Questões de Concursos de Direito Constitucional

Questões sobre Teoria Geral do Estado

Questão 1
Matéria: Direito Constitucional
Assunto: Teoria Geral do Estado
DPU 2010 - CESPE - Defensor Público da União
Com relação às concepções teóricas de Estado, julgue os itens subsequentes.
De acordo com a teoria política de John Locke, a propriedade já existe no estado de natureza e, sendo instituição anterior à sociedade, é direito natural do indivíduo, não podendo ser violado pelo Estado.
Questão 2
Matéria: Direito Constitucional
Assunto: Teoria Geral do Estado
DPU 2010 - CESPE - Defensor Público da União
Com relação às concepções teóricas de Estado, julgue os itens subsequentes.
Para Thomas Hobbes, com a criação do Estado, o súdito deixa de abdicar de seu direito à liberdade natural para proteger a própria vida.
Questão 3
Matéria: Direito Constitucional
Assunto: Teoria Geral do Estado
AGU 2007 - CESPE - Procurador Federal
1
A história constitucional do Brasil, de conhecimento
 
indispensável a quem busca estudar nossas instituições políticas
 
e sociais, representa um dos mais profundos mergulhos na
 
compreensão do passado nacional. O exame e a análise dos
5
sucessos políticos e das raízes institucionais do país hão de trazer
 
sempre luz para o entendimento da realidade contemporânea, na
 
qual os acontecimentos transcorrem com a velocidade da crise e
 
fazem, não raro, extremamente difícil a percepção das causas que
 
de imediato devem ser removidas, em escala prioritária, a fim
10
de se poder fazer estável e seguro o destino da Nação e a
 
preservação de sua unidade.
Paulo Bonavides e Paes de Andrade. História constitucional do Brasil. Brasília: OAB Editora, 2002 (com adaptações).
Julgue os itens subseqüentes, que tratam da evolução constitucional no Brasil.
O período constitucional do Império foi o período da história brasileira em que o poder mais se apartou da Constituição formal, a qual teve baixo grau de eficácia e pouca presença na consciência dos dirigentes do país. Exemplo disso foi a não-utilização da Constituição como instrumento para se solucionar a questão da escravidão no Brasil.
Questão 4
Matéria: Direito Constitucional
Assunto: Teoria Geral do Estado
AGU 2007 - CESPE - Procurador Federal
1
A história constitucional do Brasil, de conhecimento
 
indispensável a quem busca estudar nossas instituições políticas
 
e sociais, representa um dos mais profundos mergulhos na
 
compreensão do passado nacional. O exame e a análise dos
5
sucessos políticos e das raízes institucionais do país hão de trazer
 
sempre luz para o entendimento da realidade contemporânea, na
 
qual os acontecimentos transcorrem com a velocidade da crise e
 
fazem, não raro, extremamente difícil a percepção das causas que
 
de imediato devem ser removidas, em escala prioritária, a fim
10
de se poder fazer estável e seguro o destino da Nação e a
 
preservação de sua unidade.
Paulo Bonavides e Paes de Andrade. História constitucional do Brasil. Brasília: OAB Editora, 2002 (com adaptações).
Julgue os itens subseqüentes, que tratam da evolução constitucional no Brasil.
Durante o Primeiro Reinado, o movimento cunhado como constitucionalismo era visto por muitos como uma idéia quase subversiva.
Questão 5
Matéria: Direito Constitucional
Assunto: Teoria Geral do Estado
TRF 5ª 2007 - CESPE - Juiz Federal Substituto
Julgue os próximos itens, relacionados à evolução do constitucionalismo brasileiro.
A Constituição de 1967 foi emendada em 1969 pelo Congresso Nacional, mantendo-se, pelo menos formalmente, as eleições presidenciais pelo sistema do sufrágio universal e o voto direto e secreto.
Questão 6
Matéria: Direito Constitucional
Assunto: Teoria Geral do Estado
TRF 5ª 2007 - CESPE - Juiz Federal Substituto
Julgue os próximos itens, relacionados à evolução do constitucionalismo brasileiro.
A Constituição de 1946 era muito parecida com a de 1934 devido à coincidência de fatores políticos que marcaram a sua elaboração: a de 1934 constituiu forte reação à República Velha, e a de 1946, às tendências ditatoriais. Portanto, ambas, pode-se dizer, tiveram inspiração democrática.
Questão 7
Matéria: Direito Constitucional
Assunto: Teoria Geral do Estado
TRF 5ª 2007 - CESPE - Juiz Federal Substituto
Julgue os próximos itens, relacionados à evolução do constitucionalismo brasileiro.
Fruto das revoluções de 1930 e 1932 e espelhando as grandes transformações do século XX, especialmente o fim da 1.ª Guerra Mundial, a Constituição de 1934 foi simplesmente desconsiderada pelo golpe de Estado de 1937 e pela outorga, por Getúlio Vargas, da nova Carta política, que, de inspiração fascista, teve como autor principal Francisco Campos.
Questão 8
Matéria: Direito Constitucional
Assunto: Teoria Geral do Estado
TRF 5ª 2007 - CESPE - Juiz Federal Substituto
Julgue os próximos itens, relacionados à evolução do constitucionalismo brasileiro.
O prenúncio da redemocratização do Brasil foi, em 1984, o movimento civil Diretas Já, de reivindicação por eleição presidencial direta no Brasil, a qual se concretizou na aprovação, com expressiva votação pelo Congresso Nacional, da proposta de Emenda Constitucional Dante de Oliveira, que permitiu a volta dos civis ao poder e a subseqüente eleição de Tancredo Neves.
Questão 9
Matéria: Direito Constitucional
Assunto: Teoria Geral do Estado
Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O embate não dizia respeito à defesa do que já
 
ficara sepultado no passado — a economia exportadora e
 
a sociedade agrária —, não colocava em tela de juízo a
 
necessidade ou não da industrialização. O que estava em
5
jogo, isto sim, eram dois estilos de desenvolvimento
 
econômico, dois modelos de sociedade urbana de massas:
 
de um lado, um capitalismo selvagem e plutocrático; de
 
outro, um capitalismo domesticado pelos valores
 
modernos da igualdade social e da participação
10
democrática dos cidadãos, cidadãos conscientes de seus
 
direitos, educados, verdadeiramente autônomos,
 
politicamente ativos. Portanto, 1964 representou a
 
imposição, pela força, de uma das formas possíveis de
 
sociedade capitalista no Brasil.
João Manuel Cardoso de Mello e Fernando A. Novais. Capitalismo tardio e sociedade moderna. In: Lilia M. Schwarcz. História da vida privada no Brasil (4). São Paulo: Companhia das Letras, 1998, p. 617-8 (com adaptações).

Considerando o texto CG-II, julgue os itens a seguir, relativos ao modelo econômico implementado no Brasil a partir de 1964, alvo de críticas como as vistas nas charges acima, publicadas por Ziraldo e Chico Caruso.

A dependência de parte do dinamismo industrial brasileiro à expansão capitalista dos países centrais, visível sobretudo a partir de meados dos anos 50, foi subitamente refreada em 1964; com o golpe, a economia nacional tornou-se bem mais impermeável aos movimentos do sistema capitalista internacional.
Questão 10
Matéria: Direito Constitucional
Assunto: Teoria Geral do Estado
Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O embate não dizia respeito à defesa do que já
 
ficara sepultado no passado — a economia exportadora e
 
a sociedade agrária —, não colocava em tela de juízo a
 
necessidade ou não da industrialização. O que estava em
5
jogo, isto sim, eram dois estilos de desenvolvimento
 
econômico, dois modelos de sociedade urbana de massas:
 
de um lado, um capitalismo selvagem e plutocrático; de
 
outro, um capitalismo domesticado pelos valores
 
modernos da igualdade social e da participação
10
democrática dos cidadãos, cidadãos conscientes de seus
 
direitos, educados, verdadeiramente autônomos,
 
politicamente ativos. Portanto, 1964 representou a
 
imposição, pela força, de uma das formas possíveis de
 
sociedade capitalista no Brasil.
João Manuel Cardoso de Mello e Fernando A. Novais. Capitalismo tardio e sociedade moderna. In: Lilia M. Schwarcz. História da vida privada no Brasil (4). São Paulo: Companhia das Letras, 1998, p. 617-8 (com adaptações).
Com o auxílio do texto CG-II, julgue os itens seguintes, relativos ao quadro brasileiro preexistente à ruptura institucional de 1964 e ao significado histórico desse golpe.
É inegável o peso da Revolução Cubana sobre o imaginário brasileiro — e latino-americano — naquele período: de um lado, embalava a utopia revolucionária e os sonhos reformistas; de outro, acenava com a possibilidade de reformas graduais e controladas, o que interessava aos setores direitistas e conservadores.
Questão 11
Matéria: Direito Constitucional
Assunto: Teoria Geral do Estado
Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O embate não dizia respeito à defesa do que já
 
ficara sepultado no passado — a economia exportadora e
 
a sociedade agrária —, não colocava em tela de juízo a
 
necessidade ou não da industrialização. O que estava em
5
jogo, isto sim, eram dois estilos de desenvolvimento
 
econômico, dois modelos de sociedade urbana de massas:
 
de um lado, um capitalismo selvagem e plutocrático; de
 
outro, um capitalismo domesticado pelos valores
 
modernos da igualdade social e da participação
10
democrática dos cidadãos, cidadãos conscientes de seus
 
direitos, educados, verdadeiramente autônomos,
 
politicamente ativos. Portanto, 1964 representou a
 
imposição, pela força, de uma das formas possíveis de
 
sociedade capitalista no Brasil.
João Manuel Cardoso de Mello e Fernando A. Novais. Capitalismo tardio e sociedade moderna. In: Lilia M. Schwarcz. História da vida privada no Brasil (4). São Paulo: Companhia das Letras, 1998, p. 617-8 (com adaptações).
Com o auxílio do texto CG-II, julgue os itens seguintes, relativos ao quadro brasileiro preexistente à ruptura institucional de 1964 e ao significado histórico desse golpe.
Enquanto, para os vitoriosos de 1964, a ruptura significou a defesa de uma democracia em risco, para outros, a queda de Jango correspondeu à vitória de um projeto que propugnava pela modernização capitalista do país pela via conservadora, disposto a adotar, caso necessário, o caminho do autoritarismo.
Questão 12
Matéria: Direito Constitucional
Assunto: Teoria Geral do Estado
Senado Federal 2002 - CESPE - Consultor Legislativo - Sistemas Políticos e Direitos da Cidadania
1
O embate não dizia respeito à defesa do que já
 
ficara sepultado no passado — a economia exportadora e
 
a sociedade agrária —, não colocava em tela de juízo a
 
necessidade ou não da industrialização. O que estava em
5
jogo, isto sim, eram dois estilos de desenvolvimento
 
econômico, dois modelos de sociedade urbana de massas:
 
de um lado, um capitalismo selvagem e plutocrático; de
 
outro, um capitalismo domesticado pelos valores
 
modernos da igualdade social e da participação
10
democrática dos cidadãos, cidadãos conscientes de seus
 
direitos, educados, verdadeiramente autônomos,
 
politicamente ativos. Portanto, 1964 representou a
 
imposição, pela força, de uma das formas possíveis de
 
sociedade capitalista no Brasil.
João Manuel Cardoso de Mello e Fernando A. Novais. Capitalismo tardio e sociedade moderna. In: Lilia M. Schwarcz. História da vida privada no Brasil (4). São Paulo: Companhia das Letras, 1998, p. 617-8 (com adaptações).
Com o auxílio do texto CG-II, julgue os itens seguintes, relativos ao quadro brasileiro preexistente à ruptura institucional de 1964 e ao significado histórico desse golpe.
Infere-se do texto que seus autores defendem a tese da inevitabilidade do golpe tal como ele ocorreu, ante a inexistência de condições objetivas para o êxito do projeto reformista que o presidente João Goulart procurava liderar, fazendo das Reformas de Base a grande bandeira de seu governo.
Questão 13
Matéria: Direito Constitucional
Assunto: Teoria Geral do Estado
Câmara dos Deputados 2002 - CESPE - Analista Legislativo/ Assistente Técnico - FC de Consultor Legislativo - Área I
1
As teorias hermenêuticas e discursivas parecem
 
apontar para uma concepção menos estratégica do
 
direito constitucional, superando a insuficiência do
 
formalismo jurídico nas questões de lacunas por meio da
5
chamada juridicidade dos princípios. A discussão
 
jurídico-constitucional permite dizer que a ciência do direito,
 
voltada também para a interpretação de normas, não é
 
necessariamente formalista. Ao lado e contra uma teoria
 
formal da constituição de matriz kelseniana formou-se uma
10
teoria material da constituição. Essa última originou-se no
 
âmbito do constitucionalismo suíço, especialmente na
 
Escola de Zurique, que se constituiu como uma verdadeira
 
réplica ao positivismo jurídico formal e ao sociologismo sem
 
limites. Contudo, a consolidação da teoria material da
15
constituição tem na Alemanha das últimas décadas do
 
século XX a sua sede principal por meio dos ensinamentos de
 
Kriele, Konrad Hesse, F. Müller e Peter Häberle. Entretanto,
 
para Bonavides (Curso de direito constitucional. São Paulo:
 
Malheiros, 2001), o “coração” da teoria constitucional
20
pós-positivista está na idéia de princípios cuja elaboração
 
ganha maior relevo no pensamento de Ronald Dworkin e na
 
teoria reconstrutiva de Habermas.
Ainda considerando as idéias apresentadas no texto I, julgue os itens subseqüentes.
Para Dworkin, o positivismo jurídico, que inspira a teoria formal da constituição, por meio da interpretação sistemática, embora nada diga sobre matéria constitucional, responde ao problema das lacunas do direito.
Questão 14
Matéria: Direito Constitucional
Assunto: Teoria Geral do Estado
Câmara dos Deputados 2002 - CESPE - Analista Legislativo/ Assistente Técnico - FC de Consultor Legislativo - Área I
1
As teorias hermenêuticas e discursivas parecem
 
apontar para uma concepção menos estratégica do
 
direito constitucional, superando a insuficiência do
 
formalismo jurídico nas questões de lacunas por meio da
5
chamada juridicidade dos princípios. A discussão
 
jurídico-constitucional permite dizer que a ciência do direito,
 
voltada também para a interpretação de normas, não é
 
necessariamente formalista. Ao lado e contra uma teoria
 
formal da constituição de matriz kelseniana formou-se uma
10
teoria material da constituição. Essa última originou-se no
 
âmbito do constitucionalismo suíço, especialmente na
 
Escola de Zurique, que se constituiu como uma verdadeira
 
réplica ao positivismo jurídico formal e ao sociologismo sem
 
limites. Contudo, a consolidação da teoria material da
15
constituição tem na Alemanha das últimas décadas do
 
século XX a sua sede principal por meio dos ensinamentos de
 
Kriele, Konrad Hesse, F. Müller e Peter Häberle. Entretanto,
 
para Bonavides (Curso de direito constitucional. São Paulo:
 
Malheiros, 2001), o “coração” da teoria constitucional
20
pós-positivista está na idéia de princípios cuja elaboração
 
ganha maior relevo no pensamento de Ronald Dworkin e na
 
teoria reconstrutiva de Habermas.
Ainda considerando as idéias apresentadas no texto I, julgue os itens subseqüentes.
As tensões entre a teoria formal e a material da constituição fundamentou o surgimento do paradigma do Estado social na Europa da primeira metade do século passado.
Questão 15
Matéria: Direito Constitucional
Assunto: Teoria Geral do Estado
Câmara dos Deputados 2002 - CESPE - Analista Legislativo/ Assistente Técnico - FC de Consultor Legislativo - Área I
1
As teorias hermenêuticas e discursivas parecem
 
apontar para uma concepção menos estratégica do
 
direito constitucional, superando a insuficiência do
 
formalismo jurídico nas questões de lacunas por meio da
5
chamada juridicidade dos princípios. A discussão
 
jurídico-constitucional permite dizer que a ciência do direito,
 
voltada também para a interpretação de normas, não é
 
necessariamente formalista. Ao lado e contra uma teoria
 
formal da constituição de matriz kelseniana formou-se uma
10
teoria material da constituição. Essa última originou-se no
 
âmbito do constitucionalismo suíço, especialmente na
 
Escola de Zurique, que se constituiu como uma verdadeira
 
réplica ao positivismo jurídico formal e ao sociologismo sem
 
limites. Contudo, a consolidação da teoria material da
15
constituição tem na Alemanha das últimas décadas do
 
século XX a sua sede principal por meio dos ensinamentos de
 
Kriele, Konrad Hesse, F. Müller e Peter Häberle. Entretanto,
 
para Bonavides (Curso de direito constitucional. São Paulo:
 
Malheiros, 2001), o “coração” da teoria constitucional
20
pós-positivista está na idéia de princípios cuja elaboração
 
ganha maior relevo no pensamento de Ronald Dworkin e na
 
teoria reconstrutiva de Habermas.
Ainda considerando as idéias apresentadas no texto I, julgue os itens subseqüentes.
Segundo a teoria de Habermas, o paradigma do Estado liberal poderia estar relacionado, antes de qualquer coisa, à proteção das condições de procedimento democrático.
 
×
AFO e Contabilidade Pública Administração Arquivologia Assistência Social e Saúde Pública Atualidades Comunicação Conhecimentos Bancários Direito Administrativo Direito Civil Direito Constitucional Direito Eleitoral Direito Penal Militar Direito Processual Civil Direito Processual Penal Direito Processual Penal Militar Direito Processual Tributário Direito Processual do Trabalho Direito Tributário Direito da Criança, do Adolescente e do Idoso Direito do Trabalho Direito penal e processual penal - Leis extravagantes Direitos Humanos Economia Finanças Geografia História Informática Básica Inglês Legislação de Trânsito e da PRF Organização e competência Português Racioc. Lógico e Matemático Regulação Sociologia do Direito Tecnologia da Informação Ética
×
Assuntos de Questões sobre Teoria Geral do Estado:
Administração pública Constituição: conceito e classificações Constituições Estaduais Controle de constitucionalidade Defesa do Estado e das Instituições Direitos e garantias fundamentais Disposições Constitucionais Gerais Disposições Constitucionais Transitórias Eficácia e aplicabilidade Emendas Constitucionais Funções Essenciais à Justiça Interpretação da Constituição Ordem Econômica e Financeira Ordem Social Organização do Estado Poder constituinte Poder Executivo Poder Judiciário Poder Legislativo Princípios fundamentais Processo legislativo Supremacia da Constituição Tributação e orçamento