres ainda eram
 
vistas prioritariamente como donas de casa e mães, a ideia da
 
incompatibilidade entre casamento e vida profissional tinha
15
grande força no imaginário social. Um dos principais
 
argumentos dos que viam com ressalvas o trabalho feminino
 
era o de que, trabalhando, a mulher deixaria de lado seus
 
afazeres domésticos e suas atenções e cuidados para com o
 
marido: ameaças não só à organização doméstica como
20
também à estabilidade do matrimônio.
 
Carla Bassanezi. Mulheres dos anos dourados. In: História das mulheres
 
no Brasil. 8.ª ed. São Paulo: Con
Infere-se do CG4A1-II que, na década de cinquenta, as mulheres

Questão 35

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
Em sua trajetória histórica, a assistência social no Brasil sempre foi prevista como uma ação complementar às diferentes áreas de atuação estatal. Embora reconhecida sua feição transversal no interior das ações prestadas pelas demais políticas sociais, o campo assistencial sempre ocupou um lugar subalterno. Enquanto as demais políticas têm um corte setorial, a assistência social tem um corte horizontal; a concretização de benefícios e serviços atravessam as políticas públicas, chegando aos despossuídos ou excluídos pela via de

Questão 36

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
1
Na década de cinquenta, cresceu a participação
 
feminina no mercado de trabalho, especialmente no setor de
 
serviços de consumo coletivo, em escritórios, no comércio ou
 
em serviços públicos. Surgiram então mais oportunidades de
5
emprego em profissões como as de enfermeira, professora,
 
funcionária burocrática, médica, assistente social, vendedora,
 
as quais exigiam das mulheres certa qualificação e, em
 
contrapartida, tornavam-nas profissionais remuneradas. Essa
 
tendência demandou maior escolaridade feminina e provocou,
10
sem dúvida, mudanças no status social das mulheres.
 
Entretanto, eram nítidos os preconceitos que cercavam o
 
trabalho feminino nessa época. Como as mulheres ainda eram
 
vistas prioritariamente como donas de casa e mães, a ideia da
 
incompatibilidade entre casamento e vida profissional tinha
15
grande força no imaginário social. Um dos principais
 
argumentos dos que viam com ressalvas o trabalho feminino
 
era o de que, trabalhando, a mulher deixaria de lado seus
 
afazeres domésticos e suas atenções e cuidados para com o
 
marido: ameaças não só à organização doméstica como
20
também à estabilidade do matrimônio.
 
Carla Bassanezi. Mulheres dos anos dourados. In: História das mulheres
 
no Brasil. 8.ª ed. São Paulo: Con
Infere-se do CG4A1-II que, na década de cinquenta, as mulheres

Questão 37

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
1
Na década de cinquenta, cresceu a participação
 
feminina no mercado de trabalho, especialmente no setor de
 
serviços de consumo coletivo, em escritórios, no comércio ou
 
em serviços públicos. Surgiram então mais oportunidades de
5
emprego em profissões como as de enfermeira, professora,
 
funcionária burocrática, médica, assistente social, vendedora,
 
as quais exigiam das mulheres certa qualificação e, em
 
contrapartida, tornavam-nas profissionais remuneradas. Essa
 
tendência demandou maior escolaridade feminina e provocou,
10
sem dúvida, mudanças no status social das mulheres.
 
Entretanto, eram nítidos os preconceitos que cercavam o
 
trabalho feminino nessa época. Como as mulheres ainda eram
 
vistas prioritariamente como donas de casa e mães, a ideia da
 
incompatibilidade entre casamento e vida profissional tinha
15
grande força no imaginário social. Um dos principais
 
argumentos dos que viam com ressalvas o trabalho feminino
 
era o de que, trabalhando, a mulher deixaria de lado seus
 
afazeres domésticos e suas atenções e cuidados para com o
 
marido: ameaças não só à organização doméstica como
20
também à estabilidade do matrimônio.
 
Carla Bassanezi. Mulheres dos anos dourados. In: História das mulheres
 
no Brasil. 8.ª ed. São Paulo: Con
Infere-se do CG4A1-II que, na década de cinquenta, as mulheres

Questão 38

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
Na esfera das políticas sociais e econômicas, nacionais e internacionais, a tendência atual é a de considerar a centralidade da família como objeto, sujeito e instrumento. São políticas que assumem coletivamente as necessidades familiares na direção da inclusão social e da oferta de uma rede intersetorial de serviços, desresponsabilizando o grupo familiar da provisão de seu bem-estar. O oposto dessa tendência, o familismo, reforça a família como a principal provedora de bem-estar de seus membros, é caracterizada pela escassez, pelo caráter seletivo e focalizado de serviços e benefícios e pela reafirmação na família de

Questão 39

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
Nas políticas públicas evidencia-se a multiplicidade de conceitos que definem as famílias, especialmente quanto às suas formas e funções. Uma vertente caracteriza a estrutura e as funções das famílias, a partir de elementos históricos da formação da sociedade brasileira, fundamentados na concepção patriarcal e seus impactos na vida social, na legislação e na configuração dos serviços públicos. Outra perspectiva é aquela que se preocupa com questões como sua constituição, provisão, desempenho dos papéis domésticos e sociais e questões geracionais. Nesse sentido, ganha importância os estudos que percebem a família como uma complexa rede de relações, fator este que define suas funções, associada à sua condição

Questão 40

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
As legislações sociais voltadas para a criança, o adolescente e o idoso instituem formalmente o direito à convivência familiar e comunitária quando afirmam a excepcionalidade de colocação em família substituta ou do atendimento asilar. De acordo com estudiosos do assunto, há nas entrelinhas dessas legislações uma tendência em responsabilizar a família por esses seus membros, independentemente de laços afetivos e de condições para cumprir esse papel. Para o enfrentamento dessas condições, tais teóricos defendem a criação de outras formas de suporte básico à família para

Questão 41

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
1
Na década de cinquenta, cresceu a participação
 
feminina no mercado de trabalho, especialmente no setor de
 
serviços de consumo coletivo, em escritórios, no comércio ou
 
em serviços públicos. Surgiram então mais oportunidades de
5
emprego em profissões como as de enfermeira, professora,
 
funcionária burocrática, médica, assistente social, vendedora,
 
as quais exigiam das mulheres certa qualificação e, em
 
contrapartida, tornavam-nas profissionais remuneradas. Essa
 
tendência demandou maior escolaridade feminina e provocou,
10
sem dúvida, mudanças no status social das mulheres.
 
Entretanto, eram nítidos os preconceitos que cercavam o
 
trabalho feminino nessa época. Como as mulheres ainda eram
 
vistas prioritariamente como donas de casa e mães, a ideia da
 
incompatibilidade entre casamento e vida profissional tinha
15
grande força no imaginário social. Um dos principais
 
argumentos dos que viam com ressalvas o trabalho feminino
 
era o de que, trabalhando, a mulher deixaria de lado seus
 
afazeres domésticos e suas atenções e cuidados para com o
 
marido: ameaças não só à organização doméstica como
20
também à estabilidade do matrimônio.
 
Carla Bassanezi. Mulheres dos anos dourados. In: História das mulheres
 
no Brasil. 8.ª ed. São Paulo: Con
Infere-se do CG4A1-II que, na década de cinquenta, as mulheres

Questão 42

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
1
Na década de cinquenta, cresceu a participação
 
feminina no mercado de trabalho, especialmente no setor de
 
serviços de consumo coletivo, em escritórios, no comércio ou
 
em serviços públicos. Surgiram então mais oportunidades de
5
emprego em profissões como as de enfermeira, professora,
 
funcionária burocrática, médica, assistente social, vendedora,
 
as quais exigiam das mulheres certa qualificação e, em
 
contrapartida, tornavam-nas profissionais remuneradas. Essa
 
tendência demandou maior escolaridade feminina e provocou,
10
sem dúvida, mudanças no status social das mulheres.
 
Entretanto, eram nítidos os preconceitos que cercavam o
 
trabalho feminino nessa época. Como as mulheres ainda eram
 
vistas prioritariamente como donas de casa e mães, a ideia da
 
incompatibilidade entre casamento e vida profissional tinha
15
grande força no imaginário social. Um dos principais
 
argumentos dos que viam com ressalvas o trabalho feminino
 
era o de que, trabalhando, a mulher deixaria de lado seus
 
afazeres domésticos e suas atenções e cuidados para com o
 
marido: ameaças não só à organização doméstica como
20
também à estabilidade do matrimônio.
 
Carla Bassanezi. Mulheres dos anos dourados. In: História das mulheres
 
no Brasil. 8.ª ed. São Paulo: Con
Infere-se do CG4A1-II que, na década de cinquenta, as mulheres

Questão 43

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
Em se tratando de exploração e violência sexual contra crianças e adolescentes ocorreu, na última década no Brasil, uma intensa mobilização social em torno dessas violações. Fizeram parte da agenda nacional: levantamentos das rotas de tráfico e das incidências de situações que impõem maiores riscos, busca de conhecimento teórico-metodológico, exigências de serviços públicos, campanhas de prevenção e participação popular. Todo esse movimento evidencia a tese de que a violência é uma questão de saúde pública e de políticas sociais, associada à discussão sobre a vítima, sua proteção e

Questão 44

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
A produção recente do Serviço Social brasileiro aponta para uma importante contribuição aos estudos no campo das relações de gênero. Tal produção toma por base as diversas abordagens sobre o tema, dentre as quais, mesmo que de forma periférica, aquela que coloca a raça e a sexualidade no centro da problematização das relações de gênero, a interseccional. Nessa perspectiva, a tendência à incorporação da questão étnico-racial às relações de gênero aparece como forma de estratificação social, associada às relações de

Questão 45

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
O Programa Bolsa Família possui três eixos principais: complemento da renda, acesso a direitos e articulação com outras ações. A gestão do Bolsa Família é descentralizada, ou seja, tanto a União, quanto os estados, o Distrito Federal e os municípios têm atribuições em sua execução. A adesão ao Programa se realiza a partir de critérios de inserção e as condicionalidades de permanência são os compromissos assumidos tanto pelas famílias beneficiárias do Bolsa Família quanto pelo poder público para ampliar o acesso dessas famílias a direitos sociais básicos. O desligamento do Programa pode ser voluntário, por falta de atualização cadastral, por melhoria da renda ou por descumprimento das condicionalidades nas áreas de

Questão 46

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
O Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) é um instrumento que identifica e caracteriza as famílias de baixa renda, permitindo que o governo conheça melhor a realidade socioeconômica dessa população. O Benefício de Prestação Continuada, a Tarifa Social de Energia Elétrica e o Programa Minha Casa Minha Vida estão entre aqueles que as instâncias governamentais utilizam o Cadastro Único para identificar potenciais beneficiários. O CadÚnico é uma ação federal, com gestão compartilhada e descentralizada entre as instâncias governamentais. O repasse de recursos federais aos estados e municípios para apoio das atividades do Programa tem por base o

Questão 47

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
1
Na década de cinquenta, cresceu a participação
 
feminina no mercado de trabalho, especialmente no setor de
 
serviços de consumo coletivo, em escritórios, no comércio ou
 
em serviços públicos. Surgiram então mais oportunidades de
5
emprego em profissões como as de enfermeira, professora,
 
funcionária burocrática, médica, assistente social, vendedora,
 
as quais exigiam das mulheres certa qualificação e, em
 
contrapartida, tornavam-nas profissionais remuneradas. Essa
 
tendência demandou maior escolaridade feminina e provocou,
10
sem dúvida, mudanças no status social das mulheres.
 
Entretanto, eram nítidos os preconceitos que cercavam o
 
trabalho feminino nessa época. Como as mulheres ainda eram
 
vistas prioritariamente como donas de casa e mães, a ideia da
 
incompatibilidade entre casamento e vida profissional tinha
15
grande força no imaginário social. Um dos principais
 
argumentos dos que viam com ressalvas o trabalho feminino
 
era o de que, trabalhando, a mulher deixaria de lado seus
 
afazeres domésticos e suas atenções e cuidados para com o
 
marido: ameaças não só à organização doméstica como
20
também à estabilidade do matrimônio.
 
Carla Bassanezi. Mulheres dos anos dourados. In: História das mulheres
 
no Brasil. 8.ª ed. São Paulo: Con
Infere-se do CG4A1-II que, na década de cinquenta, as mulheres

Questão 48

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
A Resolução CFESS no 615 assegura às pessoas travestis e transexuais o direito à escolha de tratamento nominal a ser inserido na Cédula e na Carteira de Identidade Profissional, bem como nos atos e procedimentos promovidos no âmbito do CFESS e dos CRESS. No momento da sua inscrição no Conselho Regional, o profissional solicitará por escrito e indicará o prenome que corresponda à forma pela qual se reconheça, é identificada, reconhecida e denominada por sua comunidade e em sua inserção social. Ainda de acordo com o artigo 3º da referida Resolução, nas assinaturas decorrentes do trabalho desenvolvido pelo(a) assistente social, nessas situações, juntamente com o número do registro profissional, fica

Questão 49

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
O trabalho do assistente social, enquanto práxis social, efetua-se por meio de duas categorias indissociáveis: teleologia e causalidade. A ação do profissional requer a leitura da realidade de forma concreta e rica de determinações acerca da situação em pauta. Após a definição de um objetivo e as formas de materializá-lo, segue-se a intervenção na realidade, por meio de orientações sociais, planejamentos, relatórios, encaminhamentos, reuniões etc. Diante da complexidade do exercício profissional do assistente social, o dever-ser do seu trabalho não se desenvolve sem recorrência a fundamentos teórico-metodológicos. A subjetividade do profissional precisa estar apta a ler a realidade em sua concretude e a estabelecer estratégias de intervenção a partir das possibilidades

Questão 50

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
1
Na década de cinquenta, cresceu a participação
 
feminina no mercado de trabalho, especialmente no setor de
 
serviços de consumo coletivo, em escritórios, no comércio ou
 
em serviços públicos. Surgiram então mais oportunidades de
5
emprego em profissões como as de enfermeira, professora,
 
funcionária burocrática, médica, assistente social, vendedora,
 
as quais exigiam das mulheres certa qualificação e, em
 
contrapartida, tornavam-nas profissionais remuneradas. Essa
 
tendência demandou maior escolaridade feminina e provocou,
10
sem dúvida, mudanças no status social das mulheres.
 
Entretanto, eram nítidos os preconceitos que cercavam o
 
trabalho feminino nessa época. Como as mulheres ainda eram
 
vistas prioritariamente como donas de casa e mães, a ideia da
 
incompatibilidade entre casamento e vida profissional tinha
15
grande força no imaginário social. Um dos principais
 
argumentos dos que viam com ressalvas o trabalho feminino
 
era o de que, trabalhando, a mulher deixaria de lado seus
 
afazeres domésticos e suas atenções e cuidados para com o
 
marido: ameaças não só à organização doméstica como
20
também à estabilidade do matrimônio.
 
Carla Bassanezi. Mulheres dos anos dourados. In: História das mulheres
 
no Brasil. 8.ª ed. São Paulo: Con
Infere-se do CG4A1-II que, na década de cinquenta, as mulheres

Questão 51

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
1
Na década de cinquenta, cresceu a participação
 
feminina no mercado de trabalho, especialmente no setor de
 
serviços de consumo coletivo, em escritórios, no comércio ou
 
em serviços públicos. Surgiram então mais oportunidades de
5
emprego em profissões como as de enfermeira, professora,
 
funcionária burocrática, médica, assistente social, vendedora,
 
as quais exigiam das mulheres certa qualificação e, em
 
contrapartida, tornavam-nas profissionais remuneradas. Essa
 
tendência demandou maior escolaridade feminina e provocou,
10
sem dúvida, mudanças no status social das mulheres.
 
Entretanto, eram nítidos os preconceitos que cercavam o
 
trabalho feminino nessa época. Como as mulheres ainda eram
 
vistas prioritariamente como donas de casa e mães, a ideia da
 
incompatibilidade entre casamento e vida profissional tinha
15
grande força no imaginário social. Um dos principais
 
argumentos dos que viam com ressalvas o trabalho feminino
 
era o de que, trabalhando, a mulher deixaria de lado seus
 
afazeres domésticos e suas atenções e cuidados para com o
 
marido: ameaças não só à organização doméstica como
20
também à estabilidade do matrimônio.
 
Carla Bassanezi. Mulheres dos anos dourados. In: História das mulheres
 
no Brasil. 8.ª ed. São Paulo: Con
Infere-se do CG4A1-II que, na década de cinquenta, as mulheres

Questão 52

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
Conforme as deliberações contidas na Política Nacional de Assistência Social (PNAS), a elaboração e implementação de planos de monitoramento e avaliação e a criação de um sistema de informação deve possibilitar a mensuração da eficiência e da eficácia das ações previstas nos Planos de Assistência Social; a transparência; o acompanhamento; a avaliação do sistema e a realização de estudos, pesquisas e diagnósticos a fim de contribuir para a formulação da política pelas três esferas de governo. A PNAS prevê ainda a utilização do sistema de informação, em orçamento, também para as três esferas de governo. De acordo com a PNAS a Informação, o Monitoramento e a Avaliação é um(uma) de seus(suas)

Questão 53

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
1
Na década de cinquenta, cresceu a participação
 
feminina no mercado de trabalho, especialmente no setor de
 
serviços de consumo coletivo, em escritórios, no comércio ou
 
em serviços públicos. Surgiram então mais oportunidades de
5
emprego em profissões como as de enfermeira, professora,
 
funcionária burocrática, médica, assistente social, vendedora,
 
as quais exigiam das mulheres certa qualificação e, em
 
contrapartida, tornavam-nas profissionais remuneradas. Essa
 
tendência demandou maior escolaridade feminina e provocou,
10
sem dúvida, mudanças no status social das mulheres.
 
Entretanto, eram nítidos os preconceitos que cercavam o
 
trabalho feminino nessa época. Como as mulheres ainda eram
 
vistas prioritariamente como donas de casa e mães, a ideia da
 
incompatibilidade entre casamento e vida profissional tinha
15
grande força no imaginário social. Um dos principais
 
argumentos dos que viam com ressalvas o trabalho feminino
 
era o de que, trabalhando, a mulher deixaria de lado seus
 
afazeres domésticos e suas atenções e cuidados para com o
 
marido: ameaças não só à organização doméstica como
20
também à estabilidade do matrimônio.
 
Carla Bassanezi. Mulheres dos anos dourados. In: História das mulheres
 
no Brasil. 8.ª ed. São Paulo: Con
Infere-se do CG4A1-II que, na década de cinquenta, as mulheres

Questão 54

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
Conforme estabelece a Norma Operacional Básica do SUAS (NOB/SUAS) a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios deverão elaborar os respectivos Planos de Assistência Social. Também deverá ser elaborado o diagnóstico socioterritorial, que tem por base o conhecimento da realidade a partir da leitura dos territórios, microterritórios ou outros recortes socioterritoriais que possibilitem identificar as dinâmicas sociais, econômicas, políticas e culturais que os caracterizam, reconhecendo as suas demandas e potencialidades. Ainda de acordo com a NOB/SUAS (art.20) o diagnóstico socioterritorial compõe os Planos de Assistência Social e deverá ser elaborado

Questão 55

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
De acordo com a Tipificação Nacional dos Serviços Socioassistenciais, o Serviço de Proteção em Situações de Calamidades Públicas e de Emergências promove apoio e proteção à população atingida por essas situações, com a oferta de alojamentos provisórios, atenções e provisões materiais, conforme as necessidades detectadas. Trata-se de serviço organizado para o atendimento de famílias e indivíduos atingidos por incêndios, desabamentos, deslizamentos, alagamentos, dentre outras situações e para aqueles removidos de áreas consideradas de risco, por prevenção ou determinação

Questão 56

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
1
Na década de cinquenta, cresceu a participação
 
feminina no mercado de trabalho, especialmente no setor de
 
serviços de consumo coletivo, em escritórios, no comércio ou
 
em serviços públicos. Surgiram então mais oportunidades de
5
emprego em profissões como as de enfermeira, professora,
 
funcionária burocrática, médica, assistente social, vendedora,
 
as quais exigiam das mulheres certa qualificação e, em
 
contrapartida, tornavam-nas profissionais remuneradas. Essa
 
tendência demandou maior escolaridade feminina e provocou,
10
sem dúvida, mudanças no status social das mulheres.
 
Entretanto, eram nítidos os preconceitos que cercavam o
 
trabalho feminino nessa época. Como as mulheres ainda eram
 
vistas prioritariamente como donas de casa e mães, a ideia da
 
incompatibilidade entre casamento e vida profissional tinha
15
grande força no imaginário social. Um dos principais
 
argumentos dos que viam com ressalvas o trabalho feminino
 
era o de que, trabalhando, a mulher deixaria de lado seus
 
afazeres domésticos e suas atenções e cuidados para com o
 
marido: ameaças não só à organização doméstica como
20
também à estabilidade do matrimônio.
 
Carla Bassanezi. Mulheres dos anos dourados. In: História das mulheres
 
no Brasil. 8.ª ed. São Paulo: Con
Infere-se do CG4A1-II que, na década de cinquenta, as mulheres

Questão 57

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
O direito ao transporte é uma das garantias fundamentais do Estatuto do Idoso (Lei nº 10.741/2003). Assim sendo, aos maiores de sessenta e cinco anos é assegurada a gratuidade dos transportes coletivos públicos urbanos e semi-urbanos, exceto nos serviços seletivos e especiais, quando prestados paralelamente aos serviços regulares. Para ter acesso à gratuidade, basta que o idoso apresente qualquer documento pessoal que faça prova de sua idade. Conforme artigo 39 (§ 3º) do Estatuto, o exercício da gratuidade nos meios de transporte das pessoas na faixa etária entre sessenta e sessenta e cinco anos

Questão 58

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
Para os efeitos da Lei nº 10.741/2003, considera-se violência contra o idoso qualquer ação ou omissão praticada em local público ou privado que lhe cause morte, dano ou sofrimento físico ou psicológico. Determina o artigo 97 do Estatuto do Idoso a aplicação de pena de detenção àquele que deixar de prestar assistência, quando possível fazê-lo sem risco pessoal, em situação de iminente perigo, ou recusar, retardar ou dificultar sua assistência à saúde, sem justa causa, ou não pedir, nesses casos, o socorro de autoridade pública. O parágrafo único do referido artigo define que a pena é aumentada de metade, se da omissão resulta lesão corporal de natureza grave e, se resulta a morte, é

Questão 59

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
O relatório social é uma apresentação descritiva e interpretativa de uma situação, enquanto objeto de intervenção do assistente social. Dependendo de sua finalidade, sua apresentação será com maior ou menor nível de detalhamento, podendo conter partes da questão em estudo, na medida em que compõe o conjunto de registros sequenciais, decorrentes de várias intervenções profissionais. Como qualquer outra documentação em Serviço Social, a escolha do que é pertinente ou não de se registrar em um relatório social é definida por principios

Questão 60

Valiprev/SP 2020 - VUNESP - Assistente Social
1
Na década de cinquenta, cresceu a participação
 
feminina no mercado de trabalho, especialmente no setor de
 
serviços de consumo coletivo, em escritórios, no comércio ou
 
em serviços públicos. Surgiram então mais oportunidades de
5
emprego em profissões como as de enfermeira, professora,
 
funcionária burocrática, médica, assistente social, vendedora,
 
as quais exigiam das mulheres certa qualificação e, em
 
contrapartida, tornavam-nas profissionais remuneradas. Essa
 
tendência demandou maior escolaridade feminina e provocou,
10
sem dúvida, mudanças no status social das mulheres.
 
Entretanto, eram nítidos os preconceitos que cercavam o
 
trabalho feminino nessa época. Como as mulheres ainda eram
 
vistas prioritariamente como donas de casa e mães, a ideia da
 
incompatibilidade entre casamento e vida profissional tinha
15
grande força no imaginário social. Um dos principais
 
argumentos dos que viam com ressalvas o trabalho feminino
 
era o de que, trabalhando, a mulher deixaria de lado seus
 
afazeres domésticos e suas atenções e cuidados para com o
 
marido: ameaças não só à organização doméstica como
20
também à estabilidade do matrimônio.
 
Carla Bassanezi. Mulheres dos anos dourados. In: História das mulheres
 
no Brasil. 8.ª ed. São Paulo: Con
Infere-se do CG4A1-II que, na década de cinquenta, as mulheres



Provas de Concursos » Vunesp 2020